LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE EUSÉBIO PREÂMBULO .LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE EUSÉBIO PREÂMBULO

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE EUSÉBIO PREÂMBULO .LEI ORGÂNICA DO MUNICÍPIO DE EUSÉBIO...

LEI ORGNICA DO MUNICPIO DE EUSBIO

PREMBULO

Os representantes do povo do Municpio de Eusbio, reunidos em Assemblia Municipal Revisora, buscando a realizao do bem-estar comum e as aspiraes sociais, econmicas, culturais e histricas, invocando a proteo de Deus, adotam e promulgam a presente Lei Orgnica.

TTULO I

DOS PRINCPIOS FUNDAMENTAIS

Art. 1 O Municpio de Eusbio, unidade integrante do Estado, organiza-se de forma autnoma em tudo o que diz respeito ao seu peculiar interesse, no pleno uso de sua autonomia poltica, administrativa e financeira, respeitando os princpios das Constituies Federal e Estadual, reger-se- por esta Lei Orgnica e pelos seguintes princpios fundamentais:

I firme observncia da Constituio da Repblica Federativa do Brasil, da Constituio do Estado do Cear, ressalvada nesta qualquer incompatibilidade com a Carta Magna e com o exerccio da autonomia municipal;

II absoluto respeito dos direitos humano, com garantia de amparo e defesa do idoso, do doente, da famlia, da criana, do adolescente e da maternidade;

III absoluto respeito pelos povos indgenas e/ou remanescentes, com garantia de amparo s pessoas, preservao de suas culturas e reconhecimento de seus valores sociais como parte (e formadores) do patrimnio pblico municipal, estadual e nacional, e idntico reconhecimento enorme contribuio da raa negra;

IV defesa inequvoca do ambiente natural (inclusive dos mananciais hdricos, com preservao e repovoamento da flora e da fauna e combate aos agentes poluidores), bem como do patrimnio cultural;

V a intransigente defesa do interesse nacional, da riqueza e patrimnio da Nao, do espao martimo e areo contra o que no prevalecero interesses internacionais ou nacionais;

VI adoo de medidas desestimuladoras do xodo involuntrio, e negativo sob qualquer aspecto, da populao comunitria, especialmente a rural, apoiando iniciativas econmicas capazes de

propiciar o aumento da renda familiar, em especial das camadas de baixa renda, e iniciativas que propiciem a justa distribuio de terras e de condies de uso aos que nela trabalham

VII compromisso de acelerao do acesso da populao aos benefcios da educao, da sade e do bem-estar social, calcada na realidade econmica e cultural da comunidade, pelo aumento das oportunidades de emprego e renda familiar;

VIII estmulos financeiros e tcnicos diretos e indiretos, associados com a Unio, o Estado e entidades pblicas e/ou privadas, bem como incentivos fiscais e empreendimentos econmicos geradores de mo-de-obra e outros efeitos sociais e financeiros;

IX compromisso de integrao no processo de desenvolvimento econmico do Pas, do Nordeste e do Cear como fator de melhor distribuio de renda e de eliminao da condio de pobreza;

X garantia de austeridade administrativa e de transparncia das aes e de exerccio dos poderes municipais, amplamente explicitadas na legislao codificada e ordinria do Municpio.

Art. 2 So smbolos oficiais do Municpio: a Bandeira, o Hino, o Braso, alm de outros estabelecidos em lei, representativos de sua cultura e histria.

Art. 3 Todo poder emana do povo, e em seu nome ser exercido, direta ou indiretamente, por meio de seus representantes eleitos para desempenharem seus respectivos mandatos, nos termos da Constituio Federal, da Constituio Estadual e desta Lei Orgnica.

Art. 4 O Municpio de Eusbio reger-se- por esta Lei Orgnica, atendidos os Princpios Constitucionais de absoluto respeito autonomia, aos interesses e s peculiaridades locais.

Pargrafo nico. A soberania popular se manifesta quando a todos estejam asseguradas condies dignas de existncia, e ser exercida:

I pelo sufrgio universal e pelo voto direto e secreto;

II pelo plebiscito;

III pelo referendo;

IV pelo veto popular;

V pela iniciativa popular no processo legislativo;

VI pela participao popular nas decises do Municpio e no aperfeioamento democrtico de suas instituies;

VII pela ao fiscalizadora sobre a administrao pblica.

Art. 5 Compete ao Municpio prover a tudo quanto respeite ao seu interesse local, tendo como objetivo o pleno desenvolvimento de suas funes sociais e garantindo o bem-estar de seus habitantes.

Art. 6 A iniciativa popular de lei, o plebiscito, o referendo, o oramento participativo e o veto popular so formas de assegurar a efetiva participao do povo nas definies das questes fundamentais de interesse coletivo.

Pargrafo nico. O veto popular no alcanar matrias que versem sobre tributos, organizao administrativa, servidores pblicos e seu regime jurdico, funes ou empregos pblicos, aumento de

remunerao de pessoal, provimento de cargos, estabilidade e aposentadoria, criao, estruturao e atribuies das secretarias e rgos da administrao pblica.

Art. 7 Todo cidado tem o direito de requerer informaes sobre os atos da administrao municipal, sendo parte legtima para pleitear, perante os poderes pblicos competentes, a declarao de nulidade ou anulao de atos lesivos ao patrimnio pblico, histrico e cultural.

Art. 7-A. Para garantir a gesto democrtica da cidade, devero ser utilizados, entre outros, obrigatoriamente, os seguintes instrumentos:

I rgos colegiados de polticas pblicas;

II debates, audincias e consultas pblicas, envolvendo toda a sociedade civil;

III conferncia sobre os assuntos de interesse pblico, com ampla publicidade;

IV iniciativa popular de planos, programas e projetos de desenvolvimento;

V a elaborao e a gesto participativa do Plano Plurianual, nas diretrizes oramentrias e do oramento anual, como condio obrigatria para a sua aprovao pela Cmara Municipal.

TTULO II

DA COMPETNCIA DO MUNICPIO

Art. 8 Ao Municpio compete privativamente:

I legislar sobre assuntos de interesse local;

II suplementar as legislaes federal e a estadual, no que couber;

III instituir e arrecadar os tributos de sua competncia, bem como aplicar suas rendas;

IV criar, organizar e suprimir distritos, observadas as legislaes federal e estadual;

V organizar e prestar, diretamente ou sob regime de concesso ou permisso, os servios pblicos de interesse local, includos o de transporte coletivo, iluminao pblica e o de fornecimento de gua potvel, que tm carter essencial;

VI manter, com a cooperao tcnica e financeira da Unio e do Estado, programas de educao pr-escolar e de ensino fundamental;

VII promover, no que couber, adequado ordenamento territorial, mediante planejamento e controle do uso, do parcelamento e da ocupao do solo urbano;

VIII prestar, com a cooperao tcnica e financeira da Unio e do Estado, servios de atendimento sade da populao;

IX ordenar as atividades urbanas, fixando condies e horrio para funcionamento de estabelecimentos industriais, comerciais, empresas prestadoras de servios similares;

X promover a proteo, preservao e recuperao do meio ambiente natural e construdo, dos patrimnios cultural, histrico, artstico, paisagstico e arqueolgico, observadas as legislaes federal e estadual;

XI promover a gerao de emprego e renda para a populao excluda das atividades econmicas formais, dando prioridade ao cooperativismo e s demais formas de autogesto econmica;

XII regulamentar e fiscalizar a circulao e o estacionamento de transporte de carga;

XIII equipar a Guarda Municipal com armamento e viaturas, para que, de acordo com o programa de segurana pblica, possa dar proteo e segurana de seus bens, servios e instalaes, inclusive nas escolas, unidades de sade, centros sociais e praas, conforme dispuser lei complementar;

XIV incentivar a cultura e promover o lazer;

XV realizar programas de apoio s prticas desportivas;

XVI realizar atividades de defesa civil, inclusive as de combate a incndios e preveno de acidentes naturais, em coordenao com a Unio e o Estado;

XVII fixar tarifas dos servios pblicos, inclusive as dos servios de txi, obedecendo proporcionalidade de quinhentos habitantes por unidade, de acordo com a projeo do IBGE;

XVIII sinalizar as vias pblicas urbanas e rurais, regulamentando e fiscalizando a utilizao de vias e logradouros pblicos;

XIX elaborar e executar o plano plurianual;

XX efetuar a drenagem e a pavimentao de todas as vias de Eusbio;

XXI Criar mecanismos que combatam a discriminao mulher, criana e ao adolescente em situao de risco, s pessoas portadoras de deficincia e de doenas contagiosas, obesos mrbidos, ao homossexual, ao idoso, ao ndio, ao negro, ao ex-detento e promovam a igualdade entre cidados.

XXII promover, no mbito do territrio do Municpio, a explorao do servio de Radiodifuso Comunitria a ser disciplinada por lei especfica;

XXIII promover a descentralizao, a desconcentrao e a democratizao da administrao pblica municipal;

XXIV respeitar a autonomia e a independncia de atuao das associaes e movimentos sociais.

XXV realizar campanhas educativas de combate violncia causada pelo trnsito, a fim de promover a educao de motoristas e transeuntes;

XXVI realizar programas de incentivo ao turismo no municpio de Eusbio;

XXVII celebrar convnios com a Unio, o Estado e outros Municpios, mediante autorizao da Cmara Municipal, para execuo de servios, obras e decises, bem como de encargos dessas esferas;

1 O Municpio participar de organismos pblicos que contribuam para integrar a organizao, o planejamento e a execuo de funo pblica de interesse comum.

2 Pode ainda o Municpio, atravs de convnios ou consrcios com outros Municpios da mesma comunidade socioeconmica, criar entidades intermunicipais para a realizao de obras, atividades ou servios especficos