LEI ORGÂNICA MUNICIPAL DE BEZERROS .O Povo de Bezerros, por intermédio de seus representantes legais,

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of LEI ORGÂNICA MUNICIPAL DE BEZERROS .O Povo de Bezerros, por intermédio de seus representantes...

  • 1

    LEI ORGNICA MUNICIPAL DE BEZERROS

    PREMBULO

    O Povo de Bezerros, por intermdio de seus representantes legais, sob a proteo de

    Deus, reunidos em Comisso Constituinte Revisora, para dotar o Municpio de sua Lei

    Orgnica, dentro de um Sistema Democrtico, imbudos pelos princpios da liberdade,

    igualdade, da justia e da soberania popular, valores fundamentais a uma sociedade

    pluralista, fraterna e sem preconceitos ideolgicos e raciais, amparada na paz, no

    progresso e no respeito ao ser humano, com o objetivo firme de pensar, planejar e

    construir um municpio voltado aos seus cidados, estabelece e promulga a seguinte LEI

    ORGNICA DO MUNICPIO DE BEZERROS, ESTADO DE PERNAMBUCO:

  • 2

    TTULO I

    DA ORGANIZAO E COMPETENCIA DO MUNICPIO

    CAPTULO I

    DOS PRINCPIOS FUNDAMENTAIS

    Art. 1. O Municpio dos Bezerros uma unidade territorial que integra a Repblica

    Federativa do Brasil e o Estado de Pernambuco, dotado de autonomia poltica,

    administrativa, financeira e legislativa, nos termos assegurados na Constituio da

    Republica, pela constituio do Estado e por esta Lei Orgnica.

    1 O Municpio dos Bezerros integra-se aos princpios nacionais e estaduais com o

    objetivo da construo de uma sociedade livre, justa e solidria, preservando os

    fundamentos que norteiam o Estado Democrtico de Direito e o respeito soberania

    Nacional, autonomia estadual e municipal, cidadania, dignidade da pessoa humana,

    aos valores sociais do trabalho e da livre iniciativa, ao pluralismo poltico, ao

    desenvolvimento sustentvel e justia social.

    2 A ao municipal desenvolve-se em todo o seu territrio, sem privilgios ou

    distines entre distritos, bairros, grupos sociais ou pessoas, contribuindo para reduzir

    desigualdades regionais e sociais, promovendo o bem-estar de todos, sem preconceito

    de qualquer espcie ou quaisquer outras formas de discriminao.

    Art. 2. So poderes do Municpio, independentes e harmnicos entre si, o Legislativo,

    exercido pela Cmara Municipal e o Executivo, exercido pelo Prefeito.

    CAPITULO II

    DOS DIREITOS INDIVIDUAIS E COLETIVOS

    Art. 3. assegurado a todo habitante do Municpio, nos termos das Constituies

    Federal, Estadual e desta Lei Orgnica, o direito educao, sade, ao trabalho, ao

    lazer, ao usufruto dos bens culturais, segurana, proteo a maternidade, infncia,

    a assistncia aos desamparados, ao transporte, habitao e ao meio ambiente

    equilibrado.

    CAPITULO III

    DOS DIREITOS SOCIAIS

    Art. 4. O Municpio assegurar, em cooperao com a Unio e o Estado, os direitos

    fundamentais do cidado, observando:

    I - proteo famlia, maternidade, infncia, adolescncia, velhice e as pessoas

    portadoras de necessidades especiais;

    II - a promoo e integrao no mercado de trabalho;

  • 3

    III - a habilitao e reabilitao das pessoas portadoras de necessidades especiais e a

    promoo a vida comunitria;

    IV - a igualdade absoluta entre os cidados, coibindo a discriminao por motivo de

    origem, raa, cor, sexo, idade, estado civil, crena religiosa, orientao sexual, convico

    poltica e filosfica ou quaisquer outras formas.

    CAPTULO IV

    DA ORGANIZAO POLTICO- ADMINISTRATIVA

    Art. 5. O Municpio de Bezerros, unidade territorial do Estado de Pernambuco, pessoa

    jurdica de direito pblico interno, com autonomia poltica, administrativa e financeira,

    organizado e regido pela presente Lei Orgnica e demais leis que adotar na forma da

    Constituio Federal e da Constituio Estadual.

    1 So smbolos do Municpio dos Bezerros: a bandeira, o escudo, o hino e outros

    estabelecidos em Lei Municipal.

    2 O Municpio tem sua sede na cidade de Bezerros.

    3 O Municpio compe-se tambm dos seguintes distritos:

    I - Boas Novas

    II Cajazeiras

    II Sapucarna

    III Serra Negra

    IV Stio dos Remdios

    4 Qualquer alterao territorial ou de mudana de nome do Municpio, ou da

    transferncia da sede, depende de lei, votada pela Cmara Municipal aps consulta

    plebiscitria e de acordo com a Constituio Estadual e demais legislaes.

    5 o territrio do Municpio tem atualmente os seguintes limites:

    Norte: com os Municpios de Cumaru e Passira; ao Sul: com os Municpios de So

    Joaquim do Monte, Camocim de So Flix e Agrestina; ao Leste: com os Municpios de

    Gravat e Sair; ao Oeste; com os Municpios de Riacho das Almas e Caruaru.

    CAPTULO V

    DA COMPETNCIA MUNICIPAL

    Art. 6. Compete ao Municpio:

    I - administrar seu patrimnio;

    II - legislar sobre assuntos de interesse local;

    III - suplementar a legislao federal e a estadual, no que couber;

  • 4

    IV - instituir e arrecadar os tributos de sua competncia, bem como aplicar as suas

    rendas, sem prejuzo da obrigatoriedade de prestar contas e publicar balancetes nos

    prazos fixados em lei;

    V - criar, organizar e suprimir distritos, observando a legislao estadual;

    VI - organizar e prestar, diretamente ou sob regime de concesso, os servios pblicos

    de interesse local, incluindo o de transporte coletivo, que tem carter essencial.

    VII - manter, com a cooperao tcnica e financeira da Unio e do Estado, programas de

    manuteno e desenvolvimento da educao infantil, do ensino fundamental e

    profissionalizante;

    VIII - prestar, com a cooperao tcnica e financeira da Unio e do Estado, servios

    preventivos e de assistncia sade da populao;

    IX - elaborar o plano diretor do Municpio e promover, no que couber, adequado

    ordenamento territorial, integrando os valores ambientais, mediante planejamento e

    controle do uso, parcelamento e ocupao do solo urbano;

    X - promover a proteo do patrimnio histrico-cultural, paisagstico, arquitetnico e

    ecolgico local e stios arqueolgicos, observadas s legislaes federal e estadual;

    XI - elaborar os estatutos dos seus servidores, observados os princpios da Constituio

    Estadual e desta Lei Orgnica;

    XII - elaborar e reformar sua lei orgnica, na forma e dentro dos limites fixados nas

    Constituies Federal, Estadual e desta lei Orgnica;

    XIII - implantar a poltica municipal de proteo e de gesto ambiental, em colaborao

    com a Unio e o Estado;

    XIV - elaborar e executar o Oramento Plurianual, a Lei de Diretrizes Oramentrias e o

    Oramento Anual;

    XV - elaborar Planos de Desenvolvimento;

    XVI - constituir guarda municipal destinada a proteo de seus bens, servios e

    instalaes, podendo ainda participar de processo de segurana municipal, integrando-

    se nas aes das unidades policiais, mediante lei especfica;

    XVII - promover, com a elaborao do Estado a sinalizao das vias urbanas, das

    estradas municipais e poltica de educao para a segurana do trnsito;

    XVIII - combater, com a contribuio do Estado e da Unio, o trabalho infantil, as causas

    da pobreza, da excluso social, dos fatores de marginalizao, promovendo polticas de

    gerao de renda e de desenvolvimento social;

    XIX - fomentar com o Estado e a Unio, a produo agropecuria e organizar o

    abastecimento;

    XX - promover com o apoio do Estado e da Unio, programas de construo de moradias

    populares e melhorias das condies habitacionais e de saneamento bsico;

  • 5

    XXI - proporcionar a populao os meios de acesso a cultura, a educao, ao lazer, ao

    esporte e a cincia.

    XXII - regulamentar, outorgar e fiscalizar a fiscalizao de quaisquer meios de

    publicidade e propaganda nos locais sujeitos ao poder de poltica municipal;

    XXIII - adquirir bens, inclusive atravs de desapropriao por necessidade de interesse

    pblico ou social;

    XXIV - regulamentar a utilizao dos logradouros pblicos e, especialmente no

    permetro urbano, determinar itinerrio e pontos de paradas de transporte coletivo,

    fixar os locais e estacionamento de txis e outros veculos;

    XXV - Cassar a licena que houver concedido a estabelecimento que no atender as

    exigncias da lei;

    XXVI - Dispor sobre o depsito e destino de animais e mercadorias apreendidos em

    decorrncia de transgresso de legislao municipal;

    XXVI Dispor sobre os servios funerrios e cemitrios encarregando-se da

    administrao dos que forem pblicos e fiscalizando os pertencentes iniciativa privada.

    Art. 7. vedado ao MUNICPIO:

    I - estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencion-los, embaraar-lhes o

    funcionamento ou manter com eles ou seus representantes, relaes de dependncias

    ou alianas, ressalvadas, na forma da lei, a colaborao de interesse pblico.

    II - recusar f aos documentos pblicos;

    III - subvencionar ou auxiliar, de qualquer modo, com recursos pertencentes aos cofres

    pblicos, quer pela impressa escrita, rdio, televiso, internet, servio de autofalante ou

    qualquer outro meio de comunicao, propaganda poltico-partidria ou fins estranhos a

    administrao;

    IV - outorgar isenes ou anistias fiscais ou permitir a remisso de dvidas sem interesse

    pblico justificado, sem prvia autorizao legislativa, sob pena de nulidade do ato;

    V - manter publicidade de atos, propaganda, obras, servios e campanhas de rgos

    pblicos que no tenham carter educativo, informativo ou de orientao social, ou da

    qual conste em nomes, smbolos ou imagens que caracterizem promoo pessoal de

    autoridades ou servidores pblicos;

    VI criar distines ou preferncias entre brasileiros;

    VII celebrar ou promover a manuteno de contratos com empresas que no

    comp