Logística Reversa: Conceitos e Importância Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins fmarins@feg.unesp.br

  • View
    213

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of Logística Reversa: Conceitos e Importância Fernando Augusto Silva Marins www.feg.unesp.br/~fmarins...

  • Logstica Reversa: Conceitos e ImportnciaFernando Augusto Silva Marins

    www.feg.unesp.br/~fmarinsfmarins@feg.unesp.br

  • *SumrioConceitos Gerais: SC (Supply Chain), SCM (Supply Chain Management) e Logstica

    Logstica Reversa

    Cases

    Comentrios/Leituras recomendadas

  • *Cadeia (Rede) de Suprimentos Geral e Cadeia de Brinquedos

  • *

    Cadeia (Rede) de Suprimentos 1 versus Cadeia (Rede) de Suprimentos 2 ...

  • * Definio de SCM Gerenciamento da Cadeia de Suprimentos

    Abrange o planejamento e gerenciamento de todas as atividades envolvidas no sourcing & procurement, conversion e todas as atividades do Gerenciamento da Logstica. Inclui, tambm, coordenao e colaborao com os parceiros (fornecedores, intermedirios, 3PL, 4PL e clientes).

    SCM integra o gerenciamento da oferta e da demanda dentro e entre empresas.Council of the Supply Chain Professionals http://cscmp.org/

  • *O QUE LOGSTICA? Council of the Supply Chain Professionals http://cscmp.org/

    Parte do SCM: processo de planejar, operar e controlarFluxos e Armazenagem(M-P, Produtos em ProcessoProdutos AcabadosInformaes e Dinheiro)FornecedorClientede forma econmicaeficiente e efetivasatisfazendo as necessidades e preferncias dos clientes

  • *

  • *Como ser o Supply Chain no Futuro?

    Um estudo para 2016 foi publicado pelo GCI Global Commerce Initiative & Consultoria Capgemini.

    Apresenta um novo modelo integrado de SC, que leva em considerao novos parmetros*, aliados s atuais formas de gerenciamento e medio de desempenho (KPIs - Disponibilidade de produto, Custos, Indicadores financeiros ROI).

    http://www.futuresupplychain.com/downloads/*Indicadores de Sustentabilidade: consumo de energia, emisses de gs carbnico, congestionamentos de trnsito, consumo de gua, comprometimento com a segurana, simplificao da infra-estrutura.Tecnologstica, 153

  • *Triple Bottom Line 3BL

  • *DSJI (Dow Jones Sustainability Group Index) ndice de benchmark mais reconhecido mundialmente na questo de sustentabilidade e responsabilidade ambiental. Baseado na anlise dos desempenhos econmicos, ambientais e sociais (3BL com pesos iguais para as trs variveis) de mais de 3000 companhias globais. Empresas que adotam procedimentos operacionais com vistas a reduzir os impactos ambientais de suas atividades esto obtendo em geral um maior retorno financeiro. Ver estudo da Universidade de Granada - Espanha, utilizando a base de dados do DSJI em Material Complementar. A Look at the Sustainable Supply Chain of 2030 http://2011.promatshow.com/seminars/?id=2002 13 sintomas de Supply Chain insustentveis

  • *Green Supply Chainhttp://www.mhia.org/news/green

    - Ten Steps to a Greener Supply Chainhttp://www.mhia.org/video/7572/ten-steps-to-a-greener-supply-chain

  • *Processos de Negcio da Cadeia de SuprimentosFornecedor Nvel 1

    Fornecedor Nvel 2

    Modelo de SCMIntegrando e Gerenciando Processos na Cadeia de SuprimentosLogsticaCompras Marketing & VendasR&DClienteConsumidor/Usurio

    FLUXO DO PRODUTOProduoFinanasFabricanteFluxo de InformaoGlobal Supply Chain Forum - http://www.theglobalsupplychainforum.com/

  • *SCOR - Supply-Chain Operations Reference Model Supply Chain Council - http://supply-chain.org/resources/scor

  • *www.rlec.org/

  • *Definio de Logstica Reversa (RLEC):

    LR o processo de planejamento, implementao e controle do fluxo de matrias-primas, estoque em processo e produtos acabados (e seu fluxo de informao) do ponto de consumo at o ponto de origem, com o objetivo de recapturar valor ou realizar um descarte adequado

  • *Diferenas entre Fluxo Direto e ReversoFluxo DiretoMtodos para Estimao da Demanda.Transporte de Um Ponto a Muitos Pontos.Preo uniforme.Custos Claros e Monitorados por Sistemas de Contabilidade.

    Gesto de Estoques Tradicional.

    Mtodos de Marketing bem Conhecidos.Fluxo ReversoImpossibilidade na Estimao da Demanda.Transporte de Vrios Pontos a Um Ponto.Preo no uniforme.Custos Menos Visveis e poucas vezes contabilizados.

    Gesto de Estoques mais Complexa.Mtodos de Marketing mais Complexos.

  • *Incerteza no Fluxo de RetornoQuantidadeTempoQualidadeDificulta-Planejamento-Gesto de Estoques-Marketing-Influi No Preo

  • *Logstica EmpresarialGerirFluxo DiretoFluxo ReversoLogstica ReversaLogsticaPs-consumoPs-vendaDiferenas

  • *Fluxos na Logstica Reversa

  • *Logstica Reversa de Ps-consumoMotivo dos Retornos

    Fim de Utilidade ao Primeiro Consumidor.

    Fim de Vida til.

    Resduos Industriais.Destino dos Produtos

    Mercado Secundrio.Remanufatura.

    Desmanche.Reciclagem.

    Aterro Sanitrio.Incinerao.

  • *Panorama Logstico ILOS Logstica Reversa 2013

  • *Panorama Logstico ILOS Logstica Reversa 2013

  • *Logstica Reversa de Ps-vendaMotivo do Retorno

    Erros de Expedio.Excesso de estoques.Produtos Sazonais.Produtos Defeituosos.Validade de Expirao.Produtos Danificados no Transporte ou Movimentao.Destino dos Retornos

    Mercado Primrio.Conserto.Mercado Secundrio.Remanufatura.Desmanche.Reciclagem.Aterro Sanitrio.Incinerao.

  • *Relao Consumidor - Logstica ReversaCultura do ConsumoCultura AmbientalistaComprarUsarDisporReduzirReusarReciclarNovo Cliente ConsumidorLegislaes AmbientaisGovernos SociedadeCadeia Produtiva

  • *No Brasil no retornam para uma destinao adequada 85% de plsticos 98% celulares 94% lmpadas de mrcrio 90% embalagens longa vidaFonte: CLRB acessado em novembro de 2012

  • * Questes Ambientais Legislao ambiental

    Europa: CEE - Diretiva 94/12, OCDE/2001 - Extended Producer Responsibility - EPR: embalagens e resduos de embalagens.

    Resoluo CONAMA no. 9 - 31/08/93: leos no-reciclveis.

    Resoluo CONAMA no. 257 - 30/07/99: Pilhas e baterias.

    Resoluo CONAMA no. 258 - 26/08/99: pneus.

    Lei no. 3.369 - 07/01/2000 - Estado do RJ (garrafas e embalagens plsticas) ; Lei 10.813 ( a partir de 25/05/2002) - Estado de SP (amianto em componentes automotivos).PNRS Poltica Nacional de Resduos Slidos

    Conscincia ecolgica dos consumidores

  • Panorama Logstico ILOS Logstica Reversa 2013

  • *Logstica Reversa: instrumento de desenvolvimento econmico e social caracterizado por um conjunto de aes, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituio dos resduos slidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou outra destinao final ambientalmente adequada; Objetivoso reconhecimento do resduo slido reutilizvel e reciclvel como um bem econmico e de valor social, gerador de trabalho e renda e promotor de cidadania; Instrumentosa coleta seletiva, os sistemas de logstica reversa e outras ferramentas relacionadas implementao da responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos; Disposies GeraisNa gesto e gerenciamento de resduos slidos, deve ser observada a seguinte ordem de prioridade: no gerao, reduo, reutilizao, reciclagem, tratamento dos resduos slidos e disposio final ambientalmente adequada dos rejeitos. Lei N 12.305 - 2 /08/ 2010.Poltica Nacional de Resduos Slidos

  • *Artigos Selecionados

    Art. 30. instituda a responsabilidade compartilhada pelo ciclo de vida dos produtos, abrangendo os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes, os consumidores e os titulares dos servios pblicos de limpeza urbana e de manejo de resduos slidos.

    I - compatibilizar interesses entre os agentes econmicos e sociais e os processos de gesto empresarial e mercadolgica com os de gesto ambiental, desenvolvendo estratgias sustentveis;II - promover o aproveitamento de resduos slidos, direcionando-os para a sua cadeia produtiva ou para outras cadeias produtivas;III - reduzir a gerao de resduos slidos, o desperdcio de materiais, a poluio e os danos ambientais;IV - incentivar a utilizao de insumos de menor agressividade ao meio ambiente e de maior sustentabilidade;V - estimular o desenvolvimento de mercado, a produo e o consumo de produtos derivados de materiais reciclados e reciclveis;VI - propiciar que as atividades produtivas alcancem eficincia e sustentabilidade;VII - incentivar as boas prticas de responsabilidade socioambiental.

  • *Artigos Selecionados

    Art. 31. Sem prejuzo das obrigaes estabelecidas no plano de gerenciamento de resduos slidos e com vistas a fortalecer a responsabilidade compartilhada e seus objetivos, os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes tm responsabilidade que abrange: I - investimento no desenvolvimento, na fabricao e na colocao no mercado de produtos:II - divulgao de informaes relativas s formas de evitar, reciclar e eliminar os resduos slidos associados a seus respectivos produtos;III - recolhimento dos produtos e dos resduos remanescentes aps o uso, assim como sua subseqente destinao final ambientalmente adequada, no caso de produtos objeto de sistema de logstica reversa;IV - compromisso de, quando firmados acordos ou termos de compromisso com o Municpio, participar das aes previstas no plano municipal de gesto integrada de resduos slidos, no caso de produtos ainda no inclusos no sistema de logstica reversa.

  • *Artigos Selecionados

    Art. 32. As embalagens devem ser fabricadas com materiais que propiciem a reutilizao ou a reciclagem.

    Art. 33. So obrigados a estruturar e implementar sistemas de logstica reversa, mediante retorno dos produtos aps o uso pelo consumidor, de forma independente do servio pblico de limpeza urbana e de manejo dos resduos slidos, os fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes de:I - agrotxicos, seus resduos e embalagens, assim como outros produtos cuja embalagem, aps o uso, constitua resduo perigoso, o

Recommended

View more >