Monografiafinal_ Murilo

  • View
    322

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Monografiafinal_ Murilo

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLNDIA INSTITUTO DE ECONOMIA GRADUAO EM CINCIAS ECONMICAS

EDUCAO E RENDIMENTOS: AS DIFERENTES ABORDAGENS E METODOLOGIAS UTILIZADAS NA ANLISE DESTA RELAO.

MURILO MASSARU DA SILVA

Uberlndia MG 2010

1

MURILO MASSARU DA SILVA 85531

EDUCAO E RENDIMENTOS: AS DIFERENTES ABORDAGENS E METODOLOGIAS UTILIZADAS NA ANLISE DESTA RELAO.

Trabalho de concluso apresentado como requisito parcial para a obteno do ttulo de Bacharel em Cincias Econmicas pelo Curso de Cincias Econmicas da Universidade Federal de Uberlndia.

Prof. Dr. Henrique Dantas Neder Orientador

Uberlndia MG 2011

2

Murilo Massaru da Silva

Educao e rendimentos: as diferentes abordagens e metodologias utilizadas na anlise desta relao.

Trabalho de concluso apresentado como requisito parcial para a obteno do ttulo de Bacharel em Cincias Econmicas pelo Curso de Cincias

Econmicas da Universidade Federal de Uberlndia.

Uberlndia, fevereiro de 2011

Banca Examinadora:

______________________________________________ Prof. Dr. Henrique Dantas Neder _______________________________________________ Prof. Dr. Jos Flores Fernandes Filho _______________________________________________ Prof. Dr. Humberto Eduardo de Paula Martins

3

AGRADECIMENTOS

minha famlia e amigos, por me dar todo o apoio durante todo o curso. Ao meu orientador, Prof. Dr. Henrique Dantas Neder, por me guiar e ajudar durante todo o desenvolvimento do trabalho. Ao Instituto de Economia da Universidade Federal de Uberlndia, por disponibilizar toda sua estrutura para minhas atividades curriculares e extracurriculares.

4

RESUMO

Desde a formulao da teoria do capital humano, coemou um grande debate sobre a influncia que a escolaridade possui sobre a renda. A grande discusso das ltimas dcadas no se concentra na questo da existncia ou no de uma relao entre estas duas variveis, mas apenas, na mensurao de seu valor. Os avanos na rea da econometria e a melhoria de algumas bases de dados vm permitindo que novas metodologias sejam adotadas para analisar este tema. Este trabalho tambm faz uma anlise dos recentes dados da PNAD 2009, para se estimar uma equao de rendimentos por MQO.

ABSTRACT

Since the formulation of the human capital theory, a major debate about the influence of the scolarity over earnings has started. The principal discussion over the last decades isnt about the existence or not of a relation between this two variables, but only about the measurement of its value. Econometrics advances and improvements of data bases have been allowing the use of new methods, on the analysis of this theme. This work also makes a analysis of recent data from PNAD 2009, to estimate an earning function by OLS.

5

ndice de GrficosGrfico 1 Relao rendimentos-experncia ............................................................16

ndice de TabelasTabela 1 Taxa de retorno da escolaridade para diversos pases e anos...................21 Tabela 2 Desempenho e validade de diferentes modelos........................................31 Tabela 3 Equao de rendimentos com base na PNAD-96 por Sachsida, Loureiro e Mendona (2003)......................................................................................................................33 Tabela 4 Equao Regresso do Logaritmo da Renda por MQO

(2003)........................................................................................................................................34 Tabela 5 Equao de rendimentos com base na PNAD-96 por Ueda (2001)..........35 Tabela 6 Comparao entre os estimadores obtidos de educao e experincia.....36 Tabela 7 Resultados de Ileanu e Tanasoiu (2008)...................................................45 Tabela 8 VT Earnings Function Parameter estimates por Ghosh(2001).............46 Tabela 9 Net Present Values for males by college and race ($) por Ghosh(2001)..46 Tabela 10 Net Present Values for males by college and race ($) por Ghosh (2001)....47 Tabela 11 Resultados de Becker e Tomes (1986)....................................................48 Tabela 12 Taxa de Retorno da educao encontrada por Suliano e Siqueira (2009)........................................................................................................................................49

6

Sumrio Geral1 Introduo..........................................................................................................7 2 Uma introduo teoria do capital humano......................................................8 2.1 - Diferenas de rendimento e a teoria do capital humano..................................8 2.2 - Crticas teoria do capital humano................................................................13 3 Equaes de rendimento..................................................................................16 3.1 - Estudos internacionais sobre equaes de rendimento..................................18 3.2 - Estudos nacionais sobre equaes de rendimento e a distribuio de renda..........................................................................................................................................27 4- Efeito da educao sobre a renda no Brasil em 2009........................................34 4.1 - Funo de rendimentos com dados da PNAD 2009......................................34 4.2 - Comparao com outras pesquisas................................................................36 5 Consideraes finais.........................................................................................40 6 Referncias Bibliogrficas...............................................................................42 7 Anexos..............................................................................................................45

7

1 Introduo

Este estudo tem o objetivo de analisar e discutir as diferentes abordagens e metodologias utilizadas na estimao de equaes de rendimento. A estimao economtrica, atravs destas equaes, tem o objetivo de encontrar os determinantes dos rendimentos individuais, e tambm, a magnitude do efeito de cada varivel. Este trabalho destaca o papel da varivel educao em especial, pois existe um grande debate sobre o quanto a escolaridade capaz de influenciar os rendimentos, e at mesmo a distribuio da renda. Para isso, primeiramente apresentada e discutida a teoria do capital humano no captulo 2. Existe uma grande polmica que acerca esta teoria, pois, de acordo com ela, existe uma relao positiva entre escolaridade e renda, que explicada pelo aumento da produtividade do indivduo na medida em que ele investe em mais educao. Na segunda parte do captulo so apresentadas as crticas a fundamentao, poder de explicao e aplicabilidade da teoria do capital humano. No captulo 3, se faz uma reviso de diversos estudos que utilizam diferentes mtodos economtricos para estimar equaes de rendimento. Na primeira parte, so apresentados estudos de outros pases, e suas peculiaridades. J a segunda parte do captulo se baseia em estudos nacionais sobre o tema, alm de fazer uma breve discusso sobre a relao entre educao e distribuio de renda. O captulo 4 apresenta uma estimao por MQO de uma equao de rendimento, com base nos dados da PNAD de 2009. Os resultados encontrados provavelmente no so os dos estimadores corretos, pois esta pesquisa esbarra em limitaes metodolgicas, inclusive da prpria base de dados. Entretanto, como no h consenso sobre qual a metodologia correta, este estudo opta pela mais simples, mesmo porque ela mais passvel de ser comparado com outras pesquisas. Na segunda seo do captulo, so feitas comparaes com diferentes estudos, de metodologia similar, com o intuito de se verificar semelhanas e disparidades. J as consideraes finais se situam no captulo 5.

8

2 Uma introduo teoria do capital humano 2.1 Diferenas de rendimento e a teoria do capital humano

O estudo de Moretto (1997) indica que antes mesmo de Schultz desenvolver o conceito de capital humano, j havia uma preocupao sobre a variabilidade sobre o fator trabalho. No caso de autores clssicos como os Fisiocratas alm de Smith, Ricardo e Marx, insights sobre este tema so encontrados geralmente em entrelinhas, sem que se dedicasse grandes esforos para a discusso deste fato. John Stuart Mill estuda com mais enfoque os determinantes da produtividade dos agentes de produo. No caso da mo-de-obra, o autor afirma queUma coisa ainda no bem compreendida e reconhecida o valor econmico da difuso geral da cultura e da instruo entre a populao. O nmero de pessoas preparadas para dirigir e supervisionar qualquer empresa industrial, ou mesmo para executar qualquer processo praticamente irredutvel memria ou rotina, est quase sempre muito aqum da demanda, como o evidencia a enorme diferena entre os salrios pagos mo-de-obra comum. (MILL, 1988, p.103)

Moretto ainda analisa a contribuio dos marginalistas para o surgimento da teoria do capital humano. De acordo com o autor

No final do sculo XIX, os economistas da corrente marginalista, dentre eles, Jevons, Menger, Fischer, Wicksell e Walras, alteraram o objeto da anlise dos clssicos para a importncia da contribuio marginal de cada fator de produo. Desaparecia ento o excedente econmico enquanto uma categoria, pois a cada fator de produo cabe o correspondente ao que ele, marginalmente, contribuiu. (FONSECA, 1996). Para os marginalistas, os salrios no so mais de subsistncia, mas equivalem produtividade marginal do trabalho. (MORETTO, 1997, p. 76)

Walras, um dos fundadores da teoria da utilidade marginal e da economia matemtica, destaca que

sempre, quer por natureza, quer por destinao, qualquer espcie de riqueza social ou serve mais de uma vez ou serve apenas uma vez e , conseqncia, um capital ou rendimento e acrescenta que f