Normas Gerais Do Ensino de Graduacao UEMA

  • View
    80

  • Download
    0

Embed Size (px)

Transcript

CONSELHO UNIVERSITRIO CONSUN

NORMAS GERAIS DO ENSINO DE GRADUAO Aprovadas pela Resoluo n 1045/2012 - CEPE/UEMA, 19 de dezembro de 2012.

So Lus- MA Dezembro 2012

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHOProf. Jos Augusto Silva Oliveira Reitor Prof. Gustavo Pereira da Costa Vice-Reitor Profa. Maria Auxiliadora Gonalves Cunha Pr-Reitora de Graduao Profa. Vnia Lourdes Martins Ferreira Pr-Reitora de Extenso e Assuntos Estudantis Prof. Porfrio Candanedo Guerra Pr-Reitor de Pesquisa e Ps-Graduao Prof. Walter Canales Santana Pr-Reitor de Administrao Prof. Antonio Pereira e Silva Pr-Reitor de Planejamento COMISSO DESIGNADA Portaria n 518/2011 GR/UEMA Portaria n 192/2012 GR/UEMA Presidenta Profa. Lcia Maria Saraiva de Oliveira Membros Profa. Luzinete Rodrigues Lopes Profa. Lgia Almeida Pereira Profa. Maria de Ftima Serra Rios Profa. Francisca Neide Costa Profa. Andra de Arajo Discente Igor Thiago Silva de Souza

Pgina | 2

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHOMensagem do Reitor Caro estudante: O projeto de educao da Universidade Estadual do Maranho oportuniza atualmente o ingresso e a formao de mais de vinte mil alunos matriculados em seus cursos, na capital e no interior do Estado, para atuarem de maneira autnoma, crtica, consciente e participativa, tanto no ambiente de trabalho, quanto na vida cotidiana. Para tal, o funcionamento da UEMA, como instituio de ensino e pesquisa realmente integrada em sua comunidade, exige uma organicidade interna dos vrios e distintos tipos de profisses nela oferecidas e do consentneo e indispensvel servio tcnicoadministrativo disponibilizado. Nesse sentido, faz-se obviamente necessria a divulgao das disposies regulamentares da instituio referentes ao exato cumprimento dos currculos, da oferta e programa das disciplinas, da avaliao e verificao da aprendizagem, enfim, das normas gerais do ensino aqui ministrado, com vistas a uma completa e eficaz ao orientadora para os que desejam nela ingressar. A partir do princpio de que o conhecimento um divisor de guas e de que o nosso estudante no deve s aprender pensamentos, mas sim aprender a pensar, se pretendemos que, no futuro, seja capaz de se conduzir por seus prprios meios, que propugnamos oferecer-lhe uma formao educacional de qualidade, meta permanente e mobilizadora de nossa gesto na UEMA, voltada tambm para o exerccio da cidadania, com responsabilidade social e ambiental. No estamos querendo imaginar aqui um modelo definitivo de universidade, o que propomos uma instituio em contnuo fazer-se, em constante evoluo e melhoria, onde pretendemos descobrir e conquistar nosso prprio modelo medida que o estivermos construindo. Caro estudante, ao desejar-lhe sucesso nessa importante fase de sua vida, de busca incansvel de autorrealizao e de um futuro melhor, quero pedir-lhe que, em aqui chegando,venha juntar-se a ns nessa tarefa, com garra e entusiasmo, e certamente estar contribuindo no s para o engrandecimento cultural da Universidade Estadual do Maranho como tambm para o desenvolvimento sustentvel e melhor qualidade de vida da nossa populao. Prof. Jos Augusto Silva Oliveira ReitorPgina | 3

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHOApresentao

A Pr-Reitoria de Graduao, tendo como uma de suas finalidades normatizar as atividades relativas ao ensino de graduao, coordenou a reformulao das Normas Gerais do Ensino de Graduao. Essa atividade teve a participao dos vrios segmentos da instituio com o intuito de atualizao das normas que foram aprovadas pela Resoluo n 423/2003 CONSUN/UEMA, de 04/12/2003. A Pr-Reitoria de Graduao disponibiliza para a comunidade acadmica as Normas Gerais do Ensino de Graduao que apresentam as informaes sobre currculo dos cursos, estgio curricular, monitoria, Educao Fsica, seleo e admisso, matrcula, oferta de disciplina e inscrio, trancamento, desligamento, preenchimento de vaga, Calendrio Universitrio, horrio das aulas, programa das disciplinas, avaliao e acompanhamento dos cursos, verificao da aprendizagem, frequncia, tratamento excepcional, aproveitamento de disciplina, histrico acadmico, trabalho de concluso de curso, integralizao curricular, colao de grau e regime disciplinar. As atuais Normas Gerais do Ensino de Graduao, aprovadas pela Resoluo n 1045/2012 CEPE/UEMA, de 19/12/2012, correspondem a orientaes acadmicas para a organizao e o funcionamento dos cursos de graduao com vistas qualidade da UEMA para a formao de cidados capacitados para o exerccio profissional.

Profa. Maria Auxiliadora Gonalves Cunha Pr-Reitora de Graduao

Pgina | 4

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHOSUMRIOPgina

TTULO I DAS DISPOSIES INICIAIS TTULO II - DO ENSINO DE GRADUAO Captulo I - DO CURRCULO, DO ESTGIO CURRICULAR, DA MONITORIA E DA EDUCAO FSICA Seo I - Do currculo dos cursos Seo II - Do estgio curricular Seo III - Da monitoria Seo IV - Da Educao Fsica Captulo II - DA SELEO E DA ADMISSO, DA MATRCULA, DA OFERTA DE DISCIPLINAS, DA INSCRIO EM DISCIPLINAS, DO TRANCAMENTO DE CURSO, DO DESLIGAMENTO DO ESTUDANTE E DO PREENCHIMENTO DE VAGA Seo I - Da seleo e da admisso Seo II Da matrcula Seo III - Da oferta de disciplinas e da inscrio em disciplinas Seo IV Do trancamento de curso Seo V - Do desligamento do estudante Seo VI - Do preenchimento de vaga Captulo III DO CALENDRIO UNIVERSITRIO, DO HORRIO DAS AULAS, DO PROGRAMA DAS DISCIPLINAS E DA AVALIAO E ACOMPANHAMENTO DOS CURSOS Seo I - Do Calendrio Universitrio Seo II Do horrio das aulas Seo III Do programa das disciplinas Seo IV - Da avaliao e acompanhamento dos cursos Captulo IV DA VERIFICAO DA APRENDIZAGEM, DA FREQUNCIA, DO TRATAMENTO EXCEPCIONAL E DO APROVEITAMENTO DE DISCIPLINA Seo I Da verificao da aprendizagem Seo II Da frequncia Seo III Do tratamento excepcional Seo IV Do aproveitamento de disciplina Captulo V - DO HISTRICO ACADMICO Captulo VI DO TRABALHO DE CONCLUSO DE CURSO TCC Captulo VII DA INTEGRALIZAO CURRICULAR, DO PRAZO DE INTEGRALIZAO CURRICULAR E DA COLAO DE GRAU Seo I Da integralizao curricular e do prazo de integralizao curricular Seo II Da colao de grau Captulo VIII DO REGIME DISCIPLINAR DO CORPO DISCENTE TTULO III DAS DISPOSIES TRANSITRIAS TTULO IV - DAS DISPOSIES FINAIS Anexo I - Das atribuies dos responsveis e participantes do estgio curricular Anexo II Modalidades de admissoPgina | 5

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHOTTULO I DAS DISPOSIES INICIAIS Art. 1 O Conselho Universitrio (CONSUN) da Universidade Estadual do Maranho (UEMA) conferir graus acadmicos de educao superior aos concluintes dos cursos de graduao nas modalidades bacharelado, licenciatura, tecnologia, alm de outros que assegurem o exerccio profissional. Pargrafo nico. Cada modalidade indicada no caput deste artigo dever constituir Projeto Pedaggico Especfico, com vistas avaliao proposta pelo Sistema Nacional de Avaliao da Educao Superior (SINAES). Art. 2 Os cursos de graduao podero ser ofertados em modalidades previstas em cada Projeto Pedaggico, observadas as Diretrizes Curriculares Nacionais consignadas nas respectivas Resolues do Conselho Nacional de Educao, nas Normas internas da UEMA que criam e autorizam o funcionamento e nas Resolues do Conselho Estadual de Educao que legitimam os currculos e reconhecem legalmente cada curso de graduao e sequencial de educao superior, condio para concesso do diploma aos estudantes concludentes. Art. 3 Os cursos de graduao tero suas atividades acadmicas organizadas pelo sistema seriado semestral, ordenado em perodos letivos bsicos ao subsequente, dispostos por rea de concentrao essencial ao desenvolvimento do curso, observadas as presentes Normas, bem como em regime intensivo no caso dos Programas Especiais, a saber: I - o perodo letivo regular independe do semestre civil; II - o perodo letivo, com atividades de ensino, pesquisa e extenso, de 100 (cem) dias, no mnimo, por semestre, conforme definido no calendrio universitrio aprovado no CEPE e homologado no CONSUN; III - a semestralidade dever assegurar a execuo do projeto pedaggico de cada curso, cujas matrculas sero efetuadas por disciplina, observado o vnculo entre o perodo antecedente e subsequente, na salvaguarda do conhecimento cientfico essencial graduao; IV - as disciplinas podero ser ministradas como co-requisitos em um mesmo perodo letivo no prprio curso ou em outra graduao, em condio excepcional, quando no for possvel observar a sequncia entre perodos com pr-requisitos e ps-requisitos no currculo; V o regime modular admitido, somente, para cursos sequenciais de educao superior, que conduzam a diploma, vetado para os cursos regulares.

Pgina | 6

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO MARANHOArt. 4 Os centros acadmicos de cincias e de estudos superiores asseguraro o funcionamento contnuo entre os perodos letivos, compatibilizando as frias docentes com as atividades acadmicas, como segue: I - o perodo especial poder ocorrer aps cada semestre regular, com durao de 4 (quatro) semanas, e carga horria diria mxima de 3 (trs) horasaula desde que seja resguardada a qualidade do ensino e identificada a real necessidade da oferta de disciplina pelo colegiado de curso, no prejudicando o perodo letivo subsequente, e no permitindo disciplinas com carga horria superior a 60 horas-aula; II - a realizao de perodo especial, de que trata o pargrafo anterior, dever ser submetido ao departamento de locao da disciplina, para aprovao e constar de justificativa da proposta e nmero mnimo de 10 (dez) requerentes para a composio de 1 (uma) turma; III - a Direo do Curso encaminhar o pleito Pr-Reitoria de Graduao - PROG, aps aprovado pelo departamento respectivo, que publicar edital abrindo as inscries no perodo especial, em at 2 (duas) disciplinas por aluno, vetado o trancamento; IV - a atividade docente ser obrigatria no perodo especial, excetuandose os docentes que se encontrarem em gozo de frias regulamentares. Pargrafo nico. Em se tratando de Programa Especial, a oferta do perodo especial letivo ficar condicionada ao nmero de alunos inscrito