na revenda

Embed Size (px)

Text of na revenda

  • Principais itens de

    fiscalizao na revenda

    de Gs LP

  • Principais itens de

    fiscalizao na revenda

    de Gs LP

  • 4 Principais itens de fiscalizao na revenda de Gs LP 5Principais itens de fiscalizao na revenda de Gs LP

    A comercializao

    do Gs LP em

    recipiente

    transportvel

    regulada por um

    grande nmero

    de diplomas

    legais

    Introduo

    O Gs LP (GLP) um produto inflamvel e sua principal funo fornecer energia. Como todo combustvel, quando no so observadas regras de segurana, pode causar acidentes. Por isso a comercializao do Gs LP em recipiente transportvel regulada por um grande nme-ro de diplomas legais, dentre os principais, destacamos:

    [ Portaria ANP n 297/03 - Estabelece os requisitos neces-srios para a autorizao para o exerccio da atividade de revenda de gs liquefeito de petrleo.

    [ Resoluo ANP n 05/08 - Adota a norma NBR 15514/07 para fins de estabelecimento dos critrios de segurana das reas de armazenamento de GLP e define critrios para reven-da no mesmo imvel de residncia.

    [ Portaria INMETRO n 225 de 29/07/09 que estabelece os critrios para exame de determinao quantitativa do con-tedo efetivo do produto gs liqefeito de petrleo (Gs LP) quando comercializado em recipientes transportveis.

    [ Norma NBR 15514/07 - estabelece os requisitos mnimos de segurana das reas de armazenamento de recipientes transportveis de gs liquefeito de petrleo (GLP) com capa-cidade nominal de at 90 kg de GLP (inclusive), destinados ou no comercializao.

    [ Resoluo ANP n 70/11 Disciplina o estacionamento de ve-culos transportadores de recipientes transportveis de GLP cheios, parcialmente utilizados e vazios, no interior de imvel onde exista rea de armazenamento para recipientes transportveis de GLP, a fim de resguardar as condies mnimas de segurana.

    [ Resoluo ANP n 40/14 Estabelece as obrigaes do re-vendedor de GLP relacionadas com a qualidade do recipiente transportvel de GLP, especificamente sobre os requisitos para a requalificao.

    [ Resoluo ANP n 26/15 - Regulamenta a comercializao, em reas urbanas e rurais, e a entrega de recipientes transportveis

    de GLP em domiclios de consumidores, em estabelecimentos comerciais e industriais, para consumo prprio, e entre revende-dores autorizados pela ANP, por meio de veculos automotores.

    O objetivo deste material alertar a todos para os principais itens de fiscalizao da ANP, prevenindo acidentes e tambm duras pe-nalidades que a revenda pode sofrer.

    Dados do Balano da fiscalizao da ANP

    A Agncia Nacional do Petrleo, Gs Natural e Biocombustveis ANP divulgou os dados do balano anual da fiscalizao em 2015.

    Esta cartilha baseia-se, fundamentalmente, nos itens mais identifica-dos nas fiscalizaes. Foram realizadas 4.054 aes de fiscalizao em Revendas de Gs LP, abrangendo 2.814 agentes fiscalizados, gerando 965 autos de infrao.

    As infraes registradas foram:

    Revendedor de GLP Qtde. (%)No atender a normas de segurana 761 45,9No prestar informaes ao consumidor 236 14,2Construir/operar instalaes/equipamentos em desacordo 194 11,7No cumprir notificao 135 8,1Adquirir ou destinar produto de/para fonte diversa da autorizada 128 7,7Exercer atividade regulada sem autorizao 93 5,6No apresentar documento de outorga 36 2,2Adquirir/comercializar sem cobertura fiscal 23 1,4No atualizar dados cadastrais na ANP 19 1,1Deixar de apresentar ou apresentar incorretamente documentao de movimentao de combustveis

    7 0,4

    Comercializar com vcio de quantidade 4 0,2No apresentar informaes ANP 4 0,2No apresentar documentao referente qualidade dos combustveis 2 0,1Comercializar produto com rtulo/lacre em desacordo 1 0,1Outros* 15 0,9Total 1.658 100*No informar ANP a paralisao da atividade; dificultar a ao da fiscalizao etc.

  • 6 Principais itens de fiscalizao na revenda de Gs LP 7Principais itens de fiscalizao na revenda de Gs LP

    O Alvar da

    Prefeitura

    documento

    indispensvel

    para o regular

    funcionamento do

    estabelecimento e

    devemos atentar

    ao prazo de

    renovao deste

    documento

    Ateno ao prazo

    de validade do

    Atestado de

    Vistoria

    do Corpo de

    Bombeiros

    Atestado de Vistoria do Corpo de Bombeiros

    O Corpo de Bombeiros vistoria periodicamente as revendas de Gs LP como forma de atestar que as condies de segurana da rea de armazenamento de recipientes transportveis de Gs LP perma-necem dentro das normas estabelecidas. A emisso do Atestado de Vistoria do Corpo de Bombeiros AVCB ou documento equiva-lente, significa que a autoridade competente do Estado vistoriou e aprovou as instalaes. O AVCB indica a(s) classe(s) e capacida-de(s) de armazenamento, de acordo com a NBR 15514.

    Deve ser dada especial ateno s recomendaes eventualmente inscritas no AVCB para que sejam completamente atendidas.

    A frequncia de vistoria para emisso do AVCB definida nos Cdigos de Incndio Estaduais. A maioria dos Corpos de Bombeiros do Brasil assume a frequncia de 365 dias contados da data da vis-toria. H aqueles cuja frequncia de 2 e at 3 anos, e h Unidades da Federao que o AVCB vence no ltimo dia de cada ano.

    A Revenda de Gs LP deve dar entrada no pedido de renovao do AVCB antes do vencimento e guardar o protocolo de entrada. A Agncia Nacional do Petrleo, Gs Natural e Biocombustveis ANP, tem considerado o protocolo de entrada, com data anterior ao ven-cimento, como adequado, no gerando autos de infrao por isso.

    Referncia Portaria ANP n 297/03, art. 6, inciso VII.

    Alvar da Prefeitura

    O Alvar da Prefeitura local atesta que a municipalidade aprova a operao do estabelecimento de acordo com as leis de uso e

    ocupao do solo e cdigos de postura municipais. A validade do Alvar varia de municpio para municpio, na maioria deles, emi-tido um Diploma e a renovao ocorre atravs do pagamento das taxas anuais. Estas taxas precisam estar em dia.

    Referncia Portaria ANP n 297/03, art. 6, inciso VI.

    Inscrio Estadual suspensa ou inativa

    Os contribuintes que tiverem a eficcia de sua inscrio estadual suspensa ou inativa podero procurar o auxilio de um contador para regularizar sua situao cadastral caso queiram continuar re-gularmente suas atividades. Vale ressaltar que a situao cadastral irregular perante a Fazenda Estadual pode acarretar na suspenso ou revogao da autorizao outorgada pela ANP.

    Referncia Portaria ANP n 297/03, art. 6, inciso IV.

    Mudana do nome da rua

    O endereo da revenda deve ser o mesmo em todos os documentos, inclusive na autorizao junto ANP. Caso a prefeitura municipal altere o nome da rua da Revenda, o revendedor deve alterar para o novo nome em todos os documentos, preencher nova ficha cadas-tral e enviar para a ANP solicitando mudana de cadastro, em at 30 (trinta) dias aps a efetivao do ato.

    Referncia Portaria ANP n 297/03, Art. 16, inciso XI.

  • 8 Principais itens de fiscalizao na revenda de Gs LP 9Principais itens de fiscalizao na revenda de Gs LP

    Revendas de Gs

    LP situadas em

    cruzamentos

    de duas vias

    devem observar

    se o endereo

    autorizado junto

    ANP o mesmo

    do local fsico

    Endereo da revenda de Gs LP em cruzamentos de vias

    As revendas de Gs LP situadas em cruzamentos de duas vias po-dem causar diferentes interpretaes durante uma fiscalizao. Especialmente se o endereo autorizado na ANP est em uma das vias e o acesso rea de armazenamento for pela outra via.

    O fato a ser observado se o endereo autorizado junto ANP o mesmo do local fsico, independente do acesso por uma ou outra via. Isso pode ser visto nos documentos da revenda, especialmente no Alvar da Prefeitura municipal.

    A minuta da legislao referente ao Marco Regulatrio das reven-das de Gs LP vem com a previso do revendedor indicar na Ficha Cadastral, as vias que podero dar acesso revenda.

    Referncia Portaria ANP n 297/03, Art. 16, inciso XI.

    Quadro de aviso, painel de preos e placas de segurana

    O Quadro de aviso contm informaes cadastrais e da ANP. Ele tem dimenses mnimas definidas que devem ser obedecidas e deve estar disposto na entrada do estabelecimento. Ele o principal indicativo de que determinado estabelecimento revenda de Gs LP autorizada pela ANP, o diferenciando dos clandestinos.

    A frase da parte inferior do quadro de aviso, demonstrado na Figura, uma obrigao citada pela Resoluo ANP 18/2004, art. 11, pargrafo nico. uma boa prtica adicion-la ao quadro de aviso, desde que sejam obedecidas as dimenses mnimas.

    O Painel de Preos tambm deve obedecer s dimenses mnimas definidas e deve estar disposto na entrada do estabelecimento. As Figuras demonstram um modelo.

    A frase abaixo do Quadro de Aviso uma obrigao da Resoluo ANP n 18/04, podendo ser na mesma placa do Quadro de Aviso, res-guardadas as suas dimenses como na Figura, ou em placa separada.

    Todas as placas devem estar legveis. Ateno para efeitos danosos causados por intempries sobre a placa que podem apagar as inscries.

    A placa de informaes de segurana (Figura) deve estar situada pr-xima da rea de armazenamento de recipientes de Gs LP em local visvel, a uma altura de 1,8 m medida do piso acabado base da placa.

    A quantidade de placas de segurana na revenda varia de acordo com a classe, conforme o quadro.

    Classes de armazenamento I e II III e superioresQuantidade de placas 1 placa 2 placas

    As placas devem estar distanciadas entre si, no mximo, 15 metros.

    Referncia Portaria ANP n 297/03, Art. 16, inciso II e IV, NBR 15514, item 4.26.

  • 10 Principais itens de fiscalizao na revenda de Gs LP 11Principais itens de fiscalizao na revenda de Gs LP

    A balana decimal

    deve ser certificada

    e verific