Manual Da Sala de Recursos Multifuncionais

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Manual Da Sala de Recursos MultifuncionaisPrograma de Implememtação das Salas de Recursos

Text of Manual Da Sala de Recursos Multifuncionais

  • Manual de Orientao

    Programa de Implantao de

    Sala de Recursos Multifuncionais

    Ministrio da Educao Secretaria de Educao Especial

    2010

  • SUMRIO

    1. ASPECTOS LEGAIS E PEDAGGICOS DO ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO AEE ...................................................................................... 2 1.1. Pblico Alvo do AEE ....................................................................................... 4 1.2. Institucionalizao do AEE no Projeto Poltico Pedaggico............................ 5

    2. OBJETIVOS E AES DO PROGRAMA DE IMPLANTAO DE SALAS DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS ........................................................................ 6 2.1. Critrios para a Implantao das Salas .......................................................... 7 2.2. Adeso, Cadastro e Indicao das Escolas ................................................... 8 2.3. Composio das Salas Tipo I e Tipo II ........................................................... 9

    3. CONDIES GERAIS DA IMPLANTAO DAS SALAS DE RECURSOS MULTIFUNCIONAIS ............................................................................................ 10 3.1. Entrega, Instalao e Garantia dos Recursos ............................................... 11 3.2. Identificao e Segurana dos Recursos .......................................................12 3.3. Doao dos Recursos .................................................................................... 13 3.4. Funcionamento das Salas .............................................................................. 14

    ANEXOS:

    I. Projeto Poltico Pedaggico - PPP II. Manual Passo a Passo do SIGETEC III. Especificao Tcnica dos Equipamentos de Informtica IV. Especificao Tcnica dos Mobilirios V. Especificao Tcnica dos Recursos de Deficincia Visual VI. Especificao Tcnica dos Materiais Didtico/Pedaggicos VII. Termo de Recebimento VIII. Termo de Aceitao

  • 1. ASPECTOS LEGAIS E PEDAGGICOS DO ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO (AEE)

    O Brasil promulga a Conveno sobre os Direitos das Pessoas com Deficincia (ONU/2006), por meio do Decreto n. 6949/2009, assumindo o compromisso de assegurar o acesso das pessoas com deficincia a um sistema educacional inclusivo em todos os nveis e de adotar medidas que garantam as condies para sua efetiva participao, de forma que no sejam excludas do sistema educacional geral sob alegao de deficincia. A incluso educacional um direito do aluno e requer mudanas na concepo e nas prticas de gesto, de sala de aula e de formao de professores, para efetivao do direito de todos escolarizao. No contexto das polticas pblicas para o desenvolvimento inclusivo da escola se insere a organizao das salas de recursos multifuncionais, com a disponibilizao de recursos e de apoio pedaggico para o atendimento s especificidades dos alunos pblico alvo da educao especial matriculados no ensino regular. Fundamentada nos marcos legais e princpios pedaggicos, da igualdade de condies de acesso participao em um sistema educacional inclusivo, a Poltica Nacional de Educao Especial na Perspectiva da Educao Inclusiva (2008) define a Educao Especial como modalidade de ensino transversal a todos os nveis, etapas e modalidades, que disponibiliza recursos e servios e o atendimento educacional especializado, complementar ou suplementar, aos alunos com deficincia, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotao no ensino regular. Por meio do Decreto n 6.571/2008 institudo no mbito do FUNDEB o duplo cmputo da matrcula dos alunos pblico alvo da educao especial, uma efetivada em classe comum da rede pblica de ensino e outra no atendimento educacional especializado (AEE). Conforme definio deste Decreto, as salas de recursos multifuncionais so ambientes dotados de equipamentos, mobilirios e materiais didticos e pedaggicos para a oferta do atendimento educacional especializado. A Resoluo CNE/CEB n 4/2009, estabelece as Diretrizes Operacionais para o Atendimento Educacional Especializado na Educao Bsica, definindo que:

  • Art. 5 O AEE realizado, prioritariamente, nas salas de recursos multifuncionais da prpria escola ou em outra de ensino regular, no turno inverso da escolarizao, no sendo substitutivo s classes comuns, podendo ser realizado, em centro de atendimento educacional especializado de instituio especializada da rede pblica ou de instituio especializada comunitrias, confessionais ou filantrpicas sem fins lucrativos, conveniadas com a secretaria de educao ou rgo equivalente dos estados, do Distrito Federal ou dos municpios.

    A concepo da incluso como parte que integra o processo educacional como um todo, como uma poltica que afeta a estrutura do sistema de ensino e da funo social da escola, que deve ofertar uma escolarizao comum capaz de valorizar as diferenas, atendendo as necessidades especficas dos seus alunos, est expressa nas Diretrizes Nacionais da Educao Bsica, institudas pela Resoluo CNE/CEB n 4/2010. Conforme disposto no 1, art. 1, dessa resoluo:

    Os sistemas de ensino devem matricular os estudantes com deficincia, transtornos globais do desenvolvimento e altas habilidades/superdotao nas classes comuns do ensino regular e no Atendimento Educacional Especializado (AEE), complementar ou suplementar escolarizao ofertado em sala de recursos multifuncionais ou em centros de AEE da rede pblica ou de instituies comunitrias, confessionais ou filantrpicas sem fins lucrativos.

    Portanto, todos os alunos pblico alvo da educao especial devem ser matriculados nas classes comuns, em uma das etapas, nveis ou modalidade da educao bsica, sendo o atendimento educacional especializado AEE ofertado no turno oposto ao do ensino regular, sendo as salas de recursos multifuncionais, o espao a fim de eliminar as barreiras escolarizao e promover a participao com autonomia e independncia dos alunos na escola.

    1.1 Alunos Pblico Alvo do AEE

    A Poltica Nacional de Educao Especial na Perspectiva da Educao Inclusiva tem como objetivos, a oferta do atendimento educacional especializado, o a formao dos professores, a participao da famlia e da comunidade e a articulao intersetorial das polticas pblicas, para a garantia

  • do acesso dos alunos pblico alvo da educao especial no ensino regular. Os alunos pblico-alvo do AEE so definidos da seguinte forma:

    Alunos com deficincia - aqueles que tm impedimentos de longo prazo de natureza fsica, intelectual, mental ou sensorial, os quais, em interao com diversas barreiras, podem ter obstrudo sua participao plena e efetiva na escola e na sociedade;

    Alunos com transtornos globais do desenvolvimento - aqueles que apresentam um quadro de alteraes no desenvolvimento neuropsicomotor, comprometimento nas relaes sociais, na comunicao ou estereotipias motoras. Incluem-se nessa definio alunos com autismo sndromes do espectro do autismo psicose infantil;

    Alunos com altas habilidades ou superdotao - aqueles que apresentam um potencial elevado e grande envolvimento com as reas do conhecimento humano, isoladas ou combinadas: intelectual, acadmica, liderana, psicomotora, artes e criatividade.

    1.2 Institucionalizao do AEE no Projeto Poltico Pedaggico

    Conforme dispe a Resoluo CNE/CEB n 4/2009, art. 10, o PPP da escola de ensino regular deve institucionalizar a oferta do AEE, prevendo na sua organizao:

    I - Sala de recursos multifuncionais: espao fsico, mobilirios, materiais didticos, recursos pedaggicos e de acessibilidade e equipamentos especficos; II - Matrcula no AEE de alunos matriculados no ensino regular da prpria escola ou de outra escola; III - Cronograma de atendimento aos alunos; IV - Plano do AEE: identificao das necessidades educacionais especficas dos alunos, definio dos recursos necessrios e das atividades a serem desenvolvidas; V - Professores para o exerccio do AEE; VI Outros profissionais da educao: tradutor intrprete de Lngua Brasileira de Sinais, guia-intrprete e outros que atuem no apoio, principalmente s atividades de alimentao, higiene e locomoo; VII Redes de apoio no mbito da atuao profissional, da formao, do desenvolvimento da pesquisa, do acesso a recursos, servios e equipamentos, entre outros que maximizem o AEE.

  • Para fins de planejamento, acompanhamento e avaliao dos recursos e estratgias pedaggicas e de acessibilidade utilizadas no processo de escolarizao, a escola institui a oferta desse atendimento, contemplando na elaborao do PPP (ANEXO I), aspectos do seu funcionamento, como:

    Organizao e carga horria para AEE, desenvolvido de forma individual ou em pequenos grupos, de acordo com as necessidades dos alunos;

    Disponibilizao de recursos, servios, materiais didtico-pedaggicos, espao fsico, mobilirios e equipamentos, garantindo condies de acessibilidade fsica, pedaggica, nas comunicaes e informaes;

    Professores para atuao nas salas de recursos multifuncionais e os demais profissionais de apoio, conforme as necessidades dos alunos;

    Articulao entre os professores da educao especial e do ensino regular e a formao continuada de toda a equipe escolar;

    Participao das famlias e a interface com os demais servios pblicos de sade, assistncia, entre outros para o desenvolvimento dos alunos.

    Registro anual no Censo Escolar MEC/INEP das matriculas no AEE dos alunos pblico alvo da educao especial, matriculados no ensino regular da prpria escola e de outras escolas;

    Oferta de vagas no AEE para alunos matriculados no ensino regular de outras escolas da rede pblica, de acordo com a demanda do sistema de ensino.

    O professor do AEE tem como funo realizar esse atendimento de forma complementar ou suplementar a escolarizao, considerando as habilidades e as necessidades especficas dos alunos pblico alvo da educao especial. As atribuies do profes