MATERIAL DIDTICO Log­stica

  • View
    5.242

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of MATERIAL DIDTICO Log­stica

FACULDADE DE TECNOLOGIA DE BOTUCATU

MATERIAL DIDTICO

Curso: LOGSTICA E TRANSPORTES

Disciplina: COMUNICAO EMPRESARIAL PORTUGUSPROF DR ADRIANE BELLUCI BELRIO DE CASTRO

1 semestre de 2009

2

PLANO DE AULA Aulas n 1 e 2 Carga horria: 4h/a Unidade n 01 Curso: Logstica e Transportes Disciplina: Comunicao Empresarial - Portugus Professora: Adriane Belluci Belrio de Castro Objetivos especficos Contedos Apresentar o Plano de Ensino Conhecer os fundamentos da teoria da comunicao e as funes da linguagem. Estrutura, processo e funcionamento da Comunicao. Conceitos: Linguagem, Lngua, Fala e Norma. Variao lingustica. Funes da linguagem. Aula expositivo-dialogada. Exerccios orais e escritos. MEDEIROS, J.B. Redao cientfica: a prtica de fichamentos, resumos, resenhas. So Paulo: Atlas, 2000.

Metodologia Bibliografia

LIO DOS GANSOS Quando um Ganso bate as asas, cria um vcuo para o pssaro seguinte. Voando numa formao em V, o bando inteiro tem o seu desempenho 71% melhor do que se a ave voasse sozinha. Lio: Pessoas que compartilham uma direo e senso de comunidade podem atingir seus objetivos mais rpido e mais facilmente, pois esto contando com a ajuda de outros. Sempre que um ganso sai da formao, sente subitamente a resistncia por tentar voar sozinho e, rapidamente, volta para a formao, aproveitando a aspirao da ave imediatamente sua frente. Lio: se tivermos tanta sensibilidade como um ganso, permaneceremos em formao com aqueles que se dirigem para onde pretendemos ir e nos disporemos a aceitar a sua ajuda, assim como prestar a nossa aos outros. Quando o lder se cansa, muda para trs na formao e, imediatamente, um outro ganso assume o lugar, voando para a posio de ponta. Lio: preciso acontecer um revezamento das tarefas pesadas e dividir a liderana. As pessoas, assim como os gansos, so dependentes umas das outras. Os gansos de trs, na formao, grasnam para incentivar e encorajar os da frente a aumentar a velocidade. Lio: Precisamos nos assegurar de que o nosso grasnar encorajador e no alguma outra coisa... Quando um ganso fica doente, ferido ou abatido, dois gansos saem da formao e seguem-no para ajud-lo e proteg-lo, ficam com ele at que esteja apto a voar de novo ou morra. S assim, eles voltam ao procedimento normal, com uma outra formao ou vo atrs do bando.

3 Lio: Se tivermos bom senso quanto os gansos, tambm estaremos ao lado dos outros nos momentos difceis. VARIAO LINGUSTICA Leia com ateno os textos abaixo e descubra de onde cada um dos assaltantes: Ei, bichim...Isso um assalto...Arriba os braos e num se bula, e num faa munganga... Arrebola o dinheiro no mato e no faa pantim, se no enfio a peixeira no teu bucho e boto teu fato pra fora... Perdo meu Padim Cio, mas que eu t com uma fome da molstia. meu rei... (pausa) Isso um assalto... (longa pausa) Levanta os braos, mas no se avexe no... (outra pausa) Se num quiser nem precisa levantar, pra num ficar cansado... Vai passando a grana, bem devagarinho (pausa pra pausa) Num repara se o berro est sem bala, mas pra no ficar muito pesado. No esquenta, meu irmozinho, (pausa) Vou deixar teus documentos na encruzilhada. s, presteno... isso um assarto, uai. Levanta os brao e fica quetin qusse trem na minha mo t cheio de bala... Mi pass logo os trocados que eu num t bo hoje. Vai andando, uai! T esperando o qu, uai! Seguiiiinnte, bicho ... Tu te ferrou, mermo. Isso um assalto. Perdeu, perdeu! Passa a grana e levanta os braos, rap. No fica de bobeira que eu atiro bem pra... Vai andando e se olhar pra trs vira presunto. rra, meu... Isso um assalto, mano. Levanta os braos, mano... Passa a grana logo, mano. Mais rpido, meu, que eu ainda preciso pegar a bilheteria aberta p comprar o ingresso do jogo do Curintia, mano... P, se manda, mano... O guri, ficas atento... Bah, isso um assalto. Levanta os braos e te aquieta, tch! No tentes nada e cuidado que esse faco corta uma barbaridade, tch. Passa as pilas pr c! E te manda a l cria, seno o quarenta e quatro fala. Querido povo brasileiro, estou aqui no horrio nobre da TV para dizer que no final do ms, aumentaremos as seguintes tarifas: Energia, gua, Esgoto, Gs, Passagem de nibus, Imposto de renda, Licenciamento de veculos, Seguro Obrigatrio, Gasolina, lcool, IPTU, IPVA, PI, ICMS, PIS, COFINS, etc. etc. Mas no se preocupem: seremos HEXACAMPEES. (www.osvigaristas.com.br/textos/listas)

Exerccio A seguir, temos a simulao de uma entrevista para a ocupao de um cargo em uma empresa. Nesta entrevista, foram usadas duas variaes lingusticas bem marcadas

4 pelos interlocutores. Nossa tarefa ser a de assumir o papel do entrevistado e adequar o nvel de sua linguagem ao utilizado pela entrevistadora. - Bom dia, sente-se, por favor. Preciso fazer algumas perguntas ao senhor a fim de saber se est devidamente qualificado para o cargo oferecido por nossa empresa. - Ah. Fal, na boa. - Qual o nome do sr., por favor? - Jos Carlos, mas o pessoal l de cs e da rua me chama de Z. - Muito bem, sr. Jos Carlos. Temos uma vaga para o cargo de Assistente Administrativo, mas precisamos que o candidato tenha domnio de algumas habilidades. - Certo. Manda v. - O sr. possui algum conhecimento na rea de informtica? Em nossos dias, conhecimento em informtica imprescindvel para qualquer profissional da rea administrativa. - Sim, eu manjo bastante de informtica, voc sabe, aqueles programas de sempre: Windows, Word, Excel, esses baratos todos. - O sr. costuma acessar a internet? Conhece as principais ferramentas desse instrumento de comunicao? - Nossa, e como! Costumo viajar bastante na internet, conheo muitos sites. - Qual o grau de escolaridade do sr.? - Eu estudei Informtica em uma faculdade e agora t pensando em me especializar em gesto de pessoal. - O sr. fala algum idioma: ingls, espanhol? - Bem, fiz um cursinho de espanhol rpido por causa do Mercosul n. Ingls s no the book is on the table. - O sr. casado? Qual a sua idade? - No, por enquanto t fora... S namoro mesmo. T com 25 anos. - Qual a sua experincia profissional? O sr. j trabalhou em uma empresa de grande porte como esta? - Ah, pra fala a verdade, eu sempre trabalhei como boy em empresas pequenas, mas o meu ltimo trampo foi numa distribuidora de medicamentos empresa grande. - E quais eram as atividades que o sr. desempenhava nesta empresa? - Nossa! Eu fazia um pouco de tudo. s vezes fazia umas coisas no departamento pessoal, depois fui para o financeiro, passei uns meses no CPD... rodei bastante por l. - Muito bem, sr. Jos Carlos. Estou com os dados do sr. aqui. Assim que tivermos uma posio, entramos em contato. Bom dia. - Certo, bom dia, mas o trampo meu?

5

PLANO DE AULA Aulas n 3 e 4 Carga horria: 4h/a Unidade n 02 Curso: Logstica e Transportes Disciplina: Comunicao Empresarial - Portugus Professora: Adriane Belluci Belrio de Castro Objetivos especficos Aprimorar a competncia e a atuao lingustica do aluno no uso do nvel formal da lngua portuguesa, na modalidade escrita, com o enfoque em uma comunicao eficaz. Ler diferentes tipos de texto em situaes especficas de uso. Comunicao escrita. Estratgias de leitura e interpretao de textos.

Contedos

Metodologia

Aula expositivo-dialogada. Exerccios escritos. CASTRO, A.B.B. de et al. Os degraus da produo textual. Bauru, SP: EDUSC, 2003. MEDEIROS, J.B. Redao cientfica: a prtica de fichamentos, resumos, resenhas. So Paulo: Atlas, 2000.

Bibliografia

LEITURA ferramenta para entender o mundo; possibilita o exerccio do raciocnio; responsvel pelas atividades de compreenso, interpretao e reflexo; importante para a formao do cidado, do sujeito social; representa poder e possibilita ascenso

DIFERENAS ENTRE O BOM E O MAU LEITOR

6

BOM LEITOR O bom leitor l rapidamente e entende bem o que l. Tem habilidades e hbitos como: 1. L com objetivo determinado. Ex.: aprender certo assunto, repassar detalhes, responder questes. 2. L unidades de pensamento. Abarca, num relance, o sentido de um grupo de palavras. Relata rapidamente as ideias encontradas numa frase ou pargrafo. 3. Tem vrios padres de velocidade. Ajusta a velocidade da leitura com o assunto que l. Se l uma novela, rpido. Se livro cientfico para guardar detalhes, l mais devagar para entender. 4. Avalia o que l. Pergunta-se freqentemente: Que sentido tem isso para mim? Qual a ideia principal deste trecho? Quais seus fundamentos? 5. Possui bom vocabulrio. Sabe o que muitas palavras significam. capaz de perceber o sentido das palavras novas pelo contexto. Sabe usar dicionrio e o az freqentemente para esclarecer o sentido de certos termos. 6. Tem habilidade para conhecer o valor do livro. Sabe que a primeira coisa a fazer quando se toma um livro indagar de que se trata, atravs do ttulo, dos subttulos encontrados na pgina de rosto e no apenas na capa. L os ttulos do autor. Prefcio. Bibliografia citada. Sabe selecionar o que l. Sabe quando consultar e quando ler. 7. Sabe quando deve ler um livro at o fim, quando interromper a leitura definitivamente ou periodicamente.

Sabe quando e como retomar a leitura, sem perda de tempo e da continuidade.

MAU LEITOR O mau leitor l vagarosamente e entende mal o que l. Tem hbitos como: 1. L sem finalidade. Raramente sabe por que l. 2. L palavra por palavra. Pega o sentido da palavra isoladamente. Esfora-se para juntar os termos para poder entender a frase. Freqentemente tem de reler as palavras. 3. S tem um ritmo de leitura. Seja qual for o assunto, vagarosamente. l sempre

4. Acredita em tudo o que l. Para ele tudo que impresso verdadeiro. Nunca julga criticamente o escritor ou seu ponto de vista. 5. Possui vocabulrio limitado. Sabe o sentido de poucas palavras. Nunca rel uma frase para pegar o sentido de uma palavra difcil ou nova. Raramente consulta o dicionrio. 6. No possui nenhum critrio tcnico para conhecer o valor do livro. Nunca ou raramente l a pgina de rosto do livro, o ndice,