Jornal Alerj 199

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro

Text of Jornal Alerj 199

  • A S S E M B L E I A L E G I S L A T I V A D O E S T A D O D O R I O D E J A N E I R O

    JORNAL DA ALERJ

    Deputados apontam questes a serem solucionadas at os Jogos Olmpicos e anunciam aes da Alerj em prol do maior evento j sediado pela cidade

    Passada a euforia pela conquista do Rio de Janeiro, que sediar as Olimpadas e Paraolimpadas de 2016, chegada a hora de tirar o projeto vitorioso do papel e buscar a concretizao de um sonho acalentado por dcadas (a primeira tentativa da cidade foi em 1932). Os investimentos sero vultosos, de cerca de R$ 14 bilhes s em infraestrutura (ao todo, sero gastos mais de R$ 28 bilhes), altura dos ambiciosos planos de melhoria de setores como transporte e urbanismo. S o estado arcar com cerca de R$ 1 bilho do montante. Nas pginas centrais desta edio, alguns parlamentares re-latam suas expectativas, apreenses e planos de auxlio ao evento, sobretudo atravs da aprovao de leis e da fiscalizao dos projetos.

    So planos que mostram que base e oposi-o esto unidas pelo sentimento comum de garantir que os jogos, que podem gerar US$ 51,1 bilhes em negcios para a cidade, tenham como legado a qualidade de vida de sua populao. Quem conheceu Barcelona pr e ps-Jogos Olmpicos sabe que o Rio de Janeiro, sobretudo pela parceria existente entre o presidente Lula, o governador Srgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes, s vai melhorar com todos estes eventos. O Legislativo far o que for necessrio, porque tenho certeza de que as competies, aliadas Copa, s traro alegrias e benefcios para a cidade e o estado, aposta o presidente da Casa, deputado Jorge Picciani (PMDB).

    PGINAS 6, 7 e 8

    lNESTE NMERO

    Olavo Monteiro de Carvalho recebe ttulo na Alerj pela defesa do estado PGINA 3

    Descarte adequado de lixo faz deputados apresentarem vrios projetos de leiPGINAS 4 e 5

    Conversas com vizinhos e familiares motivam aes de Graa PereiraPGINA 12

    Ano VII N 199 Rio de Janeiro, de 1 a 15 de outubro de 2009

    sxc.hu

    2016Preparao para

  • Rio de Janeiro, de 1 a 15 de outubro de 20092

    FRASES CONSuLTA POPuLAR ExPEDIENTE

    PresidenteJorge Picciani

    1 Vice-presidenteCoronel Jairo

    2 Vice-presidenteGilberto Palmares

    3 Vice-presidenteGraa Pereira

    4 Vice-presidenteOlney Botelho

    1 SecretriaGraa Matos

    2 SecretrioGerson Bergher

    3 SecretrioDica

    4 SecretrioFabio Silva

    1a SuplenteAdemir Melo

    2o SuplenteArmando Jos

    3 SuplentePedro Augusto

    4 SuplenteWaldeth Brasiel

    JORNAL DA ALERJPublicao quinzenalda Diretoria Geral de Comunicao Social da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro

    Jornalista responsvelFernanda Pedrosa (MT-13511)

    Coordenao: Everton Silvalima e Pedro Motta Lima

    Reportagem: Fernanda Porto, Marcela Maciel, Symone Munay e Vanessa Schumacker

    Estagirios: Andr Nunes, Constana Rezende, Colin Foster, Eduardo Naddar, rica Ramalho, Maria Rita Manes, Natasha Costa, Raoni Alves e Ricardo Costa

    Fotografia: Rafael Wallace

    Diagramao: Daniel Tiriba

    Telefones: (21) 2588-1404/1383 Fax: (21) 2588-1404Rua Primeiro de Maro s/n sala 406 CEP-20010-090 Rio de Janeiro/RJEmail: dcs@alerj.rj.gov.brwww.alerj.rj.gov.brwww.noticiasalerj.blogspot.comwww.twitter.com/alerj

    Impresso: Grfica da AlerjDiretor: Leandro PinhoMontagem: Bianca MarquesTiragem: 2 mil exemplares

    ALERJAssEmbLEiA LEgisLAtivA do EstAdo do Rio dE JAnEiRo

    Poderamos incentivar a fabricao de equipamentos para a gerao de energia solar, uma das mais limpas e fceis de serem utilizadas. Temos que aproveitar a chegada de novas empresas ao estadoGlauco Lopes (PSDB), durante o VI Workshop da Associao Brasileira de Energias Renovveis e Meio Ambiente

    Sou favorvel reforma agrria, mas sou contra a tentativa de algum, violentamente, se apossar de algo alheioCaetano Amado (PR), sobre a invaso do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra, em 8 de outubro, fazenda Santa Henrique, em Boberi, no interior de So Paulo

    Desde novo ouvimos dizer que o Brasil o Pas dos contrastes e nada muda. Por que no criar, ento, por exemplo, o ano da Sade, o ano do Esporte, do Adolescente, e focar nessas reas?Mrio Marques (PSDB), durante audincia pblica da Comisso de Direitos Humanos contra a reduo da maioridade penal e sobre o Departamento Geral de Aes Socioeducativas (Degase)

    Rafael Wallace

    Rafael W

    allace

    Disque Consumidor: 0800 282 7060

    DISquES Foi bom ter uma resposta imediata

    Temos problemas de refluxo de esgoto, e, principalmente em pocas de chuva, ele volta e alaga toda a igreja, impossibili-tando as aulas de catequese e alfabetizao de adultos. Como o problema antigo, ligamos muitas vezes para a Companhia Estadual de gua e Esgoto (Ce-dae), que dificilmente atendia e, quando recebia o pedido, raramente fazia a visita pro-metida. Cansados e querendo uma soluo para o problema, ligamos para o Disque Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa. Foi bom ter uma resposta imediata aps tantas tentativas frustradas. Eles rapi-damente notificaram a Cedae, que imediatamente veio resolver

    o refluxo. E o trabalho da comis-so teve resultado mesmo aps o atendimento. Agora, todas as vezes que temos qualquer pro-blema e ligamos para a Cedae, eles aparecem em menos de duas horas para solucionar o caso. In-felizmente nosso problema com esgoto crnico, e precisamos conseguir uma soluo definitiva que evite novas chamadas. Para isso, recorreremos novamente comisso. Acredito que eles encontraro uma forma de fazer isso acontecer

    Luiz Cludio Grilo, secretrio de igreja na Tijuca: Disque Consumidor notificou a Cedae, que resolveu problema de esgoto

    Isaura Gomes Coutinho Itaperuna

    l Gostaria de saber se existe alguma forma de garantir o livro didtico e o livro tcnico em formato digital acessvel a todos no estado.

    l Felizmente, a tecnologia caminha a passos largos e vem em socorro dos deficientes vi-suais com softwares livres que executam a leitura de textos expostos na tela do computador e vocalizam seu contedo ao usurio, atravs do sistema de som. Pensando em estimular o uso deste avano tecnolgi-co, apresentei o projeto de lei 2.537/09 que dispe sobre o

    livro didtico e o livro tcnico em formato digital acessvel. De acordo com minha proposta, os livros tcnicos e didticos em formato digital acessvel sero comercializados com os res-guardos necessrios proteo dos direitos do autor, devendo apresentar compatibilidade com programas leitores de tela gratuitos, distribudos ou no pelo editor da obra. Um desses softwares e talvez seja o que se torne padro no Brasil foi desenvolvido pelo Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicaes (CPqD), com recursos de R$ 5 milhes, e poder ser utilizado em nossos programas de incluso digital do estado.

    Deputado Altineu Crtes (PR)

    siga a @alerj no

    www.twitter.com/alerj

  • 3Rio de Janeiro, de 1 a 15 de outubro de 2009R

    afael Wallace

    E le tido como um dos princi-pais lderes empresariais do Brasil. Homem de brilhante trajetria empresarial e defensor da populao. Foi como o presidente da Assembleia Legislativa do Rio, depu-tado Jorge Picciani (PMDB), definiu o empresrio Olavo Egydio Monteiro de Carvalho, presidente do Instituto Mau e do Instituto Marqus de Sala-manca, que recebeu, no dia 7, o ttulo de Cidado Benemrito do estado, no Plenrio Barbosa Lima Sobrinho. Segundo Picciani, o homenageado, alm de ter sempre contribudo para o desenvolvimento do Rio de Janeiro, trata-se de um empresrio que se man-tm sintonizado com as dificuldades enfrentadas pela populao. "Ele dessas personalidades que, pela per-sistncia, pela fora e magnetismo que possuem, conseguem reunir grandes homens em torno de grandes projetos e ajudar aqueles que precisam encontrar caminhos", destacou o peemedebista, que lembrou o importante papel do empresrio como presidente da As-sociao Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ), de 2005 a julho deste ano.

    Para o empresrio, a homenagem um incentivo para que possa continuar o trabalho de promoo do estado e do povo fluminense. "Estou vivendo um dos maiores momentos da minha vida. Hoje, recebo com orgulho o reconhe-cimento pelo meu trabalho ao longo dos anos. um incentivo para que eu tenha fora e possa trabalhar cada vez mais", ressaltou Monteiro de Carvalho, que integrou o Conselho Executivo do Projeto Rio 2016. "Com a escolha da cidade do Rio de Janeiro, a esperana do povo renasceu e a confiana dos empresrios voltou. Ns trabalhamos unidos, sociedade e governantes, num mesmo objetivo. Foi um dos trabalhos mais importantes da minha vida", concluiu o empresrio.

    Durante a sesso solene, o presi-dente da Associao Comercial do Rio de Janeiro (ACRJ) e presidente da Light, Jos Luiz Alqures, desta-cou o esprito de cooperao de seu antecessor. "Ele tem o dom especial de reunir pessoas e inspir-las a agir com conscincia coletiva. Foi funda-mental sua participao no projeto Rio 2016, promovendo a unio entre empresrios, gestores pblicos e a sociedade", ressaltou. Ao parabenizar o homenageado, o secretrio de Estado de Desenvolvimento Econmico, Ener-gia, Indstria e Servios, Jlio Bueno, destacou a importncia do empresrio na economia f luminense. " o elo entre representantes da sociedade civil e as lideranas dos governos estadual e

    municipais. Ele est sempre presente nas lutas em prol do progresso econ-mico e social", finalizou Bueno.

    Olavo de Carvalho presidente do Conselho de Administrao do Grupo Monteiro Aranha (o Grupo membro da Associao Comercial do Rio de Janeiro h 51 anos, sendo que Olavo Monteiro de Carvalho, pessoa fsica, benemrito h 15 anos). O Grupo Monteiro Aranha, onde o homena-geado exerceu o cargo de presidente executivo de 1978 a 1996, uma tra-dicional holding, fundada h mais de 90 anos. Alm da famlia Monteiro de Carvalho, que detm 60% do capital social da companhia, seus principais