of 240 /240
JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2015 Rio de Janeiro - RJ - 2016

JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO … · TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO RELATÓRIO DE GESTÃO DO EXERCÍCIO DE 2015 Relatório de Gestão do exercício

  • Author
    dobao

  • View
    235

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of JUSTIÇA ELEITORAL TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO … · TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE...

  • JUSTIA ELEITORAL

    TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO

    RELATRIO DE GESTO DO EXERCCIO DE 2015

    Rio de Janeiro - RJ - 2016

  • 2

    JUSTIA ELEITORAL

    TRIBUNAL REGIONAL ELEITORAL DO RIO DE JANEIRO

    RELATRIO DE GESTO DO EXERCCIO DE 2015

    Relatrio de Gesto do exerccio de 2015 apresentado aos

    rgos de controle interno e externo e sociedade como

    prestao de contas anual a que esta Unidade Jurisdicionada

    est obrigada nos termos do pargrafo nico do art. 70 da

    Constituio Federal, elaborado de acordo com as

    disposies da IN TCU n 63/2010, da DN TCU n 146/2015

    e da Portaria TCU n 321/2015 e das orientaes do rgo de

    controle interno.

    Assessoria de Planejamento Estratgico e Gesto

    Diretoria-Geral

    TRE-RJ

    Rio de Janeiro - RJ 2016

  • 3

    LISTA DE SIGLAS E ABREVIAES

    A3P Agenda Ambiental na Administrao Pblica

    ABATERJ Associao Beneficente de Amigos do Tribunal de Justia do Estado do Rio de

    Janeiro

    ASCOM Assessoria de Comunicao Social

    ASE Atualizao da Situao do Eleitor

    ASPLAN Assessoria de Planejamento Estratgico e Gesto

    BSC Balanced Scorecard

    CAE Central de Atendimento ao Eleitor

    CCJE Centro Cultural da Justia Eleitoral

    CCS Cadastro Nacional de Clientes do Sistema Financeiro Nacional

    CDTIC Comit Diretor de Tecnologia da Informao e Comunicao

    CGE Corregedoria Geral da Justia Eleitoral

    CIC Sistema de Controle Integrado de Custos

    CNJ Conselho Nacional de Justia

    CNPJ Cadastro Nacional da Pessoa Jurdica

    COCEP Coordenadoria de Contas Eleitorais e Partidrias

    COENG Coordenadoria de Engenharia

    COFOR Coordenadoria de Formao e Gesto de Contratos

    COGEA Coordenadoria de Controle de Gesto e Auditoria

    COINF Coordenadoria de Infraestrutura

    COLOG Coordenadoria de Logstica

    COMACE Comisso Multidisciplinar de Acessibilidade

    COMAP Coordenadoria de Material e Patrimnio

    COMLURB Companhia Municipal de Limpeza Urbana

    ComSI/TRE-

    RJ

    Comisso Permanente de Segurana da Informao da Justia Eleitoral do Rio de

    Janeiro

    COSEG Coordenadoria de Servios Gerais

    COSEL Coordenadoria de Sistemas Eleitorais

    COSO Committee of Sponsoring Organizations of the Treadway Commission

    CPDIS Comisso Permanente de Processo Disciplinar

    CPS Comisso de Pesquisa de Satisfao do Cliente Externo

    CRC Conselho Regional de Contabilidade

    CRE Corregedoria Regional Eleitoral

    DBR Declarao de Bens e Rendas

    DG Diretoria Geral

    DJe Dirio da Justia Eletrnico

    EAD Educao a Distncia

    EJE Escola Judiciria Eleitoral

    EMERJ Escola de Magistratura do Estado do Rio de Janeiro

    GP Gabinete da Presidncia

    IN Instruo Normativa

    INCRA Instituto Nacional de Colonizao e Reforma Agrria

    IPCA ndice Nacional de Preos ao Consumidor Amplo

    JUCERJA Junta Comercial do Estado do Rio de Janeiro

    LOA Lei Oramentria Anual

    MASP Mdulo de Acompanhamento das Sesses Plenrias

    MPE Ministrio Pblico Eleitoral

  • 4

    MPOG Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto

    NUAD Ncleo Administrativo do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro

    OFSS Oramento Fiscal e de Seguridade Social

    OI Oramento de Investimento

    PAA Plano Anual de Auditoria

    PAC Plano Anual de Capacitao

    PCASP Plano de Contas Aplicado ao Setor Pblico

    PDTI Plano Diretor de Tecnologia da Informao

    PETI Plano Estratgico de Tecnologia da Informao

    PIE Planejamento Integrado das Eleies

    PJE Processo Judicial Eletrnico

    PLS-TRE-RJ Plano de Logstica Sustentvel do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro

    PPA Plano Plurianual

    PQVT Programa Qualidade de Vida no Trabalho

    PSI/TRE-RJ Poltica de Segurana da Informao do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de

    Janeiro

    PUC-RJ Pontifcia Universidade Catlica do Rio de Janeiro

    RAD Rotina Administrativa

    RAE Requerimento de Alistamento Eleitoral

    RAE Reunies de Anlise da Estratgia

    RC Rotina Cartorria

    RMMA Relatrio de Movimentao Mensal do Almoxarifado

    RP Restos a Pagar

    SAD Secretaria de Administrao

    SAD Sistema de Apurao de Dbitos

    SADP Sistema de Acompanhamento de Documentos e Processos

    SCI Secretaria de Controle Interno e Auditoria

    SEALMO Seo de Almoxarifado

    SECADE Seo de Cadastro de Eleitores

    SECTRA Seo de Transportes

    SEDIPO Seo de Direitos Polticos

    SEDSIS Seo de Desenvolvimento de Sistemas

    SEINTE Seo de Administrao Intranet - Internet

    SLTI Secretaria de Logstica e Tecnologia da Informao

    SEPREL Seo de Processamento de Eleies

    SESERG Seo de Conservao e Servios Gerais

    SECEX Secretaria de Controle Externo

    SGP Secretaria de Gesto de Pessoas

    SIAFI Sistema Integrado de Administrao Financeira

    SIASG Sistema Integrado de Administrao de Servios Gerais

    SICEL Sistema de Inspees e Correies Eleitorais

    SICONV Sistema de Gesto de Convnios e Contratos de Repasse

    SIGEPRO Sistema de Acompanhamento e Gerenciamento da Proposta Oramentria

    SIORG Sistema de Informaes Organizacionais do Governo Federal

    SJD Secretaria Judiciria

    SOF Secretaria de Oramento e Finanas

    SPIUnet Sistema de Registro dos Imveis de Uso Especial da Unio

    SPU Secretaria do Patrimnio da Unio

    SSG Secretaria de Manuteno e Servios Gerais

    STI Secretaria de Tecnologia da Informao

  • 5

    STN Secretaria do Tesouro Nacional

    TCA Termo Circunstanciado Administrativo

    TCU Tribunal de Contas da Unio

    TI Tecnologia da Informao

    TIC Tecnologia da Informao e Comunicao

    TJ Tribunal de Justia

    TRE Tribunal Regional Eleitoral

    TRE-RJ Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro

    TSE Tribunal Superior Eleitoral

    UG Unidade Gestora

    UJ Unidade Jurisdicionada

    UPC Unidade Prestadora de Contas

  • 6

    LISTA DE QUADROS

    Quadro 2.4.1 Informaes sobre reas ou subunidades estratgicas 24

    Quadro 3.3.1.1.1 Aes de responsabilidade da UPC OFSS 47

    Quadro 3.3.1.2.1 Aes no Previstas na LOA do exerccio - Restos a Pagar OFSS 64

    Quadro 3.3.2.1 Restos a pagar inscritos em exerccios anteriores 65

    Quadro 3.3.3.1 Despesas por modalidade de contratao (UO TRE/RJ) 66

    Quadro 3.3.3.2 Despesas por grupo e elemento de despesa (UO TRE/RJ) 67

    Quadro 3.3.3.3 Despesas por modalidade de contratao (UO TSE) 70

    Quadro 3.3.3.4 Despesas por grupo e elemento de despesa (UO TSE) 71

    Quadro 7.1.1.1 Fora de Trabalho da UPC 115

    Quadro 7.1.1.2 Distribuio da Lotao Efetiva 116

    Quadro 7.1.1.3 Detalhamento da estrutura de cargos em comisso e funes gratificadas

    do TRE-RJ 117

    Quadro 7.1.2.1 Demonstrativo das despesas com pessoal 119

    Quadro 7.1.4.1 Contratos de prestao de servios no abrangidos pelo plano de cargos

    da unidade 122

    Quadro 7.5.1.1 Relao dos Diretrios de Partidos no Estado 146

    Quadro 7.5.1.2 Cotas do Fundo Partidrio recebidas pelos diretrios estaduais dos

    partidos 149

    Quadro 7.5.1.3 Diretrios estaduais que prestaram contas relativas ao exerccio anterior

    ao de referncia do relatrio de gesto 150

    Quadro 7.5.1.4 Diretrios estaduais que NO prestaram contas relativas ao exerccio

    anterior ao do relatrio (2014) 151

    Quadro 7.5.1.5 Julgamento das contas dos diretrios estaduais dos partidos 152

    Quadro 8.6.1 Despesas com publicidade em 2015 164

  • 7

    LISTA DE FIGURAS

    Figura 1 Cadeia de Valor do TRE-RJ 30

    Figura 2 Mapa Estratgico do TRE-RJ (Res. TRE-RJ n 832/2012) 33

    Figura 3 Formulrio de Pesquisa para o pblico das Zonas/CAES e Secretaria Judiciria 103

    Figura 4 Questionrio utilizado na pesquisa com o pblico da INTERNET 104

    LISTA DE TABELAS

    Tabela 1 Desempenho dos objetivos estratgicos em 2015 37

    Tabela 2 Eleitorado do Estado do Rio de Janeiro (abril/2016) 38

    Tabela 3 Quantidade de atendimentos decorrentes da administrao do Cadastro Eleitoral 38

    Tabela 4 Matriz de alinhamento do Plano Estratgico do TRE-RJ (Res. TRE-RJ n

    832/2012) 43

    Tabela 5 Quantitativo de servidores da Secretaria de Controle Interno e Auditoria, por

    unidade 86

    Tabela 6 Auditorias realizadas em 2015, por objeto de fiscalizao 88

    Tabela 7 ndice de satisfao mdio, por Polo, no ano de 2015 pblico dos cartrios 105

    Tabela 8 Menu de acesso a informaes de interesse da sociedade no Portal do TRE-RJ 108

    Tabela 9 Despesas com programa de estgio e quantitativo de estagirios em 2014 125

    Tabela 10 Despesas com programa de estgio e quantitativo de estagirios em 2015 126

    Tabela 11 Quantidade, idade e quilometragem anual da frota de veculos do TRE-RJ, por

    classificao 127

    Tabela 12 Custo anual de manuteno da frota de veculos do TRE-RJ 128

    Tabela 13 Veculos inservveis ou antieconmicos da frota do TRE-RJ 129

    Tabela 14 Aes de capacitao de TIC demandadas para o exerccio de 2015 134

    Tabela 15 Aes de capacitao de TIC realizadas no exerccio de 2015 135

    Tabela 16 Quantitativo de pessoas que compe a fora de trabalho de TI 135

    Tabela 17 Sistemas de informao relacionados ao Macroprocesso Gerir Cadastro de

    Eleitores 139

    Tabela 18 Sistemas de informao relacionados ao Macroprocesso Realizar Eleio 139

    Tabela 19 Sistemas de informao relacionados ao Macroprocesso Realizar Prestao

    Jurisdicional em Matria Eleitoral 140

    Tabela 20 Sistemas de informao relacionados ao Macroprocesso Informar e Orientar a

    Sociedade 140

    Tabela 21 Quantitativo de recomendaes do TCU recebidas e atendidas em 2015 153

    Tabela 22 Principais recomendaes expedidas pela unidade de controle interno em 2015 154

    LISTA DE GRFICOS

    Grfico 1 Satisfao dos Usurios Externos do TRE-RJ 2013-2015 105

  • 8

    LISTA DE ANEXOS

    Anexo I Estrutura dos Macroprocessos Finalsticos na Arquitetura de Processos 166

    Anexo II Subunidades responsveis e Parceiros relacionados aos Macroprocessos

    Finalsticos 168

    Anexo III Indicadores Estratgicos do TRE-RJ 170

    Anexo IV Iniciativas que integram o portflio de projetos estratgicos do TRE-RJ 213

    Anexo V Indicadores ambientais do TRE-RJ (Agenda Ambiental) 215

    Anexo VI Bens Permanentes Reavaliados 224

    Anexo VII Balano Financeiro 2015 226

    Anexo VIII Balano Oramentrio 2015 228

    Anexo IX Balano Patrimonial 2015 232

    Anexo X Demonstraes das Variaes Patrimoniais 2015 235

    Anexo XI Demonstraes do Fluxo de Caixa 2015 238

  • 9

    Sumrio

    CONTEDO GERAL 1. APRESENTAO .................................................................................................................... 12

    2. VISO GERAL DO TRE-RJ .................................................................................................... 14

    2.1 Finalidade e Competncias ....................................................................................................... 14

    2.2 Normas e regulamentos de criao, alterao e funcionamento do TRE-RJ ........................... 15

    2.3 Ambiente de atuao ................................................................................................................ 16

    2.4 Organograma ............................................................................................................................ 17

    2.5 Macroprocessos finalsticos ..................................................................................................... 30

    3. PLANEJAMENTO ORGANIZACIONAL E DESEMPENHOS ORAMENTRIO E

    OPERACIONAL ................................................................................................................................ 32

    3.1 Planejamento organizacional .................................................................................................... 32

    3.1.1 Descrio sinttica dos objetivos do exerccio .................................................................. 37

    3.1.2 Vinculao dos planos da unidade com as competncias institucionais e outros planos .. 42

    3.2 Formas e instrumentos de monitoramento da execuo e dos resultados dos planos .............. 45

    3.3 Desempenho oramentrio ....................................................................................................... 46

    3.3.1 Execuo fsica e financeira das aes da Lei Oramentria Anual de responsabilidade da

    unidade ....................................................................................................................................... 46

    3.3.2 Restos a pagar de exerccios anteriores ............................................................................. 65

    3.3.3 Informaes sobre a Execuo das Despesas .................................................................... 66

    3.4 Desempenho operacional ......................................................................................................... 72

    3.4.1 Resultados alcanados frente s metas anuais estabelecidas para o Poder Judicirio ...... 72

    3.5 Apresentao e anlise dos indicadores de desempenho ......................................................... 74

    3.5.1 Indicadores especficos do desempenho dos Tribunais ..................................................... 74

    4. GOVERNANA ............................................................................................................................ 77

    4.1 Descrio das estruturas de governana ................................................................................... 77

    4.2 Informaes sobre dirigentes e colegiados ............................................................................... 84

    4.3 Atuao da unidade de auditoria interna .................................................................................. 85

    4.4. Atividades de correio e apurao de ilcitos administrativos .............................................. 94

    4.5 Gesto de riscos e controles internos ....................................................................................... 97

    5. RELACIONAMENTO COM A SOCIEDADE ............................................................................ 99

    5.1 Canais de acesso ao cidado ..................................................................................................... 99

    5.2 Carta de Servios ao Cidado ................................................................................................. 102

    5.3 Aferio do grau de satisfao dos cidados usurios ........................................................... 103

    5.4 Mecanismos de transparncia das informaes relevantes sobre a atuao da unidade ........ 107

    5.5 Medidas para garantir a acessibilidade aos produtos, servios e instalaes ......................... 109

  • 10

    6. DESEMPENHO FINANCEIRO E INFORMAES CONTBEIS ........................................ 112

    6.1 Tratamento contbil da depreciao, da amortizao e da exausto de itens do patrimnio e

    avaliao e mensurao de ativos e passivos ............................................................................... 112

    6.2 Sistemtica de apurao de custos no mbito da unidade ...................................................... 113

    6.3 Demonstraes contbeis exigidas pela Lei n 4.320/64 e notas explicativas ....................... 114

    7. REAS ESPECFICAS DA GESTO....................................................................................... 115

    7.1 Gesto de Pessoas ................................................................................................................... 115

    7.1.1 Estrutura de pessoal da unidade ...................................................................................... 115

    7.1.2 Demonstrativo das despesas com pessoal ....................................................................... 119

    7.1.3 Gesto de riscos relacionados ao pessoal ........................................................................ 120

    7.1.4 Contratao de Pessoal de Apoio e Estagirios .............................................................. 122

    7.2 Gesto do Patrimnio e da Infraestrutura ............................................................................... 127

    7.2.1 Gesto da frota de veculos ............................................................................................. 127

    7.2.2 Poltica de destinao de veculos inservveis ou fora de uso ......................................... 129

    7.2.3 Gesto do patrimnio imobilirio da Unio .................................................................... 130

    7.2.4 Informaes sobre imveis locados de terceiros ............................................................. 131

    7.3 Gesto da Tecnologia da Informao ..................................................................................... 132

    7.3.1 Principais Sistemas de Informao ................................................................................. 139

    7.3.2 Processo Judicial Eletrnico (PJe) .................................................................................. 141

    7.4 Gesto Ambiental e Sustentabilidade ..................................................................................... 142

    7.4.1 Adoo de critrios de sustentabilidade ambiental na aquisio de bens e na contratao

    de servios ou obras ................................................................................................................. 145

    7.5 Gesto de fundos e de programas ........................................................................................... 146

    7.5.1 Informaes sobre o Fundo Partidrio ............................................................................ 146

    8. CONFORMIDADE DA GESTO E DEMANDAS DE RGOS DE CONTROLE .............. 153

    8.1 Tratamento de determinaes e recomendaes do TCU ...................................................... 153

    8.2 Tratamento de recomendaes do rgo de controle interno ................................................. 154

    8.3 Medidas administrativas para apurao de responsabilidade por dano ao Errio .................. 159

    8.4 Demonstrao da conformidade do cronograma de pagamentos de obrigaes com o disposto

    no art. 5 da Lei n 8.666/1993 ..................................................................................................... 160

    8.5 Informaes sobre a reviso dos contratos vigentes firmados com empresas beneficiadas pela

    desonerao da folha de pagamento ............................................................................................. 161

    8.6 Informaes sobre aes de publicidade e propaganda ......................................................... 164

    ANEXOS ...................................................................................................................................... 165

    ANEXO I - Estrutura dos Macroprocessos Finalsticos na Arquitetura de Processos ................. 166

    ANEXO II - Subunidades responsveis e parceiros relacionados aos Macroprocessos Finalsticos

    ...................................................................................................................................................... 168

    ANEXO III - Indicadores Estratgicos do TRE-RJ ..................................................................... 170

  • 11

    ANEXO IV - Iniciativas que integram o portflio estratgico do TRE-RJ - Plano Estratgico

    2013/2015 ..................................................................................................................................... 213

    ANEXO V - Indicadores ambientais do TRE-RJ (Agenda Ambiental) ....................................... 215

    ANEXO VI Bens Permanentes Reavaliados ............................................................................. 224

    ANEXO VII Balano Financeiro 2015 ..................................................................................... 226

    ANEXO VIII Balano Oramentrio 2015 ............................................................................... 228

    ANEXO IX Balano Patrimonial 2015 ..................................................................................... 232

    ANEXO X Demonstraes das Variaes Patrimoniais 2015 .................................................. 235

    ANEXO XI Demonstraes do Fluxo de Caixa 2015 ............................................................... 238

    RELATRIOS, PARECERES E DECLARAES ................................................... 241

    9. ROL DE RESPONSVEIS ..................................................................................................... 242

    10. RELATRIO DE INSTNCIA OU REA DE CORREIO ........................................... 246

    11. DECLARAES DE INTEGRIDADE ............................................................................... 247

    11.1 Declarao de integridade e completude dos registros no Sistema de Apreciao e

    Registro dos Atos de Admisso e Concesses ......................................................................... 247

    11.2 Declarao de cumprimento das disposies da Lei n 8.730/1993 quanto entrega das

    declaraes de bens e rendas .................................................................................................... 248

    11.3 Declarao de integridade dos registros das informaes no Sistema Integrado de

    Planejamento e Oramento ....................................................................................................... 249

    11.4 Declarao sobre a conformidade contbil dos atos e fatos de gesto oramentria,

    financeira e patrimonial ............................................................................................................ 250

    11.5 Declarao do Contador sobre a fidedignidade dos registros contbeis no Sistema

    Integrado de Administrao Financeira do Governo Federal - SIAFI ..................................... 251

  • 12

    1. APRESENTAO

    O presente documento foi elaborado de acordo com as disposies da Instruo Normativa

    TCU n 63, de 1 de setembro de 2010, da Deciso Normativa TCU n 146, de 30 de setembro de

    2015, da Portaria TCU n 321, de 30 de novembro de 2015 e orientaes do rgo de controle

    interno.

    Este relatrio contempla os contedos estabelecidos no Anexo II da Deciso Normativa TCU n

    146, de 30 de setembro de 2015, cujas elaboraes observam as orientaes extradas da Portaria

    acima mencionada e do Sistema de Prestao de Contas (e-Contas), disponibilizado pelo Tribunal

    de Contas das Unio para trmite dos Relatrios de Gesto e de informaes suplementares

    relativas s contas do exerccio de 2015.

    Encontra-se dividido em trs partes Contedo Geral, Anexos e Relatrios, Pareceres e

    Declaraes.

    A primeira parte apresentada em 8 (oito) sees, a seguir relacionadas, subdivididas em itens

    de contedo:

    1. Viso Geral do TRE-RJ 2. Planejamento Organizacional e Desempenhos Oramentrio e Operacional 3. Governana 4. Relacionamento com a Sociedade 5. Desempenho Financeiro e Informaes Contbeis 6. reas Especiais da Gesto 7. Conformidade da Gesto e Demandas dos rgos de Controle

    A segunda parte Anexos segue em complementao s informaes que integram o

    Contedo Geral, composta como segue:

    Anexo I Estrutura dos Macroprocessos Finalsticos na Arquitetura de Processos

    Anexo II - Subunidades responsveis e parceiros relacionados aos Macroprocessos Finalsticos

    Anexo III Indicadores Estratgicos do TRE-RJ

    Anexo IV - Iniciativas que integram o portflio estratgico do TRE-RJ

    Anexo V- Indicadores ambientais do TRE-RJ (Agenda Ambiental)

    Anexo VI Bens Permanentes Reavaliados

    Anexo VII - Balano Financeiro 2015

    Anexo VIII - Balano Oramentrio 2015

    Anexo IX - Balano Patrimonial 2015

    Anexo X - Demonstraes das Variaes Patrimoniais 2015

    Anexo XI - Demonstraes do Fluxo de Caixa 2015

    A segunda parte Relatrios, Pareceres e Declaraes composta pelo seguinte contedo:

    1. Rol de responsveis 2. Declarao de instncia ou rea de correio 3. Declarao de integridade e completude dos registros no Sistema de Apreciao e Registro

    dos Atos de Admisso e Concesses

    4. Declarao de cumprimento das disposies da Lei 8.730/1993 quanto entrega das declaraes de bens e rendas

    5. Declarao de integridade dos registros das informaes no Sistema Integrado de Planejamento e Oramento

    6. Declarao sobre a conformidade contbil dos atos e fatos da gesto oramentria, financeira e patrimonial

    7. Declarao do contador sobre a fidedignidade dos registros contbeis no Sistema Integrado de Administrao Financeira do Governo Federal - SIAFI

  • 13

    No exerccio de 2015, o TRE-RJ direcionou seus esforos para ampliar o nmero de eleitores

    com cadastro biomtrico no estado do Rio de Janeiro. Houve um significativo aumento de

    biometrias cadastradas, no entanto, muitas dificuldades precisaram ser superadas.

    A principal refere-se infraestrutura dos cartrios eleitorais. Muitos imveis no dispunham

    das caractersticas adequadas para receber os kits biomtricos. Esse obstculo impactou em grande

    demanda por parte de diversas reas do Tribunal, haja vista a necessidade de adaptaes diversas,

    tanto no que se refere estrutura fsica dos imveis, quanto tecnolgica.

    O impacto da referida demanda e do consequente envolvimento de um nmero muito grande de

    servidores nas aes relativas ao cadastramento biomtrico foi perceptvel na execuo das

    atividades rotineiras do Tribunal.

    No entanto, apesar das dificuldades enfrentadas, o resultado do exerccio foi bastante positivo,

    o que se atribui ao comprometimento de seu quadro funcional. A grande parte das iniciativas

    previstas para 2015 foi concluda com xito.

    Naquele exerccio foi institudo o Plano Estratgico do TRE-RJ para o perodo de 2016/2021.

    O processo de planejamento foi realizado de forma participativa, coletando-se as impresses e

    expectativas da sociedade, magistrados eleitorais, gestores e servidores. Todo o trabalho foi

    conduzido para garantir a maior legitimidade possvel ao contedo do plano.

    Tambm realizado de forma participativa, foi realizado o planejamento das Eleies 2016,

    subsidiado pelo resultado de questionrios e reunies presenciais, envolvendo servidores da Justia

    Eleitoral no Estado do Rio de Janeiro.

    Foram aprovadas, ainda, outras importantes ferramentas de gesto: o Guia de Incluso de

    Critrios Sustentveis para Contrataes e a Metodologia de Gesto de Processos. As duas

    iniciativas j revelaram sua relevncia no mesmo exerccio. Foram ainda desenvolvidos os

    trabalhos visando instituio da Poltica de Segurana da Informao e do Cdigo de tica, ambos

    aprovados em 2016.

    O presente relatrio apresenta as aes desenvolvidas pelo Tribunal Regional Eleitoral do Rio

    de Janeiro, no exerccio de 2015, e busca apresentar de forma transparente Sociedade sua atuao,

    as principais realizaes da gesto em suas vrias dimenses e os resultados alcanados.

  • 14

    2. VISO GERAL DO TRE-RJ

    2.1 Finalidade e Competncias

    O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro rgo integrante da Justia Eleitoral, com

    previso constitucional no inciso II do artigo 118. Notadamente possui funes administrativa,

    jurisdicional e consultiva previstas, alm do texto constitucional, no Cdigo Eleitoral (Lei n

    4.737/65, art. 29 e seguintes).

    A funo administrativa destaca-se pela preparao, organizao e administrao de todo o

    processo eleitoral fluminense. Insere-se, nessa funo, o exerccio do poder de polcia que visa

    inibir prticas ilegais que possam ameaar a legitimidade do pleito (propaganda irregular, captao

    ilcita de votos e abuso de poder econmico e poltico).

    Como rgo integrante do Poder Judicirio, a funo jurisdicional lhe inerente, aplicando o

    Direito aos casos concretos que lhes forem submetidos, em busca da soluo dos conflitos.

    Por fim, a funo consultiva, peculiar aos Tribunais Eleitorais, decorre da preocupao de

    prevenir litgios que possam afetar a regularidade do pleito, orientando a ao dos participantes do

    processo eleitoral a partir da apreciao de situaes abstratas.

  • 15

    2.2 Normas e regulamentos de criao, alterao e funcionamento do TRE-RJ

    Normas de criao e alterao

    Decreto n 21.076, de 24 de fevereiro de 1932, revogado;

    Decreto-Lei n 7.586, de 28 de maio de 1945;

    Lei n 4.737, de 15 de julho de 1965 - Cdigo Eleitoral;

    Constituio da Repblica Federativa do Brasil de 1988.

    Normas de funcionamento

    Regimento Interno do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro - Resoluo TRE/RJ n 895/14, alterada

    pelas TRE/RJ nos 924/15 e 927/15;

    Estrutura orgnica do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro e a lotao dos cargos em comisso e das

    funes comissionadas criados pela Lei n 11.202, de 29 de novembro de 2005 - Resoluo TRE/RJ n 888/14,

    alterada pelas Resolues TRE/RJ nos 909/14, 916/15 e 932/15;

    Regulamento Interno da Secretaria do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro - Resoluo TRE/RJ n

    739/10, alterada pelas Resolues TRE/RJ nos 829/12 e 863/14;

    Organizao administrativa da Corregedoria Regional Eleitoral do Rio de Janeiro - Resoluo TRE/RJ n

    814/12, alterada pelas Resolues TRE/RJ nos 841/13 e 860/14;

    Estrutura, organizao e funcionamento da Escola Judiciria Eleitoral do Rio de Janeiro - Resoluo TRE/RJ

    n 665/07, alterada pelas Resolues TRE/RJ nos 764/11 e 853/13;

    Planejamento Estratgico da Justia Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro para o perodo 2016-2021 e outras

    providncias - Resoluo TRE/RJ n 938/15;

    Planejamento estratgico da Justia Eleitoral do Rio de Janeiro para o perodo 2010/2014 Resoluo TRE/RJ

    n 720/09, atualizada pela Resoluo TRE/RJ n 832/12 e prorrogada a vigncia pela Resoluo TRE/RJ n 918/15.

    (Revogada pela Resoluo TRE/RJ n 938/15);

    Instituio do Comit de Gesto da Estratgia - Ato GP n 391/12;

    Instituio da cadeia de valor do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro - Ato GP n 636/14;

    Criao e o funcionamento das Centrais de Atendimento ao Eleitor - CAE, no Estado do Rio de Janeiro

    Resoluo TRE/RJ n 841/13, alterada pelas Resolues ns 860/14 e 861/14.

    Manuais operacionais de macroprocessos relevantes

    Manual de ASE comentado Reviso n 05 2015;

    Manual de processamento de feitos eleitorais Reviso n 03 2014;

    Manual de Execuo Fiscal de Multas Eleitorais 2014;

    Agenda Ambiental do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro, para o perodo de 2014 a 2015 Anexo do Ato

    GP n 200/2014;

    Carta de Servios ao Cidado Anexo do Ato GP n 608/2013;

    Rotinas Cartorrias Previstas pelo Ato n 189/2015.

  • 16

    2.3 Ambiente de atuao

    A Justia Eleitoral brasileira reconhecida, nacional e internacionalmente, pelo sistema

    eletrnico de votao e pela segurana e agilidade com que entrega os resultados das Eleies.

    Contudo, a garantia da legitimidade do processo eleitoral e a consequente manuteno do

    reconhecimento alcanado exigem esforos cada vez maiores por parte dos rgos da Justia

    Eleitoral, que precisam antecipar-se e adaptar-se s intensas mudanas do ambiente no qual esto

    inseridos. A contnua evoluo tecnolgica, as alteraes na legislao, a rotatividade de

    profissionais, a agilidade da informao, a democratizao do conhecimento e o compromisso de

    atender s expectativas de uma sociedade cada vez mais participativa e exigente em relao a

    produtos e servios so alguns dos desafios que, aliados ao dinamismo e complexidade das

    atividades inerentes realizao das eleies, precisam ser enfrentados e superados.

    Por outro lado, esse novo cenrio social favorece, inevitavelmente, a participao e o controle

    da populao sobre as questes pblicas e governamentais. Sendo o cidado pea fundamental no

    processo eleitoral, seu engajamento crescente contribui, na mesma medida, para o ambiente de

    atuao da Justia Eleitoral. Afinal, a garantia de um processo legtimo vai ao encontro da

    expectativa atual da sociedade, podendo al-la condio de colaborador efetivo para o alcance

    dos resultados pretendidos, seja na fiscalizao da propaganda eleitoral, denunciando

    irregularidades e abusos, ou na atuao como mesrio. Com isso, deixa de ser destinatrio de um

    servio para ser responsvel pelo sucesso do mesmo.

    O contexto atual fortalece, igualmente, rgos parceiros da Justia Eleitoral, em sua misso

    institucional, como Polcia Federal, Ministrio Pblico Eleitoral e Tribunais de Contas reforando a

    defesa de princpios republicanos e democrticos.

  • 17

    2.4 Organograma

    A estrutura organizacional do TRE-RJ guarda simetria de competncias com a do Tribunal

    Superior Eleitoral, conforme estabelecido na Resoluo TSE n 22.138/05, que tem fora normativa

    para todos os Regionais.

    No TRE-RJ, a estrutura orgnica e a lotao dos cargos em comisso e das funes

    comissionadas criados pela Lei n 11.202/2005 esto reguladas pela Resoluo n 888/2014,

    alterada pelas Resolues ns 909/2014, 916/2015 e 932/2015.

    O Regulamento Interno da Secretaria do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro,

    aprovado por meio da Resoluo n 739/10, estabelece a organizao dos servios administrativos,

    fixa a competncia das unidades que o integram e define as atribuies dos titulares dos cargos em

    comisso e das funes comissionadas.

    Na elaborao do referido normativo foram utilizados os seguintes critrios e parmetros:

    I. hierarquizao das unidades de linha em, no mximo, trs nveis secretaria, coordenadoria e seo , com vistas a aproximar os mbitos decisrio e operacional, agilizar a tomada de

    deciso e propiciar a transformao das hierarquias burocrticas em redes de rgos de alto

    desempenho;

    II. estruturao das unidades de assessoria sem desdobramento em segmentos formais;

    III. definio das sees como unidades operacionais bsicas para a realizao dos servios, vedado seu desdobramento em segmentos de menor porte;

    IV. destinao de, pelo menos, um cargo em comisso para as atividades de planejamento estratgico e desenvolvimento institucional.

    As unidades do Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro que compem os nveis

    estratgico, ttico e operacional da organizao encontram-se representadas nos organogramas

    abaixo:

  • 18

    TRIBUNAL PLENO

    TRIBUNAL PLENO

    PRESIDNCIA DO TRE-RJ

    PRESIDNCIA DO TRE-RJ VINCULAO

    ADMINISTRATIVA

    VINCULAO

    ADMINISTRATIVA

    VICE- PRESIDNCIA E

    CORREGEDORIA

    REGIONAL ELEITORAL

    JUZES MEMBROS

    SECRETARIA DE

    CONTROLE INTERNO E

    AUDITORIA

    JUZOS ELEITORAIS

    VINCULAO

    FUNCIONAL

    CARTRIOS

    ELEITORAIS

    VINCULAO

    ADMINISTRATIVA

    DIRETORIA-GERAL

    SECRETARIA

    DE GESTO

    DE PESSOAS

    SECRETARIA DE

    ADMINISTRAO

    SECRETARIA DE

    ORAMENTO E

    FINANAS

    SECRETARIA

    JUDICIRIA

    SECRETARIA DE

    TECNOLOGIA DA

    INFORMAO

    SECRETARIA DE

    MANUTENO E

    SERVIOS GERAIS

  • 19

    ASSESSORIA

    ESPECIAL

    PRESIDNCIA

    ASSESSORIA

    ESPECIAL

    ASSESSORIA DE

    SEGURANA

    ASSESSORIA DE

    COMUNICAO

    SOCIAL

    GABINETE DOS

    JUZES MEMBROS

    ESCOLA

    JUDICIRIA

    ELEITORAL

    ASSESSORIA

    ESPECIAL

    ASSESSORIA

    ESPECIAL

    ASSESSORIA

    TCNICA

    CHEFIA DE GABINETE

    ASSESSORIA

    JURDICA

    ASSESSORIA

    ADMINISTRATIVA

    ASSESSORIA

    TCNICA

    ASSESSORIA

    TCNICA

    Gabinete da Secretaria

    Coordenadoria de

    Controle de Gesto

    e Auditoria

    Coordenadoria de

    Contas Eleitorais e

    Partidrias

    Seo de

    Controle na

    Gesto

    Administrativa

    Seo de

    Controle na

    Gesto de

    Recursos

    Humanos

    Seo de

    Anlise de

    Contas

    Seo de

    Suporte e

    Orientao

    SECRETARIA DE

    CONTROLE INTERNO

    E AUDITORIA

    ASSESSORIA

    TCNICA

  • 20

    DIRETORIA-GERAL

    ASSESSORIA ADMINISTRATIVA ASSESSORIA JURDICA ASSESSORIA DE PLANEJAMENTO ESTRATGICO E GESTO

    GABINETE DA

    DIRETORIA-GERAL

    VICE-PRESIDNCIA E

    CORREGEDORIA REGIONAL

    ELEITORAL

    GABINETE DA VICE-

    PRESIDNCIA E

    CORREGEDORIA

    Coordenadoria de Assuntos Judicirios,

    Planejamento e Treinamento

    Seo de

    Processos

    Especficos

    Seo de

    Planejamento e

    Treinamento

    Seo de

    Direitos

    Polticos

    Seo de

    Superviso. e

    Atualizao do

    Cadastro

    Eleitoral

    Coordenadoria de Acompanhamento do

    Cadastro Eleitoral

    Coordenadoria de Superviso

    e Orientao s Zonas

    Eleitorais

    Seo de

    Inspees e

    Correies

    Seo de

    Atendimento e

    Apoio s Zonas

    Eleitorais

  • 21

    Coordenadoria de

    Pessoal

    Seo de Registros

    Funcionais

    Seo de Controle

    de Juzos e

    Lotao

    Seo de Inativos e

    Pensionistas

    Coordenadoria de

    Anlises Tcnicas

    Seo de

    Informaes

    Processuais

    Seo de Direitos e

    Deveres

    Coordenadoria de

    Pagamento

    Seo de

    Pagamento de

    Ativos

    Seo de

    Pagamento de

    Inativos e

    Pensionistas

    Seo de

    Pagamento de

    Gratificaes

    SECRETARIA DE GESTO DE

    PESSOAS

    Gabinete da Secretaria

    Coordenadoria de

    Educao e

    Desenvolvimento

    Seo de

    Capacitao

    Seo de Gesto de

    Desenvolvimento e

    Acompanhamento.

    de Estgio

    Seo de

    Assistncia Mdica

    e Social

    Gabinete da Secretaria

    SECRETARIA JUDICIRIA

    Coordenadoria de

    Registros Processuais,

    Partidrios e

    Processamento

    Seo de Controle e

    Autuao Processual

    Seo de Controle e

    Registros

    Partidrios

    Seo de Atos e

    Informaes

    Processuais

    Seo de

    Processamento

    Coordenadoria de Sesses

    Seo de Acrdos

    Seo de

    Degravao,

    Digitao e Preparo

    de Notas

    Seo de

    Jurisprudncia e

    Legislao

  • 22

    Coordenadoria de

    Logstica

    Seo de

    Administrao de

    Dados Estatsticos e

    Operacionais

    Seo de

    Administrao e

    Manuteno de

    Urnas

    Seo de Servios,

    Provises e

    Equipamentos

    Gabinete da Secretaria

    SECRETARIA DE TECNOLOGIA

    DA INFORMAO

    Coordenadoria de Sistemas

    Eleitorais

    Seo de Cadastro

    de Eleitores

    Seo de

    Processamento de

    Eleies

    Seo de Voto

    Informatizado

    Coordenadoria de

    Solues Corporativas

    Seo de

    Administrao

    Intranet / Internet

    Seo de

    Desenvolvimento de

    Sistemas

    Seo de

    Administrao de

    Banco de Dados

    Coordenadoria de

    Infraestrutura

    Seo de Suporte s

    Redes Locais

    Seo de Suporte

    Operacional

    Seo de Produo

    SECRETARIA DE

    ADMINISTRAO

    ASSESSORIA TCNICA

    DE LICITAO

    Gabinete da Secretaria

    Coordenadoria de

    Gerenciamento

    Documental e da

    Informao

    Seo de Gesto

    Documental

    Seo de

    Protocolo e

    Expedio

    Seo de

    Arquivo Central

    Seo de

    Biblioteca

    Coordenadoria de

    Formao e Gesto

    de Contratos

    Seo de

    Formao e

    Reviso de

    Contratos

    Seo de Apoio

    Gesto e

    Pagamento de

    Contratos

    Seo de Gesto

    de Imveis

    Seo de

    Instruo de

    Compras

    Coordenadoria de

    Material e

    Patrimnio

    Seo de

    Armazenamento e

    Redistribuio de

    Material

    Permanente

    Seo de

    Almoxarifado

    Seo de

    Patrimnio

  • 23

    Coordenadoria de

    Oramento

    Seo de Controle

    Oramentrio

    Seo de Execuo

    Oramentria

    Coordenadoria Contbil e

    Financeira

    Seo de Execuo

    Financeira

    Seo de

    Contabilidade

    Seo de Programao

    Financeira e Apurao

    de Custos

    SECRETARIA DE ORAMENTO E FINANAS

    Gabinete da Secretaria

    SECRETARIA DE

    MANUTENO E

    SERVIOS GERAIS

    Gabinete da Secretaria

    Coordenadoria de

    Servios Gerais

    Seo de

    Conservao e

    Servios Gerais

    Seo de

    Administrao

    de Edifcios

    Seo de

    Transportes

    Coordenadoria de

    Engenharia

    Seo de

    Projetos

    Seo de

    Manuteno

    Predial e de

    Equipamentos

    Seo de

    Fiscalizao de

    Servios de

    Engenharia

  • 24

    Quadro 2.4.1 Informaes sobre reas ou subunidades estratgicas

    reas/Subunidades

    Estratgicas Competncias Titular Cargo

    Perodo

    de

    atuao

    Presidncia

    Compete ao Presidente dirigir os trabalhos do Tribunal; presidir as sesses de julgamento; apresentar ao

    Plenrio e relatar projeto de resoluo em matria administrativa; praticar todos os atos de gesto inerentes

    ao seu cargo sem prejuzo do controle de legalidade pelo Tribunal, por provocao de qualquer de seus

    membros; cumprir e fazer cumprir as decises do Tribunal e as suas prprias decises; aprovar o registro

    cadastral de habilitao de empresas, aplicando aos fornecedores ou executantes de obras e servios,

    quando inadimplentes, as penalidades previstas em lei; aprovar e assinar os contratos que devam ser

    celebrados com o Tribunal, bem como exercer autotutela dos atos administrativos; aprovar e encaminhar

    ao Tribunal Superior Eleitoral a proposta oramentria e plurianual, solicitando, quando necessria, a

    abertura de crditos suplementares; autorizar empenho de despesas e ordenar os pagamentos; promover

    apurao imediata dos fatos que tiver cincia sobre irregularidade atribuda a juiz membro do Tribunal;

    instaurar e processar sindicncia contra juzes membros do Tribunal, submetendo o relatrio conclusivo

    apreciao do Plenrio; relatar proposta de abertura de processo administrativo disciplinar contra juzes

    membros do Tribunal, apresentando relatrio conclusivo; votar nos casos de proposta de instaurao de

    processo administrativo disciplinar contra juzes de primeiro grau, relatados pelo Corregedor; votar no

    julgamento de processo administrativo disciplinar contra juzes membros e de primeiro grau; julgar os

    recursos interpostos de decises administrativas do Diretor-Geral; julgar e aplicar penalidades

    disciplinares aos servidores, nos casos previstos nos termos previstos na legislao federal especfica;

    instaurar a tomada de contas especial em face dos responsveis pelas contas dos rgos regionais dos

    partidos polticos quando no for comprovada a aplicao regular dos recursos do fundo partidrio ou sua

    aplicao tiver sido julgada irregular; expedir atos regulamentares em matria administrativa.

    Des.

    Bernardo

    Moreira

    Garcez Neto

    Presidente

    02/12/13

    a

    17/02/15

    Des. Edson

    Aguiar de

    Vasconcelos

    Presidente

    23/03/15

    a

    02/12/15

    Des.

    Antnio

    Jayme

    Boente

    Presidente

    04/12/15

    a

    04/03/17

  • 25

    reas/Subunidades

    Estratgicas Competncias Titular Cargo

    Perodo

    de

    atuao

    Escola Judiciria

    Eleitoral

    Vinculada diretamente Presidncia, compete Escola Judiciria Eleitoral - EJE a atualizao e a

    especializao inicial, continuada ou eventual de magistrados do TRE-RJ, em Direito Eleitoral, a

    divulgao deste ramo do Direito a seus operadores, bem como a adoo de programas voltados para o

    carter social da Justia Eleitoral.

    As aes de treinamento e estudos realizados pela EJE, sempre que possvel, so extensivos ao Ministrio

    Pblico Eleitoral e aos servidores do TRE-RJ, atravs da integrao e parceria entre a EJE, o MPE, e a

    Secretaria de Gesto de Pessoas do TRE-RJ, respectivamente.

    Des. Federal

    Andr

    Ricardo

    Cruz Fontes

    Diretor da

    Escola

    Judiciria

    Eleitoral

    08/01/14

    a

    24/02/15

    Des. Wagner

    Cinelli de

    Paula Freitas

    Diretor da

    Escola

    Judiciria

    Eleitoral

    02/03/15

    a

    13/01/16

    Assessoria de

    Comunicao

    Social

    Vinculada diretamente Presidncia, a Assessoria de Comunicao Social ASCOM responsvel pela

    divulgao noticiosa das iniciativas, decises judiciais, atos e aes de cidadania, tanto ao pblico externo

    quanto ao interno, como forma de dar transparncia ao processo eleitoral e s atividades desenvolvidas

    pelo Tribunal. Tambm compete ASCOM atender as demandas dos jornalistas, o que inclui fornecer

    informaes de interesse pblico e agendar entrevista com magistrados e servidores. A antecipao e

    administrao de crticas a serem divulgadas na imprensa - evitando transtornos imagem institucional e

    garantindo que o ndice de inseres de matrias positivas na mdia se mantenha dentro da meta

    estabelecida - outra tarefa da assessoria. Cabe ASCOM, ainda, participar do desenvolvimento e

    implantao de programas de melhoria de gesto, notadamente no que se refere ao atendimento das

    necessidades de comunicao institucional, assim como a elaborao de peridico interno, com o objetivo

    de divulgar as atividades e projetos desempenhados no Tribunal assim como promover a integrao entre

    servidores e setores, funcionando como um canal de dilogo dentro da instituio. Por fim, compete a essa

    assessoria o planejamento e implementao de peas de comunicao e campanhas de publicidade

    institucional.

    Luciana

    Souza

    Batista

    Assessora I Desde

    19/11/14

  • 26

    reas/Subunidades

    Estratgicas Competncias Titular Cargo

    Perodo

    de

    atuao

    Secretaria de

    Controle interno e

    Auditoria

    Vinculada diretamente Presidncia, compete SCI, com apoio da Coordenadoria de Controle de Gesto

    e Auditoria e da Coordenadoria de Contas Eleitorais e Partidrias, acompanhar a gesto de pessoal,

    oramentria, financeira e patrimonial, bem como a execuo dos programas de trabalho; verificar a

    utilizao regular e racional dos recursos e bens pblicos; avaliar os resultados obtidos pela

    Administrao; coordenar as atividades relacionadas ao exame e instruo dos processos de prestao de

    contas anuais dos diretrios regionais dos partidos polticos; emitir parecer tcnico nos recursos

    impetrados nos processos de prestao de contas de campanha eleitorais nas eleies municipais; bem

    como promover treinamento dos tcnicos que atuaro no exame de contas.

    Dager Salles

    Amaral Secretrio

    15/08/14

    a

    01/12/15

    Elizabeth

    Silva Viana Secretria

    Desde

    10/12/15

    Vice-Presidncia

    O Vice-Presidente substitui o Presidente nas suas frias, licenas, faltas, impedimentos e ausncias

    ocasionais, competindo-lhe praticar os atos que lhe forem delegados pelo Presidente do Tribunal.

    Em 2015, cabia Vice-Presidncia, por fora da Resoluo TRE-RJ n 786/2011, as atividades afetas

    Ouvidoria do Tribunal, dentre elas: promover a comunicao rpida e dinmica entre o cidado e a Justia

    Eleitoral; velar pelos direitos do cidado, em particular os dos jurisdicionados e usurios dos servios da

    instituio; receber encaminhar reclamaes e denncias contra o mau atendimento; esclarecer dvidas e

    auxiliar os cidados nos servios prestados pela Justia Eleitoral; propor e fomentar medidas que visam

    melhoria da qualidade dos servios prestados. A Resoluo n 945/2016, publicada em 28/03/2016,

    atribuiu a membro titular do TRE-RJ, escolhido pela maioria do Pleno, a funo de Ouvidor, passando a

    vinculao da Ouvidoria deste Regional Assessoria Administrativa da Presidncia.

    A partir de 16/12/2015 a estrutura da Vice-Presidncia foi unificada com a da Corregedoria, nos termos da

    Resoluo n 932/2015, que criou a Vice-Presidncia e Corregedoria Regional Eleitoral.

    Des. Edson

    Aguiar de

    Vasconcelos

    Vice-

    Presidente

    02/12/13

    a

    22/03/15

    Des.

    Antnio

    Jayme

    Boente

    Vice-

    Presidente

    23/03/15

    a

    03/12/15

    Des

    Jacqueline

    Lima

    Montenegro

    Vice-

    Presidente e

    Corregedora

    Regional

    Eleitoral

    Desde

    04/12/15

  • 27

    reas/Subunidades

    Estratgicas Competncias Titular Cargo

    Perodo

    de

    atuao

    Corregedoria

    Regional Eleitoral

    Compete CRE realizar a orientao, inspeo e fiscalizao dos servios eleitorais do Estado; conhecer

    das reclamaes apresentadas contra juzes eleitorais, encaminhando-as, com o resultado das sindicncias

    que proceder, ao Plenrio; velar pela fiel execuo das leis e instrues e pela boa ordem e celeridade dos

    servios eleitorais; instaurar e proferir deciso em sindicncia ou processo administrativo disciplinar no

    controle das infraes disciplinares relacionadas aos servidores no mbito do TRE-RJ; orientar os juzes

    eleitorais relativamente regularidade dos servios nos respectivos juzos e cartrios; proceder, nos autos

    que lhe forem afetos ou nas reclamaes, correio que se impuser, a fim de determinar a providncia

    cabvel; presidir inquritos contra juzes eleitorais, nos quais obrigatria a presena do Procurador

    Regional.

    A partir de 16/12/2015 a estrutura da Corregedoria foi unificada com a da Vice-Presidncia, nos termos da

    Resoluo n 932/2015, que criou a Vice-Presidncia e Corregedoria Regional Eleitoral.

    Juiz de

    Direito

    Alexandre

    de Carvalho

    Mesquita

    Corregedor

    Regional

    Eleitoral

    01/04/13

    a

    17/02/15

    Juiz de

    Direito

    Fabio Uchoa

    Corregedor

    Regional

    Eleitoral

    02/03/15

    a

    01/04/15

    Juiz de

    Direito

    Marco

    Couto

    Corregedor

    Regional

    Eleitoral

    06/04/15

    a

    03/12/15

    Des.

    Jacqueline

    Lima

    Montenegro

    Vice-

    Presidente e

    Corregedora

    Regional

    Eleitoral

    Desde

    04/12/15

  • 28

    reas/Subunidades

    Estratgicas Competncias Titular Cargo

    Perodo de

    atuao

    Diretoria-Geral

    Compete Diretoria-Geral - DG: planejar, orientar, coordenar, supervisionar e controlar as atividades sob

    sua direo; receber, transmitir, cumprir e fazer cumprir as decises da Corte e da Presidncia; coordenar

    as aes relacionadas ao planejamento estratgico e elaborar o Plano de Gesto, submetendo-o ao

    Presidente; coordenar a elaborao do planejamento das eleies, submetendo-o ao Presidente; submeter

    ao Presidente as propostas oramentrias anual e plurianual do Tribunal, os pedidos de crditos adicionais

    e provises devidamente organizados e conferidos, para encaminhamento aos rgos competentes.

    Esto diretamente subordinadas DG: a Secretaria de Gesto de Pessoas, a Secretaria Judiciria, a

    Secretaria de Tecnologia da Informao, a Secretaria de Administrao, a Secretaria de Manuteno e

    Servios Gerais e a Secretaria de Oramento e Finanas.

    Vago de 15/12/14 a 19/02/15, exercido

    interinamente pelo ento Secretrio de

    Oramento e Finanas, Andr Borges

    Arisa.

    Anderson

    Vidal Corra

    Diretor-

    Geral

    20/02/15

    a

    03/12/15

    Adriana

    Freitas

    Brando

    Correia

    Diretora-

    Geral

    Desde

    04/12/15

    Secretaria de

    Gesto de Pessoas

    Compete SGP desenvolver as atividades relativas aos registros funcionais dos servidores ativos, inativos

    e dos pensionistas; proceder aos assentamentos das autoridades da Justia Eleitoral, gesto de benefcios,

    anlise e concesso dos direitos e deveres estabelecidos pela legislao de pessoal, elaborao de

    normas administrativas referentes material humano, requisio de servidores e convnios; promover a

    elaborao da folha de pagamento do Tribunal, ao treinamento e desenvolvimento dos servidores e

    assistncia mdica e social; planejar, dirigir, coordenar e supervisionar as atividades de gesto de pessoas,

    pronunciando-se a respeito de requerimentos atinentes rea e submetendo-os ao Diretor-Geral; propor a

    realizao de concursos pblicos e a prorrogao de sua validade, bem como a realizao de concursos de

    remoo, procedendo efetivao do resultado do certame; propor a realizao de eventos destinados ao

    aperfeioamento dos recursos humanos do Tribunal e implementar polticas e definir diretrizes para o

    desenvolvimento das relaes interpessoais.

    Odlan Villar

    Farias Secretrio

    05/12/13

    a

    19/02/15

    Deborah

    Nerlite

    Bulhes do

    Carmo

    Secretria Desde

    20/02/15

  • 29

    reas/Subunidades

    Estratgicas Competncias Titular Cargo

    Perodo

    de

    atuao

    Secretaria

    Judiciria

    Compete SJD desenvolver as atividades referentes aos atos judicirios e partidrios, nos processos de

    competncia do Tribunal; registrar e conservar, de forma sistemtica, a documentao de natureza

    especfica de suas atividades; promover-lhe a divulgao; supervisionar e fornecer o apoio tcnico

    necessrio s sesses do Tribunal.

    Jos Roberto

    da Silva dos

    Santos

    Secretrio

    06/12/13

    a

    19/02/15

    Ana Luiza

    Claro da

    Silva

    Secretria Desde

    20/02/15

    Secretaria de

    Tecnologia da

    Informao

    Compete STI planejar, coordenar e supervisionar as atividades de consultoria e planejamento TI, de

    desenvolvimento e implantao de sistemas, de suporte tcnico, de disseminao de informao e de

    gesto das bases de dados, de manuteno e conservao das urnas eletrnicas, de orientao tcnica de

    informtica e de alocao dos equipamentos e suprimentos de TI, bem como propor padres, diretrizes,

    normas e procedimentos a serem adotados na execuo das atividades de tecnologia da informao do

    Tribunal.

    Andr dos

    Santos Sant

    Anna

    Secretrio Desde

    30/03/11

    Secretaria de

    Administrao

    Compete SAD planejar, coordenar e supervisionar as atividades de administrao de recursos materiais,

    patrimoniais e de prestao de servios; de aquisio, guarda, padronizao, distribuio e alienao de

    material, bem como de controle patrimonial dos bens mveis e imveis do Tribunal; de contratao de

    servios, gesto de contratos administrativos e a gesto de imveis que abrigam as unidades do Tribunal

    Competem, ainda, as atividades relativas aos protocolos, arquivo, conservao e expedio de

    documentos.

    Andr

    Ricardo

    Lima Menna

    Barreto

    Secretrio

    26/02/14

    a

    19/02/15

    Fabio Lami

    Junior Secretrio

    Desde

    20/02/15

    Secretaria de

    Manuteno e

    Servios Gerais

    Compete SSG, criada por meio da Resoluo TRE-RJ n 916/2015 (art. 1, inciso II), publicada em 06 de

    maro de 2015, a realizao dos servios de manuteno e reparos dos bens permanentes e de

    conservao, manuteno, reformas e melhorias das instalaes fsicas do Tribunal, bem como outros

    servios de apoio geral s atividades administrativas. Compete ainda a gesto da frota e das atividades

    relativas ao transporte.

    Flvio

    Augusto

    Castanheira

    Celano

    Secretrio Desde

    06/03/15

    Secretaria de

    Oramento e

    Finanas

    Compete SOF planejar, coordenar, orientar, controlar, comandar e supervisionar as atividades de

    administrao oramentria e financeira do Tribunal.

    Andr

    Borges Arisa Secretrio

    15/12/14

    a

    09/12/15

    Fernando

    Jos da

    Fonseca

    Secretrio Desde

    10/12/15

  • 30

    2.5 Macroprocessos finalsticos

    Em 18/12/2014 foi instituda a Cadeia de Valor deste TRE-RJ, por intermdio do Ato n

    636/14, da Presidncia deste Tribunal. Neste documento, encontram-se identificados os

    Macroprocessos Finalsticos do Tribunal, suas grandes entregas e clientes, alm dos

    Macroprocessos de Gesto e os de Suporte.

    Figura 1 Cadeia de Valor do TRE-RJ

    Em conjunto com a Cadeia de Valor representada na figura acima, foi construda a Arquitetura

    de Processos do TRE-RJ, onde esto discriminados os processos que compem cada macroprocesso

    definido para o Tribunal, seus objetivos e produtos. Nesta oportunidade, os macroprocessos foram

    desdobrados apenas em mais um nvel de processos.

    No Anexo I, encontra-se destacada a estrutura dos Macroprocessos Finalsticos na Arquitetura

    de Processos, com seus produtos e objetivos.

    No que se refere aos insumos e fornecedores dos Macroprocessos, sero levantados a partir do

    mapeamento dos processos, momento em que sero identificados os elementos que estabelecem as

    fronteiras do processo junto s partes envolvidas em sua execuo.

  • 31

    Cabe salientar que desde 2012 existem, no mbito deste TRE-RJ, Rotinas Cartorrias e

    Administrativas, que se encontram disponibilizadas na Intranet deste Tribunal. Estes instrumentos

    prestam-se a padronizar procedimentos e orientar os servidores na execuo das tarefas atribudas a

    sua unidade de lotao. Nelas, algumas atividades relacionadas a macroprocessos finalsticos foram

    identificadas e mapeadas e, em cada uma das Rotinas, esto discriminadas as respectivas origens e

    entradas.

    Os parceiros relacionados execuo dos Macroprocessos Finalsticos e as respectivas

    subunidades responsveis encontram-se elencados no Anexo II. Para a indicao destes parceiros,

    foi utilizada como fonte a relao de parcerias contida na anlise do Indicador AI 04 Nmero de

    Parcerias Estratgicas. Aquelas que no esto diretamente relacionadas a execuo de

    macroprocessos finalsticos podem ser visualizadas na ficha de anlise do mencionado indicador,

    que compe o Anexo III deste relatrio.

    Quanto conduo dos macroprocessos no exerccio 2015, considerando que o Tribunal

    necessita de maior amadurecimento em gesto de processos para que possa realizar uma gesto por

    eles orientada, a execuo dos macroprocessos finalsticos e das atividades a eles inerentes foi

    realizada de acordo com as atribuies de cada unidade, obedecendo uma gesto hierarquizada,

    conforme organograma apresentado no item 2.4.

  • 32

    3. PLANEJAMENTO ORGANIZACIONAL E DESEMPENHOS ORAMENTRIO E

    OPERACIONAL

    3.1 Planejamento organizacional

    O Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro aprovou seu primeiro Plano Estratgico por

    meio da Resoluo n 720, de 14/12/2009, com perodo de abrangncia de 5 (cinco) anos, de 2010 a

    2014, em observncia s diretrizes da Resoluo n 70/2009 do Conselho Nacional de Justia e

    orientaes do TSE.

    O referido Plano Estratgico foi revisto em 2012, por meio da Resoluo n 832/2012,

    publicada em 17/12/2012, mantido o prazo de vigncia originalmente definido. A reviso teve por

    objetivo: a) promover ajustes necessrios garantia da trajetria estratgica da instituio; b)

    assegurar o alinhamento ao Planejamento Estratgico da Justia Eleitoral, aprovado pela Resoluo

    TSE n 23.371/2011, publicada em 09/03/2012, e regulamentada pela Portaria TSE n 620,

    publicada em 5 de dezembro de 2012.

    Em 2015, por meio da Resoluo n 918/2015, a vigncia do Plano Estratgico do TRE-RJ foi

    prorrogada at dezembro daquele ano.

    Em agosto de 2015, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro deu incio aos trabalhos de

    construo de sua estratgia para o sexnio 2016/2021, em observncia s diretrizes estabelecidas

    pela Resoluo n 198/2014, do Conselho Nacional de Justia, que dispe sobre o Planejamento e a

    Gesto Estratgica no mbito do Poder Judicirio. Insta salientar que o TSE no estabeleceu

    diretrizes nacionais a serem observadas pelos Tribunais Regionais Eleitorais.

    O Planejamento Estratgico da Justia Eleitoral do Estado do Rio de Janeiro para o perodo de

    2016 a 2021 foi aprovado em dezembro de 2015, por meio da Resoluo n 938/2015.

    Desde a elaborao do primeiro planejamento estratgico, em 2009, o TRE-RJ adota como base

    metodolgica o Balanced Scorecard BSC, modelo que permite, a partir de uma viso integrada e

    balanceada da instituio, descrever a estratgia de forma clara, atravs de objetivos estratgicos

    distribudos em perspectivas. A cada objetivo so vinculados indicadores de desempenho, metas e

    iniciativas, possibilitando o direcionamento de esforos e a execuo da estratgia de forma

    integrada e orientada.

    A Misso do TRE-RJ Garantir a legitimidade do processo eleitoral. A Viso adotada pela

    instituio no perodo de 2010 a 2015 assim expressa: Ser reconhecido pela prestao de

    servios eleitorais de qualidade por meio da gesto efetiva de seus processos internos.

    Com foco no cumprimento de sua Misso, no alcance de sua Viso de Futuro e, em

    consonncia com suas finalidades e competncias institucionais, o TRE-RJ estabeleceu, a partir da

    Resoluo TRE-RJ n 832/2012, 16 (dezesseis) objetivos, segmentados em 3 (trs) perspectivas e 8

    (oito) temas, conforme a seguinte estrutura:

    Perspectiva Recursos

    Tema: Oramento

    Objetivo: Assegurar recursos oramentrios necessrios execuo da estratgia

    Tema: Infraestrutura e Tecnologia

    Objetivo: Garantir a infraestrutura adequada de TIC

    Objetivo: Garantir a infraestrutura adequada ao funcionamento do TRE-RJ

    Tema: Gesto de Pessoas

    Objetivo: Motivar e comprometer magistrados e servidores com a execuo da estratgia

    Objetivo: Desenvolver competncias necessrias s atividades institucionais

  • 33

    Perspectiva Processos Internos

    Tema: Alinhamento Estratgico

    Objetivo: Desenvolver a gesto orientada a resultados

    Tema: Atuao Institucional

    Objetivo: Aprimorar a comunicao com os pblicos externos

    Objetivo: Fortalecer e harmonizar as relaes com outras instituies

    Tema: Responsabilidade Social e Ambiental

    Objetivo: Fomentar o exerccio da cidadania

    Objetivo: Promover a responsabilidade ambiental

    Tema: Acesso

    Objetivo: Facilitar o acesso Justia Eleitoral

    Tema: Eficincia Operacional

    Objetivo: Buscar a excelncia na gesto de custos operacionais

    Objetivo: Garantir a agilidade dos feitos eleitorais

    Objetivo: Garantir a agilidade dos processos administrativos

    Objetivo: Aprimorar o processo eleitoral

    Perspectiva Sociedade

    Objetivo: Prestar servios de excelncia

    O mapa estratgico do TRE-RJ, instrumento que representa graficamente a estratgia

    facilitando sua interpretao e comunicao, vigente at dezembro de 2015, pode ser observado na

    figura que segue.

    Figura 2 Mapa Estratgico do TRE-RJ (Res. TRE-RJ n 832/2012)

    Soc

    ieda

    deP

    roce

    ssos

    Inte

    rnos

    Rec

    urso

    s

    Garantir a

    agilidade dos

    feitos eleitorais

    Prestar servios

    de excelncia

    Misso: Garantir a legitimidade do processo eleitoral

    Aprimorar o

    processo eleitoral

    tica Cooperao Comprometimento Orgulho Institucional Criatividade

    Responsabilidade Social e Ambiental

    Fomentar o

    exerccio da

    cidadania

    Promover a

    responsabilidade

    ambiental

    Viso: Ser reconhecido pela prestao de servios eleitorais de qualidade por meio da gesto efetiva de seus processos internos

    Eficincia Operacional

    Buscar a

    excelncia na

    gesto de custos

    operacionais

    Assegurar recursos

    oramentrios

    necessrios execuo

    da estratgia

    Oramento

    Garantir a

    agilidade dos

    processos

    administrativos

    Facilitar o acesso a

    Justia Eleitoral

    Gesto de Pessoas

    Desenvolver

    competncias

    necessrias s atividades

    institucionais

    Motivar e comprometer

    magistrados e

    servidores com a

    execuo da estratgia

    Infraestrutura e Tecnologia

    Garantir a infraestrutura

    adequada ao

    funcionamento

    do TRE-RJ

    Garantir a

    infraestrutura

    adequada de

    TIC

    Desenvolver a

    gesto orientada a

    resultados

    Alinhamento

    Estratgico

    Acesso

    Aprimorar a

    comunicao com

    os pblicos

    externos

    Fortalecer e

    harmonizar as

    relaes com

    outras instituies

    Atuao Institucional

    Credibilidade

    Celeridade

    Modernidade

    tica

    Acesso

    Transparncia

    Imparcialidade

    Probidade

    Responsabilidade

    Social e Ambiental

    Efetividade

  • 34

    O mapa estratgico consigna, ainda, os atributos de valor que o Tribunal Regional Eleitoral do

    Rio de Janeiro se compromete a entregar Sociedade por meio de seus objetivos estratgicos -

    Credibilidade, Celeridade, Modernidade, tica, Acesso, Transparncia, Imparcialidade, Probidade,

    Responsabilidade Social e Ambiental e Efetividade , bem como os valores que norteiam a maneira

    como a instituio pensa, age e responde s situaes, quais sejam: tica, Cooperao,

    Comprometimento, Orgulho Institucional e Criatividade.

    O monitoramento da estratgia do TRE-RJ, detalhadamente apresentado no item 3.2 deste

    relatrio, realizado por meio de indicadores de desempenho, com metas e periodicidades de

    medio estabelecidas, cujos resultados no exerccio de 2015 so apresentados no Anexo III deste

    relatrio.

    O processo de monitoramento da estratgia envolve, tambm, o acompanhamento das

    iniciativas consideradas prioritrias para alavancar o desempenho da instituio. Destaca-se que em

    decorrncia dos trabalhos de construo do Plano Estratgico para o perodo de 2016/2021,

    realizados ao longo de 2015, a estrutura de definio, monitoramento e controle das iniciativas

    estratgicas foi revista e aperfeioada.

    Em observncia aos critrios adotados a partir de 2016, algumas iniciativas em andamento em

    2015 foram priorizadas pelo Comit de Gesto da Estratgia e passaram a integrar o Plano Diretor

    da Estratgia 2016/2017, documento indito no TRE-RJ. Cabe destacar que referido documento

    visa, tambm, contribuir para o alinhamento do planejamento oramentrio ao planejamento

    estratgico.

    As demais iniciativas, iniciadas ou no, esto sobrestadas e aguardam avaliao do mencionado

    Comit quanto continuidade e priorizao.

    Durante o ano de 2015 foram concludas as seguintes iniciativas estratgicas:

    Central de Servios de TI

    Comit Gestor dos Portais

    Gesto por Competncias

    Guia de Incluso de Critrios Sustentveis para Contrataes

    Metodologia de Gesto de Processos do TRE-RJ

    Em 2016, at a concluso deste relatrio, mais dois projetos foram concludos, a saber,

    Segurana da Informao e TV Corporativa.

    Assim, das aes priorizadas para 2015, conforme se extrai do Relatrio de Gesto de 2014,

    deixaram de ser concludas apenas duas: Padronizao do registro de feitos no SADP e

    Sistematizao do Controle de Parcerias, as quais aguardam avaliao do Comit de Gesto da

    Estratgia.

    O Projeto de Melhoria do Processo de Compras e Contrataes e o projeto Planejamento das

    aes de reviso de eleitorado com cadastramento biomtrico de eleitores foram iniciados em 2015

    e esto em andamento, sendo este ltimo considerado prioritrio para o ano de 2016 e inserido no

    Plano Diretor 2016/2017.

    A relao de iniciativas consignadas no Plano Estratgico vigente em 2015 e as respectivas

    situaes de andamento at a data de concluso deste relatrio encontram-se na tabela que integra o

    Anexo IV.

    A realizao dos pleitos eleitorais enseja a elaborao de processo de planejamento especfico.

    O planejamento das eleies no TRE-RJ realizado, desde 2012, sob a forma de projeto e/ou plano

    de ao. Os processos que integram o macroprocesso finalstico Realizar Eleio, demonstrados

    na Cadeia de Valor apresentada no item 2.5 deste relatrio, so trabalhados durante o planejamento

    por equipes multidisciplinares. Uma vez validadas as atividades relacionadas a cada processo, os

    respectivos responsveis e os prazos de execuo, essas informaes so inseridas em ferramenta

  • 35

    informatizada denominada Planejamento Integrado das Eleies PIE, que fica disponvel na

    Intranet do Tribunal para consulta e monitoramento. O PIE tambm dispe de funcionalidade para

    registro de ocorrncias na execuo das atividades, constituindo-se em repositrio de informaes

    de grande valia para a melhoria contnua do processo eleitoral.

    O planejamento das eleies de 2016 foi desenvolvido em 2015 sob a forma de plano de ao e

    o sistema PIE, devidamente atualizado, foi disponibilizado na Intranet no incio de 2016.

    A gesto ambiental sistematicamente realizada no TRE-RJ desde 2011. Para tanto, adota a

    Agenda Ambiental, plano que, a exemplo do plano estratgico, utiliza como base metodolgica o

    BSC. A primeira Agenda Ambiental do Tribunal foi aprovada pelo Ato GP n 144/2011, para o

    perodo de 2011 a 2014, sendo revisada, em 2014, pelo Ato GP n 200/2014, que prorrogou sua

    vigncia at dezembro de 2015.

    O mapa ambiental vigente em 2015 composto por seis objetivos ambientais, a saber:

    Promover a incluso de critrios sustentveis nas contrataes de compras e servios

    Promover a racionalizao do consumo de recursos materiais

    Promover a racionalizao do consumo de recursos naturais

    Promover a correta destinao de resduos

    Divulgar o papel do TRE-RJ na preservao ambiental

    Desenvolver conhecimentos, habilidades e atitudes do pblico interno em matria eleitoral

    Para monitorar o cumprimento desses objetivos, foram estabelecidos 17 (dezessete) indicadores

    com metas associadas. Os indicadores ambientais e seus respectivos desempenhos no exerccio de

    2015 esto apresentados no Anexo V deste relatrio. O item 7.4 deste relatrio apresenta outras

    informaes sobre os principais aspectos da gesto ambiental no TRE-RJ.

    No que tange ao desdobramento da estratgia para os nveis ttico e operacional, ao final de

    2015 somente a Secretaria de Tecnologia da Informao tinha a estratgia formalmente desdobrada

    para o nvel ttico, cujo plano foi aprovado pela Resoluo TRE-RJ n 728/2010, no tendo

    ocorrido processo revisional desde sua aprovao.

    No segundo semestre de 2013 foi iniciado o processo de desdobramento da estratgia

    institucional para outras duas unidades Secretaria de Gesto de Pessoas e Secretaria de

    Administrao. A concluso dos trabalhos ficou condicionada finalizao do processo de

    formulao da estratgia 2016/2021, ocorrida em dezembro de 2015, tendo em vista a necessidade

    de garantir o devido alinhamento entre o novo plano estratgico e os planos desdobrados.

    Ocorre que o Plano Estratgico 2016/2021 introduziu um modelo estruturado de mensurao de

    desempenho, que consiste na composio de indicadores que se articulam, a partir de relaes de

    causa e efeito, adotando como premissa os fatores crticos associados aos objetivos estratgicos.

    Tal modelo permitiu o desdobramento dos indicadores estratgicos para o nvel ttico, agregando

    indicadores dos dois nveis em um sistema integrado.

    Estima-se que a adoo desse sistema, por tornar mais evidentes as lacunas de desempenho,

    otimize o processo decisrio, tornando-o mais preciso, bem como favorea a comunicao da

    estratgia, j que facilita a compreenso da correlao entre a atuao e os esforos das diversas

    unidades com os resultados do Tribunal.

    Considerando esse contexto, a iniciativa Desdobramento da Estratgia para as unidades do

    TRE-RJ dever ser reavaliada, conforme consignado na tabela que integra o Anexo IV deste

    relatrio.

    Ainda com relao ao desdobramento para o nvel operacional, destaca-se que a Metodologia

    de Gesto de Processos do TRE-RJ, publicada em 13/04/2015, prev as etapas necessrias ao

    desdobramento da estratgia para processos, bem como a adoo de indicadores de processo.

  • 36

    Pretende-se que, a partir da mensurao destes indicadores, a operao do Tribunal possa ser

    melhor avaliada e uma estrutura de monitoramento e controle mais efetiva seja sedimentada.

    Em 2015 foram desenvolvidos dois projetos de melhoria de processos, com base na

    metodologia, relacionados aos processos Realizar Manuteno dos Cartrios Eleitorais e

    Realizar Compras e Contrataes, no tendo sido realizado o desdobramento da estratgia para

    processos, uma vez que estava sendo formulada a estratgia 2016/2021.

    Ressalta-se que o projeto de melhoria do processo Realizar Manuteno dos Cartrios

    Eleitorais foi concludo em maio de 2016 e gerou, dentre seus produtos, trs indicadores

    operacionais vinculados Seo de Manuteno Predial.

  • 37

    3.1.1 Descrio sinttica dos objetivos do exerccio

    Observa-se, ao final de 2015, sensvel melhora de desempenho da maior parte dos objetivos

    estratgicos do TRE-RJ, conforme tabela que segue:

    Tabela 1 - Desempenho dos objetivos estratgicos em 2015

    Objetivo Desempenho

    2014

    Desempenho

    2015

    Situao do

    Objetivo

    Prestar servios de excelncia 3 3

    Garantir a agilidade dos feitos eleitorais 1,57 1,71

    Garantir a agilidade dos processos administrativos 1 0

    Buscar a excelncia na gesto de custos operacionais 3 3

    Aprimorar o processo eleitoral 2 3

    Facilitar o acesso Justia Eleitoral 1 2

    Promover a responsabilidade ambiental 1 3

    Fomentar o exerccio da cidadania 1 2

    Aprimorar a comunicao com os pblicos externos 2,3 2,3

    Fortalecer e harmonizar as relaes com outras instituies 3 3

    Desenvolver a gesto orientada a resultados 1 1,67

    Desenvolver competncias necessrias s atividades institucionais 0,66 0,66

    Motivar e comprometer magistrados e servidores com a execuo da

    estratgia 1,33 1,33

    Garantir a infraestrutura adequada ao funcionamento do TRE-RJ 0,33 0

    Garantir a infraestrutura adequada de TIC 2,5 2,5

    Assegurar recursos oramentrios necessrios execuo da estratgia 1,67 2

    Perspectiva Sociedade Perspectiva Processos Internos

    Perspectiva Recursos

    No exerccio de 2015, especial ateno foi dedicada aos objetivos Aprimorar o processo

    eleitoral e Desenvolver a gesto orientada a resultados.

    No que se refere ao primeiro objetivo, grande parte dos esforos institucionais naquele ano foi

    direcionada para ampliar o nmero de eleitores com cadastro biomtrico, em observncia s

    diretrizes estabelecidas pelo Tribunal Superior Eleitoral. O cadastramento biomtrico de eleitores

    visa otimizar a gesto do cadastro eleitoral e garantir ainda maior segurana ao processo eleitoral.

    O resultado desses esforos se reflete na melhoria do desempenho do objetivo.

    Conforme se extrai da anlise do indicador EO - 11 Percentual de Eleitores com Cadastro

    Biomtrico, cuja ficha integra o Anexo III deste relatrio, em 2015 houve significativo aumento

    no nmero de zonas eleitorais com atendimento biomtrico. Ao final daquele exerccio o estado do

    Rio de Janeiro contava com 146 zonas eleitorais realizando atendimento com coleta de dados

    biomtricos.

    Apesar do bom desempenho refletido no cumprimento da meta estabelecida no plano

    estratgico do TRE-RJ, cuja definio considerou a restrio imposta pela limitao de recursos, o

    desempenho obtido est bastante aqum da meta de 5 milhes de eleitores com cadastro biomtrico

    no estado do Rio de Janeiro em 2016, estabelecida pelo TSE no incio de 2015.

  • 38

    No final do ms de abril de 2016, isto , antes do fechamento do cadastro eleitoral, havia no

    estado do Rio de Janeiro 802.601 eleitores cadastrados com biometria. No mesmo perodo de 2015,

    esse quantitativo correspondia a 419.708 eleitores, revelando a evoluo de 91,22%. Considerando

    o prazo de fechamento do cadastro, isto , 5 de maio de 2016, estima-se acrscimo quele

    quantitativo devido ao afluxo de pessoas aos cartrios eleitorais nesse perodo.

    A fim de dimensionar esses nmeros, seguem dados gerais sobre o eleitorado e atendimentos

    no estado do Rio de Janeiro:

    Tabela 2 Eleitorado do Estado do Rio de Janeiro (abril/2016) Geral Com Biometria %

    Eleitorado do Estado do Rio de Janeiro 12.332.918 802.601 6,50

    Eleitorado do Municpio do Rio de Janeiro 4.876.043 136.437 1,10

    Eleitorado do interior do Estado do Rio de Janeiro 7.456.875 666.164 5,40

    Fonte: http://www.tse.jus.br/eleitor/estatisticas-de-eleitorado/evolucao-do-eleitorado

    Tabela 3 Quantidade de atendimentos decorrentes da administrao do Cadastro Eleitoral Servio 2014 2015

    Alistamento Eleitoral 242.930 271.099

    Transferncia de domiclio eleitoral 86.920 80.195

    Reviso de dados eleitorais 137.233 211.773

    Expedio de 2 via de ttulo eleitoral 74.099 18.496

    Total de Atendimentos 541.182 581.563

    Fonte: Sistema ELO

    Embora o TSE tenha fornecido kits biomtricos suficientes para atender a todos os cartrios

    eleitorais, a falta de estrutura fsica para realizao do atendimento biomtrico ordinrio, bem como

    a reduzida dotao oramentria disponibilizada pelo TSE para a realizao de revises de

    eleitorado, persistem como os maiores obstculos para o alcance da meta pretendida pelo Tribunal

    Superior Eleitoral. Ademais, o significativo corte oramentrio ocorrido em 2016 e a tendncia de

    retrao da economia agravam ainda mais esse quadro.

    Visando aproximar-se ao mximo das expectativas do TSE, o TRE-RJ priorizou para o binio

    2016/2017 a continuidade do projeto Planejamento das aes de reviso de eleitorado com

    cadastramento biomtrico de eleitores, iniciado em 2015, que objetiva o planejamento de longo

    prazo para que todos os eleitores do estado do Rio de Janeiro tenham seus dados biomtricos

    cadastrados.

    Ainda em relao ao aprimoramento do processo eleitoral, em 2015 foi realizado o

    planejamento das eleies de 2016. Visando levantar os principais aspectos crticos que permeiam

    o processo eleitoral, considerando as diversidades regionais, bem como fomentar a troca de

    experincias entre as diversas unidades do TRE-RJ em todo o Estado, foram realizadas visitas a

    zonas eleitorais e reunies de trabalho com equipes multidisciplinares, subsidiando o processo de

    planejamento das eleies que sero realizadas no corrente ano.

    No que tange ao objetivo Desenvolver a gesto orientada a resultados, os trabalhos de

    construo do Plano Estratgico do TRE-RJ para o sexnio 2016/2021 foram iniciados no segundo

    semestre de 2015, mobilizando as diversas unidades do Tribunal e transcorrendo de forma bastante

    exitosa. Observou-se maior engajamento de gestores e servidores com o processo, caracterizando

    maior amadurecimento institucional em relao ao tema, o que se corrobora pelas diversas

    sugestes apresentadas visando aprimorar o processo de gesto estratgica. O Plano Estratgico

    2016/2021 foi aprovado em dezembro de 2015 pela Resoluo TRE-RJ n 938/2015.

    http://www.tse.jus.br/eleitor/estatisticas-de-eleitorado/evolucao-do-eleitorado

  • 39

    Apesar de apresentar desempenho mais satisfatrio em 2015 se comparado ao do ano anterior,

    o objetivo ainda demanda ateno. Com a vigncia do Plano Estratgico 2016/2021, ajustes foram

    realizados visando aprimor-lo e sua abrangncia passou a integrar o escopo do objetivo Fortalecer

    a governana institucional, ao qual esto vinculados trs indicadores estratgicos, dentre os quais o

    ndice de execuo e monitoramento da estratgia, cujo desempenho corresponde resultante de

    trs indicadores de apoio ndice de execuo das iniciativas estratgicas; ndice de realizao de

    Reunies de Anlise da Estratgia e ndice de realizao de Reunies de Anlise Crtica.

    Em 2015, o Sistema de Gesto da Estratgia GERIR entrou em operao. Desenvolvido pela

    equipe do TRE-RJ, apresenta as seguintes funcionalidades: cadastro do plano estratgico e planos

    desdobrados; registro de medies de variveis; clculo de indicadores; registro das anlises de

    indicadores e objetivos; alertas aos responsveis pelas medies e anlises sobre os prazos para

    entrada de dados no sistema; consultas de desempenho; gerao de dados em arquivo formatado

    para compor o Relatrio de Anlise da Estratgia.

    Devido s mudanas decorrentes da instituio do Plano Estratgico 2016/2021, o GERIR est

    sendo adaptado para recepcionar a nova estrutura de indicadores e o modelo de avaliao de

    desempenho que passaro a ser adotados pelo Tribunal.

    Com o objetivo de fortalecer a gesto do TRE-RJ, esto previstas para 2016, alm da

    adequao do GERIR, a realizao das seguintes iniciativas: a) instituio do Plano Diretor da

    Estratgia; b) Divulgao do glossrio de indicadores do Plano Estratgico 2016/2021; c)

    Desdobramento da arquitetura de processos em, pelo menos, mais um nvel; d) Estruturao do

    sistema de monitoramento e gesto estratgica do TRE-RJ.

    Significativa melhora de desempenho apresentou o objetivo Promover a responsabilidade

    ambiental, impulsionado pelo bom resultado da Agenda Ambiental. Em comparao com o

    exerccio de 2014, observa-se melhoria dos seguintes objetivos ambientais: a) Promover a incluso

    de critrios sustentveis nas contrataes de servios e de compras; b) Promover a racionalizao do

    consumo de recursos materiais; c) Promover a racionalizao do consumo de recursos naturais; d)

    Divulgar o papel do TRE-RJ na preservao ambiental.

    Atribui-se a melhoria do desempenho dos objetivos s seguintes medidas implementadas em

    2015:

    Instituio do Guia de Incluso de Critrios Sustentveis para Contrataes do TRE-RJ, em maio de 2015, por meio do Ato GP n 224/2015, viabilizando a medio dos dois indicadores

    vinculados ao primeiro objetivo elencado;

    Implementao de sistemtica de controle de consumo de papel, copos descartveis para gua e para caf, individualizado por Cartrio Eleitoral, decorrente de plano ao aprovado em RAE

    realizada em maio de 2014, cuja efetiva implantao ocorreu a partir do final daquele exerccio,

    impactando na melhoria do desempenho do indicador Consumo de copos descartveis para

    caf e, consequentemente, do segundo objetivo elencado, em 2015;

    Implementao de sistemtica de controle de consumo de energia e fornecimento de gua e tratamento de esgoto, individualizado por Cartrio Eleitoral, decorrente de plano ao aprovado

    em RAE realizada em maio de 2014, cuja efetiva implantao ocorreu a partir do final daquele

    exerccio, impactando na melhoria do desempenho do indicador Consumo de energia e,

    consequentemente, do terceiro objetivo elencado, em 2015;

    Reformulao do Portal Ambiental.

    Os indicadores que compem a Agenda Ambiental, cujos resultados subsidiam o resultado do

    objetivo estratgico Promover a responsabilidade ambiental, e seus respectivos desempenhos no

    exerccio de 2015 esto apresentados no Anexo V deste relatrio.

  • 40

    Destaca-se, ainda, que o melhor desempenho do objetivo Facilitar o acesso Justia Eleitoral

    em 2015 deve-se a dois fatores.

    O primeiro a excluso do indicador ndice de acesso Justia do Plano Estratgico

    institucional em 2015. A excluso decorreu dos estudos realizados durante o desenvolvimento da

    iniciativa Justia Eleitoral Itinerante, que constataram a inadequao e inaplicabilidade do

    indicador realidade da Justia Eleitoral fluminense, conforme se depreende da respectiva anlise,

    que integra o Anexo III deste relatrio, importando na distoro do resultado do objetivo. O

    referido projeto foi concludo pelo respectivo gerente e aguarda avaliao do Comit de Gesto da

    Estratgia.

    O segundo fator decorre do melhor desempenho do indicador ndice de atendimento s

    demandas de aes de acesso. Em RAE realizada em novembro de 2014, foi aprovado plano de

    ao para ampliar a realizao de aes de acesso pelo TRE-RJ. O incremento dessas aes de

    fundamental importncia, uma vez que visam informar a sociedade sobre os servios prestados pelo

    Tribunal, bem como prestar orientaes relativas ao exerccio dos direitos polticos. Executado em

    2015, as aes implementadas impactaram em significativa melhora de desempenho, alcanando o

    indicador o resultado de 77,59%, contra os 42,31/% alcanados em 2014.

    Embora o resultado dos objetivos mencionados tenha apresentado melhor desempenho em

    2015, observa-se, por outro lado, piora significativa de dois objetivos: a) Garantir a infraestrutura

    adequada ao funcionamento do TRE-RJ; b) Garantir a agilidade dos processos administrativos.

    No que se refere ao primeiro objetivo, Garantir a infraestrutura adequada ao funcionamento do

    TRE-RJ, seus resultados tm se mostrado insatisfatrios ao longo do tempo e sem qualquer

    evoluo. Ademais, a infraestrutura inadequada foi um dos aspectos mais apontados na fase de

    diagnstico realizada durante o processo de construo do Plano Estratgico 2016/2021. Outros

    instrumentos tm revelado essa criticidade, dentre os quais a Pesquisa de Clima Organizacional e a

    Pesquisa de Satisfao do Cliente Externo do TRE-RJ. Os reduzidos recursos oramentrios so o

    fator que mais impacta na adequao da infraestrutura.

    Nesse contexto, o Comit de Gesto da Estratgia deliberou pela priorizao deste objetivo em

    2016, identificando as aes a serem desenvolvidas visando melhorar seu desempenho, dentre as

    quais o Diagnstico das condies de adequao das instalaes fsicas dos cartrios eleitorais,

    estando prevista para 2016 a elaborao de projeto bsico para contratao de ferramenta

    informatizada para gerenciamento das informaes sobre as instalaes fsicas e custos de

    manuteno dos imveis que abrigam os cartrios eleitorais do estado do Rio de Janeiro. Estima-se

    que a medida contribua para