of 24/24
L I S Z T B R U C K N E R FORTISSIMO Nº 13 — 2016 ALLEGRO VIVACE 14/07 15/07

Julho de 2016 | Allegro e Vivace 7

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Fabio Mechetti, regente Natasha Paremski, piano LISZT | Concerto para piano nº 1 em Mi bemol maior BRUCKNER | Sinfonia nº 9 em ré menor

Text of Julho de 2016 | Allegro e Vivace 7

  • L I S Z

    T B R

    U C K

    N E R

    FORTISSIMO N 13 2016

    ALLEGRO

    VIVACE

    14/07

    15/07

  • MINISTRIO DA CULTURA, GOVERNO DE MINAS GERAIS E CEMIG APRESENTAM

    ALLEGRO

    VIVACE

    14/07

    15/07

  • FO

    TO

    : A

    ND

    R

    FO

    SS

    AT

    I

  • 3Aps triunfal apresentao junto

    Filarmnica no ano passado, com

    prazer que recebemos novamente a

    visita da jovem pianista Natasha Paremski.

    Ela nos brindar com sua verso do

    Primeiro Concerto de Franz Liszt,

    um dos mais importantes compositores

    romnticos que determinaram

    a evoluo da tcnica pianstica

    em toda a sua plenitude.

    A majestosa Nona Sinfonia de Bruckner,

    sua ltima, ser apresentada pela

    primeira vez por nossa Orquestra.

    Poderosa e enigmtica, ela no foi

    terminada pelo compositor austraco,

    Caros amigos e amigas,

    FABIO MECHETTIDiretor Artstico e Regente Titular

    mas a imponncia de seu Adagio

    final mostra a autossuficincia

    dessa grande sinfonia romntica.

    Com este belo programa, a

    Filarmnica busca mostrar a sua

    maturidade como orquestra, ao

    mesmo tempo em que amplia as

    possibilidades de escuta por parte

    daqueles que nos seguem.

    Um bom concerto a todos.

  • 4FO

    TO

    : R

    AF

    AE

    L M

    OT

    TA

    Desde 2008, Fabio Mechetti Diretor Artstico e Regente Titular da Orquestra Filarmnica de Minas Gerais, sendo responsvel pela implementao de um dos projetos mais bem-sucedidos

    no cenrio musical brasileiro. Com seu trabalho, Mechetti

    posicionou a orquestra mineira nos cenrios nacional e internacional

    e conquistou vrios prmios. Com ela, realizou turns pelo

    Uruguai e Argentina e realizou gravaes para o selo Naxos.

    Natural de So Paulo, Fabio Mechetti serviu recentemente como

    Regente Principal da Orquestra Filarmnica da Malsia, tornando-se

    o primeiro regente brasileiro a ser titular de uma orquestra asitica.

    Depois de quatorze anos frente da Orquestra Sinfnica de Jacksonville,

    Estados Unidos, atualmente seu Regente Titular Emrito. Foi

    tambm Regente Titular da Sinfnica de Syracuse e da Sinfnica

    de Spokane. Desta ltima , agora, Regente Emrito.

    Foi regente associado de Mstislav Rostropovich na Orquestra

    Sinfnica Nacional de Washington e com ela dirigiu concertos

    no Kennedy Center e no Capitlio norte-americano. Da

    Orquestra Sinfnica de San Diego, foi Regente Residente.

    Fez sua estreia no Carnegie Hall de Nova York conduzindo a

    Orquestra Sinfnica de Nova Jersey e tem dirigido inmeras orquestras

    norte-americanas, como as de Seattle, Buffalo, Utah, Rochester,

    Phoenix, Columbus, entre outras. convidado frequente dos festivais

  • 5FABIO MECHETTIdiretor artstico e regente titular

    de vero nos Estados Unidos, entre

    eles os de Grant Park em Chicago

    e Chautauqua em Nova York.

    Realizou diversos concertos no Mxico,

    Espanha e Venezuela. No Japo dirigiu

    as orquestras sinfnicas de Tquio,

    Sapporo e Hiroshima. Regeu tambm a

    Orquestra Sinfnica da BBC da Esccia,

    a Orquestra da Rdio e TV Espanhola

    em Madrid, a Filarmnica de Auckland,

    Nova Zelndia, e a Orquestra

    Sinfnica de Quebec, Canad.

    Vencedor do Concurso Internacional de

    Regncia Nicolai Malko, na Dinamarca,

    Mechetti dirige regularmente na

    Escandinvia, particularmente a

    Orquestra da Rdio Dinamarquesa e a

    de Helsingborg, Sucia. Recentemente

    fez sua estreia na Finlndia, dirigindo

    a Filarmnica de Tampere, e na Itlia,

    dirigindo a Orquestra Sinfnica de

    Roma. Em 2016 far sua estreia com a

    Filarmnica de Odense, na Dinamarca.

    No Brasil, foi convidado a dirigir a

    Sinfnica Brasileira, a Estadual de

    So Paulo, as orquestras de Porto

    Alegre e Braslia e as municipais de

    So Paulo e do Rio de Janeiro.

    Trabalhou com artistas como Alicia

    de Larrocha, Thomas Hampson,

    Frederica von Stade, Arnaldo Cohen,

    Nelson Freire, Emanuel Ax, Gil

    Shaham, Midori, Evelyn Glennie,

    Kathleen Battle, entre outros.

    Igualmente aclamado como regente

    de pera, estreou nos Estados Unidos

    dirigindo a pera de Washington.

    No seu repertrio destacam-se

    produes de Tosca, Turandot, Carmem,

    Don Giovanni, Cos fan tutte, La Bohme,

    Madame Butterfly, O barbeiro de

    Sevilha, La Traviata e Otello.

    Fabio Mechetti recebeu ttulos

    de mestrado em Regncia e em

    Composio pela prestigiosa

    Juilliard School de Nova York.

  • 6LB

  • Franz LISZT Concerto para piano n 1 em Mi bemol maior

    Allegro maestoso, Tempo giusto

    Quasi adagio

    Allegretto vivace Allegro animato

    Allegro marziale animato

    Anton BRUCKNERSinfonia n 9 em r menor

    Feierlich, misterioso (Solene, misterioso)

    Scherzo: Bewegt, lebhaft Trio: Schnell (Scherzo: Movido, vivo Trio: Rpido)

    Adagio: Langsam, feierlich (Adagio: Muito lento e solene)

    FABIO MECHETTI, regente

    NATASHA PAREMSKI, piano

    BPROGRAMA

    INTERVALO

  • FO

    TO

    : A

    ND

    RE

    A J

    OY

    NT

    NATASHAPAREMSKI

  • 9Com suas performances pungentes e

    dinmicas, a pianista Natasha Paremski

    revela um virtuosismo que impressiona,

    bem como habilidades interpretativas

    vorazes. Ela segue conquistando

    pblicos com sua sensibilidade

    musical e tcnica perfeita.

    Nascida em Moscou, mudou-se para

    os Estados Unidos aos oito anos e

    cidad norte-americana. Atualmente

    mora em Nova York. Aos dezoito anos

    recebeu o prmio Gilmore Young Artists,

    seguido dos prmios Montblanc e

    Orpheum Stiftung. Em 2010, foi

    escolhida jovem artista do ano pela

    Classical Recording Foundation. Seu

    primeiro disco estreou na nona posio

    da Billboard Traditional Classical.

    Natasha j se apresentou com

    importantes orquestras da Amrica do

    Norte, como as sinfnicas de Dallas,

    de So Francisco, San Diego, Toronto,

    Baltimore, Houston, Nashville, Virgnia,

    Oregon e Colorado, alm da Filarmnica

    de Los Angeles, Orquestra NAC e

    Orquestra de Minnesota. Na Europa

    apresentou-se com a Filarmnica Real,

    Sinfnica de Bournemouth, Orquestra

    Nacional Real Escocesa, orquestras

    Tonknstler, da Bretanha, de Nancy,

    de Tonhalle, Filarmnica Real de

    Liverpool e Filarmnica de Moscou.

    Esteve sob a direo de regentes como

    Peter Oundjian, Andres Orozco-Estrada,

    Jeffrey Kahane, James Gaffigan, Dmitri

    Yablonski, Tomas Netopil, JoAnn Falletta,

    Fabien Gabel e Andrew Litton. Realizou

    turns com Gidon Kremer e a Kremerata

    Baltica pela Letnia, Blgica, Pases

    Baixos, Luxemburgo, Reino Unido e

    ustria. Tambm se apresentou com a

    Sinfnica Nacional de Taiwan, em Taipei.

    Natasha fez recitais no Wigmore Hall,

    no Auditorium do Louvre, no Schloss

    Elmau, no Meany Hall, no Harriman

    Jewell Series, no Teatro Lensic, no

    Ludwigshafen BASF Series, no Teatro

    Clon, no Centro Cultural Musashino e

    nos festivais Mecklenburg-Vorpommern,

    Verbier, Gilmore e Ravinia.

    Seu repertrio na nova msica

    crescente. Por sugesto do compositor,

    interpretou o Concerto para Piano de John

    Corigliano com a Sinfnica do Colorado;

    tem executado peas de Fred Hersch e

    estreou sonata escrita para ela por Gabriel

    Kahane. Os horizontes de Natasha vo

    alm das salas de concerto. Foi a pianista

    do espetculo Danse Concertantes, de

    Benjamin Millepied. Marcou presena

    em filme da BBC Television sobre a vida

    e a obra de Tchaikovsky. Participou das

    filmagens e de apresentaes ao vivo de

    Twin Spirits, projeto sobre o amor e a

    msica de Robert e Clara Schumann.

    Natasha iniciou seus estudos de piano

    aos quatro anos com Nina Malikova na

    Escola de Msica Andreyev, em Moscou.

    Estudou no Conservatrio de Msica

    de San Francisco e no Mannes College

    of Music, onde se formou com Pavlina

    Dokovska. Estreou aos nove anos com a

    El Camino Youth Symphony, na Califrnia.

  • 10LHungria, atual ustria, 1811 Alemanha, 1886No foi no concerto, na sonata ou na sinfonia que Liszt encontrou o caminho mais frtil para se exprimir, embora tenha deixado obras emblemticas desses gneros: a Sonata para piano em si menor, a Sinfonia Fausto e, claro, os dois concertos para piano. O fato que, para uma mentalidade to intensamente romntica como a sua, no lhe bastariam as formas, estruturas e gneros clssicos, a no ser que pudessem ser transcendidos. Da a grande relevncia que tm, por um lado, a sua prdiga obra para piano solo, que prope muitas exploraes formais, harmnicas e lingusticas, para alm dos limites clssicos; da tambm, por razes anlogas, o monumento em que se constituem seus poemas sinfnicos. Quando Liszt se dedica a gneros indissociavelmente ligados ao universo clssico, seu esprito inquieto o faz procurar possibilidades de abertura, para que suas obras no sucumbam mera reproduo de modelos preestabelecidos. Surgem, dessa procura, resultados sempre inovadores. No , portanto, nos grandes modelos da msica concertante que Liszt busca fundamentalmente parmetros para seu primeiro concerto para piano, mas no poema sinfnico, gnero que ele prprio ajudou a consolidar. H mesmo quem veja, no primeiro concerto, maneira do poema sinfnico, um programa certo esquema psicolgico. Se isso h ou no, , porm, o menos importante. Muito mais relevante o emprego, aqui, da forma cclica, tcnica de composio na qual os vrios movimentos de uma mesma obra so elaborados a partir dos mesmos materiais temticos. Para isso, os temas tm que ser flexveis o suficiente para poderem sofrer verdadeiros processos de metamorfose, sem que, porm, percam por completo a sua identidade essencial. Se isso j se encontra, em maior ou menor grau, nos processos clssicos de desenvolvimento temtico, a forma cclica permite que esses mesmos processos transcendam os limites impostos por quaisquer rigores formais.Franz

    LISZTCONCERTO PARA PIANO N 1 EM MI BEMOL MAIOR (1848/1857)

    19 min

  • LINSTRUMENTAO

    Piccolo, 2 flautas, 2 obos, 2 clarinetes, 2 fagotes, 2 trompas, 2 trompetes,

    3 trombones, tmpanos, percusso, cordas.

    PARA OUVIRCD Liszt Concerto para piano n 1

    Orquestra Sinfnica de Londres Claudio Abbado, regente Martha Argerich, piano

    Deutsche Grammophon 1996

    PARA ASSISTIRChristoph von Dohnnyi, regente - Martha

    Argerich, piano | Acesse: fil.mg/lpiano1

    PARA LERErnst Burger Franz Liszt: a chronicle of his

    life in pictures and documents Princeton University Press 1989

    No primeiro concerto de Liszt,

    alguns temas bsicos percorrem a

    obra, assegurando-lhe a coeso e

    interligando os quatro movimentos

    (no trs, como no modelo vienense

    clssico). Ademais, uma maneira

    inovadora de tratar a instrumentao,

    que incorpora elementos camersticos

    expresso sinfnica, ou que d ateno

    especial a certas combinaes inditas

    e a certos timbres at ento pouco

    explorados (como o uso expressivo

    do tringulo, em dilogo com o

    piano, no terceiro movimento), tudo

    isso faz com que essa obra ainda soe

    surpreendentemente moderna.

    Talvez por esse desejo (ao final,

    muito bem-sucedido) de transcender

    os padres clssicos o primeiro

    concerto de Liszt tenha tido empenho

    to laborioso. Foram mais de duas

    dcadas de trabalho na partitura: os

    temas principais datam de 1830; a

    verso inicial do concerto foi concluda

    em 1849; em 1855 o compositor a

    estreou em Weimar, ele mesmo como

    solista, sob a batuta de Hector Berlioz!

    A verso definitiva, porm, data de 1857.

    Por trs do brilhante virtuosismo

    do solista e de seu melodismo to

    encantadoramente acessvel, por

    trs de uma aparncia quase

    extrovertida revela-se um trabalho

    monumental, proftico no seu

    tempo e atual ainda hoje.

    11

    MOACYR LATERZA FILHO Pianista e cravista, Doutor em Literaturas de Lngua Portuguesa, professor da Universidade do Estado de Minas Gerais e da Fundao de Educao Artstica.

  • 12 Bustria, 1824 1896Em novembro de 1894, aps longos perodos de interrupo, Bruckner terminou o Adagio, terceiro movimento de sua ltima sinfonia, dedicada ao amado Deus. Doente, trabalhou ainda dois anos, sem conseguir concluir o Finale, deixado sob a forma de mltiplos rascunhos. Alguns compositores propuseram complementaes para esse quarto movimento... O tempo, entretanto, consagrou a Sinfonia na forma tripartida, finalizando-a com o soberbo Adagio, repleto de misticismo. Bruckner sempre comps para a glria de Deus e, sob esse aspecto, sua arte lembra a de Bach e antecede a de Messiaen. Mstico gtico extraviado no sculo XIX (nas palavras de Wilhelm Furtwngler), Bruckner criou tanto a missa-sinfonia quanto a sinfonia religiosa.Aos treze anos o compositor perdeu o pai e, na condio de rfo e cantor, foi admitido como aluno no deslumbrante mosteiro barroco de So Floriano, em meio a uma paisagem idlica e obras de arte estupendas dos sculos XVII e XVIII. Bruckner recordaria com carinho esses anos felizes durante toda a vida permaneceu devotado e submisso aos ensinamentos religiosos dos monges que o educaram e nunca deixou de visitar com frequncia o mosteiro, onde buscava serenidade espiritual para compor.Escrita no mesmo tom da Nona de Beethoven e do Requiem de Mozart, a ltima sinfonia de Bruckner seu testamento musical. Os blocos sonoros orquestrais, de coloraes diferenciadas, se inspiram claramente na escrita para o rgo, instrumento sacro por excelncia. O primeiro movimento, Feierlich, misterioso, possui trs temas principais, antecedidos por longo preldio. Aps amplo motivo anunciado por oito trompas em crescendo e diminuendo, o tema principal aparece em fortssimos tutti de oitavas descendentes. O lrico e expressivo segundo tema, confiado inicialmente aos violinos em piano, desdobra-se em seguida no trompete. O terceiro motivo temtico apresenta dois elementos um em r menor, o outro em Anton

    BRUCKNERSINFONIA N 9 EM R MENOR (1894) 63 min

  • B13INSTRUMENTAO

    3 flautas, 3 obos, 3 clarinetes, 3 fagotes, contrafagote, 8 trompas, 4 tubas wagnerianas, 3 trompetes,

    3 trombones, tuba, tmpanos, cordas.

    PARA OUVIRCD Bruckner The complete Symphonies 1-9

    Staatskapelle Dresden Eugen Jochum, regente EMI Records Classics Ud. 1995

    PARA ASSISTIROrquestra Filarmnica de Berlim

    Claudio Abbado, regente Acesse: fil.mg/bsinf9

    PARA LEROtto Maria Carpeaux Uma nova histria da

    msica 2 ed. Edies de Ouro 1968

    Franois-Ren Tranchefort Guia da Msica Sinfnica Editora Nova Fronteira 1990

    Sol bemol maior. O desenvolvimento

    utiliza todo esse material temtico

    em um contnuo crescendo. Na

    reexposio, os temas principais

    aparecem ordenados e, entregues aos

    metais, adquirem poderosa intensidade.

    O belssimo Scherzo tem carter

    fantstico, vivo. Seu realismo sonoro

    o difere totalmente dos outros

    movimentos. A extravagncia dos

    temas, as harmonias inesperadas

    e a aspereza tmbrica criam

    uma ambientao apocalptica.

    Emoldurado por esse clima aterrador,

    o contrastante Trio central, lrico

    e pastoral, parece relembrar um

    passado para sempre perdido.

    O Adagio, muito lento e solene,

    possui a estrutura de um rond,

    apesar da exposio em forma

    sonata. Sentimentos penetrantes

    impulsionam os temas principais e

    as ideias secundrias, descortinando

    toda uma vida. As inmeras citaes

    de motivos provenientes de obras

    anteriores do compositor missas

    e sinfonias reforam o clima

    de recordao e despedida. Aps

    tantas reminiscncias, o ltimo tutti

    orquestral abre-se para a eternidade

    com exuberante sentimento de triunfo

    e xtase mstico Dona nobis pacem.

    PAULO SRGIO MALHEIROS DOS SANTOS

    Pianista, Doutor em Letras, professor na UEMG, autor dos livros Msico, doce msico e O gro perfumado Mrio de Andrade e a arte do inacabado. Apresenta o programa semanal Recitais Brasileiros, pela Rdio Inconfidncia.

  • 14

    FO

    TO

    : E

    UG

    N

    IO S

    V

    IO

    Anuncio Cemig.indd 1 25/05/2016 09:46:33

  • 15

    Anuncio Cemig.indd 1 25/05/2016 09:46:33

  • * principal ** principal associado *** principal assistente **** msico convidado

    DIRETOR ARTSTICO E REGENTE TITULAR

    Fabio Mechetti

    REGENTE ASSOCIADO

    Marcos Arakaki

    Orquestra Filarmnica de Minas Gerais

    PRIMEIROS VIOLINOS Anthony Flint SpallaRommel Fernandes Spalla AssociadoAra Harutyunyan Spalla AssistenteAna Paula SchmidtAna ZivkovicArthur Vieira TertoBojana PantovicDante BertolinoHyu-Kyung JungJoanna BelloRoberta ArrudaRodrigo BustamanteRodrigo M. BragaRodrigo de Oliveira

    SEGUNDOS VIOLINOSFrank Haemmer *Leonidas Cceres ***Gideni LoamirJovana TrifunovicLuka MilanovicMartha de Moura PacficoMatheus BragaRadmila BocevRodolfo ToffoloTiago EllwangerValentina Gostilovitch

    VIOLASJoo Carlos Ferreira *Roberto Papi ***Flvia MottaGerry VaronaGilberto Paganini Juan DazKatarzyna DruzdLuciano GatelliMarcelo NbiasNathan Medina

    VIOLONCELOSPhilip Hansen *Felix Drake ***Camila PacficoCamilla RibeiroEduardo SwertsEmilia NevesLina RadovanovicRobson FonsecaWilliam Neres

    CONTRABAIXOSNilson Bellotto *Marcelo CunhaMarcos LemesPablo GuiezRossini ParucciWalace Mariano

    FLAUTASCssia Lima *Renata Xavier ***Alexandre BragaElena Suchkova

    OBOSAlexandre Barros *Ravi Shankar ***Israel MunizMoiss Pena

    CLARINETESMarcus Julius Lander *Jonatas Bueno ***Ney FrancoAlexandre Silva

    FAGOTESCatherine Carignan *Victor Morais ***Andrew HuntrissFrancisco Silva

    TROMPASAlma Maria Liebrecht *Evgueni Gerassimov ***Gustavo Garcia Trindade Jos Francisco dos SantosLucas Filho Fabio OgataAndr Gonalves ****Priscilla Viana ****

    TROMPETESMarlon Humphreys *rico Fonseca **Daniel Leal ***Tssio FurtadoTROMBONESMark John Mulley *Diego Ribeiro **Wagner Mayer ***Renato Lisboa

    TUBAEleilton Cruz *

    TMPANOSPatricio Hernndez Pradenas *

    PERCUSSO Rafael Alberto *Daniel Lemos ***Srgio AluottoWerner Silveira

    HARPAGiselle Boeters *

    TECLADOSAyumi Shigeta *

    GERENTE Jussan Fernandes

    INSPETORAKarolina Lima

    ASSISTENTE ADMINISTRATIVA Dbora Vieira

    ARQUIVISTAAna Lcia Kobayashi

    ASSISTENTESClaudio StarlinoJnatas Reis

    SUPERVISOR DE MONTAGEMRodrigo Castro

    MONTADORESAndr BarbosaHlio SardinhaJeferson SilvaKlnio CarvalhoRisbleiz Aguiar

  • 17Ilustraes: Mariana Simes

    FORTISSIMO julho n 13 / 2016 ISSN 2357-7258

    EDITORA Merrina Godinho Delgado

    EDIO DE TEXTO Berenice Menegale

    Conselho Administrativo

    PRESIDENTE EMRITO Jacques Schwartzman

    PRESIDENTE Roberto Mrio Soares

    CONSELHEIROS Angela Gutierrez Berenice MenegaleBruno VolpiniCelina SzrvinskFernando de Almeidatalo GaetaniMarco Antnio PepinoMauricio FreireMauro BorgesOctvio ElsioPaulo BrantSrgio Pena

    Diretoria Executiva

    DIRETOR PRESIDENTE Diomar Silveira

    DIRETOR ADMINISTRATIVO-FINANCEIROEstvo Fiuza

    DIRETORA DE COMUNICAO Jacqueline Guimares Ferreira

    DIRETORA DE MARKETING E PROJETOS Zilka Carib

    DIRETOR DE OPERAES Ivar Siewers

    DIRETOR DE PRODUO MUSICAL Kiko Ferreira

    Equipe Tcnica

    GERENTE DE COMUNICAO Merrina Godinho Delgado

    GERENTE DE PRODUO MUSICAL Claudia da Silva Guimares

    ASSESSORA DE PROGRAMAO MUSICALGabriela Souza

    PRODUTORES Luis Otvio RezendeNarren Felipe

    ANALISTAS DE COMUNICAO Marciana Toledo (Publicidade) Mariana Garcia (Multimdia)Renata GibsonRenata Romeiro (Design grfico)

    ANALISTA DE MARKETING DE RELACIONAMENTO Mnica Moreira

    ANALISTAS DE MARKETING E PROJETOSItamara KellyMariana Theodorica

    ASSISTENTE DE MARKETING DE RELACIONAMENTO Eularino Pereira

    ASSISTENTE DE PRODUO Rildo Lopez

    Equipe Administrativa

    GERENTE ADMINISTRATIVO-FINANCEIRA Ana Lcia Carvalho

    GERENTE DE RECURSOS HUMANOSQuzia Macedo Silva

    ANALISTAS ADMINISTRATIVOS Joo Paulo de OliveiraPaulo Baraldi

    ANALISTA CONTBIL Graziela Coelho

    SECRETRIA EXECUTIVAFlaviana Mendes

    ASSISTENTE ADMINISTRATIVACristiane Reis

    ASSISTENTE DE RECURSOS HUMANOSVivian Figueiredo

    RECEPCIONISTA Lizonete Prates Siqueira

    AUXILIAR ADMINISTRATIVO Pedro Almeida

    AUXILIARES DE SERVIOS GERAIS Ailda ConceioMrcia Barbosa

    MENSAGEIROSBruno RodriguesDouglas Conrado

    MENOR APRENDIZMirian Cibelle

    Sala Minas Gerais

    GERENTE DE INFRAESTRUTURA Renato Bretas

    GERENTE DE OPERAES Jorge Correia

    TCNICO DE UDIO E ILUMINAOMauro Rodrigues

    TCNICO DE ILUMINAO E UDIO Rafael Franca

    ASSISTENTE OPERACIONALRodrigo Brando

    Instituto Cultural Filarmnica

    GOVERNADOR DO ESTADO DE MINAS GERAISFernando Damata Pimentel

    VICE-GOVERNADOR DO ESTADO DE MINAS GERAISAntnio Andrade

    (Oscip Organizao da Sociedade Civil de Interesse Pblico Lei 14.870 / Dez 2003)

    SECRETRIO DE ESTADO DE CULTURA DE MINAS GERAISAngelo Oswaldo de Arajo Santos

    SECRETRIO ADJUNTO DE ESTADO DE CULTURA DE MINAS GERAISJoo Batista Miguel

  • FO

    TO

    : A

    LE

    XA

    ND

    RE

    RE

    ZE

    ND

    E

  • VISITE A CASA VIRTUAL DA NOSSA ORQUESTRA

    www.filarmonica.art.brFILARMNICA ONLINE

    FORA DE SRIE

    ALLEGRO VIVACE

    CONCERTOS jul

    Veja detalhes em filarmonica.art.br/concertos/agenda-de-concertos.

    3 / jul, 11hForma Sonata

    7 e 8 / jul, 20h30Santoro, Szymanowski, Brahms

    14 e 15 / jul, 20h30Liszt, Bruckner

    16 / jul, 20hSabar

    23 / jul, 18hMozart Rivais e contemporneos

    28 e 29 / jul, 20h30Guarnieri, Nobre

    JUVENTUDE

    Para que sua noite seja ainda mais especial, nos dias de concerto, apresente seu ingresso no restaurante Haus Mnchen e, na compra de um prato principal, ganhe outro de igual ou menor valor.

    Rua Juiz de Fora, 1.257, pertinho da Sala Minas Gerais.

    PRESTOVELOCE

    PRESTOVELOCE

    Sries de assinatura: Allegro, Vivace, Presto, Veloce, Fora de Srie Concertos para a Juventude

    Clssicos na Praa

    Concertos Didticos

    Festival Tinta Fresca

    Laboratrio de Regncia

    Turns estaduais

    Turns nacionais e internacionais

    Concertos de Cmara

    Visite filarmonica.art.br/filarmonica/sobre-a-filarmonica e conhea cada uma delas.

    CONHEA AS APRESENTAES DA FILARMNICA

    pera

    ltimo captulo

    FORA DE SRIEMOZART EM DOSE DUPLA

    Uma boa notcia para os amantes de Mozart.

    Dois concertos da srie Fora de Srie sero repetidos. Em agosto, a pera

    semiencenada Cos fan tutte acontecer nos dias 20 e 21. E em dezembro, o ltimo concerto da srie, com grandes obras, entre elas o Requiem, acontecer nos dias 9 e 10.

    Como em todas as apresentaes da srie, os ingressos comearo a ser vendidos um ms antes da data do concerto.

    sbado, 18hdomingo, 18h

    sexta, 20h30 sbado, 18h

    20 AGO21 AGO

    09 DEZ10 DEZ

    Fique de olho em filarmonica.art.br/ingressos.

    TURN ESTADUAL

    apresentao extra

    apresentao extra

  • 21

    PARA APRECIAR UM CONCERTO

    CONCERTOS COMENTADOSAgora voc pode assistir a palestras sobre temas dos concertos das sries Allegro, Vivace, Presto e Veloce. Elas acontecem na Sala de Recepes, esquerda do foyer principal, das 19h30 s 20h, para as primeiras 65 pessoas a chegar.

    CUMPRIMENTOSAps o concerto, caso queira cumprimentar os msicos e convidados, dirija-se Sala de Recepes.

    ESTACIONAMENTOPara seu conforto e segurana, a Sala Minas Gerais possui estacionamento, e seu ingresso d direito ao preo especial de R$ 15 para o perodo do concerto.

    PONTUALIDADE Uma vez iniciado um concerto, qualquer movimentao perturba a execuo da obra. Seja pontual e respeite o fechamento das portas aps o terceiro sinal. Se tiver que trocar de lugar ou sair antes do final da apresentao, aguarde o trmino de uma pea.

    APARELHOS CELULARESConfira e no se esquea, por favor, de desligar o seu celular ou qualquer outro aparelho sonoro.

    FOTOS E GRAVAES EM UDIO E VDEONo so permitidas durante os concertos.

    APLAUSOSAplauda apenas no final das obras. Veja no programa o nmero de movimentos de cada uma e fique de olho na atitude e gestos do regente.

    CONVERSAA experincia do concerto inclui o encontro com outras pessoas. Aproveite essa troca antes da apresentao e no seu intervalo, mas nunca converse ou faa comentrios durante a execuo das obras. Lembre-se de que o silncio o espao da msica.

    CRIANASCaso esteja acompanhado por criana, escolha assentos prximos aos corredores. Assim, voc consegue sair rapidamente se ela se sentir desconfortvel.

    COMIDAS E BEBIDASSeu consumo no permitido no interior da sala de concertos.

    TOSSEPerturba a concentrao dos msicos e da plateia. Tente control-la com a ajuda de um leno ou pastilha.

    0 PROGRAMA DE CONCERTOS

    O Fortissimo uma publicao indexada aos sistemas nacionais e internacionais de catalogao. Elaborado com a participao de especialistas, ele oferece uma oportunidade a mais para se conhecer msica. Desfrute da leitura e estudo. Mas, caso no precise dele aps o concerto, por favor, devolva-o nas caixas receptoras para que possamos reaproveit-lo.

    O Fortissimo tambm est disponvel no formato digital em nosso sitewww.filarmonica.art.br.

  • DIVULGAO

    PATROCNIO MSTER

    PATROCNIO

    APOIO INSTITUCIONAL

    MANTENEDOR

    REALIZAO

    /filarmonicamg @filarmonicamg /filarmonicamg

    SALA MINAS GERAIS

    Rua Tenente Brito Melo, 1.090 | Barro Preto | CEP 30.180-070 | Belo Horizonte - MG

    (31) 3219.9000 | Fax (31) 3219.9030

    WWW.FILARMONICA.ART.BR

    /filarmonicamg

    CO

    MU

    NIC

    A

    O

    IC

    F