LAUDO TÉCNICO DE INSALUBRIDADE - :: SASMET :: Serviço … · identificação e caracterização dos perigos, pela a avaliação ambiental da exposição, pelas ... microorganismos

  • View
    216

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of LAUDO TÉCNICO DE INSALUBRIDADE - :: SASMET :: Serviço … · identificação e caracterização...

  • LAUDO TCNICO DE INSALUBRIDADE

    Empresa: DULCILAS FESTAS E CONVENES LTDA. Equipe Tcnica Executora: Reginaldo Beserra Alves Eng. Segurana CREA: 5907-D/PB Hannah Martins Tcnica em Segurana do Trabalho SRT/AM 0003169

    Novembro / 2012 MANAUS AM

  • LAUDO TCNICO DE INS

    CARACTERIZAO DA EMPRESA

    INTRODUO

    1 - Definio de insalubridade.

    1.2 - Diferena entre risco e insalubridade.

    2 - Para gerar adicional, no basta ser insalubre, a insalubridade tem que ser conforme legislao.

    2.1 - Base legal para caracterizao da atividade.

    3 - Valores de adicionais de insalubridade.

    FORMA DE AVALIAO

    1 - Avaliao qualitativa.

    2 - Avaliao quantitativa.

    CONCLUSO FINAL

    LAUDO TCNICO DE INSALUBRIDADE

    SUMRIO

    PRESA

    insalubridade.

    Diferena entre risco e insalubridade.

    Para gerar adicional, no basta ser insalubre, a insalubridade tem que ser conforme

    Base legal para caracterizao da atividade.

    Valores de adicionais de insalubridade.

    Erro! Indicador no definido.

    2

    2

    3

    3

    Para gerar adicional, no basta ser insalubre, a insalubridade tem que ser conforme 4

    5

    5

    5

    5

    6

    Erro! Indicador no definido.14

  • LAUDO TCNICO DE INS

    CARACTERIZAO DA

    Razo Social: DULCILAS FESTAS E CONVENES LTDA

    CNPJ: 84.525.575/0001-18

    Endereo: Av. Cel.Teixeira N 5982 Bairro Ponta Negra

    CEP: 69.030-550 Manaus - AM

    CNAE: 56.20-1-02

    Atividade Principal: Servios de Alimentao para Eventos e recepo

    Grau de Risco: 02 Grupo C-23

    INTRODUO

    1 - Definio de insalubridade.

    Como o prprio nome diz insalubre algo no salubre, doentio, que pode causar doenas ao

    trabalhador por conta de sua atividade laboral.

    A insalubridade definida em funo do tempo de exposio ao agente nocivo, levando em

    conta ainda o tipo de atividade desenvolvida pelo

    trabalho, observado os limites de tolerncia, as taxas de metabolismo e respectivos tempos de

    exposio.

    Assim, so consideradas insalubres as atividades ou operaes que por sua natureza, condies

    LAUDO TCNICO DE INSALUBRIDADE

    CARACTERIZAO DA EMPRESA

    DULCILAS FESTAS E CONVENES LTDA.

    Av. Cel.Teixeira N 5982 Bairro Ponta Negra

    AM

    Servios de Alimentao para Eventos e recepo Buf

    23

    Definio de insalubridade.

    insalubre algo no salubre, doentio, que pode causar doenas ao

    trabalhador por conta de sua atividade laboral.

    A insalubridade definida em funo do tempo de exposio ao agente nocivo, levando em

    conta ainda o tipo de atividade desenvolvida pelo empregado no curso de sua jornada de

    os limites de tolerncia, as taxas de metabolismo e respectivos tempos de

    Assim, so consideradas insalubres as atividades ou operaes que por sua natureza, condies 2

    Buf.

    insalubre algo no salubre, doentio, que pode causar doenas ao

    A insalubridade definida em funo do tempo de exposio ao agente nocivo, levando em

    pregado no curso de sua jornada de

    os limites de tolerncia, as taxas de metabolismo e respectivos tempos de

    Assim, so consideradas insalubres as atividades ou operaes que por sua natureza, condies

  • LAUDO TCNICO DE INS

    ou mtodos de trabalho, expem o empregado a agentes nocivos sade, acima

    dos limites de tolerncia fixados em razo da natureza, da intensidade do agente e o tempo de

    exposio aos seus efeitos.

    1.2 - Diferena entre risco e insalubridade.

    Risco pode ser definido como a p

    probabilidade e da magnitude de suas

    A constatao do risco no ambiente de trabalho, no se baseia na simples presena de um

    objeto no ambiente de trabalho,

    Por insalubridade, entende-se a propriedade de um agente, conforme o seu processo, que cause

    dano. Ou seja, insalubridade a materializao do risco.

    O Reconhecimento da insalubridade um processo com base cientfi

    identificao e caracterizao dos perigos, pela a avaliao ambiental da exposio, pelas

    atividades e pelos efeitos dos riscos.

    1.3 - Diferena de risco ambiental dos riscos de acidentes e ergonmicos.

    Apesar dos riscos ergonmicos e

    fsica do trabalhador, eles no so classificados pela NR 15 para gerarem adicionais de

    insalubridade, diferentemente dos riscos fsicos, qumicos e biolgicos que so conhecidos como

    RISCOS AMBIENTAIS, mas ainda assim, esses riscos ambientais, precisam estar na relao e

    na forma da NR 15.

    Exemplo de riscos de acidente ou ergonmico, mas que no esto na NR 15:

    animais, acidente de carro, afogamento, tiro de revlver, quedas, queimadur

    peso, armazenamento de materiais qumicos, exceto combustveis em grandes quantidades,

    entre outros.

    Exemplo de riscos ambientais, mas que no esto na NR 15:

    de livros, microorganismos de vegetais, de anima

    dos princpios ativos no relacionados na NR 15, limpeza de banheiros, poeiras vegetais, exceto

    LAUDO TCNICO DE INSALUBRIDADE

    o, expem o empregado a agentes nocivos sade, acima

    dos limites de tolerncia fixados em razo da natureza, da intensidade do agente e o tempo de

    Diferena entre risco e insalubridade.

    Risco pode ser definido como a possibilidade dos efeitos de uma ocorrncia, em termos de sua

    probabilidade e da magnitude de suas consequncias, causarem dano a algum.

    A constatao do risco no ambiente de trabalho, no se baseia na simples presena de um

    objeto no ambiente de trabalho, relacionado a um determinado agente.

    se a propriedade de um agente, conforme o seu processo, que cause

    dano. Ou seja, insalubridade a materializao do risco.

    O Reconhecimento da insalubridade um processo com base cientfica, que consiste na

    identificao e caracterizao dos perigos, pela a avaliao ambiental da exposio, pelas

    atividades e pelos efeitos dos riscos.

    Diferena de risco ambiental dos riscos de acidentes e ergonmicos.

    Apesar dos riscos ergonmicos e riscos de acidentes trazerem danos sade e a integidade

    fsica do trabalhador, eles no so classificados pela NR 15 para gerarem adicionais de

    insalubridade, diferentemente dos riscos fsicos, qumicos e biolgicos que so conhecidos como

    TAIS, mas ainda assim, esses riscos ambientais, precisam estar na relao e

    Exemplo de riscos de acidente ou ergonmico, mas que no esto na NR 15:

    acidente de carro, afogamento, tiro de revlver, quedas, queimaduras, carregamento de

    peso, armazenamento de materiais qumicos, exceto combustveis em grandes quantidades,

    Exemplo de riscos ambientais, mas que no esto na NR 15: microorganismos das poeiras

    microorganismos de vegetais, de animais saudveis, de ar condicionado, agrotxicos

    dos princpios ativos no relacionados na NR 15, limpeza de banheiros, poeiras vegetais, exceto

    3

    o, expem o empregado a agentes nocivos sade, acima

    dos limites de tolerncia fixados em razo da natureza, da intensidade do agente e o tempo de

    ossibilidade dos efeitos de uma ocorrncia, em termos de sua

    , causarem dano a algum.

    A constatao do risco no ambiente de trabalho, no se baseia na simples presena de um

    se a propriedade de um agente, conforme o seu processo, que cause

    ca, que consiste na

    identificao e caracterizao dos perigos, pela a avaliao ambiental da exposio, pelas

    Diferena de risco ambiental dos riscos de acidentes e ergonmicos.

    riscos de acidentes trazerem danos sade e a integidade

    fsica do trabalhador, eles no so classificados pela NR 15 para gerarem adicionais de

    insalubridade, diferentemente dos riscos fsicos, qumicos e biolgicos que so conhecidos como

    TAIS, mas ainda assim, esses riscos ambientais, precisam estar na relao e

    Exemplo de riscos de acidente ou ergonmico, mas que no esto na NR 15: Mordidas de

    as, carregamento de

    peso, armazenamento de materiais qumicos, exceto combustveis em grandes quantidades,

    microorganismos das poeiras

    is saudveis, de ar condicionado, agrotxicos

    dos princpios ativos no relacionados na NR 15, limpeza de banheiros, poeiras vegetais, exceto

  • LAUDO TCNICO DE INS

    bagao da cana em grande escala, microorganismos de pragas, contato eventual

    com microorganismos de terrenos e dej

    Os casos acima ficaro como abordagem para o Programa de Preveno de Riscos Ambientais

    PPRA, previsto na NR 09 pelo MTE, pois, apesar de no gerarem adicional de insalubridade,

    devem ser avaliados para a preveno contra os riscos

    2 - Para gerar adicional, no basta ser insalubre, a insalubridade tem que ser conforme

    legislao.

    Como a legislao estabelece quais os agentes considerados nocivos sade, no o que

    consideramos insalubre, que far o empregado ter dir

    a atividade apontada pelo laudo pericial como insalubre esteja prevista na relao oficial

    elaborada pelo Ministrio do Trabalho. A discriminao dos agentes considerados nocivos

    sade bem como os limites de to

    Regulamentadora NR-15, aprovada pela Portaria 3.214/78, com alteraes posteriores.

    2.1 - Base legal para caracterizao da at

    Uma vez caracterizada a atividade como insalubre, conforme sua natureza e condies, as

    fontes dos agentes tm que estar arroladas na NR 15 para fundamentar o adicional de

    insalubridade, conforme dito anteriormente, pois, mesmo considerando a ati

    possvel atribuir o adicional de insalubridade se a mesma no estiver relacionada na legislao

    em vigor, em relao via e a fonte do agente.

    3 - Valores de adicionais de insalubridade.

    O exerccio de trabalho em condies insal

    de tolerncia ou esto na forma estabelecidas pelo Ministrio do Trabalho, assegurar a

    percepo de adicional respectivamente de 40% (quarenta por cento), 20% (vinte por cento) e

    10% (dez por cento), segundo se classifiquem nos graus mximo, mdio e mnimo, conforme

    prev artigo 192 da CLT. E no regime

    de: 20% (vinte por cento), 10% (dez por cento) e 5% (cinco por cento), segundo se classifiquem

    LAUDO TCNICO DE INSALUBRIDADE

    bagao da cana em grande escala, microorganismos de pragas, contato eventual

    com microorganismos de terrenos e dejetos, entre outros.

    Os casos acima ficaro como abordagem para o Programa de Preveno de Riscos Ambientais

    , previsto na NR 09 pelo MTE, pois, apesar de no gerarem adicional de insalubridade,

    devem ser avaliados para a preveno contra os riscos ocupacionais.

    Para gerar adicional, no basta ser insalubre, a insalubridade tem que ser conforme

    Como a legislao estabelece quais os agentes considerados nocivos sade, no o que

    consideramos insalubre, que far o empregado ter direito ao respectivo adicional. preciso que

    a atividade apontada pelo laudo pericial como insalubre esteja prevista na relao oficial

    elaborada pelo Ministrio do Trabalho. A discriminao dos agentes considerados nocivos

    sade bem como os limites de tolerncia mencionados esto previstos nos anexos da

    , aprovada pela Portaria 3.214/78, com alteraes posteriores.

    Base legal para caracterizao da atividade.

    Uma vez caracterizada a atividade como insalubre, conforme sua natureza e condies, as

    fontes dos agentes tm que estar arroladas na NR 15 para fundamentar o adicional de

    insalubridade, conforme dito anteriormente, pois, mesmo considerando a atividade insalubre, no

    possvel atribuir o adicional de insalubridade se a mesma no estiver relacionada na legislao

    em vigor, em relao via e a fonte do agente.

    Valores de adicionais de insalubridade.

    O exerccio de trabalho em condies insalubres, cujos agentes se encontram acima dos limites

    de tolerncia ou esto na forma estabelecidas pelo Ministrio do Trabalho, assegurar a

    percepo de adicional respectivamente de 40% (quarenta por cento), 20% (vinte por cento) e

    undo se classifiquem nos graus mximo, mdio e mnimo, conforme

    . E no regime RJU, as percepes de adicionais so respectivamente

    de: 20% (vinte por cento), 10% (dez por cento) e 5% (cinco por cento), segundo se classifiquem

    4

    bagao da cana em grande escala, microorganismos de pragas, contato eventual

    Os casos acima ficaro como abordagem para o Programa de Preveno de Riscos Ambientais

    , previsto na NR 09 pelo MTE, pois, apesar de no gerarem adicional de insalubridade,

    Para gerar adicional, no basta ser insalubre, a insalubridade tem que ser conforme

    Como a legislao estabelece quais os agentes considerados nocivos sade, no o que

    eito ao respectivo adicional. preciso que

    a atividade apontada pelo laudo pericial como insalubre esteja prevista na relao oficial

    elaborada pelo Ministrio do Trabalho. A discriminao dos agentes considerados nocivos

    lerncia mencionados esto previstos nos anexos da Norma

    , aprovada pela Portaria 3.214/78, com alteraes posteriores.

    Uma vez caracterizada a atividade como insalubre, conforme sua natureza e condies, as

    fontes dos agentes tm que estar arroladas na NR 15 para fundamentar o adicional de

    vidade insalubre, no

    possvel atribuir o adicional de insalubridade se a mesma no estiver relacionada na legislao

    ubres, cujos agentes se encontram acima dos limites

    de tolerncia ou esto na forma estabelecidas pelo Ministrio do Trabalho, assegurar a

    percepo de adicional respectivamente de 40% (quarenta por cento), 20% (vinte por cento) e

    undo se classifiquem nos graus mximo, mdio e mnimo, conforme

    as percepes de adicionais so respectivamente

    de: 20% (vinte por cento), 10% (dez por cento) e 5% (cinco por cento), segundo se classifiquem

  • LAUDO TCNICO DE INS

    nos graus mximo, mdio e mnimo.

    1 - Avaliao qualitativa.

    A avaliao ambiental foi realizada em cada SETOR, observando cada processo de trabalho,

    onde se utilizou a inspeo audiovisual, entrevistas e coleta de informaes d

    avaliaes quantitativas para analisar a INSALUBRIDADE.

    No caso de agentes fsicos

    equipamentos de medio instantnea e certificando

    pelos trabalhadores, e das medidas de controle adotadas.

    No caso de agentes qumicos

    atividade, do tempo de exposio, das condies e forma de exposio e das medidas de

    controle adotadas.

    No caso de agentes biolgicos

    relao a legislao, que prev insalubridade somente para os agentes definidos nas fontes e

    condies da NR 15, anexo 14.

    2 - Avaliao quantitativa.

    A avaliao quantitativa dos agentes insalubres foi realizada, nos agentes

    avaliao qualitativa. A avaliao foi realizada atravs de equipamentos de medio conforme

    metodologias previstas da FUNDACENTRO.

    LAUDO TCNICO DE INSALUBRIDADE

    us mximo, mdio e mnimo.

    FORMA DE AVALIAO

    A avaliao ambiental foi realizada em cada SETOR, observando cada processo de trabalho,

    onde se utilizou a inspeo audiovisual, entrevistas e coleta de informaes dos trabalhado

    avaliaes quantitativas para analisar a INSALUBRIDADE.

    agentes fsicos (rudo intermitente e calor) realizou-se a avaliao atravs de

    equipamentos de medio instantnea e certificando-se sobre o tempo de exposio, informado

    pelos trabalhadores, e das medidas de controle adotadas.

    agentes qumicos, certificou-se da quantidade de produtos qumicos utilizados na

    atividade, do tempo de exposio, das condies e forma de exposio e das medidas de

    agentes biolgicos (microorganismos), foi analisado a fonte dos agentes, em

    gislao, que prev insalubridade somente para os agentes definidos nas fontes e

    condies da NR 15, anexo 14.

    A avaliao quantitativa dos agentes insalubres foi realizada, nos agentes

    avaliao qualitativa. A avaliao foi realizada atravs de equipamentos de medio conforme

    metodologias previstas da FUNDACENTRO.

    5

    A avaliao ambiental foi realizada em cada SETOR, observando cada processo de trabalho,

    os trabalhadores e

    se a avaliao atravs de

    se sobre o tempo de exposio, informado

    e da quantidade de produtos qumicos utilizados na

    atividade, do tempo de exposio, das condies e forma de exposio e das medidas de

    (microorganismos), foi analisado a fonte dos agentes, em

    gislao, que prev insalubridade somente para os agentes definidos nas fontes e

    A avaliao quantitativa dos agentes insalubres foi realizada, nos agentes identificados na

    avaliao qualitativa. A avaliao foi realizada atravs de equipamentos de medio conforme

  • LAUDO TCNICO DE INS

    IDENTIFICAO DO LOCAL, CARGOS E ATIVIDADESSETOR: ADMINISTRAO

    DESCRIO DO AMBIENTE: Piso cermico, paredes com

    artificial e natural, ambiente climatizado.

    CARGO: ENCARREGADO DE ALMOXARIFADO, ENCARREGADO DE MANUTENO, ENCARREGADO DE

    SERVIOS GERAIS, SUPERVISORA DE EVENTOS

    MOTORISTA

    ANLISE QUALITATIVA / QUANTITATIVARisco Qumico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade

    durante sua jornada de trabalho.

    Risco Fsico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho e dados do PPRA, constatou

    existem agentes fsicos que atinjam os limites mximos de exposio.

    Risco Biolgico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou

    se apresentam com a natureza considerada pela legislao como insalubres.

    Fundamento Legal: Conforme avaliao no ambiente de trabalho,

    consideradas insalubres, conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.

    Portanto, os trabalhadores no fazem jus ao adicional de insalubridade.

    LAUDO TCNICO DE INSALUBRIDADE

    IDENTIFICAO DO LOCAL, CARGOS E ATIVIDADES

    Piso cermico, paredes com fechamento de alvenaria, teto forro PVC, iluminao

    ENCARREGADO DE ALMOXARIFADO, ENCARREGADO DE MANUTENO, ENCARREGADO DE

    SERVIOS GERAIS, SUPERVISORA DE EVENTOS, PROMOTOR DE EVENTOS, SUPERVISOR DE

    ANLISE QUALITATIVA / QUANTITATIVA Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou-se que no existem agentes

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho e dados do PPRA, constatou

    existem agentes fsicos que atinjam os limites mximos de exposio.

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou-se que os agentes biolgicos no

    se apresentam com a natureza considerada pela legislao como insalubres.

    CONCLUSO

    Conforme avaliao no ambiente de trabalho, conclumos que as atividades no so

    consideradas insalubres, conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.

    Portanto, os trabalhadores no fazem jus ao adicional de insalubridade.

    6

    fechamento de alvenaria, teto forro PVC, iluminao

    ENCARREGADO DE ALMOXARIFADO, ENCARREGADO DE MANUTENO, ENCARREGADO DE

    , PROMOTOR DE EVENTOS, SUPERVISOR DE EVENTOS,

    se que no existem agentes

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade do trabalhador,

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho e dados do PPRA, constatou-se que no

    se que os agentes biolgicos no

    conclumos que as atividades no so

  • LAUDO TCNICO DE INS

    IDENTIFICAO DO LOCAL, CARGOS E ATIVIDADESSETOR: COZINHA (LAVATRIO)

    DESCRIO DO AMBIENTE: Prdio de alvenaria, iluminao artificial, ambiente no climatizado.

    CARGO: AUXILIAR DE SERVIOS GERAIS "B",

    ANLISE QUALITATIVA / QUANTITATIVARisco Qumico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho,

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade do trabalhador,

    durante sua jornada de trabalho.

    Risco Fsico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho

    existem agentes fsicos que atinjam os limites mximos de exposio.

    Risco Biolgico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou

    se apresentam com a natureza considerada pela legislao como insalubres.

    Fundamento Legal: Conforme avaliao no ambiente de trabalho, conclumos que as atividades no so

    consideradas insalubres, conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.

    Portanto, os trabalhadores no fazem jus ao adicional de insalubridade.

    LAUDO TCNICO DE INSALUBRIDADE

    IDENTIFICAO DO LOCAL, CARGOS E ATIVIDADES

    Prdio de alvenaria, iluminao artificial, ambiente no climatizado.

    AUXILIAR DE SERVIOS GERAIS "B",

    ANLISE QUALITATIVA / QUANTITATIVA Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou-se que no existem agentes

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade do trabalhador,

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho e dados do PPRA, constatou

    existem agentes fsicos que atinjam os limites mximos de exposio.

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou-se que os agentes biolgicos no

    considerada pela legislao como insalubres.

    CONCLUSO

    Conforme avaliao no ambiente de trabalho, conclumos que as atividades no so

    consideradas insalubres, conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.

    trabalhadores no fazem jus ao adicional de insalubridade.

    7

    Prdio de alvenaria, iluminao artificial, ambiente no climatizado.

    se que no existem agentes

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade do trabalhador,

    e dados do PPRA, constatou-se que no

    se que os agentes biolgicos no

    Conforme avaliao no ambiente de trabalho, conclumos que as atividades no so

  • LAUDO TCNICO DE INS

    IDENTIFICAO DO LOCAL, CARGOS E ATIVIDADESSETOR: COZINHA DE DOCES

    DESCRIO DO AMBIENTE: Prdio de alvenaria, piso de cermica, ambiente no climatizado, iluminao artificial.

    CARGO: AUXILIAR DE SERVIOS GERAIS "B"

    ANLISE QUALITATIVA / QUANTITATIVARisco Qumico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause

    durante sua jornada de trabalho.

    Risco Fsico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho e dados do PPRA, constatou

    existem agentes fsicos que atinjam os limites mximos de exposio.

    Risco Biolgico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou

    se apresentam com a natureza considerada pela legislao como insalubres.

    Fundamento Legal: Conforme avaliao no ambiente de

    consideradas insalubres, conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.

    Portanto, os trabalhadores no fazem jus ao adicional de insalubridade.

    LAUDO TCNICO DE INSALUBRIDADE

    IDENTIFICAO DO LOCAL, CARGOS E ATIVIDADES

    Prdio de alvenaria, piso de cermica, ambiente no climatizado, iluminao artificial.

    AUXILIAR DE SERVIOS GERAIS "B"

    ANLISE QUALITATIVA / QUANTITATIVA Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou-se que no existem agentes

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade do trabalhador,

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho e dados do PPRA, constatou

    existem agentes fsicos que atinjam os limites mximos de exposio.

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou-se que os agentes biolgicos no

    se apresentam com a natureza considerada pela legislao como insalubres.

    CONCLUSO

    Conforme avaliao no ambiente de trabalho, conclumos que as atividades no so

    consideradas insalubres, conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.

    Portanto, os trabalhadores no fazem jus ao adicional de insalubridade.

    8

    Prdio de alvenaria, piso de cermica, ambiente no climatizado, iluminao artificial.

    se que no existem agentes

    dano sade do trabalhador,

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho e dados do PPRA, constatou-se que no

    se que os agentes biolgicos no

    trabalho, conclumos que as atividades no so

  • LAUDO TCNICO DE INS

    IDENTIFICAO DO LOCAL, CARGOS E ATIVIDADESSETOR: COZINHA DE SALGADOS

    DESCRIO DO AMBIENTE: Pisos e paredes de cermica, forro de PVC, construo de alvenaria.

    CARGO: AUXILIAR DE SERVIOS GERAIS "B", COZINHEIRO "A".

    ANLISE QUALITATIVA / QUANTITATIVARisco Qumico: Conforme avaliao realizada no ambiente de

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade do trabalhador,

    durante sua jornada de trabalho.

    Risco Fsico: Conforme avaliao realizada no ambiente

    existem agentes fsicos que atinjam os limites mximos de exposio.

    Risco Biolgico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou

    se apresentam com a natureza considerada pela legislao como insalubres.

    Fundamento Legal: Conforme avaliao no ambiente de trabalho, conclumos que as atividades no so

    consideradas insalubres, conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.

    Portanto, os trabalhadores no fazem jus ao adicional de insalubridade.

    LAUDO TCNICO DE INSALUBRIDADE

    IDENTIFICAO DO LOCAL, CARGOS E ATIVIDADES

    Pisos e paredes de cermica, forro de PVC, construo de alvenaria.

    AUXILIAR DE SERVIOS GERAIS "B", COZINHEIRO "A".

    ANLISE QUALITATIVA / QUANTITATIVA Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou-se que no existem agentes

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade do trabalhador,

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho e dados do PPRA, constatou

    existem agentes fsicos que atinjam os limites mximos de exposio.

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou-se que os agentes biolgicos no

    a natureza considerada pela legislao como insalubres.

    CONCLUSO

    Conforme avaliao no ambiente de trabalho, conclumos que as atividades no so

    consideradas insalubres, conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.

    os trabalhadores no fazem jus ao adicional de insalubridade.

    9

    Pisos e paredes de cermica, forro de PVC, construo de alvenaria.

    se que no existem agentes

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade do trabalhador,

    de trabalho e dados do PPRA, constatou-se que no

    se que os agentes biolgicos no

    Conforme avaliao no ambiente de trabalho, conclumos que as atividades no so

  • LAUDO TCNICO DE INS

    IDENTIFICAO DO LOCAL, CARGOS E ATIVIDADESSETOR: ROUPARIA

    DESCRIO DO AMBIENTE: Prdio de alvenaria, iluminao artificial, ambiente no climatizado.

    CARGO: AUXILIAR DE ROUPARIA.

    ANLISE QUALITATIVA / QUANTITATIVARisco Qumico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade do trabalhador,

    durante sua jornada de trabalho.

    Risco Fsico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho e dados do PPRA, constatou

    existem agentes fsicos que atinjam os limites mximos de exposio.

    Risco Biolgico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou

    se apresentam com a natureza considerada pela legislao como insalubres.

    Fundamento Legal: Conforme avaliao no ambiente de trabalho, conclumos que as

    consideradas insalubres, conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.

    Portanto, os trabalhadores no fazem jus ao adicional de insalubridade.

    LAUDO TCNICO DE INSALUBRIDADE

    IDENTIFICAO DO LOCAL, CARGOS E ATIVIDADES

    Prdio de alvenaria, iluminao artificial, ambiente no climatizado.

    ANLISE QUALITATIVA / QUANTITATIVA Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou-se que no existem agentes

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade do trabalhador,

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho e dados do PPRA, constatou

    existem agentes fsicos que atinjam os limites mximos de exposio.

    realizada no ambiente de trabalho, constatou-se que os agentes biolgicos no

    se apresentam com a natureza considerada pela legislao como insalubres.

    CONCLUSO

    Conforme avaliao no ambiente de trabalho, conclumos que as

    consideradas insalubres, conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.

    Portanto, os trabalhadores no fazem jus ao adicional de insalubridade.

    10

    Prdio de alvenaria, iluminao artificial, ambiente no climatizado.

    se que no existem agentes

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade do trabalhador,

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho e dados do PPRA, constatou-se que no

    se que os agentes biolgicos no

    Conforme avaliao no ambiente de trabalho, conclumos que as atividades no so

  • LAUDO TCNICO DE INS

    IDENTIFICAO DO LOCAL, CARGOS E ATIVIDADESSETOR: SALA DE COSTURA

    DESCRIO DO AMBIENTE: Prdio de alvenaria, iluminao artificial e natural, ambiente no climatizado, uso de

    ventilador.

    CARGO: COSTUREIRA

    ANLISE QUALITATIVA / QUANTITATIVARisco Qumico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho,

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade do trabalhador,

    durante sua jornada de trabalho.

    Risco Fsico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho

    existem agentes fsicos que atinjam os limites mximos de exposio.

    Risco Biolgico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou

    se apresentam com a natureza considerada pela legislao como insalubres.

    Fundamento Legal: Conforme avaliao no ambiente de trabalho, conclumos que as atividades no so

    consideradas insalubres, conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.

    Portanto, os trabalhadores no fazem jus ao adicional de insalubridade.

    LAUDO TCNICO DE INSALUBRIDADE

    IDENTIFICAO DO LOCAL, CARGOS E ATIVIDADES

    Prdio de alvenaria, iluminao artificial e natural, ambiente no climatizado, uso de

    ANLISE QUALITATIVA / QUANTITATIVA Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou-se que no existem agentes

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade do trabalhador,

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho e dados do PPRA, constatou

    existem agentes fsicos que atinjam os limites mximos de exposio.

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou-se que os agentes biolgicos no

    considerada pela legislao como insalubres.

    CONCLUSO

    Conforme avaliao no ambiente de trabalho, conclumos que as atividades no so

    consideradas insalubres, conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.

    trabalhadores no fazem jus ao adicional de insalubridade.

    11

    Prdio de alvenaria, iluminao artificial e natural, ambiente no climatizado, uso de

    se que no existem agentes

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade do trabalhador,

    e dados do PPRA, constatou-se que no

    se que os agentes biolgicos no

    Conforme avaliao no ambiente de trabalho, conclumos que as atividades no so

  • LAUDO TCNICO DE INS

    IDENTIFICAO DO LOCAL, CARGOS E ATIVIDADESSETOR: SALO ALFA / SALO MEGA

    DESCRIO DO AMBIENTE: Prdio de alvenaria, iluminao artificial, ambiente climatizado quando a eventos.

    CARGO: AUXILIAR DE SERVIOS GERAIS "A"

    ANLISE QUALITATIVA / QUANTITATIVARisco Qumico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause

    durante sua jornada de trabalho.

    Risco Fsico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho e dados do PPRA, constatou

    existem agentes fsicos que atinjam os limites mximos de exposio.

    Risco Biolgico: Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou

    se apresentam com a natureza considerada pela legislao como insalubres.

    Fundamento Legal: Conforme avaliao no ambiente de

    consideradas insalubres, conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.

    Portanto, os trabalhadores no fazem jus ao adicional de insalubridade.

    LAUDO TCNICO DE INSALUBRIDADE

    IDENTIFICAO DO LOCAL, CARGOS E ATIVIDADES SALO ALFA / SALO MEGA

    Prdio de alvenaria, iluminao artificial, ambiente climatizado quando a eventos.

    AUXILIAR DE SERVIOS GERAIS "A"

    ANLISE QUALITATIVA / QUANTITATIVA Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou-se que no existem agentes

    qumicos, relacionados com a natureza e o tempo de exposio ao agente, que cause dano sade do trabalhador,

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho e dados do PPRA, constatou

    existem agentes fsicos que atinjam os limites mximos de exposio.

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho, constatou-se que os agentes biolgicos no

    se apresentam com a natureza considerada pela legislao como insalubres.

    CONCLUSO

    Conforme avaliao no ambiente de trabalho, conclumos que as atividades no so

    consideradas insalubres, conforme Norma Regulamentadora 15 e seus anexos.

    Portanto, os trabalhadores no fazem jus ao adicional de insalubridade.

    12

    Prdio de alvenaria, iluminao artificial, ambiente climatizado quando a eventos.

    se que no existem agentes

    dano sade do trabalhador,

    Conforme avaliao realizada no ambiente de trabalho e dados do PPRA, constatou-se que no

    se que os agentes biolgicos no

    trabalho, conclumos que as atividades no so

  • LAUDO TCNICO DE INS

    De acordo com a anlise e interpretao dos resultados, levando em considerao a

    fundamentao tcnica e legal, conclui

    CONVENES LTDA esto expostos a agentes agressivos a sade (Calor/Rudo/Agentes

    Qumicos), porm, dentro do limite permitido. Portanto, no fazendo jus a percepo do adicional

    de insalubridade.

    LAUDO TCNICO DE INSALUBRIDADE

    Concluso Final

    De acordo com a anlise e interpretao dos resultados, levando em considerao a

    fundamentao tcnica e legal, conclui-se que os colaboradores da DULCILAS FESTAS E

    esto expostos a agentes agressivos a sade (Calor/Rudo/Agentes

    , porm, dentro do limite permitido. Portanto, no fazendo jus a percepo do adicional

    13

    De acordo com a anlise e interpretao dos resultados, levando em considerao a

    DULCILAS FESTAS E

    esto expostos a agentes agressivos a sade (Calor/Rudo/Agentes

    , porm, dentro do limite permitido. Portanto, no fazendo jus a percepo do adicional

  • LAUDO TCNICO DE INS

    INSTRUMENTO

    DECIBELMETRO DIGITAL *

    INSTRUMENTO

    TERMMETRO DE GLOBO *

    ( * ) - Instrumento calibrado com Padro Instrutherm, conforme Certificado de Calibrao em anexo.

    As medies para quantificar os riscos

    horrio comercial. As cpias dos certificados das aferies dos instrumentos encontram

    anexo no laudo.

    LAUDO TCNICO DE INSALUBRIDADE

    INSTRUMENTO MODELO/MARCA

    DECIBELMETRO DIGITAL * DEC -460 / INSTRUTHERM

    INSTRUMENTO MODELO/MARCA

    TERMMETRO DE GLOBO *

    TGD 200 DIGITAL PORTTIL

    Instrumento calibrado com Padro Termmetro de Globo de Digital Porttil TGD 200 Instrutherm, conforme Certificado de Calibrao em anexo.

    As medies para quantificar os riscos Fsicos (rudo e temperatura) foram realizadas no

    horrio comercial. As cpias dos certificados das aferies dos instrumentos encontram

    PROCEDIMENTOS

    14

    MODELO/MARCA

    460 / INSTRUTHERM

    MODELO/MARCA

    200 DIGITAL PORTTIL

    Termmetro de Globo de Digital Porttil TGD 200

    Fsicos (rudo e temperatura) foram realizadas no

    horrio comercial. As cpias dos certificados das aferies dos instrumentos encontram-se