Normas Gerais Da Corregedoria

  • Published on
    04-Apr-2018

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

  • 7/30/2019 Normas Gerais Da Corregedoria

    1/15

    NORMAS DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIA

    SEJA CONVOCADO!!!Aquele que semeia pouco, pouco tambm ceifar; e aquele que semeia em abundncia, em abundnciatambm ceifar." (Bblia).

    TOMO I

    CAPTULO II

    DOS OFCIOS DE JUSTIA EM GERALSEO I

    DAS ATRIBUIES

    1. Aos ofcios de justia sero atribudos, deacordo com suas respectivas varas, osservios do Cvel, da Famlia e dasSucesses, da Fazenda Pblica, de Acidentesdo Trabalho, do Crime, do Jri, das

    Execues Criminais, da Infncia e daJuventude e da Corregedoria Permanente.

    2. Aos ofcios de justia competem osservios do foro judicial, includos os docontador e partidor, atribuindo-se-lhes anumerao ordinal e a denominao darespectiva vara, onde houver mais de uma.

    2.1. Em cada comarca de terceira entrnciah um ofcio de distribuio judicial ao qualincumbem os servios de distribuio cvel ecriminal, alm do arquivo geral.

    2.2. Nas comarcas e foros distritais desegunda entrncia, com mais de uma vara,

    h uma seo de distribuio judicial.

    2.3. Nas demais comarcas em que h umanica vara e um nico ofcio de justia, aeste competem as atribuies dos servios de

    distribuio.

    3. As execues fiscais estaduais emunicipais e respectivas entidadesautrquicas ou paraestatais, na Comarca daCapital, so processadas pelo Ofcio deExecues Fiscais.

    3.1. Nas demais comarcas tais execues eainda as de interesse da Unio, bem como desuas entidades autrquicas ou paraestatais,

    so processadas pelo Ofcio de Justia ou

    Servio Anexo Fiscal autorizado pelo

    Conselho Superior da Magistratura.

    3.2. A inutilizao ou incinerao deprocessos de execues fiscais s poderocorrer em relao queles arquivados hmais de 1 (um) ano, em virtude de anistia,

    pagamento ou qualquer outro fato extintivo.

    3.3. Essa autorizao ser precedida deinformao prestada pelo Diretor do Ofciodo Anexo Fiscal ou Cartrio Judicial ao MM.

    Juiz Corregedor Permanente, relacionadostodos os feitos, que se encontrem nascondies do subitem 3.2, precedente.

    3.4. Ser formado expediente prprio, quetramitar pelo Cartrio ou Anexo, colhendo-se a manifestao da Fazenda e subsequente

    publicao de edital, com prazo mnimo de30 (trinta) dias, para conhecimento deterceiros, decidindo o Juiz CorregedorPermanente acerca de eventual reclamao,cabendo recurso no prazo de 15 (quinze)dias Corregedoria Geral da Justia.

    3.5. Esgotado o prazo do edital, semnenhuma reclamao, ser designado local,dia e hora para o ato de inutilizao ouincinerao, lavrando-se o termo respectivo,minudenciando-se os nmeros dosprocessos.

    3.6. As fichas de andamento devero sermantidas em cartrio, anotando-se a causada extino e o nmero do processo doexpediente de incinerao ou inutilizao,servindo de base para futura expedio decertides. O mesmo procedimento dever serobservado pelo Cartrio do Distribuidor.

  • 7/30/2019 Normas Gerais Da Corregedoria

    2/15

    NORMAS DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIA

    SEJA CONVOCADO!!!Aquele que semeia pouco, pouco tambm ceifar; e aquele que semeia em abundncia, em abundnciatambm ceifar." (Bblia).

    4. Os escrives-diretores devero distribuiros servios entre os servidores do ofcio de

    justia, segundo a categoria funcional decada um.

    SEO II

    DOS LIVROS E CLASSIFICADORESOBRIGATRIOS

    Subseo I

    Dos Livros dos Ofcios de Justia emGeral

    5. Os ofcios de justia em geral deveropossuir os seguintes livros:

    a) Normas de Servio da Corregedoria Geralda Justia, apenas para os cartrios que noestejam informatizados;

    b) Ponto dos Servidores;

    c) Visitas e Correies;

    d) Registro Geral de Feitos, com ndice,dispensada impresso no caso previsto no

    subitem 12.1 deste Captulo;

    e) Protocolo de Autos e Papis em Geral;

    f) Cargas de Autos;

    g) Cargas de Mandados;

    h) Registro de Sentena, observado o

    subitem 26.1 deste Captulo;i) Registro de Autos Destrudos.

    5.1. Alm dos livros acima enumerados, osOfcios de Justia devero possuir livroponto dos oficiais de justia que prestemservio junto s respectivas Varas, livro deRegistro de Feitos Administrativos(sindicncias, procedimentosadministrativos, representaes, etc.) e, no

    que couber, aqueles demais pertinentes

    Corregedoria Permanente, previstos no item

    18 do Captulo I.

    5.2. Os livros em geral, inclusive de folhassoltas, sero abertos, numerados,

    autenticados e encerrados pelo escrivo-diretor, sempre na mesma oportunidade,podendo ser utilizado, para este fim,processo mecnico de autenticaopreviamente aprovado pelo Juiz CorregedorPermanente, vedada a substituio defolhas. Uma vez completado o seu uso, seroimediatamente encaminhados paraencadernao (quando de folhas soltas).

    5.3. Haver nos ofcios de justia controle,pela utilizao de livros de folhas soltas ououtro meio idneo, da remessa e recebimento

    de feitos aos Tribunais.

    5.3.1. Implementado no sistemainformatizado oficial controle eletrnico daremessa e retorno dos autos aos Tribunais,fica dispensado o controle fsico peloscartrios de primeira instncia.

    5.4. Nos Ofcios de Justia integrados aosistema informatizado oficial, os registros deremessa e recebimento de feitos e peties aoCartrio Distribuidor devero serformalizados exclusivamente pelas viaseletrnicas.

    5.5. Os livros e classificadores obrigatriossero submetidos ao Juiz CorregedorPermanente para visto por ocasio das

    correies ordinrias ou extraordinrias esempre que forem por este requisitados.

    6. O livro Ponto dever ser assinadodiariamente por todos os servidores,excetuando-se aqueles que registram o pontoem relgio mecnico, consignando-sehorrios de entrada e sada.

    6.1. O encerramento do livro Ponto deverser dirio, mediante assinatura do escrivo-

    diretor ou de seu substituto legal.

  • 7/30/2019 Normas Gerais Da Corregedoria

    3/15

    NORMAS DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIA

    SEJA CONVOCADO!!!Aquele que semeia pouco, pouco tambm ceifar; e aquele que semeia em abundncia, em abundnciatambm ceifar." (Bblia).

    7. No ser permitido aos servidores, naassinatura do livro Ponto:

    a) o uso de simples rubricas;

    b) o emprego de tinta que no seja azul oupreta, indelvel.

    8. Por ocasio das ausncias ouafastamentos, de qualquer ordem, dosservidores, dever o escrivo-diretor, ou seusubstituto legal, efetuar as anotaespertinentes, consignando o motivo doafastamento ou a natureza da falta.

    9. No livro de Visitas e Correies sero

    transcritos integralmente os termos decorreies realizadas pelo Juiz CorregedorPermanente ou pelo Corregedor Geral da

    Justia.

    9.1. Este livro, cumprindo os requisitos dosdemais livros obrigatrios, dever serorganizado em folhas soltas em nmero de50 (cinquenta).

    10. Nos Ofcios de Justia no

    informatizados ou que, apesar deinformatizados, no estejam integrados aosistema informatizado oficial, ser elaboradoum FICHRIO POR NOME DE AUTOR, oqual servir como memria permanente doCartrio.

    10.1. O fichrio ser composto por fichasabertas em nome dos autores, organizadasem ordem alfabtica, com as seguintes

    excees:

    a) nos ofcios de justia criminais, doJECRIM, do jri e das execues criminais,somente sero abertas fichas em nome dos

    rus;

    b) suprimido;

    c) nos ofcios de justia de execues fiscaissomente sero abertas fichas em nome dos

    executados;

    d) nos casos de litisconsrcio, poder o JuizCorregedor Permanente, em razo do grandenmero de litigantes, limitar a quantidade defichas a serem abertas, quando ser aberta

    necessariamente uma para o primeiro autor;

    e) fica dispensado o fichrio em nome deautor para as Cartas Precatrias, entretanto,ser aberta ficha em nome do embargante nahiptese de haver Embargos de Terceirointerpostos no juzo deprecado;

    f) nos ofcios de justia da infncia ejuventude as fichas sero abertas em nomedas crianas e/ou adolescentes envolvidos;

    nos processos em que no se faa meno scrianas e/ou adolescentes, as fichas seroabertas em nome do autor, ou, se este for o

    Ministrio Pblico, em nome do ru.

    10.2. As fichas que compem o fichrio emnome do autor devero conter as principaisinformaes a respeito do processo, de forma

    a possibilitar a extrao de certides.

    10.2.1. Nos processos cveis, de famlia e

    sucesses, da fazenda pblica, da infncia ejuventude, de acidentes do trabalho e anexofiscal, dever ser anotado nas fichas: o n doprocesso, o nome, RG e CPF do autor, anatureza do feito, a data da distribuio, on, livro e fls. do registro geral de feitos, o n,livro e fls. do registro da sentena, a sumado dispositivo da sentena, anotaes sobrerecursos, a data do trnsito em julgado, oarquivamento e outras observaes que se

    entender relevantes.

    10.2.2. Nos processos criminais, do Jri edo JECRIM, deve ser anotado nas fichas: on do processo, o nome e qualificao do ru,o n, livro e fls. do registro geral de feitos, adata do fato, a data do recebimento dadenncia, o artigo de lei em que o ru foiincurso, a data da suspenso do processo(art. 366 do CPP e JECRIM), a data da

    priso, o n, livro e fls. do registro desentena, a suma do dispositivo da

  • 7/30/2019 Normas Gerais Da Corregedoria

    4/15

    NORMAS DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIA

    SEJA CONVOCADO!!!Aquele que semeia pouco, pouco tambm ceifar; e aquele que semeia em abundncia, em abundnciatambm ceifar." (Bblia).

    sentena, anotaes sobre recursos, a datada deciso confirmatria da pronncia, adata do trnsito em julgado, a data daexpedio da guia de recolhimento, detratamento ou de internao, o

    arquivamento e outras observaes que seentender relevantes.

    10.2.3. Nos processos de execuo criminal,deve ser anotado nas fichas: o nome equalificao do executado, as guias derecolhimento registradas, a discriminaodas penas impostas em ordem sequencial, osincidentes de execuo da pena, anotaessobre recursos, a suma dos julgamentos, as

    progresses de regime, os benefciosconcedidos, as remies de pena e outras

    observaes que se entender relevantes.

    10.2.4. Preferencialmente ser escriturada,at o momento do arquivamento dos autos, aficha do primeiro autor, lanando-se emtodas as demais, eventualmente abertas emrazo de litisconsrcio, alm do n doprocesso, do nome da parte, seu RG e CPF,

    indicao da ficha em que consta a completaescriturao.

    10.2.5. Nos Ofcios de Justia nointegrados ao sistema informatizado oficialas fichas que compem o fichrio por nomedo autor podero ser emitidas eescrituradas, at o momento doarquivamento dos autos, por sistemainformatizado, oportunidade em que devero

    ser materializadas em papel.

    10.3. Os Ofcios de Justia integrados aosistema informatizado oficial devero nelecadastrar os mesmos dados mencionados no

    item anterior e seus respectivos subitens.

    10.4. Os Ofcios de Justia integrados aosistema informatizado oficial deveroconservar as fichas que compem o fichriopor nome de autor (item 10 e respectivos

    subitens) at ento materializadas em papel,podendo, no entanto, ser inutilizadas, desde

    que todos os dados que delas constem sejamanotados no sistema de forma a possibilitara extrao de certides.

    10.4-A. O procedimento de inutilizao das

    fichas em nome do autor dever serrealizado no mbito e sob a responsabilidadedo Juiz Corregedor Permanente, o qualdever verificar a pertinncia da medida, apresena de registro eletrnico de todas asfichas, conservao dos documentos de valorhistrico, a segurana de todo o processo emvista das informaes contidas nosdocumentos e demais providnciasadministrativas correlatas.

    10-A. Nos Ofcios de Justia ainda noinformatizados ou que, apesar deinformatizados, no estejam integrados aosistema oficial, ser elaborado um FICHRIOINDIVIDUAL, destinado ao controle e registroda movimentao dos feitos, devendo seraberta uma ficha para cada processo. Ofichrio ser organizado pelo nmero doprocesso, em ordem crescente (1/99, 2/99,

    3/99, etc.) e com subdiviso por ano.10-A.1. As anotaes feitas nas fichas devemser fidedignas, claras e atualizadas, de formaa refletir o atual estado do processo.

    10-A.2. Quando do arquivamento dos autosdo processo, a ficha individual dever sergrampeada na contracapa, devendo serreaproveitada no caso de desarquivamento enovo andamento dos autos. Quando da

    devoluo de Cartas Precatrias cumpridasou da redistribuio de feitos a outras varas,as fichas individuais respectivas devem serinutilizadas.

    10-A.3. Nos Ofcios de Justia nointegrados ao sistema informatizado oficial ofichrio individual poder ser substitudopor sistema informatizado de controle eregistro da movimentao processual, desde

    que dele constem informaes fidedignas,claras e atualizadas, de forma a refletir o

  • 7/30/2019 Normas Gerais Da Corregedoria

    5/15

    NORMAS DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIA

    SEJA CONVOCADO!!!Aquele que semeia pouco, pouco tambm ceifar; e aquele que semeia em abundncia, em abundnciatambm ceifar." (Bblia).

    atual estado do processo, extraindo-se umacpia destas informaes, para queacompanhem o processo quando forarquivado.

    10-A.4. Nos Ofcios de Justia de Falncias ede Recuperaes ou nas sees respectivasdos Ofcios de Justia em geral, ondehouver, o fichrio individual, caso noinformatizado, ser composto por fichasabertas em nome dos empresrios e dassociedades empresrias, organizadas emordem alfabtica.

    10-B. Nos Ofcios de Justia integrados ao

    sistema informatizado oficial, o controle eregistro da movimentao dos feitos serrealizado exclusivamente pelo mencionadosistema, ficando vedada a utilizao defichas individuais materializadas em papelou constante de outros sistemasinformatizados.

    10-B.1. As fichas individuais seroencerradas e mantidas em local prprio noOficio de Justia, at a extino dos

    processos a que se referem e serogrampeadas na contracapa dos autos, porocasio de seu arquivamento, podendo, noentanto, ser inutilizadas desde que anotadosno sistema informatizado oficial todos osdados que delas constem de forma apossibilitar a extrao de certides.

    10-B.2. O procedimento de inutilizao dasfichas individuais dever ser realizado no

    mbito e sob a responsabilidade do JuizCorregedor Permanente, o qual deververificar a pertinncia da medida, a presenade registro eletrnico de todas as fichas,conservao dos documentos de valorhistrico, a segurana de todo o processo emvista das informaes contidas nosdocumentos e demais providnciasadministrativas correlatas.

    11. No livro Registro Geral de Feitos seroregistrados todos os feitos distribudos ao

    ofcio de justia, exceto as execues fiscaise os inquritos judiciais falimentares quesero registrados em livros especiais.

    12. facultada a organizao do Registro

    Geral de Feitos em folhas soltas,datilografadas, sempre porm protegidas porcapa dura e encadernadas ao trmino do

    livro formado (modelo prprio).

    12.1. Nos cartrios integrados ao sistemainformatizado oficial fica dispensada aimpresso do livro de registro geral de feitos.As anotaes pertinentes a este livro sero

    cadastradas no sistema.

    13. Os Ofcios de Justia elaboraro balanoanual relativo a seus feitos, do qual constar

    o seguinte:

    1) Feitos distribudos no ano;

    2) Feitos vindos de outros anos;

    3) Feitos liquidados no ano;

    4) Feitos que passam para o ano seguinte;

    5) Feitos desarquivados no ano, que voltema ter efetivo andamento.

    13.1. O balano anual de feitos sermantido em classificador prprio, paraguarda de dados estatsticos, como memria

    permanente do cartrio.

    14. As precatrias recebidas sero lanadasno livro Registro Geral de Feitos, com

    indicao completa do juzo deprecante eno apenas da comarca de origem, dosnomes das part...