Lei Organica - Mangaratiba

  • View
    100

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Lei Organica - Mangaratiba

Lei Orgnica Municipal de Mangaratiba de 05 de abril de 1990 Cmara Municipal de Mangaratiba Estado do Rio de Janeiro

Lei Orgnica do Municpio de Mangaratibandice Prembulo Ttulo I Dos Princpios Fundamentais Ttulo II Da Organizao Municipal Ttulo III Da Organizao dos Poderes Ttulo IV Da Tributao Municipal, da Receita e Despesa e do Oramento Ttulo V Da Ordem Econmica, Financeira e do Meio Ambiente Ttulo VI - Da Ordem Social Ttulo VII - Das Disposies Gerais e Transitrias

Prembulo Ns, os representantes do povo de Mangaratiba, com as atribuies previstas no artigo 29 e usando dos poderes outorgados pelo pargrafo nico do artigo 11 do Ato das Disposies constitucionais Transitrias, da Constituio da Repblica Federativa do Brasil, votamos e promulgamos a seguinte LEI ORGNICA DO MUNICPIO DE MANGARATIBA

TTULO I Dos Princpios Fundamentais Art. 1 - O Municpio de Mangaratiba e pessoa jurdica de direito pblico interno, entidade dotada de autonomia poltica, administrativa e financeira, integrante do Estado do Rio de Janeiro e da unio indissolvel da Repblica Federativa do Brasil. Pargrafo nico - O Municpio rege-se por esta Lei Orgnica e pelas leis que adotar, observados os princpios Constitucionais da Repblica Federativa do Brasil e do Estado do Rio de Janeiro. Art. 2- Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos da Constituio Federal, da Constituio Estadual e desta Lei Orgnica. Art. 3 - So objetivos fundamentais dos cidados deste Municpio e de seus representantes: I - assegurar a construo de uma sociedade livre, justa e solidria; II - garantir o desenvolvimento local e regional sem prejuzo da ecologia e do meio ambiente; III - contribuir para o desenvolvimento estadual e nacional; IV - erradicar a pobreza e marginalizao e reduzir as desigualdades sociais na rea urbana e na rea rural; V - promover o bem de todos, sem preconceito de origem, raa, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminao. Art. 4- A soberania popular, que se manifesta quando a todos so asseguradas condies dignas de existncia, ser exercida: I - pelo sufrgio universal e pelo voto direto e secreto com valor igual para todos; II - pelo plebiscito; III - pelo referendo; IV - pela iniciativa popular do processo legislativo. Art. 5 - Os direitos e deveres individuais e coletivos, na forma prevista na Constituio Federal, integram esta Lei orgnica e devem ser afixados em todas as reparties pblicas do Municpio, nas escolas, nos hospitais ou em qualquer local de acesso pblico, para que todos possam, permanentemente, tomar cincia, exigir o seu cumprimento por parte das autoridades e cumprir, por sua parte, o que cabe a cada cidado habitante deste Municpio ou que em seu territrio transite. Art. 6 - O Municpio garantir a plena efetividade dos direitos e garantias individuais e coletivos, observando: I - ningum ser discriminado, prejudicado ou privilegiado em razo do nascimento, idade, etnia, raa, cor, sexo, estado civil, trabalho rural ou urbano, religio, convices polticas ou filosficas, deficincia fsica ou mental, por ter cumprido pena, nem por qualquer particularidade ou condio. II - sero proibidas as diferenas salariais para trabalho igual, assim como critrios de admisso e estabilidade profissional discriminatrios por qualquer dos motivos previstos no item I e atendidas as qualificaes das profisses estabelecidas em lei.

Art. 7 - A populao do Municpio poder organizar-se em associaes, observadas as disposies da Constituio Federal e do Estado, desta Lei orgnica, da legislao aplicvel e do estatuto prprio, o qual fixar o objetivo da atividade associativa. Pargrafo nico - Podero ser criadas associaes com os seguintes objetivos, entre outros: I - proteo e assistncia criana, ao adolescente, aos desempregados, aos idosos, aos pobres, mulher, gestante, aos doentes e aos portadores de deficincia; II - proteo e desenvolvimento da cultura, das artes, do esporte e do lazer; III - cooperar no planejamento municipal, especialmente nas reas da educao e da sade; IV - representao dos interesses dos moradores de bairros e distritos, de consumidores, de donas-de-casa, de pais de alunos, de alunos, de professores e de contribuintes. Art. 8. - Ficam isentas do pagamento de impostos e taxas municipais s associaes comunitrias e organizaes sindicais com sede no Municpio. TTULO II Da Organizao Municipal CAPTULO I Da Organizao Poltica-Administrativa Art. 9 - O Municpio de Mangaratiba, com sede no distrito que lhe d o nome, tem como limites geogrficos os existentes na data de promulgao desta Lei Orgnica. Art. 10 - So Poderes do Municpio, independentes e harmnicos entre si, o Legislativo e o Executivo. Art. 11 - So smbolos do Municpio sua Bandeira, seu Hino e seu Braso, representativos de sua histria e cultura. Pargrafo nico - A lei poder estabelecer outros smbolos, dispondo sobre o seu uso no territrio do Municpio. Art. 12 - No exerccio de sua autonomia, o Municpio editar leis, expedir decretos, praticar atos e adotar medidas pertinentes aos seus interesses, s necessidades da administrao e ao bem-estar de seu povo. Pargrafo nico - o Municpio poder celebrar convnios com a Unio, Estado e outros Municpios ou respectivos rgos da administrao indireta, inclusive fundacional, para execuo de suas leis, servios ou decises por servidores federais, estaduais ou municipais. Art. 13 - Incluem-se entre os bens do Municpio: I - os que atualmente lhe pertencem e os que lhe vierem a ser atribudos; II - as reas, nas ilhas ocenicas e costeiras, que estiverem em seu domnio, excludas as sob domnio da Unio, do Estado ou de terceiros; III - os mananciais de gua potvel localizados em seu territrio, assegurados como bens naturais, incluindo os de uso comum do povo e aqueles que so parte de contratos ou convnios com rgos estaduais e federais; IV - os atracadouros pblicos.

CAPTULO II Da Diviso Administrativa do Municpio Art. 14 - O Municpio de Mangaratiba est dividido administrativamente em seis distritos: I - Distrito-sede: Mangaratiba; II - 2 distrito : Conceio de Jacare; III - 3 distrito : Itacuru; IV - 4 distrito : Muriqui; V - 5 distrito : So Joo Marcos; e VI - 6 distrito : Praia Grande. 1 - o 6 distrito composto das localidades de Praia Grande e Sahy. 2 - Lei complementar dispor sobre a fixao dos limites dos distritos criados por esta Lei Orgnica, bem como a dos que tiveram suas reas territoriais alteradas. Art. 15 - O distrito parte integrante do territrio do Municpio, com denominao prpria, dotado de rgo de descentralizao administrativa, na forma da lei. Pargrafo nico - facultada a criao de sub-distritos e bairros, representando meras divises geogrficas dos distritos. Art. 16 - A criao, supresso ou fuso de distritos depende de lei, aps consulta plebiscitria s populaes diretamente interessadas, observada a legislao estadual especfica. Art. 17 - Na fixao das divisas distritais devem ser observadas as seguintes normas: I - sempre que possvel sero evitadas formas assimtricas, estrangulamentos e alongamentos exagerados; II - preferncia, para a delimitao, s linhas naturais, facilmente identificveis; III - na inexistncia de linhas naturais, utilizao de linha reta, cujos extremos, pontos naturais ou no, sejam facilmente identificveis; IV - vedada a interrupo da continuidade territorial do Municpio ou do distrito de origem. Pargrafo nico - As divisas distritais devem ser descritas trecho a trecho, salvo se para evitar duplicidade, nos trechos que coincidirem com os limites municipais. Art. 18 - A participao do Municpio em uma regio metropolitana, aglomerao urbana ou microrregio depender de prvia aprovao pela Cmara Municipal. CAPTULO III Da Competncia do Municpio Seo I Da Competncia Privativa Art. 19 - Compete ao Municpio: I - legislar sobre assuntos de interesse local; II - suplementar a legislao federal e estadual, no que couber;

III - elaborar o oramento anual, o plano plurianual de investimentos e a lei de diretrizes oramentrias; IV - instituir e arrecadar os tributos municipais, bem como aplicar suas rendas, sem prejuzo da obrigatoriedade de prestar contas e publicar balancetes nos prazos fixados em lei; V - fixar, fiscalizar e cobrar tarifas ou preos pblicos; VI - criar, organizar e suprimir distritos, observada a legislao estadual; VII - dispor sobre organizao, administrao e execuo dos servios municipais; VIII - dispor sobre administrao, utilizao e alienao dos bens pblicos; IX - instituir o quadro, os planos de carreira e o regime jurdico nico dos servidores pblicos; X - organizar e prestar, diretamente ou sob o regime de concesso ou permisso, os servios pblicos locais, inclusive o de transporte coletivo, que tem carter essencial; XI - manter, com a cooperao tcnica e financeira da Unio e do Estado, programa de educao pr-escolar e de ensino fundamental; XII - instituir, executar e apoiar programas educacionais e culturais que propiciem o pleno desenvolvimento da criana e do adolescente; XIII - amparar, de modo especial, os idosos e os portadores de deficincia; XIV - estimular a participao popular na formulao de polticas pblicas e sua ao governamental, estabelecendo programas de incentivo a projetos de organizao comunitria nos campos social e econmico, cooperativas de produo e mutires; XV - prestar, com a cooperao tcnica e financeira da Unio e do Estado, servios de atendimento sade da populao, atendendo prioritariamente assistncia mdica e odontologia preventivas e emergncias mdico-hospitalares de pronto-socorro; XVI - planejar e controlar o uso, o parcelamento e a ocupao do solo em seu territrio, especialmente o de sua zona urbana; XVII - estabelecer normas de edificao, de loteamento, de desmembramento, de arruamento e de zoneamento urbano e rural, bem como as limitaes urbansticas convenientes ordenao do seu territrio, observadas as diretrizes da lei federal; XVIII - instituir, planejar e fiscalizar programas de desenvolvimento urbano nas reas de habitao e saneamento bsico, de acordo com as di