MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE ENFERMAGEM PARA .FARLEY PEREIRA FELIX MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS

  • View
    218

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE ENFERMAGEM PARA .FARLEY PEREIRA FELIX MANUAL DE NORMAS E...

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS

    CURSO DE ESPECIALIZAO EM ATENO BSICA EM SADE DA FAMLIA

    FARLEY PEREIRA FELIX

    MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE ENFERMAGEM

    PARA A UNIDADE DE SADE DR. MRIO GOMES, INHAPIM,

    MINAS GERAIS

    GOVERNADOR VALADARES MINAS GERAIS

    2013

  • FARLEY PEREIRA FELIX

    MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE ENFERMAGEM

    PARA A UNIDADE DE SADE DR. MRIO GOMES, INHAPIM,

    MINAS GERAIS

    Trabalho de Concluso de Curso apresentado ao

    Curso de Especializao em Ateno Bsica em

    Sade da Famlia, Universidade Federal de Minas

    Gerais, para obteno do Certificado de Especialista.

    Orientador: Prof. Agma LeozinaViana Souza

    GOVERNADOR VALADARES MINAS GERAIS

    2013

  • FARLEY PEREIRA FELIX

    MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS DE ENFERMAGEM

    PARA A UNIDADE DE SADE DR. MRIO GOMES, INHAPIM,

    MINAS GERAIS

    Trabalho de Concluso de Curso apresentado ao

    Curso de Especializao em Ateno Bsica em

    Sade da Famlia, Universidade Federal de Minas

    Gerais, para obteno do Certificado de Especialista.

    Orientador: Prof. Agma LeozinaViana Souza

    Banca Examinadora

    Prof. Agma LeozinaViana Souza- orientador

    Prof Matilde Meire Miranda Cadete- Examinador

    Aprovado em Belo Horizonte: 07 de dezembro de 2013

  • AGRADECIMENTOS

    Agradeo primeiramente a DEUS, que me guiou e me deu discernimento nos momentos de

    angustia, pois sem Ele eu no sou nada.

    Aos tutores e toda a equipe do CEABSF, em especial Ayla Norma e a Fernanda Magalhes

    pela dedicao e zelo.

    minha orientadora Enfermeira Agma Leozina Viana, pela competncia e persistncia em

    direcionar o meu trabalho com entusiasmo.

    Enfermeira Michelle Melo pelo apoio.

    minha famlia, em especial a minha esposa Glria pela compreenso em momentos de

    ausncia.

    Aos funcionrios da Secretaria Municipal de Sade de Inhapim, por caminhar junto comigo,

    meus sinceros agradecimentos.

  • RESUMO

    A partir dos resultados do diagnstico situacional feito pela equipe de sade da famlia

    Esperana, do municpio de Inhapim, Minas Gerais, sentiu-se a necessidade de se ter manuais

    que orientassem aes do seu processo de trabalho, com vistas melhoria na qualidade do

    atendimento prestado aos usurios da unidade Assim, este estudo objetivou elaborar um

    Manual de Normas e Procedimentos de Enfermagem para a Unidade de Sade Dr Mrio

    Gomes, Inhapim, MG. Para a elaborao cientfica deste, utilizaram - se de artigos, manuais e

    livros coerentes com o tema. Pode-se afirmar que os Manuais de Normas e Procedimentos

    so de extrema importncia para que a equipe de enfermagem possa realizar os procedimentos

    de maneira segura.

    Palavras-chave: Manuais. Ateno Primria Sade. Enfermagem.

  • ABSTRACT

    From the results of the situational analysis done by the team of family health Hope, the

    municipality of Inhapim, Minas Gerais, felt the need to take manual actions to gear their work

    process, aiming at improving the quality of care provided to users of the unit this study aimed

    to develop a Manual of Standards and Procedures for Nursing Health Unit Dr Mrio Gomes,

    Inhapim, MG. For the development of this science, used - whether articles, manuals and

    books consistent with the theme. It can be argued that the Manual of Standards and

    Procedures are extremely important for the nursing staff to perform procedures safely.

    Keywords: Handbooks, Primary Health Care, Nursing.

  • LISTA DE ABREVIATURAS

    CEABSF Curso de Especializao em Ateno Bsica em Sade da Famlia

    COREN Conselho Regional de Enfermagem

    EPI Equipamento de Proteo Individual

    ESF Equipe Sade da Famlia

    FR Frequncia Respiratria

    ID Intradrmico

    IM Intramuscular

    IMC ndice de Massa Corporal

    IV Intravenoso

    MS Ministrio da Sade

    PA Permetro Abdominal

    PC Permetro Ceflico

    POP Procedimento Operacional Padro

    PROVAB Programa de Valorizao do Profissional da Ateno Bsica

    PT - Permetro Torcico

    RT Responsvel Tcnico

    SAE Sistematizao da Assistncia de Enfermagem

    SC Subcutneo

    SF Soro Fisiolgico

    SSVV Sinais Vitais

    VO Via Oral

  • SUMRIO

    1 INTRODUO ..................................................................................................................... 6

    2 JUSTIFICATIVA ................................................................................................................ 10

    3 OBJETIVOS ........................................................................................................................ 11

    4 METODOLOGIA ................................................................................................................ 12

    5 REFERENCIAL TERICO ..............................................................................................13

    6 MANUAIS DE NORMAS E PROCEDIMENTOS..........................................................15

    7 CONSIDERAES FINAIS .............................................................................................. 71

    REFERNCIAS ..................................................................................................................... 72

    APNDICES ........................................................................................................................... 74

  • 6

    1 INTRODUO

    O municpio de Inhapim fica a 280 km da capital Belo Horizonte, faz divisa com

    os municpios de Dom Cavati, Iapu, Ubaporanga, So Domingos das Dores, So Sebastio do

    Anta, Imb de Minas, So Joo do Oriente e Caratinga. Fica prximo ao municpio de

    Ipatinga, uma das cidades do polo comercial do vale do ao, de acordo com o Instituto

    Brasileiro de Geografia e Estatstica (IBGE, 2010).

    Segundo o IBGE (2010), Inhapim uma cidade com 24.294 habitantes, que teve

    um crescimento populacional importante nos ltimos anos em funo do xodo rural e da

    instalao de algumas fbricas. Como em vrias cidades brasileiras, esse crescimento no foi

    acompanhado do correspondente crescimento econmico, de infraestrutura e muito menos de

    desenvolvimento social. A cidade vive basicamente da agricultura, as comunidades rurais se

    organizaram em forma de associaes e cooperativas, que vendem suas produes. A

    atividade poltica partidria polarizada entre dois grupos polticos tradicionais que se

    revezam a frente da administrao municipal ao longo de dcadas. A cidade sempre teve forte

    tradio na rea cultural e movimenta a regio com sua Festa do Inhame, anualmente.

    Na rea da sade, o municpio adotou a Estratgia Sade da Famlia (ESF) como

    modelo de reorganizao da Ateno Primria desde 2006 e no ano de 2012 se vinculou ao

    Programa de Valorizao do Profissional da Ateno Bsica PROVAB, criado pelo

    Ministrio da Sade (MS), e tem como pressupostos a consolidao da integrao ensino-

    servio-comunidade e a educao pelo trabalho. Este programa visa o estmulo e a

    valorizao do profissional de sade que atua em equipes multiprofissionais no mbito da

    Ateno Bsica e da Estratgia de Sade da Famlia, conforme previsto no art. 1, da Portaria

    n 2.807/MS/MEC, de 2011 (BRASIL, 2011).

    O municpio hoje conta com 10 equipes de sade da famlia ( ESF), totalizando

    100% de cobertura pela estratgia, que se dividem da seguinte forma:

    ESF Santa Cruz atende a populao do bairro Santa Cruz;

    ESF Brs atende a populao dos crregos dos Brs, Boa Sorte, Mateus, Janurio de Baixo,

    Barra Santo Antnio, Palmeira, So Silvestre, Boa F, Loteamento Ervilha;

    ESF Alegre atende a populao do distrito Alegre e os crregos dos Elias, So Bento, Santa

    Maria, Helenos, Bonfim de Cima, Carreiros, Mato Grosso, So Silvestre, Torres, Bela Fama,

    So Pedro, Crentes, Barra, Bonfim de Baixo, Raposos, Dionsios, Granatos, Divino Milito,

    Gabriel, Clemente, Rosa Mineira, Moreiras, Serra dos Procpios;

  • 7

    ESF Jerusalm atende a populao do distrito Jerusalm, distrito Novo Horizonte e os

    Crregos Barra Rio Preto, Rio Caratinga, Santa Terezinha, Caixa Grande, Caet, Sampaio,

    Cachoeira Alta, Barra So Domingos, Malaquias, Bugre, Prainha, Crispim, Cabeceira da

    Bananeira e Fazenda Santinha do Cu;

    ESF Tabajara atende o distrito Tabajara e os Crregos Valado, Pacheco, Conceio, So

    Luiz, So Tom, Boa Sorte, Ub, Sapucaia, Nova Floresta;

    ESF Taquaral atende a populao do distrito Taquaral e os crregos Pedra Bonita, Cabral,

    Alta do Guilherme, Marciel, Futrica, Nogueira, Gameleira, Santa Cruz, Marques, Juanin,

    Biano, Batista, Barbosa, Parado, Macadame, Emboque, Mariano, Aro, Barreira, Quinto,

    Mangueira;

    ESF Santo Antnio atende a populao do bairro Santo Antnio e os crregos Santo Antnio,

    Matias;

    ESF Itajutiba atende a populao do crrego Itajutiba;

    ESF Santa Clara atende a populao as ruas Alberto Azevedo, Maria Jos Cordeiro, Evander

    Jos Peixoto, Vila Maria, Juquinha Alves, ruas essas do centro, bairro Durval e os crregos

    Boa Vista, Anas, Santa Clara, Marinhos, Cachoeiro, Bernardos, Vila Marques, Ardes, Boa

    Sorte, Valado, Teixeiras, Pita Fogo;

    ESF Esperana atende a populao do Bairro Esperana, Vila Amarildo Rocha, Vila Martins,

    crrego Boa Sorte e o centro.

    A unidade de sade Dr. Mrio Gomes, construda especificamente para abrigar as

    ESF, foi inaugurada no ano de 2008. uma estrutura que abriga a ESF Santa Clara e a ESF

    Esperana que