LEIA NO PANORAMA GERAL - Referência de Qualidade em ... ?· termos uma produção em menor escala e…

Embed Size (px)

Text of LEIA NO PANORAMA GERAL - Referência de Qualidade em ... ?· termos uma produção em menor escala...

LEIA NO PANORAM A GERAL No Dia Internacional do Leite, o Rio Grande brinda a produo leiteira

LEIA NESTA EDIO

Trigo: Semeadura alcana os 45% da rea estimada

N. 1.403 23 de junho de 2016

Aqui voc encontra:

Panorama Geral

Condies Meteorolgicas

Gros

Hortigranjeiros

Criaes

Anlise dos Preos Semanais

EMATER/RS-ASCAR Rua Botafogo,1051 90150-053 Porto Alegre RS Fone: (051) 2125-3144 Fax: (051) 3231-7414 http://www.emater.tche.br Elaborao: Gerncia de Planejamento GPL Ncleo de Informaes e Analises NIA Impresso na EMATER/RS

Permitida a reproduo parcial ou total, desde que citada a fonte

Informativo Conjuntural Desde 1989 auxiliando

voc na tomada de decises.

PANORAM A GERAL

No Dia Internacional do Leite, o Rio Grande brinda a produo leiteira

O Rio Grande do Sul o segundo maior estado produtor de leite do Brasil, com mais de 4,6 bilhes de litros/ano, e o primeiro em produtividade, com uma mdia geral de 3.200 litros de leite/vaca/ano, sendo, neste caso, de 10,5 litros de leite/vaca/dia. J para os produtores gachos vinculados indstria, que produzem 4,2 bilhes de litros de leite/ano, a mdia anual de 3.576 litros/vaca, ou de 11,7 litros de leite/vaca/dia. Diante destes nmeros, ainda em transio, especialmente pelas recentes polticas pblicas voltadas ao setor, podemos, neste Dia Internacional do Leite, celebrado dia 24 de junho, comemorar avanos no campo, principalmente, pela permanncia dos produtores na atividade. Hoje, no Estado, so 198.817 produtores de leite, incluindo os 101.361, que produzem apenas para o consumo familiar, os 84.500 (42% do total de produtores), vinculados indstria, presentes em 467 (ou 94% dos) municpios gachos, e ainda os 224 produtores gachos que processam o leite em agroindstrias prprias legalizadas. Toda essa produo, distribuio e envolvimento, basicamente familiar, por parte do produtor, movimenta a economia dos municpios. Interessante destacar que 97,6% dos produtores que fornecem leite para as indstrias so familiares, ou seja, 82.145 produtores esto vinculados a empresas que processam e transformam o leite, em delcias que vm para nossas mesas. Mas no basta garantir leite em quantidade, precisamos manter a qualidade, proporcionando ao produtor uma Assistncia Tcnica tambm de qualidade, com capacitaes, acompanhamento e incentivando e promovendo sua insero no mercado. No Estado, a Emater/RS-Ascar assiste a mais de 30 mil produtores de leite, distribudos em 443 municpios (89% dos municpios gachos). Para ns, extensionistas, a qualidade do leite prioridade e buscada atravs do trip: alimentao a base de pasto, qualidade do leite e gesto, temas estes que tm incentivado o aumento do volume de produo e a incluso no mercado de 5.200 produtores que participam, nos ltimos anos, da Chamada Pblica do Leite. Nessas propriedades perceptvel o aumento da produtividade por animal e, apesar de ainda termos uma produo em menor escala e estarmos passando por um momento de crise, por questes de fraudes e de reduo do consumo, acreditamos que um dos avanos que conquistamos no dia a dia , enquanto Instituio de Assistncia Tcnica e Extenso Rural e Social, viabilizar a permanncia do produtor no campo, seja atravs de polticas pblicas e de capacitaes, ou pela reduo da penosidade de seu trabalho, com novos equipamentos e melhoria das instalaes. Acreditamos que, apesar da flexibilizao dos prazos de adequao s normativas, estamos no caminho da qualificao do produtor e do leite, garantindo aos consumidores um produto de qualidade e que gere renda e incentive o produtor a manter seu trabalho no campo, para que, a cada ano, tenhamos ainda mais motivos para comemorar o Dia Internacional do Leite. Um brinde aos nossos produtores e a todos os consumidores de leite!

Lino Moura Diretor tcnico da Emater/RS

e superintendente tcnico da Ascar

2

TECNOLOGIAS DA INFORMAO PARA A AGRICULTURA

As tecnologias da informao para agricultura informatizam e aprimoram a produo rural, desde o comportamento da vegetao at a formulao de dietas para bovinos de corte. A Embrapa Informtica Agropecuria divulga algumas dessas tecnologias, tais como o Sistema de Monitoramento Agrometeorolgico e o aplicativo Agritempo, alm dos sistemas Invernada, SATVeg e da Infoteca-e (Informao Tecnolgica em Agricultura). Para auxiliar o trabalho dos agricultores e dar suporte a consultorias e seguradoras agropecurias, o Agritempo oferece informaes meteorolgicas e agrometeorolgicas de diversos municpios e estados brasileiros, incluindo mapas de monitoramento e dados histricos de temperatura e precipitao. Disponvel na internet, apresenta uma verso para dispositivos mveis, desenvolvida para plataforma Android. O sistema Invernada simplifica o planejamento da produo de bovinos de corte, permitindo que o usurio compare opes de manejo distintas, como pastejo exclusivo, pastejo com suplementao e confinamento. Com essa tecnologia, o produtor pode formular dietas especiais para os animais e ainda simular o crescimento de pastagens, do pastejo e dos bovinos. J a ferramenta SATVeg, baseada em imagens de satlites, permite acompanhar o comportamento da vegetao na superfcie terrestre ao longo do tempo. O sistema possibilita a observao de perfis temporais de ndices vegetativos, para auxiliar o desenvolvimento de trabalhos e estudos relativos ao uso e cobertura da terra. A Infoteca-e serve como suporte para os usurios das tecnologias produzidas pela Embrapa. O servio disponibiliza informaes e orientaes em forma de cartilhas, livros e programas de rdio e de televiso. Fonte: Embrapa

A CONSERVAO DO SOLO E O ALERTA DA FAO

O Relatrio da FAO realizado com a participao da equipe da Embrapa Solos revela que 33% dos solos do mundo esto degradados por eroso, salinizao, compactao, acidificao e contaminao. Entre outros prejuzos, apontam o selamento da terra que agrava as enchentes e a perda de fertilidade; os solos degradados que captam menos carbono da atmosfera, interferindo nas mudanas climticas, tambm destacado. Por outro lado, quando gerido de forma

sustentvel, o solo pode desempenhar um papel importante na diminuio das alteraes climticas, por meio do sequestro de carbono e outros gases de efeito estufa. Este trabalho da FAO ilustra este cenrio, reunindo o esforo de cerca de 200 cientistas do solo de 60 pases. Informa-se neste documento denominado "Status of the World's Soil Resources" detalhes de como a eroso elimina 25 a 40 bilhes de toneladas de solo por ano, reduzindo a produtividade das culturas, a capacidade de armazenar carbono, os nutrientes e a gua. As perdas de produo de cereais devido eroso foram estimadas em 7,6 milhes de toneladas por ano. Se no forem tomadas as medidas para reduzir a eroso, haver a diminuio total de mais de 253 milhes de toneladas de cereais em 2050. Essa perda de rendimento seria equivalente a retirar 1,5 milho de quilmetros quadrados de terras na produo de culturas - ou cerca de toda a terra arvel da ndia. Na Amrica Latina o cenrio tambm dito - preocupante. Cerca de 50% dos solos latino-americanos esto sofrendo algum tipo de degradao. No Brasil, os principais problemas encontrados so eroso, perda de carbono orgnico e desequilbrio de nutrientes, mas tambm sofrem com a salinizao, a poluio e a acidificao. Relata-se que o Brasil o pas que mais possui reas que podem ser incorporadas agricultura, porm precisa avanar na adoo de prticas sustentveis na produo de alimentos e no conhecimento dos solos como o plantio direto, a Integrao Lavoura-Pecuria-Floresta e a fixao biolgica de nitrognio, citando exemplos. Fonte: FAO

CONDIES METEOROLGICAS

CONDIES METEOROLGICAS OCORRIDAS NA

SEMANA DE 17/6/2016 A 23/6/2016

No perodo de 17 a 24 de junho de 2016 o ar frio novamente predominou em todo territrio gacho. Nos dias 17/6 (sexta-feira) e 18/6 (sbado), o deslocamento de uma frente fria gerou reas de instabilidade e provocou pancadas de chuva, principalmente na Metade Norte. Entre os dias 19/6 (domingo) e 21/6 (tera-feira), a presena do ar frio e seco favoreceu novo declnio da temperatura, com registros de valores negativos e formao de geadas em grande parte das regies do Estado. Nos dias 22/6 (quarta-feira) e 23/6 (quinta-feira), a propagao de uma rea de baixa presso gerou nebulosidade e provocou chuva em reas isoladas. Os totais mais significativos,

3

registrados nas estaes do INMET, foram observados em Passo Fundo (20 mm), Lagoa Vermelha (22 mm), Frederico Westphalen (28 mm) e Ira (35 mm). A temperatura mnima do perodo foi registrada em Cambar do Sul (-3,8C) no dia 20/6 e a mxima ocorreu em Uruguaiana (20,0C) no dia 22/6.

PREVISO METEOROLGICA PARA SEMANA DE 24/6/2016 A 30/6/2016

A previso meteorolgica para o perodo de 24 a 30 de junho mostra a intensificao da chuva em grande parte do RS. Na sexta-feira (24/6), a presena do ar seco manter o tempo firme, com nevoeiros no amanhecer e sol entre nuvens no restante do dia, e temperaturas mais amenas em todo Estado. Entre o sbado (25/6) e a tera-feira (28/6), o deslocamento de uma rea de baixa presso sobre o Uruguai vai favorecer a formao de reas de instabilidade e provocar chuva no Oeste e na Metade Sul. H possibilidade de chuva intensa e temporais isolados, com fortes rajadas de vento e descargas eltricas. Na quarta-feira (29/6) e na quinta (30/6), a propagao de uma frente fria no oceano manter a nebulosidade e provocar chuva na faixa Leste. Os totais esperados no perodo devero oscilar entre 80 e 100 mm na maioria das localidades da Metade Sul, e podero superar os 125 mm em algumas reas da Serra do Sudeste e na Zona Sul. Nas demais regies os valores sero bem inferiores e oscilaro entre 10 e 25 mm. Ao longo da semana no h previso de frio extremo e as temperaturas permanecero mais amenas e