Liturgia Diria - Setembro

  • View
    221

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

liturgia do mês de setembro

Text of Liturgia Diria - Setembro

  • 01 de setembro Verde. Sbado da 21 Semana Tempo Comum

    1 Leitura - 1Cor 1,26-31 Deus escolheu o que o mundo considera como estpido.

    Leitura da Primeira Carta de So Paulo aos Corntios 1,26-31

    Irmos, considerai vs mesmos,

    como fostes chamados por Deus.

    Pois entre vs no h muitos sbios de sabedoria humana

    nem muitos poderosos nem muitos nobres.

    Na verdade,

    Deus escolheu o que o mundo considera como estpido,

    para assim confundir os sbios;

    Deus escolheu o que o mundo considera como fraco,

    para assim confundir o que forte;

    Deus escolheu o que para o mundo

    sem importncia e desprezado,

    o que no tem nenhuma serventia,

    para assim mostrar a inutilidade

    do que considerado importante,

    para que ningum possa gloriar-se diante dele.

    graas a ele que vs estais em Cristo Jesus,

    o qual se tornou para ns, da parte de Deus:

    sabedoria, justia, santificao e libertao,

    para que, como est escrito,

    'quem se gloria, glorie-se no Senhor'.

    Palavra do Senhor.

    Salmo - Sl 32,12-13. 18-19. 20-21 (R. Cf. 12b) R. Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herana!

    Feliz o povo cujo Deus o Senhor, *

    e a nao que escolheu por sua herana!

    Dos altos cus o Senhor olha e observa; *

    ele se inclina para olhar todos os homens.R.

    Mas o Senhor pousa o olhar sobre os que o temem, *

    e que confiam esperando em seu amor,

    9para da morte libertar as suas vidas *

    e aliment-los quando tempo de penria.R.

    No Senhor ns esperamos confiantes, *

  • porque ele nosso auxlio e proteo!

    Por isso o nosso corao se alegra nele, *

    seu santo nome nossa nica esperana.R.

    Evangelho - Mt 25,14-30 Como foste fiel na administrao de to

    pouco, vem participar de minha alegria.

    + Proclamao do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus 25,14-30

    Naquele tempo,

    Jesus contou esta parbola a seus discpulos:

    Um homem ia viajar para o estrangeiro.

    Chamou seus empregados e lhes entregou seus bens.

    A um deu cinco talentos,

    a outro deu dois e ao terceiro, um;

    a cada qual de acordo com a sua capacidade.

    Em seguida viajou.

    O empregado que havia recebido cinco talentos

    saiu logo,

    trabalhou com eles, e lucrou outros cinco.

    Do mesmo modo, o que havia recebido dois

    lucrou outros dois.

    Mas aquele que havia recebido um s,

    saiu, cavou um buraco na terra,

    e escondeu o dinheiro do seu patro.

    Depois de muito tempo, o patro voltou

    e foi acertar contas com os empregados.

    20O empregado que havia recebido cinco talentos

    entregou-lhe mais cinco, dizendo:

    `Senhor, tu me entregaste cinco talentos.

    Aqui esto mais cinco que lucrei'.

    O patro lhe disse: `Muito bem, servo bom e fiel!

    como foste fiel na administrao de to pouco,

    eu te confiarei muito mais.

    Vem participar da minha alegria!'

    Chegou tambm o que havia recebido dois talentos,

    e disse:

    `Senhor, tu me entregaste dois talentos.

    Aqui esto mais dois que lucrei'.

    O patro lhe disse: `Muito bem, servo bom e fiel!

    Como foste fiel na administrao de to pouco,

    eu te confiarei muito mais.

    Vem participar da minha alegria!'

    Por fim, chegou aquele que havia recebido um talento,

    e disse: `Senhor, sei que s um homem severo,

    pois colhes onde no plantaste

  • e ceifas onde no semeaste.

    Por isso fiquei com medo

    e escondi o teu talento no cho.

    Aqui tens o que te pertence'.

    O patro lhe respondeu: `Servo mau e preguioso!

    Tu sabias que eu colho onde no plantei

    e que ceifo onde no semeei?

    Ento devias ter depositado meu dinheiro no banco,

    para que, ao voltar,

    eu recebesse com juros o que me pertence.'

    Em seguida, o patro ordenou:

    `Tirai dele o talento e dai-o quele que tem dez!

    Porque a todo aquele que tem

    ser dado mais, e ter em abundncia,

    mas daquele que no tem, at o que tem lhe ser tirado.

    Quanto a este servo intil,

    jogai-o l fora, na escurido.

    Ali haver choro e ranger de dentes!'

    Palavra da Salvao.

  • 02 de setembro Verde. 22 DOMINGO Tempo Comum

    1 Leitura - Dt 4,1-2.6-8 Nada acrescenteis, palavra que vos digo,

    mas guardai os mandamentos do Senhor.

    Leitura do Livro do Deuteronmio 4,1-2.6-8

    Moiss falou ao povo, dizendo:

    'Agora, Israel, ouve as leis e os decretos

    que eu vos ensino a cumprir,

    para que, fazendo-o, vivais

    e entreis na posse da terra prometida

    pelo Senhor Deus de vossos pais.

    Nada acrescenteis, nada tireis, palavra que vos digo,

    mas guardai os mandamentos do Senhor vosso Deus

    que vos prescrevo.

    Vs os guardareis, pois, e os poreis em prtica,

    porque neles est vossa sabedoria

    e inteligncia perante os povos,

    para que, ouvindo todas estas leis, digam:

    'Na verdade, sbia e inteligente esta grande nao!

    Pois, qual a grande nao

    cujos deuses lhe so to prximos

    como o Senhor nosso Deus,

    sempre que o invocamos?

    E que nao haver to grande

    que tenha leis e decretos to justos,

    como esta lei que hoje vos ponho diante dos olhos?

    Palavra do Senhor.

    Salmo - Sl 14,2-3ab.3cd-4ab.5 (R. 1a) R.Senhor, quem morar em vossa casa

    e no vosso monte santo, habitar?

    aquele que caminha sem pecado*

    e pratica a justia fielmente;

    que pensa a verdade no seu ntimo *

    e no solta em calnias sua lngua.R.

    Que em nada prejudica o seu irmo,*

    nem cobre de insultos seu vizinho;

  • que no d valor algum ao homem mpio,*

    mas honra os que respeitam o Senhor.R.

    no empresta o seu dinheiro com usura,

    nem se deixa subornar contra o inocente.*

    Jamais vacilar quem vive assim!R.

    2 Leitura - Tg 1,17-18.21b-22.27 Sede praticantes da Palavra.

    Leitura da Carta de So Tiago 1,17-18.21b-22.27

    Irmos bem-amados:

    Todo dom precioso

    e toda ddiva perfeita vm do alto;

    descem do Pai das luzes,

    no qual no h mudana, nem sombra de variao.

    De livre vontade ele nos gerou,

    pela Palavra da verdade,

    a fim de sermos como que as primcias de suas criaturas.

    Recebei com humildade

    a Palavra que em vs foi implantada,

    e que capaz de salvar as vossas almas.

    Todavia, sede praticantes da Palavra

    e no meros ouvintes,

    enganando-vos a vs mesmos.

    Com efeito, a religio pura e sem mancha

    diante de Deus Pai, esta:

    assistir os rfos e as vivas em suas tribulaes

    e no se deixar contaminar pelo mundo.

    Palavra do Senhor.

    Evangelho - Mc 7,1-8.14-15.21-23 Vs abandonais o mandamento de Deus

    para seguir a tradio dos homens.

    + Proclamao do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos 7,1-8.14-15.21-23

    Naquele tempo:

    Os fariseus e alguns mestres da Lei

    vieram de Jerusalm e se reuniram em torno de Jesus.

    Eles viam que alguns dos seus discpulos

    comiam o po com as mos impuras,

    isto , sem as terem lavado.

  • Com efeito, os fariseus e todos os judeus

    s comem depois de lavar bem as mos,

    seguindo a tradio recebida dos antigos.

    Ao voltar da praa,

    eles no comem sem tomar banho.

    E seguem muitos outros costumes

    que receberam por tradio: a maneira certa de lavar

    copos, jarras e vasilhas de cobre.

    Os fariseus e os mestres da Lei

    perguntaram ento a Jesus:

    'Por que os teus discpulos

    no seguem a tradio dos antigos,

    mas comem o po sem lavar as mos?'

    Jesus respondeu:

    'Bem profetizou Isaas a vosso respeito, hipcritas,

    como est escrito:

    'Este povo me honra com os lbios,

    mas seu corao est longe de mim.

    De nada adianta o culto que me prestam,

    pois as doutrinas que ensinam so preceitos humanos'.

    Vs abandonais o mandamento de Deus

    para seguir a tradio dos homens'.

    Em seguida, Jesus chamou a multido para perto de si

    e disse: 'Escutai todos e compreendei:

    o que torna impuro o homem

    no o que entra nele vindo de fora,

    mas o que sai do seu interior.

    Pois de dentro do corao humano que saem as

    ms intenes, imoralidades, roubos, assassnios,

    adultrios, ambies desmedidas, maldades, fraudes,

    devassido, inveja, calnia, orgulho, falta de juzo.

    Todas estas coisas ms saem de dentro,

    e so elas que tornam impuro o homem'.

    Palavra da Salvao.

  • 03 de setembro Branco. 2-feira da 22 Semana Tempo Comum

    S. Gregrio Magno PpDr, memria

    1 Leitura - 1Cor 2,1-5 Anunciei entre vs o mistrio

    de Cristo crucificado.

    Leitura da Primeira Carta de So Paulo aos Corntios 2,1-5

    Irmos, quando fui vossa cidade

    anunciar-vos o mistrio de Deus,

    no recorri a uma linguagem elevada

    ou ao prestgio da sabedoria humana.

    Pois, entre vs, no julguei saber coisa alguma,

    a no ser Jesus Cristo,

    e este, crucificado.

    Alis, eu estive junto de vs,

    com fraqueza e receio, e muito tremor.

    Tambm a minha palavra e a minha pregao

    no tinham nada dos discursos persuasivos da sabedoria,

    mas eram uma demonstrao do poder do Esprito,

    para que a vossa f se baseasse no poder de Deus

    e no na sabedoria dos homens.

    Palavra do Senhor.

    Salmo - Sl 118,97. 98. 99. 100. 101. 102 (R. 97a) R. Quanto eu amo, Senhor, a vossa lei!

    Quanto eu amo, Senhor, a vossa lei! *

    Permaneo o dia inteir