Jornalistas em arranjos econômicos independentes de ...· produção no trabalho de jornalistas em

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Jornalistas em arranjos econômicos independentes de ...· produção no trabalho de jornalistas em

  • Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicao 40 Congresso Brasileiro de Cincias da Comunicao Curitiba - PR 04 a 09/09/2017

    1

    Jornalistas em arranjos econmicos independentes de corporaes de mdia:

    mtodos e anlises iniciais1

    Roseli FIGARO2 Cludia NONATO3 Jamir KINOSHITA4

    Universidade de So Paulo, So Paulo, SP

    Resumo O artigo apresenta os procedimentos metodolgicos assumidos pelos pesquisadores do Centro de Pesquisa em Comunicao e Trabalho (CPCT-ECA/USP), trazendo os resultados quantitativos iniciais da pesquisa As relaes de comunicao e as condies de produo no trabalho de jornalistas em arranjos econmicos independentes

    de corporaes de mdia5. A pesquisa pretende analisar as relaes de comunicao e as condies de produo no trabalho jornalstico em arranjos econmicos alternativos s grandes corporaes de mdia. Para tanto, a investigao utilizou o Mapa do Jornalismo Independente, levantamento criado pela Agncia Pblica em 2016, alm da insero de novos dados, incorporados por componentes do grupo, formando um banco de dados, com 181 iniciativas do Brasil e 70 de So Paulo. a partir dele que comea a nossa investigao, cujos primeiros resultados mostram todo tipo de diversidade nas identificaes. Palavra-chave: Jornalismo; arranjos econmicos; jornalismo independente; jornalismo alternativo; triangulao metodolgica.

    1 Trabalho apresentado no GP Teorias do Jornalismo do XVII Encontro dos Grupos de Pesquisa em Comunicao, evento componente do 40 Congresso Brasileiro de Cincias da Comunicao. 2 Professora Livre-docente da Escola de Comunicao e Artes da Universidade de So Paulo e coordenadora do Centro de Pesquisa em Comunicao e Trabalho (CPCT-ECA/USP); e-mail figaro@uol.com.br 3 Professora do Mestrado Profissional em Jornalismo do FIAM-FAAM Centro Universitrio e pesquisadora associada ao CPCT-ECA/USP; e-mail: claudia.nonato@uol.com.br 4 Jornalista, mestrando em Cincias da Comunicao na Escola de Comunicaes e Artes da Universidade de So Paulo e pesquisador do CPCT ECA/USP; e-mail kinoshita.jamir@gmail.com 5Este artigo parte integrante da pesquisa "As relaes de comunicao e as condies de produo no trabalho de jornalistas em arranjos econmicos alternativos s corporaes de mdia" (processo FAPESP 16/06992-3), coordenada por Roseli Fgaro, tendo como pesquisadores associados Cludia Nonato, Fernando Pachi e Rafael Grohmann, e como pesquisadores Alexandre Suenaga, Ana Flvia Marques, Camila Acosta, Jamir Kinoshita, Janana Visibeli Barros, Joo Augusto Moliani, Michelle Roxo, Olvia Bulla e Rafael Bellan.

  • Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicao 40 Congresso Brasileiro de Cincias da Comunicao Curitiba - PR 04 a 09/09/2017

    2

    Introduo

    Nos ltimos anos, diversos pesquisadores tm procurado entender as atuais

    condies de produo do jornalismo e do trabalho do jornalista (Figaro & Nonato,

    2017), os novos modelos produtivos (Hilsenbeck Filho et al, 2016), a mdia alternativa

    (Carvalho & Bronosky, 2017) e os debates sobre a mdia independente (Assis et al,

    2017), entre outros, com o objetivo de compreender as alternativas que esto sendo

    buscadas por esses profissionais em defesa de seu saber fazer na enunciao de um

    discurso jornalstico alternativo e/ou independente. Tal preocupao se d por conta da

    reestruturao das formas de trabalho jornalstico contemporneo, proveniente do

    avano das tecnologias, das consequentes inovaes na rotina jornalstica, e tambm

    pelo desemprego, que faz com que os profissionais adotem e incorporem alternativas de

    trabalho.

    Diante dessas questes, este artigo apresenta os procedimentos metodolgicos e

    os resultados iniciais da pesquisa As relaes de comunicao e as condies de

    produo no trabalho de jornalistas em arranjos econmicos independentes de

    corporaes de mdia, iniciada em 2016 pelos pesquisadores do Centro de Pesquisa em

    Comunicao e Trabalho (CPCT-ECA/USP). O objetivo geral da pesquisa analisar as

    relaes de comunicao e as condies de produo no trabalho jornalstico em

    arranjos econmicos alternativos s grandes corporaes de mdia. Esse objetivo geral

    sinaliza os seguintes problemas de pesquisa: como os jornalistas organizados em

    arranjos econmicos alternativos s corporaes de mdia sustentam sua autonomia no

    trabalho? Como os jornalistas organizados em arranjos econmicos alternativos s

    corporaes de mdia mobilizam os dispositivos comunicacionais a seu dispor para

    instituir novas prescries para o trabalho jornalstico? As prescries formuladas

    nesses arranjos econmicos alternativos instituem relaes de comunicao mais

    democrticas e compartilhadas no processo de trabalho?

    Como resultado, espera-se obter um quadro caracterstico do perfil desses

    arranjos econmicos alternativos s corporaes de mdia e verificar a viabilidade de

    sustentao para o trabalhador jornalista, bem como se as prticas jornalsticas dali

    derivadas podem realmente ser denominadas de alternativas aos conglomerados de

    mdia.

  • Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicao 40 Congresso Brasileiro de Cincias da Comunicao Curitiba - PR 04 a 09/09/2017

    3

    Pesquisa exploratria e tcnica de snowboll: o percurso metodolgico

    A metodologia para desenvolver a busca dessas respostas est definida como

    pesquisa exploratria (Gil, 1994). Segundo o autor,

    As pesquisas exploratrias tm como principal finalidade desenvolver, esclarecer e modificar conceitos e ideias, tendo em vista a formulao de problemas mais precisos ou hipteses pesquisveis para estudos posteriores. (1994, p.27)

    Essa perspectiva metodolgica se mostra a mais adequada porque precisamos

    encontrar, contatar e estudar os arranjos econmicos dos jornalistas para podermos

    classific-los como pertinentes aos nossos objetivos de pesquisa. Ou seja, se eles so

    alternativos, independentes, se produzem jornalismo, se os profissionais se identificam

    como jornalistas e como se sustentam. A pesquisa exploratria permite selecionar

    aqueles arranjos que produzem jornalismo e tentam ter uma vida econmica e produtiva

    alternativa aos conglomerados de mdia. Para conseguirmos explorar esse campo

    desconhecido, novo, mutante, disperso utilizamos a tcnica do snowboll (Baldin &

    Munhoz, 2011). Essa tcnica parte do princpio de que um sujeito pertinente pesquisa

    pode indicar outro, ou que a partir de um determinado grupo identificado outros possam

    s-lo a partir da referncia do primeiro. Adotadas essas medidas para cercar e identificar

    os sujeitos de pesquisa, utilizamos a triangulao de mtodos (Figaro, 2014; Denzin &

    Lincoln, 2006; Jankowski & Wester, 1993) para trabalhar os dados. A triangulao trata

    do cruzamento de dados, autores e/ou objetos de pesquisa. Em nosso caso, utilizamos a

    triangulao de mtodos para recolher e analisar dados, ou seja, snowboll, entrevistas,

    grupos de discusso, levantamento bibliogrfico e anlise de dados secundrios.

    Para aplicar a tcnica do snowboll, partimos do recm-publicado, em 2016,

    Mapa do Jornalismo Independente, criado pela Agncia Pblica. Essa agncia ela

    mesma um de nossos sujeitos de pesquisa. Criada em 2011, tem como misso realizar

    um jornalismo independente, de investigao, com reportagens em profundidade para

    fortalecer a democracia e a cidadania no pas. Sua independncia definida como sem

    ligaes com entidades partidrias, religiosas e empresas de mdia. Essa agncia tem

    inclusive se colocado como um espao para gerar oportunidades para outros

    interessados jornalistas. Fundou uma escola denominada Casa Pblica, que consiste em

  • Intercom Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicao 40 Congresso Brasileiro de Cincias da Comunicao Curitiba - PR 04 a 09/09/2017

    4

    um centro cultural de jornalismo, onde os inscritos e autorizados podem fazer uma

    residncia para compreender e praticar o jornalismo independente. A agncia tem

    financiamento de fundaes internacionais, promove campanhas de crowdfunding e

    recebe doaes do pblico. A iniciativa de construir o Mapa do Jornalismo

    Independente teve o objetivo, segundo divulga o site (http://apublica.org/mapa-do-

    jornalismo/), de mapear as iniciativas de jornalismo independente no Brasil. Conforme

    o texto que segue, os critrios para entrar na seleo realizada pela Pblica foram os

    seguintes:

    A ideia ambiciosa, mas cada vez mais necessria neste momento de ruptura e renascimento que o jornalismo vive: mapear as iniciativas independentes no Brasil. Neste mapa interativo, selecionamos aquelas que nasceram na rede, fruto de projetos coletivos e no ligados a grandes grupos de mdia, polticos, organizaes ou empresas.6

    As iniciativas que foram consideradas pela Pblica obedeceram aos critrios de

    terem nascido na internet, no ser um blog, ou seja, iniciativa individual, mais ligada a

    colunismo ou editorializao, para privilegiar as iniciativas coletivas. importante

    ressaltar o critrio de desvinculao poltico partidria e de grupos empresariais de

    mdia e de outra natureza. O Mapa foi produzido durante pesquisa no perodo do

    segundo semestre de 2015 a maio de 2016.

    Esse levantamento feito pela Pblica tambm utilizou o snowboll, pois partiu de

    contatos e informaes de existncia dessas iniciativas, fez contato com elas via rede e

    solicitou o preenchimento de um questionrio cujas questes bsicas buscam elementos

    identificatrios, tais como nome, objetivos, lo