Legislação e Politicas Públicas sobre Drogas no Brasil - Brasilia 2011

  • View
    216

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

 

Text of Legislação e Politicas Públicas sobre Drogas no Brasil - Brasilia 2011

  • Legislao e Polticas Pblicassobre Drogas noB r a s i l

    Braslia - 2011

  • Legislao e Polticas Pblicas sobre Drogas no Brasil

    Braslia-2011

  • Legislao e polticas pblicas sobre drogas no Brasil. Braslia: Ministrio da Justia, Secretaria Nacional de Polticas sobre Drogas, 2011. 106 p. 1. Entorpecente , preveno, legislao. 2. Toxicomania, legislao, Brasil. I. Ministrio da Justia . II. Secretaria Nacional de Polticas sobre Drogas.

    CDD341.5555

    L514

    Presidenta da RepblicaDilma Rousseff

    Vice-Presidente da RepblicaMichel Temer

    Ministro da JustiaJos Eduardo Cardozo

    Secretria Nacional de Polticas sobre DrogasPaulina do Carmo Arruda Vieira Duarte

    Edio: Secretaria Nacional de Polticas sobre DrogasEsplanada dos Ministrios, Bloco T, Anexo II, 2 andar, sala 207. Braslia, DF. CEP 70064-900Email: senad@mj.gov.br

    Dados Internacionais de Catalogao na Publicao (CIP)

  • APRESENTAO

    A Secretaria Nacional de Polticas sobre Drogas (SENAD), do Ministrio da Justia, tem a honra de apresentar a publicao intitulada Legislao e Polticas Pblicas sobre Drogas no Brasil, uma compilao que inclui tanto as orientaes polticas como os mecanismos legais vigentes no pas sobre o tema das drogas. Os marcos polticos e legais, aqui dispostos, constituem ferramenta indispensvel para todos aqueles interessados em conhecer as diretrizes norteadoras das aes de governo nas reas de reduo da demanda e da oferta de drogas. Vale lembrar que o objeto da presente coletnea no o esgotamento de toda a rede normativa relacionada ao tema, mas, sim, a enumerao daqueles instrumentos indispensveis para o conhecimento do assunto com objetividade. Recomenda-se, ainda, queles interessados em conhecer o embasamento legal do Fundo Nacional Antidrogas (FUNAD), a pesquisa aos seguintes diplomas, disponveis atravs do website do Observatrio Brasileiro de Informaes sobre Drogas (OBID) www.obid.senad.gov.br :

    Lein7.560,de19dedezembrode1986-criaoFUNCAB(FundodePrevenoedeCombate s Drogas de Abuso);

    Lein8.764,de20dedezembrode1993-criaaSecretariaNacionaldeEntorpecentesealteraaredaodosarts.2e5daLein7.560/86;

    Lein9.804,de30dejunhode1999-altera,emseuart.2,aredaodosarts.2e5daLein7.560/86;

    MedidaProvisrian2.216-37,de31deagostode2001-tratadaorganizaodaPresidnciada Repblica e dos Ministrios, e altera a denominao do FUNCAB para FUNAD.

  • Sumrio

    Poltica Nacional sobre Drogas...................................................................13

    Lei n 11.343/2006........................................................................................27

    Decreto n 5.912/2006..................................................................................47

    Lei n 9.099/1995..........................................................................................55

    Poltica Nacional sobre o lcool.................................................................75

    Decreto n 6.117/2007..................................................................................79

    Lein11.705/2008........................................................................................87

    Decreton6.488/2008.................................................................................93

    Decreton6.489/2008.................................................................................97

    Lein11.754/2008......................................................................................103

  • Poltica Nacional sobre Drogas

  • A Poltica Nacional sobre Drogas

    Entre as vrias questes do dia-a-dia que exigem ateno especial, temos o tema drogas. um assunto que, direta ou indiretamente, diz respeito a todos ns - governo e sociedade. Esse tema permite olhares sob vrias perspectivas. Podemos apreci-lo enquanto cidados de uma nao, membros de uma famlia, participantes de uma comunidade ou como indivduos. E para cadaumadelas,justifica-seumengajamentoplenoeindispensvel. Dedicar-se a essa temtica tarefa de inquestionvel relevncia. Exige responsabilidade e conhecimento.Conhecimentocientficoatualizadoeconhecimentodavida. Nosso papel, como governo, consiste em envolver e dar voz a todos os interessados nesta questo, para facilitar a criao de polticas que estejam adequadas ao momento. A Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) do Gabinete de Segurana Institucional da PresidnciadaRepblica, conscientede seupapel de articuladoradaspolticaspblicas sobredrogas, promoveu e facilitou o processo para o realinhamento de nossa Poltica sobre Drogas. Toda a sociedade foi convidada a participar, discutir e opinar sobre os captulos da poltica, e, como era esperado, respondeu participando ativamente de todo o processo de realinhamento da poltica o que nos mostra que, muito mais que parceiros, governo e sociedade so co-responsveis pelo trabalho de reduo da demanda de drogas em nosso pas. A poltica realinhada orienta-se pelo princpio da responsabilidade compartilhada, adotando como estratgia a cooperao mtua e a articulao de esforos entre governo, iniciativa privada, terceirosetorecidados,nosentidodeampliaraconscinciaparaaimportnciadaintersetorialidadee descentralizao das aes sobre drogas no pas. Meus parabns, a todos ns, que nos envolvemos neste processo, conscientes da importncia de bem cumprir o nosso papel.

    LUIZ INCIO LULA DA SILVAPresidente da Repblica Federativa do Brasil

  • RESOLUO No 03/GSIPR/CH/CONAD, DE 27 DE OUTUBRO DE 2005.

    Aprova a Poltica Nacional sobre Drogas.

    O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL ANTIDROGAS CONAD, no uso de suas atribuies, tendo em vista o disposto nos arts. 5 do Decreto no 3.696, de 21 de dezembrode2000e18doRegimentoInternoeemdecorrnciadoprocessoquerealinhouaPoltica Nacional Antidrogas at ento vigente,

    RESOLVE:

    Art. 1 Fica aprovada a Poltica Nacional Sobre Drogas, na forma do anexo a esta resoluo, tendo em vista deliberao do Conselho Nacional Antidrogas em reunio de 23 de maio de 2005.

    Art. 2 Esta Resoluo entra em vigor na data de sua publicao.

    JORGE ARMANDO FELIX

  • Apresentao

    A publicao da Poltica Nacional sobre Drogas (PNAD) o marco de uma nova etapa de atuao do governo federal na abordagem de assuntos relativos a reduo da demanda e da oferta de drogas. Seguindo o que h de mais atual nesta rea em termos mundiais, a PNAD representa um avano nas polticas pblicas sobre drogas. A Secretaria Nacional Antidrogas (Senad), rgo responsvel por coordenar e integrar as aes do governo relativas reduo da demanda de drogas, desenvolveu um amplo processo democrtico com participao governamental e popular, para o realinhamento da poltica vigente desde 2001. Para que essa ao tivesse o resultado esperado, foram considerados os contextos regional, nacional e internacional. O avano da cincia, as transformaes sociais, polticas,econmicas e tecnolgicas pelas quais o pas e o mundo passaram tambm foram foco da discusso. Para o realinhamento da poltica brasileira sobre drogas foi adotada uma metodologia de interao entre governo e sociedade. Composta por uma srie de eventos, esta metodologia foi desenvolvida visando a facilitar a participao da populao e garantir a atualizao da PNAD em carterdemocrticoeparticipativo.Houvetrsmomentosdistintosdepreparao:uminternacional,seis regionais e o ltimo, nacional. A descentralizao e a democratizao das discusses tornaram-semetasprimriasdesseprocesso.Muitomaisqueaparticipaodacomunidadecientficaedogoverno, a participao da sociedade era o fator determinante para o sucesso desta iniciativa. O primeiro encontro foi o Seminrio Internacional de Polticas Pblicas sobre Drogas. Comoobjetivodepromoverodebateeointercmbiodeexperinciasdesetepases(Canad,Itlia, Pases Baixos, Portugal, Reino Unido, Sucia e Sua) com modelos diferentes de polticas sobre o tema, o seminrio contou com a participao de representantes de ONGs, comunidade cientfica,autoridadesbrasileirasdereascorrelataseformadoresdeopinio. O segundo passo foi a realizao de seis fruns, promovidos nas cinco regies do pas. Realizados numa parceria entre a Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) e os governos dos estados, por meio dos Conselhos Estaduais de Entorpecentes/Antidrogas, os fruns atraram 2544 pessoasquediscutiramemoficinasoscaptulosdaPolticaNacionalAntidrogas:(1)PressupostosBsicos e Objetivos da PNAD; (2) Preveno; (3) Tratamento, Recuperao e Reinsero Social; (4) Reduo de Danos Sociais e a Sade; (5) Reduo da Oferta Represso e (6) Estudos, Pesquisas eAvaliaes.Cadaoficinafoiconduzidaporumcoordenadortcnico-cientficodaregioedoisespecialistasdacomunidadecientfica,queacompanharamtodososfrunsemediaramodebatede cada item dos captulos da PNAD. ComembasamentonasexperinciasapresentadasnoSeminrioInternacionaldePolticasPblicas sobre Drogas e nas concluses de cada Frum Regional, deu-se ento o terceiro passo: o Frum Nacional sobre Drogas. Nesse evento, houve a consolidao das discusses regionais para o realinhamento efetivo da Poltica Nacional, garantindo o dilogo e a legtima participao da populao.

  • A representatividade e a diversidade de participantes foram caractersticas em todos os passos do processo. Governos federal, estaduais e municipais, representantes de governos de outrospases,comunidadecientfica,organizaesnogovernamentais,educadores,voluntrios,profissionaisdareadasade,assistnciasocial,seguranapblicaejustia,entreoutros,debateramcomafincoostemasrelativosaPNAD. Durante todo o processo de realinhamento da Poltica Nacional sobre Drogas, o governo foiograndearticulador,poispossibilitouarealizaodasdiscusses;acomunidadecientficafoia mediadora dos trabalhos; e a sociedade, a protagonista