Click here to load reader

Jornal Vitrine Lageana

  • View
    215

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição 194

Text of Jornal Vitrine Lageana

  • VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA, 21 DE AGOSTO DE 2015

    OpinioSadeSegurana Destaque CidadeEducaoEsporte Poltica

    Lages, sexta-feira, 21 de agosto de 2015R$ 2,00

    Ano 05 - Edio 194

    Em reunio na Cmara de Vereadores foram discutidas as crticas, opinies e sugestes

    da populao lageana. | Pg. (11)

    Os adotantes tero direito a placas de

    publicidade. | Pg. (6)

    Adoo de Praas

    Segurana Pblicade Lages debatida

    A Associao Catarinense de Reflorestadores est comemorando quatro

    dcadas de fundao. | Pg. (3)

    ACR comemora 40 anos de fundao

    Na denncia apresentada ao STF (Supremo Tribunal Federal), contra o presidente da Cmara dos Deputados, Eduardo Cunha, o Procurador-Geral da Repblica, Rodrigo Janot, pede que o parlamentar seja condenado a 184 anos de priso. Ele acusa o deputado de ter praticado

    crime de corrupo passiva em duas ocasies separadas, alm de lavagem de dinheiro em 60 episdios distintos. | Pg. (4)

    Div

    ulga

    o

    Procurador pede mais de um sculo de priso a Eduardo Cunha

  • VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA, 21 DE AGOSTO DE 2015OPINIO1202

    A crise econmica inevitvel

    Nossa OpinioPoder Legislativo de Lages cobra mais Segurana s autoridades

    Dias atrs houve na Cmara de Vereadores de Lages, uma Sesso Especial onde foi debatido um tema muito importante, tanto para a populao de Lages, como tambm de interesse para a sociedade serrana como um todo. O tema, como j era de se esperar, foi sobre a segurana pblica. Claro, diante de dois assassinatos brutais que aconteceram em Lages, e de outros crimes corriqueiros que tambm ocorreram, fez com que o alerta mximo disparasse nos ouvidos das autoridades responsveis pela segurana pblica em Lages. Tanto que, na Sesso Especial realizada na Cmara de Vereadores, estavam presentes seno todos, porm, a maioria deles compareceram ao Plenrio da Casa de Leis.No faz muito tempo, uma jovem de apenas de 17 anos morreu de forma estupida. H menos de 15 dias, um comerciante

    foi assassinado brutalmente no bairro Mariza, o que tudo levar a crer que tenha sido um latrocnio. E, recentemente, foi assassinado no interior de sua residncia um ex-vereador, ex-presidente do MTG-SC o popular Touro, irmo do ex-prefeito Renatinho, tambm, segundo fontes extraoficiais pode ter sido tambm um latrocnio (roubo, seguido de morte), pois quem o assassinou roubo seu veculo.No h quem tenha a coragem de dizer que a Polcia Militar e a Polcia Civil esto proporcionando aqueles bons servios prestados sociedade; alis, um direito Constitucional do cidado brasileiro, do catarinense, do lageano. Portanto, em boa hora, que o vereador Marcius Machado, convocou as autoridades encarregadas da Segurana Pblica de Lages para solicitar mais providncias no sentido de dar populao lageana a segurana que realmente tem direito.

    GrimpaComentam por a, que, dias atrs, na inaugurao oficial do Cinemark no interior do Lages Garden Shopping, quem fez sucesso foram os convidados ditos vips. Eles deram uma lio sobre educao de bero e de higiene quando, deixaram rastros de sujeiras no espao reservado para esses convidados especiais. Pode at ser que no chegue a conhecimento dos mesmos, porm, o comentrio na cidade est puro e cristalino: quanto mais alta a sua funo e mais dinheiro no bolso, a falta de educao tambm se faz presente no comportamento desses cidados. Certamente quem os convidou, depois de ver ao vivo e a cores a falta de educao desses nobres convidados, bem possvel que, se um dia tiver de convid-los novamente, pensaro duas vezes.Claro que no pode e no se deve generalizar. Em se tratando de polticos, nem sempre so todos iguais. H alguns que se salvam. Entretanto, se a Operao Lava Jato demorar muito tempo para concluir suas investigaes, bem possvel que, faltaro locais apropriados para hospedar empresrios, polticos, etc, nas dependncias de algum crcere no territrio nacional. A lista de corruptos que lesaram a Ptria parece no ter fim. A cada dia, um fato novo, uma falcatrua.A Cmara dos Deputados aprovou a maioridade penal para pessoas com 16 anos de idade. Demorou. Porm, antes tarde do que nunca! Muitos parlamentares votaram contra, houve quem no quisesse votar, a maioria votou a favor. Agora falta o Senado da Repblica sacramentar a deciso dos parlamentares para que a Lei possa ser sancionada pela Presidente da Repblica. Tomara tudo isso ainda ocorra ainda em 2015.

    Falta de educao de bero

    A falta de vergonha

    Maioridade Penal

    A questo agora saber qual ser o tamanho da crise econmica e de que forma ela ir impactar os diversos setores da economia e tambm as finanas das pessoas. Tirando o governo atual, qualquer pessoa com um mnimo de conhecimento de economia e finanas, v tranquilamente os sinais da crise por todos os lados. No precisa nem ler revistas e relatrios de consultorias especializadas, basta fazer suas compras mensais em qualquer supermercado, concorda?Um dos principais impactos da crise econmica sobre a vida das pessoas e negcios das empresas a retomada da inflao em um ritmo acelerado, principalmente no

    primeiro semestre. A inflao j est a h muito tempo e vem sendo tratada com lenincia e maquiada atravs de artifcios contbeis que no se sustentaro por muito tempo. Depois das eleies, quando a presidente Dilma Rousseff foi eleita, o resultado disso est sendo um gigantesco salto na inflao com todas as consequncias nefastas que isso pode trazer, a curto, a mdio e a longo prazo, como perda real do poder aquisitivo dos salrios e srios problemas para a cadeia produtiva nacional. A atual situao econmica do Brasil d ntidos sinais de que este o cenrio de todo o ano de 2015.Com a instabilidade na economia, o risco de inadimplncia cresce

    e isso faz com que imediatamente os bancos aumentem a rigidez das suas condies para concesso de crdito. O resultado j est sendo um cenrio muito mais difcil para se obter financiamento nas instituies privadas. Como os bancos pblicos estaro na mesma situao, e at mesmo, por imposies regulatrias, tambm no tero como evitar a reduo de crdito, fazendo assim com que a obteno de emprstimos se transforme em um desafio a mais para as empresas neste momento de crise.A melhor recomendao que se preparem para tempos difceis. Devemos nos preparar sem desespero e desnimo, pois ao contrrio do que muita gente

    imagina, momentos de crise podem ser pocas de grandes oportunidades.Talvez seja o momento de retardar alguns investimentos, adiar decises estratgicas que envolvam expanso de negcios onerosas e esperar para que se tenha uma viso melhor do que est para vir por a. certo que o Brasil no vai parar, mas certamente observaremos uma reduo do nvel de atividade econmica maior ainda do que a que j estamos sentindo nos ltimos meses. Como vimos, no h como evitar a crise econmica de 2015, mais prudncia e muita calma nessa hora certamente iro ajudar voc a sair vivo de toda essa turbulncia que parece ter chegado.

  • VITRINE LAGEANA - LAGES, SEXTA-FEIRA, 21 DE AGOSTO DE 201503DESTAQUE 03

    Nilt

    on W

    olff

    Gug

    u G

    arci

    a

    Lages discute implantao do Instituto de Pesquisa e Planejamento

    ACR comemora as quatro dcadas de atuao em defesa do setor florestal

    Em reunio na tarde de quinta-feira foram abordados vrios assuntos no Gabinete do Prefeito Toni Duarte

    Empresrios reflorestadores membros da Diretoria Executiva da ACR, entidade que representa um segmento de 13% da produo nacional

    Integrantes do Conselho Municipal de Desenvolvimento Territorial foram recebidos pelo prefeito Toni Duarte em seu gabi-nete na quinta-feira (20). Foram abordados assuntos pertinen-tes ao desenvolvimento da rea urbana e rural do municpio e sobre a criao do Instituto de Pesquisa e Planejamento de Lages (IPPL). O esboo do pro-jeto de Lei Complementar foi apresentado ao conselho e, aps

    aprovao, ser encaminhado Cmara de Vereadores.O conselho voltou ativa h cerca de dois anos, aps quatro anos de inatividade. composto por representantes da Cmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Associao Empresarial de Lages (Acil), Instituto de Arquitetos, Associao de Moradores, Asso-ciao Serrana de Deficientes Fsi-cos (Asdef), Conselho Municipal de Patrimnio Cultural (Compac),

    secretrios municipais, entre out-ros. O debate sempre impor-tante para se buscar o entendi-mento, e as questes da cidade uma discusso permanente. O Instituto de Planejamento um sonho a ser realizado e muitos rgos mostram interesse de que seja concretizado, diz o prefeito.O Instituto de Pesquisa e Plane-jamento de Lages ter por finali-dade promover estudos para o planejamento integrado do

    O encontro, marcado para o dia 20 de agosto, s 19 horas, aconte-ceu na Pousada Rural do Sesc, em Lages com a presena do governa-dor do Estado, Raimundo Colombo, do presidente da FIESC, Glauco Jos Corte, alm de outras importantes lideranas polticas e empresari-ais de Santa Catarina, associados e convidados. Todos foram recep-cionados pelo atual presidente da Associao Catarinense de Empre-sas Florestais, Jos Valmir Calori e membros da diretoria.O setor em nmerosFundada em 1975 a ACR tem sede em Lages e hoje congrega 33 das maiores e mais importantes empresas do segmento de base

    florestal de SC. Santa Catarina destaca-se pela produo de toras,

    que so utilizadas nos setores de papel e celulose, mveis, chapas de madeira reconstituda (MDF, MDP, BP e outras), madeira ser-rada e biomassa. A mdia anual da produo catarinense est em cerca de 29 milhes de metros cbicos de toras, que represen-tam 13% da produo nacional.O setor de base florestal catarinense representa 33% da balana comercial e 40% do volume de produtos exportados pelo estado. o 4 maior gera-dor de divisas (R$ 1,63 bilho), ocupa a 2 posio no PIB de Santa Catarina e gera em torno de 90 mil empregos.As empresas associadas ACR so responsveis por mais de 300