of 124 /124
. LEVANTAMENTO SISTEMÁTICO DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA PESQUISA MENSAL DE PREVISÃO E ACOMPANHAMENTO DAS SAFRAS AGRÍCOLAS NO ANO CIVIL Abril 2011

LEVANTAMENTO SISTEMÁTICO PRODUÇÃO AGRÍCOLA · 2015. 12. 14. · Suplemento: Levantamento sistemático da produção agrícola: prognóstico da produção ... para 2011 é da ordem

  • Author
    others

  • View
    0

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of LEVANTAMENTO SISTEMÁTICO PRODUÇÃO AGRÍCOLA · 2015. 12. 14. · Suplemento: Levantamento...

  • .

    LEVANTAMENTO SISTEMÁTICO DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA

    PESQUISA MENSAL DE PREVISÃO E ACOMPANHAMENTO DAS SAFRAS AGRÍCOLAS NO ANO CIVIL

    Abril 2011

  • Presidenta da RepúblicaDilma RousseffMinistra do Planejamento, Orçamento e GestãoMiriam Belchior

    INSTITUTO BRASILEIRODE GEOGRAFIA EESTATÍSTICA - IBGE

    PresidenteEduardo Pereira Nunes

    Diretor ExecutivoSérgio da Costa Côrtes

    ÓRGÃOS ESPECÍFICOS SINGULARES

    Diretoria de PesquisasWasmália Socorro Barata Bivar

    Diretoria de GeociênciasLuiz Paulo Souto Fortes

    Diretoria de InformáticaPaulo César Moraes Simões

    Centro de Documentação e Disseminação de Informaçõe sDavid Wu Tai

    Escola Nacional de Ciências EstatísticasSérgio da Costa Côrtes (interino)

    UNIDADE RESPONSÁVEL

    Diretoria de PesquisasCoordenação de AgropecuáriaFlavio Pinto Bolliger

  • MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO,ORÇAMENTO E GESTÃOINSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - I BGE

    DIRETORIA DE PESQUISASCOORDENAÇÃO DE AGROPECUÁRIA

    LEVANTAMENTO

    SISTEMÁTICO

    DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA

    Pesquisa Mensal de Previsão

    e Acompanhamento

    das Safras Agrícolas

    no Ano Civil

    ISSN 0103-443X Levant. Sistem. Prod. Agríc. Rio de Janeiro v.24 n.04 p.1-82 abr.2011

  • INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - I BGEAv. Franklin Roosevelt, 166 - Centro20021 - Rio de Janeiro, RJ - Brasil

    ISSN 0103-443X

    IBGE

    COORDENAÇÃO DE AGROPECUÁRIAFlavio Pinto Bolliger

    GERÊNCIA DE AGRICULTURA – GEAGRI

    GERENTEMauro André Ratzsch de Andreazzi

    EQUIPE

    Carlos Alfredo Barreto GuedesCláudio R.G. de AlmeidaHerberto da Costa AraújoMário Antônio de SouzaRoberto Verone FerryThereza Christina Villela BrancoVitor Longo da Silva Filho

    Levantamento Sistemático da produção Agrícola: pesq uisa mensal de previsão eacompanhamento das safras agrícolas no ano civil / Fundação Instituto Brasileiro deGeografia e Estatística. - Jan. 1975-jul. 1989; v.1 , n.1 (ago. 1989) - Rio deJaneiro: IBGE. 1975.

    Mensal.Suplemento: Levantamento sistemático da produção ag rícola: prognóstico da produção

    agrícola ... na Região Centro-Sul e em Rondônia - a nual de 1976-1981, 3 números por anode 1982 em diante.

    De jan. 1975-jul. 1989 - circulação limitada.Inclui relatório mensal de ocorrências.ISSN 0103-443X

    1 - Produção agrícola - Brasil - Estatístics. 2. Pr odutos agrícolas - Brasil -Estatísticas. I. IBGE. II. Título: Levantamento Sis temático da Produção Agrícola:prognóstico preliminar da produção agrícola ... no Centro-Sul e em Rondônia.

    IBGE CDDI - Dep. De Documentação e Biblioteca CDU31:338.43(81)RJ-IBGE/89-19 ver.31:633/635(81)

    Impresso no Brasil / Printed in Brazil

  • APRESENTAÇÃOAPRESENTAÇÃOAPRESENTAÇÃOAPRESENTAÇÃO

    A Coordenação de Agropecuária ( COAGRO) do InstitutoBrasileiro de Geografia e Estatística ( IBGE) divulga asestimativas das safras agrícolas para o ano de 2011 , comsituação no mês de abril.

    As informações são obtidas pelo LevantamentoSistemático da Produção Agrícola, pesquisa mensal d e previsãoe acompanhamento das safras dos principais produtos agrícolas,por intermédio das Comissões Municipais e/ou Region ais. Sãoconsolidadas, em nível estadual, pelos Grupos de Co ordenaçãode Estatísticas Agropecuárias e posteriormente, ava liadas, emnível nacional, pela Comissão Especial de Planejame nto,Controle e Avaliação das Estatísticas Agropecuárias ( CEPAGRO)constituída por representantes do IBGE e do Ministério daAgricultura Pecuária e Abastecimento( MAPA).

    Apresentam-se os "Comentários sobre o Desempenho da sLavouras", onde são retratados os principais aspect osconjunturais para os mais importantes produtos do p aís. Emseguida, são apresentadas as tabelas com estimativa s em nívelnacional, e para cada um dos produtos, tabelas em n ível deUnidade da Federação.

    Rio de Janeiro, maio de 2011

  • SUMÁRIOSUMÁRIOSUMÁRIOSUMÁRIO

    APRESENTAÇÃO ...................................... ...................... I

    COMENTÁRIOS SOBRE O DESEMPENHO DAS LAVOURAS ....... ...................... V

    • Área, produção e rendimento médio – confronto das e stimativas mensais

    abril/março – safra 2011 – Brasil ................. ................... XXV

    • Área, produção e rendimento médio – confronto da sa fra de 2010 e das estimativas para a safra 2011 – Brasil .. ............................. XXVI

    • Área de cereais, leguminosas e oleaginosas - compar ação entre as safras de 2010 e 2011 - Brasil e Grandes Regiões .................... XXVII

    • Produção de cereais, leguminosas e oleaginosas - co mparação entre as safras de 2010 e 2011 - Brasil e Grand es Regiões .................XXVIII

    • Área e produção de cereais, leguminosas e oleaginos as - Brasil e Unidades da Federação – Safra 2011 ...... ............................. XXIX

    • Participação de área e produção de cereais, legumin osas e oleaginosas, segundo os produtos agrícolas, - Brasil – Safra 2011 ................. XXXII

    TABELAS DE RESULTADOS

    • Comparativos entre as safras de 2010 e 2011 Área, Produção e Rendimento Médio do conj unto de Unidades da Federação

    com informações disponíveis, segundo os p rodutos agrícolas ............. 1

    • Comparativos entre as informações mensais Área, Produção e Rendimento Médio do conj unto de Unidades da Federação

    com informações disponíveis, segundo os p rodutos agrícolas ............. 2

    • Decênio 2001-2010 Área plantada ........................... ............................... 3

    Área colhida ............................ ............................... 4

    Produção obtida ......................... ............................... 5

    Rendimento médio obtido.................. ............................... 6

    • Produtos Abacaxi ................................. ............................... 7

    Algodão herbáceo (em caroço) ............ ............................... 9

    Alho .................................... ............................... 11

    Amendoim (em casca) – Total ............. ............................... 13

    Amendoim (em casca) 1ª safra ............ ............................... 15

    Amendoim (em casca) 2ª safra ............ ............................... 16

    Arroz (em casca) ........................ ............................... 17

    Aveia (em grão) ......................... ............................... 20

    Banana .................................. ............................... 21

    Batata-inglesa – Total .................. ............................... 24

  • Batata-inglesa 1ª safra ................. ............................... 26

    Batata-inglesa 2ª safra ................. ............................... 27

    Batata-inglesa 3ª safra ................. ............................... 29

    Cacau (em amêndoa) ...................... ............................... 30

    Café (em grão) .......................... ............................... 31

    Cana-de-açúcar .......................... ............................... 33

    Castanha-de-caju ........................ ............................... 35

    Cebola .................................. ............................... 36

    Centeio (em grão)........................ ............................... 37

    Cevada (em grão) ........................ ............................... 38

    Coco-da-baía ............................ ............................... 39

    Feijão (em grão) – Total ................ ............................... 41

    Feijão (em grão) 1ª safra ............... ............................... 44

    Feijão (em grão) 2ª safra ............... ............................... 46

    Feijão (em grão) 3ª safra ............... ............................... 49

    Fumo (em folha) ......................... ............................... 50

    Girassol (em grão) ...................... ............................... 51

    Guaraná ................................. ............................... 52

    Juta (fibra) ............................ ............................... 53

    Laranja ................................. ............................... 54

    Maçã .................................... ............................... 57

    Malva (fibra) ........................... ............................... 58

    Mamona (em baga)......................... ............................... 59

    Mandioca ................................ ............................... 60

    Milho (em grão) – Total ................. ............................... 63

    Milho (em grão) 1ª safra ................ ............................... 66

    Milho (em grão) 2ª safra ................ ............................... 69

    Pimenta-do-reino ........................ ............................... 71

    Sisal (fibra) ........................... ............................... 72

    Soja (em grão) .......................... ............................... 73

    Sorgo (em grão) ......................... ............................... 75

    Tomate .................................. ............................... 77

    Trigo (em grão) ......................... ............................... 79

    Triticale (em grão) ..................... ............................... 80

    Uva ..................................... ............................... 81

  • COMENTÁRIOS SOBRE OCOMENTÁRIOS SOBRE OCOMENTÁRIOS SOBRE OCOMENTÁRIOS SOBRE O

    DESEMPENHO DAS LAVOURASDESEMPENHO DAS LAVOURASDESEMPENHO DAS LAVOURASDESEMPENHO DAS LAVOURAS

  • VII

    1 – Lavouras

    1.1 – Produção de cereais, leguminosas e oleaginos as

    A quarta estimativa da safra nacional de cereais, l eguminosas e

    oleaginosas, indica uma produção da ordem de 158,7 milhões de toneladas,

    superior em 6,0% à safra recorde de 2010 (149,7 mil hões de toneladas) e 2,0%

    maior que a estimativa de março. A área a ser colhi da em 2011, de 48,6 milhões

    de hectares, apresenta acréscimo de 4,3%, frente à área colhida em 2010, maior

    0,9% que a informação anterior. As três principais culturas, que somadas

    representam 90,8% da produção de cereais, leguminos as e oleaginosas, o arroz, o

    milho e a soja, respondem por 82,5% da área a ser c olhida registrando, em

    relação ao ano anterior, variações de +2,1%, +4,1% e +2,8%, respectivamente. No

    que se refere à produção, o arroz, o milho e a soja mostram, nessa ordem,

    acréscimos de +18,4%, +3,0% e +6,3%.

    Cereais, leguminosas e oleaginosas

    Área e Produção - Brasil

    1980 a 2011

    0

    20.000.000

    40.000.000

    60.000.000

    80.000.000

    100.000.000

    120.000.000

    140.000.000

    160.000.000

    180.000.000

    1980

    1981

    1982

    1983

    1984

    1985

    1986

    1987

    1988

    1989

    1990

    1991

    1992

    1993

    1994

    1995

    1996

    1997

    1998

    1999

    2000

    2001

    2002

    2003

    2004

    2005

    2006

    2007

    2008

    2009

    2010

    2011

    Produção (t)

    Área (ha)

    +4,3%

    6,0 %

    Entre as Grandes Regiões, esse volume da produção d e cereais, leguminosas

    e oleaginosas apresenta a seguinte distribuição: R egião Sul, 66,0 milhões de

    toneladas; Centro-Oeste, 57,0 milhões de toneladas; Sudeste, 16,4 milhões de

    toneladas; Nordeste, 15,0 milhões de toneladas e No rte, 4,3 milhões de

    toneladas. Comparativamente à safra passada, são co nstatados incrementos nas

    Regiões, Norte, 7,4%, Nordeste, 26,5%, Centro-Oeste , 8,5%, Sul, 2,8%, e

    decréscimo na Sudeste, 3,8%.

    ¹Em atenção a demandas dos usuários de informação d e safra, os levantamentos para Cereais,leguminosas e oleaginosas, ora divulgados, foram re alizados em estreita colaboração com aCompanhia Nacional de Abastecimento - Conab, órgão do Ministério de Agricultura, Pecuária eAbastecimento – MAPA, continuando um processo de ha rmonização das estimativas oficiais desafra, iniciado em outubro de 2007, para as princip ais lavouras

  • VIII

    Observa-se, na figura a seguir, que o Paraná, nessa avaliação para 2011,

    mantém a liderança na produção nacional de grãos, c om uma participação de 20,6%

    seguido pelo Mato Grosso com 19,9% e Rio Grande do Sul com 17,0%.

    19

    ,9

    17

    ,0

    9,8

    6,3

    5,8

    4,3

    4,0

    3,9

    1,9

    1,5

    1,1

    0,9

    0,7

    0,7

    0,5

    0,3

    0,2

    0,1

    0,1

    0,1

    0,1

    0,0

    0,0

    0,0

    0,0

    20

    ,6

    0,2

    PR

    MT

    RS

    GO

    MG

    MS

    BA

    SC

    SP

    MA PI

    TO CE

    PA

    RO

    SE

    DF

    PE

    PB

    RR

    AC AL

    RN

    ES

    AM RJ

    AP

    Pa

    rtic

    ipa

    ção

    % No r te2, 7%

    No rd e s t e

    9 ,5 %

    Su deste10,3%

    Cen tro-Oes te35,9%

    S ul41,6%

    Cereai s, leguminosas e oleaginosasParticipação de produção

    Segundo as Grandes Regiõese Unidades da Federação

    1.2 – Produção Agrícola 2011 – estimativa de abril em relação a março

    No Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de abril destacamos as

    variações nas estimativas de produção, comparativam ente ao mês de março, de onze

    produtos: algodão herbáceo em caroço (3,6%), arroz em casca (0,4%), aveia em

    grão (16,6%), café em grão (-1,5%), cevada em grão (17,4%), feijão em grão total

    (0,3%), milho em grão 1ª safra (0,8%), milho em gr ão 2ª safra (5,1%), soja em

    grão (1,7%), trigo em grão (3,4%) e triticale em gr ão (4,1%).

    Variação percentual da produção - comparação abril / março 2011 - BRASIL

    Trit icale

    Cevada

    Algodão herbáceo

    Trigo

    Soja

    Milho 1ª safra

    Arroz

    Feijão - Total

    Café

    Aveia

    Milho 2ª safra

    -2,0 0,0 2,0 4,0 6,0 8,0 10,0 12,0 14,0 16,0 18,0 20,0

    Variação %

  • IX

    Variação absoluta da produção - comparação abril / março 2011 - BRASIL

    Feijão - Total

    Arroz

    Algodão herbáceo

    Aveia

    Cevada

    Milho 2ª safra

    Trigo

    Soja

    Café

    Milho 1ª safra

    Triticale

    -200.000 0 200.000 400.000 600.000 800.000 1.000.000 1.200.000 1.400.000

    Variação absoluta (t)

    ALGODÃO HERBÁCEO (em caroço) - A quarta estimativa de algodão herbáceo

    para 2011 é da ordem de 5,0 milhões de toneladas, m aior 3,6% que a apontada em

    março. Este aumento é consequência da ampliação da área plantada que apresenta

    neste levantamento um incremento de 4,1% situando-s e em 1,3 milhão de hectares.

    O Mato Grosso, maior produtor, com participação de 53,1% na produção nacional,

    foi o principal responsável por esse acréscimo. Nes se Estado, os bons preços

    praticados no mercado, a crescente demanda interna e externa do produto, aliado

    aos baixos estoques mundiais estimularam o plantio do produto. A área prevista

    para a safra mato-grossense de 700.422 ha supera em 7,4% a informada

    anteriormente, o mesmo ocorrendo com a produção esp erada de 2.640.156 toneladas

    que aumentou 6,6%.

    6,6

    0,0

    0,0

    0,4

    6,4

    5,0

    0,0 0,

    00,

    0-2

    ,2 11,1

    0,0

    0,0

    0,0

    0

    200.000

    400.000

    600.000

    800.000

    1.000.000

    1.200.000

    1.400.000

    1.600.000

    1.800.000

    2.000.000

    2.200.000

    2.400.000

    2.600.000

    MT BA GO MS MG PI MA SP PB CE RN PR PE AL

    M ar Abr

    Algodão herbáceo (em caroço)Produção (t)Variação %

  • X

    ARROZ (em casca) - No que se refere à cultura do arroz, a produção

    esperada de 13,4 milhões de toneladas e a área plan tada de 2,8 milhões de

    hectares são maiores em, respectivamente, 0,4% e 0, 5% ao levantamento de março.

    Estes incrementos foram decorrentes, notadamente, d as reavaliações nos dados do

    Mato Grosso. Nesse Estado, frente à informação ante rior, houve um incremento de

    8,2% na área plantada, agora estimada em 203.641 he ctares, tendo em vista que a

    cultura foi utilizada em áreas de renovação de past agens. A produção esperada de

    648.034 toneladas é maior em 12,2% da avaliada em m arço.

    0,0

    0,0

    -0,6

    12,2

    0,0

    -3,7

    -0,2 0,

    00,

    00,

    0 -0,7

    0

    1.000.000

    2.000.000

    3.000.000

    4.000.000

    5.000.000

    6.000.000

    7.000.000

    8.000.000

    9.000.000

    RS SC MA MT TO PI PA GO R O PR MS

    M ar Abr

    Arroz (em casca)Produção (t)Variação %

    Part. Prod.>1%

    CAFÉ (em grão)- No levantamento de abril a estimativa de produção é de

    decréscimo de 1,5% em relação a março (2.559.308 t ou 42,7 milhões de sacas). As

    outras variáveis também apresentam decréscimos. A á rea total com a cultura no

    País decresce 0,6%, a área destinada à colheita, -0 ,1% e o rendimento médio, -

    1,3% em relação ao levantamento realizado em março. Minas Gerais, o maior

    produtor brasileiro de café estima, neste mês, decr éscimo de 0,8% na produção

    esperada para 2011, que totaliza 1.328.716 t (22,1 milhões de sacas de 60 kg),

    considerando as duas espécies em conjunto (arábica e canephora), o que

    representa 51,9% do total esperado para o País em 2 011. A área a ser colhida

    está estimada em 1.023.911 ha. O rendimento, caract erístico de um ano de

    “baixa”, diminui 0,9% em relação a março, e será ac ompanhado nos próximos

    levantamentos. Percebe-se que a bianualidade vem di minuindo ao longo dos anos em

    virtude da ausência de geadas, que sempre nivelavam as lavouras e também devido

    ao manejo diferenciado de talhões dentro das propri edades, com práticas de

    adensamento, plantio de variedades mais tolerantes à ferrugem, podas, entre

    outros. O Espírito Santo e São Paulo, 2º e 3º maior es produtores de café, não

    realizaram estimativas em abril.

  • XI

    -0,8

    0,0

    0,0

    -15,

    2

    1,4

    0,0

    0,0 0,0

    0,0

    -21,

    50,

    010

    ,4 0,1

    0,0

    0,0

    0

    200.000

    400.000

    600.000

    800.000

    1.000.000

    1.200.000

    1.400.000

    MG ES SP BA RO PR GO RJ PA MT CE PE MS AC D F

    M ar Abr

    Café (em grão)Produção (t)Variação %

    FEIJÃO (em grão) total - A produção nacional de feijão, considerando as

    três safras do produto, está avaliada em 3.693.909 toneladas, superior 0,3% a

    observada no mês anterior. Frente aos dados de març o as variações da produção

    dessas safras foram, respectivamente, -0,2%, +0,4% e +2,6%. A redução na

    produção do feijão 1ª safra, neste levantamento de abril, teve origem,

    notadamente, no Nordeste do País, onde as condições climáticas desfavoráveis

    provocaram reduções nas estimativas de produção do Piauí (9,7%) e Pernambuco

    (5,0%). Na segunda safra do produto o pequeno acrés cimo na produção, em relação

    ao mês anterior, deve-se, principalmente, às reaval iações nos dados de alguns

    estados produtores da região Nordeste, destacando-s e, entretanto, que na maioria

    deles se trate de dados de intenção de plantio. Par a o feijão terceira safra a

    variação positiva na produção foi decorrente da inc lusão, neste levantamento, da

    primeira avaliação em Minas Gerais. Ressalta-se que o dado anterior desse Estado

    tratava-se apenas de uma projeção sendo que sua pro dução registra,

    comparativamente a março, incremento de 8,1%. Vale destacar que no Mato Grosso

    houve um decréscimo de 8,5% na produção uma vez que áreas irrigadas,

    anteriormente ocupadas com a cultura, foram cedidas ao algodão que apresenta

    melhores cotações.

  • XII

    -3,4

    2,8

    0,0

    0,3 0,0

    0,0 3,3 0,0

    0,0 22,5

    -9,3 0,0

    13,6

    2,6 1,8

    0

    100.000

    200.000

    300.000

    400.000

    500.000

    600.000

    700.000

    800.000

    900.000

    1.000.000

    PR MG BA CE GO SP MT SC RS PE PI PB DF RO MA

    Mar Abr

    Feijão (em grão) TotalProdução (t)Variação %

    Part. Prod.>1%

    Milho (em grão) Total - A produção nacional do milho em grão em 2011, para

    ambas as safras, totaliza 57,7 milhões de toneladas mostrando neste mês uma

    variação positiva de 2,6% sobre o mês de março.

    MILHO (em grão) 1ª safra - Aguarda-se para o milho 1ª safra uma produção

    de 33,1 milhões de toneladas, apontando um acréscim o de 0,8% frente à estimativa

    anterior. Todas as Grandes Regiões revisaram positi vamente suas produções, a

    saber; Norte (0,6%), Nordeste (1,0%), Sudeste (0,2% ), Sul (1,0%) e Centro-Oeste

    (1,9%). No Paraná, a colheita encaminha-se para a f ase final, calculando-se, com

    base nas informações procedentes das Comissões Regi onais de Estatísticas

    Agropecuárias - COREA´s, que cerca de 90% da área o cupada com o cereal, avaliada

    em 756.037 ha, já se encontra colhida. A área sofre u um acréscimo de 2,1% e com

    a manutenção do quadro climático favorável para a c ultura, o rendimento médio

    foi revisto para 7.749 kg/ha (+0,5%), gerando um ga nho de produção de 2,5% em

    relação a março. Minas Gerais, com um incremento de 0,3% na produção, continua

    como maior produtor nacional com uma participação d e 17,8% contra 17,7% do

    Paraná.

  • XIII

    0,3 2,5

    0,0

    0,00,0

    0,0

    0,0

    0,42,0 1,0 1,1 0,7 0,0

    0

    500.000

    1.000.000

    1.500.000

    2.000.000

    2.500.000

    3.000.000

    3.500.000

    4.000.000

    4.500.000

    5.000.000

    5.500.000

    6.000.000

    6.500.000

    MG PR RS SC SP GO BA CE PI MA PA RO TO

    Mar Abr

    Milho (em grão) 1ª safraProdução (t)Variação %

    Part. Prod.>1%

    MILHO (em grão) 2ª safra - No que se refere ao milho 2ª safra, a produção

    deverá atingir 24,7 milhões de toneladas, 5,1% supe rior à informação de março

    devido aos novos números dos principais centros pro dutores. No Mato Grosso,

    maior produtor, responsável por 32,6% da produção n acional, a área plantada de

    1.842.614 ha e a produção esperada de 8.056.247 t s ão maiores em 3,3% e 6,4%,

    respectivamente. Salienta-se que, nesse Estado, o a umento na área, em relação à

    estimativa anterior, se deve ao fato de que muitos agricultores optaram por

    implementar grande parte das áreas fora da época re comendada, prevista até 25 de

    fevereiro. O Paraná, a seguir, com 29,7% de partici pação, apresenta uma área da

    ordem de 1.657.364 ha, maior 2,0% que a informada n o mês passado. A estimativa

    de produção, considerando um rendimento de 4.422 k g/ha, é da ordem de 7.328.872

    t, superior à informação anterior em 3,3%. No Mato Grosso do Sul, no momento

    ocupando a terceira posição (14,2% de participação) , a área a ser colhida de

    910.000 hectares aumentou 11,0% enquanto a produção esperada de 3.503.500

    toneladas cresceu 15,5%. Estes ganhos se devem a co nstatação de novos plantios

    do produto fora do zoneamento agrícola de risco cli mático, já que na época de

    plantio recomendado ocorreram problemas em vários m unicípios em face do excesso

    de chuvas.

  • XIV

    6,4

    3,3

    15,5 0,0

    0,0 0,00,0 7,2

    -33,0

    0

    1.000.000

    2.000.000

    3.000.000

    4.000.000

    5.000.000

    6.000.000

    7.000.000

    8.000.000

    9.000.000

    MT PR MS GO SP SE BA MG DF

    Mar Abr

    Milho (em grão) 2ª safraProdução (t)Variação %

    SOJA (em grão) - Para a soja, em 2011, a produção esperada de 72,8 milhões

    de toneladas é 1,7% maior que a informação de março . Este acréscimo se deve, a

    uma reavaliação positiva da área em 0,7% e também 1,0% no rendimento médio, já

    que as condições climáticas permanecem favoráveis, nos principais centros

    produtores. O Mato Grosso, maior produtor nacional, reajustou a área colhida em

    1,9% agora avaliada em 6.448.423 hectares. O atraso das chuvas impediu a

    semeadura precoce da soja, fazendo com que seu plan tio fosse realizado em

    outubro/novembro, período mais recomendado. Esse at raso na semeadura favoreceu a

    expressão do potencial produtivo das variedades uti lizadas. Além disso, com as

    condições climáticas excepcionais nos principais ce ntros produtores do Estado, o

    rendimento médio de 3.195 kg/ha foi acrescido em 1, 9%, proporcionando uma

    produção de 20.605.098 t, também maior em 3,9% fren te as informações de março.

    No Paraná, segundo produtor nacional, com a colhei ta praticamente concluída, a

    área prevista de 4.585.088 ha, confrontada à inform ada anteriormente, aumentou

    1,9%. De uma maneira geral, ao longo do ciclo da cu ltura, o clima foi favorável

    sendo a produção esperada de 15,2 milhões de tonela das superior em 3,3%, para um

    rendimento médio de 3.306 kg/ha contra os 3.260 kg/ ha apontados em março.

  • XV

    3,9

    3,3

    0,0

    0,0

    1,6

    0,0

    -2,2

    -0,6

    0,0

    0,0

    -0,6

    0,0

    0,5

    0,6

    -6,2

    0

    2.000.000

    4.000.000

    6.000.000

    8.000.000

    10.000.000

    12.000.000

    14.000.000

    16.000.000

    18.000.000

    20.000.000

    MT PR RS GO MS BA MG MA SC SP PI TO RO PA D F

    M ar Abr

    Soja (em grão)Produção (t)Variação %

    CEREAIS DE INVERNO (em grão) - Para as lavouras de inverno, cujos cultivos

    concentram-se, predominantemente, nos estados do su l do país, verificam-se

    acréscimos para a aveia (16,6%), cevada (17,4%), tr igo (3,4%) e triticale

    (4,1%). Para o trigo, a mais importante dessas cult uras, a produção esperada de

    5,0 milhões de toneladas supera em 3,4% a informada em março. Destaca-se que

    essa avaliação é de caráter preliminar e deve ser analisada com cautela tendo

    em vista que apenas Minas Gerais, Paraná e Mato Gro sso do Sul forneceram os

    primeiros dados. Salienta-se, por outro lado, que a primeira avaliação da safra

    paranaense, maior produtor nacional, com uma partic ipação de 56,7% na produção

    nacional do trigo, registra um aumento de produção de 6,9% considerando que as

    condições climáticas estejam dentro da normalidade, tendo em vista que a área

    destinada à cultura neste Estado apresenta retração de 9,7% na comparação com o

    mês anterior. Até o momento cerca de 30% da área pr evista já se encontra

    plantada.

  • XVI

    6,9

    0,0

    0,0

    0,0

    -23,

    00,

    04,1 0,

    0

    0

    500.000

    1.000.000

    1.500.000

    2.000.000

    2.500.000

    3.000.000

    PR RS SC SP MG GO MS DF

    M ar Abr

    Trigo (em grão)Produção (t)Variação %

    1.3 – Produção Agrícola 2011 – estimativa de abril em relação à safra 2010

    Dentre os vinte e cinco produtos selecionados, quin ze apresentam variação

    positiva na estimativa de produção em relação ao an o anterior: algodão herbáceo

    em caroço (69,5%), amendoim em casca 1ª safra (7,8% ), arroz em casca (18,4%),

    batata-inglesa 1ª safra (13,3%), batata-inglesa 2ª safra (13,4%), cacau em

    amêndoa (4,4%), cevada em grão (2,6%), feijão em gr ão 1ª safra (27,2%), feijão

    em grão 2ª safra (5,1%), mamona em baga (51,2%), ma ndioca (9,2%), milho em grão

    2ª safra (7,6%), soja em grão (6,3%), sorgo em grão (13,4%) e triticale em grão

    (26,2%). Com variação negativa: amendoim em casca 2ª safra (7,8%), aveia em

    grão (12,7%), batata-inglesa 3ª safra (10,2%), café em grão (11,0%), cana-de-

    açúcar (7,5%), cebola (8,8%), feijão em grão 3ª saf ra (7,2%), laranja (2,2%),

    milho em grão 1ª safra (0,2%) e trigo em grão (16,6 %).

    Nas figuras a seguir estão representadas as variaçõ es percentuais e

    absolutas das principais culturas levantadas em com paração com a safra anterior:

  • XVII

    Variação percentual da produção - comparação 2011 / 2010 - BRASIL

    Milh

    o 1ª

    Cev

    ada

    Cac

    au

    Fei

    jão

    Soj

    a

    Milh

    o 2ª

    Am

    endo

    im 1

    ª

    Man

    dioc

    a

    Bat

    ata

    - in

    g. 1

    ª

    Bata

    ta-in

    g. 2

    ª

    Sorg

    o

    Arro

    z Trit

    ical

    e

    Fei

    jão

    Mam

    ona

    Alg

    . her

    báce

    o

    Lara

    nja

    Fei

    jão

    Can

    a de

    açú

    car

    Am

    endo

    im 2

    ª

    Ceb

    ola

    Bat

    ata-

    ing.

    Caf

    é

    Avei

    a

    Trig

    o

    - 20

    -10

    0

    10

    20

    30

    40

    50

    60

    70

    80

    Variação absoluta da produção - comparação 2011 / 2 010 - BRASIL

    Am

    endo

    im 2

    ª

    Cev

    ada

    Cac

    au

    Fei

    jão

    Soj

    a

    Milh

    o 2ª

    Am

    endo

    im 1

    ª

    Man

    dioc

    a

    Bat

    ata

    - in

    g. 1

    ª

    Bat

    ata-

    ing.

    Sor

    go

    Arro

    z

    Trit

    icale

    Fei

    jão

    Mam

    ona

    Alg

    . her

    báce

    o

    Milh

    o 1ª

    Lara

    nja

    Fei

    jão

    Ceb

    ola

    Bata

    ta-in

    g. 3

    ª

    Caf

    é

    Avei

    a

    Trig

    o

    -1.500.000

    -1.000.000

    - 500.000

    0

    500.000

    1.000.000

    1.500.000

    2.000.000

    2.500.000

    3.000.000

    3.500.000

    4.000.000

    4.500.000

    5.000.000

    Cana-de-açúcar - dife rença absoluta - 54.018.355 t

    A colheita das principais culturas temporárias de v erão, com ênfase para a

    soja, milho e o arroz, encaminha-se para o final. N os próximos levantamentos,

    prosseguirá o acompanhamento do restante da colheit a da safra de verão e do

    desenvolvimento das segunda e terceira safras de al guns produtos, além das

    culturas de inverno que, devido ao calendário agríc ola apresentam grande parte

    de suas estimativas ainda baseadas em projeções.

    A estimativa de café para a safra nacional a ser co lhida em 2011 totaliza

    2.559.308 t, ou 42,7 milhões de sacas de 60kg do pr oduto em grãos beneficiados.

    O percentual de decréscimo em relação a 2010 é de 1 1,0%. A área destinada à

    colheita é de 2.119.161 ha, 1,7% inferior à área co lhida em 2010. A área total

    ocupada com a cultura no País decresce 2,5%. A qued a prevista na produção, em

  • XVIII

    relação à safra colhida em 2010, é consequência, pr incipalmente, da

    particularidade que apresenta o café arábica, espéc ie predominante no País, que

    alterna anos de altas e baixas produtividades.

    Em 2010 as estiagens foram normais nas principais r egiões cafeeiras, entre

    abril e agosto, período que coincide com a colheita e repouso do cafeeiro,

    condição que não prejudicou as plantas e até favore ceu a colheita dos frutos de

    2010. As florações da safra a ser colhida em 2011 ocorreram de forma normal e

    não sofreram com falta de chuvas, o que seria uma s ituação crítica para o

    cafeeiro. O que houve foi uma situação de índices p luviométricos satisfatórios a

    partir da formação dos chumbinhos. A partir de sete mbro de 2010 as chuvas

    tiveram um comportamento satisfatório na maioria da s regiões cafeeiras, apesar

    da estiagem mais persistente ao norte de São Paulo . A safra a ser colhida nos

    próximos meses será regida, principalmente, pela c ondição bianual do cafeeiro.

    -11,

    7

    9,3

    -27,

    4

    -18,

    7

    -22,

    3

    -25,

    8

    -8,8

    8,2

    -17,

    3-3

    5,5

    8,9

    -3,1

    10,1

    45,6

    -13,

    3

    0

    200.000

    400.000

    600.000

    800.000

    1.000.000

    1.200.000

    1.400.000

    1.600.000

    MG ES SP BA RO PR GO R J PA MT CE PE MS AC DF

    2010 2011

    Café (em grão)Produção (t)Variação %

    1.4 – Comentários Específicos

    Algodão Herbáceo (em caroço)

    A quarta estimativa da produção nacional para a cul tura do algodão, na

    safra 2011, é de: área plantada de 1.312.304 ha; re ndimento médio esperado de

    3.786 kg/ha e produção esperada de 4.967.850 t. Com parando com os números

    divulgados no mês de março, embora tenha haja reduç ão do rendimento médio em

    0,4%, a previsão é de aumento de 3,6% na produção.

    No estado do Mato Grosso, que é o maior produtor da cultura no país, a

    chuva foi considerada excessiva, embora tenha favor ecido, até então, a parte

    vegetativa da planta. Porém é possível observar “ma çãs do algodão” estragando,

  • XIX

    por causa do excesso de chuvas. No Estado são 368.1 72 ha na 1ª safra, 326.450 ha

    na 2ª e mais 5.800 ha irrigados. Outro efeito negat ivo da grande precipitação no

    Estado foi no controle de pragas, pois a eficiência das aplicações de defensivos

    foi afetada. Os números previstos para a cultura ne ste Estado são de rendimento

    médio de 3.769 kg/ha, que com uma área plantada de 700.422 ha, irá produzir

    2.640.156 toneladas.

    No estado de Mato Grosso do Sul a colheita iniciou em abril, e os preços

    médios pagos ao produtor, de R$ 36,00 por arroba de algodão em caroço e R$

    120,00 a arroba do algodão em pluma, são considerad os muito bons. Os números

    variaram muito pouco no Estado em relação ao mês an terior, pois representam a

    inclusão de área do município de Bandeirantes e rev isões de área em São Gabriel

    do Oeste, o que reflete em aumento de 0,4% em relaç ão a março.

    Para a Região Nordeste espera-se uma produção de 1. 550.548 toneladas, das

    quais cerca de 92% é produzido na Bahia.

    O mercado firme no segundo semestre em Minas Gerais estimulou produtores

    de todo o Estado. Em todas as regiões produtoras, h ouve aumento na área

    plantada. A produção deste ano, em relação ao ano a nterior, é superior em

    109,2%, reflexo do aumento de área, haja vista que o rendimento médio esperado é

    praticamente igual ao do ano anterior.

    Café (em grão)

    A estimativa de abril para a safra nacional de café , a ser colhida a

    partir de maio de 2011, totaliza 2.559.308 t, ou 42 ,7 milhões de sacas de 60 kg

    do produto em grãos beneficiados. O percentual de d ecréscimo em relação a 2010 é

    de 11,0%. A área destinada à colheita é de 2.119.16 1 ha, 1,7% inferior à área

    colhida em 2010. A área total ocupada com a cultura no País decresce 2,5%. A

    queda prevista na produção, em relação à safra colh ida em 2010, é consequência,

    principalmente, da particularidade que apresenta o café arábica, espécie

    predominante no País, que alterna anos de altas e baixas produtividades.

    Em 2010 as estiagens foram normais nas principais r egiões cafeeiras, entre

    abril e agosto, período que coincide com a colheita e repouso do cafeeiro,

    condição que não prejudicou as plantas e até favore ceu a colheita dos frutos de

    2010. As florações da safra a ser colhida em 2011 o correram de forma normal e

    não sofreram com falta de chuvas, o que seria uma s ituação crítica para o

    cafeeiro. O que houve foi uma situação de índices p luviométricos satisfatórios a

    partir da formação dos chumbinhos. A partir de sete mbro de 2010 as chuvas

    tiveram um comportamento satisfatório na maioria da s regiões cafeeiras, apesar

    da estiagem mais persistente ao norte de São Paulo . A safra a ser colhida nos

    próximos meses será regida, principalmente, pela c ondição bianual do cafeeiro.

    No levantamento de abril a estimativa de produção é de decréscimo de 1,5%

    em relação a março. As outras variáveis também apre sentam decréscimos. A área

  • XX

    total com a cultura no País decresce 0,6%, a área d estinada à colheita, -0,1% e

    o rendimento médio, -1,3%.

    Minas Gerais, o maior produtor brasileiro de café e stima, neste mês,

    decréscimo de 0,8% na produção esperada para 2011, que totaliza 1.328.716 t

    (22,1 milhões de sacas de 60 kg), considerando as d uas espécies em conjunto

    (arábica e canephora), o que representa 51,9% do to tal esperado para o País em

    2011. A área a ser colhida está estimada em 1.023.9 11 ha. O rendimento,

    característico de um ano de “baixa”, diminui 0,9% e m relação a março, e será

    acompanhado nos próximos levantamentos. Percebe-se que a bianualidade vem

    diminuindo ao longo dos anos em virtude da ausência de geadas, que sempre

    nivelavam as lavouras e também devido ao manejo dif erenciado de talhões dentro

    das propriedades, com práticas de adensamento, plan tio de variedades mais

    tolerantes à ferrugem, podas, entre outros.

    Os preços praticados a partir de julho de 2010 fav oreceram melhores

    tratos culturais para o novo ciclo que se inicia. A falta de estoques mundiais

    de arábica, tanto em quantidade quanto em qualidade , assim como dificuldades nas

    safras de outros países estimularam os produtores b rasileiros a investir mais

    na nova safra.

    O Espírito Santo, 2º maior produtor de café, ainda não realizou

    estimativas para 2011 e seus números são uma projeç ão a ser retificada ou

    ratificada nos próximos meses.

    Em virtude da escassez de café no mercado, ainda fa ltando um mês para o

    início da colheita da safra de 2011, vendas de aráb ica para entrega futura têm

    sido comuns. O café brasileiro tem sido cada vez m ais procurado pelo mercado

    internacional, devido, principalmente, à dificuldad e na obtenção de grãos de

    qualidade em outros países (como os da Colômbia e d a América Central). O aumento

    nas exportações de café do Brasil comprova esse cen ário (cerca de 8 milhões de

    sacas no 1º trimestre do ano corrente).

    Feijão (em grão)

    A A produção nacional de feijão, considerando as tr ês safras do produto,

    está avaliada em 3.693.909 toneladas, maior 13,9% q ue a da safra passada

    enquanto que a área ser colhida de 3.828.703 ha é s uperior em 9,7%.

    Para o feijão 1ª safra a área plantada em 2011 é de 2.341.450 ha, maior

    5,4% que a área plantada na safra correspondente de 2010. A produção esperada é

    de 1.982.814 t, maior 27,2% caso se confirme o rend imento médio previsto de 881

    kg/ha (+15,8%) Com relação ao mês anterior houve ac réscimo na área (1,5%) e

    decréscimo na produção (0,2%). A redução na produçã o do feijão 1ª safra, neste

    levantamento de abril, teve origem, notadamente, na s alterações dos dados da

    safra nordestina.

    Na região Nordeste, segunda produtora, a área plant ada ou a plantar para a

    safra 2011, é de 1.413.162 ha, maior 2,5% que a pla ntada na safra 2010 enquanto

    que a produção esperada é de 658.713 t, superior 11 8,6%. Comparativamente a

  • XXI

    março, a área cresceu 2,5% e a produção caiu 1,6% e m face, principalmente, das

    reavaliações nos dados do Piauí e Pernambuco.

    No Piauí, em relação ao mês passado, verificam-se d ecréscimos na área

    (25,9%) e produção (16,5%) devido ao excesso de chu vas. Apesar disso,

    comparativamente à safra passada, a área a ser colh ida de 226.882 ha e a

    produção esperada de 100.390 t são superiores em 13 ,9% e 240,5%,

    respectivamente.

    Em Pernambuco, frente a março, embora a área tenha crescido 18,4% a

    produção diminuiu 5,0% devido à revisão no rendimen to (-19,8%) como consequência

    das condições climáticas desfavoráveis. A área ser colhida de 200.431 ha e a

    produção esperada de 85.205 t, comparativamente à s afra passada, são inferiores

    em 7,0% e 11,0%, respectivamente.

    Na Região Sul, maior produtora, o produto já se enc ontra colhido não tendo

    havido, neste mês, alterações nos números. A área c olhida é de 493.277 ha, maior

    2,8% que a de 2010 enquanto que a produção obtida é de 761.292 t, superior em

    8,5%.

    Quanto ao feijão segunda safra, considerando que pa ra o Roraima, Maranhão,

    Bahia, Espírito Santo e Rio de Janeiro.os dados não estão disponíveis e

    correspondem a uma projeção obtida a partir das inf ormações dos anos anteriores,

    a área a ser colhida de 1.354.301 ha e a produção e sperada de 1.271.515 t,

    frente à safra passada, são superiores em 7,8% e 5, 1%,respectivamente.

    No Paraná, maior produtor nacional, os levantamento s de campo realizado

    pelas COREAs em abril, indicam uma área a ser plant ada de feijão das secas de

    169.778 ha, 11,2% menor que a plantada na safra pas sada, influenciada pelos

    preços praticados no mercado. A colheita iniciada e m março calculando-se que, no

    momento, cerca de 20% da área prevista já foi colhi da sendo que os principais

    estágios por que passam as lavouras por colher são os de desenvolvimento

    vegetativo (15%), floração (25%), frutificação (35% ) e maturação (25%). A

    colheita deverá ser desenvolvida com maior intensid ade no decorrer do próximo

    mês, devendo ser concluída no mês de junho. O feijã o colhido neste início de

    safra é predominante da variedade carioca e apresen ta boa qualidade, com os

    preços oscilando com maior frequência entre R$ 67,0 0/77,00 a saca de 60 quilos.

    A produção paranaense de feijão 2ª safra é da ordem de 289.006 toneladas, menor

    1,9% que a do ano passado.

    No Centro-Oeste a área a ser colhida é de 144.917 h a mostrando um

    incremento de 21,2% frente à colhida na safra 2010. A produção esperada é de

    175.382 t, maior 19,2% para um rendimento médio pre visto de 1.210 kg/ha. Em

    relação ao mês anterior, houve decréscimo na área ( 1,5%) e acréscimo na produção

    (4,0%) em face das reavaliações nos dados de Goiás (+ 2,6% na área e -5,7% na

    produção).

    O Mato Grosso do Sul apresenta a sua primeira estim ativa. A área plantada

    de 16.000 ha apresenta redução de 16,5%, em relação à safra anterior, devido aos

    problemas climáticos na época de plantio (excesso d e chuvas) o que fez com que

    muitos produtores optassem pelo plantio de milho 2ª safra. Salienta-se, porém,

  • XXII

    que esta tendência poderá ser amenizada caso ocorra m plantios tardios, fato que

    deverá ser verificado nos próximos levantamentos. A microrregião de Dourados é a

    principal produtora de feijão 2ª safra com uma área plantada atualmente de 8.490

    ha e o município de Caarapó tem a maior estimativa de área de 2.500 ha. A

    variedade plantada é basicamente a carioca. No mome nto predomina a fase de

    desenvolvimento vegetativo da cultura. Aguarda-se u ma produção de 19.200 t,

    menor 21,4% que a do ano anterior, caso se confirme um rendimento médio previsto

    de 1.200 kg/ha.

    No Mato Grosso, frente ao mês passado, houve acrésc imos na área e produção

    de 1,0% e 8,3%%, respectivamente. Com isso, a área a se colhida de 109.417 ha

    (33.514 ha de feijão preto/carioca e 76.003 ha de f eijão caupi) e a produção

    esperada de 117.524 t são maiores que as do ano pas sado em 42,6% e 59,3%,

    respectivamente.

    Finalmente, para o feijão terceira safra, considera ndo que à exceção de

    Minas Gerais e Mato Grosso, os dados para as demais Unidades da Federação não

    estão disponíveis e correspondem à uma projeção obt ida a partir das informações

    dos anos anteriores, a área a ser colhida de 185.70 9 ha e a produção esperada de

    439.580 t, comparativamente à safra passada, são in feriores em 0,6% e

    7,2%,respectivamente. Com relação ao mês passado, h ouve decréscimo na área

    (1,9%) e acréscimo na produção (2,6%).

    Para Minas Gerais, maior produtor dessa safra do pr oduto, a primeira

    estimativa apresenta decréscimos na área e na prod ução de 2,96% em relação ao

    ano de 2010, sendo previstos, respectivamente 73.73 1 ha e 192.123 t. Destaca-se

    que nos principais municípios optou-se por manter a informação do ano anterior,

    uma vez que o plantio estende-se até os meses de ju lho/agosto e muitos

    produtores ainda não definiram o plantio de inverno .

    Milho (em grão)

    O levantamento de abril de 2011 para a cultura do m ilho é de produção de

    57.748.345 toneladas, o que representa um aumento d e 3,0% em relação à 2010. O

    rendimento médio, considerando as duas safras, é de 4.320 kg/ha.

    No estado de Minas Gerais a colheita começou em abr il, pois com algum

    milho “pronto”, há que se colher para não ficar suj eito às intempéries, ainda

    mais com os preços compensadores praticados na regi ão (R$ 25,00 a R$ 26,00/sc 60

    kg). Com uma área plantada de 1.146.893 ha, na 1ª s afra, e de apenas 47.612 ha

    na 2ª safra, o Estado espera um total de 6.154.523 toneladas.

    Com cerca de 90% do milho 1ª safra no Paraná colhid o e rendimento médio,

    até aqui, de 7.749 kg/ha, estima-se que os produtor es tenham negociado em torno

    de 50% da produção, a um preço que oscilou entre R$ 23,50 e R$ 25,00 a saca de

    60 kg. O milho colhido continua apresentando boa qu alidade.

    Na 2ª safra, que é a principal do Paraná para a cul tura, o produtor está

    realizando os tratos culturais. Numa área plantada de 1.657.364 ha aguarda-se

  • XXIII

    uma colheita de 7.328.872 toneladas, o que represen ta uma variação, em relação à

    estimativa de março, de +3,3%.

    No Rio Grande do Sul embora seja esperado um aument o, mesmo que modesto,

    do rendimento médio (+ 0,7% do que em 2010), a redu ção de área é que determina a

    produção esperada de 5.399.485 t (menor 3,5% do que no ano passado).

    Em Goiás a 1ª safra do milho, embora menor do que a 2ª safra, espera

    finalizar seus números confirmando um rendimento mé dio de 6.380 kg/ha, o que é

    superior ao ano passado em 4,0%. Quanto à segunda s afra a incerteza é grande,

    pois em importantes regiões produtoras são esperado s prejuízos causados pelas

    chuvas, mas ainda sem resultados numéricos.

    Em Mato Grosso, o milho 1ª safra é cultivado por pe quenos produtores e por

    alguns grandes produtores que, por estarem com área s infestadas de nematoides

    que “atacam” a soja, optam pelo milho. Quanto ao mi lho 2ª safra cabe ressaltar

    que, de 1.842.614 ha plantados, mais da metade foi plantado fora da época

    recomendada (zoneamento agrícola de risco climático ), 20.853 ha são de milho

    pipoca, 3.498 ha são irrigados.

    No Distrito Federal, apesar da parcela pouco signif icativa da produção

    nacional de milho (0,4%), é aonde pode-se observar o maior rendimento médio da

    cultura em primeira safra (8.365 kg/ha).Lá o preço médio da saca de 60 kg ficou

    em R$26,00.

    Soja (em grão)

    Na cultura da soja a transgenia vem crescendo muito . Ocorre que muitos

    produtores têm interesse em plantar a soja convenci onal, porém estão encontrando

    dificuldades para adquirir sementes.

    O momento é de bons preços, o que tem fomentado ven das antecipadas do

    produto, inclusive contratos de comprometimento com soja a ser colhida no

    próximo ano.

    No estado do Mato Grosso a maior parte da soja está comercializada, mesmo

    antes do fim da colheita. Neste Estado a área plant ada com a cultura foi de

    6.449.713 ha, o que com um rendimento médio de 3.19 5 kg/ha resultará na

    produção de 20.605.098 t, o que representa 28,3% de toda soja nacional, esperada

    para este ano.

    Em final de colheita o estado do Paraná identificou ligeiro aumento dos

    números para a cultura. A soja que esta sendo colhi da no Estado é de boa

    qualidade. Estando os preços em torno de R$ 43,00/R $ 45,00 a saca de 60 kg (

    produto posto em Ponta Grossa), fala-se que aproxim adamente metade já foi

    comercializada. A previsão da produção da oleaginos a neste ano, considerando o

    desempenho até o momento, é de 15.156.796 toneladas . A área plantada, no Estado,

    foi de 4.585.088 ha.

    A chuva que atingiu o estado de Mato Grosso do Sul é responsável por

    perdas de áreas, segundo informações do GCEA, de 21 .812 ha. De acordo com

  • XXIV

    informações do Estado o rendimento médio deve ficar em 2.866 kg/ha, o que

    resultaria numa produção 6,7% menor do que a verifi cada em 2010, igual a

    4.983.989 toneladas.

    Minas Gerais registra leve acréscimo da área cultiv ada com a oleaginosa,

    em comparação à safra 2010. O veranico nos meses de janeiro/fevereiro prejudicou

    bastante o rendimento da lavoura, principalmente no noroeste do Estado. Em Abril

    reavaliações em diversos municípios do triângulo mi neiro, em virtude de chuvas

    na época da colheita, contribuíram para o decréscim o na produção, aumentando

    inclusive, a área perdida. Embora a área plantada t enha aumentado em 0,7%, em

    relação ao ano passado, a área a ser colhida é de 1 .024.524 ha, que com um

    rendimento médio estimado em 2.710 kg/ha, resultará numa produção de 2.776.492

    t, 4,3% menor do que a de 2010.

    Na Região Nordeste os estados produtores da oleagin osa estão esperando

    aumentos na produção. Na Bahia, que tem mais tradiç ão no cultivo da soja, o

    aumento na produção é proporcional ao aumento de ár ea cultivada. Os estados do

    Piauí e Maranhão, além do aumento de área esperam u m aumento na produção de,

    respectivamente 34,0% e 18,0% (frente ao ano passad o), justificado pelo maior

    rendimento médio de 3.081 kg/ha no Piauí, e de 2.93 7 kg/ha no Maranhão (21,7% e

    9,8% superiores à 2010).

  • XXV

    ÁREA, PRODUÇÃO E RENDIMENTO MÉDIO - CONFRONTO DAS ESTIMATIVAS MARÇO/ABRIL

    BRASIL

    Mês: Abril/2011 ________________________________________________________________________________________________________________________________________ | | | | Á R E A | P R O D U Ç Ã O | RENDIMENTO MÉDIO P R O D U T O S | (ha) | (t) | (kg/ha) |____________________________________|____________________________________|_________________________________ A G R Í C O L A S | | | | | | | | | |MÊS ANTERIOR| MÊS ATUAL |VARIAÇÃO %|MÊS ANTERIOR| MÊS ATUAL |VARIAÇÃO %|MÊS ANTERIOR|MÊS ATUAL|VARIAÇÃO % ____________________________|____________|____________|__________|____________|____________|__________|____________|_________|__________

    T O T A L .......... 62 149 173 62 600 080 0.7 .. .. .. .. .. ..

    ALGODÃO HERBÁCEO (em caroço) . 1 260 937 1 312 204 4.1 4 793 404 4 967 850 3.6 3 801 3 786 -0.4 AMENDOIM (em casca) - TOTAL .. 87 293 87 884 0.7 243 371 244 272 0.4 2 788 2 779 -0.3 AMENDOIM (em casca) - 1ª safra 71 486 71 486 - 219 627 219 564 -0.0 3 072 3 071 -0.0 AMENDOIM (em casca) - 2ª safra 15 807 16 398 3.7 23 744 24 708 4.1 1 502 1 507 0.3 ARROZ (em casca) ............. 2 758 170 2 771 681 0.5 13 372 478 13 420 604 0.4 4 848 4 842 -0.1 AVEIA (em grão) .............. 138 279 142 042 2.7 275 574 321 271 16.6 1 993 2 262 13.5 BATATA-INGLESA - TOTAL ....... 149 390 149 097 -0.2 3 890 014 3 875 812 -0.4 26 039 25 995 -0.2 BATATA-INGLESA - 1ª safra .... 71 431 71 484 0.1 1 746 134 1 748 094 0.1 24 445 24 454 0.0 BATATA-INGLESA - 2ª safra .... 50 966 52 161 2.3 1 335 058 1 365 924 2.3 26 195 26 187 -0.0 BATATA-INGLESA - 3ª safra .... 26 993 25 452 -5.7 808 822 761 794 -5.8 29 964 29 931 -0.1 CACAU (em amêndoa) ........... 672 205 644 755 -4.1 229 051 241 571 5.5 341 375 10.0 CAFÉ (em grão) ............... 2 121 637 2 119 161 -0.1 2 597 127 2 559 308 -1.5 1 224 1 208 -1.3 CANA-DE-AÇÚCAR ............... 8 524 405 8 555 173 0.4 666 800 096 668 477 148 0.3 78 222 78 137 -0.1 CEBOLA ....................... 60 881 60 851 -0.0 1 406 363 1 402 555 -0.3 23 100 23 049 -0.2 CEVADA (em grão) ............. 85 264 90 234 5.8 239 515 281 266 17.4 2 809 3 117 11.0 FEIJÃO (em grão) - TOTAL ..... 3 753 680 3 828 703 2.0 3 681 256 3 693 909 0.3 981 965 -1.6 FEIJÃO (em grão) - 1ª safra .. 2 255 338 2 288 693 1.5 1 985 876 1 982 814 -0.2 881 866 -1.7 FEIJÃO (em grão) - 2ª safra .. 1 308 967 1 354 301 3.5 1 266 946 1 271 515 0.4 968 939 -3.0 FEIJÃO (em grão) - 3ª safra .. 189 375 185 709 -1.9 428 434 439 580 2.6 2 262 2 367 4.6 LARANJA ...................... 759 803 763 231 0.5 18 647 571 18 691 702 0.2 24 543 24 490 -0.2 MAMONA (baga)................. 198 465 199 706 0.6 140 755 140 659 -0.1 709 704 -0.7 MANDIOCA ..................... 1 792 868 1 795 720 0.2 26 401 764 26 537 361 0.5 14 726 14 778 0.4 MILHO (em grão) - TOTAL ...... 13 123 475 13 366 698 1.9 56 278 863 57 748 345 2.6 4 288 4 320 0.7 MILHO (em grão) - 1ª safra ... 7 548 643 7 608 981 0.8 32 775 317 33 052 131 0.8 4 342 4 344 0.0 MILHO (em grão) - 2ª safra ... 5 574 832 5 757 717 3.3 23 503 546 24 696 214 5.1 4 216 4 289 1.7 SOJA (em grão) ............... 23 781 271 23 954 132 0.7 71 595 025 72 838 610 1.7 3 011 3 041 1.0 SORGO (em grão) .............. 678 972 678 368 -0.1 1 721 256 1 707 436 -0.8 2 535 2 517 -0.7 TRIGO (em grão) .............. 2 142 491 2 022 244 -5.6 4 869 641 5 034 295 3.4 2 273 2 489 9.5 TRITICALE (em grão) .......... 59 687 58 196 -2.5 142 489 148 327 4.1 2 387 2 549 6.8 ________________________________________________________________________________________________________________________________________ FONTE: Grupo de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias - GCEA/IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Agropecuária, Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, abr/2011. NOTA: Para as Unidades da Federação, que por força do calendário agrícola, ainda não dispõem das estimativas iniciais, os dados correspondem a uma projeção obtida a partir das informações de anos anteriores.

  • XXVI

    ÁREA, PRODUÇÃO E RENDIMENTO MÉDIO - CONFRONTO DAS SAFRAS DE 2010 E DAS ESTIMATIVAS PARA 2011

    BRASIL

    Mês: Abril/2011 ________________________________________________________________________________________________________________________________________ | | | | Á R E A | P R O D U Ç Ã O | RENDIMENTO MÉDIO P R O D U T O S | (ha) | (t) | (kg/ha) |____________________________________|____________________________________|_________________________________ A G R Í C O L A S | | | | | | | | | | SAFRA 2010 | SAFRA 2011 |VARIAÇÃO %| SAFRA 2010 | SAFRA 2011 |VARIAÇÃO %|SAFRA 2010|SAFRA 2011|VARIAÇÃO % ____________________________|____________|____________|__________|____________|____________|__________|__________|__________|___________

    T O T A L .......... 61 280 555 62 600 080 2.2 .. .. .. .. .. ..

    ALGODÃO HERBÁCEO (em caroço) . 823 608 1 312 204 59.3 2 931 092 4 967 850 69.5 3 559 3 786 6.4 AMENDOIM (em casca) - TOTAL .. 84 640 87 884 3.8 230 449 244 272 6.0 2 723 2 779 2.1 AMENDOIM (em casca) - 1ª safra 67 426 71 486 6.0 203 653 219 564 7.8 3 020 3 071 1.7 AMENDOIM (em casca) - 2ª safra 17 214 16 398 -4.7 26 796 24 708 -7.8 1 557 1 507 -3.2 ARROZ (em casca) ............. 2 713 348 2 771 681 2.1 11 331 613 13 420 604 18.4 4 176 4 842 15.9 AVEIA (em grão) .............. 148 611 142 042 -4.4 368 207 321 271 -12.7 2 478 2 262 -8.7 BATATA-INGLESA - TOTAL ....... 141 987 149 097 5.0 3 595 330 3 875 812 7.8 25 322 25 995 2.7 BATATA-INGLESA - 1ª safra .... 67 456 71 484 6.0 1 542 781 1 748 094 13.3 22 871 24 454 6.9 BATATA-INGLESA - 2ª safra .... 46 618 52 161 11.9 1 204 263 1 365 924 13.4 25 833 26 187 1.4 BATATA-INGLESA - 3ª safra .... 27 913 25 452 -8.8 848 286 761 794 -10.2 30 390 29 931 -1.5 CACAU (em amêndoa) ........... 647 036 644 755 -0.4 231 494 241 571 4.4 358 375 4.7 CAFÉ (em grão) ............... 2 156 652 2 119 161 -1.7 2 874 581 2 559 308 -11.0 1 333 1 208 -9.4 CANA-DE-AÇÚCAR ............... 9 146 615 8 555 173 -6.5 722 495 503 668 477 148 -7.5 78 990 78 137 -1.1 CEBOLA ....................... 68 324 60 851 -10.9 1 538 698 1 402 555 -8.8 22 521 23 049 2.3 CEVADA (em grão) ............. 83 793 90 234 7.7 274 038 281 266 2.6 3 270 3 117 -4.7 FEIJÃO (em grão) - TOTAL ..... 3 491 657 3 828 703 9.7 3 242 340 3 693 909 13.9 929 965 3.9 FEIJÃO (em grão) - 1ª safra .. 2 048 200 2 288 693 11.7 1 558 861 1 982 814 27.2 761 866 13.8 FEIJÃO (em grão) - 2ª safra .. 1 256 662 1 354 301 7.8 1 209 877 1 271 515 5.1 963 939 -2.5 FEIJÃO (em grão) - 3ª safra .. 186 795 185 709 -0.6 473 602 439 580 -7.2 2 535 2 367 -6.6 LARANJA ...................... 843 387 763 231 -9.5 19 113 194 18 691 702 -2.2 22 662 24 490 8.1 MAMONA (baga)................. 149 803 199 706 33.3 93 054 140 659 51.2 621 704 13.4 MANDIOCA ..................... 1 776 459 1 795 720 1.1 24 302 503 26 537 361 9.2 13 680 14 778 8.0 MILHO (em grão) - TOTAL ...... 12 844 644 13 366 698 4.1 56 086 528 57 748 345 3.0 4 367 4 320 -1.1 MILHO (em grão) - 1ª safra ... 7 436 720 7 608 981 2.3 33 125 574 33 052 131 -0.2 4 454 4 344 -2.5 MILHO (em grão) - 2ª safra ... 5 407 924 5 757 717 6.5 22 960 954 24 696 214 7.6 4 246 4 289 1.0 SOJA (em grão) ............... 23 290 696 23 954 132 2.8 68 500 673 72 838 610 6.3 2 941 3 041 3.4 SORGO (em grão) .............. 645 715 678 368 5.1 1 505 093 1 707 436 13.4 2 331 2 517 8.0 TRIGO (em grão) .............. 2 176 978 2 022 244 -7.1 6 036 790 5 034 295 -16.6 2 773 2 489 -10.2 TRITICALE (em grão) .......... 46 602 58 196 24.9 117 512 148 327 26.2 2 522 2 549 1.1 ________________________________________________________________________________________________________________________________________ FONTE: Grupo de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias - GCEA/IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Agropecuária, Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, abr/2011. NOTA: Para as Unidades da Federação, que por força do calendário agrícola, ainda não dispõem das estimativas iniciais, os dados correspondem a uma projeção obtida a partir das informações de anos anteriores.

  • XXVII

    ÁREA DE CEREAIS, LEGUMINOSAS E OLEAGINOSAS COMPARAÇÃO ENTRE AS SAFRAS 2010 E 2011 BRASIL E GRANDES REGIÕES

    Abril/2011_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ | | Á R E A E M H E C T A R E S P R O D U T O S |__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ | | | | | | | B R A S I L | N O R T E | N O R D E S T E | S U D E S T E | S U L | C E N T R O - O E S T E A G R Í C O L A S |______________________________|______________________________|______________________________|______________________________|______________________________|_______________________________ | | | | | | | | | | | | | | | | | | |SAFRA 2010 |SAFRA 2011 |VAR. %|SAFRA 2010 |SAFRA 2011 |VAR. %|SAFRA 2010 |SAFRA 2011 |VAR. %|SAFRA 2010 |SAFRA 2011 |VAR. %|SAFRA 2010 |SAFRA 2011 |VAR. %|SAFRA 2010 |SAFRA 2011 |VAR. %____________________________|___________|___________|______|___________|___________|______|___________|___________|______|___________|___________|______|___________|___________|______|___________|___________|_______

    Algodão herbáceo (1) ....... 823 608 1 312 204 59.3 - - - 295 728 411 899 39.3 26 020 45 797 76.0 99 917 826.3 501 761 853 591 70.1Amendoim (em casca) 1ª safra 67 426 71 486 6.0 - - - 2 594 3 667 41.4 56 227 59 771 6.3 8 195 7 428 -9.4 410 620 51.2Arroz (em casca) ........... 2 713 348 2 771 681 2.1 373 595 356 862 -4.5 667 821 686 306 2.8 76 308 65 822 -13.7 1 235 344 1 353 173 9.5 360 280 309 518 -14.1Feijão (em grão) 1ª safra .. 2 048 200 2 288 693 11.7 63 049 63 617 0.9 1 145 080 1 368 149 19.5 284 929 269 853 -5.3 480 060 493 277 2.8 75 082 93 797 24.9Mamona (baga)............... 149 803 199 706 33.3 - - - 141 024 191 902 36.1 8 779 7 804 -11.1 - - - - - -Milho (em grão) 1ª safra ... 7 436 720 7 608 981 2.3 502 968 535 083 6.4 1 932 392 2 387 711 23.6 1 782 612 1 742 575 -2.2 2 629 659 2 403 329 -8.6 589 089 540 283 -8.3Soja (em grão) ............. 23 290 696 23 954 132 2.8 561 548 592 650 5.5 1 854 578 1 943 870 4.8 1 512 611 1 509 800 -0.2 8 887 306 9 124 486 2.7 10 474 653 10 783 326 2.9 SUB-TOTAL 36 529 801 38 206 883 4.6 1 501 160 1 548 212 3.1 6 039 217 6 993 504 15.8 3 747 486 3 701 422 -1.2 13 240 663 13 382 610 1.1 12 001 275 12 581 135 4.8

    Amendoim (em casca) 2ª safra 17 214 16 398 -4.7 - - - 9 026 9 899 9.7 5 000 3 475 -30.5 - - - 3 188 3 024 -5.1Aveia (em grão) ............ 148 611 142 042 -4.4 - - - - - - - - - 148 611 142 042 -4.4 - - -Centeio (em grão) .......... 2 323 2 826 21.7 - - - - - - - - - 2 323 2 826 21.7 - - -Cevada (em grão) ........... 83 793 90 234 7.7 - - - - - - - - - 83 793 90 234 7.7 - - -Feijão (em grão) 2ª safra .. 1 256 662 1 354 301 7.8 95 635 91 704 -4.1 588 762 733 009 24.5 202 779 170 627 -15.9 249 872 214 044 -14.3 119 614 144 917 21.2Feijão (em grão) 3ª safra .. 186 795 185 709 -0.6 - - - - - - 107 928 108 131 0.2 7 649 7 710 0.8 71 218 69 868 -1.9Girassol (em grão) ......... 70 253 52 745 -24.9 - - - 1 129 2 202 95.0 - - - 13 235 9 663 -27.0 55 889 40 880 -26.9Milho (em grão) 2ª safra ... 5 407 924 5 757 717 6.5 - - - 535 779 526 069 -1.8 308 594 277 897 -9.9 1 360 713 1 657 364 21.8 3 202 838 3 296 387 2.9Sorgo (em grão) ............ 645 715 678 368 5.1 - - - 90 813 122 686 35.1 134 184 147 078 9.6 21 951 21 005 -4.3 398 767 387 599 -2.8Trigo (em grão) ............ 2 176 978 2 022 244 -7.1 - - - - - - 66 782 62 304 -6.7 2 053 321 1 908 631 -7.0 56 875 51 309 -9.8Triticale (em grão) ........ 46 602 58 196 24.9 - - - - - - 11 800 25 500 116.1 34 802 32 696 -6.1 - - - SUB-TOTAL 10 042 870 10 360 780 3.2 95 635 91 704 -4.1 1 225 509 1 393 865 13.7 837 067 795 012 -5.0 3 976 270 4 086 215 2.8 3 908 389 3 993 984 2.2

    TOTAL 46 572 671 48 567 663 4.3 1 596 795 1 639 916 2.7 7 264 726 8 387 369 15.5 4 584 553 4 496 434 -1.9 17 216 933 17 468 825 1.5 15 909 664 16 575 119 4.2

    _______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Fonte: Grupo de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias - GCEA/IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Agropecuária, Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, abr/2011. NOTA: Para as Unidades da Federação que, por força do calendário agrícola, ainda não dispõem das estimativas iniciais, os dados correspondem a uma projeção obtida a partir das informações de anos anteriores. (1) Caroço de algodão.

  • XXVIII

    PRODUÇÃO DE CEREAIS, LEGUMINOSAS E OLEAGINOSAS COMPARAÇÃO ENTRE AS SAFRAS 2010 E 2011 BRASIL E GRANDES REGIÕES

    Abril/2011_______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ | | P R O D U Ç Ã O E M T O N E L A D A S P R O D U T O S |__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ | | | | | | | B R A S I L | N O R T E | N O R D E S T E | S U D E S T E | S U L | C E N T R O - O E S T E A G R Í C O L A S |______________________________|______________________________|______________________________|______________________________|______________________________|_______________________________ | | | | | | | | | | | | | | | | | | |SAFRA 2010 |SAFRA 2011 |VAR. %|SAFRA 2010 |SAFRA 2011 |VAR. %|SAFRA 2010 |SAFRA 2011 |VAR. %|SAFRA 2010 |SAFRA 2011 |VAR. %|SAFRA 2010 |SAFRA 2011 |VAR. %|SAFRA 2010 |SAFRA 2011 |VAR. %____________________________|___________|___________|______|___________|___________|______|___________|___________|______|___________|___________|______|___________|___________|______|___________|___________|_______

    Algodão herbáceo (1) ....... 1 785 966 3 029 220 69.6 - - - 646 195 941 302 45.7 53 058 98 915 86.4 127 1 464 1045.3 1 086 584 1 987 537 82.9Amendoim (em casca) 1ª safra 203 653 219 564 7.8 - - - 2 279 4 541 99.3 183 911 197 625 7.5 16 455 15 538 -5.6 1 008 1 860 84.5Arroz (em casca) ........... 11 331 613 13 420 604 18.4 999 647 988 047 -1.2 913 228 1 206 381 32.1 213 600 186 250 -12.8 8 128 635 10 041 897 23.5 1 076 503 998 029 -7.3Feijão (em grão) 1ª safra .. 1 558 861 1 982 814 27.2 11 351 46 260 307.5 301 330 658 713 118.6 383 801 329 186 -14.2 701 947 761 292 8.5 160 432 187 363 16.8Mamona (baga)............... 93 054 140 659 51.2 - - - 83 131 132 936 59.9 9 923 7 723 -22.2 - - - - - -Milho (em grão) 1ª safra ... 33 125 574 33 052 131 -0.2 1 296 030 1 429 579 10.3 2 755 767 4 277 025 55.2 9 483 829 9 207 948 -2.9 16 072 055 14 765 489 -8.1 3 517 893 3 372 090 -4.1Soja (em grão) ............. 68 500 673 72 838 610 6.3 1 622 810 1 764 557 8.7 5 303 785 5 880 809 10.9 4 298 084 4 165 814 -3.1 25 684 674 27 251 503 6.1 31 591 320 33 775 927 6.9 SUB-TOTAL 116 599 394 124 683 602 6.9 3 929 838 4 228 443 7.6 10 005 715 13 101 707 30.9 14 626 206 14 193 461 -3.0 50 603 893 52 837 183 4.4 37 433 740 40 322 806 7.7

    Amendoim (em casca) 2ª safra 26 796 24 708 -7.8 - - - 8 627 10 852 25.8 10 415 6 454 -38.0 - - - 7 754 7 402 -4.5Aveia (em grão) ............ 368 207 321 271 -12.7 - - - - - - - - - 368 207 321 271 -12.7 - - -Centeio (em grão) .......... 3 139 3 730 18.8 - - - - - - - - - 3 139 3 730 18.8 - - -Cevada (em grão) ........... 274 038 281 266 2.6 - - - - - - - - - 274 038 281 266 2.6 - - -Feijão (em grão) 2ª safra .. 1 209 877 1 271 515 5.1 80 896 77 875 -3.7 336 407 445 763 32.5 278 084 227 909 -18.0 367 315 344 586 -6.2 147 175 175 382 19.2Feijão (em grão) 3ª safra .. 473 602 439 580 -7.2 - - - - - - 269 838 247 931 -8.1 7 801 6 374 -18.3 195 963 185 275 -5.5Girassol (em grão) ......... 80 116 77 459 -3.3 - - - 838 1 847 120.4 - - - 15 915 12 499 -21.5 63 363 63 113 -0.4Milho (em grão) 2ª safra ... 22 960 954 24 696 214 7.6 - - - 1 426 766 1 241 607 -13.0 1 232 730 1 089 461 -11.6 6 784 653 7 328 872 8.0 13 516 805 15 036 274 11.2Sorgo (em grão) ............ 1 505 093 1 707 436 13.4 - - - 101 438 221 619 118.5 395 744 405 903 2.6 55 263 54 931 -0.6 952 648 1 024 983 7.6Trigo (em grão) ............ 6 036 790 5 034 295 -16.6 - - - - - - 216 793 172 048 -20.6 5 658 553 4 721 996 -16.6 161 444 140 251 -13.1Triticale (em grão) ........ 117 512 148 327 26.2 - - - - - - 32 430 69 666 114.8 85 082 78 661 -7.5 - - - SUB-TOTAL 33 056 124 34 005 801 2.9 80 896 77 875 -3.7 1 874 076 1 921 688 2.5 2 436 034 2 219 372 -8.9 13 619 966 13 154 186 -3.4 15 045 152 16 632 680 10.6

    TOTAL 149 655 518 158 689 403 6.0 4 010 734 4 306 318 7.4 11 879 791 15 023 395 26.5 17 062 240 16 412 833 -3.8 64 223 859 65 991 369 2.8 52 478 892 56 955 486 8.5

    _______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________ Fonte: Grupo de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias - GCEA/IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Agropecuária, Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, abr/2011. NOTA: Para as Unidades da Federação que, por força do calendário agrícola, ainda não dispõem das estimativas iniciais, os dados correspondem a uma projeção obtida a partir das informações de anos anteriores. (1) Caroço de algodão.

  • XXIX

    ÁREA E PRODUÇÃO DE CEREAIS, LEGUMINOSAS E OLEAGINOSAS

    BRASIL, GRANDES REGIÕES E UNIDADES DA FEDERAÇÃO

    SAFRA 2011

    __________________________________________________________________________________ | | | | UNIDADES DA FEDERAÇÃO | ÁREA (ha) | % PARTIC. | PRODUÇÃO (t) | % PARTIC. _________________________|_______________|___________|________________|___________

    BRASIL 48 567 663 100.0 158 689 403 100.0

    NORTE 1 639 916 3.4 4 306 318 2.7 RONDÔNIA ............... 427 352 0.9 1 068 839 0.7 ACRE ................... 64 090 0.1 115 482 0.1 AMAZONAS ............... 23 200 0.0 48 100 0.0 RORAIMA ................ 25 000 0.1 100 463 0.1 PARÁ ................... 482 003 1.0 1 141 465 0.7 AMAPÁ .................. 10 250 0.0 10 700 0.0 TOCANTINS .............. 608 021 1.3 1 821 269 1.1

    NORDESTE 8 387 369 17.3 15 023 395 9.5 MARANHÃO ............... 1 480 886 3.0 2 971 398 1.9 PIAUÍ .................. 1 123 184 2.3 2 311 204 1.5 CEARÁ .................. 1 465 338 3.0 1 382 329 0.9 RIO GRANDE DO NORTE .... 151 819 0.3 115 310 0.1 PARAÍBA ................ 351 261 0.7 257 495 0.2 PERNAMBUCO ............. 489 386 1.0 292 830 0.2 ALAGOAS ................ 120 950 0.2 84 991 0.1 SERGIPE ................ 235 924 0.5 838 669 0.5 BAHIA .................. 2 968 621 6.1 6 769 166 4.3

    SUDESTE 4 496 434 9.3 16 412 833 10.3 MINAS GERAIS ........... 2 804 513 5.8 10 075 217 6.3 ESPÍRITO SANTO ......... 42 659 0.1 75 383 0.0 RIO DE JANEIRO ......... 13 977 0.0 29 700 0.0 SÃO PAULO .............. 1 635 285 3.4 6 232 533 3.9

    SUL 17 468 825 36.0 65 991 369 41.6 PARANÁ ................. 8 726 158 18.0 32 611 155 20.6 SANTA CATARINA ......... 1 358 991 2.8 6 407 870 4.0 RIO GRANDE DO SUL ...... 7 383 676 15.2 26 972 344 17.0

    CENTRO-OESTE 16 575 119 34.1 56 955 486 35.9 MATO GROSSO DO SUL ..... 2 879 297 5.9 9 274 189 5.8 MATO GROSSO ............ 9 536 259 19.6 31 653 137 19.9 GOIÁS .................. 4 044 309 8.3 15 488 081 9.8 DISTRITO FEDERAL ....... 115 254 0.2 540 079 0.3

    __________________________________________________________________________________ FONTE: Grupo de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias - GCEA/IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Agropecuária, Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, Abril/2011. Produtos investigados: algodão (caroço de algodão), amendoim, arroz, aveia, centeio, cevada, feijão, girassol, mamona, milho, soja, sorgo, trigo e triticale.

  • XXX

    ÁREA E PRODUÇÃO DE CEREAIS, LEGUMINOSAS E OLEAGINOSAS

    SEGUNDO OS PRODUTOS AGRÍCOLAS - BRASIL

    SAFRA 2011

    ________________________________________________________________________________________________ | | | | PRODUTOS AGRÍCOLAS | ÁREA (ha) | % PARTIC. | PRODUÇÃO (t) | % PARTIC. _______________________________________|_______________|___________|________________|___________

    T O T A L .............. 48 567 663 100.0 158 689 403 100.0

    ALGODÃO HERBÁCEO (caroço de algodão).. 1 312 204 2.7 3 029 220 1.9 AMENDOIM (em casca) - TOTAL .......... 87 884 0.2 244 272 0.2 AMENDOIM (em casca) - 1ª safra ....... 71 486 0.1 219 564 0.1 AMENDOIM (em casca) - 2ª safra ....... 16 398 0.0 24 708 0.0 ARROZ (em casca) ..................... 2 771 681 5.7 13 420 604 8.5 AVEIA (em grão) ...................... 142 042 0.3 321 271 0.2 CENTEIO (em grão) .................... 2 826 0.0 3 730 0.0 CEVADA (em grão) ..................... 90 234 0.2 281 266 0.2 FEIJÃO (em grão) - TOTAL ............. 3 828 703 7.9 3 693 909 2.3 FEIJÃO (em grão) - 1ª safra .......... 2 288 693 4.7 1 982 814 1.2 FEIJÃO (em grão) - 2ª safra .......... 1 354 301 2.8 1 271 515 0.8 FEIJÃO (em grão) - 3ª safra .......... 185 709 0.4 439 580 0.3 GIRASSOL (em grão) ................... 52 745 0.1 77 459 0.0 MAMONA (baga)......................... 199 706 0.4 140 659 0.1 MILHO (em grão) - TOTAL .............. 13 366 698 27.5 57 748 345 36.4 MILHO (em grão) - 1ª safra .......... 7 608 981 15.7 33 052 131 20.8 MILHO (em grão) - 2ª safra .......... 5 757 717 11.9 24 696 214 15.6 SOJA (em grão) ....................... 23 954 132 49.3 72 838 610 45.9 SORGO (em grão) ...................... 678 368 1.4 1 707 436 1.1 TRIGO (em grão) ...................... 2 022 244 4.2 5 034 295 3.2 TRITICALE (em grão) .................. 58 196 0.1 148 327 0.1 ________________________________________________________________________________________________ FONTE: Grupo de Coordenação de Estatísticas Agropecuárias - GCEA/IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Agropecuária, Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, Abril/2011.

  • TABELAS EM NÍVEL BRASIL

    E

    UNIDADES DA FEDERAÇÃO

  • NOTA EXPLICATIVA

    Nas tabelas por produto agrícola apresentam-se info rmações sobre área,

    produção e rendimento médio. Estas variáveis recebe m denominações diferentes dependendo

    do tipo e da situação da cultura, da forma discrimi nada a seguir:

    1. Culturas temporárias de ciclo curto ou médio (al godão herbáceo, alho,

    amendoim, arroz, aveia, batata-inglesa, cebola, cen teio, cevada, feijão, fumo, girassol,

    juta, malva, mamona, milho, soja, sorgo, tomate, t rigo e triticale).

    1.1 Situação da cultura P (desde a intenção de plan tio, passando por todas

    as fases de desenvolvimento, até antes do encerrame nto da colheita).

    Neste caso "área I" significa "área plantada", e "á rea II" representa a

    "área a ser colhida", ou seja, a área plantada meno s a área perdida. Assim se não houver

    perda, as áreas I e II serão iguais; a produção dev e ser entendida como "produção

    esperada" e o rendimento médio também é o "esperado ".

    1.2 Situação da cultura C (após a colheita).

    A "área I" ainda significa "área plantada" mas a "á rea II" representa agora a "área

    colhida" ou seja a área que realmente produziu. A d iferença entre as duas indica a "área

    perdida". A produção passa a representar a "produçã o obtida" e o "rendimento médio"

    também é o "obtido".

    2. Culturas temporárias de ciclo longo e culturas p ermanentes (abacaxi,

    algodão arbóreo, banana, cacau, café, cana-de-aç