Intervencao Urbana Cidade

  • View
    2

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Souza Leticia 2013

Text of Intervencao Urbana Cidade

  • Interveno urbana na cidadeps-moderna: Rua Trajano Reis em

    Curitiba

    Leticia Fontanella Souza

    ndiceIntroduo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21 Ps-Modernidade e a Cidade . . . . . . . . . . . . . . . . . 41.1 Ps-Modernidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51.2 A Cidade Ps-Moderna . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 131.2.1 A imagem da cidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 151.3 Indviduo na Cidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 162 Interveno Urbana . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 172.1 Breve Histria da Interveno Urbana . . . . . . . . . . . 192.2 Formas de Interveno Urbana Artstica . . . . . . . . . . 212.3 Consideraes sobre a Interveno Urbana . . . . . . . . . 223 Interveno Urbana na Rua Trajano Reis em Curitiba . . . . 263.1 Rua Trajano Reis . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 263.2 Interveno Urbana na Rua Trajano Reis . . . . . . . . . . 27Consideraes Finais . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40Referncias . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41

    Monografia apresentada ao Curso de Ps-Graduao em Comunicao, Culturae Arte da Pontifcia Universidade Catlica do Paran, como requisito obteno dottulo de Especialista, no ano de 2012.

  • 2 Leticia Fontanella Souza

    Resumo

    A pesquisa aborda as definies e as caractersticas da intervenourbana, como processo de manifestao do indivduo e remodelagemdo espao pblico da cidade. Por meio da descrio de imagens de ins-cries artsticas pblicas da rua Trajano Reis, em Curitiba, pretendeexemplificar e comprovar o conceito de ps-modernidade. Contextua-liza tal perodo histrico, para apresentar as abordagens realizadas so-bre o tema e mostrar o papel da cidade e do indivduo dentro destecontexto econmico, poltico, social, cultural e esttico. Como meto-dologia, optou-se pela pesquisa bibliogrfica e foram feitos registrosfotogrficos apresentados no trabalho, para observar na prtica a atua-o do indivduo em relao interveno na cidade e quais refernciasda ps-modernidade podem ser encontradas. Observa-se que a inter-veno urbana uma forma de comunicao alternativa, que pode fazerum crtica sociedade de consumo e da velocidade dos dias atuais. Emrelao a cidade, faz uma remodelagem do espao pblico, trabalhandocom a sua imagem e imaginabilidade. Ao mesmo tempo, manifesta apresena do indivduo no tempo e espao, efmeros na contemporanei-dade, e satisfaz os desejos individuais.

    Palavras-chave: Ps-modernidade. Cidade. Interveno urbana.Rua Trajano Reis.

    Introduo

    A CONTEMPORANEIDADE apresenta um contexto novo para a his-tria da humanidade, chamado de ps-modernidade. Ele iniciouem meados do sculo XX, manifestando-se principalmente nas artes ena arquitetura. Mas, foi nas dcadas de 70 e 80 que chegou ao auge datransformao, encerrando o perodo anterior.

    Estendendo-se para o indivduo, a sociedade e as instituies, trouxeuma srie de caractersticas que no haviam sido vivenciadas at en-to. Entre as principais esto: capitalismo fluido, estmulo ao consumo,sociedade informatizada, valorizao da informao e da velocidade,relaes de produo e de socializao mais flexveis, modificao dosentido de tempo e espao, instantaneidade, descrena no tempo futuroe necessidade da satisfao de desejos efmeros.

    www.bocc.ubi.pt

  • Interveno urbana na cidade ps-moderna 3

    A cidade espao onde a maior parte da populao est situada etambm , ao mesmo tempo, o local dos centros de consumo e no qual ainformao favorecida, seja ela informacional ou publicitria. Assim,o sujeito no meio urbano est submetido s definies j citadas da ps-modernidade, convivendo com a cidade e dando a ela elementos reaisou imaginrios para preencher seus espaos vazios e formar uma redede comunidades mveis.

    Porm, tal cidade no mais vista apenas como configurao fsicaoposta ao campo, no sentido de agrupamento extenso e denso de indiv-duos socialmente heterogneos, como se pensava at o sculo XX. Osespaos urbanos existem para alm das ocupaes de territrio, cons-trues de edifcios e interaes materiais. Eles so considerados atual-mente levando em conta os processos culturais e imaginrios dos seushabitantes, que formam sobre ela uma imagem, isto , uma realidadeabstrata, segundo as particularidades de cada indivduo e o seu meiocultural.

    E o ncleo mais indivisvel da sociedade ps-moderna justamenteo indivduo, cujo consumo desenfreado e a velocidade do mundo con-temporneo afetam profundamente, proporcionando uma mudana denoo espacial e temporal e incentivando um hedonismo imediatista,que gera incertezas em relao aos vnculos sociais e ao futuro.

    Uma das formas contemporneas para manifestar sua presena notempo e no espao, alm de expressar sua subjetividade a interven-o urbana, que surge como expresso grfica no mesmo perodo emque a ps-modernidade chega em seu auge. A interveno artstica ur-bana refere-se a modos de inscrio em determinados espaos pblicosou privados, requalificando-os como regies de apropriao. O grafite,portanto, tem se desenvolvido nos ltimos quarenta anos e, percebe-seque vem se diversificando, incorporando novas tcnicas ao processo decriao e produo.

    Com base neste contexto, o presente trabalho tem por objetivo de-monstrar as caractersticas da sociedade ps-moderna e do indivduo nacidade, por meio da interveno urbana. Pretende ainda caracterizaro perodo contemporneo e a relao do indivduo com a estrutura dacidade. Deseja tambm realizar uma abordagem histrica e descritivasobre a interveno urbana, como forma de manifestao do sujeito ede reformulao da cidade na contemporaneidade.

    www.bocc.ubi.pt

  • 4 Leticia Fontanella Souza

    Para tal, a metodologia escolhida divide-se em pesquisa bibliogr-fica sobre os temas pertinentes problemtica e pesquisa de campo coma observao e o registro fotogrfico de intervenes artsticas na ruaTrajano Reis, no bairro So Francisco, em Curitiba. O espao foi se-lecionado em razo da localizao, da movimentao demogrfica e dagrande quantidade de inscries, A partir das pesquisas, foi redigida afundamentao terica do trabalho e a descrio para tentativa de com-provao por meio das imagens.

    A linha de pesquisa seguida de Sisitema de Significao da Ima-gem e New Media, reunindo programas, pesquisas e projetos com enfo-que bsico na questo da imagem, em suas possibilidades de anlise edesenvolvimento, bem como incorporando estudos no campo das novastecnologias.

    O trabalho est estruturado em trs captulos. O primeiro trata docontexto e das caractersticas da ps-modernidade, abordando tambma questo da imagem da cidade e do indivduo inserido na sociedade. Osegundo captulo apresenta a interveno urbana, com contexto hist-rico e social, as principais modalidades e algumas consideraes a res-peito dos aspectos sociais e estticos. J o ltimo captulo une as duasprimeiras partes em uma descrio das inscries na rua Trajano Reis,para comprovar o que as teorias sobre a ps-modernidade apresentam.

    1 Ps-Modernidade e a CidadeA contemporaneidade apresenta um contexto econmico, poltico, so-cial, cultural e esttico novo para a histria da humanidade. A tentativade compreender o perodo vem sendo realizada por diversos autores,que o observam com algumas caractersticas semelhantes e o denomi-nam de ps-modernidade.

    Estima-se que a passagem do perodo anterior, a modernidade, parao contemporneo comeou a se delinear na metade do sculo XX, mar-cando o fim da reconstruo europeia, que seguiu a guerra, a bombaatmica, o incio da produo de bens de consumo e a deteriorao am-biental (Lyotard, 1988, p. 3). Estes, entre outros aspectos, promoveramuma mudana nas instituies e nos indivduos, culminada nas dcadasde 70 e 80.

    www.bocc.ubi.pt

  • Interveno urbana na cidade ps-moderna 5

    1.1 Ps-ModernidadeJameson (2000, p. 27-28) afirma que a mudana da modernidade paraps-modernidade deu-se inicialmente nas artes, mas foi no mbito daarquitetura que as diferenas ficaram mais evidentes e que foram reali-zadas abordagens tericas mais consistentes, pensando na modificaodas estruturas e da utilizao dos edifcios. Passadas algumas dcadas,j possvel observar as instituies e os indivduos, entendendo as di-ferenas em relao modernidade, cujas caractersticas esto a seguir.

    A modernidade, perodo que se estendeu entre os sculos XVIII eXX, iniciou-se com a compreenso do fim da sacralidade e do espritode pertinncia e coeso da comunidade. Em linha gerais, entre seus con-ceitos centrais esto a epistemologia racional crtica, a universalidade,o ideal iluminista de progresso, a diferenciao estrutural, a integraofuncional e o determinismo. Para Shinn (2008, p. 46), ela incorporouduas correntes: emancipatria e tecnolgica.

    O componente emancipatrio da modernidade foi o Estado-nao,o qual introduziu caractersticas fundamentais para compreender o pe-rodo como cidadania, dever, burocracia, direitos, responsabilidadesinstitucionais e de fronteiras. Estas caractersticas estendiam-se do Es-tado para os indivduos, que, apesar de estarem em um perodo que exal-tava o individualismo, via-se um tipo de individualismo amplamentepadronizado, monitorado e disciplinado.

    J tratando da corrente tecnolgica, afirma-se que a tecnologia es-tava arregimentada em uma escala jamais vista e ligada ideologia deprogresso cientfico e humano (Shinn, 2008, p. 46). Embora a mo-dernidade represente um avano nos direitos e deveres individuais, atecnologia diminui a liberdade individual em razo dos imperativos dauniversalidade homogeneizadora, pela racionalidade inconstante e pelaintegrao e funcionalidade tecnologicamente imposta.

    Com a crise da cincia, iniciada nos ltimos decnios do sculo IX,acontece tambm o processo de modificao das instituies e dos in-divduos e da sua relao com o mundo. Para Lyotard (1988, p. VI),o que ocorre uma modificao na natureza da cincia provocada peloimpacto das transformaes tecnolgicas sobre o saber. Assim, a ps-modernida