Material Oab

  • View
    1.493

  • Download
    20

Embed Size (px)

Text of Material Oab

ESTUDO DIRIGIDO OAB INTEGRADO COM PS - GRADUAO - 2008 ESTATUTO DA OAB E CDIGO DE TICA E DISCIPLINA 1. Em 5/2/2007, Jos Silva, advogado, notificou pessoalmente seu cliente da renncia ao mandato outorgado nos autos de ao cvel, pelo rito ordinrio, ajuizada pela Unio. O Dirio de Justia de 8/2/2007 publicou a intimao para que as partes especificassem provas que desejavam produzir. Considerando a situao hipottica acima e o que dispe o Estatuto da Advocacia, assinale a opo correta. a) O juiz deve reabrir o prazo para especificao de provas porque uma das partes estava sem advogado nos autos. b) O cliente pode se dirigir diretamente ao juiz e informar as provas que pretende produzir, juntando aos autos a notificao de renncia de seu advogado. c) Jos Silva dever apresentar petio de especificao de provas na hiptese de seu cliente no ter constitudo novo advogado nos autos. d) Jos Silva dever comunicar ao seu cliente da publicao da intimao para que ele providencie outro advogado para cumpri-la. GABARITO: C 2. Com relao ao entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) quanto ao Estatuto da Advocacia, assinale a opo correta. a) direito do advogado ter respeitada a inviolabilidade de seu escritrio ou local de trabalho, de seus arquivos e dados e sua correspondncia e de suas comunicaes, salvo caso de busca e apreenso determinada por magistrado e acompanhada de representante da OAB. b) prescindvel a presena de representante da OAB quando um advogado preso por motivo ligado ao exerccio da advocacia, bem assim, nos casos de crime comum, a comunicao OAB. c) direito do advogado no ser recolhido preso, antes de sentena transitada em julgado, seno em sala de Estado Maior, com instalaes e comodidades condignas, assim reconhecidas pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), e, na falta dessas, ser aplicada priso domiciliar. d) direito do advogado sustentar oralmente, aps o voto do relator, em julgamentos de recursos nos tribunais superiores, pelo prazo de at 15 minutos. GABARITO: A 3. No que se refere organizao da OAB, assinale a opo correta. a) O presidente do Conselho Federal no precisa ser conselheiro federal eleito. b) O presidente do instituto dos advogados estadual membro honorrio e tem direito a voz e voto nas reunies da seccional, pois o instituto rgo da OAB. c) As caixas de assistncia dos advogados tm por objetivo organizar os seguros de sade dos inscritos na OAB e seus familiares, mas no podem promover sua seguridade social complementar. d) A rea da subseo do conselho seccional limita-se do municpio em que estiver situada. GABARITO: A 4. Com relao aos direitos dos advogados, assinale a opo correta de acordo com o Estatuto dos Advogados e a interpretao do STF. a) facultada aos advogados a consulta de autos de processos findos em cartrio, mas a retirada para a extrao de cpias ou estudo no escritrio condicionada existncia de procurao para o advogado que for retir-los. b) O advogado somente pode postular em juzo mediante a apresentao de procurao outorgada pelo cliente. c) A imunidade profissional do advogado pelas manifestaes em juzo no alcana o crime de calnia. d) O advogado no pode recusar-se a depor como testemunha em processo em que tenha atuado, na medida em que ele sempre presta servio pblico e exerce funo social na administrao da justia. GABARITO: C 5. No tocante s sociedades de advogados, assinale a opo correta. a) O CED-OAB no se aplica s sociedades de advogados porque o direito brasileiro no admite a responsabilizao penal da pessoa jurdica. b) vedado s juntas comerciais o registro de sociedade que inclua a atividade de advocacia entre suas finalidades.FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

1

c) vedada a permanncia de nome de scio falecido na razo social da sociedade de advogados. d) possvel que um advogado pertena a mais de uma sociedade de advogados registradas em uma mesma seccional, desde que os respectivos escritrios no patrocinem clientes de interesses opostos. GABARITO: B 6. O advogado Jlio Csar anunciou seus servios profissionais em outdoors na cidade em que exercia suas atividades. Ao lado de sua fotografia de palet e gravata, eram apresentados seu nome, inscrio na OAB, o endereo do escritrio, os nomes de alguns de seus clientes mais famosos na localidade e as frases: A pessoa certa para resolver seus problemas judiciais. A garantia da vitria ou seu dinheiro de volta. Aqui o cliente quem manda. Com base no CED-OAB, assinale a opo correta a propsito da situao hipottica acima. a) A seccional da OAB em que est inscrito Jlio Csar poder abrir processo disciplinar contra ele, desde que haja representao de um de seus clientes arrolados no anncio. b) O anncio em outdoors tipificado como imoderado e vedado pelo CED-OAB. c) possvel o anncio dos servios profissionais de advogados em outdoors, desde que o advogado o faa com discrio quanto ao contedo e a forma. d) No h problema na mera divulgao dos nomes dos clientes na publicidade de Jlio Csar, j que esta uma forma de atrair pessoas com os mesmos tipos de problemas jurdicos. GABARITO: B 7. Em relao ao Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, assinale a opo correta. a) O presidente do Conselho Federal tem direito apenas a voz nas deliberaes do conselho. b) O voto nas deliberaes do Conselho Federal tomado por cada delegao estadual. c) O Conselho Federal o rgo competente para autorizar a instalao de cursos jurdicos no Brasil, inclusive promovendo a recomendao das instituies com melhor aproveitamento nos exames de ordem. d) Compete ao Conselho Federal elaborar a lista sxtupla para indicao dos advogados que concorrero vaga de desembargador do Tribunal de Justia do Distrito Federal e dos Territrios porque a Unio que organiza e mantm o Poder Judicirio daquela unidade da Federao. GABARITO: B 8. Em relao inscrio dos advogados na OAB, assinale a opo correta de acordo com o Estatuto da Advocacia. a) O exerccio em carter definitivo de atividade incompatvel com a advocacia no ano de 2002 implicar o licenciamento do profissional, restaurando-se o nmero da inscrio anterior aps a cessao da incompatibilidade. b) A aprovao em concurso de procurador de municpio autoriza a obteno da inscrio como advogado sem que o interessado se submeta ao exame da ordem. c) Para a inscrio como advogado, necessrio ser brasileiro nato. d) Alm da inscrio principal, o advogado deve promover a inscrio suplementar nos conselhos seccionais em cujos territrios tenha atuao em mais de 5 feitos judiciais por ano. GABARITO: D 9. Em relao ao cargo de procurador-geral de estado da Federao,assinale a opo correta de acordo com o Estatuto da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). a) O candidato ao cargo de procurador-geral estadual deve ter seu nome aprovado pela maioria absoluta do conselho seccional da respectiva unidade da Federao. b) O procurador-geral deve submeter ao conselho seccional do estado consulta para que sejam delimitadas as possibilidades de sua atuao profissional. c) vedada, por estatuto, a possibilidade de procuradores-gerais estaduais e advogado-geral da Unio promoverem a defesa de agentes polticos da administrao pblica. d) O exerccio da advocacia incompatvel com o cargo de procurador-geral, permitindo-se, todavia, a legitimao para tal exerccio quando este estiver vinculado funo exercida, durante o perodo da investidura no cargo. GABARITO: D 10. De acordo com o Estatuto da OAB, julgue os itens a seguir. I O cargo de conselheiro seccional de exerccio gratuito, mas os integrantes da diretoria so remunerados e so contribuintes obrigatrios do regime geral de previdncia social em razo do cargo por realizarem atividades de gerncia de autarquia especial.FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

2

II As caixas de assistncia dos advogados no tm personalidade jurdica prpria, visto que seus dirigentes so eleitos juntamente com os demais integrantes do conselho seccional. III A eleio do Conselho Federal da OAB feita mediante voto indireto. Assinale a opo correta. a) Apenas o item I est certo. b) Apenas o item II est certo. c) Apenas o item III est certo. d) Dois itens esto certos. GABARITO: C 11. Caio, advogado no interior de Minas Gerais, foi procurado por um cliente que pretendia propor reclamao trabalhista contra seu empregador. Na ocasio, o cliente informou a Caio que j recebera todas as verbas rescisrias devidas, mas desejava prejudicar seu empregador, pleiteando-as novamente. Caio, mesmo ciente de toda essa circunstncia, ajuizou a correspondente ao. Nessa situao hipottica, a conduta de Caio caracteriza-se como a) realizao de patrocnio infiel. b) prtica de fraude no processo. c) apropriao indbita. d) lide temerria. GABARITO: D 12. Rubens, advogado inscrito na seccional do Paran da OAB, foi aprovado no concurso para auditor tributrio da Receita Federal, ficando encarregado, aps a posse nesse cargo pblico, da aplicao da legislao tributria na Unio. Considerando essa situao hipottica, assinale a opo correta em relao inscrio de Rubens na OAB. a) Rubens poder exercer a advocacia, exceto em causas contra a fazenda pblica que o remunere. b) Enquanto for auditor, Rubens no poder exercer a advocacia, exceto em causa prpria. c) Rubens poder continuar a exercer a advocacia apenas em relao aos processos ajuizados antes da posse no cargo de auditor. d) A atividade de auditor tributrio , sem qualquer exceo, incompatvel com a da advocacia. GABARITO: D 13. Na administrao da justia, prescinde da presena de advogado a) o recurso extraordinrio interposto no rito dos juizados especiais cveis. b) o habeas corpus perante o STF. c) o mandado de segurana. d) a ao popular. GABARITO: B 14. O surgimento da personalidade jurdica de uma sociedade de advogados ocorre no momento em que a) o registro de seus atos constitutivos for aprovado no conselho seccional da OAB em cuja base territorial a sociedade tiver sede. b) os seus atos constitutivos forem registrados no cartrio de registro de pessoas jurdicas em cuja base territorial a sociedade tiver sede. c) os seus atos constitutivos forem registrados na junta comercial em cuja base territorial a sociedade for sediada. d) for feito o registro dos seus atos constitutivos na junta comercial, seguido da averbao no cadastro de pessoas jurdicas da seccional da OAB em cuja base territorial a sociedade tiver sede. GABARITO: A 15. Em relao aos honorrios advocatcios do advogado profissional liberal, assinale a opo correta. a) Os honorrios de sucumbncia pertencem ao advogado, que pode execut-los ou exigir seu cumprimento de maneira autnoma em relao ao direito de seu cliente. b) O advogado deve receber, no incio de sua atuao em um processo, pelo menos um quarto dos honorrios contratuais da causa. c) A ao de cobrana de honorrios advocatcios imprescritvel. d) Em razo do carter personalssimo da contratao dos servios de um advogado, seu falecimento antes do trmino do processo em que atue encerra o mandato, e os herdeiros no tero direito aos honorrios eventualmente devidos.FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

3

GABARITO: A 16. Quanto inscrio de advogado e de estagirio na OAB, assinale a opo correta de acordo com o Estatuto dos Advogados. a) Para o exerccio da advocacia perante os tribunais superiores, o advogado deve requerer sua inscrio originria no Conselho Federal da OAB. b) A transferncia definitiva de domiclio profissional implica a obrigao de o advogado requerer a transferncia da inscrio para a seccional em cujo territrio passe a atuar. c) A inscrio de estagirio feita na seccional do local de seu domiclio. d) Quando o estagirio exercer atividades em mais de uma unidade da Federao e, em cada uma delas, atuar em mais de cinco causas, a sua inscrio como estagirio suplementar obrigatria. GABARITO: B 17. A edio de provimentos de competncia a) exclusiva do Conselho Federal da OAB. b) privativa do conselho seccional da OAB. c) dos Conselhos Federal e seccionais da OAB, dentro de suas esferas de competncia. d) dos Conselhos Federal e seccionais da OAB e das caixas de assistncia dos advogados. GABARITO: A 18. Um advogado, regularmente inscrito na OAB-RJ e que estava exercendo a advocacia, foi eleito vereador e tomou posse, ocupando atualmente o cargo de 2. Secretrio da Cmara de Vereadores. Considerando a situao hipottica acima, assinale a opo correta acerca da situao daquele advogado junto OAB-RJ e quanto ao exerccio da advocacia. a) Continuar inscrito na OAB-RJ e exercendo a advocacia, proibido de advogar apenas na justia estadual. b) Continuar inscrito na OAB-RJ e exercendo a advocacia, ficando, porm, impedido de advogar contra ou a favor das pessoas jurdicas de direito pblico. c) Ter sua inscrio na OAB-RJ cancelada e, conseqentemente, no poder mais exercer a advocacia, salvo se fizer nova inscrio na OAB. d) Ser licenciado pela OAB-RJ e, conseqentemente, no poder exercer a advocacia durante o tempo em que ocupar a funo. GABARITO: D 19. Um advogado, regularmente inscrito na OAB-RJ e que estava exercendo a advocacia, foi aprovado e empossado no cargo de procurador do estado do Rio de Janeiro, ocupando atualmente o cargo de procurador-geral do municpio de Miguel Pereira. Considerando a situao hipottica acima, assinale a opo correta acerca da situao daquele advogado junto OAB-RJ e quanto ao exerccio da advocacia. a) Continuar inscrito na OAB-RJ e exercendo a advocacia, sendo, porm, exclusivamente legitimado para o exerccio da advocacia vinculada funo que exera, durante o perodo da investidura. b) Ter sua inscrio na OAB-RJ cancelada e, conseqentemente, no poder mais exercer a advocacia, salvo se fizer nova inscrio na OAB. c) Continuar inscrito na OAB-RJ e exercendo a advocacia, ficando, porm, impedido de advogar contra ou a favor das pessoas jurdicas de direito pblico, empresas pblicas, sociedades de economia mista, fundaes pblicas, entidades paraestatais ou empresas concessionrias ou permissionrias de servios pblicos. d) Continuar inscrito na OAB-RJ e exercendo a advocacia, ficando, porm, impedido de advogar contra a fazenda pblica que o remunere ou qual seja vinculada a atividade empregadora. GABARITO: A 20. Um advogado, regularmente inscrito na OAB-RJ, foi contratado por uma empresa em So Paulo, para represent-la em diversas aes judiciais em curso naquele estado. Considerando a situao hipottica acima, assinale a opo correta acerca da situao daquele advogado junto OAB-SP e quanto ao exerccio da advocacia. a) O advogado dever promover uma inscrio suplementar na OAB-SP. b) O advogado dever transferir sua inscrio para a OAB-SP. c) O advogado dever comunicar OAB-SP sua interveno profissional naquele estado, no devendo, entretanto, promover nenhuma inscrio na OAB-SP. d) O advogado pode representar a empresa no estado de So Paulo, sem necessidade de promover qualquer inscrio e nem de comunicar a OAB-SP sua interveno. GABARITO: AFORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

4

21. Com relao a sociedades de advogados, assinale a opo incorreta. a) Alm da sociedade, o scio responde subsidiria e limitadamente pelos danos causados aos clientes por ao ou omisso no exerccio da advocacia, sem prejuzo da responsabilidade disciplinar em que possa incorrer. b) As procuraes devem ser outorgadas individualmente aos advogados e indicar a sociedade de que faam parte. c) A sociedade de advogados adquire personalidade jurdica com o registro aprovado dos seus atos constitutivos no conselho seccional da OAB em cuja base territorial tiver sede. d) Os advogados scios de uma mesma sociedade profissional no podem representar em juzo clientes de interesses opostos. GABARITO: A 22. No que diz respeito aos direitos do advogado empregado, assinale a opo correta. a) O advogado empregado est obrigado prestao de servios profissionais de interesse pessoal dos empregadores, fora da relao de emprego. b) O salrio mnimo profissional do advogado ser fixado por lei estadual. c) As horas trabalhadas no perodo das vinte horas de um dia at as cinco horas do dia seguinte sero remuneradas como noturnas, acrescidas do adicional de 25%. d) As horas trabalhadas que excederem a jornada normal so remuneradas por um adicional no superior a 100% sobre o valor da hora normal, mesmo havendo contrato escrito. GABARITO: C 23. Um advogado, por motivos pessoais, no mais deseja continuar patrocinando uma causa. Nesse caso, com relao ao procedimento correto perante o seu cliente, ele deve a) comunicar ao autor a desistncia do mandato e indicar outro advogado para substitu-lo. b) renunciar ao mandato e continuar representando o autor at ele constituir um novo advogado. c) fazer um substabelecimento sem reservas de poderes para outro advogado e depois comunicar tal fato ao cliente. d) comunicar ao cliente a desistncia do mandato e funcionar no processo nos dez dias subseqentes, se necessrio. GABARITO: D 24. O advogado tem imunidade profissional para se manifestar no exerccio de sua atividade, no podendo ser acusado por a) calnia ou difamao. b) calnia ou injria. c) calnia, injria ou difamao. d) injria ou difamao. GABARITO: D 25. O advogado pode se licenciar a) enquanto persistir a incompatibilidade para o exerccio da profisso. b) enquanto persistir o impedimento para o exerccio da profisso. c) mediante simples requerimento sem justificativa. d) por motivo de doena de qualquer natureza. GABARITO: A 26. So impedidos de exercer a advocacia, segundo o Estatuto da Advocacia e da OAB: a) os militares de qualquer natureza, na ativa; b) os ocupantes de funes de direo e gerncia em instituies financeiras, inclusive privadas; c) o chefe do Poder Executivo e membros da Mesa do Poder Legislativo e seus substitutos legais; d) os servidores da administrao direta, indireta ou fundacional, contra a Fazenda Pblica que os remunere ou qual seja vinculada a entidade empregadora. GABARITO: D 27. Constitui-se infrao disciplinar, punida com pena de suspenso, o advogado que: a) valer-se de agenciador de causas, mediante participao nos honorrios a receber; b) abandonar a causa sem justo motivo ou antes de decorridos dez dias da comunicao da renncia; c) recusar-se a prestar, sem justo motivo, assistncia jurdica, quando nomeado em virtude de impossibilidade da Defensoria Pblica; d) recusar-se, injustificadamente, a prestar contas ao cliente de quantias recebidas dele ou de terceiros por conta dele.FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

5

GABARITO: D 28. Sobre o processo disciplinar na OAB, CORRETO afirmar que: a) o Tribunal de tica e Disciplina do Conselho onde o acusado tenha inscrio principal pode suspend-lo preventivamente, em caso de repercusso prejudicial dignidade da advocacia, depois de ouvi-lo em sesso especial para a qual deve ser notificado a comparecer, salvo se no atender notificao. Nesse caso, o processo disciplinar deve ser concludo no prazo mximo de noventa dias; b) a deciso condenatria irrecorrvel deve ser imediatamente comunicada aos rgos da OAB (Conselho Federal, Conselho Seccional, Subsees e Caixa de Assistncia) para constar dos respectivos assentamentos; c) o poder de punir disciplinarmente os inscritos na OAB compete exclusivamente ao Conselho Federal, salvo se a falta for cometida no mbito da Subseo, quando, ento, esta poder punir o advogado inscrito em seus quadros; d) a jurisdio disciplinar exclui a comum e, quando o fato constituir crime ou contraveno, este pode ser comunicado s autoridades competentes, a critrio do presidente da Seccional. GABARITO: A 29. Sobre os recursos na OAB: a) cabe recurso ao Conselho Federal de todas as decises definitivas proferidas pelo Conselho Seccional, unnimes ou no ou que contrariem ou no o Estatuto da Advocacia e da OAB; b) cabe recurso ao Conselho Seccional de todas as decises proferidas por seu Presidente, pelo Tribunal de tica e Disciplina, ou pela Diretoria da Subseo ou da Caixa de Assistncia dos Advogados; c) todos os recursos tm efeito suspensivo e devolutivo, exceto quando tratarem de eleies, de suspenso preventiva decidida pelo Tribunal de tica e Disciplina, e de cancelamento da inscrio obtida com falsa prova. Nestes casos o recurso dever ser recebido apenas no efeito devolutivo; d) compete ao Cdigo de tica e Disciplina regulamentar o cabimento de recursos especficos, no mbito de cada rgo julgador da OAB. GABARITO: B 30. Sobre o Conselho Federal da OAB, CORRETO afirmar que: a) competente para criar as Subsees e a Caixa de Assistncia dos Advogados; b) competente para decidir os pedidos de inscrio nos quadros de advogados e estagirios nas Seccionais; c) competente para editar e alterar o Regulamento Geral, o Cdigo de tica e Disciplina, e os Provimentos que julgar necessrio; d) competente para fixar, alterar e receber contribuies obrigatrias, preos de servios e multas dos advogados e estagirios. GABARITO: C

FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

6

DIREITO CONSTITUCIONAL 1. No que diz respeito ao Poder constituinte, correto afirmar que a) o Movimento Revolucionrio no considerado uma das formas bsicas de expresso desse Poder. b) as Assemblias Constituintes titularizam esse Poder, enquanto o povo ou a nao seu exercente. c) o titular desse Poder o povo, e seu exercente aquele que, em nome do povo, cria o Estado, editando a nova Constituio. d) as Assemblias Constituintes confundem-se com o processo de outorga que estabelece a Constituio, por declarao bilateral. e) a titularidade e o exercente desse Poder so sempre o Legislativo e o Executivo, auxiliados pelo Judicirio. GABARITO: C 2. No que se refere classificao das constituies, certo que as a) sintticas se formam do produto sempre escrito e flexvel, sistematizado por um rgo governamental, a partir de idias da teoria poltica e do direito dominante. b) dogmticas so frutos da lenta e contnua sntese das tradies e usos de um determinado povo, podendo apresentar-se de forma escrita ou no-escrita. c) formais consistem no conjunto de regras materialmente constitucionais, editadas com legitimidade, estejam ou no codificadas em um nico documento. d) promulgadas se apresentam por meio de imposies do poder de determinada poca, sem a participao popular, tendo natureza imutvel. e) analticas ou dirigentes, examinam e regulamentam todos os assuntos que entendam relevantes formao, destinao e funcionamento do Estado. GABARITO: E 3. No entendimento de doutrinadores, NO considerado, dentre outros, como princpio e regra interpretativa das normas constitucionais, a) a unidade da constituio interpretao de maneira a evitar contradies entre as normas constitucionais. b) o efeito integrador primazia aos critrios favorecedores da integrao poltica e social. c) a concordncia prtica ou a harmonizao coordenao e combinao dos bens jurdicos em conflito. d) a fora normativa da constituio adoo de interpretao que garanta maior eficcia e permanncia das normas constitucionais. e) a adoo da contradio dos princpios os preceitos exigem uma interpretao explcita, excluindo-se a implcita. GABARITO: E 4. Tendo em vista a aplicabilidade das normas constitucionais, considere: I. Doutrinadores adotam as normas constitucionais de eficcia redutvel ou restringvel, como sendo de aplicabilidade imediata ou plena, embora sua eficcia possa ser reduzida ou restringida nos casos e na forma que a lei estabelecer. II. A doutrina reconhece as normas constitucionais de eficcia absoluta como sendo as intangveis; contra elas nem mesmo h o poder de emendar, a exemplo da tripartio de Poderes . III. Certos doutrinadores afirmam que as normas de eficcia plena so de execuo diferida, e no de aplicao ou execuo imediata; mais do que comandos-regras, explicitam comandos-valores, a exemplo de que a ordem econmica, fundada na valorizao do trabalho humano e na livre iniciativa, tem por fim assegurar a todos existncia digna, conforme os ditames da justia social. IV. Os doutrinadores reconhecem as normas programticas como sendo aquelas que apresentam aplicabilidade direta, imediata, reduzida ou no, somente incidindo totalmente sobre interesses, com a normatividade ulterior que lhe desenvolva a aplicabilidade. Est correto o que se afirma APENAS em a) I e II. b) I, II e III. c) I, III e IV.FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

7

d) II e III. e) II e IV. GABARITO: A 5. No que diz respeito ao Poder constituinte, correto afirmar que a) o Movimento Revolucionrio no considerado uma das formas bsicas de expresso desse Poder. b) as Assemblias Constituintes titularizam esse Poder, enquanto o povo ou a nao seu exercente. c) o titular desse Poder o povo, e seu exercente aquele que, em nome do povo, cria o Estado, editando a nova Constituio. d) as Assemblias Constituintes confundem-se com o processo de outorga que estabelece a Constituio, por declarao bilateral. e) a titularidade e o exercente desse Poder so sempre o Legislativo e o Executivo, auxiliados pelo Judicirio. GABARITO: C 6. Em relao ao poder constituinte originrio, pode-se afirmar: a) Envolve processos cognitivos e questes complexas sobre teoria poltica, filosofia, cincia poltica e Teoria da constituio, j que dispe, de maneira derivada, sobre a principal lei de um Estado, sua organizao e os direitos e garantias fundamentais. b) Os positivistas admitem que um poder de direito que se funda num poder natural, do qual resultam regras anteriores ao direito positivo e decorrentes da natureza humana e da prpria idia de justia da comunidade. c) Sua teorizao precedeu historicamente a primeira constituio escrita, tendo como grande colaborador a figura do Abade Emmanuel de Sieys que alguns meses antes da Revoluo Francesa publicou um panfleto intitulado A Essncia da Constituio. d) Sua atividade se d nos casos de necessria evoluo constitucional, onde o texto poder ser modificado atravs de regras e limites jurdicos contidos na norma hipottica fundamental idealizada por Hans Kelsen. e) Na sua atuao poder encontrar implicaes circunstanciais impositivas como por exemplo as presses econmicas, sociais e de grupos particulares, mas fundar sua legitimidade numa pauta advinda da idia de direito da comunidade e de sua tradio cultural. GABARITO: E 7. Sobre o sistema de controle de constitucionalidade, dentre as seguintes alternativas, assinale a INCORRETA: a) No controle de constitucionalidade exercido por via incidental, a deciso judicial ter efeito retroativo (ex tunc), somente inter partes. b) Somente o Governador do Estado, o Procurador Geral da Repblica, o Conselho Federal da OAB e partidos polticos com representao no Congresso Nacional podem propor ao direta de inconstitucionalidade. c) O sistema constitucional brasileiro combina os sistemas de controle concentrado e difuso. d) No controle de constitucionalidade exercido por via incidental, a deciso judicial ter efeito jurdico somente entre as partes. e) A eficcia do controle concentrado erga omnes. GABARITO: B 8. Acerca da Inconstitucionalidade analise as proposies abaixo e marque a alternativa correta: I. A doutrina tem entendido que uma lei formalmente inconstitucional quando elaborada por rgo incompetente (inconstitucionalidade orgnica) ou quando segue procedimento diverso daquele fixado na constituio (inconstitucionalidade formal propriamente dita). II. A inconstitucionalidade por omisso que implica a necessidade de atos administrativos concretos pode ser atacada, segundo a Constituio Federal, por mandado de injuno que um instrumento de efetivao da cidadania para suprir a falta de providncias materiais do poder pblico. III. O Supremo Tribunal Federal admite a inconstitucionalidade implcita (ADI 815-3) que aquela que resulta da antinomia entre as normas constitucionais primrias e os princpios positivados, eis que esses ltimos constituem-se na sntese dos valores e demonstram o esprito da Constituio. a) Somente a afirmativa I est correta.FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

8

b) Somente a afirmativa II est correta. c) Somente a afirmativa III est correta. d) Somente as afirmativas I e II esto corretas. e) Somente as afirmativas I e III esto corretas. GABARITO: A 9. Para defender a supremacia constitucional contra a inconstitucionalidade, a prpria Constituio estabelece tcnica especial, que a teoria do Direito Constitucional denomina de controle de constitucionalidade das leis. Nesse caso, encontram-se os sistemas de controle da constitucionalidade. Diante disso, analise: I. Quando a Constituio submete certas categorias de leis ao controle poltico e outras ao controle jurisdicional, em que as leis federais ficam sob o controle do Congresso Nacional, e as leis locais sob o controle dos Tribunais Superiores, como ocorre na Sua, caracteriza-se o controle como poltico, por ser este o predominante. II. O judicial review, como sendo a faculdade que as Constituies outorgam ao Poder Judicirio de declarar a inconstitucionalidade de lei e de outros atos do Poder Pblico que contrariem, formal ou materialmente, preceitos ou princpios constitucionais, como ocorre nos Estados Unidos da Amrica do Norte, caracteriza o controle como jurisdicional. III. A combinao dos critrios difuso e concentrado, este de competncia do Supremo Tribunal Federal, sendo o controle exercido por via de exceo e por ao direta, declarando a inconstitucionalidade como ocorre no Brasil, e adotado pela Constituio Federal vigente, configura o controle misto. Diante disso, est correto o que se afirma APENAS em a) I. b) II. c) III. d) I e II. e) II e III. GABARITO: B 10. No que diz respeito s inconstitucionalidades, a Constituio Federal vigente prev as espcies denominadas por ao e por omisso. A inconstitucionalidade por a) ao e a por omisso tm como objeto comum tanto os atos legislativos, como os atos administrativos, respectivamente, produzidos ou omitidos com inobservncia Constituio. b) ao ocorre com a produo de atos legislativos ou normativos, excludos os administrativos, que contrariem a compatibilidade vertical e horizontal. c) omisso verifica-se nos casos em que no sejam praticados atos administrativos, excludos os atos legislativos ou normativos, para tornar plenamente aplicveis as normas constitucionais. d) omisso se apresenta nas hipteses em que no sejam praticados atos legislativos ou normativos, excludos os administrativos, para tornar efetivamente aplicveis as normas constitucionais. e) ao tem cabimento nas hipteses da edio de atos administrativos, excludos determinados atos legislativos, como os de natureza municipal, que violem a compatibilidade vertical. GABARITO: A 11. Tratando-se dos direitos e garantias fundamentais, assinale a alternativa INCORRETA: a) Os direitos de liberdade constitucionalmente assegurados so o de locomoo; o de pensamento; o de reunio e de associao; o de profisso; o de ao; o de liberdade sindical e o de greve. b) A desapropriao, consistente em limitao ao direito de propriedade, meio pelo qual o Poder Pblico determina a transferncia compulsria da propriedade particular para o seu patrimnio ou de seus delegados, o que s pode se verificar por necessidade ou utilidade pblica ou por interesse social. c) O princpio da funo social da propriedade est consagrado na Constituio entre os direitos sociais. d) As entidades associativas tm legitimidade para representar seus filiados judicial ou extrajudicialmente, independentemente de autorizao. e) A liberdade de pensamento o direito de exprimir, por qualquer forma, o que se pense em tema de cincia, religio, arte, ou o que for. GABARITO: DFORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

9

12. Acerca dos Direitos e Garantias Fundamentais, analise as proposies abaixo e marque a alternativa correta: I. A Constituio Federal deu enorme relevncia a esses direitos assegurando-os de maneira quase absoluta, mas certas conturbaes sociais podem desencadear a necessidade de supresso temporria de certos direitos no atendimento do interesse do Estado e das instituies democrticas. II. A Constituio Federal compreende-os como sendo os direitos individuais e os direitos coletivos previstos no artigo 5o, excluindo dessa categoria os direitos sociais e os direitos polticos. III. Os direitos republicanos tm surgido na doutrina como uma nova categoria onde o cidado passa a pensar no interesse pblico explicitamente para fazer frente ofensa coisa pblica, como o nepotismo, a corrupo, bem como s polticas de Estado que, a pretexto de se caracterizarem como pblicas, na verdade podem atender a interesses particulares indefensveis. a) Somente a afirmativa I est correta. b) Somente a afirmativa II est correta. c) Somente a afirmativa III est correta. d) Somente as afirmativas I e II esto corretas. e) Somente as afirmativas I e III esto corretas. GABARITO: E 13. Jean Pierre, francs, que se encontra no Brasil h mais de 15 anos, reside atualmente em Palmas TO. Atua como jornalista poltico em uma rdio local e tambm como professor convidado na universidade pblica federal. Jean Pierre fez graves acusaes contra autoridades locais e, por isso, encontra-se processado criminalmente por difamao. Alm disso, Jean Pierre integra uma associao de jornalistas, da qual foi afastado sumariamente por no apoiar a candidatura da chapa vencedora que concorreu direo da citada associao, deciso essa que foi impugnada judicialmente pelo jornalista francs. Diante dessa situao hipottica, assinale a opo correta acerca dos direitos e das garantias fundamentais previstos na Constituio Federal. a) Jean Pierre pode ser extraditado pelo crime apontado, j que no tem a cidadania brasileira. b) A Jean Pierre, embora estrangeiro, se aplicam os direitos e garantias fundamentais previstos na Constituio Federal. c) O direito fundamental ao devido processo legal no se aplica esfera privada da citada associao, mas apenas ao poder pblico, segundo o princpio da liberdade de associao e a vedao de interferncia do Estado no seu funcionamento. d) Para atuar como professor na universidade federal, Jean Pierre deve se submeter obrigatoriamente regra constitucional do concurso pblico. GABARITO: B 14. Acerca dos partidos polticos, direitos polticos e direitos de nacionalidade previstos na Constituio Federal, julgue os seguintes itens. I. Mantidas as atuais regras eleitorais, nas eleies de 2010, os partidos polticos no estaro vinculados, no plano estadual, ao princpio da simetria de coligaes partidrias que se realizem para a eleio presidencial. II. Considere a seguinte situao hipottica. Uma empregada domstica brasileira decidiu buscar emprego em pas estrangeiro que estabelece como critrio de aquisio de nacionalidade o jus sanguinis e l teve um filho, cujo pai, tambm brasileiro, no estava a servio do Brasil. Nessa situao, a criana no poder obter a nacionalidade do pas onde nasceu, mas poder adquirir a nacionalidade brasileira, bastando que o registro seja feito na repartio diplomtica brasileira sediada nesse pas. III. O brasileiro nato no pode ser extraditado pelo governo brasileiro a pedido de governo estrangeiro, a menos que o pas requerente igualmente lhe tenha concedido nacionalidade originria. IV. A Constituio Federal exige a condio de brasileiro nato ao ocupante dos cargos de ministro do STF e de procurador-geral da Repblica. V. Os analfabetos, embora alistveis, no possuem direitos polticos passivos, pois no podem concorrer a cargos eletivos. VI. A infidelidade partidria hiptese no inserta entre as causas de perda do mandato parlamentar, como tem entendido o STF.FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

10

Esto corretas SOMENTE as afirmaes: a) I e III. b) I e IV. c) I, II e III. d) II, III e IV. e) I, V e VI. GABARITO: E 15. Em relao aos remdios constitucionais, assinale a alternativa INCORRETA: a) O mandado de segurana pode ser individual ou coletivo. b) A ao popular ao constitucional cuja legitimidade ativa pertence a qualquer pessoa em pleno gozo de seus direitos polticos. c) A garantia constitucional do direito de petio pode ser exercida por qualquer pessoa, fsica ou jurdica, brasileira ou estrangeira, e somente pode ser dirigida autoridade do Poder Judicirio. d) Na ao civil pblica pode ser pedido o cumprimento de obrigao de fazer ou de no fazer, sob pena de execuo especfica ou cominao de multa diria. e) Qualquer pessoa pode impetrar habeas corpus, inclusive sem advogado. GABARITO: C 16. Considere as seguintes afirmaes sobre os direitos sociais. I. A exegese literal das clusulas ptreas indica que esses direitos fazem parte do ncleo constitucional intangvel conforme texto da nossa Constituio. II. So direitos que exigem do Poder Pblico uma atuao positiva como uma forma de implementao da igualdade social dos hipossuficientes. III. A teoria da reserva do possvel defende a possibilidade de um ativismo judicial no que tange a esses direitos para que haja uma irrestrita implementao pela via judicial. IV. Afirma-se que para sua maior efetividade a Emenda Constitucional no 31/2000, atentando para um dos objetivos fundamentais da nossa Repblica, criou o Fundo de Combate e Erradicao da Pobreza. Esto corretas SOMENTE as afirmaes a) I e III. b) I e IV. c) I, II e III. d) II e IV. e) II, III e IV. GABARITO: D 17. Quanto organizao dos poderes, assinale a opo correta. a) Cada territrio dever ter oito deputados federais. b) A criao ou extino de rgo e ministrios se faz por lei. Mas a Constituio Federal autoriza ao presidente da Repblica, por meio de decreto, alterar a organizao e o funcionamento da administrao federal, desde que isso no importe em aumento de despesa nem em criao ou extino de rgos pblicos. O presidente da Repblica poder, ainda, extinguir cargos pblicos vagos por meio de decreto. c) Ao presidente do STF cabe a iniciativa para propor projeto de lei que vise criar ou extinguir cargos e remunerao de seus servios auxiliares. Essa mesma competncia, em relao ao Ministrio Pblico federal, conferida, pela prpria Constituio Federal, ao procurador-geral da Repblica. d) Ao STF cabe julgar, em sede de recurso ordinrio, as causas em que forem partes Estado estrangeiro ou organismo internacional, de um lado, e, do outro, municpio ou pessoa residente ou domiciliada no Brasil. GABARITO: B 18. Considerando a organizao dos poderes, na forma da Constituio Federal e dos precedentes do STF, assinale a opo correta. a) Na constituio de comisses no mbito parlamentar, ser assegurada, tanto quanto possvel, a representao proporcional dos partidos ou dos blocos parlamentares que participam da respectiva Casa. b) A Constituio Federal no contempla, em nenhuma hiptese, a eleio indireta para presidente da Repblica. c) O Conselho Nacional de Justia integra o Poder Judicirio como rgo administrativo com jurisdio em todo o territrio nacional.FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

11

d) Compete justia eleitoral julgar o crime poltico, com recurso ordinrio para o STF. GABARITO: A 19. A respeito do Poder Legislativo pode-se afirmar: a) Pelo artigo 62 da Constituio Federal, que trata das Medidas Provisrias, considera-se que o Congresso Nacional pode exercer o controle repressivo da constitucionalidade, pois retirar do ordenamento jurdico ato normativo perfeito e acabado apesar do seu carter temporrio. b) Que em mbito federal funciona o bicameralismo do tipo federativo em que os estados so representados pelos senadores, o povo representado pelos deputados federais e os muncipes pelos vereadores. c) O voto secreto para perda do mandato parlamentar, previsto no 2o do artigo 55 da Constituio Federal, considerado clusula ptrea por estar contido na proibio do artigo 60, 4o, II que trata do voto direto, secreto, universal e peridico. d) Segundo o artigo 58 da Constituio, para instalao de uma Comisso Parlamentar de Inqurito necessrio requerimento de um tero dos integrantes dos membros das casas, conjunta ou separadamente, para a apurao de fato determinado e prazo certo, sendo que os parlamentares podem impor penalidades e sanes civis e criminais. e) Segundo a Constituio, os deputados passam a ter imunidade formal a partir de sua diplomao e por isso tm inviolabilidade civil e penal por quaisquer de suas opinies ou votos proferidos em decorrncia de sua atuao. GABARITO: A 20. Julgue os itens subseqentes, relativos a competncias dos poderes, processo legislativo e prerrogativa de foro. I. Em face de deciso de magistrado de primeira instncia que tenha recebido denncia criminal contra parlamentar federal, pode este ajuizar reclamao no STF, por usurpao de competncia dessa corte. II. As hipteses definidoras da competncia do STF resultam de disciplina constitucional, razo por que defeso atividade legislativa ordinria ampli-las de forma a abarcar aes penais que envolvam ex-autoridades e aes de improbidade. III. O STF sufragou entendimento segundo o qual lei ordinria pode equiparar certos cargos de natureza especial ao de ministro de Estado e, assim, garantir aos seus ocupantes a mesma prerrogativa de foro criminal prevista para este. IV. Parlamentares federais, por serem agentes polticos, no respondem por improbidade administrativa, mas por crime de responsabilidade em ao a ser proposta perante o STF. Esto corretas SOMENTE as afirmaes a) I e III. b) I e IV. c) I, II e III. d) II e IV. e) II, III e IV. GABARITO: C 21. Com relao ao processo legislativo, na forma da jurisprudncia do STF, assinale a opo correta. a) A sano presidencial ao projeto de lei de iniciativa parlamentar sobre matria que demanda iniciativa privativa do presidente da Repblica supre a inconstitucionalidade formal inicial desse projeto. b) A matria restrita iniciativa do Poder Executivo no pode ser regulada por emenda constitucional de origem parlamentar. c) Lei estadual que conceda iseno tributria de iniciativa privativa do governador. d) Observados os parmetros estabelecidos na lei de diretrizes oramentrias, a remunerao dos servidores pblicos do Poder Legislativo e do Poder Judicirio matria reservada iniciativa privativa do chefe do Poder Executivo. GABARITO: B 22. Acerca do Poder Executivo, analise as proposies abaixo e marque a alternativa correta: I. O Poder Executivo Federal rene na mesma pessoa chefe de governo e chefe de Estado, cabendo-lhe por determinao do artigo 84 da Constituio Federal, a funo de expedir regulamentos para fiel execuo da lei, o tambm chamado poder regulamentar.FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

12

II. O Poder Executivo estadual poder adotar medidas provisrias, desde que autorizadas pelas constituies estaduais, eis que as regras bsicas do processo legislativo previstas na Constituio Federal podem ser adotadas pelos estadosmembros em face do princpio da simetria conforme j reconheceu o Supremo Tribunal Federal em ao direta de inconstitucionalidade. III. Ter seus chefes com mandato de 4 anos e eleio atravs do sistema majoritrio de dois turnos para Presidente, Governador Estadual e Distrital e Prefeitos de todos os municpios do Brasil. a) Somente a afirmativa I est correta. b) Somente a afirmativa II est correta. c) Somente a afirmativa III est correta. d) Somente as afirmativas I e II esto corretas. e) Somente as afirmativas I e III esto corretas. GABARITO: D 23. Assinale a alternativa INCORRETA: a) O nmero total de Deputados Federais por Estados e pelo Distrito Federal ser estabelecido por lei complementar, proporcionalmente populao, e nenhuma unidade poder ter menos de oito e mais de setenta Deputados. b) Os Estados membros organizam-se e regem-se pelas Constituies e leis que adotarem, devendo observncia aos chamados princpios sensveis constantes da Carta Federal. c) Compete privativamente Unio estabelecer cultos religiosos e organizar e manter o Poder Judicirio, o Ministrio Pblico e a Defensoria Pblica do Distrito Federal e dos Territrios. d) O procedimento legislativo sumrio aquele em que o Presidente da Repblica solicita urgncia para apreciao de projetos de sua iniciativa. e) competncia privativa da Cmara dos Deputados proceder a tomada de contas do Presidente da Repblica quando no apresentadas ao Congresso Nacional dentro de 60 (sessenta) dias aps a abertura da sesso legislativa. GABARITO: C 24. Em relao ao Poder Judicirio, pode-se afirmar: a) A jurisdio uma das faces do poder poltico, por isso, legtimo que o Judicirio goze das autonomias administrativa e financeira, bem como a iniciativa de sua proposta oramentria, garantias essas que foram estendidas s Defensorias Pblicas atravs da Emenda Constitucional no 45. b) Admite-se sua interferncia no controle preventivo de constitucionalidade quando qualquer cidado reclama a prestao jurisdicional durante o processo legislativo. c) A responsabilidade dos integrantes do Poder Judicirio tem como base constitucional a previso por erro judicirio, mas em alguns casos podem ser tambm responsabilizados politicamente. d) No controle incidental a clusula de reserva de plenrio prevista no artigo 97 da Constituio Federal veda a possibilidade de o juiz monocrtico declarar a inconstitucionalidade aps a atuao do rgo especial. e) Para soluo de conflitos fundirios a constituio prev a competncia exclusiva dos Tribunais de Justia dos estados para a criao de varas especializadas para dirimir questes agrrias. GABARITO: C 25. Conforme a Constituio da Repblica Federativa do Brasil: I. Cabe ao STF julgar, mediante recurso extraordinrio, as causas decididas em nica ou ltima instncia, quando a deciso recorrida julgar vlida lei local contestada em face de lei federal. II. Incumbe ao Ministrio Pblico, dentre outras atribuies, a defesa da ordem jurdica, do regime democrtico e dos interesses sociais e individuais indisponveis. O Procurador-Geral de Justia o chefe do Ministrio Pblico do Estado. III. Somente pelo voto da maioria absoluta dos seus membros ou dos membros do respectivo rgo especial podero os tribunais declarar a inconstitucionalidade de lei ou ato normativo do Poder Pblico. IV. O acesso de juzes aos tribunais de segundo grau far-se- por antigidade e merecimento, alternativamente, apurados na ltima entrncia. Esto corretas: a) Todas as proposies esto corretas. b) S a proposio I correta. c) Somente as proposies II e III esto corretas.FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

13

d) S a proposio I incorreta. e) Todas as proposies esto incorretas. GABARITO: A 26. Acerca do Poder Judicirio, INCORRETO afirmar: a) Compete Justia do Trabalho processar e julgar as aes de indenizao por dano moral e patrimonial decorrentes da relao de trabalho. b) Aos Juzes vedado exercer, ainda que em disponibilidade, outro cargo ou funo, salvo uma de magistrio. c) Compete ao Supremo Tribunal Federal processar e julgar, originariamente, nas infraes penais comuns, o Presidente da Repblica, o Vice-Presidente, os membros do Congresso Nacional, seus prprios Ministros, o Procurador-Geral da Repblica e os Governadores dos Estados e do Distrito Federal. d) Compete privativamente aos Tribunais de Justia julgar os juzes estaduais e do Distrito Federal e Territrios, bem como os membros do Ministrio Pblico, nos crimes comuns e de responsabilidade, ressalvada a competncia da Justia Eleitoral. e) Compete ao Superior Tribunal de Justia processar e julgar, originariamente, os conflitos de competncia entre juzes vinculados a tribunais diversos. GABARITO: C 27. Considere as seguintes afirmativas a respeito do Supremo Tribunal Federal: I. composto de nove Ministros, escolhidos dentre cidados com mais de trinta e cinco e menos de sessenta anos de idade, de notvel saber jurdico e reputao ilibada. II. Possui competncia para processar e julgar, originariamente, as causas e os conflitos entre a Unio e os Estados, a Unio e o Distrito Federal, ou entre uns e outros. III. Seus Ministros sero nomeados pelo Presidente da Repblica, depois de aprovada a escolha pela maioria absoluta do Senado Federal. IV. Possui competncia para processar e julgar, originariamente, nos crimes comuns, os membros dos Tribunais de Contas dos Estados e do Distrito Federal. De acordo com a Constituio Federal, est correto o que se afirma APENAS em a) I e II. b) I, III e IV. c) II e III. d) II, III e IV. e) III e IV. GABARITO: C 28. Acerca da defesa do Estado e das instituies democrticas, assinale a opo correta. a) O estado de defesa, que visa restabelecer a ordem na hiptese de comoo grave de repercusso nacional, institudo por meio de decreto do presidente da Repblica e deve ser submetido ao Congresso Nacional. b) Somente na hiptese de decretao do estado de stio, os Conselhos da Repblica e de Defesa Nacional devem ser ouvidos previamente pelo presidente da Repblica, embora essa manifestao no seja vinculativa. c) Conforme a doutrina majoritria, o Poder Judicirio pode reprimir abusos e ilegalidades cometidos nos estados de defesa e de stio, mas no pode perquirir acerca da existncia ou no da convenincia e oportunidade poltica para a sua decretao. d) Conforme entendimento do Superior Tribunal de Justia (STJ), Polcia Federal compete, com exclusividade, apurar as infraes penais cuja prtica tenha repercusso interestadual ou internacional e exija represso uniforme. GABARITO: C 29. Considere as seguintes assertivas a respeito do Estado de Defesa: I. O sigilo de correspondncia e o sigilo de comunicao telegrfica e telefnica so direitos constitucionais que no podem sofrer restries no Estado de Defesa. II. O tempo de durao do Estado de Defesa no ser superior a trinta dias, podendo ser prorrogado uma vez, por igual perodo, se persistirem as razes que justificaram a sua decretao. III. Decretado o Estado de Defesa, o Presidente da Repblica, dentro de vinte e quatro horas, submeter o ato com a respectiva justificao ao Senado Federal.

FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

14

IV. Na vigncia do Estado de Defesa a priso ou deteno de qualquer pessoa no poder ser superior a dez dias, salvo quando autorizada pelo Poder Judicirio. De acordo com a Constituio Federal, est correto o que se afirma APENAS em a) I e II. b) I, II e III. c) I e IV. d) II e IV. e) III e IV. GABARITO: D 30. O Estado de Stio poder ser a) suspenso pelo Conselho de Defesa Nacional. b) decretado pelo Congresso Nacional. c) suspenso pelo Congresso Nacional. d) decretado pelo Conselho de Defesa Nacional. e) suspenso pelo Conselho da Repblica. GABARITO: C

FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

15

DIREITO ADMINISTRATIVO 1. Em relao aos Princpios do Direito Administrativo, assinale a opo correta: a) O princpio da moralidade s pode ser aferido pelos critrios pessoais do administrador. b) So princpios explcitos da Administrao Pblica, entre outros, os da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficincia. c) O princpio da razoabilidade ou proporcionalidade no princpio consagrado sequer implicitamente. d) O princpio da publicidade obriga a presena do nome do administrador nos atos, obras, servios e campanhas do Poder Pblico. e) O princpio da motivao no exige a indicao dos pressupostos de fato e de direito que determinarem a deciso administrativa. GABARITO: B 2. De acordo com o princpio da publicidade administrativa, a) o ato administrativo deve ser sempre publicado em stio do rgo ou entidade pblica na Internet. b) pode haver sigilo de informaes administrativas quando tal for imprescindvel segurana do Estado e da sociedade. c) no se admite qualquer espcie de sigilo no exerccio de funes administrativas. d) s existem atos administrativos escritos e sua eficcia sempre condicionada publicao no Dirio Oficial. GABARITO: B 3. Acerca da organizao da administrao pblica, assinale a opo correta. a) A administrao direta abrange todos os rgos do Poder Executivo, excluindo-se os rgos dos Poderes Judicirio e Legislativo. b) As autarquias profissionais de regime especial, como a Ordem dos Advogados do Brasil e as agncias reguladoras, submetem-se ao controle do Tribunal de Contas da Unio. c) As empresas pblicas e as sociedades de economia mista que exploram atividade econmica em regime de monoplio submetem-se ao regime jurdico prprio das empresas privadas. d) Enquanto a administrao pblica extroversa finalstica, dado que ela atribuda especificamente a cada ente poltico, obedecendo a uma partilha constitucional de competncias, a administrao pblica introversa instrumental, visto que atribuda genericamente a todos os entes, para que possam atingir aqueles objetivos. GABARITO: D 4. Segundo as normas gerais da Administrao Pblica: I. A Administrao pode desfazer seus prprios atos por consideraes de mrito e de ilegalidade, ao passo que o Judicirio s os pode invalidar quando ilegais. II. A revogao o desfazimento do ato por motivo de convenincia ou oportunidade da Administrao. III. Decreto independente ou autnomo o que dispe sobre matria regulada especificamente em lei. IV. Os efeitos da anulao dos atos administrativos sempre retroagem s suas origens, invalidando, sem exceo, as conseqncias passadas, presente e futuras. a) S a proposio II correta. b) Todas as proposies so corretas. c) S a proposio I correta. d) Somente as proposies I e II esto corretas. e) Todas as proposies so incorretas. GABARITO: D 5. Acerca dos quatro setores da economia, os quais repercutem na atuao da administrao pblica, julgue os itens subseqentes. I. A ao de controle do Estado sobre organizaes do terceiro setor que recebem, utilizam e gerenciam recursos pblicos est amparada na Constituio Federal. Com o controle estatal, objetiva-se assegurar no apenas a regular aplicao dos recursos pblicos transferidos, mas tambm a observncia dos princpios da legitimidade e da economicidade na aplicao desses recursos, de forma a preservar o bem pblico, a correta identificao dos beneficirios e a minimizao dos custos dos recursos utilizados na consecuo das atividades, sem comprometimento dos padres de qualidade, buscando-se, em suma, a eficincia alocativa do dinheiro pblico.FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

16

II. A qualificao de entidades como organizaes sociais e a celebrao de contratos de gesto tiveram origem na necessidade de se desburocratizar e otimizar a prestao de servios coletividade, bem como de se viabilizarem o fomento e a execuo de atividades relativas s reas especificadas na Lei n. 9.637/1998, como ensino, pesquisa cientfica, desenvolvimento tecnolgico, proteo e preservao do meio ambiente, cultura e sade. III. O quarto setor o espao institucional que abriga um conjunto de aes de carter privado, associativo e voluntarista e, em geral, estruturado e voltado para a gerao de bens e servios pblicos de consumo coletivo. IV. O Estado compe o primeiro setor, ao passo que o mercado configura o segundo setor. Esto corretas SOMENTE as afirmaes: a) I e III. b) I e IV. c) I, II e IV. d) III e IV. e) II, III e IV. GABARITO: C 6. Acerca das entidades paraestatais e do terceiro setor, assinale a opo correta. a) As entidades paraestatais esto includas no denominado terceiro setor. b) As organizaes sociais so pessoas jurdicas de direito privado, sem fins lucrativos, institudas por iniciativa de particulares, para desempenhar atividade tpica de Estado. c) As organizaes da sociedade civil de interesse pblico celebram contrato de gesto, ao passo que as organizaes sociais celebram termo de parceria. d) As entidades do denominado sistema S (SESI, SESC, SENAI, SENAC) no se submetem regra da licitao nem a controle pelo TCU. GABARITO: A 7. Com referncia responsabilidade do funcionrio pblico, assinale a alternativa INCORRETA. a) Pela falta residual, no compreendida na absolvio pelo juzo criminal, admissvel a punio administrativa do servidor pblico. b) A responsabilidade administrativa do servidor denunciado por ilcito penal ser afastada no caso de absolvio criminal que negue a existncia do fato ou da sua autoria. c) A administrao pblica no necessita aguardar a concluso do processo criminal, para iniciar e concluir o procedimento administrativo-disciplinar, aplicando a pena que a lei autorizar. d) A responsabilidade objetiva do Estado se verifica mesmo em relao aos atos do servidor praticados fora das funes pblicas. e) Ainda que haja o ressarcimento integral do dano, vedada a transao, o acordo ou a conciliao na ao de improbidade, de que trata a Lei no 8.429/92. GABARITO: D 8. Considere: I. No s os administradores pblicos como toda entidade que recebe dinheiro pblico ou administra dinheiro pblico deve prestar contas. II. A distribuio de competncias de uma para outra pessoa, fsica ou jurdica, caracterstica prpria da descentralizao. III. As entidades da Administrao Pblica indireta podem ter personalidade jurdica de direito pblico ou privado, mas sempre devem ser criadas por lei. IV. O dever de probidade consiste na imposio a todo agente pblico de realizar suas atribuies com perfeio e rendimento funcional. Est correto o que se afirma APENAS em a) III e IV. b) II e IV. c) II, III e IV. d) I e II. e) I, II e III. GABARITO: E 9. A revogao de ato administrativo, por motivos de convenincia e oportunidade, a) no precisa respeitar direitos de terceiros, pois de ato administrativo revogado no advm direitos.FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

17

b) pode ser efetuada por autoridade superior que editou o ato, mesmo se houver lei especfica de atribuio de competncia. c) apenas possvel nos atos administrativos discricionrios, no cabendo nos atos vinculados. d) deve observar o prazo decadencial de 5 (cinco) anos, aps o qual no poder mais se operar. e) s cabe nos atos administrativos materiais, no podendo ser exercida em atos normativos. GABARITO: C 10. Quanto aos direitos e vantagens do servidor pblico correto que a) as vantagens pecunirias sero computadas ou acumuladas, para efeito de concesso de quaisquer outros acrscimos pecunirios ulteriores, desde que sob o mesmo ttulo ou idntico fundamento. b) o vencimento, a remunerao e o provento no sero objeto de arresto, seqestro ou penhora, exceto nos casos de prestao de alimentos resultante de deciso judicial. c) no ser concedida ajuda de custo quele que, sendo servidor da Unio, for nomeado para cargo em comisso, com mudana de domiclio. d) nos casos em que o deslocamento da sede constituir exigncia permanente do cargo, o servidor far jus a dirias. e) somente ser permitido servio extraordinrio para atender a situaes permanentes, respeitado o limite mximo de 4 (quatro) horas por jornada. GABARITO: B 11. Considere: I. A investidura em cargo pblico ocorrer com a nomeao. II. A exonerao de cargo em comisso e a dispensa de funo de confiana dar-se-, dentre outras hipteses, quando no satisfeitas as condies do estgio probatrio. III. Os servidores ocupantes de cargo de natureza especial tero substitutos indicados no regimento interno ou, no caso de omisso, previamente designados pelo dirigente mximo do rgo ou entidade. IV. O servidor ocupante de cargo em comisso poder ser nomeado para ter exerccio, interinamente, em outro cargo de confiana, sem prejuzo das atribuies do que atualmente ocupa, hiptese em que dever optar pela remunerao de um deles durante o perodo da interinidade. V. A reverso a reinvestidura do servidor estvel no cargo resultante de sua transformao, quando invalidada a sua demisso por deciso judicial, sem ressarcimento de vantagens. Esto corretas APENAS as afirmativas a) I, II e III. b) I, IV e V. c) I e V. d) II, III e IV. e) III e IV. GABARITO: E 12. Sobre Poderes Administrativos pode-se afirmar: I. Poder vinculado aquele que o Direito Positivo a lei confere Administrao Pblica para a prtica de ato de sua competncia, determinando os requisitos necessrios sua formalizao. II. Poder discricionrio o que o Direito concede Administrao, de modo explcito ou implcito, para a prtica de atos administrativos com liberdade na escolha de sua convenincia, oportunidade e contedo. III. O poder hierrquico tem por objetivo ordenar, coordenar, controlar e corrigir as atividades administrativa, no mbito interno da Administrao Pblica. IV. Toda condenao criminal por delito funcional acarreta a punio disciplinar, mas nem toda falta administrativa exige sano penal. a) Somente a proposio I incorreta. b) Todas as proposies esto corretas. c) Todas as proposies esto incorretas. d) Somente a proposio I correta. e) Nenhuma das alternativas. GABARITO: B 13. Quanto aos agentes pblicos e aos poderes da administrao, assinale a opo correta.FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

18

a) O poder da prpria administrao de rever o seu ato, por parte de seu superior hierrquico, encontra-se restringido pela decadncia de 5 anos, nos termos da Lei n. 9.784/1999. b) inconstitucional, conforme entendimento do STF, toda modalidade de provimento que propicie ao servidor investir-se, sem prvia aprovao em concurso pblico destinado ao seu provimento, em cargo que no integra a carreira na qual seja anteriormente investido. c) So atributos especficos do poder de polcia a presuno de legitimidade e veracidade, a autoexecutoriedade e a imperatividade. d) O servidor pblico estatutrio em dbito com o errio, que for demitido, exonerado ou tiver a sua aposentadoria cassada, ter o prazo de 30 dias para quitar o dbito, sob pena de imediata execuo, sendo desnecessria a prvia inscrio em dvida ativa. GABARITO: B 14. A respeito dos agentes pblicos, assinale a opo correta. a) Considere que um cidado ocupe cargo efetivo de professor em determinado municpio e tenha sido aprovado em concurso pblico de tcnico judicirio, cargo acessvel aos que detenham nvel mdio de escolaridade, em qualquer rea do conhecimento. Nessa situao, os dois cargos referidos so acumulveis. b) A demisso de servidor pblico tem natureza punitiva, enquanto a exonerao no tem esse carter. c) Ao servidor pblico que tomou posse aps a Emenda Constitucional n. 41/2003 sero exigidos para aposentadoria por invalidez os seguintes requisitos: 10 anos de tempo de servio pblico, 5 anos no cargo efetivo em que se dar a aposentadoria, idade mnima de 60 anos para os homens e 55 para as mulheres e tempo de contribuio de 35 anos para o homem e de 30 anos para as mulheres. d) Os particulares em colaborao com o poder pblico so considerados servidores pblicos. GABARITO: B 15. No exerccio do poder sancionador da administrao pblica, a) devem ser observados os princpios da ampla defesa prvia e da proporcionalidade na dosimetria da sano. b) as sanes de interdio de estabelecimento, de demolio de obra irregular e de multa pecuniria so dotadas da prerrogativa de auto-executoriedade direta pela administrao sancionadora. c) incide o mesmo princpio da tipicidade estrita aplicvel s sanes de natureza penal. d) no se admite o exerccio da discricionariedade administrativa. GABARITO: A 16. No que tange ao poder de polcia, INCORRETO afirmar que a a) sua finalidade s deve atender ao interesse pblico, sendo injustificvel o seu exerccio para beneficiar ou prejudicar pessoa determinada. b) Administrao Pblica exerce tal poder, dentre outras formas, por meio de atos administrativos com caractersticas preventivas, com o fim de adequar o comportamento individual lei, como ocorre na autorizao. c) Administrao Pblica exerce tal poder, dentre outras formas, por meio de atos administrativos com caractersticas repressivas, com o fim de coagir o infrator a cumprir a lei, como ocorre na interdio de um estabelecimento. d) discricionariedade, a auto-executoriedade e a coercibilidade so considerados atributos do poder de polcia. e) Administrao Pblica sempre atuar com discricionariedade, pois ao limitar o exerccio dos direitos individuais, poder decidir qual o melhor momento para agir. GABARITO: E 17. Em relao aos Atos administrativos vinculados e discricionrios, assinale a opo correta: a) A discricionariedade a liberdade de agir da Administrao, podendo ingressar na esfera da arbitrariedade, havendo interesse pblico. b) No exerccio do poder disciplinar, a Administrao pode agir discricionariamente, quer para apurar a infrao, quer para aplicar as penalidades. c) Ocorrer vcio em relao ao objeto quando for inocorrente o motivo em que se apoiou o ato administrativo. d) Atendidos os pressupostos prprios para a prtica do ato vinculado, a Administrao no dispe de liberdade de no pratic-lo, salvo no que se refere ao critrio de convenincia.

FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

19

e) No exerccio do poder disciplinar, a Administrao no tem liberdade de escolha, de modo que, tendo conhecimento da falta, deve instaurar o procedimento adequado. GABARITO: E 18. Em relao ao controle do ato administrativo, correto afirmar que a) a revogao do ato administrativo legal e eficaz compete apenas Administrao Pblica e produzir efeito ex-nunc. b) a anulao do ato administrativo legal e eficaz compete apenas Administrao Pblica e produzir efeito ex-tunc. c) a revogao pode ser declarada tanto pela Administrao Pblica quanto pelo Poder Judicirio, quando provocado. d) a existncia de ilegalidade sempre pressuposto da revogao do ato administrativo. e) no pode ser anulado o ato administrativo com vcio de legalidade, caso j tenha o mesmo produzido efeito. GABARITO: A 19. Acerca dos atos administrativos e de sua abordagem pela doutrina, julgue os itens: I. Os pareceres jurdicos e os decretos regulamentares so atos administrativos. II. So atributos dos atos administrativos: a imperatividade, a auto-executoriedade e a presuno de legitimidade ou veracidade. III. Todo ato administrativo discricionrio deve ter, necessariamente, um motivo ou uma motivao. IV. A licena um ato administrativo unilateral mas no vinculado. Esto corretas APENAS as afirmativas a) I, II e III. b) I, IV e V. c) II. d) II, III e IV. e) III e IV. GABARITO: C 20. Acerca de atos e contratos administrativos, assinale a opo correta. a) O ato complexo se iguala, conforme entendimento da doutrina, ao contrato administrativo, pois h, em alguns casos, a conjugao de vontades de rgos distintos para a formao do ato. b) A competncia um dos requisitos do ato administrativo e pode ser alterada, mesmo sem autorizao legal, por vontade do administrador por meio do instituto da delegao. c) A clusula contratual exceptio non adimpleti contractus no se aplica, em regra, aos contratos administrativos, quando a falta da prpria administrao. No entanto, aplica-se esta clusula quando houver o atraso, sem motivo justificado, por prazo superior a 90 dias, do pagamento devido pela administrao. d) No se configura uma clusula exorbitante do contrato administrativo a possibilidade de aplicao de sano motivada pela inexecuo total ou parcial do contrato, j que no se pode confundir o contrato administrativo com o poder de polcia da administrao. GABARITO: C 21. Em determinado concurso pblico para provimento de vagas para o cargo efetivo de analista legislativo da Assemblia Legislativa do Estado de Gois, Joo foi aprovado em primeiro lugar para as vagas destinadas a deficientes fsicos. O edital desse concurso, publicado em dezembro de 2004, previa que 5% das vagas seriam destinadas a deficientes fsicos. Maria, aprovada em primeiro lugar no referido concurso, na classificao geral, foi excluda do concurso no exame psicotcnico. Pedro, aprovado em segundo lugar na classificao geral, com nota superior de Joo, foi nomeado e, posteriormente, empossado, em uma das vagas disponveis, em 5 de julho de 2005, encontrando-se atualmente em estgio probatrio. Com relao a essa situao hipottica, e acerca do servio pblico, assinale a opo correta. a) A criao, a transformao e a extino de cargos pblicos, bem como a sua remunerao, no mbito do Poder Legislativo, em simetria com o que ocorre no mbito do Congresso Nacional, devem ser feitas por meio de resoluo. b) Conforme entendimento do STF, os exames psicotcnicos somente podero ser exigidos em concursos pblicos se houver expressa previso no respectivo edital, no qual sero estabelecidos, ainda, os critrios objetivos de reconhecido carter cientfico para a avaliao dos candidatos e a possibilidade de recurso na esfera administrativa.

FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

20

c) O estgio probatrio de Pedro, considerando o que prev a Lei n. 8.112/1990, acabar em julho de 2007. d) Caso houvesse uma vaga disponvel para o referido cargo no concurso objeto da hiptese em apreo, essa vaga deveria ser destinada aos deficientes fsicos. GABARITO: C 22. Acerca dos servios pblicos e da organizao administrativa, assinale a opo correta. a) Servio pblico somente pode ser concedido para entidades privadas. b) As autarquias e fundaes pblicas compem a administrao pblica direta, enquanto as empresas pblicas e as sociedades de economia mista compe a administrao pblica indireta. c) Desconcentrao o fenmeno que transfere determinado servio pblico para outros entes, dotados de personalidade jurdica prpria. d) As autarquias so pessoas jurdicas de direito pblico criadas por lei especfica, com a finalidade de desenvolver um servio pblico de forma descentralizada, podendo a nomeao de seus dirigentes ser condicionada por lei aprovao do respectivo poder legislativo, sem que haja violao ao princpio da separao de poderes. GABARITO: D 23. Tcio, servidor pblico de uma Autarquia Federal, aprovado em concurso pblico de provas e ttulos, ao tomar posse, descobre que seria chefiado pelo Sr. Abel, pessoa com quem sua famlia havia cortado relaes, desde a poca de seus avs, sem que Tcio soubesse sequer o motivo. Depois de sua primeira semana de trabalho, apesar da indiferena de seu chefe, Tcio sentia-se feliz, era seu primeiro trabalho depois de tanto estudar para o concurso ao qual se submetera. Qual no foi sua surpresa ao descobrir, em sua segunda semana de trabalho, que havia sido removido para a cidade de So Paulo, devendo, em trinta dias adaptar-se para se apresentar ao seu novo chefe, naquela localidade. Considerando essa situao hipottica e os preceitos, a doutrina e a jurisprudncia do Direito Administrativo Brasileiro, assinale a nica opo correta. a) A conduta do Sr. Abel no merece reparos, posto que amparada pela lei. b) O Sr. Abel agiu com excesso de poder, razo pela qual seu ato padece de vcio. c) O Sr. Abel agiu corretamente, na medida em que Tcio ainda se encontrava em estgio probatrio. d) O Sr. Abel incidiu em desvio de finalidade, razo pela qual o ato por ele praticado merece ser anulado. e) Considerando que o ato do Sr. Abel padece de vcio, o mesmo dever ser revogado. GABARITO: D 24. Caio, servidor pblico federal efetivo e regularmente investido na funo pblica, motorista da Presidncia da Repblica, ao dirigir carro oficial em servio, dorme ao volante e atropela uma pessoa que atravessava, prudentemente, em uma faixa de pedestres em Braslia, ferindo-a. Considerando essa situao hipottica e os preceitos, a doutrina e a jurisprudncia da responsabilidade civil do Estado, assinale a nica opo correta. a) Na hiptese, h aplicao da teoria do risco integral. b) A teoria aplicada ao caso para a responsabilizao do Estado a subjetiva. c) No mbito de ao indenizatria pertinente e aps o seu trnsito em julgado, Caio nunca poder ser responsabilizado, regressivamente, caso receba menos de dois salrios mnimos. d) Caso Caio estivesse transportando material radioativo, indevidamente acondicionado, que se propagasse no ar em face do acidente, o Estado s poderia ser responsabilizado pelo dano oriundo do atropelamento. e) Na teoria do risco administrativo, h hipteses em que, mesmo com a responsabilizao objetiva, o Estado no ser passvel de responsabilizao. GABARITO: E 25. Acerca das parcerias na administrao pblica, assinale a opo correta. a) O contrato de concesso se iguala ao de franquia, dada pela administrao, j que em ambas se transfere a execuo do servio pblico, conservando-se a sua titularidade. Eles se diferenciam, porm, na medida em que somente no contrato de concesso, e no no de franquia, pode haver resciso unilateral. b) Por meio da terceirizao de mo-de-obra, o Estado pode transferir a atividade-fim para que os particulares a desempenhem em um regime de direito privado.FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

21

c) Uma das diferenas entre a parceria pblico-privada e a concesso de servio pblico refere-se forma de remunerao, j que naquela haver necessariamente contraprestao pecuniria do parceiro pblico ao parceiro privado. d) Os consrcios so acordos firmados por entidades pblicas de qualquer espcie, ou entre estas e organizaes particulares, para a realizao de objetivos de interesse comum dos partcipes. GABARITO: C 26. A respeito do controle da administrao pblica e dos bens pblicos, assinale a opo correta. a) O Tribunal de Contas, no julgamento da legalidade de concesso de aposentadoria ou penso, exercita o controle externo que lhe atribui a Constituio Federal, no qual no est jungido a um processo contraditrio ou contestatrio. b) Contra deciso judicial que venha a violar o princpio da moralidade pblica, ser cabvel, conforme entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF), a ao popular. c) Os bens da empresa estatal que exera servio pblico em regime de exclusividade, como a Empresa de Correios, so penhorveis, conforme entendimento do STF, pois se aplica a eles o mesmo regime das empresas privadas, nos termos do art. 173 da Constituio Federal. d) Afetao o nome dado possibilidade, por fora de ato administrativo, de determinado bem pblico ser alienado. GABARITO: A 27. Acerca da concesso do servio pblico, julgue os itens subseqentes: I. A concesso termina, entre outras formas, pelo advento do termo, ocasio em que se d a reverso, ou pela encampao, na vigncia da concesso, independentemente de lei especfica, por motivo de interesse pblico, com pagamento da indenizao devida. II. A autorizao, prevista na lei que dispe sobre o regime de concesso e permisso da prestao de servios pblicos e que no exige licitao prvia, realizada mediante contrato de adeso com prazo determinado pelo qual o poder concedente transfere ao particular a execuo de servio pblico. III. A Administrao, pelo regime de concesso, aps licitao, transfere, contratualmente, a execuo de servio pblico a pessoa jurdica ou a consrcio de empresas que se comprometem a prest-lo de modo adequado, em condies de modicidade tarifria. IV. A transferncia da concesso ou do controle societrio da concessionria, sem prvia anuncia do poder concedente, implicar a caducidade da concesso mediante decreto, precedido de processo administrativo. Est correto o que consta APENAS em a) I e II. b) III e IV. c) III. d) II e IV. e) I e III. GABARITO: C 28. Nas concesses de servio pblico, a) no curso do prazo contratual, o poder concedente pode decretar a retomada do servio, por motivo de interesse pblico, no curso do prazo contratual, independentemente de prvio pagamento de indenizao ao concessionrio. b) no curso do prazo contratual, o poder concedente no pode intervir na prestao do servio, que feita por conta e risco do concessionrio. c) o concessionrio presta o servio em nome prprio, mas a titularidade do servio permanece em poder da administrao pblica. d) o concessionrio est autorizado a interromper a prestao dos servios por inadimplemento do usurio independentemente de prvio aviso deste ltimo e desde que no se trate de situao de emergncia. GABARITO: C 29. Sobre a responsabilidade civil do Estado e reparao do dano, considere. I. No cabe a responsabilizao do Estado quando o agente pblico causador do dano estiver agindo na condio de um simples particular, isto , sem estar exercendo as suas atribuies.

FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

22

II. No Brasil, a responsabilidade do Estado objetiva, o que implica a indenizao de qualquer prejuzo causado a terceiros, ainda que no tenha sido o responsvel, impedindo, assim, que se alegue excludentes de responsabilidade. III. De acordo com a Constituio Federal, a responsabilidade civil do Estado pode recair sobre as pessoas de Direito Pblico e de Direito Privado que prestam servios pblicos. IV. Definida a responsabilidade do Estado e, uma vez indenizado o terceiro prejudicado, segundo a teoria da responsabilidade objetiva, no cabe direito de regresso em face do agente pblico causador do dano. V. A responsabilidade para a Administrao Pblica no depende da culpa, enquanto que, para o agente pblico causador direto do dano, relevante a comprovao da culpa ou do dolo para que ele possa ser responsabilizado. Est correto o que consta APENAS em a) I e II. b) III e IV. c) II, III e IV. d) II, IV e V. e) I, III e V. GABARITO: E 30. Ao julgar um processo de tomada de contas, o TCU condenou um administrador pblico solidariamente com uma empresa particular restituio de determinada quantia aos cofres pblicos. O administrador era ocupante de cargo efetivo e integrante dos quadros de um rgo do Poder Executivo federal. No processo, ficou comprovado o conluio do administrador e dos representantes da empresa para fraudar a licitao e desviar dinheiro pblico. No decorrer do processo, o administrador foi citado e notificado por meio de edital, uma vez que no tinha domiclio certo. Havia, outrossim, nos autos, informao de que o administrador havia tentado alienar os bens que possua. Ante a situao hipottica acima descrita, julgue os itens seguintes. I. A lei federal que institui normas para licitaes e contratos da administrao pblica estabelece expressamente que, em qualquer processo licitatrio, se comprovado superfaturamento, respondem solidariamente pelo dano causado fazenda pblica o fornecedor ou o prestador de servios e o agente pblico responsvel, sem prejuzo de outras sanes penais, civis e administrativas cabveis. II. Frustrar ou fraudar, mediante ajuste, combinao ou qualquer outro expediente, o carter competitivo do procedimento licitatrio, com o intuito de obter, para si ou para outrem, vantagem decorrente da adjudicao do objeto da licitao constitui crime previsto na lei federal que institui normas para licitaes e contratos da administrao pblica, ficando sujeito o infrator a pena de deteno e multa; se o infrator for pessoa jurdica, sua responsabilidade, nesse caso, ser objetiva, em razo de sua prpria natureza. III. Nos termos da lei federal que dispe sobre o regime jurdico dos servidores pblicos civis da Unio, a conduta do administrador pblico no sentido de fraudar a licitao e desviar dinheiro pblico sujeita-o pena de demisso, a ser aplicada pelo presidente da Repblica, sendo pacfica a jurisprudncia do STF no sentido da indelegabilidade dessa atribuio. IV. Nos termos da lei federal que dispe sobre o regime jurdico dos servidores pblicos civis da Unio, a apurao da responsabilidade do servidor pela infrao praticada no exerccio de suas atribuies deve ser feita por meio de processo disciplinar em que sejam garantidos ao servidor o contraditrio e a ampla defesa. O processo deve ser conduzido por uma comisso composta de trs servidores estveis designados pela autoridade competente, entre eles, o presidente da comisso, que dever ser ocupante de cargo efetivo superior ou de mesmo nvel, ou ter nvel de escolaridade igual ou superior ao do indiciado. O prazo para concluso do processo no deve exceder sessenta dias, admitida a sua prorrogao por igual prazo. V. A conduta do administrador pblico no sentido de fraudar a licitao e desviar dinheiro pblico constitui ato de improbidade administrativa, fazendo que, independentemente das sanes penais, civis e administrativas previstas na legislao especfica, ele fique sujeito, entre outras, s seguintes cominaes: ressarcimento

FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

23

integral do dano, perda da funo pblica, suspenso dos direitos polticos e pagamento de multa. Esto corretas SOMENTE as afirmaes: a) I e III. b) I e IV. c) I, II e III. d) IV e V. e) II, III e IV. GABARITO: D

FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

24

DIREITO CIVIL 1. O fundamento constitucional dos direitos de personalidade a dignidade da pessoa humana, que se constitui em fundamento da Repblica Federativa do Brasil. O objeto dos direitos de personalidade tudo aquilo que disser respeito natureza do ser humano, como, por exemplo, a vida, a liberdade, a privacidade, a imagem, etc... Quanto aos efeitos dos direito de personalidade, analise o que segue: I Os direitos de personalidade, embora intransmissveis em sua essncia, admitem transmisso dos seus efeitos patrimoniais. II Por constituir direito personalssimo, o direito de indenizao por dano moral imagem de pessoa falecida, no se transmite aos herdeiros desta. III O nome da pessoa no pode ser empregado por outrem em publicaes ou representaes que a exponham ao desprezo pblico, ainda quando no haja inteno difamatria. IV. Sem autorizao no se pode usar nome alheio em propaganda comercial, salvo quando tratar-se de uso de marca comercial. correta ou esto corretas: a) Apenas I e III. b) Apenas II e III. c) I, II e IV. d) Apenas II e IV. e) Apenas I. GABARITO: A 2. Assinale a opo que representa uma afirmao correta, de acordo com ordenamento jurdico ptrio. a) A morte presumida da pessoa natural, quando se tratar de ausente, dar-se- com a sentena de abertura da sucesso provisria. b) As decises tomadas por rgo de administrao coletiva de pessoa jurdica, quando eivadas de simulao, so casos de nulidades absolutas, no sendo suscetveis de convalidao pelo decurso do tempo. c) Nas associaes, a qualidade de associado transmissvel, se o estatuto no dispuser o contrrio. d) No dispondo a lei em contrrio, so imprescritveis os bens pertencentes s pessoas jurdicas de direito pblico a que se tenha dado estrutura de direito privado. e) Um scio de uma sociedade limitada no poder ceder suas quotas a terceiro estranho sociedade, se no houver previso expressa no contrato de constituio da sociedade. GABARITO: D 3. Julgue os itens a seguir, relativos pessoa natural. I Na sentena que declara a interdio de uma pessoa por prodigalidade, deve constar que o relativamente incapaz pode praticar validamente todos os atos na vida civil, desde que assistido por seu curador. A sentena impe, ainda, como restrio ao relativamente incapaz, a obrigatoriedade do casamento pelo regime da separao total de bens. II Aberta a sucesso provisria dos bens do ausente, os herdeiros devem prestar garantia para se imitirem na posse dos bens que lhes cabem, alm de terem a obrigao de capitalizar a metade de seus rendimentos e prestar contas anualmente ao juiz competente. No entanto, quando os herdeiros forem ascendentes, descendentes, cnjuge ou companheiro, estes estaro dispensados de tais exigncias para a imisso na posse provisria dos bens do ausente. III Ainda que o desaparecido tenha deixado representante, ser declarada a ausncia do representado e nomeado um curador, se, por algum motivo, o representante no puder ou no quiser realizar os atos necessrios para a gesto dos bens e negcios do desaparecido. Assim, para a declarao de ausncia, alm dos pressupostos fticos, exige-se a sua declarao judicial. Essa sentena perde a eficcia com o retorno do ausente. IV A emancipao concedida por sentena judicial refere-se aos casos em que o menor se encontre sob tutela, ou, ainda, quando o menor pretenda emancipar-se independentemente da vontade dos pais. Tm legitimidade para requerer essa emancipao o menor interessado, o Ministrio Pblico ou o tutor.FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

25

Esto certos apenas os itens a) I e II. b) I e IV. c) II e III. d) III e IV. GABARITO: C 4. Considere as afirmativas abaixo sobre domiclio civil. I. Ter-se- por domiclio da pessoa natural, que no tenha residncia habitual, o lugar onde for encontrada. II. Tendo a pessoa jurdica diversos estabelecimentos em lugares diferentes, apenas sua sede ser considerada domiclio para quaisquer atos praticados. III. Tm domiclio necessrio o incapaz, o servidor pblico, o militar, o martimo e o preso. IV. Nos contratos escritos, o domiclio deve ser necessariamente o local da residncia dos contraentes. Esto corretas SOMENTE as afirmaes: a) I. b) II. c) III. d) I e III. e) I, II e IV. GABARITO: D 5. De acordo com o Cdigo Civil brasileiro correto afirmar que a) se considera imvel, para os efeitos legais, o usufruto sobre um bem mvel. b) os negcios jurdicos que dizem respeito ao bem principal abrangem, em regra, as pertenas, salvo se o contrrio resultar da lei ou da manifestao de vontade das partes. c) um complexo de relaes jurdicas dotadas de valor econmico pertencente a uma pessoa, pode constituir-se em uma universalidade de fato ou em uma universalidade de direito. d) a construo de uma casa em um prdio rstico (fazenda) considerada uma benfeitoria necessria. e) somente os bens imveis frutferos tm idoneidade para ser objeto de um contrato de comodato. GABARITO: E 6. A credor de R$ 1.000,00 (mil reais) correspondente a emprstimo feito a B, vencido h um ano e no pago e, por isto, moveu contra o devedor ao de cobrana. Em sua contestao e porque admitido no procedimento, B alegou que a dvida achava-se extinta e que era, na verdade, credor de A, em razo de negcios anteriores, ocorridos h cinco anos, nos quais A obtivera ganhos que caracterizam enriquecimento sem causa, no importe de R$ 2.000,00 (dois mil reais) e, assim, pediu ao Juiz que condenasse o autor ao pagamento da diferena de R$ 1.000,00 (mil reais). Antes da prolao da sentena, mas depois de escoado o prazo para a rplica, A suscitou que o crdito de B era inexigvel, em virtude da prescrio, que se dera no prazo de trs anos e que nenhuma causa houve de suspenso ou interrupo. Neste caso, as alegaes de A sobre a prescrio devem ser a) desacolhidas, embora a prescrio efetivamente se tenha consumado, porque a prescrio necessariamente deve ser argida na primeira oportunidade que tem a parte para falar nos autos. b) acolhidas, somente para afastar a cobrana da diferena, mas no a compensao. c) desacolhidas integralmente, porque o negcio jurdico em que se funda a alegao de B se deu antes da entrada em vigor do Cdigo Civil de 2002. d) acolhidas, somente para afastar a compensao, mas no a cobrana da diferena. e) integralmente acolhidas. GABARITO: E 7. A prescrio aquisitiva pela usucapio considerada pela doutrina como modo originrio da aquisio da propriedade imvel.Considerando as diversas espcies de usucapio, assinale a alternativa INCORRETA: a) A usucapio especial urbana individual exige que o interessado tenha posse ad usucapionem de rea urbana de at 250 metros quadrados, por cinco anos, sem oposio, nem interrupo e que a utilize para moradia prpria ou de sua famlia. A metragem mxima abrange tanto a rea do terreno, quanto a construo, vedado que uma ou outra ultrapasse o referido limite.FORTIUM - CENTRO DE ESTUDOS JURIDICOS ESTUDO DIRIGIDO OAB E PS-GRADUAO

26

b) So requisitos da usucapio ordinria posse de dez anos, exercida com nimo de dono, de forma contnua, mansa e pacfica, alm de justo ttulo e boa-f. c) O prazo da usucapio ordinria ser de cinco anos se o imvel houver sido adquirido onerosamente, com base no registro constante do respectivo cartrio, cancelada posteriormente, desde que os possuidores nele tiverem estabelecido sua moradia, ou realizado investimentos de interesse social ou econmico. d) So requisitos da usucapio especial rural que o possuidor no seja proprietrio de imvel rural ou urbano, que possua como sua, por cinco anos ininterruptos, sem oposio, rea de terra em zona rural no superior a cinqenta hectares, tornando-a produtiva por seu trabalho ou de sua famlia, tendo nela sua moradia. e) So requisitos da usucapio extraordinria a posse por quinze anos, com nimo de dono, sem interrupo, nem oposio, alm de justo ttulo e boa-f. O prazo estabelecido pode ser reduzido para dez anos se o possuidor houver estabelecido no imvel a sua moradia habitual, ou nele realizado servios de carter produtivo. GABARITO: E 8. Estabelece o art. 2.028 do Cdigo Civil que sero os da lei anterior os prazos, quando reduzidos por esse Cdigo, e se, na data de sua entrada em vigor, j houver transcorrido mais da metade do tempo estabelecido na lei revogada. Com relao norma constante do texto acima, correto afirmar que: a) aplica-se indistintamente s hipteses de prescrio e decadncia previstas no Cdigo Civil. b) no aplicvel s hipteses de decadncia, visto que, em se tratando de direito potestativo ou formativo, as regras do direito intertemporal so as prprias do direito de ao, j que esse tipo de direito e o prazo para exerc-lo se consideram inseparveis. c) no se aplica s hipteses de prescrio previstas no Cdigo Civil. d) no se aplica a nenhum prazo extintivo previsto no Cdigo Civil. e) aplica-se, exclusivamente, aos prazos de decadncia previstos no Cdigo Civil. GABARITO: B 9. Assinale a opo falsa. a) A cesso de crdito e a assuno de dvida constituem modalidades de transmisso das obrigaes. b) Podem os contratantes estabelecer clusula proibitiva da cesso de crdito. Tal clusula proibitiva no poder ser oposta ao cessionrio de boa-f, se no constar do instrumento da obrigao. c) A partir da assuno de dvida, salvo assentimento expresso do devedor primitivo, consideramse extintas as garantias especiais por ele originariamente dadas ao credor. d) Como na assuno de dvida, o que se transmite a obrigao originria, o novo devedor pode opor ao credor as excees pessoais que competiam ao devedor primitivo. e) Qualquer das partes pode assinar prazo ao credor para que consinta na assuno de dvida, interpretando-se o seu silncio como recusa. GABARITO: D 10. Assinale a opo correta. a) Configura supressio o pagamento reiteradamente feito em local diferente daquele previsto no contrato. b) Efetuar-se- o pagamento no domiclio do credor salvo se as partes convencionarem diversamente ou se o contrrio resultar da lei, da natureza da obrigao ou das circunstncias. c) Se o pagamento consistir em prestao relativa a imvel, far-se- no lugar do domiclio do devedor. d) Nas hipteses de vencimento antecipa