NOTAS SOBRE A PEDAGOGIA DE HUGO DE SÃO VÍTOR: Index

Embed Size (px)

Text of NOTAS SOBRE A PEDAGOGIA DE HUGO DE SÃO VÍTOR: Index

  • NOTAS SOBRE A PEDAGOGIA DE HUGO DE SO VTOR: Index.

    NOTAS SOBRE A PEDAGOGIA DE HUGO DE SO VTOR

    ndice Geral

    poca de Hugo de So Vitor.

    A pedagogia vitorina.

    O estudo na pedagogia vitorina.

    Conselhos diversos ao estudante. O estudante deve ser humilde.

    O que a humildade.

    Renncia.

    Buscar em primeiro lugar a verdade.

    Mtodo.

    Nunca abandonar as boas obras.

    O estudo deve ser um deleite.

    O que estudar.

    Estudar com o propsito de ensinar.

    Aspirar s coisas mais altas.

    file:///D|/Documenta%20Chatolica%20Omnia/99%20-%20Provvi...i/mbs%20Library/001%20-Da%20Fare/01/0-NotasPedagogia.htm2006-06-02 15:18:58

  • NOTAS SOBRE A PEDAGOGIA DE HUGO DE SO VTOR: C.1.

    NOTAS SOBRE A PEDAGOGIA DE HUGO DE SO VTOR

    poca de Hugo de So Vitor.

    Hugo de So Vitor nasceu na Saxnia, que hoje faz parte do territrio da Alemanha, no ano de 1096. Ainda jovem sentiu a vocao religiosa e mudou-se para Paris com a inteno de ingressar no Mosteiro de So Vitor, no qual residiu at a sua morte em 1141. Ele viveu, portanto, na primeira metade do sculo dos anos 1100.

    A poca em que viveu Hugo de So Vitor foi uma das mais importantes da histria da civilizao ocidental, pois foi nela que comearam a se organizar as naes que hoje fazem parte da Europa.

    Mil e cem anos antes da poca de Hugo, quando nasceu Jesus Cristo, no existiam Inglaterra, Frana, Alemanha, Portugal nem tantos outros pases da Europa. Na poca de Cristo a Europa, o norte da frica e o Oriente Mdio constituam um todo conhecido como Imprio Romano. A ausncia de fronteiras e as facilidades de comunicao dentro de um imprio to grande muito auxiliou para que o cristianismo se propagasse mais facilmente por todo o mundo civilizado daquele tempo.

    Entretanto, a partir dos anos 400 e durante vrios sculos que se seguiram, muitas hordas de brbaros provenientes da Europa Oriental e do interior da sia passaram a invadir o territrio do Imprio Romano que acabou aos poucos se esfacelando. Embora tivesse havido algumas pocas de calma, as invases e as desordens que resultaram delas s puderam comear a ser definitivamente controladas, possibilitando a organizao daquelas que so as atuais naes da Europa, na poca de Hugo de So Vitor. Entre o ano 1100, prximo ao nascimento de Hugo, e o ano 1300, prximo morte de Santo Toms de Aquino, houve um extraordinrio renascimento da civilizao na Europa em todos os aspectos, incluindo a vida religiosa, a teologia e a educao. Pertencem a este perodo da

    file:///D|/Documenta%20Chatolica%20Omnia/99%20-%20Pr...s%20Library/001%20-Da%20Fare/01/NotasPedagogia-1.htm (1 of 3)2006-06-02 15:18:58

  • NOTAS SOBRE A PEDAGOGIA DE HUGO DE SO VTOR: C.1.

    histria as vidas de So Francisco de Assis e de So Domingos.

    No incio deste perodo, no ano 1100, So Vitor era o nome de uma capelinha situada nos arredores de Paris e freqentada por pessoas que vinham, longe do tumulto da cidade, consagrar algum tempo meditao e orao. Em 1108, com o fim de melhor poder dedicar-se s coisas de Deus, um sacerdote professor da escola anexa Catedral de Notre Dame, chamado Guilherme de Champeaux, transferiu-se para l junto com vrios de seus alunos. Mesmo residindo em So Vtor, Guilherme continuou sendo procurado, no s pelo seu exemplo, como tambm pelos seus ensinamentos, que no deixou de ministrar. Assim surgiu ali o mosteiro de So Vtor.

    Quando Hugo pediu para ser admitido no mosteiro de So Vitor, Guilherme j no residia mais nele. Tinha sido promovido a bispo e havia deixado outros em seu lugar, encarregados do governo do mosteiro. Algum tempo depois a tarefa de organizar a escola de Teologia anexa ao mosteiro seria confiada a Hugo de So Vitor.

    Raras vezes na histria humana uma escolha pde ter sido to feliz. No mosteiro organizava-se uma grande biblioteca que daria acesso a Hugo ao que de melhor havia sido escrito pela tradio crist. A fama de So Vitor j havia atravessado as fronteiras e espalhava-se por toda a Europa; ela trazia ao mosteiro, de todas as partes, estudantes de notvel talento, como tinha sido o caso do prprio Hugo, que para l se tinha dirigido proveniente do Sacro Imprio Germnico, de Ricardo de So Vitor, que ali chegou proveniente da Esccia, e de Pedro Lombardo, que vinha do norte da Itlia encaminhado por So Bernardo. J coisa rara que um talento da envergadura de Hugo, homem de inteligncia brilhante, santidade manifesta e notvel vocao docente se veja diante de tantos e to excelentes recursos materiais e humanos; mais raro ainda que algum nestas condies se veja encarregado de, alm de ensinar, organizar tambm a escola. Esta tarefa suplementar obrigou Hugo adicionalmente a explicar aos alunos como se deveria estudar, aos professores como se deveria ensinar e escola como se deveria organizar, e isto no para obter algum diploma, que naquela poca ainda de nada valiam, mas para, a partir de um slido conhecimento das Sagradas Escrituras e das obras dos Santos Padres, empreenderem a busca da santidade.

    file:///D|/Documenta%20Chatolica%20Omnia/99%20-%20Pr...s%20Library/001%20-Da%20Fare/01/NotasPedagogia-1.htm (2 of 3)2006-06-02 15:18:58

  • NOTAS SOBRE A PEDAGOGIA DE HUGO DE SO VTOR: C.1.

    O conjunto da obra de Hugo de So Vitor mostra que ele elaborou um sistema de Pedagogia em que o estudo de torna um instrumento de ascese em perfeita consonncia com os ensinamentos do Novo Testamento a respeito da f, da graa e da orao, da necessidade da graa para a prtica das virtudes e dos frutos que se esperam do desenvolvimento da vida espiritual.

    Hugo de So Vtor mostrou, em suma, como se organiza o estudo, o ensino e a escola para que, sem deixar de ser uma escola, nem perder nenhuma das caractersticas que tradicionalmente se atribuem a uma escola, ela tenha como meta a santidade. Esta meta no algo acrescentado ou justaposto ao que j seria a escola, mas aquilo que dita a prpria essncia de sua organizao e de seus mtodos.

    Hugo mostrou ainda que se isto pode ser possvel, porque esta a verdadeira e legtima finalidade da escola. So as outras escolas, e no esta, que representam um desvio do verdadeiro ideal do ensino.

    n

    file:///D|/Documenta%20Chatolica%20Omnia/99%20-%20Pr...s%20Library/001%20-Da%20Fare/01/NotasPedagogia-1.htm (3 of 3)2006-06-02 15:18:58

  • NOTAS SOBRE A PEDAGOGIA DE HUGO DE SO VTOR: C.2.

    A pedagogia vitorina.

    Uma das caractersticas marcantes da pedagogia moderna consiste no ter ela conseguido dissociar, cada vez mais profundamente ao longo dos ltimos 700 anos, o estudo da busca de Deus.

    Em sua poca, Hugo de So Vitor organizou o estudo como um instrumento de ascese crist a ser utilizado conjuntamente com os demais meios para o desenvolvimento da vida do esprito. Quatrocentos anos mais tarde, na poca da Renascena, com o advento da educao a que se chamou de humanista, o estudo passou a ser utilizado somente como instrumento para a formao do carter; se as escolas religiosas ainda orientavam os alunos a respeito da vida espiritual, esta orientao era algo paralelo ou acrescentado escola e no tinha mais relao necessria com o estudo nela desenvolvido pelos alunos.

    Mais recentemente, principalmente nos dois ltimos sculos, abandonou-se tambm o esprito da educao humanista e o objetivo mais importante do sistema escolar deixou de ser a formao do carter do aluno para se tornar a aquisio de determinadas habilidades teis para a sociedade ou exigidas pelo mercado de trabalho. A formao do carter passou a ser buscada, de modo principal, indiretamente atravs da aquisio e do exerccio destas habilidades. No mundo moderno, de fato, no um conhecimento profundo da natureza humana que determina como a escola deve ser organizada, mas so as diferentes polticas de desenvolvimento e as diversas necessidades do mercado de trabalho que exigem um determinado nmero de profissionais habilitados que ditam as orientaes das polticas educacionais.

    Na educao vitorina, porm, o estudo organizado de tal modo que se torna parte integrante da ascese crist. O estudo e a ascese no so atividades independentes nem paralelas. Ao contrrio, uma coisa faz parte da outra, a tal ponto que este pode ser corretamente identificado como um dos elementos que distingem o que se pode chamar de espiritualidade vitorina, uma determinada forma de desenvolvimento da vida crist que inclui dentro dela a pedagogia, e que pode se desenvolver,

    file:///D|/Documenta%20Chatolica%20Omnia/99%20-%20Pr...s%20Library/001%20-Da%20Fare/01/NotasPedagogia-2.htm (1 of 2)2006-06-02 15:18:59

  • NOTAS SOBRE A PEDAGOGIA DE HUGO DE SO VTOR: C.2.

    como em um lugar prprio, em uma escola.

    No possvel expor em poucas pginas a pedagogia vitorina, porque ela no se encontra apenas nos textos especificamente dedicados por Hugo de So Vitor a este assunto, mas est tambm espalhada em toda a sua obra, freqentemente entrelaada com princpios de Filosofia e Teologia que pervadem no s os seus escritos como tambm os de seu discpulo Ricardo de So Vitor, cuja obra, juntamente com a de Hugo, forma um s conjunto.

    Sendo assim, o que examinaremos em seguida, embora faa parte da pedagogia de Hugo de So Vitor, no um resumo da pedagogia vitorina, mas apenas um apanhado de algumas observaes retiradas de suas obras, das quais ele se utilizava para orientar aqueles que tinham a inteno de se dedicar ao estudo da Cincia Sagrada no intuito de buscarem a Deus.

    file:///D|/Documenta%20Chatolica%20Omnia/99%20-%20Pr...s%20Library/001%20-Da%20Fare/01/NotasPedagogia-2.htm (2 of 2)2006-06-02 15:18:59

  • NOTAS SOBRE A PEDAGOGIA DE HUGO DE SO VTOR: C.3.

    O estudo na pedagogia vitorina.

    Vamos examinar mais extensamente o nono captulo do Quinto Livro do Didascalicon, em que Hugo de So Vitor explica a funo do estudo dentro do conjunto da vida espiritual, como