Jornal Quinze - Julho

  • View
    219

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Quinze - Ediçao de Julho 2009

Text of Jornal Quinze - Julho

  • AUTORIZAO N DE01892009SNC/GSCCS

    Mensal | www.15Quinze.com | Ano I | Nmero 13 | Julho 2009 | Director: Hugo Aguiar | Edio: Pedro Dias | Redaco: Ral Testa

    J tem planos para o Vero?

    Poucos mas bonsApesar da afluncia do pblico no ter sido a esperada, os portugueses bateram-se pelas cores da camisola no estdio Magalhes Pessoa durante o campeonato Europeu de equipas.

    Cumprimente o Quim Z!J o conhece?

    Mitiluma Academia de OndasNos dias que correm importante procurar na natureza formas de nos sentirmos bem, e as modalidades aquticas proporcionam o encontro de um equilbrio entre o corpo e a mente, contribuindo assim para melhorar a qualidade de vida.

  • 2 | Quinze Julho . 2009

    O regresso do sonho americanoE, finalmente, chegam-nos sinais de regresso da Amrica que me habituei a admirar enquanto criana, a Amrica dos anos 90. Nos ltimos anos, graas poltica de Bush criou-se o hbito (e a moda) de criticar e culpar os Estados Unidos de todos os males do mundo.Felizmente, no final do ano passado os norte-americanos devolveram-nos a Amrica de George Washington, Lincoln, Kennedy e de Martin Luther King.Trata-se de um Pas com muitas assimetrias socioeconmicas mas com uma diversidade cultural inacreditvel. Ns costumamos falar dos preconceitos raciais dos outros pases mas no nos Estados Unidos que se inventam histrias macabras sobre os restaurantes e lojas chinesas.Os EUA tm de ser, novamente, o representante dos valores do Ocidente, dos valores nobres da Democracia e dos direitos humanos acima de qualquer outro interesse. Em 8 anos W. Bush virou o Mundo do avesso e se Martin Luther King tinha um sonho, ns rapidamente passmos a ter vrios pesadelos. Bush deixou-nos uma Amrica econmica e socialmente moribunda, um Mundo deriva e o medo de qualquer pessoa que use um turbante.Mas a economia comea a dar alguns (tmidos) sinais de retoma, Obama trouxe a esperana, a mudana e o fim do medo, e as condies para os EUA voltarem a impulsionar o nosso mundo esto mais perto. muito importante que os EUA voltem a ser nossos aliados e partilhem dos mesmos valores que ns, igualdade, democracia e laicidade. S assim conseguiremos vencer as ameaas directas ao nosso estilo de vida, como o caso do fanatismo do Governo Iraniano.Confio em Obama para resolver alguns problemas do nosso Mundo mas tenho noo que Obama apenas um homem, no faz milagres. A questo iraniana s se resolve pela vontade do povo iraniano e, felizmente para o Ocidente, as novas geraes iranianas parecem estar fartas dos Ayatollahs, de Ahmadinejad e da ditadura que lhes ceifa as coisas boas que a vida tem.A grande vitria do Ocidente foi livrar-se do fundamentalismo religioso (principalmente Catlico), esperemos que o Mdio Oriente tambm o consiga.

    Editorial

    Ral Testart.quinze@gmail.com

    Regio

    Dias 20 e 21 de Junho teve lugar em Leiria, no Estdio Municipal Dr. Magalhes Pessoa, o Campeonato da Europa de Equipas. Desportivamente, Portugal, embora tenha feito uma excelente participao, no evitou a despromoo da principal diviso das Equipas Europeias, a Superliga. Contudo, embora esta seja a prova mais importante que se disputa em Leiria desde o Europeu de Futebol em 2004, o pblico Leiriense no aderiu como seria de esperar. Dos 30.000 espectadores que a organizao previa, apenas perto de 18.000 marcaram presena.

    Os heris Portugueses

    Em termos individuais, destaque para Francis Obikwellu que venceu a final A dos 100metros e confessou gostar da nova regra das falsas partidas (quem provocar falsa partida imediatamente desqualificado), Rui Silva que venceu nos 1500 metros, Naide Gomes que superou tambm as adversrias no salto em comprimento e, claro, Nelson vora que, para alm de ter dado uma ajuda a Portugal no salto em comprimento (2 lugar), venceu no triplo salto, confirmando que um dos melhores atletas do momento. Destaque tambm para Arnaldo Abrantes, que conseguiu um extraordinrio 2 lugar numa das provas mais conhecidas do atletismo,

    os 200 metros, e para Ins Monteiro que conseguiu o 3 lugar nos 3.000 metros.

    Em entrevista exclusiva ao Jornal Quinze imediatamente aps o 2 lugar de Nelson vora no salto em comprimento, o treinador do atleta portugus, Professor Joo Gano, confessou que No contava que o Nlson fizesse as 4 tentativas de salto, mas o primeiro salto no correu bem e a concorrncia tambm era muito forte. Joo Gano afirmou ainda que no estava nos planos Nelson vora competir tambm no salto em comprimento mas o atleta demonstrou a vontade de ajudar Portugal a conseguir o mximo de pontos possvel.

    Poucos mas bons

    Mostramos-lhe uma compilao de imagens dos momentos mais importantes do evento:

    Fotografia por Cristvo Teles

  • A poca balnear j comeou com os leirienses e turistas a invadirem as praias da regio. Quem for s praias certamente vai encontrar um destemido povo portugus, inventor das mais diversas actividades balneares.Ao chegarmos s praias poderemos ver os homens de famlia, esse grande espcime portugus, a comer a sua perna de frango e o seu rissol s 10 da manh, seguido de uma voltinha at beira-mar, com a desculpa da digesto, quando apenas quer ver as mamas ao lu da alem que, em topless, joga raquetes. Entre olhares curiosos e comentrios pervertidos, as cervejas a circular nos rins comeam a cham-lo. H ento que seguir o mtodo de sempre: uma ida at ao mar, contribuindo para o aquecimento do Oceano Atlntico.Se uns aquecem a gua, outros aquecem a areia. Ento quem o responsvel pela areia a escaldar? Os midos, claro est! Desde muito cedo que aprendem o glorioso mtodo do buraquinho na areia. Cava, alivia e tapa. Um mtodo infalvel, intemporal e revitalizante, enviando directamente para areia lquidos repletos de sais minerais.Por falar em coisas amarelas, lembrei-me tambm dos

    pseudo-surfistas, esse espcime de cabelo loiro, vindo directamente de um casting dos Morangos

    Com Acar. Ar descuidado, fatinho de surfista pela cintura, prancha espetada na areia, uns riscos de protector na cara Pocahontas e umas loirinhas nas toalhas que no bebem gua porque engorda. Ah! No referi que eles se atiram s ondas e fazem manobras perigosas? Pois... que nunca vi um desses a fazer isso. Acho que molhar os ps no conta. Certo?Quem tambm alvo da minha ateno o heri das praias portuguesas: o nadador! O nadador salvador no, porque esse usa mais a gua oxigenada para clarear o seu cabelo do que para limpar feridas de um banhista. O nadador comum, ento, o verdadeiro heri das nossas praias! Quer l saber se comeu lombo de porco h uma hora ou se as ondas esto a rebentar nas rochas! Nada co, mergulha chapa e bebe mais gua no mar do que durante o ano inteiro. esse o nosso heri que no teme ondas ou correntes, cibras ou hipotermia! Porque o nadador portugus destemido! O problema quando as ondas e as correntes aparecem mesmo, quando as cibras e a hipotermia falam mais alto e, a, o nadador tem a sorte de estar no mar, porque assim ningum nota quando ele tem que libertar

    sinais de aflio.Quem tambm se v aflito o vendedor de bolas de berlim que chega a casa sem voz para ralhar mulher. o cigano das praias, berrando no para vender umas cuecas ou umas meias, mas para vender as suas bolas suadas pelo calor (as bolas de berlim, claro). a banda sonora das praias, aquele berro que todos podem ouvir durante uma bela tarde de Vero, aquela sinfonia de gritos estridentes que anseiam por vender as suas bolas de berlim, o manjar de muitas moscas que por l passam... isto que podem esperar do Vero. Esta panplia de personagens que do cor e vida s areias portuguesas. Sem eles as praias lusitanas no eram iguais, sem eles no poderia estar aqui a exercitar o meu humor (se que isto humor), sem eles o Vero em Portugal no seria portugus. Viva o homem de famlia que encara a praia como um come e bebes! Viva o garoto que faz ingenuamente o seu buraquinho na areia! Viva o surfista que no sabe surfar! Viva o nadador destemido! Viva a sofrida msica do vendedor de bolas de berlim! Viva o Vero portugus! Viva!

    por Andr Pereira

    Branco no preto

    andrefilipereira@gmail.com

    Quando me disseram que Michael Jackson tinha morrido, as primeiras palavras que me vieram cabea foram: Outra vez?! Em sua memria, vou escrever toda esta crnica da forma como ele prprio viveu a sua vida, a preto e branco.

    Com a notcia da morte do Rei da Pop, os seus discos atingiram recordes de vendas, o que vem comprovar a teoria de que um artista morto tem muito mais valor. Eu at acho que muitos dos nossos msicos deveriam seguir esta estratgia. No seu testamento, Michael Jackson deixa famlia o rancho de Neverland, um nariz e trs criancinhas a estrear.

    Por c, uma me adolescente fez greve de fome porque queria ter de volta o filho que deu para adopo. Dizem que foi a primeira vez que uma criana fez greve de fome. Eu no concordo. Em frica j fazem isso h muito tempo.

    L fora, o especulador Bernard Madoff foi condenado a 150 anos de cadeia. Ou era isto ou ser confrontado com o Nuno Melo no Parlamento. Preferiu, obviamente, a priso. Por c, vamos receber dois a trs ex-detidos de Guantnamo. Como hbito nestes casos, os envolvidos j esto a formar listas para as autrquicas.

    Depois das Europeias, mais duas eleies marcam a actualidade: as do Iro e as do Benfica. Ambas tm gerado muita contestao, at porque envolvem a religio. Se no Iro Al, no Benfica Jesus. Nuno Gomes tambm renovou o seu contrato com o Glorioso. Com Jesus como treinador, normal que a Maria Madalena ficasse no clube. Em relao ao Porto, acho estranho o Cissokho no ter assinado pelo clube de Ronaldinho Gacho por causa dos dentes.

    Para terminar, um conselho: quando acenderem uma vela em homenagem a Michael Jackson, no a deixem acesa durante muito tempo porque ele derrete.

    Dor Crnica

    Quinze | 3 Junho . 2009

    Hlio Lameiro Lopes, fundador e um dos coordenadores do Leiria Frum - um espao na internet cuja f