Click here to load reader

Normas Técnicas UFES.pdf

  • View
    318

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Normas Técnicas UFES.pdf

  • UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPRITO SANTCWI BIBLIOTECA CENTRAL

    5STOS DE VENDAleo de Emprstimo das BibliotecasCentralietorial de Cincias Agrriasictorial de Cincias da Sadeetonal do Centro Universitrio NorteIo Esprito Santoetorial do NEDTECetorial Tecnolgica

    to: R$ 5,00

    NORMALIZACCE APRESENTACDE TRABALHOSCIENTFICOSE ACADMICOS

  • Marta Luiza Louree Rocha Perota. Isabel Cristina Louzada Carvalno eMana Beccalh

    O 2006

    FWlorRutMfis Srgio R**9t

    Vtce-ReitorRe/na/do Cintoducitf

    Diretora da Bibhoiec* CentraiRichtl Roe/w AtodWn CS 12/47

    Diretora da Owsao de Assistncia ao UsurioAter** d* Ftfm Volloso CRB 12137

    Texto e Reviso TcnicaM*n Luizm louras Rache Pero CRB 121100limbvt Cristina Loultdt Cirvtlho CRB 12117Angif Mri BtccriN - CRB 121108

    Reviso de TextoAlm d Silva Bone/

    Foto da CapaDMtfADCH

    Digitao e Editorao

    Dados Internacionais de Caialogaco-na-Pubiicaco (CIP)(Biibiioieca Central da Universidade Federal do Espirito Santo. ES, Brasil)

    UnhwsidBdB Feder* 00 Espinio Santo. OMotoca CenwaJNorrnaluao t apMMniafto de Mbatwt cMntmcos e acadmcos / Untverw-

    dada Federal do E r^itoSamo. BMoMcaCwitral. - Vrfona.ES AftbiKxaca.200674 p H

    TiMo anMnor. Normahzao e apreMniacAo Oe trabalho ctentlftco acadamt-cot: giM para alunos. pratoMores e pvaqutMdorae da UFES

    eehograKa; p 47-48ISBN: 65-60022-01 -5.

    l Normas wcnca PuMcacat. 2- Redado Mcmca l.

    CDU 001-816

    noas*, autorizam aAs autoras da puUoate rataranctodo no nem 13. da sacao 'N.uiuaao m4agral do wxio rwsia ooraTodos os direitos amo^Ks esto resvrvadot peto Cwt-hcado d* Ragwiro rnruao pela

    Naoonal. Sua raproduo sem autorizao consumi oiado L* n 9 6KV96

    lUFESAv. Fernando Fwian. 514 OowbMras 29075-910 Vitoria ESTel

  • 4.2.2 Citao ind,reta 294.23 Citao de citao 294.2.4 Outras situaes aplicveis na estrutura de cita** 30

    a) Citao obtida por meio de canais informais 30b) Citao de trabalho em fase de elaborao ou trabalho

    no publicadoc) Traduo em citao. 31d) Citao de eventos (congressos, seminrios, simpsios...) 31e) Citao de atos legislativos no todo 31f) Citao de documentos on-line .31

    4.3 SISTEMA DE CHAMADA 324.3.1 Sistema autor-data 324.3.2 Sistema numrico ...364.4 NOTAS DE RODAP ..374.4.1 Chamada numrica no texto4.4.2 Localizao 0 apresentao grafica 384.4.3 Formas de apresentao 384.4.4 Uso de expresses latinas 395 APRESENTAO DE TABELAS E ILUSTRAES .. 4351 TABELAS. .4352 ILUSTRAES 446 REFERNCIAS 47APNDICES . 49APNDICE A - Estrutura de Trabalho Acadmico .. 50APNDICE B - Estrutura de Tese e Dissertao ... 51APNDICE C - Modelo de Capa .. 52APNDICE D - Modelo de Lombada .. 53APNDICE E - Folha de Rosto de Trabalho Acadmico ... 54APNDICE Ea - Exemplos de Notas de Trabalhos Acadmico* 55APNDICE F - Modelo de Ficha Catalogrflca .. 56APNDICE G - Modelo de Folha de Aprovao ... 57APNDICE H - Modelo de Dedicatria 58APNDICE l - Modelo de Epgrafe ... 59APNDICE J - Modelo de Resumo .. 60APNDICE L - Modelo de Abstract .. 61APNDICE M - Modelo de Lista de Fotografias 62APNDICE N - Modelo de Lista de Grfico* ... 63

    APNDICE O -APNDICE PAPNDICE Q-APNDICE R -APNDICE S -APNDICE T -APNDICE U -APNDICE V -APNDICE V

    APNDICE X -APNDICE Z -

    Modelo de Lista de TabelasModelo de Lista de SiglasModelo de SumrioModelo de ndiceModelo de Lista com Sugestes de LeituraModelo de Formatao de Pgina e de TextoForma de Numerao das FolhasModelo de Apresentao de Tabelas

    - Modelo de Apresentao de Tabelas em maisde uma Pagina

    Modelo de Apresentao de IlustraesLista de Verificao de Itens

    6465666768697071

    727374

  • APRESENTAO

    Ainda no final da dcada de 80. consolidamos pane de nossa experincia profissionale docente no estudo das normas da Associao Brasileira de Normas Tcnicas(ABNT), especificamente as da rea de informao. Com isso. buscamos participardas consultas publicas abertas pela ABNT. dos debates e discusses que acontecemno mbito das instituies e entre os profissionais que utilizam tais normas, alemde nos dedicarmos analise comparativa das normas quando so reeditadas. Talatitude nos impulsiona a um processo de atualizao constante, o que nos permitesocializar os avanos e. s vezes, os retrocessos com o pblico que utiliza apresente publicao.

    Desde a primeira edio, em 1995. assumimos o compromisso de manter nossasobras afinadas com os anseios de seus leitores e com as alteraes promovidaspela ABNT. Nessa perspectiva, estamos lanando uma nova edio da obra'Normalizao e Apresentao de Trabalhos Cientficos e Acadmicos* que, pelosquestionamentos que vinha provocando sobre a abrangncia de sua aplicabilidade,'perdeu* o subttulo "guia para alunos, professores e pesquisadores da UFES".considerando que seu contedo apresenta uma interpretao das normas da ABNT.respeitando sempre seus princpios norteadores e tomando a sua aplicao menostcnica ou rida. Alm disso, nossas obras, em momento algum, refletem regras,padres e/ou posturas emergentes de instncias reguiamentadoras no mbito daUniversidade Federal do Espirito Santo (UFES).Entretando. com orgulho que afirmamos nossa estreita ligao com a Universidade,j que parte do grupo responsvel pelos estudos aqui socializados integra ou integroua equipe da UFES. bem como o respaldo do seu Sistema Integrado de Bibliotecaspara editar esla obra. ao qual cedemos, por tempo determinado, os direitos autoraispara publicao.

  • 10 IIEsle novo titulo que comea a circular em 2006 incorpora as alteraes efetuadaspela ABNT e que passaram a vigorar a partir de janeiro do corrente ano. dentre asquais destacamos: adoo de entrelinha com padro 1.5 para uso no texto(reivindicao antiga da comunidade acadmica e cientifica brasileira): exduso dapreviso de notas no final dos captulos ou do trabalho, mantendo somente as derodap; simplificao da forma de indicar equaes e frmulas; e uniformidade dafonte menor que a do texto para os diversos recursos adotados na editorao dosvariados tipos de trabalhos acadmicos. No decorrer da obra. voc encontrar taisalteraes registradas.

    Evidenciamos, ainda, a publicao de uma nova NBR. a 15287:2005. que " [ Jestabelece os princpios gerais para apresentao de projetos de pesquisa", validosa partir de janeiro de 2006 (ASSOCIAO BRASILEIRA DE NORMAS TCNICAS.2005a). Apesar da importncia e utilidade desse contedo, a NBR 15287 apenasreafirma os aspectos que ia constam de outras NBRs. no eliminando a necessidadede consulta a obras sobre metodologia da pesquisa.

    Reafirmamos aqui as atitudes j aplicadas em momentos anteriores, quais sejam:* incluir novos itens e exemplos, a partir das demandas que emergem das

    comunidades que adotam esta publicao como um consultor silencioso:

    * buscar adequao aos padres que. com o passar do tempo, esto sendoconsolidados pela comunidade tcnico-oeniifca brasileira, quer peto processode melhor compreenso das normas, quer por sua atualizao;

    * consultar bibliotecrios que atuam em diversas reas, por exemplo, a jurdica.especificamente da Procuradoria da Repblica no Estado do Esprito Santoe Tribunal de Contas do Estado do Esprito Santo, no sentido de explicitarorientaes em conformidade com o fazer desses profissionais: e

    * alertar a todos para o lato de que. na normalizao de livros, deve ser adotadaa NBR 6029:2006 e. para peridicos, a NBR 6021:2003.

    Decidimos tambm manter o esclarecimento sobre urna questo reincidente - oemprego do termo normalizao ou normalizao -.j que a prpria ABNT esclareceque o substantivo normalizao no consta do Vocabulrio Ortogrfico da LnguaPortuguesa', da Academia Brasileira de Letras, nem tampouco do 'Vocabulrio deTerminologia Tcnica' (ASSOCIAO BRASILEIRA DE NORMAS TCNICAS.2004)Em consulta ao 'Novo Dicionrio da Lngua Portuguesa', de Aurlio Buarque deHolanda Ferreira, uma das principais obras de referncia de nossa lngua,encontramos o verbo normalizar, com a definio de *(...] submeter a norma ounormas: padronizar (...)" e normalizar, como '(...) estabelecer normas para (...}*.Em ambos os verbetes, constatamos a remissiva para comparao das definies(FERREIRA. 1999. p. 1415).Sendo assim, acompanhamos a deciso da ABNT que adota a palavra normalizao,quer por sua aceitao pelos organismos mundiais de normalizao, quer por seuuso consagrado no Brasil h mais de meio sculo e. ainda, por consider-la a quemelhor se enquadra na tareta de submeter a norma, ou seja. padronizar documentos.produtos, servios e sistemas (ASSOCIAO BRASILEIRA DE NORMASTCNICAS. 2004)

    Marta Lulza Louras Rocha ProlaIsabel Cristina Louzada Carvalho

    Angela Mana Beccalh

    Vitria, agosto de 2006.

  • 1 INTRODUOToda comunicao lcmca e cientifica necessita ter uma apresentao sistematizadapara poder transmitir adequadamente seu contedo. A originalidade de um trabalhono esta na sua lorma. mas no seu contedo, que deve ser apresentado com umalinguagem dar e objetiva, sendo o texto compreensvel a qualquer pessoa comrazovel cultura geral. Os trabalhos comumente soltados so:

    Projetos de pesquisa: So documentos que explicitam as aes que serodesenvolvidas durante um processo de pesquisa. Em geral, devem especificarobjetivos, justificativa e descrio da modalidade da pesquisa, alm dos instrumentosde coleta e anlise de ciados, do cronograma e dos recursos humanos, financeiros,materiais necessrios operacionalizao da pesquisa {GIL, 2002). Apesar de aABNT ter lanado, em 2005. a NBR 15287. sugerimos consulta a obras sobremetodologia da pesquisa para aprofundamento do assunto. A NBR 15287 trataapenas das questes estruturais de um projeto de pesquisa.

    Trabalhos acadmico*: So trabalhos que representam o resultado de estudo e/ou pesquisa sobre um tema. exigidos por disciplina, modulo, estudo independente.curso e programa

    Monografias: Dentro desta definio, podemos incluir os trabalhos de conclusode curso de graduao (TCC) que. em geral, so basicamente uma revisobibliogrfica e como tal no ge

Search related