LEITE - .O QUE É E COMO PREVINIR O BOTULISMO O botulismo em bovinos é causado pela ingestão de

  • View
    220

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of LEITE - .O QUE É E COMO PREVINIR O BOTULISMO O botulismo em bovinos é causado pela ingestão de

  • O QUE E COMOPREVINIR O BOTULISMO O botulismo em bovinos causado pela ingesto de neurotoxinas C ou D, de Clostridium botulinum, formadas em matria orgnica vegetal ou animal decompostas. Pgina: 05

    PETROBRS CAPACITACOLABORADORES COOPERVAPColaboradores dos Postos Coopervap participaram de uma capacitao, na Unidade Mvel de Treinamento da Petrobras...

    Pgina: 06

    RODADA DE NEGCIOSVeja como foi a Rodada de Negcios em G.Mor e Vazamor

    Pgina: 07

    RANKING COOPERVAP:Os melhores em Qualidade e Produtividade

    Pginas: 08 e 09

    ARTIGO TCNICOAspectos Cruciais para uma lavoura produtiva

    Pgina: 10

    Ano XXXIII - Ms: OutubroEdio 353 - Ano: 2017Distribuio Gratuita

    Informativo

    GOVERNO BRASILEIRO

    SUSPENDEA IMPORTAO DE

    LEITEDO URUGUAIGoverno brasileiro vai suspender por tempo indeterminado a licena de importao de leite no Uruguai. O anncio foi feito, na ltima tera-feira (10/10) pelo ministro da Agricultura, Blairo Maggi, em reunio com representantes da Frente Parlamentar Agropecuria (FPA), em Braslia (DF).

    Pgina: 03

  • COM A PALAVRA, O PRESIDENTE

    ANIVERSARIANTESASSOCIADOS

    2 Q

    UIN

    ZEN

    A D

    E O

    UTUB

    RO

    1 Q

    UIN

    ZEN

    A D

    E N

    OVE

    MBR

    O

    Queremos aproveitar este momento de final de seca para motivar os nossos produtores, na preparao da alimentao de seu rebanho para 2018. Temos as opes de silagem de milho, silagem de sorgo para reas que chovem menos, capineira e cana. Se prepare amigos produtores, cooperativistas. O caminho mais econmico para a produo de leite, ter comida suficiente para os 7 meses de seca que nossa regio tem passado nos ltimos anos. A Coopervap tem insumos, sementes de sorgo e milho, adubos. Uma equipe tcnica para lhe orientar no plantio. Faa a calagem correta, utilizando da parceria com a Prefeitura Municipal para o pequeno produtor como a aplicao de calcrio, gradagem, silagem e outros. A Cooperativa tem gesso para vender praticamente a preo de custo. Faa a adubao correta e plante o mais cedo possvel para voc ter sucesso. Este o caminho para amenizar as dificuldades.Sobre o mercado de leite, infelizmente vivemos em um pas que no possui polticas de incentivo produo. Os governantes so pouco sensveis a esta cadeia maravilhosa de produtores abnegados, esforados e que fazem um pas melhor. So mais de um milho, trezentos e cinquenta propriedades rurais de leite no Brasil, ou seja, mais de sete milhes de pessoas envolvidas nesta atividade. Mas infelizmente o nosso Ministro da Agricultura no entende de leite, no sofreu como ns sofremos com o leite. No sabe como preparar uma vaca geneticamente durante anos, substitu-la quando envelhece por um animal ainda mais produtivo. Pegar uma bezerra e transform-la em uma vaca; O tempo e os custos de tudo isso.Ns da COOPERVAP, estamos atentos a tudo isso. Tive que abraar ainda mais o cooperativismo estadual e nacional. Sou hoje Presidente da Federao das Cooperativas de Minas Gerais e ganhamos ainda mais espao na OCEMG e OCB para defender voc produtor. Mesmo que o Ministro Blairo Maggi no tem nos ouvido, vamos continuar lutando por isso. No prximo dia 16 de outubro ser feita uma manifestao no Prata com a participao de vrias cooperativas do estado. Dia 31 teremos outra manifestao em Braslia, no Congresso Nacional, onde tentaremos ir at o Presidente da Repblica e dizer que vocs produtores de leite, merecem apoio e respeito. Os ltimos governos tm importado leite do Uruguai e isso desrespeitar o produtor rural brasileiro. Sai um governo, entra outro e sempre com pouca sensibilidade no apoio e fomento ao produtor rural. Ns homens do campo no podemos ficar da cancela para dentro cuidando das nossas coisas. Por isso fomos eleitos para defender os seus interesses. Muito embora muitos lderes do Governo Federal no priorizem polticas pblicas em beneficio da classe leiteira.O cooperativismo mineiro acordou, fizemos recentemente uma reunio na cidade de Coromandel com cerca de 20 presidentes de cooperativas e com a presena de vrios deputados federais, visando sensibiliz-los para a causa do leite. J conseguimos alguns benefcios como, por exemplo: no Rio Grande do Sul o Governador Jos Ivo Sartori j proibiu a hidratao do leite em p. O Ministrio da Agricultura fez o mesmo no Nordeste. Precisamos potencializar ainda mais esse movimento. Recentemente na visita de um possvel candidato ao governo do estado, foi falado da importncia de se criar um decreto proibindo a compra governamental de leite importado. Que as prefeituras comprem leite produzido em Minas Gerais para a produo da merenda escolar, e no leite produzido no Uruguai. O Ministrio da Agricultura nos atendeu, suspendendo a importao do leite vindo do Uruguai, mas ainda precisamos de uma norma proibitiva e tambm que o nosso leite possa ser distribudo nas aes sociais do Governo Federal.Neste ms a queda do preo do leite pago pela Cemil foi de R$0,08 (oito centavos) e a Coopervap baixou somente R$0,04 (quatro centavos), absorvendo parte da baixa. O mesmo aconteceu no ms anterior. Ao longo do tempo temos feito o possvel para que as baixas no impactem tanto ao produtor. No conseguimos absorver toda a queda, pois temos os compromissos financeiros com as instituies e seus cooperados. E isto deve estar rigorosamente em dia para a Cooperativa trabalhar com juros mais baixos, pois quem paga suas contas em dia tem crdito facilitado e quem no paga tem crdito caro. A Coopervap tem hoje crdito facilitado, pois tem seu nome consolidado por pagar suas contas em dia; somos uma cooperativa forte.Nossa motivao continua cada vez mais forte. Acreditamos no homem e na mulher do campo, acreditamos no produtor rural, no produtor de leite e na atividade leiteira.Estamos lanando um novo produto, o QUEIJO MINAS FRESCAL ZERO LACTOSE, que j sucesso de vendas! Nos prximos dias ser lanado tambm o MINAS PADRO ZERO LACTOSE e ampliaremos nossa linha de produtos para pessoas que so sensveis lactose. Isto um avano em nossa cooperativa e os resultados viro com certeza!Forte abrao e boa leitura!

    CONSELHO DE ADMINISTRAO - 2017/2020 CONSELHO FISCAL - GESTO 2017 EXPEDIENTE

    | 99871-5924

    caro Brochado BotelhoAltino Jos Severino SilvaAntnio Carlos M. de AlmeidaLionel Oliveira dos SantosSilvio de S Guimares Jnior

    Francisco Carlos da SilvaAdo Martins de Melo

    Fabiano Neiva FernandesHeleno da Costa QuirinoPaulo Ribeiro de Mendona Filho

    Matheus Torres de S GuimaresElza Moreira da SilvaOtaclio Cndido Pereira

  • MATRIA DE CAPA

    03

    Brasil no vai mais importar leite do Uruguai!Unio entre lideres cooperativista estimulou deciso do ministrio da agricultura.O ministrio da Agricultura, anunciou atravs do ministro Blairo Maggi, no ultimo dia 10, que o Brasil suspendeu a importao de leite do Uruguai por tempo indeterminado, por suspeitas que o alimento no seja totalmente produzido naquele Pas, o que prejudica o produtor nacional. O governo suspeita que o Uruguai importe o leite da Argentina e reexporte o produto para o Brasil, com custos ainda competitivos com o produzido aqui. Uma investigao da Receita Federal no conseguiu comprovar a triangulao, o que levou suspenso das importaes para uma avaliao mais apurada.

    Entidades que lidam com leite e produtores tm reclamado muito da quantidade de leite importada do Uruguai. H uma grande suspeita () de que o leite oriundo do Uruguai no seja do Uruguai, disse o ministro aps almoo com a Frente Parlamentar da Agropecuria. Tomamos a deciso de suspender as licenas de importao at que Uruguai consiga provar que 100% do leite importado de l de origem uruguaia. Segundo Maggi, o crescimento do volume de leite importado do pas vizinho tornou a situao do produtor brasileiro quase insuportvel. Aps a medida, o governo brasileiro ir enviar uma misso ao Uruguai para cruzar o volume produzido localmente com o consumo interno e as exportaes para o Brasil e outros pases.

    Paralelamente, de acordo com o ministro, o Brasil tenta negociar a criao de cotas de importao de leite com o Uruguai, como j faz com a Argentina, mas no h boa vontade, disse Maggi. No podemos matar o setor leiteiro que emprega mais de 1 milho de pessoas, afirmou. Vamos trabalhar, inclusive com o Itamaraty, para retirar o leite do Mercosul, completou o ministro.Para socorrer os produtores locais, o ministro disse que o governo avalia operaes de retirada de leite do mercado, como a compra da bebida para aes sociais e ainda do leite em p para ser estocado pela Companhia Nacional de Alimentos (Conab). Entenda o casoO governo do Rio Grande do Sul solicitou na semana passado ao Ministrio da Indstria, Comrcio Exterior e Servios (MDIC) uma investigao para apurar os nmeros de importao de produtos lcteos do Uruguai, alegando suspeita de prtica ilegal de comercializao. O documento foi assinado pela Farsul, Fetag e Secretaria da Agricultura, Pecuria e Irrigao (Seapi). O texto apresentou dados sugestivos de que o Uruguai estaria importando leite de outros pases para exportar para o Brasil. Utilizando fontes como o Banco Mundial e o prprio MDIC, o ofcio apontou que em 2016 o Uruguai produziu 1,775 bilho de litros de leite, sendo 791 milhes de litros para o mercado interno. Sobrariam ao pas 984 milhes de litros para exportao. No ano passado, o MDIC registrou a entrada de 1,036 bilho de litros de produtos lcteos vindos do Uruguai, entre queijo, leite em p, manteiga, butter oil e leite UHT, 52,7 milhes de litros a mais do que o produzido por aquele pas.

    Fonte: MilkPoint

    GOVERNO BRASILEIRO SUSPENDEIMPORTAO DE LEITE DO URUGUAI

    O anncio foi feito, na ltima tera-feira (10/10) pelo ministro da Agricultura, Blairo Maggi, em reunio com representantes da Frente Parlamentar Agropecuria (FPA), em Braslia (DF).

  • FECOAGRO LEITE MINAS INICIAPLANEJAMENTO ESTRATGICO

    04

    MATRIA DE CAPA

    "O momento de hoje foi sonhado h cerca de d