of 22/22
MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO E FINANÇAS COD. 200 ASSUNTO: REQUISIÇÃO DE MATERIAL E/OU SERVIÇO APROVAÇÃO: Resolução Direx nº107/2013, de 24/06/2013 VIGÊNCIA: 22/07/2013 NORMA DE REQUISIÇÃO DE MATERIAL E/OU SERVIÇO - NOR 216

NORMA DE REQUISIÇÃO DE MATERIAL E/OU SERVIÇO · NORMA DE REQUISIÇÃO DE MATERIAL E/OU SERVIÇO - NOR 216 FOLHA: 3/21 3.7 DESPESA DE INVESTIMENTO Despesas necessárias ao planejamento

  • View
    238

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of NORMA DE REQUISIÇÃO DE MATERIAL E/OU SERVIÇO · NORMA DE REQUISIÇÃO DE MATERIAL E/OU SERVIÇO...

MANUAL DE ADMINISTRAO E FINANAS COD. 200

ASSUNTO:

REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO

APROVAO:

Resoluo Direx n107/2013, de 24/06/2013

VIGNCIA:

22/07/2013

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL

E/OU SERVIO -

NOR 216

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

1/21

NDICE

1. FINALIDADE .......................................................................................... 02

2. REA GESTORA ................................................................................... 02

3. CONCEITUAO................................................................................... 02

4. COMPETNCIAS .................................................................................. 04

5. REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO RMS ......................... 07

6. PROCEDIMENTOS GERAIS PAEA ELABORAO DE PROJETO BSICO E/OU TERMO DE REFERNCIA ............................................. 09

7. ELEMENTOS EXCLUSIVOS DO PROJETO BSICO PARA SERVIOS NO COMUNS E OBRAS ................................................... 11

8. SUBCONTRATAO ............................................................................. 13

9. APRESENTAO DA PROPOSTA ........................................................ 14

10. QUALIFICAO TCNICA ..................................................................... 14

11. VISTORIA TCNICA ................................................................................ 16

12. CRITRIOS E PRTICAS DE SUSTENTABILIDADE ............................. 16

13. LEGISLAO DE REFERNCIA ............................................................ 17

14. DISPOSIES GERAIS .......................................................................... 18

15. FORMULRIO E INSTRUES DE PREENCHIMENTO .................... 18

15.1 Requisio de Material e/ou Servios RMS, Mod 206/01 ................. 19

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

2/21

1. FINALIDADE

Estabelecer diretrizes, competncias e procedimentos relativos Requisio de Material e/ou Servio RMS no mbito da Empresa Brasil de Comunicao S/A EBC.

2. REA GESTORA

Diretoria de Administrao e Finanas.

3. CONCEITUAO

3.1 AQUISIO

Conjunto de procedimentos para compra de bens e contratao de servios, formalizado por meio de clusulas contratuais, contendo as obrigaes da contratada e da contratante, que resultam num contrato, carta-contrato ou nota de empenho e outras previstas na legislao.

3.2 BENS E SERVIOS COMUNS

Aqueles cujos padres de desempenho e qualidade possam ser objetivamente definidos no objeto do Termo de Referncia e que estejam em conformidade com as especificaes usuais praticadas no mercado.

3.3 BENS E SERVIOS NO COMUNS

Aqueles com diferenas de desempenho e qualidade, incapazes de comparao direta, ou que tenham caractersticas especficas relevantes ao objeto da contratao. So casos de trabalhos de natureza intelectual, autoral, consultoria, assim como aquisio de equipamentos e servios especializados.

3.4 CONSRCIO

O consrcio de empresas consiste na associao de companhias ou qualquer outra sociedade, sob o mesmo controle ou no, que no perdero sua personalidade jurdica, para obter finalidade comum ou determinado empreendimento, geralmente de grande vulto ou de custo muito elevado, exigindo para sua execuo conhecimento tcnico especializado e instrumental tcnico de alto padro.

3.5 CONTRATO

Acordo firmado entre a EBC e pessoa fsica ou jurdica, para o fornecimento de bens, execuo de obras ou contratao de servios, mediante clusulas e condies previamente estabelecidas.

3.6 DESPESA DE CUSTEIO

Despesas destinadas manuteno dos servios da Entidade, e correspondem entre outros gastos, os com pessoal, material de consumo, servios de terceiros e gastos com obras de conservao e adaptao de bens imveis.

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

3/21

3.7 DESPESA DE INVESTIMENTO

Despesas necessrias ao planejamento e execuo de obras, aquisio de instalaes, equipamentos e material permanente, constituio ou aumento do capital do Estado que no sejam de carter comercial ou financeiro, incluindo-se as aquisies de imveis considerados necessrios execuo de tais obras.

3.8 EMPENHO

Ato formal, emanado de autoridade competente, que cria para a EBC a obrigao de pagamento pendente ou no de implemento de condio. autorizado pelo ordenador de despesa que determina deduzir de dotao oramentria prpria o valor de despesa a ser executada.

3.9 LIMITES DE COMPETNCIA

Limites para a contratao de bens, servios e obras, definidos em valores mnimos e mximos, em Reais.

3.10 OBRA

Toda construo ou reforma realizada por execuo direta ou indireta.

3.11 OBRA AUDIOVISUAL

Produto da fixao ou transmisso de imagens, com ou sem som, que tenha a finalidade de criar a impresso de movimento, independentemente dos processos de captao, do suporte utilizado inicial ou posteriormente para fix-las ou transmiti-las, ou dos meios utilizados para sua veiculao, reproduo, transmisso ou difuso.

3.12 PROJETO BSICO

Documento obrigatrio para aquisio de bens e contrataes de servios no comuns, enquadrados em licitao, nas modalidades concorrncia, tomada de preos e convite, e nos casos de dispensa de licitao e de inexigibilidade, devendo dispor sobre as condies gerais de execuo do contrato que serviro de base para elaborao do ato convocatrio ou da contratao.

3.13 PROJETO CORPORATIVO

aquele que envolve mais de uma rea da Empresa, ou assim classificado no Plano Estratgico.

3.14 PROJETO EXECUTIVO

Conjunto de elementos necessrios e suficientes execuo completa da obra, de acordo com as normas pertinentes da Associao Brasileira de Normas Tcnicas ABNT.

3.15 REGIME DE EXECUO

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

4/21

Regime de execuo da obra ou servio a forma pela qual o objeto do contrato ser executado, que pode ser de forma direta: quando a Administrao executa o objeto; ou de forma indireta: quando a Administrao contrata com terceiros pelos regimes de tarefa, empreitada integral, empreitada por preo global e empreitada por preo unitrio.

3.16 REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO RMS

Documento destinado formalizao dos pedidos de aquisio de bens, de contratao de servios ou de execuo de obras, para atendimento das necessidades da EBC.

3.17 REQUISITANTE

Aquele que emite a Requisio de Material e/ou Servio - RMS e solicita a aquisio de bens, a execuo de obra ou a contratao de servios.

3.18 SERVIO

Toda atividade destinada a obter determinada utilidade de interesse da EBC, tais como: conserto, instalao, montagem, operao, conservao, reparao, adaptao, manuteno, transporte, locao de bens, seguro, ou trabalhos tcnico-profissionais.

3.19 SERVIO DE NATUREZA CONTINUADA

aquele que apoia, em carter contnuo, a realizao das atividades essenciais ao cumprimento da misso institucional da Empresa.

3.20 TERMO DE REFERNCIA

Documento obrigatrio para as aquisies de bens e contrataes de servios comuns na modalidade de licitao prego, devendo dispor sobre as condies gerais de execuo do contrato que serviro de base para elaborao do edital e conter elementos capazes de propiciar avaliao do custo pela administrao.

4. COMPETNCIAS

4.1 Cabe ao Ministro de Estado, ao Diretor-Presidente e ao Ordenador de Despesa autorizar a aquisio de bens, execuo de obras e servios, bem como a prorrogao de contratos administrativos, classificados como atividades de custeio, dentro dos limites e instncias de governana estabelecidos por dispositivos legais do Poder Executivo Federal.

4.2 Compete ao Conselho de Administrao-CONSAD deliberar sobre a aquisio de bens, execuo de obras ou servios, bem como a prorrogao de contratos administrativos, submetidos pela Diretoria Executiva, dentro dos limites de competncia estabelecidos para atividades de custeio e investimento, constantes em Deliberao do CONSAD.

4.3 Compete Diretoria Executiva - DIREX:

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

5/21

I - deliberar sobre a aquisio de bens, execuo de obras ou servios, bem como sobre a prorrogao de contratos administrativos, dentro dos limites de competncia estabelecidos para atividades de custeio e investimento constantes em Resoluo DIREX; e

II - decidir sobre as contrataes a serem submetidas deliberao do Conselho de Administrao ou ao Ministro de Estado Chefe da Secretaria de Comunicao Social da Presidncia da Repblica.

4.4 Cabe ao Diretor Geral ou ao Diretor da Vice Presidncia de Gesto e Relacionamento, juntamente com o Diretor da rea requisitante por ele supervisionada, autorizar o incio do processo de aquisio de bens, execuo de obras ou servios, de acordo com o regime de alada vigente.

4.5 Cabe ao Diretor de rea requisitante:

I - examinar a convenincia e oportunidade do pedido na sua rea de competncia;

II autorizar a aquisio de bens, execuo de obras ou servios, classificados como despesa de custeio, dentro dos limites de sua competncia;

III - submeter Diretoria Executiva proposta de aquisio de bens, execuo de obras e servios, classificados como atividades de custeio e investimento que ultrapasse o seu limite de competncia; e

IV encaminhar as propostas de aquisio de bens, execuo de obras e servios, classificados como atividades de custeio e investimento, a serem submetidas ao Conselho de Administrao, ouvidos, preliminarmente, o Comit de Tecnologia da Informao e da Comunicao CTIC e o Comit de Programao e Rede, quando for o caso.

4.5.1 Para fins desta Norma, equipara-se ao Diretor da rea requisitante o Secretrio-Executivo, o Procurador Geral e o Auditor Chefe, ou a autoridade de hierarquia mxima do rgo que no esteja subordinado a quaisquer das Diretorias que compe a Diretoria Executiva.

4.6 Compete Diretoria de Administrao e Finanas adotar as providncias necessrias :

I - aquisio de bens permanentes ou de consumo;

II - execuo de obras, uma vez aprovadas; e

III - contratao de servios, exceto contratao direta relacionada produo de contedo.

4.7 Cabe ao Diretor de Administrao e Finanas dar incio ao processo e autorizar as contrataes de servios de fornecimento de gua, esgoto e energia eltrica, bem como o pagamento de tributos, que esto dispensados de ser submetidos s instncias superiores, conforme Deliberao do Conselho de Administrao.

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

6/21

4.8 Compete ao Comit de Tecnologia da Informao e da Comunicao CTIC deliberar sobre a aquisio de bens e/ou contratao de servios de informtica ou automao submetidas pelos Diretores de rea, observado a aderncia e compatibilidade com o PDTI, o Plano de Trabalho e o Plano Oramentrio.

4.9 Compete ao Comit de Programao e Rede deliberar sobre a contratao de contedo jornalstico, de programas, de coprodues e de produes de programas para uso nas emissoras da EBC submetidas pelos respectivos Diretores, observado a aderncia e compatibilidade com o Plano de Trabalho e o Plano Oramentrio.

4.10 Compete Secretaria Executiva:

I avaliar a conformidade relativamente a planejamento, oramento e avaliao de comits, quando for o caso, assim como o nvel de informaes necessrias ao voto e pautar as propostas a serem submetidas Diretoria Executiva e ao Conselho de Administrao, apresentadas pelos Diretores; e

II - informar aos Diretores as decises tomadas pela Diretoria Executiva e pelo Conselho de Administrao.

4.11 Compete Procuradoria Jurdica, no mbito de suas atribuies regimentais, e s demais reas intervenientes, proceder contratao direta de bens e servios para a produo de contedo.

4.12 Compete aos Superintendentes, aos Gerentes Executivos, ao Chefe da Ouvidoria e ao Chefe do Gabinete do Presidente:

I - analisar o pedido formulado pelo Requisitante; e

II - submeter o pedido Diretoria a que estiver vinculado.

4.13 Compete Gerncia Executiva de Oramento e Finanas:

I - informar ao Requisitante a existncia ou no de recursos oramentrios e financeiros para cobertura das despesas;

II proceder reserva de recursos oramentrios, por meio de pr-empenho, inclusive para as contrataes diretas e para os casos de inexigibilidade ou dispensa de licitao; e

III verificar aderncia do pedido de contratao ao Plano Oramentrio e analisar os pedidos de remanejamento entre aes, quando for o caso.

4.14 Compete Gerncia Executiva de Administrao:

I - proceder a aquisio dos bens, a contratao dos servios e a execuo das obras autorizadas em sua rea de atuao;

II - informar ao Requisitante a situao do processo at o seu encerramento; e

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

7/21

III - devolver o pedido, a RMS, anexos e o processo, ao Requisitante, quando o procedimento de aquisio de bens, de contratao de servios e/ou de execuo de obras resultar em licitao fracassada ou deserta, para a realizao dos devidos ajustes, conforme o caso.

4.15 Compete Gerncia Executiva de cada rea:

I - emitir a Requisio de Material e/ou Servio RMS, Mod. 216/01;

II - autuar o processo;

III - elaborar o Projeto Bsico e o Projeto Executivo, quando aplicvel;

IV - elaborar o Termo de Referncia, no caso de aquisio de bens e servios comuns;

V - elaborar proposio para aprovao das despesas de contratao, de acordo com a alada;

VI elaborar proposio de contratao, de acordo com a natureza do objeto, e submeter aos Comits de Tecnologia da Informao e da Comunicao CTIC e de Programao e Rede, quando for o caso;

VII consultar a Gerncia Executiva de Finanas sobre a existncia de oramento para efetuar a contratao pretendida inserindo a informao recebida na RMS, salvo se processado pelo Sistema de Registro de Preos; e

VIII informar rea financeira e na proposio a ser submetida a aprovao da contratao, quando o recurso estiver sendo remanejado de uma ao para outra.

5. REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO RMS

5.1 - FINALIDADE - Formalizar os pedidos de aquisio de bens, de consumo e permanente, e de servios necessrios ao atendimento das necessidades da rea, para desenvolvimento de suas atividades.

5.2 Para definio dos bens, obra ou servio a ser contratado, o Requisitante dever, inicialmente, para elaborao da RMS, observar o seguinte:

I a necessidade do que est sendo solicitado;

II - o consumo previsto para determinado perodo;

III o prazo de utilizao;

IV a forma de utilizao;

V - os benefcios a serem alcanados;

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

8/21

VI - o valor total estimado das despesas, devidamente comprovado com o mnimo de 3 (trs) referencias de preos, objetivando a emisso do pr-empenho;

VII a classificao da despesa, custeio ou investimento;

VIII a vinculao da aquisio de bens ou servio a projetos corporativos definido no Plano Estratgico; e

IX disponibilidade oramentria.

5.3 parte integrante da RMS os seguintes documentos:

I - PROJETO BSICO - nas aquisies de bens e contrataes de servios no comuns, bem como nas execues de obras e servios de engenharia, devendo, neste ltimo caso, ser elaborado o Projeto Executivo sempre que o caso exigir;

II - TERMO DE REFERNCIA - quando se tratar da aquisio de bens e contratao de servios comuns; e

III - DOCUMENTO DE SUPORTE OU COMPLEMENTAR - quando o Requisitante entender ser pertinente ao objeto a ser contratado.

5.4 Caber chefia da rea a que o Requisitante estiver subordinado, avaliar a documentao e submeter a solicitao ao Diretor da rea respectiva, mediante autuao de processo especfico na Coordenao de Protocolo.

5.4.1 A RMS ser o documento de face na abertura do processo, seguida dos documentos anexos a ela, juntados na ordem cronolgica em que foram produzidos.

5.5 Na aquisio de bens ou contratao de servios de informtica ou automao, a requisio ser emitida aps a aprovao da proposta de aquisio pelo Comit de Tecnologia da Informao e da Comunicao CTIC.

5.6 Na contratao de contedo jornalstico, de programas, de coprodues e de produes de programas para uso nas emissoras da EBC, a requisio ser emitida aps a aprovao da proposta de aquisio pelo Comit de Programao e Rede, na forma da Norma de Regulamentao da Rede Nacional de Comunicao Pblica / Televiso.

5.7 A qualquer tempo, o Requisitante poder solicitar a alterao, a suspenso ou o cancelamento da RMS e do Projeto Bsico ou do Termo de Referncia, por meio de comunicao formal, devidamente justificada e aprovada pela autoridade que a autorizou, que ser juntada ao processo.

5.8 O cancelamento poder ser solicitado quando:

I for verificada a inviabilidade da contratao, por fatos supervenientes surgidos aps ingresso da RMS na Gerncia Executiva de Administrao; e

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

9/21

II - existir na Gerncia Executiva de Administrao pedido de mesma natureza, que possa ser alterado para abranger a demanda em anlise, viabilizando o processamento da contratao numa nica licitao.

6. PROCEDIMENTOS GERAIS PARA ELABORAO DE PROJETO BSICO E/OU TERMO DE REFERNCIA

6.1 O Projeto Bsico ou o Termo de Referncia dever ser elaborado pelo Requisitante, submetido ao Superintendente ou ao Gerente Executivo e aprovado pelo Diretor a que esteja subordinado.

6.2 O Projeto Bsico ou o Termo de Referncia dever ser anexado RMS, e desta ser parte integrante.

6.3 O Projeto Bsico ou o Termo de Referncia dever conter os elementos tcnicos necessrios para caracterizar os bens, a obra ou o servio a ser adquiridos ou contratados e orientar a execuo e fiscalizao contratual.

6.4 O Projeto Bsico ou o Termo de Referncia dever conter os seguintes elementos:

I - detalhamento do objeto;

II justificativa da solicitao;

III - prazos e condies de garantia do objeto;

IV - solues tcnicas globais e localizadas;

V - indicao de o servio ser ou no de natureza continuada, bem como o regime de execuo;

VI verificao se o objeto integra o Termo de Conciliao Judicial firmado entre o Ministrio Pblico do Trabalho e a Unio, que veda a participao de cooperativa de mo de obra;

VII - oramento detalhado;

VIII - o valor estimado da contratao, mediante a juntada de documentos, considerando os preos praticados no mercado, em planilhas de quantitativos e preos unitrios, se for o caso;

IX - critrios de aceitao da proposta;

X - critrios de julgamento para adjudicao, conforme a modalidade de licitao;

XI - local e prazo de entrega dos bens ou cronograma de execuo, condies de recebimento do objeto e a vigncia do contrato, conforme o caso;

XII - condies e cronograma fsico-financeiro de pagamento, conforme o caso;

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

10/21

XIII possibilidade de reajustamento de preo;

XIV - razes para a admisso ou vedao participao de consrcios;

XV - informao e justificativa para a exigncia ou no da garantia contratual;

XVI - indicao do responsvel na EBC pela fiscalizao do contrato;

XVII - procedimentos de fiscalizao e gerenciamento do contrato;

XVIII - indicao dos deveres e obrigaes da EBC;

XIX - indicao dos deveres e obrigaes do licitante vencedor ou contratado;

XX - definio das penalidades em caso de descumprimento contratual;

XXI - definio dos critrios de capacitao tcnica;

XXII - justificativa da obrigatoriedade ou facultatividade da vistoria, devendo indicar o prazo e horrios de realizao da vistoria e o responsvel na EBC, com a indicao do telefone e e-mail de contato para agendamento da mesma;

XXIII - necessidade ou no de apresentao de amostras ou de demonstrao dos servios, indicando, caso esta seja necessria, o prazo para apresentao, bem como as condies e critrios de avaliao e julgamento;

XXIV - admisso ou no de subcontratao parcial e fixao de seus limites;

XXV indicao do instrumento hbil de formalizao da contratao; e

XXVI assinatura do Requisitante, bem como aposio do visto em todas as pginas do Projeto Bsico ou Termo de Referncia.

6.5 No Projeto Bsico e no Termo de Referncia o Requisitante dever estabelecer o critrio de julgamento, para seleo da proposta mais vantajosa, e de acordo com os fatores exclusivamente nele referidos, de maneira a possibilitar sua aferio pelos licitantes e pelos rgos de controle.

6.6 O Requisitante poder fazer constar no Projeto Bsico ou no Termo de Referncia outras informaes que se fizerem necessrias para a correta contratao do bem, servio ou obra pretendida, vedadas as especificaes que, por excessivas, irrelevantes ou desnecessrias, limitem ou frustrem a competio.

6.7 O Projeto Bsico ou o Termo de Referncia dever, no que couber, prever que o contratado adote prticas de sustentabilidade na execuo dos servios contratados e critrios de sustentabilidade no fornecimento dos bens.

6.8 Para a aquisio de produtos mdicos dever ser aplicada a margem de preferncia estabelecida no Decreto n 7.767/12.

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

11/21

6.9 O Projeto Bsico ou o Termo de Referncia podero ser elaborados por mais de uma rea funcional da EBC detentora de tcnica especializada, nos casos em que o objeto pretendido pelo Requisitante for complexo, neste caso todas as reas envolvidas devero assinar o respectivo documento.

6.10 Dever ser indicado no Projeto Bsico ou no Termo de Referncia, se for o caso, se ser adotado o Sistema de Registro de Preos SRP, devidamente acompanhado das justificativas para a sua utilizao.

6.10.1 O Requisitante somente poder solicitar a adoo do Sistema de Registro de Preos - SRP para contrataes enquadradas nas modalidades Concorrncia ou Prego, devendo observar os critrios previstos na legislao especfica.

6.11 O Projeto Bsico ou o Termo de Referncia dever conter, necessariamente, as seguintes informaes a respeito do preo e das condies de pagamento:

I os critrios de reajustamento e/ou de repactuao de preo, quando couber;

II a data-base e periodicidade de reajustamento de preo, quando couber;

III o ndice de reajustamento de preo, conforme o caso; e

IV os critrios de pagamento.

6.12 Devero constar do Projeto Bsico ou do Termo de Referncia, as seguintes restries:

I - contratao de empregado pertencente ao quadro de pessoal da EBC; e

II - veiculao de publicidade acerca da contratao, salvo se houver prvia e expressa autorizao da EBC.

6.13 O Requisitante fica desobrigado de elaborao do Projeto Bsico ou do Termo de Referncia nos casos de pequenas despesas de compra e de servio, entendidas como despesas de pronto pagamento, nos termos da Norma de Suprimento de Fundos.

6.14 Para efeitos de padronizao devem ser utilizadas na elaborao do Projeto Bsico e do Termo de Referncia, as seguintes expresses:

I - EBC quando se tratar de contratante;

II - Licitante Vencedor quando se tratar da empresa a ser contratada;

III - Licitante quando se tratar dos possveis interessados na contratao; e

IV Contratado quando se tratar de contratao direta por dispensa ou inexigibilidade.

7. ELEMENTOS EXCLUSIVOS DO PROJETO BSICO PARA SERVIOS NO COMUNS E OBRAS

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

12/21

7.1 Para aquisio de bens e contratao de servios no comuns e servios de engenharia ser obrigatria a elaborao de Projeto Bsico.

7.2 Nos projetos bsicos e projetos executivos de obras e servios sero considerados principalmente os seguintes requisitos:

I - segurana;

II - funcionalidade;

III - adequao ao interesse pblico;

IV - economia na execuo, conservao e operao;

V - possibilidade de emprego de mo de obra, materiais, tecnologia e matrias-primas existentes no local para execuo, conservao e operao;

VI - facilidade na execuo, conservao e operao, sem prejuzo da durabilidade da obra ou do servio;

VII - adoo das normas tcnicas, de sade e de segurana do trabalho; e

VIII - impacto ambiental.

7.3 As obras e servios no comuns podero ser executados nas seguintes formas:

I - execuo direta; e

II - execuo indireta, nos seguintes regimes:

a) empreitada por preo global;

b) empreitada por preo unitrio;

c) tarefa; e

d) empreitada integral.

7.4 As obras e servios destinados aos mesmos fins tero projetos padronizados por tipos, categorias ou classes, exceto quando o projeto-padro no atender s condies peculiares do local ou s exigncias especficas do empreendimento.

7.5 Devero constar exclusivamente no Projeto Bsico de obras e servios:

I - no caso de obras, o oramento detalhado indicar custo global, fundamentado em quantitativos de servios e fornecimentos propriamente avaliados, sendo indispensvel a composio dos custos unitrios expressos em planilha oramentria;

II - subsdios para montagem do plano de licitao e gesto da obra ou servio, com indicao do local de execuo da obra ou servio;

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

13/21

III - identificao dos tipos de servios a executar e de materiais e equipamentos a incorporar obra ou servios;

IV - nas obras, apresentar informaes que possibilitem o estudo e a deduo de mtodos construtivos;

V - critrios de julgamento para adjudicao, do tipo melhor tcnica ou tcnica e preo, conforme o caso; e

VI - cronograma prvio de execuo da obra ou servio e prazo estimado para sua concluso.

8. SUBCONTRATAO

8.1 Subcontratao consiste na entrega de parte de fornecimento de bens, execuo de obra ou prestao de servio a terceiro, estranho ao contrato, para que execute em nome do contratado item, etapa ou parcela do objeto ajustado.

8.2 O Requisitante, antes de elaborar o Projeto Bsico ou o Termo de Referncia, deve avaliar, em cada caso, a convenincia de permitir a subcontratao do fornecimento dos bens, da execuo de obra ou da prestao de servios a terceiros.

8.3 A subcontratao somente deve ser permitida no Projeto Bsico ou no Termo de Referncia quando se verificar que esta a nica alternativa que garantir a viabilidade de execuo do contrato ante as eventuais circunstncias que impeam o contratado de executar a totalidade da obra, do servio ou do fornecimento.

8.3.1 Em caso de eventual subcontratao, a EBC dever verificar a idoneidade jurdica, fiscal, tcnica e trabalhista da empresa a ser subcontratada.

8.3.2 Caber aos signatrios da EBC no contrato original, ou s autoridades que lhes substiturem ou sucederem, autorizar a subcontratao.

8.4 Na subcontratao a contratada continua a responder por todo o ajustado perante a EBC, permanecendo plenamente responsvel pela execuo do objeto contratado, inclusive da parcela que subcontratou, e por todos os atos ou omisses dos subcontratados, bem como por atos de pessoas direta ou indiretamente por eles empregadas.

8.5 A subcontratao no produz relao jurdica direta entre a EBC e o subcontratado, no sendo facultado ao subcontratado demandar contra a EBC por qualquer questo relativa ao vnculo que mantiver com o subcontratante.

8.6 Somente poder ser subcontratado parte do objeto, de acordo com o previsto no Projeto Bsico ou no Termo de Referncia.

8.7 vedada a subcontratao da integralidade do objeto a ser contratado, bem como a sub-rogao ou a diviso, de forma solidria, da responsabilidade assumida

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

14/21

originalmente pela contratada constituindo motivo para resciso unilateral do contrato pela EBC.

8.8 Constituem motivos para a resciso unilateral do contrato, quando no admitidas no Projeto Bsico ou no Termo de Referncia:

I - a subcontratao total ou parcial do objeto a ser contratado;

II - a associao do contratado com outrem; e

III - a cesso ou transferncia, total ou parcial, bem como a fuso, ciso ou incorporao da contratada.

9. APRESENTAO DA PROPOSTA

9.1 Deve ser contemplado no Projeto Bsico ou Termo de Referncia a forma obrigatria de apresentao da proposta pelas empresas interessadas na licitao ou contratao, prevendo, no mnimo:

I - preo unitrio e preo total global; ou o preo mensal e o preo total global anual, de acordo com os praticados no mercado;

II - prazo de entrega do bem ou de execuo da obra ou dos servios, a contar da data de recebimento da Nota de Empenho ou de incio da vigncia do instrumento contratual, conforme o caso;

III - prazo de garantia do objeto, quando for o caso;

IV - cronograma de execuo, quando for o caso;

V - prazo de validade, que no poder ser menor que 60 (sessenta) dias a contar da data de sua apresentao;

VI - descrio detalhada do produto ou servio ofertado;

VII - planilha de custos e de formao de preos, quando for o caso;

VIII - declarao de comprometimento pertinente e compatvel com o objeto a ser contratado, se o Requisitante entender que necessria a sua exigncia;

IX - declarao de que nos preos propostos esto includos todos os custos e demais despesas, taxas e impostos de qualquer natureza que possam incidir, direta ou indiretamente, sobre o objeto a ser contratado;

X - termo de vistoria, conforme o caso; e

XI - atestado de capacidade tcnica, se for exigido.

10. QUALIFICAO TCNICA

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

15/21

10.1 O interessado no fornecimento de bens, execuo de obras ou prestao de servios para a EBC dever apresentar documentos que comprovem sua qualificao tcnica para participar da licitao e/ou contratao.

10.2 O Requisitante dever estabelecer no Projeto Bsico ou no Termo de Referncia os critrios de qualificao tcnica a ser comprovada pelos interessados na contratao, limitando-se a previso de exigncias de capacidade tcnica aos requisitos mnimos e necessrios garantia da execuo do contrato e segurana do fornecimento do bem, da execuo da obra ou do servio.

10.3 A documentao relativa qualificao tcnica limitar-se- a:

I - registro ou inscrio na entidade profissional competente devidamente regularizada:

II - comprovao de aptido para desempenho de atividade pertinente e compatvel em caractersticas, quantidades e prazos com o objeto da contratao sendo admitida comprovao de aptido por intermdio de certides ou atestados de obras ou servios similares de complexidade tecnolgica e operacional equivalente ou superior;

III - indicao das instalaes, do aparelhamento e do pessoal tcnico adequados e disponveis para a realizao do objeto da licitao mediante apresentao de relao explcita e da declarao formal da disponibilidade, vedadas as de propriedade e de localizao prvia;

IV - qualificao de cada um dos membros da equipe tcnica que se responsabilizar pelo cumprimento do objeto por meio de atestados fornecidos por pessoas jurdicas de direito pblico ou privado, devidamente registrados nas entidades profissionais competentes, e por meio de certides de acervo tcnico - CAT; e

V - prova de atendimento de requisitos previstos em lei especial, quando for o caso.

10.4 Em caso de compras, obras e servios de grande vulto, de alta complexidade tcnica, o Requisitante deve exigir no Projeto Bsico ou Termo de Referncia, a apresentao da metodologia de execuo a ser aplicada para cumprimento do objeto.

10.4.1 Contratao de alta complexidade tcnica aquela que envolva alta especializao com fator de extrema relevncia para garantir a execuo do objeto a ser contratado ou que possa comprometer a continuidade da prestao de servios essenciais.

10.4.2 A avaliao da metodologia de execuo dever ser feita antes da anlise dos preos e exclusivamente por meio de critrios objetivos definidos no Projeto Bsico ou Termo de Referncia.

10.5 A qualificao tcnica pode ser tcnico-operacional ou tcnico-profissional, sendo vedada a exigncia de comprovao de capacidade tcnica para

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

16/21

parcelas de obra que no se afiguram como sendo de relevncia tcnica e valor significativo.

11. VISTORIA TCNICA

11.1 Para efeito de vistoria tcnica poder ser exigida, quando for o caso, a comprovao de que o prestador de servio ou fornecedor de bens tomou conhecimento de todas as informaes e das condies locais para o cumprimento das obrigaes relativas ao objeto da contratao.

11.1.1 No caso de exigncia de vistoria, deve o Projeto Bsico ou o Termo de Referncia disciplinar a forma de faz-la.

11.1.2 A vistoria ou visita tcnica deve ser feita pelo prestador de servio ou fornecedor de bem, ou por seu representante legal, no prazo, data, horrio e endereo previamente estabelecidos no Projeto Bsico ou no Termo de Referncia, em companhia de empregado da EBC designado para esse fim.

11.2 Dever ser estabelecido no Projeto Bsico ou no Termo de Referncia o modelo de Termo de Vistoria a ser elaborado e preenchido pelo prestador de servio ou fornecedor de bem, que tambm ser assinado pelo empregado da EBC designado para o acompanhamento da visita tcnica.

11.3 A vistoria obrigatria dever ser exigida apenas quando o objeto da contratao possuir caractersticas, funcionalidades, idades e estado de conservao cuja descrio tcnica no seja suficientemente clara para determinar as grandezas que sero envolvidas na execuo do objeto.

11.4 Poder ser permitida a vistoria tcnica facultativa, devendo o prestador de servio ou fornecedor de bem apresentar declarao assumindo, incondicionalmente, a responsabilidade pela execuo do objeto, em conformidade com as exigncias estabelecidas no Projeto Bsico ou no Termo de Referncia.

11.5 No ser admitida exigncia de vistoria tcnica que importe restrio injustificada da competitividade da contratao ou direcionamento.

12. CRITRIOS E PRTICAS DE SUSTENTABILIDADE

12.1 O Requisitante, sempre que possvel, dever solicitar a aquisio de bens e a contratao de servios e obras considerando critrios e prticas de sustentabilidade previstas na legislao vigente, os quais devero ser objetivamente definidos no Projeto Bsico ou no Termo de Referncia.

12.2 A adoo de critrios e prticas de sustentabilidade dever ser justificada no Projeto Bsico ou no Termo de Referncia e preservar o carter competitivo do certame.

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

17/21

12.3 Os critrios e prticas de sustentabilidade de que trata o item 14.2 sero veiculados como especificao tcnica do objeto ou como obrigao da contratada.

12.4 So diretrizes de sustentabilidade:

I - menor impacto sobre recursos naturais como flora, fauna, ar, solo e gua;

II - preferncia para materiais, tecnologias e matrias-primas de origem local;

III - maior eficincia na utilizao de recursos naturais como gua e energia;

IV - maior gerao de empregos, preferencialmente com mo de obra local;

V - maior vida til e menor custo de manuteno do bem e da obra;

VI - uso de inovaes que reduzam a presso sobre recursos naturais; e

VII - origem ambientalmente regular dos recursos naturais utilizados nos bens, servios e obras.

12.5 O Requisitante poder exigir no Projeto Bsico ou no Termo de Referncia para a aquisio de bens que estes sejam constitudos por material reciclado, atxico ou biodegradvel, entre outros critrios de sustentabilidade.

12.6 As especificaes e demais exigncias do Projeto Bsico ou do Executivo para contratao de obras e servios de engenharia devem ser elaboradas de modo a proporcionar a economia da manuteno e operacionalizao da edificao e a reduo do consumo de energia e gua, por meio de tecnologias, prticas e materiais que reduzam o impacto ambiental.

12.7 Nas contrataes que visem promoo da sustentabilidade, a EBC dever realizar estudos de viabilidade quanto implementao de critrios, prticas e aes de logstica sustentvel no mbito da Empresa.

13. LEGISLAO DE REFERNCIA

I - Lei n 8.248, de 23 de outubro de 1991;

II - Lei n 8.666, de 21 de junho de 1993;

III Lei n 11.652, de 7 de abril de 2008;

IV - Lei n 12.232, de 29 de abril de 2010;

V - Decreto n 6.505, de 4 de julho de 2008;

VI - Decreto n 7.689, de 2 de maro de 2012;

VII - Instruo Normativa n 02, de 30 de abril de 2008, do Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto;

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

18/21

VIII - Instruo Normativa n 01, de 19 de Janeiro de 2010, do Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto; e

IX - Instruo Normativa n 04, de 12 de novembro de 2010, do Ministrio do Planejamento, Oramento e Gesto.

14. DISPOSIES GERAIS

14.1 As aquisies de bens e servios, observadas as peculiaridades de cada situao, devero:

I - atender ao princpio da padronizao, que imponha compatibilidade de especificaes tcnicas e de desempenho, observadas, quando for o caso, as condies de manuteno, assistncia tcnica e garantia oferecidas;

II - ser processadas atravs de Sistema de Registro de Preos SRP, nas modalidades de licitao Concorrncia ou Prego, na forma presencial ou eletrnica, obedecidas as orientaes previstas em norma especfica;

III - ser submetidas s condies de aquisio e pagamento semelhantes s do setor privado; e

IV - balizar-se pelos preos praticados no mbito dos rgos e entidades da Administrao Pblica.

14.2 O disposto nesta Norma deve ser interpretado em favor da ampliao da disputa entre os interessados, desde que no comprometa o interesse da EBC e atenda aos princpios norteadores das licitaes pblicas e do Direito Administrativo.

15. FORMULRIO E INSTRUES DE PREENCHIMENTO

15.1 FORMULRIO - Requisio de Material e/ou Servios RMS Mod. 216/01

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

19/21

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

20/21

15.2 - INSTRUES DE PREENCHIMENTO

NMERO: Nmero de ordem da RMS na unidade Requisitante, precedido da sigla da rea.

REQUISITANTE: Unidade responsvel pela elaborao da RMS.

DIRETORIA RESPONSVEL: Nome da Diretoria Responsvel pela RMS.

ITEM: Nmero de ordem do item requerido.

DESCRIO: Descrio do material e/ou servio requisitado.

NCM: Cdigo da Nomenclatura Comum do Mercosul, disponibilizado no site do Ministrio do Desenvolvimento, Indstria e Comrcio Exterior, http://www.mdic.gov.br/portalmdic/sitio/.

UNIDADE: Unidade de medida do material e/ou servio requisitado.

QUANTIDADE: Quantidade de material e/ou servio pretendido.

JUSTIFICATIVA: Informar resumidamente os motivos que ensejaram a formulao do pedido de aquisio de bens e/ou contratao obras e de servios. No caso de material deve obrigatoriamente ser informado se o mesmo ou no item de estoque.

AO: Assinalar com x se o gasto consta do Plano de Trabalho ou de Oportunidade.

OBJETIVO ESTRATGICO: Nome do Objetivo Estratgico constante do Planejamento Estratgico da EBC.

VALOR ESTIMADO: Valor total global estimado da aquisio, da obra ou dos servios.

CDIGO PLANO ORAMENTRIO: Cdigo do gasto constante do Plano Oramentrio aprovado para o exerccio.

CLASSIFICAO DA DESPESA: Assinalar com x se a natureza das despesas de custeio ou de investimento.

REQUISITADO EM: Data e assinatura do requisitante.

DE ACORDO EM: Data e assinatura do Diretor da rea requisitante.

http://www.mdic.gov.br/portalmdic/sitio/interna/interna.php?area=5&menu=1090

NORMA DE REQUISIO DE MATERIAL E/OU SERVIO - NOR 216

FOLHA:

21/21

4. DISTRIBUIO DE VIAS

A RMS dever ser emitida em 02 (duas) vias:

I 1 via: encaminhada ao Diretor da rea requisitante; e II 2 via: Arquivo da Unidade requisitante.