KEILA CRISTINA FACUNDO ROGENSKI - uel.br CRISTINA  · marginalizados, durante muitos anos, mas também

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of KEILA CRISTINA FACUNDO ROGENSKI - uel.br CRISTINA  · marginalizados, durante muitos anos, mas...

  • KEILA CRISTINA FACUNDO ROGENSKI

    INCLUSO DO SURDO NA EDUCAO DE JOVENS E ADULTOS

    LONDRINA 2010

  • KEILA CRISTINA FACUNDO ROGENSKI

    INCLUSO DO SURDO NA EDUCAO DE JOVENS E ADULTOS

    Trabalho de Concluso de Curso, apresentado ao Curso de Pedagogia da UEL - Universidade Estadual de Londrina, como requisito parcial para concluso do curso de graduao em Pedagogia.

    Orientador: Prof.Ms. Edmilson Lenardo

    LONDRINA 2010

  • KEILA CRISTINA FACUNDO ROGENSKI

    INCLUSO DO SURDO NA EDUCAO DE JOVENS E ADULTOS

    Trabalho de Concluso de Curso, apresentado ao Curso de Pedagogia da UEL - Universidade Estadual de Londrina, como requisito parcial para concluso do curso de graduao em Pedagogia.

    COMISSO EXAMINADORA

    ____________________________________ Prof. Ms Edmilson Lenardo

    Orientador

    ____________________________________ Prof.Dr.Silvia M. Meletti

    Universidade Estadual de Londrina

    ____________________________________ Prof. Dnda. Ana Lcia Ferreira

    Universidade Estadual de Londrina

    Londrina, 22 de novembro de 2010.

  • Dedico este trabalho todos os alunos que em

    algum momento de sua vida foram vtimas da

    excluso escolar.

  • AGRADECIMENTO

    Agradeo primeiramente a Deus, meu Senhor que durante toda caminhada

    neste curso, me deu foras nos momentos mais difceis e me sustentou com braos

    fortes, alm de ter me proporcionado a realizao de um sonho.

    Agradeo ao meu marido, Carlos Csar, pelo incentivo, companheirismo e

    compreenso dispensada.

    Agradeo aos meus filhos, Ana Gabrielle, Isabelle, Joo Vyctor e Carlos

    Csar Jnior que, por muitas vezes foram inspirao para eu prosseguir at o final.

    Por terem compreedido com pacincia e amor minhas ausncias.

    Agradeo ao meu orientador Professor Edmilson Lenardo, no s pelas

    orientaes neste trabalho, mas, sobretudo, pela amizade que construimos nesse

    perodo.

    Aos professores que contriburam em minha formao acadmica por

    demonstrarem compromisso com a educao e profissionalismo com a formao

    humana.

    Aos colegas que conviveram comigo durante quatro longos anos,

    proporcionando momentos singulares. Em especial Josiane, Gislaine, Giovana,

    Paula, Jssica e Natlia, pelas realizaes dos trabalhos em grupos.

    Aos meus familiares, em especial, minhas irms, Josiane e Josiele que

    foram fundamentais para eu pudesse concluir essa etapa. No fossem elas, jamais

    teria chegado at aqui. Por todo incentivo , empenho, e por terem acreditado em

    mim.

    minha me e minha sogra, pelo constante apoio e amparo em todo

    tempo.

    Agradeo professora e amiga, Cludia Chueire, pelos conselhos e ajuda

    na elaborao deste trabalho.

    Finalmente agradeo aos que, direta ou indiretamente estiveram envolvidos

    nesse processo, que torceram e acreditaram em mim.

  • Precisamos dizer aos jovens que os melhores livros ainda sero escritos; as melhores pinturas ainda sero realizadas; os melhores governos ainda sero formados; o melhor ainda est por ser realizado por eles.

    John Erskine

  • ROGENSKI, Keila Cristina Facundo. Incluso do Surdo na Educao de Jovens e Adultos, 2010. 42 folhas. Trabalho de Concluso de Curso (Graduao em Pedagogia) Universidade Estadual de Londrina, 2010.

    RESUMO

    O presente trabalho teve como objetivo analisar a incluso do aluno surdo na Educao de Jovens e Adultos (EJA). Para isso, fez-se necessrio abordar o processo histrico da EJA e da educao dos surdos, bem como, as transformaes polticas e sociais ocorridas que caracterizam hoje os sujeitos existentes em seu espao. Utilizou-se de reviso bibliogrfica. Os resultados apontam que a EJA tem se transformado em um espao inclusivo, por meio de mudanas conjunturais e mobilizaes sociais que foraram as polticas educacionais permitirem acesso dos surdos em seu espao. Alm disso, o trabalho apontou que os espaos inclusivos da EJA acolhem tambm outros sujeitos com necessidades educacionais especiais e grupos minotrios. Para concluir, o trabalho aponta alguns desafios para que a EJA possa atender minimamente a diversidade de seus sujeitos. Palavras-chave: EJA. Processo histrico. Educao do Surdo. Incluso.

  • SUMRIO

    INTRODUO................................................................................................. 9 1 EDUCAO DE JOVENS E ADULTOS...................................................... 11

    1.1. Primrdios da Educao no Brasil.................................................... 11 1.2. Breve histrico dos programas e polticas educacionais destinados a EJA ............................................................................................................ 12 1.2.1. O perodos militar .............................................................................. 14 1.2.2. O Ensino Supletivo............................................................................ 16 1.2.3. A EJA ps 1985.................................................................................. 17 2 A EDUCAO DOS SURDOS...................................................................... 21

    2.1. Breve histrico da Educao dos Surdos.......................................... 21 2.1.1. O Congresso de Milo....................................................................... 24 2.2. A Educao dos Surdos no Brasil....................................................... 27 2.2.1. Educao inclusiva.............................................................................. 28

    2.2.2. A Lngua Brasileira de Sinais............................................................... 30

    3 OS SUJEITOS DA EJA................................................................................. 32 3.1. O aluno surdo na EJA......................................................................... 33

    CONSIDERAES FINAIS............................................................................... 38 .

    REFERNCIAS................................................................................................. 40

  • 9

    INTRODUO

    Embora ningum possa voltar e comear tudo do zero outra vez, qualquer um pode comear agora e ter um final indito.

    Carl Bard.

    A educao formal tem sido cada vez mais exigida nas

    sociedades ocidentais, e se tornou necessria no Brasil, a partir das

    transformaes sociais, polticas e econmicas ocorridas no pas, para a

    qualificao de mo-de-obra, bem como, a manuteno do sistema econmico.

    A Educao de Jovens e Adultos (EJA) considerada uma

    modalidade da educao desde a Lei de Diretrizes e Bases 9394/96. Com a

    Declarao de Hamburgo em 1997, artigo 3, essa modalidade compreendida

    como uma educao que abrange os aspectos da educao formal, informal e

    no formal destinada a jovens e adultos, portanto, deve proporcionar o

    desenvolvimento de suas habilidades e de suas qualificaes tcnicas.

    Nem sempre a EJA foi concebida dessa forma. Como veremos

    na sequncia do trabalho, de tempo em tempo, ela recebe diferentes definies

    e compreenses.

    O presente trabalho tem como objetivo analisar como se deu o

    processo de incluso dos surdos no contexto da EJA, sendo necessrio fazer

    um retrospecto no histrico dos programas destinados mesma, bem como, o

    processo histrico da educao dos surdos, surgido na Europa por volta do

    sculo XIV, e dessa forma, expor como veio se caracterizando em um espao

    inclusivo, de sujeitos com experincias de vida to diversificado.

    O interesse pelo tema surgiu no primeiro ano de graduao,

    quando no final de 2007 e incio de 2008, comecei a participar do projeto de

    extenso, denominado como Grupo de Estudo Pedaggico em Educao de

    Jovens e Adultos (GEPEJA), desde ento decidi pesquisar os sujeitos

    existentes na EJA, delimitando assim, de seu contexto, o aluno surdo.

    Dessa forma, o problema surge da seguinte questo: Quais

    foram os aspectos que favoreceram a incluso dos surdos na EJA?

  • 10

    Diante dessa questo, nos propomos a investigar atravs do

    processo histrico da EJA e da educao dos surdos, elementos que dessem

    pistas de como chegaramos a uma concluso.

    Na busca de respostas, realizamos uma pesquisa qualitativa,

    visto que a mesma faz uma abordagem histrica e social, onde os sujeitos

    descritos so atores deste processo. Para tanto, utilizamos uma reviso

    bibliogrfica, que procurou apontar os caminhos trilhados pelos sujeitos da EJA.

    Sujeitos estes que passaram por processo de excluso social e escolar.

    Estruturamos nosso trabalho em trs captulos, sendo que, no

    primeiro captulo, para que pudssemos compreender o espao em nossa

    sociedade destinado a EJA, foi necessrio abordar o processo histrico de

    alguns programas sociais e polticos, basicamente pautado nas obras de

    Haddad e Di Pierrro (2000), Beisiegel (1997) e Romo (2006), que julgamos

    pertinentes, destinados mesma desde o inicio da educao brasileira.

    No segundo captulo, procuramos fazer um retrospecto do

    processo histrico da educao dos surdos, nos fundamentando em Skliar

    (1997,1998), Reily (2007), Perlin e Strobel (2009), Quadros e Perlin (2007),

    entre outros, tentando demonstrar a realidade com que foram segregados e

    marginalizados, durante muitos anos, mas tambm apontar os ganhos legais

    que os mesmos conquistaram a partir