Lei Orgânica do Município de ... Lei Orgânica do Município de Catuji Estado de Minas Gerais Reformulada

  • View
    226

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Lei Orgânica do Município de ... Lei Orgânica do Município de Catuji Estado de Minas Gerais...

Lei Orgnica do Municpio de Catuji

Estado de Minas Gerais

Reformulada e atualizada pela edilidade do quadrinio 2004 2008.

Prembulo

Ns, representantes do povo do Municpio de Catuji/MG, imbudos do propsito de realizar o Estado Democrtico de Direito, e investidos pela

constituio a Repblica na nobre atribuio de elaborao de Emenda Revisional Lei Orgnica, com o propsito de instituir normas e fundamentos da

organizao Municipal que, com base nas aspiraes do povo Catujiense, consolide os princpios estabelecidos nas Constituies da Repblica e do Estado de

Minas Gerais, promova a descentralizao do poder e assegure o seu controle pelos cidados, garanta o direito de todos cidadania plena, ao desenvolvimento

e vida, em uma Sociedade Fraterna Pluralista e sem preconceitos, alicerada na Justia Social, PROMULGAMOS a seguinte,

LEI ORGNICA DO MUNICPIO DE CATUJI/MG, RESPEITANDO-A E JURANDO CUMPRI-LA, FIELMENTE.

Catuji/MG, aos 04 de junho de 2005.

Fao saber que a Cmara Municipal de Catuji, Estado de Minas Gerais, aprovou e eu, Prefeito Municipal sanciono a seguinte lei:

A Lei Orgnica do Municpio de Catuji passa a vigorar com a seguinte Redao:

2

TTULO I

DISPOSIES PRELIMINARES

Art. 1 - O Municpio de Catuji, com autonomia poltico-administrativa, se organiza e se rege por esta Lei Orgnica, observados os princpios constitucionais

da Repblica e do Estado de Minas Gerais.

Art. 2 - O territrio do Municpio poder ser dividido em Distritos, criados, organizados e suprimidos por lei Municipal, observada a Legislao estadual, a

consulta plebiscitria e o disposto nesta Lei Orgnica.

1 -O exerccio direto do poder do povo, no Municpio, se d, na forma desta Lei Orgnica, mediante:

I plebiscito;

II referendo;

III iniciativa popular, na proposio de leis de interesse local, incluindo emendas a Lei Orgnica;

IV ao fiscalizadora sobre a administrao pblica.

2 - O Municpio integra a diviso administrativa do Estado.

Art. 3 - So objetivos fundamentais do Municpio em integrao e cooperao com a Unio, o Estado e demais Municpios:

I construir uma sociedade livre, justa e solidria;

II garantir o desenvolvimento municipal, estadual e nacional;

III erradicar a pobreza e a marginalizao e reduzir as desigualdades sociais;

IV promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raa, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminao;

V garantir a efetivao dos direitos humanos, individuais e sociais.

Art. 4 - Para atingir os objetivos de que trata o artigo anterior, dever o Municpio;

I gerir interesses locais, como fator essencial de desenvolvimento da comunidade, atravs do seguinte:

a - assegurando a permanncia da cidade enquanto espao vivel e de vocao histrica, que possibilite o efetivo exerccio da cidadania;

b preservando a sua identidade, adequando as exigncias do desenvolvimento preservao de sua memria, tradio e peculiaridades;

c proporcionando aos seus habitantes condies de vida compatveis com a dignidade humana, justia social e o bem comum;

d priorizando o atendimento das demandas sociais de educaes, sade, transporte, moradia, lazer e assistncia social.

II cooperar com a Unio e o estado e associar-se a outros Municpios na realizao de interesses comuns;

III promover de forma integra o desenvolvimento social e econmico da populao de sua Sede e dos Distritos;

IV promover planos, programas e projetos de interesse dos segmentos mais carentes da sociedade;

V estimular e difundir o ensino e a cultura, proteger o patrimnio cultural e histrico e o meio ambiente, e combater a poluio;

VI preservar a moralidade administrativa.

Art. 5 - So smbolos do Municpio: a Bandeira, o Hino e o Braso estabelecido em lei, representativos de sua cultura e histria.

Art. 6 - So consideradas datas cvicas o Dia do Municpio, comemorando anualmente, no dia 27 (vinte e sete) de Abril, 29 (vinte e nove) de Setembro do

Padroeiro (So Miguel) da cidade, e ser feriado municipal.

TTULO II

DOS DIREITOS E GARANTIAS FUNDAMENTAIS

Art. 7 - O Municpio assegura no seu territrio e nos limites de sua competncia, os direitos e garantias fundamentais que a Constituio Federal no seu art.

5 e a Constituio Estadual no seu art. 4, conferem aos brasileiros e aos estrangeiros residentes nos seus territrios, nos seguintes aspectos, em especial:

I a dignidade da pessoa humana.

II todos so iguais perante a lei, sem distino de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no Municpio a

inviolabilidade do direito vida, liberdade, igualdade, segurana, propriedade.

III so direitos sociais o direito educao, ao trabalho cultura, moradia, assistncia, proteo, maternidade, gestante, infncia, ao idoso e ao

deficiente, ao lazer, ao meio ambiente, sade e segurana.

Art. 8 - Ao Municpio vedado:

I estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvenciona-los, embaraar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relaes de

dependncias ou aliana, ressalvada, na forma da lei, a colaborao de interesse pblico;

II recusar f aos documentos pblicos;

III criar distines entre brasileiros ou preferncias em relao s demais unidades e entidades da Federao.

3

TTULO III

DA ORGANIZAO DO MUNICPIO

CAPTULO I

DA ORGANIZAO POLTICO-ADMINISTRATIVA

Art. 9 - A organizao poltico-administrativa do Municpio compreende a cidade, os distritos e os subdistritos.

1 - A Sede do Municpio a cidade de Catuji.

2 - Os distritos e subdistritos tm os nomes das respectivas sedes, cuja categoria a vila.

Art. 10 A Lei Municipal poder instituir a administrao distrital e regional, de acordo com o princpio da descentralizao administrativa.

SEO I

DOS DISTRITOS

(Ou equivalentes Sub-Prefeituras Administraes Regionais)

Art. 11 O municpio poder dividir-se para fins administrativos em Distritos a serem criados, organizados, suprimidos ou fundidos por lei, aps consultas

plebiscitrias populao diretamente interessada, observada a legislao Estadual e o atendimento aos requisitos estabelecidos,bem como podero ser criados por

iniciativa do Prefeito, aprovado pela Cmara Municipal, distritos, sub-prefeituras, administraes regionais ou equivalentes.

Art. 12 Os distritos ou equivalentes tm a funo de descentralizar os servios da administrao municipal, possibilitando maior eficincia e controle por

parte da populao beneficiria.

Art. 13 As atribuies sero delegadas pelo Prefeito, nas mesmas condies dos secretrios, diretores de departamento ou chefes responsveis pelos rgo

da administrao direta ou indireta.

SEO II

DOS CONSELHOS POPULARES

Art. 14 Alm das diversas formas de participao popular previstas nesta Lei Orgnica, fica assegurada a existncia de Conselhos Populares.

SEO III

DA FISCALIZAO POPULAR

Art. 15 Todo cidado tem direito de ser informado dos atos da administrao municipal.

Pargrafo nico Compete administrao municipal garantir os meios para que essa informao se realize.

Art. 16 Toda entidade da sociedade civil regularmente registrada poder fazer pedido de informao sobre ato ou projeto da administrao que dever

responder no prazo de 10 (dez) dias ou justificar a impossibilidade da resposta.

1 - Caso a resposta no satisfaa, poder reiterar o pedido especificando suas demandas, para o qual a autoridade requerida ter prazo previsto no artigo 16

desta Lei.

2 - A resposta dada pela autoridade ao pedido de informao ser apresentada em reunio ordinria do conselho respectivo.

3 - Caso o Conselho tenha divergncia com a reposta dada, comunicar autoridade que poder corrigir a resposta ou mant-la, acrescentando a expresso

resposta com parecer contrrio da comisso.

4 - Nenhuma taxa ser cobrada pelos requerimentos que trata este artigo.

Art. 17 Toda entidade da sociedade civil de mbito municipal ou, caso no sendo, tendo mais de 15 (quinze) filiados (associados) poder requerer ao

Prefeito ou outra autoridade do municpio a realizao de audincia pblica para que esclarea determinado ato ou projeto de administrao.

1 - A audincia dever ser obrigatoriamente concedida no prazo de 20 (vinte) dias, devendo ficar disposio da populao, desde o requerimento, toda a

documentao atinente ao tema.

2 - Cada entidade ter direito, no mximo, realizao de 02 (duas) audincias por ano, ficando a partir da a critrio da autoridade requerida deferir ou

no o pedido, e se houver algum caso de emergncia ou urgncia.

Art. 18 S se proceder mediante audincias pblicas:

I projetos de licenciamento que envolva impacto ambiental;

II atos que envolvam conservao ou modificao do patrimnio arquitetnico, histrico, artstico ou cultural do municpio;

III realizao de obra que comprometa mais de 5% (cinco porcento) do oramento municipal.

4

Art. 19 A audincia prevista no artigo anterior dever ser divulgada em pelo menos 02 (dois) rgos de imprensa de circulao municipal, no mnimo, 10

(dez) dias de antecedncia, seguindo no restante o previsto.

Art. 20 Aos Conselhos, sero franqueados o acesso a toda documentao e informao sobre qualquer ato, fato ou projeto da administrao.

Art. 21 O descumprimento das normas previstas