of 41/41
Instruções para usar os Filmes de Treinamento para as sessões de instrução sobre infecções relacionadas à assistência à saúde e higienização das mãos para profissionais de saúde e observadores

Instruções para usar os - PAHO/WHO

  • View
    0

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Instruções para usar os - PAHO/WHO

Slide 1Instruções para usar os Filmes de Treinamento
para as sessões de instrução sobre infecções relacionadas à assistência à saúde e higienização das mãos para
profissionais de saúde e observadores
CENÁRIOS DE HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS Instruções para o usuário (1)
• O “Filme de Treinamento” é uma ferramenta incluída na estratégia multimodal da OMS a para melhoria da higienização das mãos para auxiliar na transmissão dos conceitos dos “5 momentos de higienização das mãos” aos profissionais de saúde.
• Estes slides foram elaborados para acompanhar o fime e explicar o conteúdo e a mensagem educacional dos diferentes cenários.
• Os conceitos incluídos nos filmes são os mesmos daqueles apresentados na “Sessão de Instrução sobre Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde e Higienização das Mãos”, no “Panfleto Higienização das Mãos” e no “Manual para Observadores”.
• Os filmes devem ser mostrados apenas após todas as demais partes da “Sessão de Instrução sobre Infecções Relacionadas à Assistência à Saúde e Higienização das Mãos” terem sido apresentadas.
CENÁRIOS DE HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS Instruções para o usuário (2)
• Este material destina-se a: - apresentar exemplos visuais dos 5 momentos para a higienização das mãos
(para profissionais de saúde e observadores) - treinar os observadores no preenchimento do formulário de observação
• O material pode ser usado em uma única sessão (pelo menos 2 horas) ou em várias • Cenários 1 a 5:
- destinam-se a ser usados para treinar profissionais de saúde e observadores - cada cenário destina-se a um dos 5 momentos (indicações) para a higienização das mãos - alguns cenários são apresentados em várias versões para enfatizar os diferentes aspectos
• Cenários 6 a 9: - destinam-se a ser usados para treinar observadores - devem ser usados ao preencher o formulário de observação - mostra exemplos de seqüências de assistência à saúde durante diversas indicações de ocorrência de higienização das mãos - ações não realizadas de higienizacao das mãos são mostradas em alguns cenários, mas uma repetição de cada uma delas é fornecida mostrando 100% da adesão à higienização das mãos
CENÁRIOS DE HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOS Instrução ao Usuário (3)
• A seção “Como higienizar as mãos” inclui a técnica correta para higienizar as mãos com água e sabonete e friccionar as mãos com preparações alcoólicas de acordo com os passos e tempos recomendados pela OMS
• Na prática, os cenários devem ser observados um a um e o observador deve preencher o formulário de observação. Deve-se fazer uma discussão e os slides com as explicações e o formulário de observação corretamente preenchidos devem ser apresentados
• O menu barras permite alternar livremente de um cenário para outro, mas observe que a ordem atual foi organizada como um módulo lógico com complexidade progressiva de aprendizado
CENÁRIO 1 Antes de contato com o paciente 1a - Ao entrar no ambiente do paciente
Conteúdo: • O enfermeiro abre a porta (último contato com o ambiente de
assistência), entra na sala e dirige-se diretamente para o paciente
• Ao entrar, faz a fricção anti-séptica das mãos (com preparação alcoólica)
• Move a mesa de cabeceira (contato com objeto próximo ao paciente)
• Auxilia o paciente a tirar o braço que estava sob os lençóis (primeiro contato com o paciente)
Mensagens chave: o enfermeiro higieniza as mãos ao se aproximar do paciente. Higieniza as mãos friccionando-as antes de tocar as superfícies e objetos; pois fazem parte do ambiente do paciente. Não é necessário higienizar as mãos novamente antes de tocar o paciente. A indicação permanece “antes do contato com o paciente”.
CENÁRIO 1 Antes de contato com o paciente 1b – Imediatamente antes de contato com o paciente
Conteúdo: • O enfermeiro abre a porta (último contato com o ambiente de
asssistência), entra no quarto e segue em direção ao paciente. • Move a mesa de cabeceira (contato com objeto próximo ao paciente) • faz a fricção anti-séptica das mãos (com preparação
alcoólica) • Ajuda o paciente a tirar o braço que estava sob os lençóis (primeiro
contato com o paciente)
Mensagens chave: a higienização das mãos é necessária antes do contato com o paciente para protegê-lo de microrganismos prejudiciais portados pelas mãos a partir do ambiente de assistência à saúde fora do ambiente do paciente. O contato com superfícies e objetos nas proximidades do paciente não implica estritamente na necessidade de higienização das mãos, embora o contato com a pele do paciente exija este cuidado.
CENÁRIO 1 Antes do contato com o paciente 1c – Higienização das mãos no momento certo?
Conteúdo: • O enfermeiro faz a fricção anti-séptica das mãos (com
preparação alcoólica)no corredor (ação de higienização é inútil) • Abre a porta (último contato com o ambiente de assistência) e
entra no quarto seguindo em direção ao paciente • Ajuda o paciente a tirar o braço que estava sob os lençóis
(não ocorre a ação de higienização das mãos)
Mensagens Chave: após higienizar as mãos no corredor (ação adicional não corresponde a nenhuma indicação recomendada), o enfermeiro toca a maçaneta da porta e, assim, potencialmente contamina as mãos com microrganismos pertencentes ao ambiente de assistência à saúde. Depois, omite a ação antes do contato com o paciente, potencialmente contaminando-o com estes microrganismos.
CENÁRIO 1 Antes de contato com o paciente 1d – Contatos subsequentes com o paciente
Conteúdo: • O enfermeiro abre a porta (último contato com o ambiente de assistência), entra no
quarto e dirige-se ao paciente • Ao entrar, faz a fricção anti-séptica das mãos (com preparação alcoólica) • Ajuda o paciente a tirar o braço que estava sob os lençóis e determina a pressão
arterial (primeiro contato com o paciente) • Passa para o outro lado do leito • Move a mesa de cabeceira (contato com o ambiente do paciente) • Toma o braço direito do paciente e avalia a mobilidade dos dedos (contato com o
paciente) • Inclina-se para verificar a drenagem urinária no coletor e toca a cama enquanto se
levanta (contato com o ambiente do paciente) • Serve um copo de água para o paciente (contato com o ambiente do paciente)
Mensagens chave: a seqüência mostra diversos contatos com o paciente e seu ambiente, mas sem procedimento asséptico nem risco de exposição a fluidos corporais. A higienização das mãos foi feita corretamente apenas uma vez, antes de contato com o paciente. Não há necessidade de outras ações de higienização, pois o enfermeiro está sempre se movimentando dentro da zona do paciente. Ao final da seqüência, ele faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica, mas a ação não deve ser registrada, pois o observador não sabe se o enfermeiro deixou o paciente e seu ambiente.
CENÁRIO 2 Antes da realização de procedimento asséptico 2a – Procedimento asséptico em uma seqüência de cuidados
Conteúdo: • O enfermeiro entra no quarto e coloca a bandeja com os itens preparados para
aplicação de injeção na mesa de cabeceira (último contato com o ambiente de assistência)
• faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica (indicação: antes de contato com o paciente)
• Auxilia o paciente a tirar o braço que estava sob os lençóis (primeiro contato com o paciente)
• Movimenta a mesa de cabeceira (contato com o ambiente do paciente) • Coloca anti-séptico no algodão • faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica (indicação:
antes da realização de procedimento asséptico) • Abre a proteção no cateter intravenoso periférico, aplica a injeção e fecha a proteção
novamente (procedimento asséptico)
Mensagens chave: o enfermeiro tem um primeiro contato com o paciente (higieniza as mãos conforme indicado) e com o ambiente do paciente. Depois, repete a ação de higienização antes da realização de procedimento asséptico para proteger o paciente dos seus próprios microrganismos.
CENÁRIO 2 Antes da realização de procedimento asséptico 2b – Apenas procedimento asséptico
Conteúdo: • O enfermeiro entra no quarto do paciente e coloca a bandeja com os
itens preparados para a aplicação da injeção na mesa de cabeceira (último contato com o ambiente de assistência)
• O paciente está deitado no leito, adormecido, com o cateter intravenoso periférico no braço diretamente acessível ao enfermeiro
• O enfermeiro coloca anti-séptico no algodão • faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação
alcoólica (indicação: antes da realização de procedimento asséptico)
• Abre a proteção no cateter intravenoso periférico, aplica a injeção e fecha a proteção novamente (realização de procedimento asséptico sem contato com o paciente)
Mensagens chave: o procedimento asséptico é a primeira e única indicação neste cenário. O enfermeiro não tem contato direto com o paciente.
CENÁRIO 3 Após risco de exposição a fluidos corporais 3a – Risco de exposição a fluidos corporais dentro da seqüência de cuidados/assistência (não ocorre)
Conteúdo: • O enfermeiro está coletando uma amostra de sangue (risco de
exposição ao sangue) • Ao terminar, remove o garrote, coloca um curativo no local da punção
e coloca todo o equipamento na bandeja (continua o risco de exposição ao sangue)
• Remove as luvas, desprezando-as na lixeira (continua o risco de exposição ao sangue)
• Não ocorre a ação de higienização das mãos (indicação: após risco de exposição a fluidos corporais)
• Determina o pulso do paciente (próximo contato com o paciente)
Mensagens chave: a higienização das mãos deve ser feita imediatamente após o risco de exposição a fluidos corporais, antes de tocar novamente o paciente ou qualquer superfície e objeto próximo ao ambiente do paciente ou do ambiente de assistência, para evitar potencial disseminação de microrganismos. Qualquer atividade de assistência que implique em contato com fluidos corporais constitui um risco, pois a exposição pode não ser visível, embora possa ter ocorrido.
CENÁRIO 3 Após risco de exposição a fluidos corporais 3b – Risco de exposição a fluidos corporais dentro de uma seqüência de cuidados/assistência
Conteúdo: • O enfermeiro está coletando uma amostra de sangue (risco de exposição
ao sangue) • Ao terminar, remove o garrote, coloca um curativo no local da punção e
coloca todo o equipamento na bandeja (continua o risco de exposição ao sangue)
• Remove as luva, desprezando-as na lixeira (continua o risco de exposição ao sangue)
• faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica
• Determina o pulso do paciente (próximo contato com o paciente)
Mensagens chave: o enfermeiro higieniza adequadamente as mãos após risco de exposição a fluidos corporais. As mãos não estão visivelmente sujas e ele não precisa higienizá-las com água e sabonete.
CENÁRIO 3 Após risco de exposição a fluidos corporais 3c – Risco de exposição a fluidos corporais (higienização das mãos com água e sabonete)
Conteúdo: • O enfermeiro está coletando uma amostra de sangue (risco de exposição
ao sangue) • Ao terminar, remove o garrote, coloca um curativo no local da punção e
coloca todo o equipamento na bandeja (continua o risco de exposição ao sangue)
• Recolhe o equipamento, dirige-se à pia e despreza os materiais usados no lixo (continua o risco de exposição ao sangue)
• Remove as luvas, desprezando-as na lixeira (continua o risco de exposição ao sangue)
• Higieniza as mãos com água e sabonete (após risco de exposição a fluidos corporais e após contato com o paciente)
Mensagens chave: o enfermeiro higieniza as mãos corretamente e no momento certo após risco de exposição a fluidos corporais e após o último contato com o paciente (duas indicações que correspondem a uma única oportunidade, exigindo uma única ação de higienização das mãos). Higieniza as mãos com água e sabonete. A higienização com água e sabonete é recomendada quando as mãos estão visivelmente sujas.
CENÁRIO 4 Após contato com o paciente
Conteúdo: • O enfermeiro determina a pressão arterial do paciente (último contato
com o paciente) • Deixa o paciente e segue para o carrinho com o prontuário do
paciente (sem contato) • faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação
alcoólica • Escreve na ficha junto ao carrinho e deixa o quarto do paciente
levando o carrinho (primeiro contato com o ambiente de assistência)
Mensagens chave: o carrinho não faz parte do ambiente do paciente, portanto a higienização das mãos é feita após o contato com o paciente, antes de tocar o prontuários e o carrinho.
CENÁRIO 5 Após contato com áreas próximas ao paciente 5a – Ambiente do paciente
Conteúdo: • O auxiliar de enfermagem entra no quarto com um carrinho • Organiza a mesa de cabeceira (retira garrafas vazias e copos) e
procede à desinfecção da mesa de cabeceira • Coloca uma garrafa de água e copos limpos na mesa (ambiente do
paciente)
• faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica
• Deixa o quarto com o carrinho Mensagens chave: não há contato com o paciente, mas ainda é necessário fazer a higienização das mãos após o contato com superfícies e objetos inanimados imediatamente próximos ao paciente (ambiente do paciente).
CENÁRIO 5 Após contato com áreas próximas ao paciente 5b – Sem ambiente do paciente!
Conteúdo: • O auxiliar de enfermagem entra no quarto com o carrinho • O paciente solicita um copo de água e o auxiliar de enfermagem serve a água em um
copo (ambiente do paciente) • faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica (indicação: antes de
contato com o paciente) • Auxilia o paciente a sentar-se no leito (primeiro contato com o paciente) • Leva o copo ao paciente, que bebe a água e devolve o copo ao auxiliar de enfermagem • O auxiliar de enfermagem arruma a mesa de cabeceira (retira garrafas e copos vazios) • Procede à desinfecção da mesa de cabeceira e coloca a água e os copos sobre a mesa • faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica (indicação: após
contato com o paciente) • Deixa o quarto do paciente com o carrinho
Mensagens chave: O cenário é semelhante ao 5a. Entretanto, mesmo se o auxiliar de enfermagem não tiver tido a intenção inicial de tocar o paciente, deve higienizar as mãos quando a situação implicar em contato direto. Se o auxiliar de enfermagem teve contato com o paciente, a próxima indicação não será mais após o ambiente do paciente, mas após o contato com o paciente.
CENÁRIO 6 Quebra da seqüência de cuidados/assistência 6a – Quebra na seqüência de assistência (não realizada)
Conteúdo: • O médico entra no quarto e segue em direção ao paciente • Ao entrar, faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica
(indicação: antes de contato com o paciente) • Aperta a mão do paciente e examina seu joelho • O pager toca, o médico pede licença e deixa o quarto para atender ao telefone no
corredor (perde a oportunidade de higienizar as mãos (indicação: após contato com o paciente)
• O médico retorna pela porta aberta • Continua com o exame físico (perde a oportunidade de higienizar as mãos;
indicação: antes de contato com o paciente)
Mensagens chave: ocorre uma quebra na seqüência de cuidados/assistência (o médico atende o telefone no corredor, fora do ambiente do paciente). Portanto, deve higienizar as mãos após deixar o paciente (para evitar transmissão de microrganismos do paciente para o ambiente de assistência) e antes de tocar o paciente novamente (para evitar a transmissão de microrganismos para o paciente). Esta quebra no cuidado deverá ser evitada sempre que possível.
OBSERVATION FORM: scenario 6a
CENÁRIO 6 Quebra da seqüência de assistência 6b – Quebra da seqüência de cuidados/assistência (100% de adesão)
Conteúdo: • O médico entra no quarto e segue em direção ao paciente • Ao entrar, faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica
(indicação: antes de contato com o paciente) • Aperta a mão do paciente e examina seu joelho • O pager toca, o médico pede licença para atender ao telefone • O médico sai pela porta aberta, enquanto faz a fricção anti-séptica das
mãos com preparação alcoólica (indicação: antes de contato com o paciente)
• O médico retorna pela porta aberta enquanto faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica (indicação: antes de contato com o paciente)
• Continua o exame físico
Mensagens chave: mesma seqüência da 6a, mas com a higienização correta das mãos (100% de adesão)
OBSERVATION FORM: scenario 6b
CENÁRIO 7 Entre os pacientes 7a – Entre os pacientes (não realizada)
Conteúdo: • O médico examina o paciente X • Ao terminar, deixa o paciente, apertando sua mão • Perda da oportunidade de higienização das mãos
(indicações: após contato com paciente e antes de contato com paciente)
• Aproxima-se do paciente Y e cumprimenta-o, apertando sua mão Mensagens chave: Ocorrem 2 indicações (após o contato com o paciente e antes de contato com o paciente) correspondendo a uma única oportunidade que requer uma única ação de higienização.
CENÁRIO 7 Entre os pacientes 7b – Entre os pacientes (100% de adesão)
Conteúdo: • O médico examina o paciente X • Ao terminar, deixa o paciente, apertando sua mão • Faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação
alcoólica (indicações: após contato com o paciente e antes de contato com paciente)
• Aproxima-se do paciente Y e cumprimenta-o, apertando sua mão
Mensagem chave: mesma seqüência do 7a, mas com a ação de higienização das mãos (100% de adesão).
CENÁRIO 8 Exame físico 8a – Exame físico (não realizada)
Conteúdo: • O médico está ao lado do paciente e ausculta seus batimentos cardíacos • O enfermeiro entra no quarto com um carrinho • Faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica : antes de contato com o paciente) • O enfermeiro ajuda o médico a levantar o paciente na cama • O médico procede à ausculta pulmonar do paciente • O médico pede ao enfermeiro para pegar o equipamento para o exame • Perda da oportunidade de higienização das mãos (indicação: antes de procedimento asséptico) • Calça as luvas para examinar a boca do paciente usando uma espátula e uma lanterninha de mão • Ajuda o paciente a abrir a boca e examina a membrana mucosa (contato com a membrana da mucosa) • Escorre um pouco de saliva e o médico limpa a saliva com um lenço (exposição a fluido corporal) • O enfermeiro faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica (outra ação de higienização das
mãos - desnecessária) • O médico termina o exame • Joga os lenços e a espátula em um saco, retira as luvas, desprezando-as no mesmo saco • Perda da oportunidade de higienização das mãos (indicação: após exposição a fluidos corporais) • O enfermeiro abaixa a cabeceira do leito • O médico apalpa o abdome do paciente • O médico faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica (indicação: após contato com o
paciente) • Deixa o paciente • O enfermeiro arruma os lençóis do paciente e remove a bandeja com os instrumentos • Coloca a bandeja perto na pia e deixa o quarto • Perda da oportunidade de higienização das mãos (indicação: após contato com o paciente)
Discussão aberta
OBSERVATION FORM: scenario 8a
Conteúdo: • O médico está ao lado do paciente e ausculta seus batimentos cardíacos • O enfermeiro entra no quarto com um carrinho • Faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica (indicação: antes de contato com o paciente) • O enfermeiro ajuda o médico a levantar o paciente na cama • O médico examina os pulmões do paciente • O médico pede ao enfermeiro para pegar o equipamento para o exame • Faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica (indicação: antes de procedimento asséptico) • Calça as luvas para examinar a boca do paciente usando uma espátula e uma lanterninha de mão • Ajuda o paciente a abrir a boca e examina a membrana mucosa (contato com a membrana mucosa) • Escorre um pouco de saliva e o médico limpa a saliva com um lenço (exposição a fluido corporal) • Faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica (outra ação de higienização das mãos -
desnecessária) • O médico termina o exame • Joga os lenços e a espátula em um saco, retira as luvas, desprezando-a no mesmo saco • Faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica (indicação: após exposição a fluido corporal) • O enfermeiro abaixa a cabeceira do leito • O médico apalpa o abdome do paciente • Faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica (indicação: após contato com o paciente) • Deixa o paciente • O enfermeiro arruma os lençóis do paciente e remove a bandeja com os instrumentos • Coloca-a perto na pia e deixa o quarto • Faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica (indicação: após contato com o paciente) – Deixa o quarto
Mensagens chave: mesma seqüência da 8a, mas com uma correta higienização das mãos (100% de adesão)
CENÁRIO 8 Exame físico 8b – Exame físico (100% de adesão)
OBSERVATION FORM: scenario 8b
CENÁRIO 9 Punção arterial
Conteúdo: • O enfermeiro ajusta o fluxo de oxigênio do paciente, coloca o paciente em posição de fowler
e chama o médico • O médico entra no quarto pela porta aberta, avalia as condições do paciente e decide coletar
uma amostra de sangue arterial • Explica o procedimento ao paciente enquanto analisa a artéria radial no braço direito • O enfermeiro coloca uma cobertura de proteção sob o pulso direito do paciente • Tanto o enfermeiro quanto o médico procedem à fricção anti-séptica das mãos com
preparação alcoólica (indicação: antes de procedimento asséptico) • O enfermeiro abre o pacote de algodão esterilizado e coloca solução anti-séptica • Abre o invólucro da seringa • O médico descontamina o local da punção. Ao terminar, calça as luvas • Retira a amostra de sangue e coloca o algodão sobre o local da punção • Pede ao paciente para pressionar a artéria • Coloca a agulha na caixa para material perfuro-cortante, coloca uma proteção na seringa e
entrega –a ao enfermeiro • O enfermeiro deixa o quarto mas não pode ser observado • O médico aplica uma atadura compressiva • Pega o material usado e a bandeja e segue para a pia onde despreza algum material na lixeira • Retira as luvas • Faz a fricção anti-séptica das mãos com preparação alcoólica (indicação: após risco de
exposição a fluidos corporais e após contato com o paciente)
CENÁRIO 9 Punção Arterial
Mensagens chave: após tocar o paciente, o enfermeiro deixa o quarto para chamar o médico. Mas não se pode observar se há uma indicação para a higienização das mãos. O médico entra no quarto pela porta aberta e toca o paciente sem higienizar as mãos. Uma vez que não se pode observar se ele fez a higienização das mãos antes de entrar no quarto, não se deve registrar a perda de oportunidade de higienização. Depois, ele higieniza as mãos antes (procedimento asséptico) e depois (risco de exposição a fluidos corporais e contato com o paciente) de realizar a punção arterial. O enfermeiro deixa o quarto/ambiente de assistência ao paciente carregando a bandeja. Não se pode observar indicação, então, não se deve registrar uma ação.
Instruções para usar os Filmes de Treinamento para as sessões de instrução sobre infecções relacionadas à assistência à saúde e higienização das mãos para profissionais de saúde e observadores
CENÁRIOS DE HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOSInstruções para o usuário (1)
CENÁRIOS DE HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOSInstruções para o usuário (2)
CENÁRIOS DE HIGIENIZAÇÃO DAS MÃOSInstrução ao Usuário (3)
CENÁRIO 1 Antes de contato com o paciente1a - Ao entrar no ambiente do paciente
CENÁRIO 1Antes de contato com o paciente1b – Imediatamente antes de contato com o paciente
CENÁRIO 1 Antes do contato com o paciente1c – Higienização das mãos no momento certo?
CENÁRIO 1 Antes de contato com o paciente1d – Contatos subsequentes com o paciente
Slide Number 9
Slide Number 10
CENÁRIO 2 Antes da realização de procedimento asséptico2a – Procedimento asséptico em uma seqüência de cuidados
Slide Number 12
CENÁRIO 2 Antes da realização de procedimento asséptico2b – Apenas procedimento asséptico
Slide Number 14
CENÁRIO 3 Após risco de exposição a fluidos corporais 3a – Risco de exposição a fluidos corporais dentro da seqüência de cuidados/assistência (não ocorre)
Slide Number 16
CENÁRIO 3 Após risco de exposição a fluidos corporais3b – Risco de exposição a fluidos corporais dentro de uma seqüência de cuidados/assistência
Slide Number 18
CENÁRIO 3 Após risco de exposição a fluidos corporais3c – Risco de exposição a fluidos corporais (higienização das mãos com água e sabonete)
Slide Number 20
Slide Number 22
CENÁRIO 5Após contato com áreas próximas ao paciente5a – Ambiente do paciente
Slide Number 24
CENÁRIO 5 Após contato com áreas próximas ao paciente 5b – Sem ambiente do paciente!
Slide Number 26
CENÁRIO 6 Quebra da seqüência de cuidados/assistência 6a – Quebra na seqüência de assistência (não realizada)
Slide Number 28
CENÁRIO 6 Quebra da seqüência de assistência6b – Quebra da seqüência de cuidados/assistência (100% de adesão)
Slide Number 30
CENÁRIO 7 Entre os pacientes 7a – Entre os pacientes (não realizada)
Slide Number 32
CENÁRIO 7 Entre os pacientes 7b – Entre os pacientes (100% de adesão)
Slide Number 34
Slide Number 36
CENÁRIO 8 Exame físico8b – Exame físico (100% de adesão)
Slide Number 38