Click here to load reader

Irrigação na cultura da bucha vegetal 116 - · PDF fileA bucha vegetal pertence à família botânica das Cucurbitaceae, gênero Luffa. À essa mesma família também pertencem o

  • View
    218

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Irrigação na cultura da bucha vegetal 116 - · PDF fileA bucha vegetal pertence...

ISSN 1415-3033

Irrigao na cultura da bucha vegetal

Circ

ular

Tc

nica

Braslia, DFMaro, 2013

Autores

116Fo

tos:

Jos

Fl

vio

Lop

es e

Wal

dir

Mar

ouel

li

Waldir Aparecido MarouelliEngo Agrc., Ph.D.

Embrapa HortaliasBraslia, DF

[email protected]

Henoque Ribeiro da SilvaEngo Agr., Ph.D.

Embrapa SRIBraslia, DF

[email protected]

Jos Flvio LopesEngo Agr., Ph.D.

Embrapa HortaliasBraslia, DF

[email protected]

Introduo

A bucha vegetal pertence famlia botnica das Cucurbitaceae, gnero Luffa. essa mesma famlia tambm pertencem o melo, a melancia, o chuchu, o pepino e as abboras. A planta, provida de gavinhas, tem hbito de crescimento trepador, sendo a produo realizada predominantemente em sistema de tutoramento.

A espcie mais conhecida e cultivada no Brasil a Luffa cylindrica. A fibra do fruto maduro muito utilizada em todo o mundo na limpeza geral, higiene pessoal e como artesanato. Na indstria, as fibras so empregadas na fabricao de estofamentos, de dispositivos de filtragem e de isolamentos acsticos e trmicos, dentre outras aplicaes. A espcie Luffa aegyptiaca tambm pode ser utilizada para a produo de fibra.

2 Irrigao na cultura da bucha vegetal

A produo de bucha vegetal no Brasil realizada em pequenas reas da agricultura familiar, em praticamente todo o territrio nacional. De cultivo tradicional e espontneo de fundo de quintal, a produo de bucha vegetal tm se ampliado e profissionalizado nos ltimos dez anos. No municpio de Bonfim, em Minas Gerais, por exemplo, se concentra o maior polo de produo, com rea plantada acima de 100 hectares. Com orientao de tcnicos da EMATER local e apoio do SEBRAE, os produtores se organizaram num sistema de APL (Arranjos Produtivos Locais) e hoje produzem, processam e comercializam bucha vegetal para diversas regies do Brasil. No existem estatsticas sobre rea cultivada e produo em nvel de nacional.

O uso da bucha vegetal como hortalia praticamente desconhecido na maioria dos pases, incluindo o Brasil. Em pases do Oeste Asitico, como China e Japo, no entanto, a bucha vegetal especialmente as da espcie Luffa acutangula bastante utilizada na alimentao humana. Os frutos, quando colhidos no incio do desenvolvimento, podem ser consumidos ao natural, como pepino e maxixe, em fritura ou cozido. H referncias de inicio de produo de bucha vegetal comestvel, por agricultores de origem japonesa, na regio de Mogi das Cruzes, So Paulo.

A irrigao da cultura recomendada para regies com precipitao mensal inferior a 100 mm, pois traz uma srie de vantagens: ganhos expressivos de produtividade; viabilidade do escalonamento das colheitas durante todo o ano; e estabelecimento da cultura por meio de mudas, pois mantm umidade no solo suficiente para o pegamento das mesmas. Apesar das vantagens que oferece, estima-se que 75% dos produtores de bucha no utilizam qualquer tipo irrigao. Uma das razes a capacidade limitada de investimentos da grande maioria dos produtores.

Partindo do princpio que o sucesso da irrigao na cultura da bucha vegetal somente ser alcanado quando o sistema utilizado for corretamente dimensionado, implantado e manejado, decidiu-se elaborar essa circular tcnica com o objetivo de apresentar aos produtores e tcnicos ligados rea de produo de bucha vegetal uma srie de processos e informaes tcnicas atuais sobre os principais sistemas de irrigao e mtodos

de manejo de gua que podem ser utilizados na produo da cultura.

Sistemas de irrigao

A cultura da bucha vegetal pode ser irrigada por diferentes sistemas de irrigao. A escolha depende das condies de solo, clima, topografia, recurso hdrico disponvel, alm do nvel econmico e tecnolgico do produtor. Dentre os produtores que utilizam irrigao, estima-se que cerca de 50% adotam os sistemas por superfcie, devido ao menor custo de implantao. Em menor escala so utilizados os sistemas por asperso e por gotejamento.

Embora no existam estudos especficos comparando diferentes sistemas de irrigao na produo de bucha vegetal, as cucurbitceas, em geral, respondem muito bem a sistemas que molham a maior parte da superfcie do solo, possibilitando, assim, maior desenvolvimento radicular das plantas.

Irrigao por superfcie

Os sistemas de irrigao por superfcie so os que apresentam custo de implantao mais baixo. Requerem, porm, solos pouco permeveis, terrenos planos ou sistematizados, maior uso de mo-de-obra, alm de utilizarem mais gua e terem menor eficincia de irrigao (40% a 60%).

Os principais sistemas utilizados so os por sulco e por inundao temporria em pequenos tabuleiros. A utilizao de dois sulcos por fileira de plantas permite a formao de uma maior faixa de molhamento do solo e, consequentemente, maior desenvolvimento radicular. Nesse caso, os sulcos, um de cada lado da fileira de plantas, devem estar espaados entre 100 cm e 150 cm. Em se utilizando apenas um sulco por fileira de plantas, recomenda-se fazer um prolongamento do mesmo, em formato circular e raio de 50 cm a 80 cm, ao redor de cada cova/planta, de modo a aumentar a frao de rea molhada entre as plantas.

Os sulcos devem apresentar largura de 25 cm a 30 cm e profundidade de 10 cm a 20 cm. A declividade e a vazo de gua nos sulcos so dependentes do tipo de solo, variando de 0,1% a 0,5% e de 1 L/s a 6 L/s. A vazo mxima no deve

3Irrigao na cultura da bucha vegetal

provocar eroso; para solos argilosos de cerrado deve ser inferior a 3 L/s.

A melhoria da eficincia de irrigao pode ser obtida controlando-se o tempo para a gua chegar ao final do sulco, o qual no deve ultrapassar a 25% do tempo necessrio para se aplicar a lmina de irrigao requerida. Em geral, melhores resultados so obtidos controlando o comprimento dos sulcos, que devem variar de 15 m, para solos mais arenosos, at 100 m, para os argilosos pouco permeveis. Em solos argilosos de cerrado, por exemplo, no devem ultrapassar 35 m, pois os mesmos geralmente apresentam alta taxa de infiltrao de gua.

Outro sistema de irrigao de superfcie o por inundao intermitente em pequenos tabuleiros, que consiste em construir ao redor de cada cova/planta um dique, na forma de bacia, com dimetro entre 80 cm e 150 cm. O fornecimento de gua aos tabuleiros pode ser realizado por sulco de distribuio, tubulao fixa ou mangueira flexvel. O uso de mangueira para o abastecimento individual de cada tabuleiro bastante utilizado em pequenas propriedades agrcolas com disponibilidade de mo-de-obra.

Diagnstico realizado na regio de Bonfim, Minas Gerais, pela Associao Mineira dos Produtores de Bucha Vegetal em conjunto com o SEBRAE, registrou que dos produtores que utilizam irrigao, 50% o fazem por meio de mangueira flexvel e 30% por sulco.

Irrigao por asperso

Os sistemas por asperso utilizados so do tipo convencional porttil, semiporttil e fixo. Sistemas mecanizados tipo piv central e autopropelido, normalmente recomendados para grandes reas, no so utilizados no cultivo da bucha vegetal.

Os aspersores mais utilizados so os de pequeno e mdio porte, com raio de alcance at 20 m, posicionados entre 20 cm e 40 cm acima da latada. Pode-se tambm utilizar aspersores de subcopa, com raio de alcance inferior a 12 m e ngulo de inclinao do bocal menor que 15 (jato raso). O espaamento entre aspersores deve seguir o recomendado na tabela do fabricante que acompanha o equipamento.

Os sistemas por asperso convencional apresentam maior eficincia e facilidade de manejo que os por superfcie e podem ser utilizados em diferentes tipos de solo e topografia. Em condies normais de operao, esses sistemas apresentam eficincia entre 70% e 85%; todavia, comum encontrar sistemas operando de forma precria, com eficincia abaixo de 50%.

Os sistemas de irrigao por asperso proporcionam molhamento total da rea cultivada, no limitando o desenvolvimento radicular das plantas. Devido ao grande espaamento entre as plantas de bucha vegetal podem ocorrer perdas significativas de gua por evaporao e drenagem profunda, especialmente no incio do ciclo da cultura. Como forma de racionalizar o uso da gua e garantir um rendimento extra ao produtor, pode ser feito o cultivo em consrcio com outras espcies de pequeno porte e com exigncia de irrigao semelhante da bucha, como feijo, jil e quiabo.

Irrigao localizada

Os sistemas de irrigao por gotejamento e por microasperso localizada podem ser utilizados com sucesso na produo de bucha vegetal. Dentre as principais vantagens, destacam o menor gasto de gua e de energia, a alta eficincia de irrigao (80% a 90%), a facilidade de operao, o menor requerimento de mo-de-obra e a maior flexibilidade no uso da fertigao. As principais desvantagens so o alto custo de implantao e a exigncia de um mnimo de conhecimento tcnico do sistema. So especialmente recomendados para solos com baixa capacidade de reteno de gua, como os arenosos.

A economia de gua que no gotejamento pode chegar a 30% do volume utilizado na asperso, geralmente ultrapassa 60% quando comparada aos sistemas por superfcie. Isso devido, principalmente, ao fato do sistema no molhar toda a superfcie do solo, o que reduz as perdas de gua, sobretudo por evaporao.

Estudos tm demonstrado que o uso da irrigao por gotejamento, especialmente quando associada ao uso de cobertura do solo com plstico preto, tem sido vantajoso na produo de bucha vegetal, resultando em grande economia de gua.

4 Irrigao na cultura da bucha vegetal

Para no limitar o desenvolvimento do sistema radicular das plantas e comprometer a produo, deve-se garantir um mnimo de rea molhada, entre 35% e 60%. Isso pode ser conseguido instalando-se maior nmero de

Search related