of 88 /88

Micologia Especial

  • Upload
    gisa

  • View
    261

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Micologia geral

Citation preview

Page 1: Micologia Especial
Page 2: Micologia Especial

� PROCESSOS INFECCIOSOS ASSOCIADOS A FUNGOS PATOGÊNICOS

� As micoses podem ser divididas em:SuperficiaisCutâneasSubcutâneasSistêmicasOportunistas

Page 3: Micologia Especial

� englobam fungos sem poder queratolítico, quevivem sobre a pele, ao redor dos pelos.Incluídos as piedras (branca e negra), a ptiríaseversicolor e a tinea nigra

Page 4: Micologia Especial

Definição: Definição:

São afecções produzidas por fungos, limitadas às São afecções produzidas por fungos, limitadas às

camadas superficiais queratinizadas ou camadas superficiais queratinizadas ou

semiqueratinizadas da pele, aos semiqueratinizadas da pele, aos pêlospêlos e unhas, sem e unhas, sem

lesar o tecido subcutâneo, ossos, articulações e órgãos lesar o tecido subcutâneo, ossos, articulações e órgãos

internos.internos.

Page 5: Micologia Especial

� São as mais comuns entre todas as infecções muco-cutâneas

� Geralmente causadas pelo crescimentodescontrolado da flora transitória ou residenteassociado a alteração do micro-ambiente da pele

� Três grupos de fungos: dermatófitos, espécies deCandida e Malassezia furfur

� Dermatófitos infectam epitélio queratinizado, folículospilosos e aparelho ungueal

� As espécies de Candida necessitam calor e umidade� A M. furfur necessita umidade e lipídios para o seu

crescimento

Page 6: Micologia Especial

�� endógenosendógenos (diabetes, AIDS (diabetes, AIDS imunodeprimidoimunodeprimido, ,

doenças sistêmicas) doenças sistêmicas)

�� exógenosexógenos (umidade, má higiene, distrofias).(umidade, má higiene, distrofias).

Page 7: Micologia Especial

MICOSES SUPERFICIAISMICOSES SUPERFICIAIS

• AFECÇÕES CAUSADAS POR FUNGOS, LIMITADAS ÀS CAMADASSUPERFICIAIS DA PELE QUERATINIZADA OU NÃO

CONCEITO

CLASSIFICAÇÃO

• SUPERFICIAIS PROPRIAMENTE DITAS

• PITIRÍASE VERSICOLOR• PIEDRA BRANCA• PIEDRA NEGRA• TINHA NEGRA

• CUTÂNEAS

• DERMATOFITOSES• CANDIDÍASES

Page 8: Micologia Especial

1. Dermatófitos da epiderme queratinizada (epidermomicose): tinha da face, tinha do corpo, tinha crural, tinha das mãos, tinha dos pés

2. Dermatófitos do aparelho ungueal: Tinha das unhas (dedos das mãos e pés). Onicomicose (inclui as infecções por dermatófitos, leveduras e bolores)

3. Dermatófitos dos pelos e folículos pilosos: foliculite dermatofítica, granuloma de Majocchi (trocofítico), tinha do couro cabeludo, tinha da barba

Page 9: Micologia Especial

DERMATOFITOSES

UTILIZAM A QUERATINA COMO FONTE ENERGÉTICA

GÊNEROS

• Microsporum: pêlo e pele• Trichophyton: pêlo, pele e unha• Epidermophyton: pele e unha

ECOLOGIA

• Geofílicos

• Zoofílicos

• M. gypseum

• M. canis• T. mentragrophytes

• Antropofílicos • T. rubrum• T. schoenleinii• E. floccosum• T. mentagrophytes

Page 10: Micologia Especial

3. Patogenia:3. Patogenia:

DERMATOFITOSESDERMATOFITOSESDERMATOFITOSESDERMATOFITOSES

Page 11: Micologia Especial

4.34.3 Tinea pedis e Tinea manuumTinea pedis e Tinea manuum-- T. rubrumT. rubrum-- T. mentagrophytesT. mentagrophytes-- E. floccosumE. floccosum

4.34.3 Tinea pedis e Tinea manuumTinea pedis e Tinea manuum-- T. rubrumT. rubrum-- T. mentagrophytesT. mentagrophytes-- E. floccosumE. floccosum

�� Diagnóstoco diferencial Diagnóstoco diferencial -- psoríase pustulosa, pustulose palmopsoríase pustulosa, pustulose palmo--plantar,plantar,psoríase, queratodermia palmopsoríase, queratodermia palmo--plantar, pitiriase rubra pilar,plantar, pitiriase rubra pilar,Síndrome de ReiterSíndrome de Reiter

�� Diagnóstoco diferencial Diagnóstoco diferencial -- psoríase pustulosa, pustulose palmopsoríase pustulosa, pustulose palmo--plantar,plantar,psoríase, queratodermia palmopsoríase, queratodermia palmo--plantar, pitiriase rubra pilar,plantar, pitiriase rubra pilar,Síndrome de ReiterSíndrome de Reiter

DERMATOFITOSESDERMATOFITOSESDERMATOFITOSESDERMATOFITOSES

Page 12: Micologia Especial

- Infecção dermatofítica dos pés que se caracteriza por eritema, descamação, maceração e/ou formação de bolhas, na maioria começa nos pés e se espalha para outras regiões (inguinal), tronco e mãos. Pela perda da integridade da epiderme pode ser infectada secundariamente por S. aureus e estreptococos do grupo A(celulite ou linfangite)

Epidemiologia1. Idade de início: final infância e início idade adulta (20-50

anos),

2. Sexo: Masculino > Feminino

3. Fatores Predisponentes: umidade e calor, sapatos fechados, transpiração excessiva

4. Transmissão: andar descalço e pisos contaminados, astrosporos sobrevivem nas escamas da pele humana por 12 meses

Page 13: Micologia Especial

1. Duração: meses a anos;

2. Sintomas cutâneos: geralmente assintomática, prurido, dor quando houver infecção secundária ou fissuras. Episódios de prurido no tipo disidrótico;

3. Exame Físico: Placas descamativas demarcadas, hiperceratose e descamação confinadas às pregas palmares, fissuras na palma, bordos bem demarcados com clareamento central, estendem-se ao dorso das mãos com pápulas foliculares, nódulos, pústulas com foliculite dermatofítica. No tipo deisidrótico: pápulas, vesículas, bolhas (incomuns na margem da lesão) nas palmas e superfícies laterais dos dedos.Distribuição: 50% tem lesões unilaterais, geralmente há lesões ungueais dos dedos da mãoEvolução crônica sem regressão espontânea, recidivas

4. Diagnóstico Diferencial: dermatite atópica, líquen simples crônico, dermatite de contato, psoríase vulgar, Ca in situ

Page 14: Micologia Especial
Page 15: Micologia Especial

1. Idade de início: adultos homens

2. Sintomas cutâneos: prurido, hiperestesia, dor

3. Exame físico: foliculite pustulosa, pelos frouxos, ou quebram rentes à raiz, pápulas podem coalescer e formar placas inflamatórias cobertas por pústulas. Quérion: placas e nódulos purulentos pastosos semelhantes aos do couro cabeludo. Áreas da barba ou bigode, raramente cílios e sobrancelhas, linfadenopatia regional se infecção bacteriana secundária

4. Diagnóstico Diferencial: foliculite por estafilo, furúnculo,, acne vulgar, rosácea, pseudofoliculite

5. Etiologia: T. verrucosum, T. mentagrophytes, T. rubrum, pode ser adquirida por contato com animais

6. Fatores predisponentes: exposição a animais, agricultores

Page 16: Micologia Especial
Page 17: Micologia Especial

1. Idade de início: Mais comum em crianças de 6-10 anos (crianças de 2-4anos e idade escolar), mais comum em negros

2. Sintomas cutâneos: pode haver dor, hiperestesia ou alopécia, na inflamatória; descamação, prurido alopéciacircunscrita ou difusa ou linfadenopatia occipital ou retroauricular mas sem inflamação, pode durar semanas a meses

3. Exame físico: éctotrix com esporos pequenos (placacinzenta), êndotrix (pontos negros, quérion, foliculite agregada, favo

4. Diagnóstico Diferencial: dermatite seborréica, dermatite de contato, LECC, alopécia areata, celulite, furúnculo, escabiose crostosa

5. Etiologia: T. tonsurans, T. mentagrophytes, rubrum e M. canis menos comuns

6. Fatores predisponentes: exposição a animais, corticóidetópico

Page 18: Micologia Especial

TINHA DO COURO CABELUDO

TONSURANTE

M. canis, T. tonsurans, T. mentagrophytes

FREQUENTE EM CRIANÇASRARA EM ADULTOSALOPÉCIA REVERSÍVEL

ectotrix endotrix

Page 19: Micologia Especial
Page 20: Micologia Especial

Manifestações Manifestações ClínicasClínicasManifestações Manifestações ClínicasClínicasTineaTinea capitiscapitisa)a) TineaTinea tonsurantetonsurante

-- MicrosporumMicrosporum caniscanis-- TrichophytonTrichophyton tonsuranstonsurans

TineaTinea capitiscapitisa)a) TineaTinea tonsurantetonsurante

-- MicrosporumMicrosporum caniscanis-- TrichophytonTrichophyton tonsuranstonsurans

DERMATOFITOSESDERMATOFITOSESDERMATOFITOSESDERMATOFITOSES

Page 21: Micologia Especial

�� KerionKerion -- nódulos sensíveis,nódulos sensíveis,alopecia, escamoalopecia, escamo--crostas,crostas,exsudação e adeniteexsudação e adenitesatélitesatélite

�� Diagnóstico diferencialDiagnóstico diferencial-- eczema seborréico,eczema seborréico,eczema atópico, psoríase, alopecia areata,eczema atópico, psoríase, alopecia areata,sífilis secundáriasífilis secundária

�� KerionKerion -- nódulos sensíveis,nódulos sensíveis,alopecia, escamoalopecia, escamo--crostas,crostas,exsudação e adeniteexsudação e adenitesatélitesatélite

�� Diagnóstico diferencialDiagnóstico diferencial-- eczema seborréico,eczema seborréico,eczema atópico, psoríase, alopecia areata,eczema atópico, psoríase, alopecia areata,sífilis secundáriasífilis secundária

DERMATOFITOSESDERMATOFITOSESDERMATOFITOSESDERMATOFITOSES

Page 22: Micologia Especial

TineaTinea unguiumunguium-- T. T. rubrumrubrum-- T. T. mentagrophytesmentagrophytes-- E. E. floccosumfloccosum

�� Diagnóstico diferencialDiagnóstico diferencial-- psoríasepsoríase-- líquen planolíquen plano-- onicopatiasonicopatias congênitascongênitas-- traumáticastraumáticas

TineaTinea unguiumunguium-- T. T. rubrumrubrum-- T. T. mentagrophytesmentagrophytes-- E. E. floccosumfloccosum

�� Diagnóstico diferencialDiagnóstico diferencial-- psoríasepsoríase-- líquen planolíquen plano-- onicopatiasonicopatias congênitascongênitas-- traumáticastraumáticas

DERMATOFITOSESDERMATOFITOSESDERMATOFITOSESDERMATOFITOSES

Page 23: Micologia Especial

4.44.4 TineaTinea cruriscruris-- TrichophytonTrichophyton rubrumrubrum-- E. E. floccosumfloccosum-- T. T. mentagrophytesmentagrophytes

�� Diagnóstico diferencialDiagnóstico diferencial-- eczema eczema seborréicoseborréico-- eczema de contatoeczema de contato-- eritrasmaeritrasma-- candidíasecandidíase

4.44.4 TineaTinea cruriscruris-- TrichophytonTrichophyton rubrumrubrum-- E. E. floccosumfloccosum-- T. T. mentagrophytesmentagrophytes

�� Diagnóstico diferencialDiagnóstico diferencial-- eczema eczema seborréicoseborréico-- eczema de contatoeczema de contato-- eritrasmaeritrasma-- candidíasecandidíase

DERMATOFITOSESDERMATOFITOSESDERMATOFITOSESDERMATOFITOSES

Page 24: Micologia Especial

4.2 Tinea Corporis- Trichophyton rubrum- Microsporum canis- T. mentagrophytes

� Diagnóstico diferencialEritema anular,eczemas, psoríase,

4.2 Tinea Corporis- Trichophyton rubrum- Microsporum canis- T. mentagrophytes

� Diagnóstico diferencialEritema anular,eczemas, psoríase,

DERMATOFITOSESDERMATOFITOSESDERMATOFITOSESDERMATOFITOSES

Page 25: Micologia Especial

DERMATOFITOSESDERMATOFITOSESDERMATOFITOSESDERMATOFITOSES

DiagnósticoDiagnósticoDiagnósticoDiagnóstico

�� Exame diretoExame direto

�� CulturaCultura

�� Luz de WoodLuz de Wood

�� HistopatológicoHistopatológico

�� Exame diretoExame direto

�� CulturaCultura

�� Luz de WoodLuz de Wood

�� HistopatológicoHistopatológico

Page 26: Micologia Especial

DIAGNÓSTICO

CLÍNICO

LÂMINA KOH LAMÍNULA AQUECIMENTO

• RASPADO DA LESÃO• PÊLOS TONSURADOS

+ + +

MICOLÓGICO DIRETO

Page 27: Micologia Especial

DIAGNÓSTICOCULTURA

- M. canis, M. audouini: verde-azulada- T. schoenleini: verde-palha- M. furfur: róseo-dourada

LÂMPADA DE WOOD

TESTES INTRADÉRMICOS: TRICOFITINA, CANDIDINA

Page 28: Micologia Especial

CERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

Page 29: Micologia Especial

� Infecção crônica da pele (camada córnea)pelo fungo Malassezia furfur

� Infecção crônica da pele (camada córnea)pelo fungo Malassezia furfur

PITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

ConceitoConceito

�� Ocorrência universalOcorrência universal�� 40% da população de clima tropical e40% da população de clima tropical e

menor 1% em clima friomenor 1% em clima frio�� H = MH = M�� Final da adolescência e adultos jovensFinal da adolescência e adultos jovens

(levedura lipofílica)(levedura lipofílica)�� Menos Menos freqüentefreqüente em crianças e idososem crianças e idosos

�� Ocorrência universalOcorrência universal�� 40% da população de clima tropical e40% da população de clima tropical e

menor 1% em clima friomenor 1% em clima frio�� H = MH = M�� Final da adolescência e adultos jovensFinal da adolescência e adultos jovens

(levedura lipofílica)(levedura lipofílica)�� Menos Menos freqüentefreqüente em crianças e idososem crianças e idosos

EpidemiologiaEpidemiologia

Page 30: Micologia Especial

�� Forma saprofítica leveduriforme Forma saprofítica leveduriforme (f(flora normal)lora normal)-- Pityrosporum ovalePityrosporum ovale (levedura ovóide) (levedura ovóide) -- Pityrosporum orbicularePityrosporum orbiculare (levedura esférica)(levedura esférica)

�� Forma parasitáriaForma parasitária-- Malassezia fufurMalassezia fufur (pseudo(pseudo--hifas e esporos)hifas e esporos)

�� Forma saprofítica leveduriforme Forma saprofítica leveduriforme (f(flora normal)lora normal)-- Pityrosporum ovalePityrosporum ovale (levedura ovóide) (levedura ovóide) -- Pityrosporum orbicularePityrosporum orbiculare (levedura esférica)(levedura esférica)

�� Forma parasitáriaForma parasitária-- Malassezia fufurMalassezia fufur (pseudo(pseudo--hifas e esporos)hifas e esporos)

PITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

EtiologiaEtiologia

Page 31: Micologia Especial

Malassezia furfur� Fatores precipitantes

� Genéticos� Hiperidrose� Imunológicos� Aumento na oleosidade da pele� Clima quente e úmido� Síndrome de Cushing (endo ou exógena)� Imunossupressão� Desnutrição� Gravidez

Malassezia furfur� Fatores precipitantes

� Genéticos� Hiperidrose� Imunológicos� Aumento na oleosidade da pele� Clima quente e úmido� Síndrome de Cushing (endo ou exógena)� Imunossupressão� Desnutrição� Gravidez

PITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

EtiopatogeniaEtiopatogenia

Page 32: Micologia Especial

�� Máculas Máculas descamativasdescamativas bem delimitadas, de formatobem delimitadas, de formatoe cor variáveis, isoladas ou coalescentese cor variáveis, isoladas ou coalescentes

��Acastanhadas, Acastanhadas, cafécafé--comcom--leiteleite ou hipocrômicas ou hipocrômicas ((pele clara)pele clara)��Hipocrômicas (pele escura)Hipocrômicas (pele escura)��EritematosasEritematosas��Lesões Lesões gotadasgotadas: folicular e perifolicular: folicular e perifolicular

�� Máculas Máculas descamativasdescamativas bem delimitadas, de formatobem delimitadas, de formatoe cor variáveis, isoladas ou coalescentese cor variáveis, isoladas ou coalescentes

��Acastanhadas, Acastanhadas, cafécafé--comcom--leiteleite ou hipocrômicas ou hipocrômicas ((pele clara)pele clara)��Hipocrômicas (pele escura)Hipocrômicas (pele escura)��EritematosasEritematosas��Lesões Lesões gotadasgotadas: folicular e perifolicular: folicular e perifolicular

Quadro clínicoQuadro clínico

PITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

Page 33: Micologia Especial

Diagnóstico� Luz de Wood: fluorescências amarelo-ouro ou rosa-dourada

características � Exame micológico do raspado da lesão: hifas curtas e largas,

elementos leveduriforme arredondados, isolados ou agrupadosem cachos de uva (método de Jarbas Porto ou - KOH 10%-20%)

Diagnóstico� Luz de Wood: fluorescências amarelo-ouro ou rosa-dourada

características � Exame micológico do raspado da lesão: hifas curtas e largas,

elementos leveduriforme arredondados, isolados ou agrupadosem cachos de uva (método de Jarbas Porto ou - KOH 10%-20%)

PITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

Page 34: Micologia Especial

Tratamento� :

� Sulfeto de selênio (xampu a 2,5%) diariamente por 3semanas deixando por 15 min. antes do banho

� Hipossulfito de sódio a 20% - 40% em solução aquosa � Piritionato de zinco� Ácido salicílico� Propilenoglicol em solução aquosa a 50%� Cetoconazol xampu � Derivados azólicos: tioconazol loção a 1%,

isoconazol solução a 1%, clotrimazol a 1%, miconazol,outros – 1vez ao dia após o banho por 4 semanas

Tratamento� :

� Sulfeto de selênio (xampu a 2,5%) diariamente por 3semanas deixando por 15 min. antes do banho

� Hipossulfito de sódio a 20% - 40% em solução aquosa � Piritionato de zinco� Ácido salicílico� Propilenoglicol em solução aquosa a 50%� Cetoconazol xampu � Derivados azólicos: tioconazol loção a 1%,

isoconazol solução a 1%, clotrimazol a 1%, miconazol,outros – 1vez ao dia após o banho por 4 semanas

PITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

Page 35: Micologia Especial

TratamentoTratamento��

(Acometimento extenso da pele ou recorrente (Acometimento extenso da pele ou recorrente (cura em 90% (cura em 90% -- 95%)95%)�� CetoconazolCetoconazol 200mg/dia por 10 dias200mg/dia por 10 dias�� FluconazolFluconazol 150mg/semana, por 3 semanas/400mg 150mg/semana, por 3 semanas/400mg (d. única)(d. única)

�� ItraconazolItraconazol 200mg/dia por 5 dias, após o café200mg/dia por 5 dias, após o café

��

�� Aplicação quinzenal ou mensal de agente tópicoAplicação quinzenal ou mensal de agente tópico�� Administração mensal de Administração mensal de itraconazolitraconazol

Hipopigmentação residual por meses até a Hipopigmentação residual por meses até a recuperação dosrecuperação dosmelanócitosmelanócitos lesadoslesados

TratamentoTratamento��

(Acometimento extenso da pele ou recorrente (Acometimento extenso da pele ou recorrente (cura em 90% (cura em 90% -- 95%)95%)�� CetoconazolCetoconazol 200mg/dia por 10 dias200mg/dia por 10 dias�� FluconazolFluconazol 150mg/semana, por 3 semanas/400mg 150mg/semana, por 3 semanas/400mg (d. única)(d. única)

�� ItraconazolItraconazol 200mg/dia por 5 dias, após o café200mg/dia por 5 dias, após o café

��

�� Aplicação quinzenal ou mensal de agente tópicoAplicação quinzenal ou mensal de agente tópico�� Administração mensal de Administração mensal de itraconazolitraconazol

Hipopigmentação residual por meses até a Hipopigmentação residual por meses até a recuperação dosrecuperação dosmelanócitosmelanócitos lesadoslesados

PITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORPITIRÍASE VERSICOLORCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

Page 36: Micologia Especial

ConceitoConceito�� Infecção da haste do Infecção da haste do pêlopêlo causado por um fungocausado por um fungo

leveduriformeleveduriforme denominado denominado TrichosporumTrichosporum beigellibeigelli

ConceitoConceito�� Infecção da haste do Infecção da haste do pêlopêlo causado por um fungocausado por um fungo

leveduriformeleveduriforme denominado denominado TrichosporumTrichosporum beigellibeigelli

PIEDRA BRANCAPIEDRA BRANCAPIEDRA BRANCAPIEDRA BRANCACERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

EpidemiologiaEpidemiologia�� Regiões tropicais e temperadaRegiões tropicais e temperada�� Encontrado em Encontrado em pêlopêlo de animais (cavalo e macaco),de animais (cavalo e macaco),

parte da microbiota cutânea humana (regiãoparte da microbiota cutânea humana (regiãoanogenitalanogenital, boca, garganta e reto), boca, garganta e reto)

�� Pode haver transmissão sexualPode haver transmissão sexual

EpidemiologiaEpidemiologia�� Regiões tropicais e temperadaRegiões tropicais e temperada�� Encontrado em Encontrado em pêlopêlo de animais (cavalo e macaco),de animais (cavalo e macaco),

parte da microbiota cutânea humana (regiãoparte da microbiota cutânea humana (regiãoanogenitalanogenital, boca, garganta e reto), boca, garganta e reto)

�� Pode haver transmissão sexualPode haver transmissão sexual

Page 37: Micologia Especial

PIEDRA BRANCAPIEDRA BRANCAPIEDRA BRANCAPIEDRA BRANCACERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

Quadro Quadro clínicoclínico�� Nódulos brancos ou Nódulos brancos ou castanhoscastanhos--clarosclaros, amolecidos e, amolecidos e

facilmente destacados do facilmente destacados do pêlopêlo�� Variam de microscópicos a 1mmVariam de microscópicos a 1mm�� PêlosPêlos da barba, bigode, região genital e axilas.da barba, bigode, região genital e axilas.

Menos frequente no couro cabeludoMenos frequente no couro cabeludo�� Crescimento dentro e fora do Crescimento dentro e fora do pêlopêlo pode levar à pode levar à fraturafratura�� TricosporonoseTricosporonose ((piedrapiedra branca genital) branca genital)

-- lesões lesões eritematoeritemato--escamosasescamosas dedeaspecto lustrosoaspecto lustroso

�� Infecção sistêmicaInfecção sistêmica-- pacientes pacientes neutropênicosneutropênicos

Quadro Quadro clínicoclínico�� Nódulos brancos ou Nódulos brancos ou castanhoscastanhos--clarosclaros, amolecidos e, amolecidos e

facilmente destacados do facilmente destacados do pêlopêlo�� Variam de microscópicos a 1mmVariam de microscópicos a 1mm�� PêlosPêlos da barba, bigode, região genital e axilas.da barba, bigode, região genital e axilas.

Menos frequente no couro cabeludoMenos frequente no couro cabeludo�� Crescimento dentro e fora do Crescimento dentro e fora do pêlopêlo pode levar à pode levar à fraturafratura�� TricosporonoseTricosporonose ((piedrapiedra branca genital) branca genital)

-- lesões lesões eritematoeritemato--escamosasescamosas dedeaspecto lustrosoaspecto lustroso

�� Infecção sistêmicaInfecção sistêmica-- pacientes pacientes neutropênicosneutropênicos

Page 38: Micologia Especial

Diagnóstico Diagnóstico diferencialdiferencial�� PediculosePediculose

�� TricomicoseTricomicose axilar (nódulos menores eaxilar (nódulos menores epodem ser fluorescentes à luz de Wood)podem ser fluorescentes à luz de Wood)

Diagnóstico Diagnóstico diferencialdiferencial�� PediculosePediculose

�� TricomicoseTricomicose axilar (nódulos menores eaxilar (nódulos menores epodem ser fluorescentes à luz de Wood)podem ser fluorescentes à luz de Wood)

PIEDRA BRANCAPIEDRA BRANCAPIEDRA BRANCAPIEDRA BRANCACERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

Page 39: Micologia Especial

DiagnósticoDiagnóstico�� Exame direto (com KOH)Exame direto (com KOH)

•• Hifas perpendiculares, desorganizadas, presençaHifas perpendiculares, desorganizadas, presençade de blastoconídiosblastoconídios delicados e delicados e artroconídiosartroconídios ememtorno das hastes pilosastorno das hastes pilosas

�� Cultura Cultura �� Colônias Colônias leveduriformesleveduriformes brancas lisasbrancas lisas cerebriformescerebriformes�� Microscopia: pseudomicélios, micélios verdadeiros,Microscopia: pseudomicélios, micélios verdadeiros,

artroconídiosartroconídios e e blastoconídiosblastoconídios

DiagnósticoDiagnóstico�� Exame direto (com KOH)Exame direto (com KOH)

•• Hifas perpendiculares, desorganizadas, presençaHifas perpendiculares, desorganizadas, presençade de blastoconídiosblastoconídios delicados e delicados e artroconídiosartroconídios ememtorno das hastes pilosastorno das hastes pilosas

�� Cultura Cultura �� Colônias Colônias leveduriformesleveduriformes brancas lisasbrancas lisas cerebriformescerebriformes�� Microscopia: pseudomicélios, micélios verdadeiros,Microscopia: pseudomicélios, micélios verdadeiros,

artroconídiosartroconídios e e blastoconídiosblastoconídios

PIEDRA BRANCAPIEDRA BRANCAPIEDRA BRANCAPIEDRA BRANCACERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

Page 40: Micologia Especial

TratamentoTratamento�� Remoção dos Remoção dos pêlospêlos�� Antifúngico tópicoAntifúngico tópico�� Recidiva é alta (associar à tratamento oral)Recidiva é alta (associar à tratamento oral)

TratamentoTratamento�� Remoção dos Remoção dos pêlospêlos�� Antifúngico tópicoAntifúngico tópico�� Recidiva é alta (associar à tratamento oral)Recidiva é alta (associar à tratamento oral)

PIEDRA BRANCAPIEDRA BRANCAPIEDRA BRANCAPIEDRA BRANCACERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

Page 41: Micologia Especial

ConceitoConceito�� Infecção da haste do Infecção da haste do pêlopêlo causada por um fungocausada por um fungo

filamentoso filamentoso demáceodemáceo, denominado , denominado PiedraiaPiedraia hortaehortae

ConceitoConceito�� Infecção da haste do Infecção da haste do pêlopêlo causada por um fungocausada por um fungo

filamentoso filamentoso demáceodemáceo, denominado , denominado PiedraiaPiedraia hortaehortae

PIEDRA NEGRAPIEDRA NEGRAPIEDRA NEGRAPIEDRA NEGRACERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

EpidemiologiaEpidemiologia�� América do Sul (BrasilAmérica do Sul (Brasil-- Amazônia) e Sudeste AsiáticoAmazônia) e Sudeste Asiático�� Encontrado em Encontrado em pêlospêlos de animais (macaco), solo ede animais (macaco), solo e

água estagnadaágua estagnada�� H = MH = M

EpidemiologiaEpidemiologia�� América do Sul (BrasilAmérica do Sul (Brasil-- Amazônia) e Sudeste AsiáticoAmazônia) e Sudeste Asiático�� Encontrado em Encontrado em pêlospêlos de animais (macaco), solo ede animais (macaco), solo e

água estagnadaágua estagnada�� H = MH = M

Page 42: Micologia Especial

Quadro Quadro clínicoclínico�� Nódulos pretos de consistência endurecida, aderidosNódulos pretos de consistência endurecida, aderidos

firmemente ao firmemente ao pêlopêlo, podendo o envolver totalmente, podendo o envolver totalmente�� Ovais ou alongadosOvais ou alongados�� Variam de microscópicos a 1mmVariam de microscópicos a 1mm�� Geralmente múltiplosGeralmente múltiplos�� Ásperos ao toqueÁsperos ao toque�� Som metálico ao pentearSom metálico ao pentear�� Localização: Localização: pêlospêlos do courodo couro

cabeludo, barba e bigodecabeludo, barba e bigode�� Enfraquece do Enfraquece do pêlopêlo podendopodendo

levar à fraturalevar à fratura

Quadro Quadro clínicoclínico�� Nódulos pretos de consistência endurecida, aderidosNódulos pretos de consistência endurecida, aderidos

firmemente ao firmemente ao pêlopêlo, podendo o envolver totalmente, podendo o envolver totalmente�� Ovais ou alongadosOvais ou alongados�� Variam de microscópicos a 1mmVariam de microscópicos a 1mm�� Geralmente múltiplosGeralmente múltiplos�� Ásperos ao toqueÁsperos ao toque�� Som metálico ao pentearSom metálico ao pentear�� Localização: Localização: pêlospêlos do courodo couro

cabeludo, barba e bigodecabeludo, barba e bigode�� Enfraquece do Enfraquece do pêlopêlo podendopodendo

levar à fraturalevar à fratura

PIEDRA NEGRAPIEDRA NEGRAPIEDRA NEGRAPIEDRA NEGRACERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

Page 43: Micologia Especial

DiagnósticoDiagnóstico�� Exame micológico(KOH): nódulos no interior da haste do Exame micológico(KOH): nódulos no interior da haste do pêlopêlo

�� Periferia: hifas pigmentadas compactas,alinhadas Periferia: hifas pigmentadas compactas,alinhadas �� Centro:Centro: célscéls de parede espessada (ascos), contendo os de parede espessada (ascos), contendo os ascosporosascosporos

�� Cultura:Cultura:�� Crescimento lento, enegrecida Crescimento lento, enegrecida �� Microscopia: filamentos de paredes espessadas com Microscopia: filamentos de paredes espessadas com qrandeqrande

quantidade de ascos contendo quantidade de ascos contendo ascosporosascosporos

DiagnósticoDiagnóstico�� Exame micológico(KOH): nódulos no interior da haste do Exame micológico(KOH): nódulos no interior da haste do pêlopêlo

�� Periferia: hifas pigmentadas compactas,alinhadas Periferia: hifas pigmentadas compactas,alinhadas �� Centro:Centro: célscéls de parede espessada (ascos), contendo os de parede espessada (ascos), contendo os ascosporosascosporos

�� Cultura:Cultura:�� Crescimento lento, enegrecida Crescimento lento, enegrecida �� Microscopia: filamentos de paredes espessadas com Microscopia: filamentos de paredes espessadas com qrandeqrande

quantidade de ascos contendo quantidade de ascos contendo ascosporosascosporos

PIEDRA NEGRAPIEDRA NEGRAPIEDRA NEGRAPIEDRA NEGRACERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

Page 44: Micologia Especial

5. 5. TratamentoTratamento

�� Remoção dos pêlos Remoção dos pêlos

�� Antifúngicos tópicosAntifúngicos tópicos

�� Alta taxa de recidivaAlta taxa de recidiva

5. 5. TratamentoTratamento

�� Remoção dos pêlos Remoção dos pêlos

�� Antifúngicos tópicosAntifúngicos tópicos

�� Alta taxa de recidivaAlta taxa de recidiva

PIEDRA NEGRAPIEDRA NEGRAPIEDRA NEGRAPIEDRA NEGRACERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

Page 45: Micologia Especial

ConceitoConceito�� Infecção Infecção fúngicafúngica superficial rara causada por umsuperficial rara causada por um

fungo fungo demáceodemáceo denominado denominado ExophialaExophiala werneckiiwerneckii

ConceitoConceito�� Infecção Infecção fúngicafúngica superficial rara causada por umsuperficial rara causada por um

fungo fungo demáceodemáceo denominado denominado ExophialaExophiala werneckiiwerneckii

TINHA NEGRATINHA NEGRATINHA NEGRATINHA NEGRACERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

EpidemiologiaEpidemiologia�� Encontrado no solo com alto teor de salinidade (praia),Encontrado no solo com alto teor de salinidade (praia),

água de esgoto, vegetação deteriorada e madeira emágua de esgoto, vegetação deteriorada e madeira emambientes muito úmidosambientes muito úmidos

�� Transmissão interpessoal raramenteTransmissão interpessoal raramente�� Áreas tropicais e subtropicaisÁreas tropicais e subtropicais�� Crianças do sexo femininoCrianças do sexo feminino�� Indivíduos com Indivíduos com hiperidrosehiperidrose

EpidemiologiaEpidemiologia�� Encontrado no solo com alto teor de salinidade (praia),Encontrado no solo com alto teor de salinidade (praia),

água de esgoto, vegetação deteriorada e madeira emágua de esgoto, vegetação deteriorada e madeira emambientes muito úmidosambientes muito úmidos

�� Transmissão interpessoal raramenteTransmissão interpessoal raramente�� Áreas tropicais e subtropicaisÁreas tropicais e subtropicais�� Crianças do sexo femininoCrianças do sexo feminino�� Indivíduos com Indivíduos com hiperidrosehiperidrose

Page 46: Micologia Especial

Quadro Quadro clínicoclínico�� Mácula acastanhada ou preta, bem delimitada,Mácula acastanhada ou preta, bem delimitada,

sem descamação, geralmente única em palma dassem descamação, geralmente única em palma dasmãos e bordas do dedos ou planta dos pésmãos e bordas do dedos ou planta dos pés

�� Excepcionalmente múltiplas ou localizadas emExcepcionalmente múltiplas ou localizadas emoutras áreasoutras áreas

Quadro Quadro clínicoclínico�� Mácula acastanhada ou preta, bem delimitada,Mácula acastanhada ou preta, bem delimitada,

sem descamação, geralmente única em palma dassem descamação, geralmente única em palma dasmãos e bordas do dedos ou planta dos pésmãos e bordas do dedos ou planta dos pés

�� Excepcionalmente múltiplas ou localizadas emExcepcionalmente múltiplas ou localizadas emoutras áreasoutras áreas

TINHA NEGRATINHA NEGRATINHA NEGRATINHA NEGRACERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

Page 47: Micologia Especial

DiagnósticoDiagnóstico�� Exame direto (escamas clarificadas peloExame direto (escamas clarificadas pelo

KOH ou fita KOH ou fita gomadagomada): hifas septadas): hifas septadasdemáceasdemáceas

�� Cultura desnecessária: inicialmenteCultura desnecessária: inicialmenteleveduriformesleveduriformes de cor esverdeada ede cor esverdeada edepois depois enegrecidaenegrecida

DiagnósticoDiagnóstico�� Exame direto (escamas clarificadas peloExame direto (escamas clarificadas pelo

KOH ou fita KOH ou fita gomadagomada): hifas septadas): hifas septadasdemáceasdemáceas

�� Cultura desnecessária: inicialmenteCultura desnecessária: inicialmenteleveduriformesleveduriformes de cor esverdeada ede cor esverdeada edepois depois enegrecidaenegrecida

TINHA NEGRATINHA NEGRATINHA NEGRATINHA NEGRACERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

Page 48: Micologia Especial

5. 5. TratamentoTratamento�� Antifúngicos tópicosAntifúngicos tópicos

-- Tiabendazol a 10%Tiabendazol a 10%-- Tintura de iodoTintura de iodo-- MiconazolMiconazol

�� CeratolíticosCeratolíticos

5. 5. TratamentoTratamento�� Antifúngicos tópicosAntifúngicos tópicos

-- Tiabendazol a 10%Tiabendazol a 10%-- Tintura de iodoTintura de iodo-- MiconazolMiconazol

�� CeratolíticosCeratolíticos

TINHA NEGRATINHA NEGRATINHA NEGRATINHA NEGRACERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSESCERATOFITOSES

Page 49: Micologia Especial
Page 50: Micologia Especial

Introdução

Etiologia- C. albicans: 85% - 90%- Grau de patogenicidadeC. albicans > C. stellatoidea> C. tropicalis > C. parapsilosis > C. kefyr> C. guilliermondii > C. krusei

Introdução

Etiologia- C. albicans: 85% - 90%- Grau de patogenicidadeC. albicans > C. stellatoidea> C. tropicalis > C. parapsilosis > C. kefyr> C. guilliermondii > C. krusei

CANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASE

Page 51: Micologia Especial

Patogênese� Saprófita – coloniza orofaringe em 50% indivíduos;

comensal da mucosa vaginal em 20%-25%;raro na pele, solo, vegetação e ar

� Patogenicidade inata da levedura:- Virulência, aderência às células epiteliais,

enzimas queratolíticas

- Produção de substância similar a endotoxinaativação da via do complemento quimiotaxia

de neutrófilos

Patogênese� Saprófita – coloniza orofaringe em 50% indivíduos;

comensal da mucosa vaginal em 20%-25%;raro na pele, solo, vegetação e ar

� Patogenicidade inata da levedura:- Virulência, aderência às células epiteliais,

enzimas queratolíticas

- Produção de substância similar a endotoxinaativação da via do complemento quimiotaxia

de neutrófilos

CANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASE

Page 52: Micologia Especial

Fatores predisponentes

� Fatores mecânicos

� Fatores nutricionais

� Alterações fisiológicas

� Doença sistêmica

� Causas iatrogênicas

Fatores predisponentes

� Fatores mecânicos

� Fatores nutricionais

� Alterações fisiológicas

� Doença sistêmica

� Causas iatrogênicas

CANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASE

Page 53: Micologia Especial

CANDIDÍASE

GÊNERO Cândida (principalmente C. albicans)SAPRÓFITA, EVENTUALMENTE PATOGÊNICA

CUTÂNEA OU CUTÂNEO-MUCOSAOCORRÊNCIA UNIVERSAL

PREDISPONENTES:

� CRIANÇAS E IDOSOS� GRAVIDEZ� DIABETES� USO DE ACO, ANTIBIÓTICOS, CORTICÓIDES, CITOSTÁTICOS� LINFOMA, TU MALIGNOS, AIDS� UMIDADE, MACERAÇÃO� OUTROS

Page 54: Micologia Especial

Candidíase Oral� Candidíasepseudomembranosa aguda

Candidíase Oral� Candidíasepseudomembranosa aguda

CANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASE. Quadro clínico. Quadro clínico

Page 55: Micologia Especial
Page 56: Micologia Especial

Candidíase Oral� Candidíase atróficaaguda (ATB / HIV)

Candidíase Oral� Candidíase atróficaaguda (ATB / HIV)

CANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASE

Page 57: Micologia Especial

4.3 Candidíase oral X AIDS

� Infecção fúngica mais comum

� HIV + (50%) e AIDS (90%)

� Pseudomembranosa, eritematosa, queilite angular,lesão hiperplásica papilar palatal

� Imunidade celular comprometida

� Marcador de maior taxa de progressão para AIDS

� HIV + com candidíase oral têm menor sobrevida

4.3 Candidíase oral X AIDS

� Infecção fúngica mais comum

� HIV + (50%) e AIDS (90%)

� Pseudomembranosa, eritematosa, queilite angular,lesão hiperplásica papilar palatal

� Imunidade celular comprometida

� Marcador de maior taxa de progressão para AIDS

� HIV + com candidíase oral têm menor sobrevida

CANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASE

Page 58: Micologia Especial

Candidíase vulvovaginal� 75% das mulheres

� Fatores predisponentes

- Umidade

- Diabetes mellitus

- Corticoesteróides

- Antibioticoterapia

- DIU

� Corrimento esbraquiçado, queimor, disúria

� Placas esbraquiçadas, base eritematosa, edema

Candidíase vulvovaginal� 75% das mulheres

� Fatores predisponentes

- Umidade

- Diabetes mellitus

- Corticoesteróides

- Antibioticoterapia

- DIU

� Corrimento esbraquiçado, queimor, disúria

� Placas esbraquiçadas, base eritematosa, edema

CANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASE

Page 59: Micologia Especial

Balanite ou balanopostite

� Cândidas: 30% – 35%

� Pápulas ou papulopústulas

� Fatores predisponentes- Umidade- Diabetes mellitus- Relação sexual- Não circuncisado

Balanite ou balanopostite

� Cândidas: 30% – 35%

� Pápulas ou papulopústulas

� Fatores predisponentes- Umidade- Diabetes mellitus- Relação sexual- Não circuncisado

CANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASE

Page 60: Micologia Especial

4.6 Candidíase Cutânea� Locais úmidos e macerados

� Intertrigo, forma mais comum

� Área genitocrural, subaxilar, glútea, interdigital, submamária e pregas daparede abdominal

� Fatores predisponentes- Umidade- Oclusão- Diabetes mellitus- Obesidade- Roupas justas

4.6 Candidíase Cutânea� Locais úmidos e macerados

� Intertrigo, forma mais comum

� Área genitocrural, subaxilar, glútea, interdigital, submamária e pregas daparede abdominal

� Fatores predisponentes- Umidade- Oclusão- Diabetes mellitus- Obesidade- Roupas justas

CANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASE

Page 61: Micologia Especial

CANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASEDermatite das fraldas

� Região perianal, períneo, prega inguinalDermatite das fraldas

� Região perianal, períneo, prega inguinal

Page 62: Micologia Especial

Paroníquia

� Contato com água, sabão e detergentes

� Contaminação bacteriana

� Eritema, dor, edema,

secreção purulenta

� Distrofia periungueal- onicólise

- discromias das bordas laterais

- estrias transversais

Paroníquia

� Contato com água, sabão e detergentes

� Contaminação bacteriana

� Eritema, dor, edema,

secreção purulenta

� Distrofia periungueal- onicólise

- discromias das bordas laterais

- estrias transversais

CANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASE

Page 63: Micologia Especial
Page 64: Micologia Especial
Page 65: Micologia Especial
Page 66: Micologia Especial
Page 67: Micologia Especial

5. Exames laboratoriais5.1 Pesquisa micológica

5. Exames laboratoriais5.1 Pesquisa micológica

CANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASECANDIDÍASE

Exame direto (KOH)(hifas e pseudohifas)Exame direto (KOH)(hifas e pseudohifas)

Cultura micológicaCultura micológica

Page 68: Micologia Especial

1. Micetoma:

Infecção localizada, crônica e lentamente progressiva da pele, tecidos subcutâneos, fáscia, ossos e músculos, na maioria acomete mão ou pé e se caracteriza por edema, tumefação, fístulas com drenagem e grânulos, exsudato contém grãos, que podem ser amarelos, brancos, vermelhos, marrons, pretos, dependendo do agente

Page 69: Micologia Especial
Page 70: Micologia Especial

� Distribuição geográfica limitada� Agentes etiológicos encontrados no solo e

em dejetos de animais� Porta de entrada: vias aréas superiores

Page 71: Micologia Especial

Paracoccidioides brasiliensisFungo Dimórfico

Forma micelar ou filamentosa - <25oCForma leveduriforme - 37oC

Page 72: Micologia Especial

Paracoccidioidomicose infecçãoParacoccidioidomicose doença

� Forma aguda/subaguda� Forma crônica� Unifocal� Multifocal

Forma residual ou seqüelar

Page 73: Micologia Especial
Page 74: Micologia Especial
Page 75: Micologia Especial
Page 76: Micologia Especial
Page 77: Micologia Especial

� Padrão ouro: isolamento do agente etiológico (exame a fresco de escarro, raspado de lesão aspirado de linfonodo, fragmento de biópsia)

� Sorologia: diagnóstico e avaliação da resposta do hospedeiro – vários métodos, sensibilidade variando de 85 a 100%

Page 78: Micologia Especial

� Sulfametoxazol-trimetoprim: 12 meses nas formas leves e 18 a 24 meses nas formas moderadas

� Itraconazol: 6 a 9 meses nas formas leves e 12 a 18 meses nas moderadas

� Anfotericina B: formas graves

Page 79: Micologia Especial

� Agente: Coccidioides immitis� Fungo saprofita� Infecção por vias aéreas

Page 80: Micologia Especial

� Criptococose (doença de Busse-Buschke, ou tolurose ou blastomicose europeia):

� Doença que pode ser aguda, subaguda ou crónica.

� Causada por Criptococcus neoformans

Page 81: Micologia Especial

� levedura capsulada que cresce em cultura de 25ºC e 37ºC e nos tecidos (ao contrário dos anteriores, este é monomórfico);

� na fase sexuada é Filobasidiella neoformans (basidiomiceto);� sobrevive em meio seco, alcalino, rico em nitrogénio e

hipertónico.;

� factores de virulência:� o Cápsula de mucopolissacarídeo ácido – inibe fagocitose;� • Local primário de infecção – pulmão (mas com alta predilecção

por cérebro e meninges via disseminação sistémica);� • É a principal causa de meningite fúngica, contudo doença

óssea e cutânea podem estar presentes sem comprometimento neurológico;

� • Causa alta morbilidade e mortalidade em imunodeprimidos e receptores de transplantes.

Page 82: Micologia Especial
Page 83: Micologia Especial

� Conhecida como doença de Darling, citomicosereticuloendotelial, doença das cavernas e doençados espeleólogos, resulta da inalação deconídios* ou de fragmentos de hifas deHistoplasma capsulatum.

� Ocorre em todo o mundo, mas é mais comum nocentro-oeste dos EUA

� Na maioria dos casos é assintomática, mas em5% dos casos ocorrem sintomas clínicos depneumonia aguda, seguida, com menosfrequência, de doença disseminada progressiva.

Page 84: Micologia Especial

Epidemiologia� Histoplasma capsulatum é o agente etiológicoda histoplasmose;

� Cresce no solo com elevado conteúdo emazoto, particularmente em áreascontaminadas com excreções de morcegos eaves

� É largamente distribuída em todas as zonastemperadas, subtropicais e tropicais domundo.

Page 85: Micologia Especial

Síndromes clínicas� O pulmão é a porta habitual da infecção;� Os conídeos ou fragmentos de hifas sãoinalados, fagocitados pelos macrófagospulmonares e, a seguir, convertidos em levedurasque são capazes de se replicar nos macrófagos;

� No hospedeiro imunocompetente, os macrófagosadquirem atividade fungicida, contendo assim ainfecção;

� A histoplasmose disseminada progressiva grave éobservada de maneira crescente em adultos queapresentam neoplasias hematológicas e queestejam a receber tratamento imunossupressorou que possuam SIDA – nestes casos, ahistoplasmose disseminada é descrita como umainfecção oportunista;

Page 86: Micologia Especial
Page 87: Micologia Especial
Page 88: Micologia Especial

�����������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������������