METODOLOGIA E CLCULO DOS CUSTOS OPERACIONAIS I - Metodologia e clculo dos...  (Fls. 2 da Nota

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of METODOLOGIA E CLCULO DOS CUSTOS OPERACIONAIS I - Metodologia e clculo dos...  (Fls. 2 da Nota

ANEXO I Nota Tcnica n 052/2006-SRT/ANEEL

Braslia, 14 de Fevereiro de 2006

METODOLOGIA E CLCULO DOS CUSTOS OPERACIONAIS DA CTEEP

ANEXO DA NOTA TCNICA N 051/2006/SRT/ANEEL

Nota Tcnica no 052/2006SRT/ANEEL Em 14 de fevereiro de 2006.

Processo n 48500.000820/2006-74 Assunto: Metodologia e clculo dos custos de administrao, operao e manuteno da Companhia de Transmisso de Energia Eltrica Paulista CTEEP, para efeitos de reviso tarifria peridica.

I. DO OBJETIVO

O objetivo da presente Nota Tcnica apresentar a metodologia e os critrios adotados para determinao dos nveis eficientes de custos operacionais da Companhia de Transmisso de Energia Eltrica Paulista CTEEP, visando o reposicionamento tarifrio em virtude da reviso tarifria peridica. II. DOS FATOS II.1. EXPOSIO CONCEITUAL1 2. A eletricidade uma indstria por redes (network industry), em virtude da significao econmica das instalaes especficas (dedicated facilities) requerid as para o transporte dos centros de produo aos pontos de consumo. Em termos gerais, uma rede (network) um conjunto de nodes. As network Industries se diferenciam segundo as caractersticas das facilities requeridas em cada ponto de conexo (nodes) e para conectar os nodes. Na indstria de energia eltrica, os nodes esto fisicamente conectados por meio de linhas, subestaes e cabos, porm, diferentemente do transporte areo ou ferrovirio, no existe o equivalente de avies ou trens para transmitir a eletricidade pelas redes. Tampouco se requerem aeroportos e instalaes associadas (tais como reas de manuteno e estacionamento) nos nodes. 3. conhecido que toda vez que so dadas condies de concorrncia, o mercado o mais eficiente alocador de recursos. Essas condies no se apresentam nos casos das network Industries que constituem monoplios naturais, caracterizados por ter uma funo sub-aditiva de custos e, em alguns casos, rendimentos crescentes de escala. Um caso tpico o dos servios bsicos de infra-estrutura, entre os que se inclui a transmisso de energia eltrica. Para os casos de servios monopolistas surge a necessidade de se estabelecer custos associados a uma gesto eficiente dos mesmos. So precisamente esses custos eficientes que se deve considerar ao se determinar a receita que ser paga pela disponibilizao desses servios. Nestes casos, a regulao substitui a concorrncia atravs da interveno direta no mercado, mediante a fixao de um conjunto de incentivos e de restries que permitam simular condies competitivas. A ao do Regulador de um servio monopolista deve estar orientada para a obteno simultnea de dois objetivos fundamentais. Por um lado, trata-se de estabelecer nveis de receita que sejam justos para os financiadores do sistema, o que significa evitar que paguem encargos indevidos, assim como valores insuficientes que conduzam deteriorao na qualidade do servio. Por outro lado, os nveis de 1 Nota Tcnica n 155/2004-SRE/ANEEL. Anexo I. Braslia, julho de 2004.

(Fls. 2 da Nota Tcnica no 052/2006-SRT/ANEEL, de 14/02/2006). receita devem prover, s empresas prestadoras que atuam com eficincia, ganhos suficientes para cobrir seus custos operacionais e obter um retorno razovel sobre o capital investido. 4. A determinao do nvel de receita que permite atingir esses dois objetivos implica na realizao, de forma coordenada e harmoniosa, de um conjunto de temas regulatrios. Estes incluem a estrutura e o custo de capital, a base de remunerao regulatria e os custos operacionais requeridos para que o servio seja prestado com os nveis de qualidade exigidos pela legislao aplicvel. A definio de cada um desses temas no pode ser encarada de forma isolada dos demais elementos do conjunto que constitui a reviso tarifria peridica. A inconsistncia regulatria que representa um tratamento fragmentado teria conseqncias negativas muito significativas, podendo conduzir a resultados (nveis de receita) totalmente diferentes dos objetivos fundamentais que se procura obter. 5. Em particular, deve-se assegurar a total coerncia entre o enfoque que se adote para a definio e remunerao dos ativos necessrios para prestar o servio e a determinao do que se considera custos operacionais eficientes associados a essa prestao. No se pode falar de custos operacionais eficientes se no se vincula esse tema a uma determinada definio regulatria da remunerao dos ativos necessrios para prestar o servio de transmisso de energia eltrica com o nvel de qualidade requerido. Se o procedimento definido para a remunerao dos ativos permite ao prestador a reposio dos mesmos ao fim de sua vida til, assim como um adequado retorno sobre o capital investido, nos custos operacionais eficientes se devem incluir todos os itens (manuteno preventiva, substituio de componentes, etc.) necessrios para assegurar que esses ativos mantero inalterada sua capacidade para cumprir o servio que se requer deles durante toda essa vida til. 6. Entre os diferentes enfoques metodolgicos utilizados para determinar o nvel de custos operacionais eficientes associados empresa regulada, que se apiam na premissa fundamental exposta no pargrafo antecedente, inclui-se o denominado de Empresa de Referncia. 7. Trata-se de uma metodologia que permite determinar os custos associados execuo dos processos e atividades de operao e manuteno das instalaes eltricas, gesto comercial de clientes, direo e administrao, em condies que assegurem que a concessionria poder atingir os nveis de qualidade de servio exigidos e que os ativos necessrios mantero sua capacidade de servio inalterada durante toda sua vida til. 8. A Empresa de Referncia (ER) se define como uma companhia responsvel pelo fornecimento do servio (neste caso, a transmisso de energia eltrica) na rea geogrfica do caso especfico sob anlise, que presta esse servio em condies de eficincia e adaptao econmica ao ambiente no qual desenvolve sua atividade. O enfoque da ER pretende simular as condies que enfrentaria um operador entrante no mercado no qual opera a empresa real responsvel pelo servio por redes de que se trata, e que deve prestar esse servio cumprindo as condies estabelecidas no respectivo contrato de concesso. Esse operador dever cumprir todos os processos e atividades necessrios para prestar o servio de transmisso de energia eltrica, que compreende a operao e a manuteno (O&M) das instalaes de infra-estrutura, a gesto tcnica e comercial dos clientes e as atividades de direo e administrao inerentes a toda empresa. Com essa finalidade, dever obter os servios, recursos materiais e humanos que se necessitam para cumprir com eficincia esses processos e atividades, acessando aos diferentes mercados representativos das condies reais existentes na rea geogrfica de concesso de que se trata. 9. A partir dos valores de custos que o operador entrante ou ER pode obter para esses servios e recursos, se fixam os custos operacionais eficientes da concessionria que se consideram nas tarifas reguladas que pagam os clientes do servio monopolista.

(Fls. 3 da Nota Tcnica no 052/2006-SRT/ANEEL, de 14/02/2006). 10. O exposto na definio e nos pargrafos subseqentes permitem afirmar que o conceito de ER est diretamente associado a trs aspectos fundamentais:

i) Eficincia de gesto; ii) Consistncia no tratamento regulatrio dos conceitos de custos operacionais eficientes e

de avaliao e remunerao dos ativos (determinao da base de remunerao regulatria e do custo de capital);

iii) Condies especficas de cada concesso.

11. Para a implementao da ER proposta uma ao regulatria que permite a determinao de valores representativos ou de comparao (benchmarks) dos custos operacionais associados aos principais processos e atividades (P&A) que deve cumprir cada concessionria para a prestao do servio de transmisso de energia eltrica. Essa determinao est baseada na considerao de parmetros de eficincia que sejam aplicveis ao caso sob anlise. 12. Para isso, sero avaliadas as informaes de valores de custos operacionais, classificados segundo critrios pr-estabelecidos, ao nvel dos processos e atividades definidos pela Agncia. Isto se dar por meio da associao dos custos de cada unidade operacional com as respectivas subestaes e linhas de transmisso supervisionadas e mantidas. Esses valores sero comparados com os montantes representativos da execuo eficiente de cada processo e atividade, definidos mediante a utilizao dos valores representativos acima mencionados. Dessa forma, sero identificadas as principais diferenas e ser desenvolvido um processo para conduzir determinao do valor apropriado dos custos operacionais, a ser considerado na definio do valor da receita da transmissora. 13. Um maior detalhamento dessas etapas dado por meio do diagrama a seguir:

(Fls. 4 da Nota Tcnica no 052/2006-SRT/ANEEL, de 14/02/2006).

Informao necessria Atividades Produtos

Definio das funes Dados de Administrao, Operao e Manuteno

Estudos de mercado (custos de terceirizao)

Remuneraes da empresa

Matriz de remuneraes

- Matriz de remuneraes - Aluguel de escritrios - Comunicaes - Informtica - Insumos e outros gastos - Auditoria - Marketing

Custos da Unidade Centrais

- Direo, estratgia e controle - Administrao - Finanas - Tcnica

Custos totais da Unidade central

- Matriz de remuneraes - Aluguel de escritrios - Comunicaes - Informtica - Insumos e outros gastos - Edifcios e insumos

Custos das Gerncias Regionais

- Administrao - Operao e Manuteno - Logstica

Custos totais da Unidade Regional

- Matriz de remuneraes - Insumos e outros gastos - Informtica - Veculos - Terrenos

Processos e Atividades de O&M

- Operao - Manuteno - Logstica

Custos do processo tcnico

Custos Adicionais de AO&a