Jornalde cristalina (7)

  • View
    1.456

  • Download
    74

Embed Size (px)

Text of Jornalde cristalina (7)

  • JORNAL DE CRISTALINA 1Maio de 2013 ANO III - N 29 - MAIO DE 2013

    Exuberncia marca 3 Top Crystal

    SAMET - SADE E MEDICINA DO TRABALHO - 3612-4546

    Estimadas mes deCristalina:

    Com o respeito e a considerao de sempre me dirijo a todasvocs para desejar-lhes as mais profcuas bnos neste dia toespecial.

    Quero agradecer a Deus por tudo que ele tem feito por cadauma de vocs, dando-lhes sabedoria para educar os filhos econduzir as famlias.

    Vocs so especiais para todos ns.Por isso, Deus vos abenoe hoje e sempre.Parabns!!!!

    VEJA OS DESTAQUES NAS PGINAS DE 4 A 8

    Antonino Camilo de Andrade

  • JORNAL DE CRISTALINA2 Maio de 2013

    EDITORIAL ELIZERBISPO

    Guilherme Castelo Branco advogado dos tra-balhadores de Cristalina e Suplente de Verea-dor pelo Partido Verde

    a semana passada o Po-der Judicirio do Estadode Gois extinguiu uma

    ao de desapropriao que omunicpio de Cristalina mo-via contra diversos muncipespara, pretensamente, fazer umaeroporto. A dita obra seriaaps a Policia Rodoviria, esquerda.

    Da anlise do processo, ajustia observou que a aomovida pela atual gesto mu-nicipal no obedeceu a todosos requisitos necessrios eprevistos na lei, porque, noa instruiu com a publicaoem jornal oficial do Decretode desapropriao, nem aomenos cpia da referida pu-blicao.

    Ademais, na ao, a Prefei-tura de Cristalina indicoucomo proprietrios dos im-

    veis desapropriadospessoas fsicas e jur-dicas que, em verda-de, dois anos depois,descobriu-se da exis-tncia de centenas denovos rus propri-etrios de reas nolocal.

    Mas a justia ob-servou que todas asalienaes de lotes nareferida rea ocorre-ram nas dcadas de1950 e 1960, sendoque o Municpio j ti-nha conhecimentodos reais proprietri-os dos referidos lotesno momento em queajuizou a ao de de-sapropriao e que caberia aopoder pblico expropriante,ao elaborar o Decreto de de-

    Justia extingue ao de desapropriaomovida pelo Municpio de Cristalina

    Observou a justi-a, na sentena queextinguiu a ao dedesapropriao, queh proprietrios es-trangeiros de vriasnacionalidades, inca-pazes e tambm pes-soas que j falece-ram, sendo bvio queem relao aos pro-prietrios falecidos necessria a habilita-o de seus herdeiros,o que aumentariamais ainda o nmerodos litisconsortespassivos nos autos.

    Enfim, uma suces-so de erros dos atosadministrativos e jur-

    dicos da municipalidade que,alm de gerarem gastos inter-minveis aos cidados desa-

    propriados, movimenta o po-der judicirio com aes malfeitas, mal instrudas, procedi-mentos administrativos de de-sapropriao feitos de formaerrada e que, alm de pertur-barem a paz dos cidados de-sapropriados, s trazem perdade tempo e aborrecimentos.

    Eu, se fosse prefeito de Cris-talina, parava de ficar desapro-priando as coisas dos outros.Tem tanta coisa mais importan-te para fazer, como por exem-plo, cuidar do saneamento b-sico da cidade, arrumar o hos-pital para no ficar morrendocriana recm nascida, pagar osservidores em dia, etc, etc, etc.

    Que sirva de lio: proces-so judicial no brincadeira.Tem que fazer direito, cum-prir os ditames legais, senoa justia extingue a ao.

    Li e reli vrias vezes um fragmento de va-lioso texto do jornalista Armando Noguei-ra, referncia jornalstica do Brasil. Alis,sempre gostei de ler seus textos. Lembro-me que, quando ele era diretor de jornalis-mo da Rede Globo, escrevia textos maravi-lhosos, que eram lidos no Globo Esporte eno Jornal Nacional. Na Copa do Mundo de1982 ento, aquela em que a seleo Brasi-leira encantou o mundo sem, sequer, chegar semifinal, enquanto o time jogava em for-ma de poesia, Armando escrevia em formado mais belo futebol.

    E Armando era botafoguense legtimo. Ti-nha orgulho disso. Como eu, como meus fi-lhos Ezequiel e Edvar, como centenas, comomilhares, como milhes. Lendo mais umavez, lembrei de tantas pessoas. De meu tioErasmo Rodrigues Afonseca, que me desper-tou a paixo e o fascnio pelo Botafogo; deFritz Mohn, que em tempos idos, quando noexistia as facilidades de hoje, viajava longasdistncias para ver o brilho da Estrela Solit-ria; de Waldecy, que fez de seu Kasaro e do14 Bis a eterna casa do botafoguense em Cris-talina; de Jeanir, Biro Biro, Marquinho Abroe tantos outros que fazem dos jogos do bota-

    fogo um momento de confraternizao, alegria,devoo...

    , o espao pequeno, me lembra o editor,porque a torcida botafoguense se irmana, seagiganta e faz os outros sentirem inveja, por-que ser botafoguense... Ah! Ser botafoguense...

    Ser que tem algum outro clube mundo afo-ra que tenha tido um jogador que foi batizadocomo a Enciclopdia do Futebol? Ns temos,seu nome no cartrio do registro civil NiltonSantos. Em algum lugar do planeta ser queexistiu algum Man que era conhecido pela

    Feliz Dia das Mes! So os votos de Marquinho Abro

    sapropriao, indicar desdeento os proprietrios que es-tariam sofrendo a ao.

    Uma predestinao celestialtorcida de todos os clubes como Alegria doPovo? S ns o Garrincha. E qual time queteve um jogador que, em Copa do Mundo,ficou conhecido como o Furaco da Copa. So nosso Jairzinho. E o que dizer de Helenode Freitas, Quarentinha, Zagalo, Didi, Ger-son, Tlio, Loco Abreu, Jeferson, Seedorf...?(Reticncias, de novo).

    Mas, voltando ao Armando, quando entreino Maracan, em 22 de janeiro de 2005, mearrepiei e me emocionei ao ver o Botafogobater o Amrica por 3 a 2. S a eu pude en-tender plenamente o que o Armando disse:

    O Botafogo tem tudo a ver comigo: porfora, claro-escuro, por dentro, resplen-dor; o Botafogo supersticioso, eu tambmsou. O Botafogo bem mais que um clube uma predestinao celestial. Seu smbolo uma entidade divina. Feliz da criatura quetem por guia e emblema uma estrela. Por isso que o Botafogo est sempre no caminhocerto. O caminho da luz. Feliz do clube quetem por escudo uma inveno de Deus.

    A certeza que fica, com essas imorredou-ras palavras do inesquecvel Armando, queo Botafogo no um time estadual, regional,nacional ou internacional. interplanetrio.

    N

  • JORNAL DE CRISTALINA 3Maio de 2013

    Participao ativa na comunidadea responsvel e dedicadaatuao legislativa, o ve-reador Luiz Henrique

    Trolle de Barros (PDT) con-tinua mostrando que trabalhacom respeito aos eleitoresque o elegeram e a toda a co-munidade. Assduo s ses-ses e aos trabalhos legisla-tivos, o vereador apresentouindicaes importantes noms de abril, como a que so-licita um convnio entre aPrefeitura e a Accace (Asso-ciao Casa de Cultura deAcordes do Cerrado), para oprojeto de formao musical,com a finalidade de atender50 pessoas, entre crianas eadultos.

    A indicao, tambm assi-nada pelos vereadores Zemarda Garagem, Marcelo Pezo,Daniel do Sindicato, Rosival-do Pelota, Lcia Salles, Ber-nardo Fachinello, Gilso e ZOrlando, teve aprovao un-nime dos presentes e prevuma ajuda de R$ 60,00 men-sais por aluno. O objetivo que sejam atendidos princi-palmente pessoas dos bairroscarentes.

    Bairro CristalIncansvel na atuao par-

    lamentar, Luiz Henrique sereuniu com moradores doBairro Cristal, onde residemaproximadamente 1.000 pes-soas, de acordo com o prpriovereador. Ele ouviu vrias rei-vindicaes durante a reu-nio, como por exemplo a res-peito da falta de saneamentobsico e de fornecimento degua potvel, infraestruturaprecria, inexistncia de se-gurana, dentre outros. Voucaminhar junto com a popu-lao, acompanhando de per-to os problemas tentando re-solv-los ou ameniz-los.Precisamos lutar pela quali-dade de vida de todas as pes-soas, independente de ondemoram, por isso vou continu-ar ouvindo os cidados e co-brando das autoridades com-petentes, falou Luiz Henri-que, que no mede esforospara estar ao lado da popula-o, principalmente dos me-nos favorecidos.

    DNITNa quarta-feira, 17 de

    abril, uma comitiva de sete

    Homenagem s mes

    vereadores, entre eles LuizHenrique, foi at o Departa-mento Nacional de Infraestru-tura de Transporte DNIT emBraslia, onde foi exposto aosupervisor os acidentes trgi-cos ocorridos no municpio,principalmente na BR 040, notrevo que liga a cidade aobairro Cristal.

    Os vereadores, que anteshaviam ido regional de Ca-talo, onde solicitaram insta-lao de lombadas eletrnicase que fossem recuperados osquebra-molas na BR-050,ouviram do supervisor e doengenheiro da unidade doDNIT em Braslia o firmecompromisso de que, no m-ximo, em 40 dias, sero ins-taladas duas barreiras eletr-nicas, uma no km 92, antes dotrevo da pamonha (GO 436),e outra no Km 96, antes dotrevo do bairro Cristal.

    No dia seguinte foi reali-zada uma manifestao popu-lar no trevo da BR-040, ondeos participantes, dentre elesLuiz Henrique e os demaisvereadores, alm de entidadescomo o Rotary Club, ratifica-

    ram o compromisso do super-visor, que veio Cristalina enovamente se comprometeu aconstruir alguns quebra-mo-las, com as devidas placas desinalizao, at que as barrei-ras eletrnicas sejam devida-mente instaladas.

    Quero parabenizar a co-munidade cristalinense por terse mobilizado e reivindicadoos seus direitos e, tambm,parabenizar os vereadores porterem se articulado e busca-

    do solues junto aos rgoscompetentes, lutando pelosinteresses dos cidados cris-talinenses, disse Luiz Hen-rique, que lamentou as perdasde pessoas importantes dasociedade nos trevos de Cris-talina. Sabemos que a perdade tantas pessoas que morre-ram nos trevos so irrepar-veis, e que os familiares so-frem muito com a ausnciados entes queridos que se fo-ram, afirmou o vereador.

    Vereadores e entidades mobilizaram a populao para umamanifestao pacfica no trevo da BR-040

    O deputado federal Roberto Balestra(PP) veio a Cristalina participar do pou-so de folia realizado no dia 8 de maiona Fazenda Jaburu, de propriedade doex-prefeito Castro Neto e Ftima Cas-tro. O vereador Bernardo Fachinello, domesmo partido do deputado, ciceroneouBalestra e lembrou mais uma vez que,atendendo seu pedido, o parlamentar ga-rantiu uma patrola para o municp