MANDADO DE SEGURANÇA ?· . 4 1. Mandado de Segurança Fundamentação O Mandado de Segurança é um…

Embed Size (px)

Text of MANDADO DE SEGURANÇA ?· . 4 1. Mandado de Segurança Fundamentação O Mandado de Segurança é...

www.trilhante.com.br

MANDADO DE SEGURANA

NDICE

1. MANDADO DE SEGURANA ....................................................................................... 4

Fundamentao ......................................................................................................................................................................4

Previso legislativa .................................................................................................................................................................4

Natureza Civil ............................................................................................................................................................................. 5

Requisitos do Mandado de Segurana ................................................................................................................... 5

Legitimidade Ativa .................................................................................................................................................................6

Legitimidade Passiva ...........................................................................................................................................................6

Competncia ..............................................................................................................................................................................7

Procedimento ............................................................................................................................................................................8

Medida Cautelar.......................................................................................................................................................................9

Apontamentos finais .......................................................................................................................................................... 10

2. MANDADO DE SEGURANA COLETIVO ............................................................... 12

Previso legal ............................................................................................................................................................................12

Legitimidade ativa .................................................................................................................................................................12

Procedimento ...........................................................................................................................................................................14

Pedidos .........................................................................................................................................................................................15

Recursos ......................................................................................................................................................................................15

3. IDENTIFICANDO A PEA ...........................................................................................20

Caso 1 OAB/FGV XV - 2015 .....................................................................................................................................20

Caso 2 OAB/FGV 2010.2 ..............................................................................................................................................21

Caso 3 OAB/CESPE 2010.1 ........................................................................................................................................22

1 MANDADO DE SEGURANA

www.trilhante.com.br 4

1. Mandado de Segurana

Fundamentao

O Mandado de Segurana um Remdio Constitucional, ou seja, ele deve ser utilizado para assegurar o cumprimento de direitos garantidos na constituio, remediando quaisquer inobservncias deles.

Cabe dizer que o objetivo de Mandado de Segurana promover a garantia de direitos lquidos e certos.

Estes direitos lquidos e certos podem ser pleiteados atravs do mandado de segurana quando forem transgredidos por autoridade pblica ou pessoa jurdica que pratique atividade pblica. A transgresso destes direitos deve ter ocorrido com ilegaligade ou abuso de poder.

Para que? Por quem? Como?

Pleitear direito

lquido e certo

Transgredidos por autoridade pblica ou pessoa

jurdica no exerccio das atribuies do Poder

Pblico

Por ilegalidade ou

abuso de poder

O Mandado de Segurana tem carter residual, ou seja, utilizado quando no for possvel pleitear o direito atravs de outro remdio constitucional (como habeas corpus e habeas data). Em outras palavras, residual porque utilizado em ltimo caso.

Previso legislativa

Art. 5, LXIX da Constituio Federal.

LXIX - conceder-se- mandado de segurana para proteger direito lquido e certo, no amparado por habeas corpus ou habeas data, quando o responsvel pela ilegalidade ou abuso de poder for autoridade pblica ou agente de pessoa jurdica no exerccio de atribuies do Poder Pblico;

O Mandado de Segurana regulado por lei especfica: Lei 12.016/09.

Art. 1 Conceder-se- mandado de segurana para proteger direito lquido e certo, no amparado por habeas corpus ou habeas data, sempre que, ilegalmente ou com abuso de poder, qualquer pessoa fsica ou jurdica sofrer violao ou houver justo receio de sofr-la por parte de autoridade, seja de que categoria for e sejam quais forem as funes que exera.

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2009/lei/l12016.htm

www.trilhante.com.br 5

Natureza Civil

O Mandado de Segurana proteger o direito lquido e certo independentemente do mbito em que este foi transgredido (judicial ou administrativo).

Cumpre destacar que o Mandado de Segurana, por ter natureza civil, no questiona/apura a hiptese de o ato constituir crime ou no, tampouco atribui indenizao a quem sofreu leso ao direito.

O objetivo do Mandado de Segurana, ento, somente de invalidar atos de autoridade ou suprimir efeitos da omisso administrativa que causem leso a direito lquido e certo, por ilegalidade ou abuso de poder.

Exemplo 1: Joo deseja fechar a sua empresa. A documentao e pagamento de tributos da sua empresa esto em dia, no havendo qualquer irregularidade ou bice ao fechamento dela. Ao comparecer ao rgo competente para promov-er a extino de sua empresa, referido rgo denega o pedido sem justificati-vas legais, obrigando Joo a manter a empresa ativa pagando tributos, etc.

Joo pode impetrar Mandado de Segurana requerendo que seu direito lquido e certo (de fechar a sua empresa quando quiser) seja protegido. Isto porque, ao denegar o fechamento, a autoridade competente agiu com ilegalidade/abuso de poder (uma vez cumpridos os necessrios requisitos, no h que se falar em discricionariedade do Poder Pblico em manter a empresa privada aberta).

Exemplo 2: Maria fez curso de Direito em uma universidade privada. Ao con-cluir o curso, tendo cumprido todas as matrias da grade curricular e ter sido

aprovada em seu trabalho de concluso, a Universidade se negou a expedir seu diploma.

Desta feita, Maria pode impetrar Mandado de Segurana requerendo a efetivao do seu direito lquido e certo de ter seu diploma expedido, pois a autoridade (neste caso, pessoa jurdica de direito privado exercendo atividade do Pode Pblico educao) agiu com ilegalidade/abuso de poder ao negar injustamente a expedio do diploma aluna.

Requisitos do Mandado de Segurana

Direito lquido e certo: aquele que pode ser demonstrado mediante prova pr-constituda, sem necessidade de dilao probatria.

www.trilhante.com.br 6

No h instruo probatria no procedimento do Mandado de Segurana! Ora, se ele s remedia inobservncia de direito lquido e certo, se direito lquido aquele aufervel, e certo aquele sobre o qual j se tem certeza, no h porque se falar em instruo probatria.

Ilegalidade ou abuso de poder: ato administrativo vinculado ou discricionrio, perpetrado por autoridade pblica ou agente de pessoa jurdica no exerccio de funo pblica.

Legitimidade Ativa

Ser daquele que demonstrar ser titular do direito lquido e certo transgredido (o qual no pode ser amparado por Habeas Corpus ou Habeas Data).

Pessoa fsica (brasileira ou estrangeira)

Pessoa jurdica (pblica ou privada)

rgos pblicos despersonalizados, mas com capacidade processual (mesas do Legislativo, chefias do Executivo, etc.)

Universalidade de bens (esplio, herana, massa falida, condomnio)

Ministrio Pblico.

Art. 1, 3o Quando o direito ameaado ou violado couber a vrias pessoas, qualquer delas poder requerer o mandado de segurana.

Ateno: este caso no se confunde com o mandado de segurana coletivo, que veremos mais adiante (art. 21 da Lei 12.016/09).

Legitimidade Passiva

Deve figurar no polo passivo do Mandado de Segurana a autoridade ou agente de pessoa jurdica que agiu com ilegalidade ou abuso de poder.

https://www.perguntedireito.com.br/550/diferenca-administrativo-administrativo-discricionario

www.trilhante.com.br 7

Art. 6, 3 Considera-se autoridade coatora aquela que tenha praticado o ato impugnado ou da qual emane a ordem para a sua prtica.

Art. 1, 1 Equiparam-se s autoridades, para os efeitos desta Lei, os representantes ou rgos de partidos polticos e os administradores de entidades autrquicas, bem como os dirigentes de pessoas jurdicas ou as pessoas naturais no exerccio de atribuies do poder pblico, somente no que disser respeito a essas atribuies.

Competncia