Normas Monografia UERJ e ABNT Direito

Embed Size (px)

Text of Normas Monografia UERJ e ABNT Direito

ROTEIRO PARA NORMALIZAO DE DISSERTAES E TESES

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO Reitora: Nilca Freire Vice-Reitor: Celso Pereira de S Centro de Cincias Sociais CCS Diretora: Lucia Bastos Faculdade de Direito Diretor: Celso Renato Duvivier de Albuquerque Mello Vice-Diretora: Rosangela Martins Zagaglia Coordenao da Ps-Graduao Coordenadora: Rosangela Maria de Azevedo Gomes Rede Sirius Rede de Bibliotecas UERJ Diretora: Nysia Oliveira de S Biblioteca Reitor Antonio Celso Alves Pereira (Biblioteca de Cincias Sociais C CCS/C) Gerente: Neusa Cardim da Silva

Neusa Cardim da Silva Simone Faury Dib

ROTEIRO PARA NORMALIZAO DE DISSERTAES E TESES

Rio de Janeiro UERJ Rede Sirius 2003

2003. Rede Sirius Rede de Bibliotecas UERJ Todos os direitos reservados. Equipe Tcnica Colaborao: Maria Jos Moreira Professora da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) Reviso gramatical: Maria da Conceio Silva Diagramao e elaborao da capa: Vanderli M. de Amorim Impresso: Fbrica de Livros - SENAI/XEROX/FUNGUTENCATALOGAO NA FONTE UERJ/REDE SIRIUS/BIBLIOTECA CCS/C S586 Silva, Neusa Cardim da. Roteiro para normalizao de dissertaes e teses / Neusa Cardim da Silva, Simone Faury Dib. Rio de Janeiro: UERJ, Rede Sirius, 2003. 64 p. ISBN 85-88769-09-3 1. Normalizao trabalhos cientficos. I. Dib, Simone Faury. II. Ttulo. CDU 001.811

UERJ/REDE SIRIUS Rede de Bibliotecas UERJ Rua So Francisco Xavier, 524 1 andar- Bloco B Sala 1019 CEP: 20550-013 Maracan Rio de Janeiro - RJ Telefone: (0XX21) 2587-7683 Fax: (0XX21) 2567-4541 E-mail: rsirius@uerj.br Biblioteca Reitor Antonio Celso Alves Pereira (Biblioteca de Cincias Sociais C - CCS/C) Rua So Francisco Xavier, 524 - 7 andar Bloco C Sala 7002 CEP: 20550-013 Maracan Rio de Janeiro RJ Telefax: (0XX21) 2587-7989 E-mail: ccsc@uerj.br

LISTA DE FIGURAS

Figura 1 - Folha padro com limite das margens ...................... 16 Figura 2 - Capa .......................................................................... 21 Figura 3 - Lombada ................................................................... 23 Figura 4 - Folha de rosto ........................................................... 25 Figura 5 - Verso da folha de rosto ............................................. 26 Figura 6 - Folha de aprovao .................................................. 28 Figura 7 - Dedicatria ............................................................... 29 Figura 8 - Folha de agradecimentos .......................................... 30 Figura 9 - Folha de epgrafe ...................................................... 32 Figura 10 - Folha de resumo em lngua portuguesa ................. 33 Figura 11 - Folha de resumo em lngua estrangeira .................. 34 Figura 12 - Lista de ilustraes ................................................. 36 Figura 13 - Lista de abreviaturas e siglas ................................. 37 Figura 14 - Sumrio .................................................................. 39 Figura 15 - Glossrio ................................................................. 49

SUMRIO

APRESENTAO ............................................................................ 9 1 2 3 4 INTRODUO .............................................................................. 11 REDAO E ESTILO .................................................................. 13 APRESENTAO GRFICA ...................................................... 15 ESTRUTURA DO TRABALHO ACADMICO ...................... 19

4.1 Elementos pr-textuais ................................................................... 20 4.2 Elementos textuais .......................................................................... 40 4.3 Elementos ps-textuais ................................................................... 41

5

CITAES ...................................................................................... 51

5.1 Citaes diretas ............................................................................... 51 5.2 Citaes indiretas ............................................................................ 53 5.3 Citao de citao ........................................................................... 53 5.4 Sistemas de chamada de citaes .................................................. 54

6

NOTAS ............................................................................................. 57

6.1 Notas de referncia ......................................................................... 57 6.2 Notas explicativas ........................................................................... 59

7

CONSIDERAES FINAIS ......................................................... 61 REFERNCIAS .............................................................................. 63

ROTEIRO PARA NORMALIZAO DE DISSERTAES E TESES 9

APRESENTAO

Esta publicao reflete o empenho da Biblioteca Reitor Antonio Celso Alves Pereira (Biblioteca de Cincias Sociais C CCS/C) que, com o apoio da Faculdade de Direito, oferece aos docentes e discentes dos cursos de ps-graduao um instrumento que contribua para o fazer acadmico. A experincia e a competncia das autoras resultou em uma publicao na forma impressa e em verso online, que revela, de maneira simples e clara, o passo a passo da padronizao de teses e dissertaes. Ao adotar padres internacionais na elaborao da sua produo cientfica, a Faculdade propiciar a disseminao dessas informaes intra e extra UERJ, contribuindo, cada vez mais, para ampliar o apoio ao conhecimento da atividade acadmica na rea jurdica.

Nysia Oliveira de S Diretora da Rede Sirius

ROTEIRO PARA NORMALIZAO DE DISSERTAES E TESES 11

1 INTRODUO Um trabalho acadmico deve ser elaborado com critrio, seguindo um roteiro respaldado na pesquisa. A utilizao de normas para padronizar a apresentao da produo intelectual imprime mais seriedade e qualidade ao trabalho, tornando eficaz a comunicao cientfica. A idia da elaborao de um roteiro que orientasse os alunos dos cursos de ps-graduao de Direito da UERJ surgiu no apenas das inmeras solicitaes de mestrandos e doutorandos, mas tambm da inteno dos bibliotecrios em oferecer um instrumento que facilitasse a compreenso e tornasse mais acessveis as normas tcnicas para aqueles que pretendem elaborar um trabalho padronizado. Uma das principais vantagens de uma produo documentria normalizada favorecer o tratamento e a disseminao da informao, facilitando sua posterior recuperao. Este roteiro foi desenvolvido nas verses impressa e online. A verso online constitui-se em uma iniciativa pr-ativa que permite ao aluno o acesso s diversas folhas da estrutura do trabalho, possibilitando impresso imediata. A elaborao deste documento baseou-se em literatura existente sobre redao de trabalhos acadmicos e nas normas da Associao Brasileira de Normas Tcnicas (ABNT), rgo responsvel, no Brasil, pelo estabelecimento de normas de padronizao. Cabe ressaltar que esta publicao est aberta a crticas e sugestes que contribuam para o seu aprimoramento.

ROTEIRO PARA NORMALIZAO DE DISSERTAES E TESES 13

2 REDAO E ESTILO A redao de textos tcnico-cientficos requer a observncia de determinados padres, como uso da linguagem formal e da nomenclatura cientfica. As dissertaes e teses, como textos de natureza e funo informativas, devem favorecer o entendimento imediato. Assim, objetividade e clareza so fundamentais para a apreenso pelo leitor do contedo da obra. Recomenda-se evitar o emprego de construes truncadas, de frases introdutrias inteis e de estrangeirismos. E, em relao conjugao verbal, deve-se evitar o uso da primeira pessoa. O emprego de abreviaturas e siglas deve ser feito com parcimnia. Aquelas que forem essenciais viro logo aps o nome por extenso e entre parnteses.

ROTEIRO PARA NORMALIZAO DE DISSERTAES E TESES 15

3 APRESENTAO GRFICA A apresentao grfica do texto a forma de organizar fsica e visualmente o trabalho, considerando a estrutura, formato, uso de fontes e paginao. A padronizao dos trabalhos obedecer os seguintes critrios:

Tamanho do papel Orientao Margens

A4 (210 x 297 mm) Retrato. As margens superior e esquerda devem ser de 3 cm, ao passo que as margens inferior e direita devem ser de 2 cm. Justificado. Os pargrafos devem ser recuados 7 espaos da margem esquerda e, em caso de existirem alneas, estas iniciam a 7 espaos da margem do pargrafo. Antes e depois: 0 pt Entrelinhas: espao duplo uniformemente, no texto; e simples, para citaes longas, notas de rodap, referncias, ficha catalogrfica, resumos e informaes relativas natureza do trabalho.

Alinhamento Recuo

Espaamento

Fonte Estilo Tamanho Cor

Times New Roman. Normal. corpo 12 para o texto, corpo 10 para notas de rodap e para citaes longas.

Preta.

16 NEUSA CARDIM DA SILVA E SIMONE FAURY DIB

Figura 1 Folha padro com limites das margens

3cm

Margem superior do texto

7 espaos

Margem do pargrafo

Margem de citao longa e alneas14 espaos 3cm 2cm

Margem inferior do texto2cm

ROTEIRO PARA NORMALIZAO DE DISSERTAES E TESES 17

Cada captulo de uma dissertao ou tese deve ser iniciado em pginas capitulares, isto , em pginas de abertura dos captulos. Os ttulos das sees e subsees devem ser separados do texto que os precede ou sucede por dois espaos duplos. A indicao de flios refere-se aos nmeros de folhas, a saber: so contados e no so numerados os flios que incluam elementos pr-textuais (folha de rosto, folha de aprovao, dedicatria, agradecimentos, epgrafe, resumos, lista de ilustraes, lista de abreviaturas, siglas e smbolos, sumrio) e o primeiro flio capitular da Introduo; a numerao deve aparecer no incio de cada flio, com alinhamento superior direita, em algarismos arbicos, a partir do flio seguinte ao ca