Legislação específica

  • View
    8.577

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of Legislação específica

  • 1. OS CONCURSEIROS DE RONDNIA APOSTILA LEGISLAO ESPECFICA PARA O TRIBUNAL DE JUSTIAEQUIPE DE CONCURSEIROS 2012LEGISLAO ESPECFICA GIL CPIAS1 Cdigo de Organizao e Diviso Judiciria do Estado de Rondnia COJE. ENDEREO: RUA JOAQUIM NABUCO SOB ESQUINA COM ALEXANDRE2 Constituio do Estado de Rondnia.GUIMARES, DEFRONTE A FACULDADE SO LUCAS E NA LATERAL DA PANIFICADORA NORTE2.1 Poder Judicirio.PO. XEROX A 0,08 (zero, oito centavos)3 Regime jurdico dos servidores pblicos civis do Estado de Rondnia (Lei Complementar n at 200 folhas! E PARA VOC CONCURSEIRO (A) QUE68/1992).VAI TIRAR ACIMA DE 200 FOLHAS E FALAR QUE VIU AQUI NO BLOG OS4 Plano de carreiras, cargos e salrios dos servidores do poder judicirio do Estado de Rondnia CONCURSEIROS DE RONDNIA FICA A 0,07 CENTAVOS!(Lei Complementar n 568/2010).IMPRESSO A 0,20 CENTAVOS CADA! IMPERDVEL! TELEFONE DE CONTATO: (069) 3221- 4690 OU TEL.: 9260-3593. OSCONCURSEIROSDERONDONIA.BLOGSPOT.COM.BR

2. TRIBUNAL DE JUSTIALEGISLAO ESPECFICA:VI - as Comisses Permanentes.1 Cdigo de Organizao e Diviso Judiciria do Estado de VII - a Presidncia e a Vice-Presidncia;Rondnia COJE.VIII - a Corregedoria-Geral da Justia;O GOVERNADOR DO ESTADO DE RONDNIA fao saber que aAssemblia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei IX - as Comisses Permanentes.Complementar:. A Escola da Magistratura do Estado de Rondnia - LIVRO I - DAS DISPOSIES PRELIMINARES EMERON e o Fundo de Informatizao, Edificao eAperfeioamento dos Servios Judicirios - FUJU so rgos deArt. 1 Esta Lei Complementar institui o Cdigo deapoio do Tribunal de Justia.Organizao e a Diviso Judiciria do Estado de Rondnia.CAPTULO I - DO FUNCIONAMENTOTTULO I - DA ORGANIZAO JUDICIRIAArt. 6 O Tribunal de Justia funcionar precipuamente em:Art. 2 So rgos do Poder Judicirio do Estado:I o Tribunal Pleno;I - o Tribunal de Justia;II a 1 e 2 Cmaras Cveis;II - os Juzes de Direito e Juzes Substitutos;III a 1 e 2 Cmaras Especiais;III - a Auditoria e Conselhos da Justia Militar;IV as 1 e 2 Cmaras Criminais; (NR)IV - os Tribunais do Jri;V - Cmara de Frias;V - os Juizados Especiais;VI o Conselho da Magistratura.VI - os Juzes de Paz.Art. 7 O Presidente e o Corregedor-Geral no integraro asTTULO II - DO TRIBUNAL DE JUSTIACmaras, salvo a de Frias.Art. 3 O Tribunal de Justia, com sede na Capital, o rgo . O Vice-Presidente presidir a Cmara a que integrar, semmximo do Poder Judicirio do Estado de Rondnia e compe-prejuzo das funes regimentais ou delegadas.se de 21 (vinte e um) Desembargadores. CAPTULO II - DO TRIBUNAL PLENO 1 Na composio do Tribunal, um quinto dos lugares serpreenchido por advogados e membros do Ministrio Pblico, Art. 8 O Tribunal Pleno, constitudo por todos os membros dona forma prevista no art. 94 da Constituio Federal. Tribunal de Justia, compete privativamente: 2 A representao do Poder Judicirio compete ao I - eleger o Presidente, o Vice-Presidente, o Corregedor-GeralPresidente do Tribunal de Justia.da Justia, os membros do Conselho da Magistratura e dasComisses Permanentes e o Diretor da Escola daArt. 4 O Tribunal de Justia ser dirigido pelo Presidente,Vice- Magistratura, dando-lhes posse;Presidente e Corregedor-Geral da Justia, eleitos dentre seusmembros mais antigos, para um mandato de dois anos, II - organizar seus servios auxiliares;proibida a reeleio.III - propor ao Poder Legislativo a elevao do nmero de seusArt. 5 So rgos do Tribunal de Justia:membros, a criao e extino de cargos e a fixao de seusvencimentos;I - o Tribunal Pleno;IV - elaborar o Regimento Interno e nele fixar as demaisII - o Conselho da Magistratura;atribuies de competncia do Tribunal e de seus rgos;III - a 1 e 2 Cmaras Cveis; V - propor ao Poder Legislativo, pelo voto da maioria absolutade seus membros, a alterao da presente lei e a criao deIV - a 1 e 2 Cmaras Especiais; novos juzos e Comarcas;V as 1 e 2 Cmaras CriminaisVI - homologar concurso para ingresso na carreira damagistratura; ALISSON FIDELIS 2/73 3. LEGISLAO ESPECFICAVII - indicar o juiz Diretor do Frum para perodo de dois anos, 7 - do Conselho da Magistratura;admitida uma reconduo; 8 - dos Juzes de Direito e dos Juzes Substitutos;VIII - deliberar sobre pedido de permuta e remoo demagistrados; 9 - dos Secretrios de Estado.IX - organizar, em sesso reservada, a lista trplice para IV - embargos infringentes e de nulidade;promoo de Juiz; V - suspeio argida contra desembargador, juiz e demaisX - decidir, em sesso reservada, sobre o acesso de Juiz deautoridades do Poder Judicirio;Direito ao Tribunal de Justia e a promoo, de entrncia para VI - ao rescisria, reviso criminal e pedido deentrncia, pelo critrio de antiguidade; desaforamento;XI - organizar lista para provimento de vaga do quinto VII - restaurao de autos e as habilitaes dos feitos deconstitucional; competncia originria;XII - eleger, por voto da maioria absoluta de seus membros,os VIII - os recursos das decises do Conselho da Magistratura edesembargadores e juzes de direito que devam integrar o do Corregedor-Geral da Justia;Tribunal Regional Eleitoral, observado o disposto no art. 94 daConstituio Federal;IX - a reclamao para a preservao de sua competncia e garantia de suas decises;XIII - solicitar interveno da Unio no Estado, nos termos daConstituio Federal e da Constituio do Estado;X - ao direta de inconstitucionalidade de lei ou ato normativo municipal;XIV - aprovar proposta oramentria a ser remetida aoExecutivo e a abertura de crdito; XI - nos crimes comuns, os Deputados Estaduais;XV - conhecer e examinar a prestao de contas daXII - nos crimes comuns e de responsabilidade, o Vice-Presidncia; Governador do Estado, Juzes de Direito e membros do Ministrio Pblico,ressalvada a competncia da JustiaXVI - deliberar sobre o remanejamento de competncia Eleitoral.entrevaras da mesma Comarca. XIII - ao direta de inconstitucionalidade de lei ou atoArt. 9 Compete ainda, originariamente, ao Tribunal Pleno normativo estadual, em face da Constituio Estadual.processar e julgar:CAPTULO III - DAS CMARAS CVEIS, ESPECIAIS E CRIMINAISI - os conflitos de competncia entre rgos da justia dosegundo grau de jurisdio;Seo I - Das Cmaras Cveis, Especiais e CriminaisII - os recursos cabveis de despachos ou decises doArt. 10. Excludas as matrias de competncia do TribunalPresidente, Vice-Presidente ou Relator;Pleno, as Cmaras Cveis, Especiais e Criminais tero suas competncias e nmero de desembargadores fixado noIII - mandado de segurana e habeas data contra atos: Regimento Interno do Tribunal de Justia (NR)1 - do Governador do Estado; Art. 11. [revogado]2 - dos membros do Tribunal de Justia, inclusive de seu CAPTULO IV - DO CONSELHO DA MAGISTRATURAPresidente; Art. 12. O Conselho da Magistratura Estadual, rgo3 - da Mesa Diretora e do Presidente da Assemblia permanente de disciplina do Poder Judicirio, compe-se doLegislativa; Presidente do Tribunal de Justia, que o presidir, do Vice-4 - do Tribunal de Contas; Presidente, do Corregedor-Geral da Justia e dos dois desembargadores mais antigos.5 - do Corregedor-Geral da Justia; 1. O Conselho reunir-se- uma vez por ms6 - do Procurador-Geral do Estado, do Procurador-Geral dae,extraordinariamente, quando convocado pelo Presidente.Justia e do Chefe da Defensoria Pblica; 2. Junto ao Conselho oficiar o Procurador-Geral de Justia. ISRAEL BARBOSA3/73 4. TRIBUNAL DE JUSTIA 3. Para a constituio de quorum convocar-se- oCAPTULO V - DA PRESIDNCIA DO TRIBUNAL DE JUSTIAdesembargador mais antigo. Art. 16. A Presidncia do Tribunal de Justia ser exercida por 4. As sesses do Conselho sero reservadas, assegurada aum de seus membros, eleito por dois anos, na forma previstapresena da parte interessada ou advogado habilitado,neste Cdigo e no Regimento Interno.devendo suas decises serem proclamadas somente peloresultado. Art. 17. Ao Presidente do Tribunal compete: 5. Da smula das decises censrias constar apenas o I - representar o Poder Judicirio e superintender os serviosnmero do processo e da deciso. da Justia;Art. 13. Ao Conselho da Magistratura compete:II - administrar o Tribunal, dirigir seus trabalhos, presidir as sesses do Tribunal Pleno e do Conselho da Magistratura.I - exercer a superior inspeo da Magistratura e adisciplinados servios da Justia de primeiro grau;III - apreciar, nos perodos de frias coletivas, pedido de liminar e mandado de segurana (suprimido pela LeiII - propor a aplicao de medidas disciplinares;Complementar n. 175, de 30 de junho de 1997 - D.O.E. de 1/7/1997 - Efeitos a partir 1/7/1997).III - remeter ao Procurador-Geral de Justia inquritos oudocumentos com indcios de responsabilidade criminal; 1. As demais atribuies e competncia do Presidente sero estabelecidas no Regimento Interno.IV - apreciar, reservadamente, os casos de suspeio denatureza ntima declarada por juzes; 2. Findo o mandato, o Presidente ocupar, na Cmara Especializada, o lugar deixado por seu sucessor.V - determinar, quando for o caso, que no seja empossadapessoa ilegalmente nomeada para o cargo ou funo da Art.18. O Presidente ser auxiliado por dois (02) Juzes dejustia; Direito de Terceira Entrncia, por ele indicados, cujas atribuies sero definidas no Regimento Interno.VI - propor ao Tribunal Pleno a recusa de juiz em processo depromoo por antiguidade e emitir informaes nos processos. Fica assegurada ao magistrado a gratificao de 5% (cincode promoo por merecimento; por cento) do subsdio do cargo de que titular, enquanto perdurar o auxlio de que trata o caput.VII - determinar anotao, no cadastro dos juzes, das faltasinjustificadas ao expediente forense, como tambm dos fatosCAPTULO VI - DA VICE-PRESIDNCIA DO TRIBUNAL DEque lhes desabonem a conduta e os elogios; JUSTIAVIII - julgar recursos interpostos contra as decises dos juzes Art. 19. O Vice-Presidente do Tribunal de Justia, eleito por2da infncia e da juventude.(dois) anos, substituir o Presidente em suas ausncias e impedimentos e ter sua competncia estabelecida noArt. 14. Poder o Conselho da Magistratura, quando Regimento Interno.necessrio, declarar em regime de exceo Comarca ou Vara,por prazo ra