Joelho LesÃo Meniscal

  • View
    5.646

  • Download
    8

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Leso meniscal, tratamento e avaliao do joelho

Transcript

JOELHO - LESO MENISCALTrabalho realizado por: Adriana Vargas - Alessandra Almeida - Cynthia Lenz - Michelle Macedo - Paula Ferreira. Orientador: Prof. Blair Jos Rosa Filho

INTRODUO A articulao do joelho envolve trs ossos: o fmur, a tbia e a patela. Essas trs estruturas sseas formam duas articulaes: a fmuro-patelar e a tbio-femoral, que funcionalmente no podem ser sempre consideradas separadas, j que existem entre elas uma relao mecnica. O delimitador desta articulao, formado pela extremidade distal do fmur, extremidade proximal da tbia com meniscos interpostos dando simetria a articulao. A articulao rodeada por msculos, ligamentos, meniscos e cpsula articular, que agem em conjunto para dar harmonia aos movimentos, que so de flexo e extenso, com pouca rotao O joelho a articulao mais complexa do corpo humano. Para se tratar de qualquer tipo de leso devese conhecer a anatomia, fisiologia e a biomecnica. Suas superfcies articulares esto freqentemente expostas a tenses e esforos. Sua funo est relacionada sua atividade muscular integrada e s suas estruturas ligamentosas restritivas e precisas. ARTICULAO DO JOELHO ANATOMOFISIOLOGIA DO JOELHO O joelho a articulao mais acometida do corpo humano pelo fato das pessoas usarem seus joelhos como piv, independente da prtica de esportes, os joelhos so alvos de leses. A maior ocorrncia de leses se d no ligamento cruzado anterior que pode ser uma leso isolada ou no, quer dizer, que compromete outras estruturas (meniscos, ligamentos colaterais e outros). Existem 4 grandes ligamentos no joelho: * (LCA) - Ligamento Cruzado Anterior * (LCP) - Ligamento Cruzado Posterior * (LCM) - Ligamento Colateral Medial * (LCL) - Ligamento Colateral Lateral

Os ligamentos estabilizam a articulao, evitando movimentos anormais, auxiliados pelos meniscos, que alm de estabilizarem o joelho, atuam tambm como amortecedores das cartilagens que envolvem o joelho, absorvendo impactos e choques. Quando ocorre a leso do ligamento cruzado anterior, em geral o indivduo est com o p apoiado e realiza o movimento de rotao ou fora o joelho no sentido interno, no conseguindo continuar a prtica do esporte que estiver realizando, ocorrendo neste caso um derrame rapidamente. Em caso de atletas praticamente obrigatria a reconstruo do ligamento atravs de uma cirurgia que utiliza uma parte do tendo da patela. Indivduos que praticam esportes eventualmente, so os principais candidatos s leses, por falta de preparo fsico. Mudanas de direo, arrancadas ou freadas rpidas durante corridas e saltos so fatores comuns de leses ligamentares. O joelho uma articulao de dois graus de liberdade, a flexo, extenso e rotao sobre o eixo

longitudinal da perna, que s aparece quando est fletido. Durante a flexo os ligamentos colaterais esto frouxos, j os ligamentos cruzados, que fornecem estabilidade para a articulao ao longo de toda amplitude de movimento esto forando a ocorrncia de movimento de deslizamento das superfcies condilares, o LCA ir desenrolar-se e relaxar-se, enquanto que o LCP estar tenso. Os ligamentos colaterais esto tensos durante a extenso, assegurando a estabilidade lateral do joelho, j o LCP est frouxo, enquanto o LCA est tenso, limitando assim a hiperextenso. Na rotao externa da tbia sobre o fmur, os ligamentos colaterais esto frouxos e os ligamentos cruzados tendem se tornar paralelos entre si, permitindo o movimento de rotao. O LCA est frouxo, e o LCP tenso. Durante a rotao interna, os ligamentos esto enrolados um em relao ao outro e tensionados, portanto, a rotao encontra-se bloqueada. Os ligamentos colaterais esto tensos, o LCA tenso e o LCP frouxo.

Na rotao externa, os ligamentos cruzados esto pouco relaxados. Na rotao interna, se colocam em toro um sobre o outro, se tornando tensos.

Em rotao externa os ligamentos colaterais se encontram relaxados. Em rotao interna esto tensos.

Na extenso, v-se que os ligamentos colaterais esto tensos. E na flexo se encontram relaxados.

Os ligamentos so compostos por tecido conjuntivo do tipo fibroso, esto dispostos sobre uma articulao com o objetivo de impedir uma movimentao excessiva ou anormal da articulao do joelho. Os ligamentos so muito ricos em receptores nervosos sensitivos, que percebem a velocidade, o movimento, a posio da articulao e eventuais estiramentos e dores. Eles transmitem permanentemente tais informaes ao cerebelo que responde com ordens motoras aos msculos sendo chamada de sensibilidade proprioceptiva. Os ligamentos da articulao do joelho formam um elo de ligao entre as peas articulares e os moduladores dos movimentos. Tais ligamentos podem ser divididos em 2 grupos principais o piv central que constitudo pelos ligamentos LCP ( ligamento cruzado posterior) e LCA (ligamento cruzado anterior) e as estruturas cpsulo-ligamentares perifricas, constitudas pelos ligamentos capsulares LCM (ligamento colateral medial) e LCL (ligamento colateral lateral). Tais estruturas repousam na cavidade intercondilar do fmur sendo revestidas por suas prprias bainhas sinoviais, separando-as da capsula da articulao do joelho. O termo cruzado descritivo, pois os ligamentos formam um padro entrelaado quando o joelho se move em seu arco de movimento. Os ligamentos cruzados recebem estes nomes devido as suas inseres, o ligamento cruzado anterior se fixa embaixo, na rea intercondilar anterior e, em cima, na face medial do cndilo femoral lateral, o ligamento cruzado posterior se fixa, embaixo, na rea intercondilar posterior e, em cima, na face lateral do cndilo femural medial..

Localizao e fixao dos ligamentos cruzados os quais impedem os movimentos denominados de gavetas

O papel principal dos ligamentos cruzados evitarem que os dois ossos faam movimentos nteroposteriores chamados de "gavetas".O LCA impede que a tbia deslize para frente denominado de gaveta anterior e o LCP que deslize para trs denominado de gaveta posterior. O LCA pode descrever-se em trs feixes: * Feixe ntero-interno (o mais longo, o primeiro visvel e o mais expostos traumatismos). * Feixe pstero-externo (recoberto pelo precedente, sendo o mais resistente nas rupturas parciais). * Feixe intermedirio Os ligamentos esto tensos em praticamente todos os movimentos do joelho e, alm de impedir o cisalhamento do mesmo, atuam de maneira a guiar a flexo e rotao. Os ligamentos colateral medial e colateral lateral estabilizam medialmente e lateralmente ou seja, de se abrirem em qualquer dos lados. Caso ocorra uma falta de estabilidade tanto medial como lateral, significa que haver uma leso. O LCM o mais resistente destes ligamentos pois, o eixo do membro inferior forma um valgo, ou seja, um afastamento da linha mdia do corpo, distal articulao considerada, sendo normal com 3 graus acima do joelho, por esse motivo h maior tendncia de leso ligamentar lateral, existindo assim a necessidade de sua resistncia. Os ligamentos colaterais se tornam tensos na extenso e em rotao externa, e relaxados na flexo e na rotao interna. Os meniscos so em forma de meia lua e em nmero de dois, menisco medial ou interno e menisco lateral ou externo, os quais auxiliam na distribuio da presso entre o fmur e a tbia. So estruturas fibrocartilaginosas curvas e ficam entre as superfcies articulares opostas e esto ligados entre si e a cpsula articular. Os meniscos do joelho so freqentemente lesados, sua retirada cirrgica bastante comum, em alguns casos, aps ser retirado formado um novo menisco idntico ao primeiro, mas constitudo no mais por cartilagem e sim por tecido conjuntivo fibroso denso que se torna menos resistente. BIOMECNICA DO JOELHO importante compreender a biomecnica patelofemoral ao prescrever exerccios para o joelho em um programa de reabilitao, seja qual for o diagnstico. A conexo entre as articulaes tbiofemoral e patelofemoral no deve ser considerada, nem devem essas articulaes ser tratadas separadamente.

A funo do mecanismo da articulao patelofemoral influenciada vigorosamente por estabilizadores tanto dinmicos (estruturas contrteis) quanto estticos (estruturas no contrteis) da articulao. Essa estabilidade baseia-se na interao entre a geometria ssea, as contenes ligamentares e retinaculares e os msculos. Um estabilizador dinmico, o msculo quadrceps femoral, constitudo por quatro msculos inervado todos pelo nervo femoral. So eles: * Vasto Lateral: desvia-se lateralmente do eixo longitudinal do fmur; * Vasto Intermdio: paralelas ao eixo longitudinal do fmur; * Reto Femoral: * Vasto Medial Longo: fibras com orientao vertical, desviando-se medialmente em relao ao eixo longitudinal do fmur em 18. Oblquo - fibras com orientao horizontal desviando medialmente em relao ao eixo longitudinal do fmur de aproximadamente 55. O alinhamento dos msculos determina sua funo na articulao do joelho. O vasto lateral, vasto intermdio, vasto medial longo e o reto femoral produzem todos um torque de extenso do joelho. O vasto medial oblquo incapaz de produzir qualquer extenso do joelho, mais exerce funo extremamente importante na conteno dinmica contra as foras que poderiam deslocar a patela lateralmente. O grupo muscular da pata de ganso e o bceps femoral tambm afetam dinamicamente a estabilidade, pois controlam a rotao interna e externa da tbia, que pode influenciar de maneira significativa o deslocamento patelar. Os estabilizadores estticos da articulao patelo femoral incluem a parte lateral projetada mais anteriormente do sulco femoral, o retinculo extensor, o trato ileotibial, o tendo quadricipital e o tendo patelar. O tendo patelar controla as foras que agem sobre a patela para produzir um deslocamento superior, ao passo que o tendo quadricipital resiste as foras que causam o deslocamento inferior da patela. A contrao do quadrceps cria uma fora dirigida superiormente que suportada por uma fora dirigida inferiormente oriunda do tendo patelar. A resoluo dessas duas foras origina um vetor de fora resultante dirigido posteriormente que causa compresso entre a patela