Instalações Hidráulicas de Água Fria. Água Fria Interdependência entre sistemas de água de abastecimento, de esgoto e pluviais com as instalações hidráulicas

  • View
    221

  • Download
    4

Embed Size (px)

Text of Instalações Hidráulicas de Água Fria. Água Fria Interdependência entre sistemas de água de...

  • Instalaes Hidrulicas de gua Fria

  • gua FriaInterdependncia entre sistemas de gua de abastecimento, de esgoto e pluviais com as instalaes hidrulicas prediais

  • gua FriaVrias reas de utilizao de gua e gerao de esgoto.

  • Requisitos de desempenho do sistema de suprimento de gua

    O sistema predial de suprimento de gua (instalaopredial de gua) deve prover, quando necessria ao uso, gua de boa qualidade, em quantidade e temperatura controlveis pelo usurio, para a sua adequada utilizao.

  • Sistema de Distribuio DiretoVantagens: No necessita reservatrio;Maior economia de espao;Economia de energia eltrica;Menor carregamento estrutural

    Desvantagens: Confiabilidade no fornecimento contnuo e com presso adequada pela concessionria de gua;Interrupo de fornecimento devido necessidade de manuteno.

  • Sistema de Distribuio Indireto

    Vantagens: fornecimento de gua contnuo;pequena variao de presso nos aparelhos; menor consumo de gua.

    Desvantagens: maior carregamento estrutural; manuteno peridica do reservatrio ( 6 em 6 meses).

  • Partes ConstituintesRede PblicaRamal PredialHidrmetroConjunto Moto-BombaTubo de RecalqueBarrileteDrenoExtravasorou ladroChaveBiaReservatrio Inferior

  • Medio individualizada

  • Consideraes Gerais Material e Presso: NBR-5626 os tubos e conexes ao galvanizado, cobre, ferro fundido(fofo), PVC, ou de outro material de tal modo que satisfaa a condio:sobrepresso:
  • Consideraes Gerais Velocidade:

    Velocidade mxima: menor que 2,5m/s ou 14x D1/2, a fim de no se produzirem rudos excessivos; Velocidade Mnima: nada se recomenda.

  • gua FriaRetrossifonagem: o refluxo de guas servidas, poludas ou contaminadas, para o sistema de consumo em decorrncia de presses negativas.

    Pode ocorrer com mais freqncia somente em vasos sanitrios e bids.

  • Recomendaes Norma - RetrossifonagemOs aparelhos passveis de provocar retrossifonagem podem ser instalados em coluna, barrilete e reservatrio comuns a outros aparelhos ou peas, desde que:

    a coluna seja dotada de tubulao de ventilao, executada com as seguintes caracteristicas:

    Ter dimetro igual ou superior ao da coluna de onde se deriva;Ser ligada coluna jusante do registro de passagem existente;Haver uma tubulao de ventilao para cada coluna que serve o aparelho passvel de provocar retrossifonagem;Ter sua extremidade livre acima do nvel mximo admissvel do reservatrio superior

  • Recomendaes Norma - RetrossifonagemOs aparelhos passveis de provocar retrossifonagem podem ser instalados em coluna, barrilete e reservatrio comuns a outros aparelhos ou peas, desde que:

    o sub-ramal esteja protegido por dispositivo quebrador de vcuo, nas condies previstas para sua instalao;

    a alimentao do sub-ramal deve ser feita de um ponto da coluna no mnimo a 0,40 m acima da borda de transbordamento do aparelho servido.

  • Consumo DirioValor mdio do volume de gua a ser utilizado na edificao em 24 horas. Com este valor dimensiona-se:ramal predial;hidrmetro;ramal de alimentao;conjunto moto-bomba para recalque e reservatrios.

    Critrios para calcular P ( populao ocupante da edificao)10 critrio: 5 pessoas por unidade residencial, caso de residncia trrea; ou20 critrio: 2 pessoas por dormitrio + 1 pessoa por dormitrio de empregada, em caso de prdios de apartamentos; 30 critrio : cdigo de obra da cidade.

  • Ramal Predial e Cavalete Dimensionamento depende: Do consumo dirio (CD) do imvel;Da presso disponvel da rede de distribuio no local.

    Dimetro mnimo ramal predial: Pode se fazer a estimativa do dimetro do ramal predial facilmente partir do seguinte dado:

    velocidade mdia da gua no alimentador predial dever estar entre 0,60 m/s e 1.0 m/s, segundo a norma NBR 5626. Q(vazo) = Veloc x Area do tubo e A= D2/4

  • Ramal Predial e Cavalete Normalmente, os ramais prediais so dimensionados pelas companhias concessionrias de gua e esgoto que operam no local.

    3/4"(20mm) para residncias e pequenos edifcios ( norma).

    O hidrmetro e o cavalete tero o mesmo dimetro do alimentador predial.

  • Extravasor Normalmente adota-se um dimetro comercial acima dos alimentadores dos reservatrios.

  • Tubulao de DrenoDimensionamento: Os drenos devem ser calculados levando em considerao o tempo mximo de esvaziamento de 2 horas atravs das seguintes equaes:

    A = rea superficial de cada compartimento do reservatrio;h = altura da lmina dgua acima da sadaS = rea da tubulao do dreno;D = dimetro do dreno.

  • Capacidade de ReservaoMnimo: consumo dirio (CD).

    NORMA recomenda: que o volume de reservao (VT) entre 1 CD 3alm disto, deve-se reservar gua para combater incndio;que a reserva de incndio deva ser armazenada, na sua totalidade, somente em um dos reservatrios( superior ou inferior);que todo excesso do C.D. seja armazenado no R.I;se a capacidade de cada reservatrio ultrapassar 5 m3, este deve ser compartimentado em pelo menos duas cmaras;

  • Capacidade de ReservaoPara cada compartimento, devem ser previstas as seguintes tubulaes:

    Reservatrio InferiorReservatrio Superioralimentaoalimentaoextravasor ou ladroextravasor ou ladrolimpeza ou drenolimpeza ou dreno

    suspirosuspirosuco para o conjunto moto-bomba de recalque para o Rssada para barrilete de distribuio da gua de consumosuco para o conjunto moto-bomba de incndiosada para barrilete de incndio

  • Capacidade de Reservao

    Distribuio do Volume de Armazenamento A distribuio normal de volume de armazenamento recomendada :Rs =2/5 VT 40%Ri =3/5 VT 60%

    Outros critrios:Rs = 2/5 CD + RincRi = 3/5 CD + acrscimo de reservao

    OuRs = 2/5 CDRi = 3/5 CD + acrescimo de reservao + Rinc.

  • ReservaoDimensionamento dos Reservatrios Superior e Inferior Restries:

    arquitetnica;estrutural da edificao.

    O arquiteto ou engenheiro reservar rea especfica para locao do reservatrio.

  • Sistema Elevatrio/Detalhes

  • Detalhe Reservatrio Planta do reservatrio inferior.

  • Detalhe ReservatrioCorte do reservatrio inferior.

  • Detalhe ReservatrioPlanta do reservatrio superior.

  • Detalhe ReservatrioCorte do reservatrio superior.

  • Sistema Elevatrio gua FriaDimensionamento da Bomba de Recalque

    Traar primeiro a isomtrica da Instalao de recalque com todas as dimenses;

    definir a vazo de recalque mnima;

    NORMA o valor mnimo deve ser de 15% do CD, ou a 6,66h de trabalho do conjunto moto bomba escolhido.

  • Sistema Elevatrio gua FriaCanalizao de Recalque.

    rec = 1,3.4x.2Q

    onde : rec =dimetro da tubulao, (m),X = n. de horas trabalhadas/24.Q =vazo(m3/s)

    Canalizao de Suco: Para o dimetro de suco adota-se dimetro comercial acima do dimetro.

    .

  • BarrileteTubulao que interliga as duas sees do reservatrio superior e alimentam as colunas de distribuio.

    Unificado: as ramificaes para cada coluna partem diretamente da tubulao que liga as duas sees do reservatrio ;cada ramificao para uma determinada coluna correspondente tem o seu registro prprio.

    VANTAGEM: isolamento,controle e a manobra de abastecimento, das diversas colunas so feitos num nico local da cobertura.

  • Barrilete

    Ramificado: da tubulao que interliga as duas sees, saem ramais , que do origem a derivaes secundrias para as colunas de alimentao.

    VANTAGEM: Utiliza-se este tipo de barrilete por razes de economia de encanamento.

  • Barrilete/Roteiro de DimensionamentoDepende exclusivamente da localizao das colunas de distribuio, que devem estar de comum acordo com a equipe envolvida no projeto global do edifcio

    a) colocar registro no incio de cada coluna ;

    b)determine para cada trecho da coluna a P ;

    c) calcular a vazo nos trechos da coluna ; Q=0,3x P;

    d)determine a P para cada trecho do barrilete e em seguida, as vazes nos respectivos trechos;

    e)adotar J = 0,08 m/m Q d J.real;

  • Barrilete/Roteiro de Dimensionamentof) aps estimativa dos dimetros e verificaes para o caso mais desfavorvel, determinar a altura mnima da gua no reservatrio (determinar as presses em todas as derivaes do barrilete;

    Deve-se levar em conta a alimentao do aparelho que apresente a condio mais desfavorvel.

    g) determinar a presso dinmica mnima ( P/ + z = presso efetiva), no incio de cada coluna;

    h) Dmin barrilete: 25 mm.

  • Coluna de DistribuioDerivam do barrilete e aps um certo trecho na cobertura, descem verticalmente para alimentar os diversos pavimentos

  • Coluna de DistribuioO dimensionamento realizado em funo:das vazes nos trechos ;dos limites de velocidade (2,5m/s ou 14D), ou considerando uma faixa de velocidade mediana entre 0,6 ~ 1,6 m/s acompanhado de uma planilha de clculo.

    Uma mesma coluna pode ter 2 ou mais trechos com dimetros diferentes, porque a vazo de distribuio diminui medida que se atinge os pavimentos.

  • Ramais e Sub-RamaisRAMAL: so tubulaes derivadas da coluna de alimentao e que servem a conjuntos de aparelhos.

    SUB-RAMAL: so tubulaes que ligam os ramais s peas de utilizao ou aparelhos sanitrios.

  • Ramais e Sub-Ramais - Dimensionamento

    De incio devemos saber as alturas dos pontos de utilizao das peas sanitrias;

    A seguir traa-se a perspectiva isomtrica do compartimento a ser calculado;

    Adota-se o dimetro mnimo para os sub-ramais conforme a tabela de dimetros mnimos para sub-ramais

  • Ramais e Sub-Ramais - Dimensionamento a)Mximo consumo possvel:

    determine para cada trecho do ramal a P ; calcular a vazo nos trechos do ramal: Q=0,3x P; adoto os dimetros do ramal utilizando a tabela 4.Ou

    b)Seo Equivalente:

    Determ