Introdu§£o a Medicina Tradicional Chinesa

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Introdu§£o a Medicina Tradicional Chinesa

  • 8/12/2019 Introduo a Medicina Tradicional Chinesa

    1/24

    Introduo a Medicina Tradicional ChinesaA medicina tradicional chinesa (doravante designada mtc) muito mais do que uma

    prtica mdica. Consideramos aqui a palavra mdica dentro do conceito ocidental quesignifica "arte ou cincia de evitar, curar ou atenuar as doenas (segundo o dicionrio

    Aurlio)". am!m diemos que a mtc um con#unto de recursos teraputicos, n$o adefine !em. %a verdade o seu conceito muito mais amplo. &uando entramos emcontato com a mtc ela se mostra como um caminho de tratamento, mas logo em seguida

    perce!emos que para se tratar ' doena precisamos desenvolver o nossoautoconhecimento e finalmente perce!emos que a mtc um caminho de transforma$oe uma op$o de vida.%a realidade, quando estudamos profundamente a mtc perce!emos que suas raesencontramse fundamentadas no "*ivro das +utaes" (- Ching). ste influenciou acincia, a filosofia, a arte e toda a sa!edoria do povo chins. / - Ching uma cincianumerol0gica, onde se classifica todos os eventos nos 12 he3agramas. am!m muitoutiliado como um orculo de sa!edoria. -nfluenciou o confucionismo, o taosmo e do

    !udismo na China.Como podemos o!servar a mtc esta !aseada em princpios filos0ficos, na o!serva$odos fen4menos da naturea e sua influencia energtica no ser humano e em suasrelaes internas e e3ternas, na astrologia chinesa, na compreens$o do princpio 5nico(ao) e sua dualidade energtica (6in e 6ang)./ o!#etivo das prticas teraputicas !aseadas na mtc, compreender os fatores que

    propiciaram ao indivduo o seu desequil!rio energtico e tentar esta!elecer a fluideenergtica o!tendo o equil!rio. 7ara tanto, o seu diagn0stico (mais correto avalia$oenergtica) procura esta!elecer relaes do seu comportamento, alimenta$o, analisaodores, transpira$o, pulso, lngua, condies da naturea que esteve e3posto entreoutras coisas para determinar qual o princpio de tratamento a ser realiado. stetratamento energtico pode ser o!tido atravs de diversas prticas teraputicas orientais8Acupuntura8 tcnica de inserir agulhas finssimas em pontos especficos dosmeridianos com o o!#etivo de resta!elecer o flu3o natural de energia (doravantedenominada tchi). A acupuntura pode ser dividida em sistmica (aquela que utiliaagulhas no corpo inteiro), auriculoacupuntura (utilia o pavilh$o auricular com agulhas,sementes, esferas e magnetos), 9or:o ;oo#i Chim (insere agulhas nas m$os),Colorpuntura (utilia as cores) entre outras tcnicas.+o3a!ust$o8 tcnica que consiste me aquecer ou queimar os pontos, ativando o flu3o detchi. am!m muito utiliada para e3pulsar o frio dos canais.

    itoterapia8 atravs da utilia$o de plantas, propicia a ativa$o, elimina$o e ofortalecimento do tchi.chi 9un8 tcnica que se utilia de e3erccios, posturas e meditaes !aseados narespira$o tem como o!#etivo desenvolver a conscincia e o aprimoramento do tchi.

    >eng ;hui8 estudo das moradias, tem como o!#etivo desde escolher o local ondedevemos morar at definir o tipo de constru$o.

  • 8/12/2019 Introduo a Medicina Tradicional Chinesa

    2/24

    - Ching8 tcnica ca!alstica que tende atravs da sa!edoria dos he3agramas e suainterpreta$o, mostrar as opes do caminho a seguir.Astrologia Chinesa8 atravs das influncias das energias no momento (hora), dia, ms eano do seu nascimento tenta a#udar na compreens$o da sua personalidade e tendncias.?m erro comum no ocidente, acreditar que as prticas teraputicas orientais s$o uma

    maneira apenas de tratamento das doenas. stas prticas s$o uma cincia comconceitos pr0prios diferentes e independentes dos conceitos da medicina ocidental.Histria da Medicina Tradicional Chinesam @B na China, arqueologistas desco!riram uma tum!a antiga da Dinastia =an(E1EE a.C.) na regi$o de +a Dui, provncia =unan. Dentro da tum!a, foi desco!ertoum tratado mdico escrito durante o perodo da "Fuerra entre os stadosG (2HEE@a.C.). / nome deste tratado ">0rmulas para o tratamento de cinqIenta e duasdoenas". /utro tratado fundamental da mtc foi escrito por Jhang Jhong#ing (@KE@)o ;hang =an *un (ratado do >rio %ocivo)./ mais antigo livro de medicina que ainda ho#e se mantm em uso o "=?A%F D-

    %- L-%F" (ratado de +edicina -nterna do -mperador Amarelo), tendo sido

    encontrado um e3emplar, em escavaes arqueol0gicas, datado de cerca de K a.C.Atri!uise sua autoria a =?A%F D- (-mperador Amarelo), que mais um ttulo do queo nome de uma pessoa.=?A%F D- foi um dos H imperadores mticos da China. /s outros dois foram >? ;=-,a quem se atri!ui ' cria$o dos trigramas, a @M escrita chinesa, e o "6- L-%F" (ou "-Ching" como mais conhecido), e ;=% %/%F, a quem se atri!ui o ensino daagricultura. ;$o mticos porque n$o h registros hist0ricos de sua passagem, apenas atradi$o oral. =?A%F D- teria sido o unificador da China e reinado de E.1 A E.KA.C, apro3imadamente./ "=?A%F D- %- L-%F" dividido em E volumes8 ";/? N%" e "*-%F ;=?". /@O referido como sendo o *ivro das 7atologias e o EO como o *ivro da Acupuntura.7ortanto, podemos assegurar uma hist0ria escrita de pelo menos E.K anos a mtc. ;econsiderarmos verdadeira sua autoria, poderamos ampliar isso para 2.K anos.=ip0crates, chamado o 7ai da +edicina (ocidental), viveu por volta de K A.C., o que

    #ustifica diermos que o livro que trata de mtc ser a mais antiga o!ra de medicina(mesmo que oriental) ainda ho#e em uso, pois toda a literatura a respeito fa refernciaao "%- L-%F".As escavaes arqueol0gicas revelaram tam!m a utilia$o de antigas agulhas de

    pedra, chamadas "!ian", depois su!stitudas por outras de !am!u e espinhas de pei3e,at chegarse 's metlicas.Como foi desco!erto os canais de energia (tchi) e os pontos pelos quais estes poderiam

    ser estimulados, ningum sa!e ao certo. Acreditamos que grandes mestres de chi 9unvisualiaram estes canais e pontos. Da mesma forma que desco!riram as propriedadesdas energticas das plantas.

    %o incio a mtc chegou ao ocidente atravs das viagens ' China por comerciantes eposteriormente pela imigra$o Chinesa. +as o grande crescimento da mtc no ocidentese deu ao fato das imigraes orientais para o ocidente e atravs de um diplomatafrancs ";oulie de +ornat" que se encantou com a prtica da acupuntura e tornouse umestudioso so!re a prtica. &uando voltou a >rana, tornouse um divulgador desta

    prtica.%o Prasil, a mtc foi traida principalmente pela imigra$o #aponesa que introduiu aquio ;hiatsu e a Acupuntura, h @ anos. A fitoterapia chinesa e o tchi Qun foi

    introduidos posteriormente pela imigra$o chinesas. +as estas tcnicas s0 comearama ser amplamente divulgadas ap0s a cria$o do -nstituto Prasileiro de Chi 9ung.

  • 8/12/2019 Introduo a Medicina Tradicional Chinesa

    3/24

    TEORIA DA ACUPUNTURA/ universo se !aseia na oposi$o entre duas foras antag4nicas, que devem estar comigual intensidade de fora para que ha#a o equil!rio. 7artindo desta premissa quee3istem as teorias da acupuntura./ ser vivo (humano, animal ou vegetal) possui uma energia primordial, chamada

    &-( pronunciase C=-) . sta energia tem dois aspectos8 6-% e 6A%F. / 6-% oaspecto material e interno, # o 6A%F a manifesta$o da matria e3teriormente. 7arao leigo, isto parece confuso e sem sentido, porm o conceito 6-%R6A%F de sumaimportSncia para o e3erccio da acupuntura./ !om funcionamento (sa5de) do ser depende do !om equil!rio entre estas duas forasque s$o antag4nicas, porm sua oposi$o aca!a por criar um equil!rio dinSmico. antoo 6-% como o 6A%F tem, cada um, suas funes. &uando est$o em mesmo nvelenergtico, um controla o outro, porm quando um se so!ressai em rela$o ao outroocorre o desequil!rio, ou se#a, ocorre a doena.A desarmonia 6-% R 6A%F pode ser causada por motivos end0genos ou e30genos.A Medicina e a iloso!ia Oriental

    A +edicina /riental se !aseia na filosofia do quil!rio dos Corpos atravs daharmonia$o da nergia reud./ -deograma, de difcil interpreta$o por n0s ocidentais, que mais representa essa no$ode equil!rio o A/, essa figura acima. / A/ representa o equil!rio que rege todo o universo, nos mostrando o dualismoantag4nico e complementar entre duas formas de energias chamadas de 6-% e 6A%F,que est$o presentes em tudo que nos cerca e pode ser perce!ido pelo noiteRdia,escuroRclaro, passivoRativo e etc. / 6in e o 6ang s$o de polaridades opostas, surgiram a partir da grande e3pans$oinfinita do ?niverso e tm caractersticas peculiares8 6ang descendente, a nergiaC0smica que vem do cu. / 6in ascendente, a nergia el5rica emanada pela terra. / 6ang atrai o 6in e o 6in atrai o 6ang, o 6ang repele o 6in e o 6in repele o 6ang, o6ang produ o 6in e o 6in produ o 6ang, assim como o 6in conserva em si a essnciado 6ang e o 6ang conserva em si a essncia do 6in. Tesumidamente, um n$o e3iste semo outro.Caractersticas das 7olaridades nergticas8%DU%C-A;6in6ang

    scuro Claro

    3pans$o Contra$oAscendente Descendente7assivo Ativo>rio &uente

    %egativo 7ositivo+A%->;AVW;

    Xgua >ogoltron 7r0tonmea +achospao empo

  • 8/12/2019 Introduo a Medicina Tradicional Chinesa

    4/24

    lacide lasticidade

    %o nosso corpo, essa nergia circula atravs de canais su!cutSneos, chamados de"+eridianos". Alguns meridianos conduem a energia 6ang o outro a energia 6in,revitaliam e se correspondem diretamente com as funes orgSnicas. 7ossumos @Emeridianos principais simtricos, dividindose o corpo verticalmente, e dois, n$osimtricos, chamados de "ontes", "7ontos de 7assagem", "7ontos de Assentimento" e "7ontos deAlarme".Re"ras ou #eis $%sicas da Medicina Oriental&;$o regras prticas, mas sua linguagem sim!0lica e fa parte de uma cosmologia. Asleis que regem o homem, tam!m regem o ?niverso, pois o homem um "?niverso(macro) em +iniatura (micro)" / homem seria filho desse sopro universal da uni$o doCu e da erra.'( #ei Me e ilho(Fera$o)8 onificando a +$e, tonificamos o filho. ;edando o>ilho, sedamos a +$e.)( #ei Marido(Mulher(DominSncia)8 onificando o mari