Jerre Mandian Araujo Porto Alegre, novembro de 2014. SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ATUALIZAÇÃO EM ISS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ATUALIZAÇÃO EM ISS

  • View
    105

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • Slide 1
  • Jerre Mandian Araujo Porto Alegre, novembro de 2014. SUBSTITUIO TRIBUTRIA ATUALIZAO EM ISS SUBSTITUIO TRIBUTRIA ATUALIZAO EM ISS
  • Slide 2
  • NDICE DE ASSUNTOS Site da Prefeitura / SMF Cursos e palestras Certido Negativa Incidncia e fato gerador Lista de servios Sujeito passivo Nota fiscal MEI Simples Nacional NF e reteno Base de clculo Municpio onde devido o Issqn CPOM Alquotas Substituio tributria Anexos: Lista de servios tributveis Exerccios
  • Slide 3
  • SITE DA FAZENDA NA INTERNET
  • Slide 4
  • SITE DA FAZENDA NA INTERNET ISSQN
  • Slide 5
  • CURSOS E PALESTRAS
  • Slide 6
  • CURSOS E PALESTRAS - CONTEDOS
  • Slide 7
  • CERTIDO NEGATIVA DE DBITO Art. 205. A lei poder exigir que a prova da quitao de determinado tributo, quando exigvel, seja feita por certido negativa, expedida vista de requerimento do interessado, que contenha todas as informaes necessrias identificao de sua pessoa, domiclio fiscal e ramo de negcio ou atividade e indique o perodo a que se refere o pedido. Pargrafo nico. A certido negativa ser sempre expedida nos termos em que tenha sido requerida e ser fornecida dentro de 10 (dez) dias da data da entrada do requerimento na repartio.
  • Slide 8
  • EMISSO DA CERTIDO GERAL DE DBITOS TRIBUTRIOS
  • Slide 9
  • INCIDNCIA E FATO GERADOR Decreto n 15.416, de 20 de dezembro de 2006 INCIDNCIA: Art. 3 Esto sujeitos incidncia do ISSQN os servios constantes da lista anexa. 1 Ressalvadas as excees expressas na lista anexa, os servios nela mencionados no ficam sujeitos ao ICMS, ainda que sua prestao envolva o fornecimento de mercadorias 14.01 Lubrificao, limpeza, lustrao, reviso, carga e recarga, conserto, restaurao, blindagem, manuteno e conservao de mquinas, veculos, aparelhos, equipamentos, motores, elevadores ou de qualquer objeto ( exceto peas e partes empregadas, que ficam sujeitas ao ICMS ).
  • Slide 10
  • INCIDNCIA E FATO GERADOR 14.03 Recondicionamento de motores ( exceto peas e partes empregadas, que ficam sujeitas ao ICMS ). 17.11 Organizao de festas e recepes; buf ( exceto o fornecimento de alimentao e bebidas, que fica sujeito ao ICMS ). FATO GERADOR: Art. 6 fato gerador do ISSQN a prestao dos servios constantes da lista anexa, ainda que esses no se constituam na atividade preponderante do prestador.
  • Slide 11
  • ISS - COMENTRIOS O ISS um imposto sobre servios prestados, constantes na lista anexa a LC 116/03, no imposto sobre faturamento, recebimento ou emisso de notas fiscais. No existindo prestao de servio, no existe ISS, consequentemente no h que se falar em regulamentao, emisso de documento fiscal, reteno e etc. So os casos de locao de bens mveis e outros servios que parecem tributados pelo ISS e no so. O ISS um imposto cumulativo, isto , no desconta a operao anterior, por isso tem as alquotas entre 2 e 5 %, no como o ICMS que tem em mdia 17 a 25%.
  • Slide 12
  • LISTA DE SERVIOS A lista de servios taxativa nos subitens, de forma geral, entretanto, nos subitens em que admite e congneres, ela passa a ser exemplificativa. O enquadramento na lista fundamental para aplicar o ISS, pois dependendo do subitem, depende a alquota, local de tributao e etc. A lista apresenta 40 itens, subdivididos em cerca de 200 subitens, com cerca de 800 servios, podendo ser acrescidos mais os e congneres. O que importa a essencialidade do servio prestado e isso se verifica na descrio na nota ou em alguns casos mais complexos, examinando o contrato
  • Slide 13
  • LISTA DE SERVIOS Lista de Servios anexa a LC 116/03 1 Servios de informtica e congneres. 2 Servios de pesquisas e desenvolvimento de qualquer natureza. 3 Servios prestados mediante locao, cesso de direito de uso e congneres. 4 Servios de sade, assistncia mdica e congneres. 5 Servios de medicina e assistncia veterinria e congneres. 6 Servios de cuidados pessoais, esttica, atividades fsicas e congneres. 7 Servios relativos a engenharia, arquitetura, geologia, urbanismo, construo civil, manuteno, limpeza, meio ambiente, saneamento e congneres.
  • Slide 14
  • LISTA DE SERVIOS 8 Servios de educao, ensino, orientao pedaggica e educacional, instruo, treinamento e avaliao pessoal de qualquer grau ou natureza. 9 Servios relativos a hospedagem, turismo, viagens e congneres. 10 Servios de intermediao e congneres. 11 Servios de guarda, estacionamento, armazenamento, vigilncia e congneres. 12 Servios de diverses, lazer, entretenimento e congneres. 13 Servios relativos a fonografia, fotografia, cinematografia e reprografia. 14 Servios relativos a bens de terceiros. 15 Servios relacionados ao setor bancrio ou financeiro, inclusive aqueles prestados por instituies financeiras autorizadas a funcionar pela Unio ou por quem de direito.
  • Slide 15
  • LISTA DE SERVIOS 16 Servios de transporte de natureza municipal. 17 Servios de apoio tcnico, administrativo, jurdico, contbil, comercial e congneres. 18 Servios de regulao de sinistros vinculados a contratos de seguros; inspeo e avaliao de riscos para cobertura de contratos de seguros; preveno e gerncia de riscos segurveis e congneres. 19 Servios de distribuio e venda de bilhetes e demais produtos de loteria, bingos, cartes, pules ou cupons de apostas, sorteios, prmios, inclusive os decorrentes de ttulos de capitalizao e congneres. 20 Servios porturios, aeroporturios, ferroporturios, de terminais rodovirios, ferrovirios e metrovirios.
  • Slide 16
  • LISTA DE SERVIOS 21 Servios de registros pblicos, cartorrios e notariais. 22 Servios de explorao de rodovia. 23 Servios de programao e comunicao visual, desenho industrial e congneres. 24 Servios de chaveiros, confeco de carimbos, placas, sinalizao visual, banners, adesivos e congneres. 25 Servios funerrios. 26 Servios de coleta, remessa ou entrega de correspondncias, documentos, objetos, bens ou valores, inclusive pelos correios e suas agncias franqueadas; courrier e congneres. 27 Servios de assistncia social. 28 Servios de avaliao de bens e servios de qualquer natureza. 29 Servios de biblioteconomia.
  • Slide 17
  • LISTA DE SERVIOS 30 Servios de biologia, biotecnologia e qumica. 31 Servios tcnicos em edificaes, eletrnica, eletrotcnica, mecnica, telecomunicaes e congneres. 32 Servios de desenhos tcnicos. 33 Servios de desembarao aduaneiro, comissrios, despachantes e congneres. 34 Servios de investigaes particulares, detetives e congneres. 35 Servios de reportagem, assessoria de imprensa, jornalismo e relaes pblicas. 36 Servios de meteorologia. 37 Servios de artistas, atletas, modelos e manequins. 38 Servios de museologia. 39 Servios de ourivesaria e lapidao. 40 Servios relativos a obras de arte sob encomenda
  • Slide 18
  • SUJEITO PASSIVO CONTRIBUINTE E RESPONSVEL LEI 5.172/66 CDIGO TRIBUTRIO NACIONAL Art. 121. Sujeito passivo da obrigao principal a pessoa obrigada ao pagamento de tributo ou penalidade pecuniria. Pargrafo nico. O sujeito passivo da obrigao principal diz-se: I - contribuinte, quando tenha relao pessoal e direta com a situao que constitua o respectivo fato gerador; II - responsvel, quando, sem revestir a condio de contribuinte, sua obrigao decorra de disposio expressa de lei.
  • Slide 19
  • SUJEITO PASSIVO CONTRIBUINTE E RESPONSVEL LEI 5.172/66 CDIGO TRIBUTRIO NACIONAL Art. 122. Sujeito passivo da obrigao acessria a pessoa obrigada s prestaes que constituam o seu objeto. Art. 123. Salvo disposies de lei em contrrio, as convenes particulares, relativas responsabilidade pelo pagamento de tributos, no podem ser opostas Fazenda Pblica, para modificar a definio legal do sujeito passivo das obrigaes tributrias correspondentes.
  • Slide 20
  • SUJEITO PASSIVO- CONTRIBUINTE Decreto n 15.416, de 20 de dezembro de 2006 Art. 31 O contribuinte do imposto o prestador dos servios constantes da lista anexa. Art. 32 Para fins deste Regulamento, considera-se como profissional autnomo todo aquele que fornece o seu trabalho, em nome prprio, a clientes eventuais e sem vnculo empregatcio. Pargrafo nico. No caso de auxlio de outro profissional de mesma qualificao, o trabalho descaracteriza-se de pessoal e a tributao ser efetuada com base no preo do servio. Art. 33 As empresas pblicas e as sociedades de economia mista, bem como suas subsidirias, so contribuintes nas mesmas condies das demais pessoas jurdicas.
  • Slide 21
  • NOTA FISCAL DE SERVIO OBRIGATORIEDADE DE EMISSO DO DOCUMENTO FISCAL Decreto n 15.416, de 20 de dezembro de 2006 Art. 163 A emisso de documentos fiscais obrigatria para as prestaes de servios constantes da lista anexa. Art. 164 O contribuinte dever emitir um documento fiscal para cada operao, independente da solicitao ou no do tomador do servio. 1 A emisso ser imediata ocorrncia do fato gerador do imposto, observado o disposto no artigo 12. Art. 12 Em servios cuja prestao se realize de forma contnua, por perodos superiores a 30 (trinta) dias, considera-se ocorrido o fato gerador ao final de cada competncia. 2 O profissional autnomo no poder emitir nota fiscal de servios.
  • Slide 22
  • NOTA FISCAL DE SERVIO DISPENSA DE EMISSO DO DOCUMENTO FISCAL Art. 165 Esto dispensados da emisso de documentos fiscais: I os bancos e as instituies financeiras; II os servios de transporte intramunicipal de passageiros, realizados por meio de nibus ou trem; III os servios de transporte de passageiros, realizados por meio de txi-lotao; IV as empresas concessionrias de telecomunicaes