MARGARETE ROSS PEREIRA PACHECO .que depositaram na minha proposta de trabalho: Oliveira, Nadruz,

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of MARGARETE ROSS PEREIRA PACHECO .que depositaram na minha proposta de trabalho: Oliveira, Nadruz,

  • MARGARETE ROSS PEREIRA PACHECO

    60 ANOS DE FOTOGRAFIA: UM ESTUDO DE MEMRIA SOCIAL SOBRE O

    FOTO-CINE CLUBE GACHO, EM PORTO ALEGRE

    Dissertao apresentada como requisito para

    obteno do ttulo de Mestre em Memria Social

    e Bens Culturais do Centro Universitrio La Salle

    UNILASALLE.

    Orientador: Prof. Dr. Lucas Graeff

    Coorientador: Prof. Dr. Gunter Axt

    CANOAS

    2013

  • MARGARETE ROSS PEREIRA PACHECO

    60 ANOS DE FOTOGRAFIA: UM ESTUDO DE MEMRIA SOCIAL SOBRE O

    FOTO-CINE CLUBE GACHO, EM PORTO ALEGRE

    Dissertao apresentada como requisito para

    obteno do ttulo de Mestre em Memria Social

    e Bens Culturais do Centro Universitrio La Salle

    UNILASALLE.

    Orientador: Prof. Dr. Lucas Graeff

    Coorientador: Prof. Dr. Gunter Axt

    Aprovado em: 15 de julho de 2013

    BANCA EXAMINADORA:

    ____________________________________________________________

    Prof. Dr. Lucas Graeff UNILASALLE (Orientador)

    ____________________________________________________________

    Prof. Dr. Gunter Axt UNILASALLE (Coorientador)

    _____________________________________________________________

    Prof. Dr. Cleusa Maria Gomes Graebin Professora do UNILASALLE

    ______________________________________________________________

    Prof. Dr. Ndia Maria Weber Santos Professora do UNILASALLE

    ______________________________________________________________

    Prof. Dr. Luiz Eduardo Robinson Achutti Professor da UFRGS

  • Ao meu pai,

    Joo Lino Pereira,

    por me ensinar o amor e a curiosidade pela fotografia.

  • AGRADECIMENTOS

    A gratido a memria do corao..

    - Antstenes- Filsofo Grego

    Partindo desta afirmao, agradeo com a memria do meu corao:

    - minha colega ngela Iahnig, pela descoberta, pelas dvidas acerca do Mestrado em

    Memria Social e Bens Culturais e, principalmente, por no ter me deixado desistir, sempre

    me aconselhando firmemente.

    - s queridas colegas de trabalho e amigas Carla, Daiane, Helenara, Jussara, Patrcia e

    Rita que estiveram sempre to pertinho sofrendo e incentivando em todas as etapas, mesmo

    nas mais complexas. E agora, mais recentemente Luciane, com seu ar motivador!

    - Aos meus queridssimos colegas de sala de aula, destacando especialmente todos:

    Adroaldo, ngela, Ana Lygia, Anajara, Aninha, Almeri, Aline, Carla, Elenice, Eliana,

    Elise, Everton, Felipe, Helenara, Hir, Jacira, Katherine, Lenise, Mairi, Maristela,

    Marta, Miguel, Nara, Nilza, Robson, Rosngela, Thas e Telmo.

    - Aos companheiros de grupo que mais proximamente dividiram tarefas, produes,

    apresentaes e jantares em famlia: Anajara, ngela, Helenara, Mairi, Felipe, Hir e

    Jacira.

    - Aos meus queridos ngela, Anajara, Felipe, Helenara, Jacira e Mairi que figuraram em

    diversos momentos e categorias em minha vida e, por isso aparecem repetidamente em meus

    agradecimentos pelo companheirismo e parceria em viagens, apresentao de trabalhos em

    sala de aula ou em eventos, pelos longos momentos de desabafo e apoio mtuo em

    telefonemas, e-mails, torpedos e conversas ao vivo.

    - Aos queridssimos professores Lucas e Underlia, pela confiana na minha proposta de

    trabalho desde o processo seletivo.

    - Aos queridssimos mestres Aline, Judith, Tamara, Inga, Cleusa, Patrcia, Marg, Malu,

    Zil, Ndia, Gunter, Germano, Lucas e Underlia, pelos ensinamentos, trocas e parceria,

    alm da convivncia amorosa.

    - Ao meu brilhante e dedicado orientador, Professor Lucas, pelo seu entusiasmo e juventude,

    que impediram o meu desnimo, mesmo nos momentos mais difceis.

  • - Ao meu amadssimo coorientador, Professor Gunter, modelo de pacincia e cultura e, mais

    do que tudo, para mim, um querido.

    - Coordenao do Curso e Direo do Centro Universitrio UNILASALLE pela

    oportunidade e infraestrutura colocada nossa disposio.

    - equipe de Secretaria do Mestrado Slvia, Franciely e Jssica, pelo incansvel

    atendimento, sem esquecer do Peterson.

    - Sandra e Alice pela parceria e apoio em eventos cientficos e acadmicos.

    - minha querida colega Maria Helena Steffani, modelo de determinao, fonte

    interminvel de conhecimento, carinho e dedicao, por ter-me (re)apresentado ao Foto-Cine

    Clube Gacho.

    - Ao Foto-Cine Clube Gacho, nas pessoas de seus Dirigentes Carlos Alberto Matheus,

    Vasco Jos de Souza, Sergio Hailliot Braga e Nilson Testa - pela obstinao, dedicao e

    conhecimento.

    - Aos fundadores do FCG, Jos Machado de Oliveira Junior e Nestor Ibrahim Nadruz,

    pelo protagonismo e carinho com que me receberam. Estendendo minha admirao aos

    demais integrantes do Grupo LEICA: Robson, Olmiro e Lo Guerreiro, com quem tive a

    alegria de conviver fraternalmente. E tambm brilhante e talentosa Flora Almeida pela

    receptividade e ateno, mesmo que eu tenha demorado a reconhec-la.

    - Aos ex-alunos, scios, ex-scios, professores, gestores e fundadores do FCG que

    participaram e so a razo de ser deste estudo, pelo carinho, tempo dispensado e confiana

    que depositaram na minha proposta de trabalho: Oliveira, Nadruz, Guerreiro, Paulo Strehl,

    Matheus, Calico, Marcelo, Braga, Vasco, Achutti, Celso, Maria Helena, Luciano, Testa,

    Cadinho, Myra, Ricardo, Vnia, Claudionor, Mariza (in memoriam), Gabriela, Eduardo

    Vieira da Cunha, Rafael, Sakakibara e Gunter.

    - Ao Sr. Wolmar Sittoni da Rosa (in memoriam), pela oportunidade de conhec-lo e a quem

    aprendi a admirar pelo amor e dedicao fotografia e, em especial, ao Foto-Cine Clube

    Gacho.

    - Aos meus familiares e amigos prximos que sempre estiveram ao meu lado, entendendo os

    limites da convivncia social impostos para um mestrando.

    - Cristina e Dona Gelci que desempenharam um papel fundamental nesta trajetria, me

    apoiando concretamente e promovendo momentos de caf da tarde animados e

    reconfortantes.

  • - Ao meu pai, Joo Lino, e minha me, Helena, que mesmo enfrentando muitas

    dificuldades ficaram ao meu lado me alimentando amorosamente, mesmo que de forma

    inconsciente. A vocs devo a minha vida!

    - Aos meus queridssimos Marcus e Pri, que so como meus filhos, pelo apoio direto na

    elaborao dos banners, psteres, blogs, abstracts, revises, aulas de ingls, pelos cafs, pelos

    cookies e pela companhia.

    - Ao amor da minha vida, Ilvo, pelo companheirismo, pelo apoio, pela pacincia, pelas

    liberaes, patrocnios (incluindo as mensalidades pagas ao UNILASALLE) e acima de tudo

    pelo amor e pela aceitao dos meus limites e dificuldades. Por toda a minha vida eu vou te

    amar!

    - E ao fim e ao cabo, aos meus amados filhos Camila e Guilherme, por terem me escolhido

    como me e por existirem na minha vida, alm de tambm terem participado das minhas

    atividades acadmicas. Amo, amo, amo...

  • Fotografia uma palavra que nomeia vises bastante diferentes.

    Fotografar uma ao que guarda em si enorme diversidade de

    engajamentos e propsitos. Fotgrafos so seres dspares, nmades

    de origem, que agem na maior parte das vezes como flneurs

    solitrios. Fotografias foram desiguais desde o princpio, embora

    sempre ncoras da memria. Fotografar colecionar fragmentos,

    partes de tudo um pouco. Fotgrafo tem como ofcio retirar do

    caleidoscpio da vida partes planas que, justapostas e fixas, possam

    dar um nexo a ela. Escolher uma frao de tempo para determinado

    espao, espaos no tempo. Registrar a vida e ao mesmo tempo viver

    viver da vida, retirar do turbilho momentos que no percam o

    sentido mesmo que imobilizados e condenados ao passado. Este o

    fazer dos fotgrafos, sejam quais forem eles.

    (Achutti, 2011, p. 73)

  • RESUMO

    Este um estudo de memria social sobre o Foto-Cine Clube Gacho (FCG), em Porto

    Alegre, construdo a partir da anlise de documentos da associao e de entrevistas com ex-

    alunos, scios, ex-scios, professores, gestores e fundadores. A pesquisa destaca a

    importncia do clube para a formao de fotgrafos e amadores ao longo dos mais de sessenta

    anos de existncia da entidade. Busca compreender, sobretudo, as relaes entre as trajetrias

    individuais e profissionais dos entrevistados e a passagem pelo FCG, bem como as

    especificidades da formao em fotografia oferecida no clube. Foram realizados vinte e cinco

    contatos que resultaram em vinte e duas entrevistas. A partir disso, a sistematizao dos dados

    apontou para quatro categorias analticas: A fotografia como vocao, em que famlia,

    profisso e trajetrias profissionais aparecem como cenrios determinantes para os contatos

    iniciais com a prtica fotogrfica; O ato fotogrfico: do segredo revelao, incluindo o

    tratamento da imagem aps sua captura e, principalmente, a aura e a magia que envolve os

    processos laboratoriais de revelao e ampliao das imagens; Entre o olhar e o ver, que

    remete sensibilidade e ao senso esttico que particularizam a fotografia amadora e o amor

    pela fotografia; e A fotografia digital, um bode expiatrio, em que a evoluo das tcnicas e

    prticas fotogrficas, em particular no que se refere fotografia digital, apresentada como o

    principal vetor das transformaes do fotoclubismo e do ponto de vista dos entrevistados, para

    o declnio do FCG enqu