Click here to load reader

IVA INCLUÍDO] Somincor cria mais de · PDF file [IVA INCLUÍDO] pub. Somincor cria mais 300 postos de trabalho Mina. Projecto já está em marcha e prevê investimento de 80 milhões

  • View
    0

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of IVA INCLUÍDO] Somincor cria mais de · PDF file [IVA INCLUÍDO] pub. Somincor...

  • DIRECTOR: ANTÓNIO JOSÉ BRITO // ANO: 2 // N 95 // € 0,70 [IVA INCLUÍDO]semanário regional // ÀS SEXTAS // 2008.02.08

    pub.

    Somincor cria mais 300 postos de trabalho

    Mina. Projecto já está em marcha e prevê investimento de 80 milhões de euros em Neves-Corvo

    A mina de Neves-Corvo vai aumentar a sua área de exploração para produzir zin- co, chumbo e prata dentro de três anos. Este objectivo, segundo dados a que o “Correio Alentejo” teve acesso, obriga a um investimento da Somincor que de- verá chegar aos 80 milhões de euros, es-

    tando prevista a criação de um segundo poço de extracção e de uma nova lavaria na zona do Lombador. O novo projecto poderá ter “uma vida económica de 10 anos” e a empresa de Castro Verde esti- ma criar perto de 300 novos postos de trabalho. P. 03 | BAIXO ALENTEJO

    Exploração de zinco, chumbo e prata implica cria- ção de segundo poço de extracção e nova lavaria.

    O castelo de Beja, o monu- mento mais procurado da cidade, com cerca de 25 mil visitantes por ano, vai estar encerrado até fi nal de Julho, para obras de remodelação da Casa do Governador. De acordo com a Câmara Mu- nicipal de Beja, a empreitada, que arranca esta sexta-feira, 8, visa criar as condições para albergar o Posto de Turismo, uma cafetaria e o Museu Mi- litar. P. 02 | BAIXO ALENTEJO

    2 8 4 6 0 2 1 7 5 A L J U S T R E L

    Castelo de Beja fechado para obras

    Dia dos Namorados

    Lendias apresentam “Eroscópio” P. 13 | GUI’ARTE

    pu b.

    Azeite

    Ferreira debate olival

    Autarquias

    Ourique vai ter relvado

    O concelho de Ferreira do Alentejo pretende afi rmar-se na vanguarda da produção de azeite em Portugal, sobretudo como “grande produ- tor olivícola de ‘nova geração’”, e é com esse objectivo que a vila recebe esta sexta-feira, 8, o congresso in- ternacional “Knoleum – Paisagens do Olival”. A iniciativa é promovida pela autarquia local e pela ADEMO – Associação para o Desenvolvi- mento dos Municípios Olivícolas Portugueses. P. 16 | ÚLTIMA

    A Câmara de Ourique vai avançar com a colocação de um tapete de relva sintética no Estádio D. Afonso Henri- ques. A obra, avaliada em cerca de 350 mil euros, foi decidida pelo executivo no fi nal do mês de Janeiro e segundo apurou o “CA” deverá estar concluída em meados do segundo semestre de 2008. O projecto surge no âmbito do programa “O Primeiro Relvado”, pro- movido pelo Instituto Nacional do Desporto e já aproveitado pelas câ- maras de Almodôvar e Mértola. P. 05 | BAIXO ALENTEJO

    JO

    SÉ T

    O M

    É M

    Á X

    IM O

  • 02 REGIÃO BAIXO ALENTEJOsexta-feira2008.02.08 ALJUSTREL • ALMODÔVAR • ALVITO • BARRANCOS • BEJA • CASTRO VERDE • CUBA • FERREIRA DO ALENTEJO • MÉRTOLA • MOURA • ODEMIRA • OURIQUE • SERPA • VIDIGUEIRA

    MAU ESTADO NA EN 393 O deputado do PCP, José Soeiro, mani-

    festou esta semana preocupação com o mau estado da Estrada Nacional 393 entre Cercal do Alentejo, por Vila Nova de Milfontes, até Portas de Transval.

    “Paulo Arsénio [PS] é um político de pensa- mento livre, que não se condiciona nos rituais de beija-mão e de paz podre.”

    JORGE BARNABÉ

    antigo presidente da JS do Baixo Alentejo

    UTENTES DE FERREIRA PREOCUPADOS A Comissão de Utentes do Centro de

    Saúde de Ferreira do Alentejo está preocupada com a falta de médicos e com a possibilidade de fecho de alguns postos de saúde no concelho.

    Património. Intervenção deverá estar concluída no fi nal do próximo mês de Julho

    Obras arrancam no castelo de Beja

    Remodelação da Casa do Governador dura quatro meses e vai permitir a instalação de um Posto de Turismo, uma cafetaria e o Mu- seu Militar.

    OCastelo de Beja, o monu-mento mais procurado da cidade, com cerca de 25 mil visitantes por ano, vai estar encer- rado até fi nal de Julho, para obras de remodelação da Casa do Gover- nador. De acordo com a Câmara Municipal de Beja, a empreitada, que arranca esta sexta-feira, 8, visa criar as condições para albergar o Posto de Turismo, uma cafetaria e o Museu Militar.

    Entre este mês e o fi nal de Julho, explicou o vice-presidente do mu- nicípio, Miguel Ramalho, o castelo vai por isso estar encerrado para visitas. “É um mal menor porque o encerramento do castelo visa per- mitir as obras na Casa do Governa-

    dor, para criar melhores condições para quem visita este monumento e dignifi car todo aquele espaço”, afi rmou Miguel Ramalho, salien- tando que aquele espaço, locali- zado no interior do castelo, está “degradada” e já “não reunia as condições adequadas, nem para o pessoal que aí trabalha, nem para o Museu Militar que, durante anos, funcionou no edifício”.

    As obras agora iniciadas com- preendem a recuperação integral das instalações, dotando-as das “condições ideais” para acolher um Posto de Turismo, espaço de venda de produtos da região e uma ca- fetaria e, no segundo an- dar, o Museu Militar.

    “O espaço vai permitir reabrir ao público o Museu Mili- tar, que tem centenas

    Beja

    Aeroporto de Cáceres não afecta Beja A construção de um aeroporto internacional em Cáceres, na Extremadura espanhola, não terá impactos negativos no de Beja, vocacionado para servir, sobretudo, os empreendimen- tos turísticos ligados a Alqueva, garantiu o presidente da EDAB, José Queiroz.”Não vai ter qual- quer impacto. Não vejo qual- quer espécie de interferência”, afi ançou à Agência Lusa.

    A construção de um aeropor- to internacional em Cáceres, na Extremadura espanhola, região fronteiriça com o Alentejo, foi noticiada pelo “Diário do Sul” (Évora), que refere que a nova infra-estrutura aeroportuária deverá fi car operacional em 2012.

    A plataforma, que envolverá um investimento inicial de 150 milhões de euros, está projecta- da para uma área a cerca de 17 quilómetros de Cáceres, sendo o segundo aeroporto daquela região espanhola, pois, já existe um em Badajoz.

    Contudo, para o presidente da EDAB, o projecto não repre- senta “qualquer espécie de ame- aça” para o aeroporto de Beja, actualmente em construção perto da cidade alentejana.

    “O aeroporto de Beja está vo- cacionado para servir outra área de infl uência, nomeadamente os empreendimentos turísticos à volta de Alqueva e no Baixo Alentejo e Alentejo Central”, contrapôs José Queirós.

    Tu metes inveja às águias-reais! “Subindo lá vai, tu metes inveja, às águias- reais, castelo de Beja!” É assim que a moda alentejana celebra o mais belo monumento da região. De acordo com dados do Instituto Português do Património Arquitectóni- co (IPPAR – agora integrado no Igespar), tem uma longa história alicerçada em torno do castelo, mas as indicações “mais concretas datam já do período português”. A reconstrução do castelo e respectiva actualização arquitectónica, com vista “às novas exigências da guerra”, aconteceram no reinado de D. Afonso III, tendo as obras sido prolongadas pelos reinados de D. Dinis e D. Fernando. “A localização estratégica da cidade na vas- ta planície do Baixo Alentejo demonstrou a importância do castelo de Beja ao longo dos séculos”, refere o IPPAR, explicando que, em “total decadência no século XIX”, altura em que passou a servir de prisão militar, o castelo foi integralmente restau- rado em meados do século XX. Já o Guia Turístico da Planície Dourada as- segura que a sua Torre de Menagem, “con- siderada uma obra-prima da arquitectura militar medieval”, é a “mais elevada da Península Ibérica”.

    de peças e, com esta empreitada, vai ter condições para apresentar o espólio”, disse Miguel Ramalho.

    O núcleo museológico reúne uma colecção, das décadas de 30

    e 40, de diversos artigos do foro militar, designadamente armas de origem africana, fardamentos, imagens alusivas à passagem pelo regimento de infantaria pela ci- dade de Beja e variados artigos da colecção particular do major Brito Pais, um dos pioneiros da travessia aérea entre Lisboa e Macau.

    O Município, sublinhou Miguel Ramalho, ainda ponderou a rea- lização das obras sem o encerra- mento do castelo, que é “o ex-libris e o monumento mais visitado da cidade”, mas, por “questões de se-

    gurança”, tal possibilidade não foi concretizada.

    Mértola

    Obesidade vigiada nas freguesias A Unidade Móvel Médico-So- cial de Mértola iniciou na últi- ma quarta-feira, 6, uma nova campanha que dura até fi nal de Março, dedicada à alimentação e obesidade. O objectivo é “aler- tar a população para as conse- quências do excesso de peso e da necessidade de adoptar há- bitos de vida saudáveis”. Esta iniciativa é dirigida a toda a po- pulação, mas dará uma atenção especial às crianças, jovens e idosos, percorrendo todas as es- colas do concelho e instituições de solidariedade social. Para além dos conselhos, os técnicos da Unidade Móvel de Mértola realizarão uma avaliação nutri- cional.

  • REGIÃO BAIXO ALENTEJO sexta-feira2008.02.0803

    Economia. Empresa mineira investe 80 milhões de euros na zona do Lombador

    Somincor reforça área de exploração

    Empresa mineira de Castro Verde vai explorar zinco, chumbo e prata, devendo criar 300 novos postos de trabalho.

    A mina de Neves-Corvo vai au- mentar a sua área de exploraç

Search related