normas gerais 1 - Fundação Joaquim gerais _1_.pdf · NORMAS GERAIS DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO…

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • 1

    NORMAS GERAIS DOS CURSOS DE PS-GRADUAO LATO SENSU EM NVEL DE ESPECIALIZAO DA FUNDAO JOAQUIM NABUCO

    CAPTULO I

    DA DEFINIO, OBJETIVO, SUBORDINAO E IMPLANTAO Art. 1 Os Cursos de Ps-Graduao Lato Sensu em nvel de especializao so atividades pedaggicas sistematizadas, de apresentao eventual, e se destinam, nos termos do Artigo 4, Inciso III, da Lei n 6.687, de criao da Fundao Joaquim Nabuco (FUNDAJ), formao, para empreendimentos pblicos e privados, de pessoal que possui curso de nvel superior reconhecido pelo Ministrio de Educao (MEC), visando desenvolver e aprimorar conhecimentos nas reas de excelncia da FUNDAJ. 1 A rea de Ps-Graduao Lato Sensu subordinada Diretoria de Formao e Desenvolvimento Profissional (DIFOR), de acordo com o artigo 14, Inciso I, do Estatuto da FUNDAJ, aprovado pelo Decreto n 7.694, de 02/03/2012. 2 Os cursos sero propostos pelas Diretorias de Pesquisas Sociais (DIPES), Memria, Educao, Cultura e Arte (MECA), Diretoria de Formao e Desenvolvimento Profissional (DIFOR) ou em associao por essas Diretorias. 3 Os cursos podero ser implementados por solicitao externa e/ou em parceria com outros rgos ou entidades, desde que submetidos apreciao do Conselho Tcnico-Cientfico (CONTEC) da Fundao Joaquim Nabuco, exigindo-se, para tanto, a celebrao de ajustes formais entre as partes interessadas. Art. 2 Para implantao de Cursos de Ps-Graduao Lato Sensu, ser exigida a apresentao de projeto pedaggico/financeiro a ser encaminhado Coordenao de Atividades de Cursos Lato Sensu (CAC-LATO) da Diretoria de Formao e Desenvolvimento Profissional (DIFOR), que emitir parecer e o encaminhar ao Conselho Tcnico-Cientfico para anlise e, na sequncia, para apreciao do Conselho Diretor da FUNDAJ. 1 O projeto dever ser encaminhado pelo proponente DIFOR com antecedncia mnima de 90 (noventa) dias, contados da data prevista para o incio de qualquer atividade relacionada ao curso proposto, para exame da documentao apresentada, emisso de parecer e posterior encaminhamento ao Conselho Tcnico-Cientfico e ao Conselho Diretor da Fundao. 2 Dever constar do projeto pedaggico/financeiro de criao de cada Curso de Ps-Graduao Lato Sensu um roteiro bsico em conformidade com modelo veiculado na pgina da FUNDAJ (www.fundaj.gov.br), na guia Formao, conforme quadro abaixo:

  • 2

    PROJETO PEDAGGICO/FINANCEIRO DE CURSOS

    DE PS-GRADUAO LATO SENSU ROTEIRO BSICO

    Informao Detalhamento

    1. Nome do Curso, rea do Conhecimento e Modalidade

    Identificao do curso, rea do conhecimento a que pertence e a forma de oferta: presencial, semipresencial ou a distncia.

    2. Justificativa

    Razes que deram origem criao do curso: carncias a serem supridas nas reas do Magistrio Superior ou da formao profissional e a contribuio que trar para o desenvolvimento regional sob a tica do desenvolvimento sustentvel e social. Apresentao da forma de identificao da demanda para a realizao do curso.

    3. Objetivos Explicitao dos objetivos do curso: geral e especficos. 4. Pblico-Alvo

    Definio do pblico-alvo e a contribuio que se pretende alcanar em termos de competncias e habilitaes dos egressos.

    5. Concepo do Projeto

    Aspectos fundamentais que nortearam a criao do curso e as principais abordagens terico-prticas pretendidas, assim como os aspectos de inovao que sero introduzidos por meio do curso. Descrio das parcerias que sero firmadas com outras organizaes para desenvolvimento do curso.

    6. Coordenao

    Indicao do nome e titulao do coordenador geral do curso e do coordenador pedaggico, descrio de suas experincias acadmicas e profissionais, com seus respectivos currculos Lattes.

    7. Carga Horria

    Indicao da carga horria total em sala de aula e no trabalho de concluso de curso.

    8. Perodo

    Indicao da durao e do perodo de realizao do curso incio e fim. Para os cursos presenciais, informar o turno, a carga horria por turno, incio e fim de cada turno. Para os cursos a distncia, informar a carga horria e a previso dos encontros presenciais.

    9. Contedo Programtico

    Relao dos mdulos e das disciplinas com as respectivas cargas horrias e crditos, organizadas em funo dos objetivos propostos e da rea ou subrea do conhecimento envolvida. Descrio da ementa de cada disciplina e da bibliografia bsica atualizada, com, no mnimo, trs obras por disciplina, conforme as normas da ABNT.

    10. Corpo docente

    Indicaes do nome, da titulao e da instituio de cada integrante do corpo docente do curso, sua experincia acadmica e profissional, documento com anuncia explcita de cada professor e a concordncia de seu chefe imediato, com a apresentao de seus respectivos currculos no formato Lattes, cpia do diploma de maior titulao de cada professor, alm da identificao de contatos telefnicos e de e-mails. Para os professores externos FUNDAJ, alm dos documentos citados, tambm devero ser apresentadas cpias de documentos pessoais e funcionais, tais como RG, CPF, PIS/PASEP, SIAPE, entre outros.

    11. Metodologia

    Relao dos recursos metodolgicos a serem empregados no curso, explicitando o uso de mtodos inovadores de ensino e a forma como se pretende alcanar a integrao entre teoria e prtica.

    12. Interdisciplinaridade

    Descrio das atividades interdisciplinares a serem desenvolvidas, a forma de realizao e os resultados pretendidos.

    13. Atividades Indicao das atividades fora do ambiente escolar: visitas a empresas,

  • 3

    Complementares

    elaborao de projetos, estudos de caso, viagens, perodos de estudo em outro estado ou pas, workshops, participao em eventos, etc.

    14. Tecnologia

    Descrio da tecnologia que ser empregada, principalmente no caso de curso a distncia: plataforma, ferramentas especficas, recursos de multimdia, produo de material de apoio, sesses presenciais, tutoria, monitoria, avaliao e outras informaes relevantes.

    15. Infraestrutura Fsica

    Relao das condies de infraestrutura fsica da instituio e dos

    polos de apoio presenciais, nos casos de cursos a distncia salas de

    aula, biblioteca, equipamentos e laboratrios, reas de acesso

    especiais e demais instalaes asseguradas aos professores e

    discentes do curso proposto. Entenda-se por polo de apoio presencial

    uma unidade operativa, no Pas ou no exterior, o qual poder ser

    organizado em conjunto com outras instituies para a execuo

    descentralizada de funes pedaggico-administrativas de cursos a

    distncia.

    16. Critrio de Seleo

    Indicao dos critrios de seleo dos discentes (prova e/ou anlise curricular ou similar, com a identificao das devidas pontuaes) e pr-requisitos para ingresso no curso.

    17. Sistemas de Avaliao

    Indicao da forma de avaliao do desempenho dos discentes. Nos casos de cursos a distncia devem ser previstos os momentos presenciais, conforme a legislao vigente.

    18. Controle de Frequncia Indicao da frequncia mnima exigida, conforme legislao vigente. 19. Trabalho de Concluso do Curso ou Monografia

    Indicao do tipo de trabalho de concluso do curso, da forma de exame do mesmo, demais requisitos para certificao e dos critrios de composio da banca examinadora (se for o caso).

    20. Indicadores de Desempenho

    Definio dos parmetros fixados para avaliao do curso, contemplando entre outros aspectos: o nmero de discentes a serem formados, o ndice mdio de evaso, a produo cientfica, a mdia de desempenho dos discentes, dentre outros aspectos.

    21. Planilha Financeira Detalhamento da planilha financeira. Art. 3 Os cursos objeto destas Normas Gerais somente podero ser iniciados aps a aprovao dos seus projetos pelo Conselho Diretor da Fundao Joaquim Nabuco, que se nortear, em especial, pelo exame dos seguintes elementos: I Demonstrao da relevncia, dos objetivos e da viabilidade do projeto. II Demonstrao da atualidade e adequao da ementa e do contedo programtico das

    disciplinas oferecidas. III Comprovao da qualificao do corpo docente na rea de conhecimento do curso. IV Adequao da infraestrutura da instituio e dos polos de apoio presencial, nos cursos

    a distncia, para o funcionamento do curso. V Adequao oramentria para a manuteno das atividades do curso. Pargrafo nico Havendo necessidade de alterar o projeto durante a realizao do curso, as modificaes somente podero ser implantadas aps serem aprovadas pelo Colegiado de Coordenao Didtica (CCD) e autorizadas pela CAC-LATO/DIFOR.

  • 4

    Art. 4 A aprovao do curso pelo Conselho Diretor valer apenas para a turma e perodo constantes do projeto, no estando habilitadas a formao de novas turmas ou a extenso dos perodos. Pargrafo nico Os projetos pedaggico-financeiros de novas turmas sero considerados novos cursos, razo pela qual dever ser atualizado o projeto originrio, seguindo os mesmos trmites acima previstos, no sendo permitido, portanto, o oferecimento de turmas adicionais alm daquela prevista no projeto original.

    CAPTULO II

    DA ORGANIZACO ADMINISTRATIVA Art. 5 Compete ao proponente do curso apresentar a proposta de criao de curso, assumir a sua coordenao geral e indicar o coordenador pedaggico. Art. 6 A estrutura administrativa de cada curso de Ps-Graduao Lato Sensu composta do Colegiado de Coordenao Didtica (CCD) e da Secretaria da DIFOR. 1 O Colegiado de Coordenao Didtica (CCD) ser formado pelo Coordenador Geral, pelo Coordenador Pedaggico, por um docente e por um discente do curso e por dois integrantes da DIFOR, sendo um para secretariar. 2 So atribuies do CCD: I Supervisionar as diretrizes didticas e pedaggicas do curso e deliberar sobre suas

    respectivas mudanas. II Deliberar sobre a convalidao das disciplinas realizadas em outros cursos de Ps-

    Graduao Lato Sensu. III Deliberar sobre mudanas no corpo docente durante a re