LIGAÇÕES QUÍMICAS - xa.yimg.comxa.yimg.com/kq/groups/29442602/721012128/name/LIGAÇÕES+QUÍMICAS.pdf ·…

Embed Size (px)

Text of LIGAÇÕES QUÍMICAS -...

  • QUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 1

    LIGAES QUMICAS

    Cap. 8 J.B. RusselCap 8 J usse

    Prof. Camila

    Amorim1

  • LIGAES QUMICASQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 2

    Definio: foras que unem tomos formando molculas, agrupamentos de tomos ou slidos inicos;

    Foras de interao mais fortes; ; Inicas

    Covalentes Covalentes A maioria das ligaes possui

    t ti i t di icaractersticas intermedirias -predominantemente inicas ou covalentes

    Prof. Camila

    Amorim2

  • LIGAES INICASQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 3

    Atrao eletrosttica entre os ons de cargas opostas.

    NaCl arranjo ordenado em trs dimenses dos ons Na+ e Cl-

    Prof. Camila

    Amorim3

  • ESTRUTURAS DE LEWISQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 4

    Consiste no seu smbolo qumico, rodeado por um nmero de pontos correspondentes ao nmero de eltrons da camada de valncia do tomo;

    O smbolo qumico numa estrutura de Lewis representa o tronco ou cerne do ptomo;

    Prof. Camila

    Amorim4

  • ESTRUTURAS DE LEWISQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 5

    Prof. Camila

    Amorim5

  • ESTRUTURA DE LEWISQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 6

    Prof. Camila

    Amorim6

  • REGRA DO OCTETOQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 7

    Com exceo ao He todos os tomos dos gases nobres possuem uma camada de valncia especialmente estvel, ns2np6 ou seja um octeto.

    Os tomos tendem a ganhar, perder ou compartilhar eltrons at que estejam p q jrodeados por 8 e- de valncia;

    CUIDADO ! EXISTEM VRIAS EXCEES CUIDADO ! EXISTEM VRIAS EXCEES REGRA DO OCTETO.

    Prof. Camila

    Amorim7

  • Configuraes eletrnicas dos onsQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 8

    Quando um tomo de um metal de um grupo

    i i l fprincipal forma um ction, ele perde seus eltrons de valncia s eeltrons de valncia s e p e adquire a configurao eletrnica g do tomo de gs nobre que o precede.

    Prof. Camila

    Amorim8

  • Configuraes eletrnicas dos onsQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 9

    Quando tomos de no-metais adquirem qeltrons para formas nions, eles o fazem ,at que seja atingido a configurao g eletrnica do gs nobre seguinte. g

    Prof. Camila

    Amorim9

  • ExemplosQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 10

    Escreva a estrutura de Lewis para cloreto de clcio,, sulfeto de potssio,

    xido de alumnio e xido de alumnio e nitreto de brio.

    Prof. Camila

    Amorim10

  • LIGAES INICASQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 11

    Prof. Camila

    Amorim11

  • LIGAES QUMICAS

    QUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 12

    entre tomos: inica

    Prof. Camila

    Amorim12

  • LIGAES INICAS E ENERGIAQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 13

    Todas as reaes ocorrem quando os produtos formados so mais estveis que os reagentes = liberao de energia = decrscimo de entalpia (presso cte) H

  • ENERGIA PARA REAES QUMICAS

    QUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 14

    C l i t f id d i t Calor = energia transferida do sistema para o meio devido apenas diferena de temperatura entre eles (Ts > To); flui naturalmente de uma regio + quente para uma

    + fria; q Trabalho = Capacidade de aumentar a energia do Trabalho = Capacidade de aumentar a energia do

    sistema; w = quantidade de trabalho realizado sobre um

    i tsistema; w0 = trabalho feito sobre o sistema w>0 trabalho feito sobre o sistema

    Compresso;U = q = no h trabalho realizado;U h l t f idProf.

    Camila Amorim

    U = w = no h calor transferido;U = q + w = 1 lei da termodinmica 14

  • Lei de HessQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 15

    i d l i l A variao da entalpia para qualquer processo depende somente da natureza dos reagentes e produtos e independe do nmeroreagentes e produtos e independe do nmero de etapas do processo ou da maneira como realizada a reao.

    Valores da reao de formao so tabelados e podem ser utilizados para calcular os

    l d d valores de H de outras reaes. A reao de formao aquela em que um

    l d i d t f d timol de um nico produto formado a partir de seus elementos (no combinados):

    C(s) + O (g) CO (g)Prof. Camila

    Amorim

    C(s) + O2(g) CO2(g)15

  • LIGAES INICAS E ENERGIAQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 16

    A i d i i A energia de ionizao dos tomos de metal que deve ser fornecida q parcialmente recuperada pela afinidade eletrnicaafinidade eletrnica dos no-metais.

    A diminuio da energia global que leva formao do slido inico deve-se forteinico deve se forte atrao entre os ctions e nions que ocorre no estado slidoProf.

    Camila Amorim

    ocorre no estado slido16

  • Slidos inicosQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 17

    Ligaes inicas so fortes quantidade Ligaes inicas so fortes = quantidade razovel de energia deve ser fornecida para quebrar um slido inico;para quebrar um slido inico;

    Pontos de fuso e calores de fuso l i lrelativamente alto;

    No retculo cristalino os ons esto presos fracoscondutores de calor econdutores de calor eeletricidade;

    Q d f did l Prof. Camila

    Amorim

    Quando fundidos ou em soluoaquosa conduzem;

    17

  • Por que os slidos inicos so quebradios?

    QUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 18quebradios?

    Slidos original: Golpe de martelo: O slido quebra em arranjo ordenado de ctions e nions

    empurra os ons para posies em que os ctions e os i

    fragmentos resultados das foras repulsivas

    nions se aproximam

    Prof. Camila

    Amorim18

  • LIGAES COVALENTESQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 19

    Ocorre quando dois tomos tem a mesma tendncia de ganhar e perder eltrons.

    Compartilhamento de e-.

    Prof. Camila

    Amorim19

  • LIGAO COVALENTE SIMPLESQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 20

    Prof. Camila

    Amorim20

  • LIGAES COVALENTESQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 21

    Prof. Camila

    Amorim21

  • LIGAES COVALENTES MLTIPLASQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 22

    Prof. Camila

    Amorim22

  • HBRIDO DE RESSONNCIAQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 23

    Al l Algumas vezes no possvel representar uma partcula com uma nica estrutura de L iLewis.

    Molcula de Oznio O3 = existem duas estruturas contribuintes, ou duas estruturas de ressonncia, so duas formas de representar a geometria da molcula = hbrido de ressonncia

    Forma intermediria entre as duas formas possveis

    Prof. Camila

    Amorim

    p23

  • HBRIDO DE RESSONNCIAQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 24

    Prof. Camila

    Amorim24

  • EXCEES REGRA DO OCTETOQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 25

    Prof. Camila

    Amorim25

  • ELETRONEGATIVIDADEQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 26

    A atrao exercida por um tomo sobre o par de e- na sua camada de valncia depende da carga nuclear efetiva e da distncia entre os ncleos e a camada de valncia;

    Eletronegatividade = tendncia relativa gmostrada por um tomo ligado em atrair o par de e-;p ;

    Determinam o quanto um par compartilhadoProf.

    Camila Amorim

    compartilhado26

  • PERIODICIDADE E ELETRONEGATIVIDADE

    QUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 27

    A eletronegatividade tende a crescer da esquerda para direita atravs de um perodo na g q p ptabela devido ao aumento na carga nuclear.Elementos de transio irregularidades resultantes da variao na efetividade da blindagem.Nos grupos a eletronegatividade decresce medida que a camada de valncia se tornaNos grupos a eletronegatividade decresce medida que a camada de valncia se torna mais afastada do ncleo.

    Prof. Camila

    Amorim27

  • ELETRONEGATIVIDADE E TIPO DE LIGAO

    QUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 28LIGAO

    id i tomos idnticos possuem a mesma eletronegatividade eletronegatividade distribuio de cargas na molcula simtrica no polar;no-polar;

    Ligao covalente polar = par de e- no par de e no compartilhado igualmente;

    HF - F possui uma eletronegatividade maior que o H. nuvem eletrnica atrada para oProf.

    Camila Amorim

    eletrnica atrada para o tomos de F. 28

  • POLARIDADE DA LIGAO E ELETRONEGATIVIDADE

    QUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 29ELETRONEGATIVIDADE

    O grau com que um par compartilhado depende daO grau com que um par compartilhado depende da diferena entre as eletronegatividades dos tomos ligados; Quanto maior a diferena de eletronegatividade maisQuanto maior a diferena de eletronegatividade mais polar a ligao;

    Prof. Camila

    Amorim29

  • LIGAO INICA X COVALENTEQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 30

    Prof. Camila

    Amorim30

  • DIFERENA DE ELETRONEGATIVIDADE e POLARIDADE DAS LIGAES

    QUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 31

    Prof. Camila

    Amorim31

  • ENERGIAS DE LIGAOQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 32

    Energia necessria para romper uma ligao especfica;

    Energia de dissociao g geralmente positiva e expressa como H;p ;

    Prof. Camila

    Amorim32

  • Energias mdias de ligao simplesQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 33

    Prof. Camila

    Amorim33

  • Energias mdias de ligaoQUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 34

    Prof. Camila

    Amorim34

  • CICLO DE BORN-HABER: para determinar a energia de ligao

    QUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 35energia de ligao

    Prof. Camila

    Amorim35

  • BALANO DE CARGAS:CARGA FORMAL

    QUMICA GERAL Ligaes Qumicasslide- 36CARGA FORMAL

    C t t i t d Carga que um tomo teria se todos os pares de e- fossem compartilhados por igual = ligaes no-polares;g p ;1. Escrever a estrutura de Lewis2. Atribuir os