MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INEP

  • View
    31

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INEP. SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR – SINAES INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO. Introdução. Este documento tem por finalidade tratar da avaliação dos cursos de graduação, presenciais e a distância, no âmbito do SINAES. - PowerPoint PPT Presentation

Text of MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INEP

  • MINISTRIO DA EDUCAOINEP

    SISTEMA NACIONAL DE AVALIAODA EDUCAO SUPERIOR SINAES

    INSTRUMENTO DE AVALIAO DE CURSO DE GRADUAO

  • IntroduoEste documento tem por finalidade tratar da avaliao dos cursos de graduao, presenciais e a distncia, no mbito do SINAES.

  • AVALIAO NO CONTEXTO DO SINAESConcebido tendo como referncia os padres de qualidade da educao superior;Com base nas Diretrizes Curriculares Nacionais, nas normas legais vigentes e nas diretrizes da CONAES.

  • AVALIAO NO CONTEXTO DO SINAESComisso Nacional de Avaliao da Educao Superior (CONAES) definio das diretrizes

    Diretoria de Estatsticas e Avaliao da Educao Superior (DEAES) do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Ansio Teixeira (INEP) Comisso Tcnica de Avaliao (CTA) elaborao dos instrumentos, manuais e protocolos de avaliao

  • AVALIAO NO CONTEXTO DO SINAESArt. 4 da Lei 10.861/2004 define que a avaliao dos cursos de graduao tem por objetivo identificar as condies de ensino oferecidas aos estudantes, em especial as relativas ao perfil do corpo docente, as instalaes fsicas e a organizao didtico-pedaggica.

  • AVALIAO NO CONTEXTO DO SINAESInstrumento nico de Avaliao de Cursos de Graduao (presenciais e a distncia) :- Bacharelado - Licenciatura- Tecnolgico

  • Principais caractersticas do Instrumentoinstrumento nico, porm respeita as identidades e as diversidades institucionais e de cursosalguns indicadores se repetem (transversalidade); orienta as IES e os avaliadores no uso do Instrumento.no check list trabalha com a coerncia e no com a existncia;

  • AvaliaoMudana significativa desde 2004.. Substituio do modelo classificatrio, fragmentado e pontual. Por uma viso integradora, abrangente, sistemtica e participativa de avaliao.

  • AVALIAOAvaliar no inspecionar, controlar, nem to pouco verificar in loco um conjunto de elementos e aspectos de forma desordenada e desarticulada, gerando resultados parciais, superficiais e momentneos, que no retratam a totalidade das realidades institucionais e dos cursos de graduao.

  • AVALIAOAvaliar, no contexto do SINAES, estabelecer um processo dialgico que permite olhar as dimenses quantitativas e qualitativas como expresso do vivido e do desejado, como projeto de formao relevante para o indivduo e da sociedade.

  • AVALIAO atividade que requer competncia e habilidades dos atores sociais envolvidos neste processo de construo coletiva. Tem como propsito identificar potencialidades e fragilidades, e destacar pontos fortes e fracos no processo de aprendizagem, tendo como referncias o PPI, PDI e os PPC.

  • INSTRUMENTO A matriz de construo do Instrumento contempla 3 Categorias nos quais esto presentes Indicadores que atendem as Dimenses constantes da Lei do SINAES

  • DOCUMENTOS INSTITUCIONAIS

    Projeto Pedaggico Institucional (PPI)

    Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI)

    Projetos Pedaggicos dos Cursos (PPC)

    Cadastro de Docentes

  • CONCEPES E PRINCPIOS NO MBITO DO SINAES A avaliao da formao acadmica e profissional entendida como uma atividade estruturada que permite a apreenso da qualidade do curso no contexto da realidade institucional avaliao de curso articulada a Avaliao Institucional.

  • CONCEPO DO PPC E SUA ARTICULAO COM PPI, PDI E CURRCULO necessrio sintonia entre PPC e o Currculo que o compe, com o PPI, PDI e os propsitos da IES.Estes documentos devem ser avaliados respeitando-se as caractersticas da organizao acadmica das IES e da regio em que se localizam.

  • ARTICULAO DOS DOCUMENTOSCompreenso da importncia do PPI, PDI, PPC e Currculo como documentos nos quais as IES explicitam seu posicionamento a respeito de sociedade, de educao e de ser humano e asseguram o cumprimento de suas polticas e aes.

  • ARTICULAO DOS DOCUMENTOSOs projetos, o plano e o currculo, muito mais que documentos tcnico-burocrticos, consistem em instrumentos de ao poltica e pedaggica, cujo objetivo promover uma formao com qualidade.

  • ARTICULAO DOS DOCUMENTOSA articulao entre o PPI, PDI, PPC e o Currculo, este como elemento constitutivo do PPC, deve ser avaliada respeitando-se as caractersticas da organizao acadmica das IES e da regio onde esto inseridas, conforme preconiza a legislao em vigor.

  • CONCEITO FINALCategoria 1 Organizao didtico-pedaggicaCategoria 2Corpo docente, corpo discente e corpo tcnico-administrativo Categoria 3 Instalaes fsicasGrupos de Indicadores: 1. Administrao Acadmica: coordenao e colegiado de curso 2. Projeto Pedaggico do Curso: concepo, currculo e avaliao;3.Atividades Acadmicas Articuladas Formao: prtica profissional e/ou estgio, TCC e atividades complementares4.ENADEGrupos de Indicadores: 1. Perfil Docente; 2. Atuao nas atividades acadmicas;3. Corpo discente: ateno aos discentes;4.Corpo Tcnico-Administrativo -atuao no mbito do cursoGrupos de Indicadores: 1.Biblioteca2. Instalaes especiais e laboratrios especficos: cenrios/ambiente/ laboratrios para a formao geral e bsica; profissionalizante e especfica; prtica profissional e prestao de servios comunidade.

  • Matriz do Instrumento de Curso3 Categorias17 Grupos de indicadores104 Indicadores Categoria 1 Organizao Didtico-Pedaggica 9 Grupos de Indicadores e 43 Indicadores; Categoria 2 Corpo docente, corpo discente e corpo tcnico-administrativo 4 Grupos de Indicadores e 14 Indicadores; Categoria 3 Instalaes fsicas 4 Grupos de Indicadores e 47 Indicadores

  • TERMOS

    CATEGORIAS: agrupamentos de grandes traos ou caractersticas referentes aos aspectos do curso sobre os quais se emite juzo de valor e que, em seu conjunto, expressam sua totalidade. As trs categorias contemplam, em seus indicadores, as 10 dimenses do SINAES.

  • TERMOS

    GRUPO DE INDICADORES: conjunto de caractersticas comuns usadas para agrupar, com coerncia e lgica, evidncias da dinmica acadmica dos cursos. No so objeto de avaliao e pontuao.

  • TERMOS

    INDICADORES: so aspectos (quantitativos e qualitativos) que possibilitam obterem evidncias concretas que, de forma simples ou complexa, caracterizam a realidade dos mltiplos elementos institucionais que retratam.

  • TERMOS

    CRITRIOS: so os padres que servem de base para comparao, julgamento ou apreciao de um indicador.

  • TERMOS

    INDICADORES IMPRESCINDVEIS: so aqueles definidos pela legislao em vigor, que devem ser plenamente atendidos.Ex.: Indicador 1.4.3 Coerncia do currculo face s Diretrizes Curriculares Nacionais

  • TERMOS

    Indicadores aos quais pode ser atribuda a CONDIO NO SE APLICA NSA e que so aqueles cujo atendimento opcional para os cursos. Dependem da modalidade de curso (Bacharelado, EAD), natureza da IES (Universidade, Faculdade), especificidade do curso. Deve ser justificado seu uso.

  • TERMOSFica assegurado o respeito s identidades e diversidades institucionais e de cursos. Pesos redistribudosIndicador NSA sempre justificado (base no PPI, PDI, PPC e legislao especfica).Critrios e indicadores no so inflexveis: Juzo de valor

  • SISTEMTICA DE AVALIAOAnlise da documentaoA avaliao in loco (definida na Resoluo INEP n 1 de 4 de maio de 2005)O resultado subsidiar os processos de reconhecimento ou renovao de reconhecimento.

  • AVALIAO IN LOCOAnlise do projetoParecer de Autorizao (IES sem autonomia)Verificar atendimento s recomendaes contidas no relatrio das ComissesParecer do CNE (quando houver)Processo aprovado nos Conselhos Superiores (Universidade e Centros Universitrios)

  • ATRIBUIO DE CONCEITOS

    A atribuio de pontuao com base nos conceitos de 5 a 1 feita de modo direto, em trs estgios: a) atribuio de conceito a cada um dos indicadores; b) atribuio de conceito a cada uma das categorias; c) atribuio de conceito final do curso.

  • ATRIBUIO DE CONCEITOS

    O conceito atribudo a cada uma das categorias calculado em duas etapas:clculo automtico da mdia aritmtica das notas/conceitos dos indicadores pertencentes quela categoria;transformao das mdias aritmticas e ponderada em um conceito na escala do SINAES, por meio de aproximaes realizadas com a interferncia dos avaliadores

  • ATRIBUIO DE CONCEITOS1,0 MAI < 1,4 11,4 MAI 1,7 1 ou 21,7 < MAI < 2,4 22,4 MAI 2,7 2 ou 32,7 < MAI < 3,4 33,4 MAI 3,7 3 ou 43,7 < MAI < 4,4 44,4 MAI 4,7 4 ou 54,7 < MAI 5,0 5

  • ASPECTOS QUALITATIVOSFEForas / PotencialidadesFragilidades / Pontos que requerem melhoriaRecomendaesParecer analtico final da Comisso Externa de AvaliaoAvaliao do Instrumento pela ComissoAvaliao, pela IES, do Instrumento de Avaliao Externa de IES e da Comisso de Avaliao

  • ATRIBUIO DE CONCEITOS

    Deve haver completa coerncia entre os conceitos atribudos e os textos elaborados pelos avaliadores. Por ex.: se o avaliador atribuiu conceito 5 ou 4 para o Indicador 1.4.1. Coerncia do currculo com os objetivos do curso, no poder, na descrio do texto, dizer que essa coerncia no existe;

  • ATRIBUIO DE CONCEITOS

    Os textos, obedecendo ao nmero de caracteres do FE, devero descrever os dados e informaes do conceito e as anlises feitas, da forma mais detalhada possvel.

  • ATRIBUIO DE CONCEITOS

    O parecer analtico dever ser coerente com os conceitos atribudos e refletir com clareza a opinio dos avaliadores, no permitindo dvidas de interpretao, conforme legislao em vigor (Art. 32 Portaria 2.051 de 2004)

  • CATEGORIAS AVALIADAS

  • CATEGORIAS AVALIADASCATEGORIA 1 ORGANIZAO DIDTICO-PEDAGGICA

  • CATEGORIAS