Laudo Pericial

  • View
    37

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Como fazer;Legislação Pertinente;Passo a Passo;Modelos de Laudo Pericial;

Text of Laudo Pericial

  • Objetivos da Percia

    Consideraes preliminares

    O local periciado

    Atividades exercidas no local periciado

    Metodologia

    Concluso

    Respostas aos quesitos

    Bibliografia

    Anexos

    Encerramento

  • Deve inicialmente apresentar:

    Processo de referncia.

    Dados do solicitante e das partes envolvidas.

  • Objetivos da Percia

    Consideraes preliminares

    O local periciado

    Atividades exercidas no local periciado

    Metodologia

    Concluso

    Respostas aos quesitos

    Bibliografia

    Anexos

    Encerramento

    Objetivos da Percia

    Consideraes preliminares

    O local periciado

    Atividades exercidas no local periciado

    Metodologia

    Concluso

    Respostas aos quesitos

    Bibliografia

    Anexos

    Encerramento

  • Objetivos da Percia

    Consideraes preliminares

    O local periciado

    Atividades exercidas no local periciado

    Metodologia

    Concluso

    Respostas aos quesitos

    Bibliografia

    Anexos

    Encerramento

    Objetivos da Percia

    Consideraes preliminares

    O local periciado

    Atividades exercidas no local periciado

    Metodologia

    Concluso

    Respostas aos quesitos

    Bibliografia

    Anexos

    Encerramento

  • Objetivos da Percia

    Consideraes preliminares

    O local periciado

    Atividades exercidas no local periciado

    Metodologia

    Concluso

    Respostas aos quesitos

    Bibliografia

    Anexos

    Encerramento

    Objetivos da Percia

    Consideraes preliminares

    O local periciado

    Atividades exercidas no local periciado

    Metodologia

    Concluso

    Respostas aos quesitos

    Bibliografia

    Anexos

    Encerramento

  • LOCALIZAO DA REA:

    Endereo completo.

    Coordenadas.

    Croquis, roteiros de acesso, imagens de satlite,

    fotos areas, etc.

  • SITUAO LEGAL DA REA:

    rea urbana ou rural?

    rea urbana consolidada ou rural consolidada?

    rea pblica ou particular?

    rea sem proteo especial ou especialmente

    protegida?

  • CASOS DE ESPECIAL PROTEO:

    Unidade de Conservao ou zona de amortecimento?

    Que tipo?

    rea de Preservao Permanente? Quais?

    Reserva Legal?

    rea de Proteo de Mananciais?

    Zona Ecolgica Econmica? Qual?

    rea tombada? Que tipo?

  • Unidades de Conservao

    Espaos territoriais e seus recursos ambientais

    Caractersticas naturais relevantes

    Legalmente institudos pelo Poder Pblico

    Objetivos de conservao

    Limites definidos

    Sistema Nacional de Unidades de Conservao

    SNUC Lei 9985/00

    Marcos de Castro Simanovic

  • Proteo integral

    Uso sustentvel

    Unidades de Conservao

    Marcos de Castro Simanovic

    Sistema Nacional de Unidades de Conservao

    SNUC Lei 9985/00

  • Proteo Integral

    Permitido o uso indireto dos recursos naturais

    Pesquisas cientficas

    Desenvolvimento de atividades de educao

    Recreao em contato com a natureza

    Turismo ecolgico

    Marcos de Castro Simanovic

    Sistema Nacional de Unidades de Conservao

    SNUC Lei 9985/00

  • Proteo Integral

    Categorias:

    Estao Ecolgica

    Reserva Biolgica

    Parque Nacional

    Monumento Natural

    Refgio de Vida Silvestre.Marcos de Castro Simanovic

    Sistema Nacional de Unidades de Conservao

    SNUC Lei 9985/00

  • Uso Sustentvel

    Permitido o uso sustentvel

    Parcela de seus recursos naturais

    Compatibilidade com a conservao da natureza.

    Marcos de Castro Simanovic

    Sistema Nacional de Unidades de Conservao

    SNUC Lei 9985/00

  • Uso Sustentvel Categorias:

    rea de Proteo Ambiental

    rea de Relevante Interesse Ecolgico

    Floresta Nacional

    Reserva Extrativista

    Reserva de Fauna

    Reserva de Desenvolvimento Sustentvel

    Reserva Particular do Patrimnio Natural.

    Marcos de Castro Simanovic

    Sistema Nacional de Unidades de Conservao

    SNUC Lei 9985/00

  • Parque Estadual Ilha Anchieta (Proteo Integral)

    Marcos de Castro Simanovic

    Sistema Nacional de Unidades de Conservao

    SNUC Lei 9985/00

  • Ncleos de gesto

    Ncleo Cunha - Indai

    Parque Estadual da Serra do Mar (Proteo Integral)

    Marcos de Castro Simanovic

    Sistema Nacional de Unidades de Conservao

    SNUC Lei 9985/00

  • Causar dano direto ou indireto s Unidades de Conservao Pena - recluso de 1 a 5 anos.

    CRIMES AMBIENTAIS EM UC LEI 9605/98

    Artigo 40 da Lei 9605/98Marcos de Castro Simanovic

  • CRIMES AMBIENTAIS EM UC LEI 9605/98

    Marcos de Castro Simanovic

    Penetrar em Unidades de Conservao conduzindo substncias ou instrumentosprprios para caa ou para explorao de produtos ou subprodutos florestais.

    Artigo 52 da Lei 9605/98 Pena - deteno de 6 meses a 1 ano e multa.

  • CASOS DE ESPECIAL PROTEO:

    Unidade de Conservao ou zona de amortecimento?

    Que tipo?

    rea de Preservao Permanente? Quais?

    Reserva Legal?

    rea de Proteo de Mananciais?

    Zona Ecolgica Econmica? Qual?

    rea tombada? Que tipo?

  • Marcos de Castro Simanovic

    Lei 12.651/12 - Cdigo Florestal

    Apresenta novos conceitos e princpios

    Esclarece conceitos e princpios antigos

    Traz alteraes significativas

    Apresenta regras; excees s regras; regras

    para as excees e excees s regras das

    excees!

  • Unicidade de interpretao (Poder Executivo do Estado)

    Licenciamento e Fiscalizao entendimento padronizado

    PAmb - Polcia Militar Ambiental

    CFA - Coordenadoria de Fiscalizao Ambiental

    Agncia Ambiental

    ANLISE E CONCLUSES CONJUNTAS

    Aplicao no Estado de So Paulo

    Marcos de Castro Simanovic

  • Vigncia

    28 de maio de 2012

    Publicao no Dirio Oficial

    Marcos de Castro Simanovic

    Lei 12.651/12 - Cdigo Florestal

    Outra data de referncia:22 de julho de 2008

  • REVOGA

    - Lei 4.771/65 Cdigo Florestal

    - Lei 7.754/89 proteo de florestas em nascentes

    - Medida Provisria n 2.166-67/01

    Marcos de Castro Simanovic

    ALTERA

    - Leis 6.938/81 (PNMA), Lei 9.393/96 (ITR), 11.428/06 (MA)

    - Resolues CONAMA 302/02 e 303/02

    Vigncia

    Lei 12.651/12 - Cdigo Florestal

  • Conceitos Art. 3

    Marcos de Castro Simanovic

    Lei 12.651/12 - Cdigo Florestal

    rea protegida, coberta ou no por vegetao nativa,

    com a funo ambiental de preservar os recursos

    hdricos, a paisagem, a estabilidade geolgica e a

    biodiversidade, facilitar o fluxo gnico de fauna e flora,

    proteger o solo e assegurar o bem-estar das populaes

    humanas.

    II - rea de Preservao Permanente - APP

  • Conceitos Art. 3

    Marcos de Castro Simanovic

    Lei 12.651/12 - Cdigo Florestal

    parcela da rea urbana com densidade demogrfica superior a 50

    (cinquenta) habitantes por hectare e malha viria implantada e que

    tenha, no mnimo, 2 (dois) dos seguintes equipamentos de

    infraestrutura urbana implantados:

    a) drenagem de guas pluviais urbanas;

    b) esgotamento sanitrio;

    c) abastecimento de gua potvel;

    d) distribuio de energia eltrica; ou

    e) limpeza urbana, coleta e manejo de resduos slidos

    XXVII rea urbana consolidada

  • Conceitos Art. 3

    Marcos de Castro Simanovic

    Lei 12.651/12 - Cdigo Florestal

    rea de imvel rural com ocupao antrpica

    preexistente a 22 de julho de 2008, com edificaes,

    benfeitorias ou atividades agrossilvipastoris, admitida,

    neste ltimo caso, a adoo do regime de pousio.

    IV - rea rural consolidada

  • Conceitos

    Marcos de Castro Simanovic

    Lei 12.651/12 - Cdigo Florestal

    O Sistema Agrossilvipastoril uma modalidade dos Sistemas

    Agroflorestais (SAFs), em que se combina rvores, cultura agrcola,

    forrageira e/ou animais numa mesma rea ao mesmo tempo ou de

    forma sequencial, sendo manejados de forma integrada (Daniel 1999).

    Uso integrado de reas rurais com cultivo, pastagem e florestas,

    segundo a vocao ambiental. (www.ambientebrasil.com.br)

    Agrossilvipastoril

    A interpretao vigente no exige o sistema, a formaintegrada, sendo considerada agrossilvipastorilqualquer uma das atividades citadas, mesmo que

    isoladamente.

  • Conceitos Art. 3

    Marcos de Castro Simanovic

    Lei 12.651/12 - Cdigo Florestal

    VIII - utilidade pblica

    IX - interesse social

    X - atividades eventuais ou de baixo impacto ambiental

  • Conceitos Art. 3

    Marcos de Castro Simanovic

    Lei 12.651/12 - Cdigo Florestal

    afloramento natural do lenol fretico que apresenta

    perenidade e d incio a um curso dgua.

    XVII - nascente

  • Conceitos Art. 3

    Marcos de Castro Simanovic

    Lei 12.651/12 - Cdigo Florestal

    afloramento natural do lenol fretico, mesmo que

    intermitente.

    XVIII - olho dgua

  • Conceitos Art. 3

    Marcos de Castro Simanovic

    Lei 12.651/12 - Cdigo Florestal

    a calha por onde correm regularmente as guas do curso

    dgua durante o ano.

    XIX - leito regular

  • Conceitos Art. 3

    Marcos de Castro Simanovic

    Lei 12.651/12 - Cdigo Florestal

    a calha por onde correm regularmente as guas do curso

    dgua durante o ano.

    XIX - leito regular

  • Conceitos Art. 29

    Marcos de Castro Simanovic

Search related