Nathlia Ferreira - Formas de dominao da massa e ... autores: Hannah Arendt, Weber e Etienne de La Boetie. O primeiro captulo utilizar os autores acima citados como forma de sustentao

Embed Size (px)

Text of Nathlia Ferreira - Formas de dominao da massa e ... autores: Hannah Arendt, Weber e Etienne de La...

  • CENTRO UNIVERSITRIO DE BELO HORIZONTE UNI-BH

    Relaes Internacionais

    NATHLIA ROCHA FERREIRA

    FORMAS DE DOMINAO DA MASSA E GOVERNOS

    TOTALITRIOS:

    (HITLER E MAO TSE -TUNG)

    Belo Horizonte MG

    2008

  • NATHLIA ROCHA FERREIRA

    FORMAS DE DOMINAO DA MASSA E GOVERNOS

    TOTALITRIOS:

    (HITLER E MAO TSE -TUNG)

    Trabalho apresentado disciplina Monografia II do 8 perodo do curso de Relaes Internacionais do Centro Universitrio de Belo Horizonte - Uni-BH, como requisito para aprovao.

    Orientadora: Alexandra Nascimento

    Belo Horizonte - MG

    2008

  • NATHLIA ROCHA FERREIRA

    FORMAS DE DOMINAO DA MASSA E GOVERNOS TOTALITRIOS:

    HITLER E MAO TSE-TUNG

    Monografia apresentada ao Curso de Relaes Internacionais do Centro Universitrio de Belo Horizonte UNI-BH. Orientador: Alexandra do Nascimento Passos

    Monografia defendida e aprovada em: 15 de dezembro de 2008 Banca examinadora: __________________________________________________ Prof. Dawison Elvcio Belm Lopes DCJPG/UNI-BH __________________________________________________ Prof. Tlio Srgio Henriques Ferreira DCJPG/UNI-BH

  • Sinceros agradecimentos aos meus professores que ao longo da

    graduao contriburam para o meu crescimento acadmico e

    pessoal. E agradeo em especial, minha orientadora Alexandra do

    Nascimento Passos, pela confiana e incentivo.

  • Se vivssemos com os direitos que recebemos da natureza e segundo

    os preceitos que ela ensina, seramos naturalmente submissos a nossos

    pais, sditos da razo, mas escravos de ningum (ETIENNE DE LA

    BOTIE)

  • RESUMO

    O projeto apresentado tem como objetivo estudar as formas de dominao de regimes

    totalitrios sobre as massas populares. Atravs da dominao, consentida em diversas reas da

    sociedade. Nesse contexto, a anlise do projeto abordar diferentes conceitos para este lder,

    que atravs de trs principais ticas ser abordado primeiramente por Hannah Arendt, como

    lder totalitrio; por Weber, como lder carismtico, e, por fim, por La Botie, como tirano.

    Mediante anlise histrica dos casos estudados, poder ser observada uma linha de

    ao caracterstica dos governos totalitrios. Mesmo sendo estes governos, com ideologias

    polticas antagnicas, podemos observar essa postura convergente entre os lderes dos casos

    estudados.

    Nota-se, nesse projeto, que no se pode explicar a servido da massa somente atravs

    do poder coercitivo, mas sim atravs da imagem de um lder carismtico mistificado e

    cultuado. De qualquer forma este lder no alcanaria a Revoluo sem antes existir uma

    abertura em um Estado falido.

    PALAVRAS CHAVE: Dominao Totalitarismo Lder carismtico Servido voluntria

  • LISTA DE TABELAS Tabela 1 Vendas inglesas de pio para a China........................................... 35

  • SUMRIO

    CAPTULO I Fundamentao Terica...................................................................05

    1.1 O totalitarismo...........................................................................................................06

    1.1.2 Totalitarismo e propaganda....................................................................................09

    1.2 Os tipos de dominao...............................................................................................11

    1.2.1 Racional Legal......................................................................................................11

    1.2.2 Racional Legal Patriarcal......................................................................................12

    1.2.3 Carismtica............................................................................................................13

    1.3 Servido Voluntria..................................................................................................15

    CAPTULO II Histrico........................................................................................19

    2.1 Alemanha..................................................................................................................20

    2.2 China..........................................................................................................................34

    CAPTULO III Anlise.........................................................................................47

    ANEXO...................................................................................................... 61

    BIBLIOGRAFIA.......................................................................................64.

  • 5

    INTRODUO

    O trabalho apresentado tem por objetivo estudar regimes totalitrios sua origem e

    formao visando entender como estes governos se erguem e conquistam a servido

    voluntria da massa. O projeto apresentado prope o estudo dos meios de dominao

    utilizados pelos lderes totalitrios. Tomando como referncia a histria vivida pela Alemanha

    no perodo entre guerras at a queda de Hitler e a histria da China pr-revolucionria at a

    morte de Mao Tse-tung, os regimes totalitrios sero analisados a partir do pensamento de trs

    principais autores: Hannah Arendt, Weber e Etienne de La Boetie.

    O primeiro captulo utilizar os autores acima citados como forma de sustentao terica

    s idias defendidas ao longo do trabalho. O primeiro conceito se dedicar a entender o que

    so os regimes totalitrios, o segundo especificar o que o lder carismtico e sua relao

    com a massa, e por fim, o terceiro discorrer sobre a servido voluntria que buscar explicar

    porque os homens se sujeitam tirania.

    O segundo captulo ser dedicado a descrever historicamente os antecedentes de uma

    revoluo poltica que ter como princpio uma anterior desordem nacional, e a ascenso

    destes dois partidos: nazista e comunista, objetos de estudo do projeto.

    O terceiro captulo ter o objetivo de analisar as informaes recolhidas ao longo do

    projeto para, por fim, estudar com maior profundidade e especificidade os governos acima

    citados, utilizando a teoria para explicar os fatos ocorridos e analisando os discursos feitos

    pelos dois governantes. Neste captulo cada caracterstica dos governos totalitrios, lder

    carismtico e servido voluntria ser demonstrada atravs dos acontecimentos histricos.

    Ser tambm analisada a tendncia que Estados falidos, descritos por Jackson (1990), tentem

    para a revoluo.

  • 6

    CAPTULO 1

    1. FUNDAMENTAO TERICA

    1.1 O Totalitarismo

    A fundamentao terica do trabalho ser dividida em trs principais conceitos, sendo uma

    delas o totalitarismo presente nos governos de Hitler e Mao Tse-Tung1. Assim como para a

    autora Hannah Arendt(1989), Bobbio(2000) caracteriza o totalitarismo como uma poltica uni

    partidria de massa, onde o lder possui domnio total sobre a sociedade em todas as reas:

    poltica, comportamento social, economia, cultura, acesso as informaes, cultura, arte e tudo

    aquilo que afeta a sociedade dentro de um Estado. Esse domnio existe para que segundo La

    Botie (1986) a sociedade permanea em estado de servido voluntria, mantendo o controle

    social dentro do domnio do governante tirano. A conquista e domnio da massa tornam-se,

    ento, imprescindveis para a formao de um governo totalitrio. Arendt descreve essa

    importncia.

    Os movimentos totalitrios so organizaes macias de indivduos atomizados e isolados. Distinguem-se dos outros partidos e movimentos pela exigncia de lealdade total, irrestrita, incondicional e inaltervel de cada membro individual. (ARENDT, 1989 : 373)

    Para que os movimentos totalitrios se tornem um dia um partido nico no governo,

    preciso primeiramente recrutar seus membros entre a massa que teoricamente no possui

    acesso aos acontecimentos polticos do pas, ou aparentemente so indiferentes. O primeiro

    1 No perodo em que a autora Hanna Arendt escreve, a China ainda est iniciando seu processo de mudana governamental, por isso somente citada em seu livro a possibilidade de Mao Tse-Tung ser um futuro governante totalitrio, mas ela no aprofunda seus comentrios j que neste perodo Hanna Arendt ainda no possui informaes suficientes para caracteriz-lo com tal.

  • 7

    caso pode ser enquadrado pelos camponeses da China, recrutados por Mao Tse-Tung, e o

    segundo se encaixa, segundo a autora, na perspectiva alem que passava por uma forte crise

    econmica, tornando a massa por conseqncia aparentemente ausente das decises polticas

    do pas. Esta massa alem , segundo Arendt (1989), excluda e esquecida pelos outros

    partidos de direta.

    A ascenso de governos totalitrios na Europa fez cair por terra duas iluses que os pases

    democrticos europeus tinham: a primeira de que a porcentagem da populao que no se

    envolvia na poltica era minoria; e a segunda que essas massas neutras realmente no se

    importavam com a poltica de seus pases. Hitler conseguiu primeiramente fora neste grupo,

    que se revelou uma grande massa engajada no partido nazista, fortalecendo-o cada vez mais.

    Aps recrutar a massa, o movimento totalitrio tenta acabar com as classes dentro do pas

    para que haja uma unificao entre proletrios e burgueses. Estas extintas classes devero ter

    um objetivo comum contra um inimigo externo. No caso da China, existe ainda a influncia

    marxista2 :

    Os nossos interesses e as nossas tarefas consistem em tornar a revoluo permanente,