Leituras de Sociologia 1 - Comte e Durkheim

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Texto para turmas de Introdução à Sociologia

Text of Leituras de Sociologia 1 - Comte e Durkheim

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE FACULDADE DE FILOSOFIA E CINCIAS SOCIAIS DEPARTAMENTO DE CINCIAS SOCIAIS E POLTICA

LEITURAS DE SOCIOLOGIA

1AUGUSTE COMTE: O FUNDADOR DA SOCIOLOGIA MILE DURKHEIM E O ESTUDO DOS FATOS SOCIAIS Maria Cristina Rocha Barreto

Mossor 1999

UNIVERSIDADE REGIONAL DO RIO GRANDE DO NORTE FACULDADE DE FILOSOFIA E CINCIAS SOCIAIS DEPARTAMENTO DE CINCIAS SOCIAIS

LEITURAS DE SOCIOLOGIACOMISSO EDITORIAL: Edmilson Lopes Jnior Maria Cristina Rocha Barreto

BARRETO, Maria Cristina R. Auguste Comte: o fundador da Sociologia. mile Durkheim e o estudo dos fatos sociais. Mossor, DCS/URRN, Leituras de Sociologia 1, 1999, 30 pp.

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTECAMPUS UNIVERSITRIO CENTRAL BR 110 Km 48 CEP:59.600-900 MOSSOR RN FONE: (084) 3315.2195 e-mail: mcrbarreto@gmail.com

Sumrio

APRESENTAO ......................................................................................................................................................1 1. AUGUSTE COMTE: O FUNDADOR DA SOCIOLOGIA ............................................................................3 1.1 INTRODUO ....................................................................................................................................................3 1.2 BREVES PALAVRAS SOBRE... .............................................................................................................................3 1.3 VOLTANDO A COMTE ........................................................................................................................................4 1.3.1 Trs etapas do pensamento comtiano.....................................................................................................4 1.3.2 A sociedade industrial ............................................................................................................................6 1.3.3 A Sociologia cincia da humanidade...................................................................................................8 1.3.4 Da filosofia religio.............................................................................................................................9 1.4 CLASSIFICAO DAS CINCIAS .......................................................................................................................10 1.5 CONCLUSO....................................................................................................................................................11 2. MILE DURKHEIM E O ESTUDO DOS FATOS SOCIAIS......................................................................12 2.1 INTRODUO ..................................................................................................................................................12 2.2 REGRAS PARA A EXPLICAO DOS FATOS SOCIAIS ..........................................................................................13 2.2.1 Principais obras ...................................................................................................................................13 2.2.2 Fatos Sociais Normais e Patolgicos ...................................................................................................14 2.3 AS REGRAS DO MTODO SOCIOLGICO ...........................................................................................................16 2.4 DA DIVISO DO TRABALHO SOCIAL ...............................................................................................................17 2.4.1 Aprofundando um pouco mais... ...........................................................................................................20 2.5 O SUICDIO ......................................................................................................................................................24 2.6 AS FORMAS ELEMENTARES DA VIDA RELIGIOSA..............................................................................................27 3. BIBLIOGRAFIA ..............................................................................................................................................30

ApresentaoEdmilson Lopes Jnior1

A introduo ao universo da produo dos autores considerados clssicos nas cincias sociais foi sempre algo muito problemtico no nosso pas. O menosprezo em relao produo de material didtico, acessvel aos nossos alunos de cursos de graduao, foi uma marca da cultura acadmica nas cincias sociais. O elitismo acadmico confundia "socializao de informaes, mtodos e teorias" com a sua simplificao. Esse preconceito terminou por produzir aquela realidade que esperava combater: a produo de material didtico, desdenhada pelos cientistas sociais melhores situados no campo sociolgico brasileiro, tornou-se o terreno da simplificao, da improvisao e dos empobrecidos manuais. Na atualidade, a consolidao das cincias sociais no Brasil passa pela reviso e superao dessa postura preconceituosa. A produo de materiais que facilitem o contato dos nossos alunos com o universo da produo terica dos clssicos, especialmente dos "pais fundadores" das cincias sociais, uma tarefa estratgica para a consolidao e profissionalizao das cincias sociais. Os textos reunidos na presente publicao tem como objetivo introduzir o aluno nas noes, conceitos e pressupostos das obras sociolgicas de August Comte e mile Durkheim. Informando, sem esquematismo ou simplismo, os textos aqui apresentados apresentam a contribuio dos fundadores da sociologia, levando em conta o contexto histrico de suas obras. Acredito que o lanamento desta publicao, com os textos escritos pela Prof Maria Cristina Rocha Barreto, apontam para um momento novo no curso de Cincias Sociais na URRN. Estamos iniciando uma ruptura com os modelos tradicionais de docncia nas cincias sociais que, no raro, ritualizam o contato dos alunos com os autores clssicos. Contato esse marcado, de um lado, pela leitura desconexa de textos clssicos e, de outro, pela incorporao acrtica de manuais de duvidosa consistncia terica. Esta publicao aponta para uma postura nova: a atividade de sala de aula como um momento constitutivo de professores e alunos como sujeitos do processo de aprendizagem.

Mossor, 29 de Julho de 1999

1

Edmilson Lopes Jnior professor do Departamento de Cincias Sociais da UFRN.

MARIA CRISTINA ROCHA BARRETO

AUGUSTE COMTE: FUNDADOR DA SOCIOLOGIA MILE DURKHEIM E O ESTUDO DOS FATOS SOCIAIS

1. Auguste Comte: o fundador da Sociologia1.1 Introduo

Auguste Comte nasceu na cidade de Montpellier (Frana), em 1798. Aos 16 anos ingressou na Escola Politcnica de Paris, um dos frutos da Revoluo Francesa e do recente desenvolvimento cientfico e tecnolgico. A recebeu influncia de vrios ramos da cincia como a matemtica, a fsica, a astronomia e tambm de alguns idelogos franceses, economistas, filsofos e historiadores. Esta poca, final do sculo XVIII e incio do XIX, se caracterizava por uma revolta contra as autoridades, principalmente as autoridades clericais. Os idelogos franceses promovem uma intensa atividade intelectual, cujo conhecimento se alicera sobre novas bases, isto , pretendem realizar uma cincia das idias para substituir a metafsica e a psicologia. A ideologia, tal como chamada a cincia das idias, pretendia uma aproximao com os mtodos utilizados pelas cincias naturais, com o fim de repensar a poltica a partir do conhecimentoSob muitos aspectos foram eles os verdadeiros fundadores das cincias humanas, pelo menos na Frana. Pois, ao situarem o homem no centro de suas preocupaes cientficas, os idelogos abriram um caminho original, para a pesquisa, que seria seguida pelos inventores da fisiologia social, que, em seus incios, foi concebida e apresentada como uma cincia eminentemente moral. (Cuin, 1994:26).

Em 1816, depois da derrota de Napoleo em Waterloo, uma onda reacionria se apoderou da Europa, resultando no fechamento temporrio da Escola Politcnica. Porm, j antes de deixar a Escola, Comte havia se tornado secretrio de Saint-Simon, do qual receberia grande influncia, apesar de suas posteriores divergncias. Este, um nobre cuja rvore genealgica remontava s Cruzadas, aos 40 anos rompeu com suas tradies para abraar uma nova carreira fsico poltica.

1.2

Breves palavras sobre...

SAINT-SIMON acreditava que o Antigo Regime no tinha soluo e que era preciso lutar para construir uma nova sociedade. Era preciso realizar uma crtica forte ordem existente e refletir sobre essa nova sociedade a construir. Foi bastante perspicaz, ao intuir que as antigas formas sociais dariam lugar a uma crescente racionalidade econmica na sociedade industrial. No entanto, para ele estas transformaes no iriam acontecer exclusivamente no mbito econmico, mas tambm nos domnios do simblico e do religioso. Saint-Simon dedicou sua vida idealizao da nova sociedade industrial, que transformaria pacificamente a natureza e garantiria a cada um a satisfao de suas necessidades espirituais e materiais. Essa viso otimista do sistema

4 Leituras de Sociologia industrial vai ser cada vez mais ofuscada no fim de sua vida ao ver a crescente misria dos operrios e o fortalecimento do socialismo. Sua obra fundamental para se entender o surgimento do novo campo de estudo do social, principalmente por quatro motivos: semelhana dos idelogos, prega abertamente uma cincia do homem; Afirma que a sociedade no uma simples aglomerao de seres vivos, mas uma mquina organizada, cujas partes (...) contribuem de uma maneira diferente para o avano do conjunto; Ao sistematizar seu pensamento sobre a histria da civilizao, reexamina os fenmenos sociais a partir da atividade de produo ou (...) da indstria; Acreditava que a passagem de um tipo de sociedade para outro se dava atravs da violncia e pelo enfrentamento de classe antagnicas (Cuin, 1994:28-29). Voltando a Comte

1.3

O centro da filosofia de Com